terça-feira, 20 de outubro de 2015

Mês das Bruxas: 25 Clássicos do Terror - Dracula: Sovereign of the Damned


Masoquê? Mais um Anime de vampiros? Mas é o terceiro só este mês!

Será? Será que o Japão conseguiu mais uma vez? Será este mais um bom longa metragem de terror, capaz de devolver a dignidade dos vampiros deuma forma que Hollywood já desistiu de fazer há tempos?

Não. Esse aqui é uma bosta.

E vejam bem, é um dos primeiros longa metragens da Marvel de todos os tempos!

...

É!


EXCELSIOR!!!

Nossa história se passa na cidade de Boston, pois quando pensamos em Drácula e terror, é imediatamente pra lá que nossa mente vai.

Uma bela noite, a igreja de Satã local estava fazendo um ritual para atrair Lucifer. O Demônio. O Capeta. O Preula Viva. O Mochila de Criança. Ele. A intenção dos lazarentos era oferecer a ele uma noiva mortal escolhida a dedo: Domini.

Porque Domini é um nome perfeitamente normal para uma mulher.

Drácula, que estava casualmente voando do lado de fora da igreja, porque neste desenho coincidências incríveis são totalmente normais, entra no templo, aterrissa diante dos cultistas e é imediatamente confundido com o Diabo. Os fanãticos dizem: "Ooooh, senhor Satã, leve esta noiva contigo!" E sem cerimônia alguma, Drácula vai embora carregando a moça debaixo do braço.

Aí ele chega em casa disposto a bebê-la... Mas não consegue! OH!

Então ele sai por aí, bebe outras mulheres, volta pra casa e percebe que apaixonou-se por Domini! AH!

Enquanto isso, dois caçadores de vampiros encontram Frank Drake, último descendente da linhagem de Drácula, quando este ainda era humano. Os caçadores são Quincy Harker, filho de Jonathan e Mina Harker, e Rachel Van Helsing, neta de Abraham Van Helsing.

Drake é um mestre de Tai Chi, e por algum motivo, Harker e Rachel acham que isso será de extrema utilidade contra Drácula. Eles estão dispostos a oferecer 100 mil dólares ao rapaz, mas ele recusa. Ele diz que prefere Rachel como recompensa, e força a garota a aceitar um beijo seu.

Porque no Japão, tratar mulher como se fosse boneca inflável
é praticamente o esporte nacional

Claro que eles se entendem depois. Pois tratar a única moça do grupo como menos que uma boneca inflável é totalmente compreensível. Ora pois!

Neste meio tempo, Satã aparece em sua igreja e dá a maior comida de rabo em seu sumo-sacerdote. Ele explica ao idiota que não foi ele, mas sim Drácula que levou Domini embora. O padre começa a criar um plano para recuperar a moça, mas o diabo o manda esperar UM ANO para executar sua vingança.

Por quê?

NO LO SÉ!!!

Assim, um ano depois, Drácula casou-se com Domini, teve um filho com ela e foi convidado pela igreja de Satã a levar o menino para ser batizado. Como é um imbecil, o senhor dos vampiros não vê nada de errado nisso, vai com a esposa e seu bebê até o lugar, e prontamente seu filho é morto.

Aí o Drácula fica puto e vai embora.

Depois, Domini vai até o túmulo do filho rezar, e DEUS RESSUSCITA O GAROTO E O TRANSFORMA NO CAPITÃO MARVEL... Ou quase... E com o único intuito de destruir seu pai.

Então... Tem os Caçadores de Vampiros, Satã, e um moleque que foi transformado em um Vingador de segunda, todos querendo arrancar a bunda do Drácula.

...

Meu Deus, esse filme é ruim demais.

"Desculpe, senhor Satã! Pensamos que o Drácula era você."
"Eu sou um homem pelado e vermelho de três metros de altura.
Como vocês me confundiram com QUALQUER OUTRA PESSOA?"

Ok, vocês querem saber da relação deste Anime com a Marvel, não? De fato, aposto que foi o único motivo pelo qual vocês continuaram lendo essa desgraça de artigo.

Dracula: Sovereign of the Dead foi inspirado no quadrinho Tomb of Dracula, publicado pela editora entre 1972 e 1979. Nele, acompanhávamos as aventuras de um grupo de caçadores de vampiros que tinham por meta de vida exterminar Drácula e todos os seus asseclas, e que vez ou outra trombavam com outros heróis da casa.

