sábado, 11 de outubro de 2008

Mês das Bruxas: Games pra se jogar de Madrugada!


Então... é Sábado, tá tarde pra cacete e você acabou de chegar em casa após ter saído com os amigos.

Você pegou um pedaço de costelinha defumada na geladeira e mandou pra dentro com um bom copão de Coca Cola em temperatura ambiente pois não há tempo de colocá-lo na geladeira e esperar esfriar, trocou o pijama ou ficou só de cueca (se for menina, ficou só de calcinha, o que me permite ficar imaginando muitas coisas) e sentou pra ver alguma coisa na tevê antes de dormir.

Mas... não há nada decente passando!!!

No Cartoon Network estão reprisando One Piece pela enésima vez, na Nickelodeon fazem o mesmo com Jeanie é um Gênio, o Cinemax exibe algum filme pornô que vai perder a graça após dez minutos (não me façam explicar por quê, vocês sabem muito bem) e o canal nacional tá passando alguma pornochanchada com Mario Gomes e Betty Faria que perderá a graça mais rápido que o filme pornô do Cinemax...

... pelos motivos errados, claro.

Então só lhe resta uma opção... ligar o videogame e jogar até amanhecer...

E como estamos no mês de Outubro, nada melhor pra se jogar na escuridão e silêncio da madrugada do que um bom game de terror!

Ora, já estamos no clima certo para tais games, o melhor a fazer é aproveitar!

Agora, se você for minimamente como eu, deve ter uma tonelada de games acumulados em casa e não deve fazer a menor idéia do que jogar entre tantas coisas a se escolher, correto?

Não?

...

Bom, vou recomendar coisas pra se jogar de madrugada mesmo assim, simplesmente porque não tenho outro artigo preparado pra essa semana!

Os outros filmes que eu pretendo dissertar ainda não chegaram, então não reclama!!!



Sweet Home

Aí você pensa "Ora, como pode me recomendar um game de Nintendo 8 Bits? Quer que eu me assuste com 56 cores sendo mostradas na tela? Ha! Duplo Ha!"

Ao que eu vou responder com: Cale-se filho, ouça alguém com mais experiência que você e talvez aprenda alguma coisa!

Ok! Sweet Home!

Aqui, seis pessoas entram na mansão abandonada de Mamiya Ichirou, uma artista que faleceu em circunstâncias misteriosas a fim de conseguir imagens de suas pinturas.

Assim que pisam no lugar, a porta se fecha atrás deles e eles descobrem que o lugar é assombrado pelo espírito da pintora, que enlouqueceu antes de morrer.

Conforme se avança na história, você descobre que a razão para a mulher ter despirocado é que um de seus filhos caiu no incinerador da casa e morreu queimado. Mamiya jogou suas outras crianças no incinerador também e se matou em seguida.

E sabe o que mais? Você encontra o incinerador em um certo ponto!

E sabe o que mais? É possível escutar o choro das crianças mortas quando se chega neste lugar!

E sabe o que mais? Choro de crianças fantasmas é horrivelmente desconfortável com o áudio limitado do Nintendo...

Pois é... bem diferente de salvar uma princesa de um reino de fungos, não? Quem diria que um sistema que gera meras 56 cores na tela seria capaz disso?

Lembrando sempre que o NES foi o console que nos agraciou com a cabeça de Hitler explodindo uma vez!

Aliás, Sweet Home é o avô de Resident Evil! O próprio criador de RE, Shinji Mikami já admitiu que este game foi uma enorme influência para ele.

De fato, se jogar Sweet Home perceberá uma animação muito familiar toda vez que abrir uma porta...

E aliás, há um filme que conta a mesma história do game. No Japão, game e filme foram lançados simultaneamente e o trailer do filme também servia de propaganda para o game, pois continha imagens de ambos.

Infelizmente, o filme nunca foi lançado em DVD, o que faz com que ele seja muito difícil de ser encontrado hoje em dia. O game foi lançado somente no Japão, mas você pode encontrar uma versão traduzida para inglês e rodá-la tranquilamente em qualquer emulador!

Deus abençoe os nerds desocupados e suas traduções de games Japoneses!


