sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Crítica do Amer: Transformers - Devastation


Ok, eu quero que vocês imaginem uma cena agora.

E sim, irei descrever um ato sexual repulsivo e tentarei usá-lo como analogia para aquilo que estou prestes a dizer. É o que eu sempre faço quando peço para que imaginem algo.

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Crítica do Amer: Doutor Estranho


Assim que Doutor Estranho começou, percebi algo de diferente.

Lembram do logotipo da Marvel? Aquele em que páginas de quadrinhos são viradas e aos poucos formam MARVEL, e depois Studios na tela, pra encher nossos corações de alegria e nossos sovacos de suor?

Pois então, agora temos diversas cenas de todos os filmes do estúdio, que nos são apresentados em rápida sucessão, até formarem MARVEL STUDIOS tudo junto bem lindão, para sobrecarregar nossas sinapses de endorfinas e nossos olhos lacrimejarem e se arregalarem até caírem das órbitas.

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Os Simpsons - Mother Simpson


Este é meu artigo de número 500.

Yep.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Crítica do Amer: Deadpool (o Video Game)


Tenho uma relação bastante complicada com o Deadpool.

Por um lado, acho o conceito por trás do personagem brilhante. Um anti-herói plenamente consciente do fato que é um personagem em uma história, e que quebra a 4ª parede constantemente? Um bom roteirista pode transformar isso em ouro!

Infelizmente, o mercenário passou a maior parte de sua vida nas mãos de roteiristas ruins, que não conseguiriam trabalho nem na Praça é Nossa (mas que trabalham na Marvel, que mundo horrível). Como resultado, suas histórias tornaram-se um amontoado de esquetes ruins, que só agradavam aos fãs mais abilolados do personagem.

E já que toquei no assunto, DEUS DO CÉU, os fãs do Deadpool são intragáveis. Claro, foi graças a paquitagem deles que o senhor Wade ganhou um filme, mas Deus do céu, nunca vi um rupo de pessoas tão obcecada em tenta provar que o “seu herói” é melhor que “o herói dos outros”.

Exceto talvez, pelos fãs do Lobo.

sábado, 15 de outubro de 2016

Quatro Animes chatos de terror


Existem pessoas completamente obcecadas por filmes ruins. Aquelas que se tiverem de escolher entre gastar seus suados dinheiros na filmografia completa de Steven Spielberg ou na de Roger Corman, optarão pelo segundo.

Encontro almas irmãs nestas pessoas, pois compartilho deste gosto por produções de baixa qualidade.

Só que no meu caso, eu gosto de Animes ruins.