Sim, pois é! Por algum tempo, Drácula foi um vilão de peso no universo Marvel. Ele enfrentou o Homem-Aranha em uma ocasião, e foi o adversário dos X-Men em um arco de histórias bem longo, onde tomava a Tempestade como sua noiva.

Aliás, é curioso que qualquer personagem licenciado pela Marvel na época, acabava entrando na continuidade principal da editora. O mesmo aconteceu com os Transformers, que na terceira edição de seu gibi mensal, também se encontraram com o Homem-Aranha.

Ou seja, Drácula e Megatron precisaram duelar com o Cabeça de Teia, o que devia ser um ritual de iniciação do estúdio. Mas mais importante que isso, houve um período na história em que estes três personagens fizeram parte da mesma continuidade.

Sente-se um momento e tome um copo de água gelada, enquanto seu cérebro aceita esta nova realidade.

Antes que eu me esqueça, Blade fez sua primeira aparição nas páginas de Tomb of Dracula. Bem como Hannibal King, Deacon Frost e diversos dos personagens que apareceram em sua trilogia de cinema.

Tome mais essa, cérebro!

"Esposa, preciso lhe contar a verdade... Eu não sou Satã. Sou o Drácula."
"Eu sei, porra. Moramos juntos faz um ano. Eu não sou retardada."

No Brasil, a revista foi lançada como A Tumba de Drácula, parte do selo “Capitão Mistério” da editora Bloch. Blade, Morbius e Mestre do Kung-Fu foram outros personagens Marvel que tiveram suas histórias publicadas pela Bloch, enquanto Capitão América, Hulk e demais heróis eram parte da linha editorial da Ebal.

A publicação dos heróis Marvel por aqui foi uma bagunça durante os anos 1970 e 1980, vou te falar.

Agora, imagino que vocês devem estar se perguntando, como um quadrinho tão antigo da Casa das Idéias foi se transformar em uma animação tão obscura?

Bem, talvez vocês se lembrem que Marvel e Toei mantinham um caso de amor tórrido nos anos 1970. A produtora japonesa estava disposta a adaptar personagens da editora para a televisão de seu país. Graças a isso tivemos o Tokusatsu do Homem-Aranha, e Battle Fever J, o terceiro Super Sentai da história, que também era uma versão nipônica do Capitão América.

Imagino que quando o contrato das duas empresas estava para acabar, a Toei decidiu lançar uma última adaptação de um dos gibis da casa, e optou por Tomb of Dracula, pois acreditou que esta se adaptaria melhor ao estilo Anime do que digamos... X-Men.


Janus, filho de Drácula. O único bebê do mundo que nasceu
com as feições de um irlandês alcoólatra de 38 anos.

Eu não assisti Dracula: Sovereign of the Damned quando era criança. Descobri sua existência no ano passado e por completo acidente. E admito que só não me esqueci dele, porque a premissa absurda de Drácula roubar a noiva do Capeta ficou gravada na minha mente a fogo.

Mas eu admito que se tivesse visto este longa na mesma época que vi Vampire Hunter D, eu teria adorado. Não por ser um grande Anime (acho que a falta de qualidade aqui já ficou óbvia), mas por tratar de assuntos que eram claramente “adultos”.

Como eu disse antes, boa parte do meu fascínio por terror na infância, era porque estes filmes tratavam de temas que eu sentia, não eram para os meus olhos. Quando os assistia, eu sentia como se estivesse violando regras, e vislumbrando um mundo proibido, que eu ainda não tinha idade para conhecer. Um desenho com Drácula, Satã, mortes, cemitérios e tudo mais, se encaixaria como uma luva nessa descrição.

Mas de forma bastante indireta, Dracula: Sovereign of the Damned me trouxe uma pontada de nostalgia.

Minha mãe sempre foi uma leitora ávida. Ela tinha pilhas de livros e quadrinhos, que devorava todas as noites, antes de dormir. Ela nunca foi fã de super-heróis, mas era fascinada por histórias pulp (ela colecionava A Espada Selvagem de Conan) e de terror.

Em casa temos um “quarto da bagunça”, onde muitas das coisas que acumulamos com o passar dos anos foram parar. Seja porque perderam a serventia, ou simplesmente porque não há espaço nos quartos de dormir para armazená-las. Muitos dos meus antigos brinquedos estão lá, e os quadrinhos que eram da minha mãe também.

Quando eu era criança, passava tardes inteiras no quarto da bagunça. Brincando (normalmente, de Zillion ou Changeman), e quando eu me cansava, revirava as caixas de gibis antigos de terror até encontrar alguma coisa para ler.