Splatterhouse 3

Já falei deste game em outra ocasião e com grande atenção aos detalhes...

Bom, não dei tanta atenção aos detalhes, mas sinceramente, não há muito sobre o quê se dissertar aqui.

Você é Rick, um cara maior que o Triple H e que usa uma máscara parecida com a do Jason. Toda vez que entra em uma mansão mal-assombrada, sua namorada ou família é seqüestrada pelas forças DO MAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAALLLLLLLLLLL, como diria o Homem-Sereia.

Esqueçamos o fato que Rick teria muito menos problemas se evitasse de passear com a família em lugares freqüentados por fantasmas, seres das trevas e pelo Toninho do Diabo e pensemos apenas que ele enfrenta a tudo isso usando apenas suas mãos, pedaços de pau e anabolizantes o suficiente pra manter a WWE ativa por décadas.

Falando em WWE, você pode dar suplex nos montros!!!! Que outro jogo lhe permite dar golpes de luta-livre nos recém falecidos?

...

Sim, sim, eu sei que tem outro game e falo dele daqui a pouco.

Aliás, jogar Splatterhouse 3 é um bom aquecimento para quando lançarem o novo game da série, em algum momento do ano que vem.

Se o novo Splatterhouse for realmente tão bom quanto a sua arte conceitual faz parecer, então já temos algo pra ficar jogando o ano que vem inteiro!


The Immortal

Esta é uma produção de Will Harvey!!!

Quem é Will Harvey?

O programador deste game! O nome dele tá na capa, diabos!

The Immortal é um game da época em que programadores de games tinham meio que uma aura de escritores de best-sellers e colocavam seus nomes na capa de seus jogos. Hoje em dia, tais profissionais não gostam muito de se passar por clones do Stephen King e preferem agir como versões nipônicas de Steven Spielberg ou astros do rock em decadência.

De qualquer forma, The Immortal é um jogo único!

Aqui, você encarna na pele de um mago barbudo (cujo nome não me lembro e que até onde sei pode ser o irmão menos famoso do Dumbledore) que por algum motivo inexplicável para todos, resolve entrar em um labirinto onde ABSOLUTAMENTE TUDO tenta matá-lo.

Se não for pego pelas armadilhas, o velho enfrenta alguns Goblins e Trolls aqui e acolá e vez ou outra encontra alguém que não se diverte com assassinato de idosos e que resolve ajudá-lo.

The Immortal é um dos games mais difíceis de todos os tempos, em parte porque absolutamente todos os pontos do jogo estão infestados de armadilhas, mas principalmente porque na maior parte do tempo você não faz a menor idéia de PRA ONDE CARALHOS TEM DE IR OU O QUE PORRAS TEM DE FAZER!!!

Sério!

Me lembro de um ponto onde você recebe um ovo enorme. Você pode ficar com o ovo até ele chocar ou quebrá-lo e comer o bicho que há dentro dele. Caso almoce o referido ser, perderá a criatura mágica que o fará avançar em um trecho particularmente cabeludo do jogo.

O problema é que não me lembro de nenhum aviso explicando isso no momento que se pega o maldito ovo!

E tem gente que reclama que Ninja Gaiden Black é difícil!

Mas o motivo principal para as pessoas lembrarem deste game, é por sua violência bárbara!

Este vídeo mostra todas as maneiras horríveis como o personagem principal pode morrer e este link mostra todas as formas abomináveis que o herói encontra para matar seus inimigos.

Classe! Isso que eu digo!

Aliás, The Immortal foi lançado para NES também, mas toda a violência escabrosa foi removida do jogo e sinceramente, o único motivo pra se continuar jogando este game é ver o quão mais atroz ele vai se tornar!

Se bem que depois de espalhar os intestinos de um goblin pelo chão, não há muito mais o que se possa fazer...


Haunting

Está cansado de lidar com criaturas sobrenaturais? De saco cheio de encarar assombrações e demônios? Não aguenta mais enfrentar coisas de outro mundo?

E que tal ser um fantasma e infernizar a vida de uma família, simplesmente porque você pode?

