sábado, 16 de setembro de 2017

Crítica do Amer: It - A Coisa


Terror é um gênero que fica estagnado com muita facilidade. O cinema encontra uma fórmula que funciona, a repete a exaustão e eventualmente, os filmes que antes nos assustavam tornam-se apenas ruído branco. O maníaco mascarado torna-se uma figura cômica, as mocinhas em perigo ficam tão intercambiáveis quanto Taylor Swift e Miley Cyrus, e as histórias que antes assombravam nossos pesadelos, passam a causar tantos bocejos quanto um jogo de Hideo Kojima.

Mas vez ou outra, surge um filme que quebra o padrão e aplica uma injeção de ânimo no cinema de terror, inspirando uma geração de diretores que aterrorizarão as plateias dos anos vindouros. Dentre tais obras podemos destacar A Noite dos Mortos Vivos, O Massacre da Serra Elétrica, Hellraiser: Renascido do Inferno e Os Oogieloves e a Aventura no Grande Balão.

It: A Coisa... Não é um destes filmes.

domingo, 30 de julho de 2017

Crítica do Amer: Logan


FINALMENTE ACONTECEU! Eu prometi, não prometi? Crítica de Logan! E aqui está, com alguns meses de atraso, quando tudo que havia para ser dito a seu respeito já foi dito, por críticos com ego demasiado inflado, que acreditam que usar palavras como “grandiloquente” de alguma forma engrandece suas críticas de filmes BASEADOS EM QUADRINHOS DE SUPER HERÓIS!!!

Quando na verdade, a crítica de cinema é uma das maiores perdas de tempo de toda história. Vocês já sabem se gostaram ou não do filme, independente de terem o assistido. O público quer apenas ter sua opinião validada por um figura que esteja numa suposta posição de autoridade.

...

Ok, acho que é amargura suficiente para a abertura deste artigo. Vou tomar uma dose de Jack Daniels e dizer o que achei do filme de uma vez.

...

Ok, não é Jack Daniels, é Yakult.

...

Tá bom, é Sukita uva... PAREM DE ME JULGAR!!!

quarta-feira, 7 de junho de 2017

As Armas/Poderes/Personagens mais Overpower dos games


Me avise se a cena seguinte lhe parece familiar.

Você está lá, jogando seu game favorito, a caminho da fase final, quando subitamente percebe uma caverna/casa/puteiro que nunca tinha visto antes, seja pelo déficit de atenção inerente a pessoas de sua geração, ou pelo puro e simples mongolismo mesmo. Disposto a completar 100% do game, você adentra este nunca antes desbravado território, disposto a desvendar todos os seus segredos.

Então você avança, mata tudo que encontra no caminho com os mais bisonhos requintes de crueldade, até que finalmente chega no chefe secreto do lugar: Uma coisa indescritível, com HP de oito milhões, que simboliza a privação sexual do programador que passou oito meses sem inalar um pentelho alheio, unicamente para terminar o jogo no prazo.

Após muito sofrimento e determinação, você encontra no YouTube um vídeo que lhe ensina a matar o chefe, e graças as dicas de um jogador muito mais habilidoso e honesto, você supera este desafio e ganha sua devida recompensa. No caso, uma arma especial.

Vamos batizá-la de "Os Chatos de Miley Cyrus".

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Crítica do Amer: Persona 5


Ok, como posso começar minha crítica de Persona 5?

Bem, é o melhor RPG que joguei na última década.

Yep! Melhor que Mass Effect, Dragon Age e Fallout. De fato, consegue ser superior até mesmo a seus antecessores, Persona 3 e Persona 4. Acho que poucos games do gênero conseguiram atingir tamanha excelência naquilo que se propuseram a fazer.

Assim sendo, vá comprar! Agora! Já!

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Crítica do Amer: Masters of Combat


Estava pensando agora, e faz bastante tempo desde a última vez que escrevi sobre um game do Master System. De fato, a última vez que resenhei sobre um título para o 8 bits da Sega foi... NUNCA.

Isso é porque O MASTER SYSTEM É UMA MERDA E TODOS QUE O PREFERIRAM AO INVÉS DE UM NINTENDO MERECEM MORRER NO INFERNO!!!