E mesmo naqueles tempos, havia algo de saudoso naquelas revistas. Não sei explicar bem o que, mas talvez fosse o fato delas representarem uma época da vida da minha mãe quando eu ainda não havia nascido. E imaginar isso era como vislumbrar um outro mundo, totalmente diferente de tudo que eu conhecia.

Por pior que seja esta animação, ela me trouxe uma memória gostosa da infância. Por isso, estou feliz de tê-la assistido.

Drácula comendo um Xis-Burguer. E agora
você já viu de tudo na vida

Então, qual é o veredito?

Dracula: Sovereign of the Damned não é um bom filme, de maneira alguma. Mas é um produto de seu tempo, que não chega a ser pior do que os Animes porcaria que são lançados aos baldes anualmente no Japão.

O caso é que eu me diverti muito assistindo. O mero absurdo que é seu roteiro me fez gargalhar alto, como eu não fazia há muito tempo. E isso num dia que havia sido bem difícil, e em que eu estava precisando muito dar umas risadas.

Acho que a melhor maneira de aproveitá-lo é com os amigos. Todos rindo das loucuras da história e se alimentando das boas energias do ambiente. Ao fim da sessão, todos estarão se sentindo ótimos.

Dracula: Sovereign of the Damned funciona. Pelos motivos errados, mas funciona.

Cheers!!!

6 comentários:

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

Eu li o texto duas vezes e... não entendi quem é o vilão da história, o dracula ou o preula viva?

É não consigo conceber que o Dracula ja enfrentou os X men. Digo, Que poderes a marvel deu a ele para enfrentar os alunos do Xavier?

Só o Wolverine o estracalharia em pedaços... Mas por "roteirismo " isso não seria uma tarefa fácil.

Murasaki -F disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Murasaki -F disse...

O Drácula no livro original tem a capacidade de tornar-se fumaça...acredito que o Wolverine não poderia fazer muito caso ele também tivesse esse poder nessa versão kkkk

Hao Cinis disse...

Se eu bem me lembro, o Drácula tinha pouco mais que superforça, whatsapp mental e habilidade de virar fumaça quando tretou com os X-men... e fora um "ataque" cagão do Noturno improvisando uma cruz, eles não conseguiram muito. E esse confronto ainda gerou o What If em que o Wolverine toma o lugar do Drácula...

Azrael_I disse...

Drácula foi um vilão de responsa na Marvel e rendeu excelentes histórias (e um monte de lixo também, como esse filme), tanto no Universo "normal" da editora (o 616) quanto na linha de terror puro da Marvel. O confronto com o Aranha foi um dos melhores (ele queria fazer a Gwen Stacy ser sua noiva), e o confronto com os X-Men também (diferente do Wolvereco, Drácula era imortal e dominava magia, o que o tornava apto a cuidar de todos os X-Men, na época; ele conseguiu enfrentar o Thor sozinho!). A coisa ficou tão séria que o Dr.Estranho teve que entrar na briga e, com a ajuda do Hannibal King, do Blade (que na época nem tinha poderes) e outros, destruir o Drácula e lançar um feitiço no UNIVERSO INTEIRO (sim, o Estranho era exageradamente poderoso desse jeito, na época) para impedir que qualquer vampiro nascesse, até alienígenas (SÉRIO!!!).

Realmente, todo e qualquer ser que aparece numa revista Marvel se torna parte da editora... até mesmo o Godzilla, que lutou pau a pau com o Thor, num duelo de "queda de braço com prédio"!

E Amer, sinceramente, o anime dos X-Men é uma tremenda BOSTA FUMEGANTE!! Não se engane por esse vídeo que vc postou, essa é simplesmente a abertura que fizeram no Japão para o X-Men Animated Series (aquele que passava no Fox Kids e na TV Colosso); ninguém sabe exatamente por que, mas no Japão trocaram as aberturas. O anime mesmo dos X-Men saiu em 2011 junto com o anime do Homem de Ferro, o anime do Blade e o anime do Wolverine (esse sim presta, apesar de mostrar um Wolvereco garotão). Essas quatro séries (a dos X-Men foi a terceira a ser lançada) foi mais um projeto paralelo da Marvel, mas das quatro a dos X-Men é de longe a pior. Só não é pior do que aquele anime em que os Vingadores são invocados por crianças como se fossem Bakugans, aquilo ali é lixo nível político brasileiro!

LOBO disse...

Encontrei essa "preciosidade" com o áudio em espanhol no Youtube ano passado.