Pois é! Essa é a premissa de Haunting!

Você joga com um cara chamado Polterguy, que se veste como um greaser (aqueles caras de jaqueta de couro e brilhantina no cabelo de filmes dos anos 50), é feito de ectoplasma e assombra a casa de uma família. Sua missão e expulsar as pessoas do lugar uma a uma.

Nada melhor pra aliviar as tensões do que fazer uma família perder seu lar!

Bom... passar por cima das pessoas com um tanque de guerra também ajuda nesse aspecto, mas isso é uma outra história.

E mais, quando a família se muda, Polterguy vai junto e tenta expulsá-las de sua nova casa também! Provando que mesmo fantasmas podem ser inacreditavelmente cuzões!

Há um tempo limitado para se fazer isso, pois aos poucos o ectoplasma de Polterguy se esvai. Se acabar antes que você termine a fase, ele volta ao mundo dos mortos, onde precisa recolher substância catarrenta o bastante para poder voltar ao mundo dos vivos.

E... é isso! É bem mais legal jogar essa coisa do que ouvir outra pessoa falando dela, pode ter certeza!

Não, sério!


Zombies ate my Neighbours

Não entendo por que, mas algumas pessoas odeiam este game.

O negócio aqui é simples: você escolhe entre um moleque irritante de óculos 3D ou uma gostosinha de boné e shortinho e sai atirando em monstros com sua arma de água, antes que eles massacrem os imbecis da vizinhança que insistem em ficar parados no lugar mesmo estando cercados de zumbis e coisas vindas do espaço.

Claro, sua arma molhada não é o único armamento! É possível encontrar bombas, bazucas, patos de borracha, Caixas de Pandora, poções que te transformam em monstro e mais um sem fim de coisas que lhe permitam massacrar o que estiver em seu caminho!

Que outro game permite que você dê um tiro de bazuca em um bebê gigante, heim?

E se você for um aficcionado por cinema, vai se divertir com todas as referências que este game faz a clássicos do terror! Desde Despertar dos Mortos até A Bolha são referenciados aqui!

Aliás, a primeira vez que joguei essa coisa, o game tinha o título "Monsters". Nunca entendi por que raios isso e o fato de que penso em tal assunto há mais de dez anos prova que eu ando precisando de uma namorada.

...

Não... isso vai só piorar as coisas...


Castlevania

Ser camponês na Europa Medieval deve ter sido um saco!

Lá está você, coberto de bosta, tentando evitar a Peste, trabalhando feito um animal para poder comprar a baguete de pão que vai alimentar sua família pelo mês inteiro quando de repente... um castelo assombrado aparece como que por encanto no penhasco lá longe...

Aí você já sabe que aquele filho da puta do Drácula ressuscitou mais uma vez e que vai levar todas as mulheres bonitas da vila embora e só vão lhe restar as prostitutas cinquentonas de novo!

Felizmente, há uma família de guerreiros que sempre leva a frente a tradição de derrotar Drácula e não usar calças ao fazer isso: Os Belmont!

E acredito que não preciso falar mais nada! Se você não conhece Castlevania, não tem nada que estar lendo este blog e ainda digo mais, você merece ser estuprado por um urso!!!

...

E pelo Valdemar!!!

Enfim!

Em Castlevania você controla um dos membros da família Belmont que deve entrar no castelo de Drácula e chicoteá-lo feito uma putinha até que ele decida tirar mais uma pestana de um século.

Vez ou outra, é possível fazer tal missão com o filho do Drácula ou com algum personagem que não faz o menor sentido, mas a fórmula básica é essa.

E digo mais, Drácula não está sozinho! Em Castlevania, o velho conde não é um Europeu fru-fru que tenta seduzir o Keanu Reeves! Não senhor! Ele é o badass supremo, tão foda que tem sob seu comando a própria Morte e os outros monstros clássicos da Universal!

Não dá pra ser mais durão que isso sendo Europeu!

Claro, nem todos os games da série são bons! Os títulos de Nintendo 64 são quase tão ruins quanto assistir "Two Girls and a Cup", mas a maioria dos jogos da franquia valem o tempo gasto na frente deles!

E chicotear a cara de um nobre Europeu sem estar usando calças nunca perde a graça!


Silent Hill

Nunca entendi essa série, portanto não sei explicar direito sobre o que se trata.

Digo, eu entendi, mas não entendi.

Assim... você sempre joga com alguém que de alguma forma foi parar na cidade amaldiçoada de Silent Hill e as coisas dão errado e toca uma sirene e o cenário muda e seu rádio chia e você não entende mais porra nenhuma, exceto que está batendo em cachorros e fetos sem pele com um cano enferrujado enquanto tenta fugir de um homem norme com a toalha amarada na cintura e uma pirâmide na cabeça.

E quando menos espera, alienígenas de um filme B dos anos 50 aparecem e te levam embora.

Mais ou menos assim...

Ok, o jogo te deixa no escuro (literal e figurativamente) a maior parte do tempo e isso com certeza ajuda no clima de terror constante, então tiro meu chapéu para a série.

Aliás, devo dizer que Silent Hill foi o primeiro game a virar um filme decente!

Sou totalmente contra games virarem filmes! Simplesmente não dá certo, o diretor resolve colocar sua "visão artística" na coisa e caga em tudo!

Só pra assustar vocês, Brett Rattner, diretor daquele miserável X-Men 3, vai dirigir o filme de God of War. Que tal?

Mas Silent Hill virou um ótimo filme, que remete bem ao game e funciona sozinho como filme de terror.

Só achei que precisava dizer isso!

Enfim, você pode escolher a versão de PSP e jogar da forma mais tétrica possível! Vá até aquele cômodo da casa onde você raramente pisa (o quartinho empoeirado onde a família guarda todas as coisas que não usa mais, por exemplo) encolha-se num canto e jogue.

Apenas faça isso!

Tenho certeza que antes que se dê conta, vai estar olhando pra porta tentando ver alguma coisa no escuro que está planejando te comer.

Ahhhhh sim...

Aliás, tem gente que acha as enfermeiras de Silent Hill sensuais.

Ok, como todo tarado eu tenho uma queda por enfermeiras, mas gosto quando elas são assim e não assim!!!

Quem diria... eu tenho escrúpulos...


Fatal Frame

Fatal Frame segue a premissa de enfiar Japonesinhas em casas mal-assombradas... "Mal-Assombradas"...

Sabe, agora que eu pensei nesta palavra, vejo que ela não faz o menor sentido! Por que casas "mal-assombradas"? Por acaso existem casas "bem-assombradas"?

"Olá! Meu nome é Laura Palmer e eu fui torturada e assassinada nesta casa! Hoje eu a assombro! Fico feliz de recebê-los, meus amigos! Gostaria de oferecer biscoitos quentinhos, recém saídos do forno, que você podem comer enquanto massageio seus pés e vocês me contam sobre seus sonhos e anseios para o futuro!"

Será que o fantasma de uma casa "bem-assombrada" é assim?

Ou será que "mal-assombrada" se refere à competência do fantasma em questão? Considerando que nos games e filmes que se passam em tais lugares, o espírito maligno é sempre derrotado, não creio que esta explicação esteja muito longe da verdade.

Casas "bem-assombradas" não devem gerar grandes histórias, pois os fantasmas devem fazer sarapatel de qualquer um que ouse entrar nelas!

Por que caralhos eu estou discutindo isso?

Não importa!

Nesta série você guia uma ou mais japonesinhas através de casarões assombrados, enfrentando a todos os fantasmas com uma simples câmera fotográfica.

Como uma câmera pode ser danosa à fantasmas eu não faço a menor idéia! Não sou o Egon!

Aliás, eventualmente você pode vestir suas japonesinhas como a Kasumi de Dead or Alive, mostrando que mesmo quando não precisa, a Tecmo adora explorar sexualmente suas personagens.

Inclusive, coisas estranhas acontecem quando este game está rodando!

A primeira vez que joguei, estava na sala da minha casa com dois amigos. Tudo na mais completa escuridão e silêncio, apenas nós três jogando Fatal Frame e ficando aflitos com os fantasmas nipônicos que passavam pela tela sem aviso.

De repente, ouvimos um barulho no portão e quando fomos ver, lá estavam dois meliantes apanhando da polícia por participar de rachas perto da minha casa!

E tal fato ocorreu logo após eu dizer para meu amigo que estava preocupado com seu carro, que a rua onde eu moro é o lugar mais chato do mundo e nunca nada acontece aqui!

De fato, nada ligeiramente emocionante havia acontecido até que jogamos Fatal Frame naquela noite...

Coincidência? ACHO QUE NÃO!!!!!!!


Clock Tower 3

Não joguei o primeiro Clock Tower no Super Nintendo e não tive saco prajogar Clock Tower 2 porque era feio pra cacete!

Não que Clock Tower 3 seja muito bonito, mas pelo menos é horripilante.

Aqui, o jogador controla Alyssa Hamilton, uma jovem Inglesa com todos os trejeitos de uma adolescente Japonesa... talvez pelo jogo ter sido inteiramente programado por Japoneses que nunca viram uma mulher Britânica de perto ou sequer tenham assistido aos filmes de Harry Potter.

O fato é que Alyssa é uma "Rooder", palavra inventada pelo jogo para definir mulheres que podem conversar com fantasmas. Por causa de sua vocação profissional, a menina acaba sendo transportada pelo tempo para resolver os problemas de pessoas que morreram muito antes dela nascer.

A menininha da foto por exemplo, foi morta por um maníaco com uma marreta na época da Primeira Guerra Mundial. E pelos cabelos ensanguentados da pequena, você pode imaginar onde ele a acertou.
Mas você não precisa imaginar! O jogo mostra a cena da morte dela em toda sua glória!!!

E mais, Clock Tower 3 também nos agracia com um maníaco que joga uma velhinha e seu filho dentro de um barril e mata os dois encharcando-os com ácido sulfúrico!

Que jogo adorável!!!

Aliás, você só tem alguns frascos de água benta para se defender de espíritos malignos que aparecem armados de marretas, tonéis de ácido e tesouras, o que te obriga a fugir e se esconder pela maior parte do tempo.

E ficar enfiado em um armário enquanto um maluco com uma marreta está a centímetros de distância é uma experiência aterrorizante! Eu juro!

Claro, eventualmente a menina consegue libertar os espíritos das vítimas do jogo e ganha poderes pra mandar os vilões pra puta que pariu sem retorno, mas até isso acontecer, você está tão indefeso quanto uma colegial Japonesa perto do Lula Molusco.

Não! Não há monstros com tentáculos neste game e dou graças a Deus por isso!


Resident Evil

Acho que esta franquia dispensa apresentações! Se você nunca jogou um game da série, devia estar morto ou na cadeia!

Resident Evil é uma série que mostra as vilanias da Umbrella, uma corporação de produtos bio-químicos que insiste em construir laboratórios subterrâneos embaixo de parquinhos e escolas e que contrata pessoas semi-retardadas para trabalharem em suas instalações.

Tais pessoas sempre misturam os produtos errados ou deixam um tubo de ensaio com um vírus perigosíssimo cair no chão e pronto: temos uma infestação de zumbis!

Ou espanhóis cheios de parasitas por todos os lados.

Claro, existem heróis de coração nobre que perseguem as instalações da Umbrella pelo mundo para tentar destruir suas atividades nefastas onde quer que aconteçam e que sempre acabam cercados de criaturas nojentas e grotescas, mas que as enfrentam como se elas fossem um incômodo não muito maior que um excesso de cera no ouvido.

O negócio é: Resident Evil possui alguns dos roteiros mais atrozes da história dos videogames!

Sinceramente: QUATRO INFESTAÇÕES DE ZUMBIS SEGUIDAS??? Será que a Umbrella já não cometeu erros suficientes pra perceber que deve largar o ramo bio-químico e começar a produzir pornografia ou brinquedos de baixa qualidade?

E por que são sempre as MESMAS QUATRO pessoas que viajam pelo mundo combatendo a Umbrella? Quem as financia? Será que não existem mais gente no mundo cuja vida foi fodida pela empresa e resolve usar de fundos inexplicavelmente infinitos pra percorrer o globo e tentar afundá-la?

Tá certo, tou pensando demais!

As versões clássicas são sensacionais, especialmente a parte 2, Resident Evil 4 foi do caralho e aposto que o 5 vai ser também! Não me interessa a história ruim, tendo um enredo menos arrastado que Inu Yasha já tá bom pra mim!

Inu Yasha é chato demais, pelo amor de Snoopy!


Shin Megami Tensei Nocturne

O enredo aqui é singelo: O mundo acabou.

Seu personagem foi um dos poucos que sobreviveu, pois se tornou um semi-demônio, uma criatura com poderes dados por Lúcifer em pessoa.

Os outros sobreviventes foram escolhidos pelo destino e todos tem de subir uma torre para onde as almas de todos os que morreram convergem e decidir como será o novo mundo que em breve será criado.

E no papel do personagem principal, você pode apoiar um dos outros personagens e criar o mundo que eles desejam ou derrotar a todos e recriar o mundo como achar melhor!

Ou... você pode descer até o último andar do Inferno, se aliar a Lúcifer, destruir a criação e liderar suas tropas na batalha final contra Deus.

...

Pois é...

O mundo destruído, por sinal, se torna o campo de batalha de diversas criaturas bíblicas e mitológicas. Sem humanos e sem regras, diversos deuses e demônios começam a invadir o que restou da Terra para tomar o que puderem em proveito próprio.

Em outras palavras, aqui você pode encontrar Deuses Nórdicos como Thor, Deuses Gregos como Dionísio, Deuses Egípcios como Horus, além de anjos bíblicos como Gabriel e Metatron e fazer com que se tornem seus aliados.

Ou pode enfiar a porrada em todo mundo, como queira!

Aliás, um dos produtores da série é fã de Devil May Cry e negociou com a Capcom para poder colocar Dante neste game!

Em outras palavras, você pode espancar Dante como se ele fosse uma putinha banguela e eventualmente contratá-lo para seu grupo, se achar que a equipe precisa de um toque de rockstar dos anos 80.

O jogo é meio longo aliás, então será preciso mais de uma madrugada pra terminá-lo.

Acho que se eu tivesse lançado este artigo no começo do mês, essa recomendação seria mais adequada, mas agora é tarde demais, então vá jogar e não me encha o saco!


Twisted Metal Black

Todo mundo adora carros e corridas, certo?

E todo mundo adora palhaços!

E o que você diria de um game onde os carros de corridas tentam explodir uns aos outros com armamentos poderosos o bastante pra tirar a Terra de órbita e que um dos personagens é um palhaço homicida?

Não apenas isso, mas temos um veterano do Vietnã que se tornou canibal após ser forçado a devorar o melhor amigo na guerra para não morrer de fome e uma menina que teve o rosto preso em uma máscara e que sente sua face sendo esmagada conforme cresce dentro dela, entre outros.

Que classe, não?

Os jogos da série Twisted Metal são malucos e doentios (menos o 3 e o 4 que são uma diarréia), mas Twisted Metal Black ganha o bolo de todos os outros, por parecer uma versão automotiva de Jogos Mortais ou Seven.

Você sabe, aquele filme em que o Lex Luthor coloca a cabeça da Pepper Pots dentro de uma caixa, o que deixa o Louie irritado de forma que nem o Azeem consegue acalmá-lo.

...

Quando jogar com um menino que controla a carcaça zumbificada de seu pai com um controle remoto, vai entender o que eu quero dizer quando chamo este game de doentio.

Claro, o jogo é brutalmente difícil e faria até mesmo o Dalai Lama vociferar blasfêmias piores que qualquer marujo, mas... estamos em Outubro! Você não quer um joguinho fácil de trapaceiros bichinhas logo no mês das bruxas e monstros, quer?

...

Ok, tudo bem, tem um código que libera energia e munição infinitas para o seu personagem! Tá feliz agora? Heim? Tá?

Seu trapaceiro bichinha!


Dead Rising

Ok, todo mundo já viu os filmes do George Romero, onde um bando de pessoas acabam cercadas por zumbis e com a exceção de meia dúzia, acabam topdas comidas pelos monstros por não saberem trabalhar em equipe.

Dead Rising é mais ou menos assim, o sonho molhado de qualquer gamer que seja fã do Romero.
Você encarna na pele de Frank West, jornalista e máquina de matar, que vai investigar o que picas está acontecendo em uma cidade que foi infestada por zumbis.

Aliás, "infestada" é a palavra certa.

É muito comum o Frank acabar cercado por CENTENAS DE MILHARES de zumbis por todos os lados e se foder legal quando está em level baixo e não consegue fugir dos mesmos.

De fato, Frank ganha experiência e sobe de Level, aos poucos se tornando o jornalista mais poderoso do planeta, capaz de usar golpes de luta-livre contra seus oponentes desfalecidos, ou enfiar a mão em suas entranhas e lhes arrancar os intestinos sem pestanejar.

Não apenas isso, mas Dead Rising tem uma história muito mais bem escrita que qualquer jogo da série Resident Evil e conta com Isabella, a Latina mais sexy da história dos games!!!

E se estes dois motivos não forem o suficiente para se jogar este game, onde mais você pode pegar um carro conversível e atropelar centenas de zumbis de uma vez?

Death Race não conta!


Bioshock

Imagine que um milionário criou uma cidade no fundo do mar, onde todas as pessoas que pudessem pagar poderiam viver tranquilamente uma utopia de felicidade!

Agora imagine que essa utopia foi pro saco, todo mundo enlouqueceu, as pessoas recorrem ao homicídio e canibalismo diariamente e menininhas percorrem o lugar com seringas enormes sugando os fluídos vitais das pessoas, enquanto são protegidas por seres enormes, atrozes e fedidos.

Imagine que seu avião caiu no mar e o lugar mais seguro era justamente este lugar.

Diabos rapaz, você é azarado!!!

Enfim, em Bioshock, você guia um cara chamado Jack (se me perguntar, o nome perfeito para heróis solitários e durões) que enfrenta as abominações do lugar para entre outras coisas, descobrir a verdade sobre sua vida.

No meio do caminho, você encontra as menininhas que enfiam seringas nos outros e pode optar por matá-las e ganhar muitos pontos de bônus para evoluir seu personagem, ou salvá-las e ganhar muito pouco... mas ficar com a consciência limpa de que salvou uma criança inocente!

...

Sim, eu sei que é uma criança virtual, mas são menininhas, eu não tive coragem...

...

Viadinho é o senhor seu pai, seu filho de uma quenga!!!!!!!!

...

Ora...

De qualquer forma, Bioshock é sujo, assustador, cheio de gente psicótica que grita muito e onde sujeitos imensos com escafandros correm pra cima de você feito tratores assim que o vêem! Este é o clima perfeito pra se jogar durante a madrugada!

E qualquer jogo de tiro em primeira pessoa que fuja da rotina de "anda-anda-anda-atira-atira-atira-pega a chave-pega a chave-pega a chave" já merece muitos aplausos na minha concepção.


Siren: Blood Curse

Eu juro, nunca entendi nada dessa série!

O que raios tá acontecendo? Essas coisas são zumbis? A vila foi afetada pelo coisa-ruim? Ou serão apenas um bando de otakus com problemas de pele?

Pra ser muito sincero, a única coisa divertida do primeiro jogo, é quando se está jogando com o professor e a aluna que estavam no meio do mato (sendo que a história se passa no Japão, não é difícil imaginar o porquê) e se pode dar um tiro na cara da menina sem motivo nenhum.

Claro, dava game over sempre que se fazia isso, mas matar uma colegial com um tiro na cara nunca perde a graça.

Joguei muito pouco do terceiro game da série, mas Japoneses ensanguentados no meio de uma floresta, que não morrem mesmo que enfiemos uma estaca em seus olhos são assustadores pra cacete.

E não é como os donos de Ps3 tenham muitas opções de jogos assustadores por enquanto. Digo, tem mais opções que os donos de Wii, mas o Wii é uma merda!

Prefiro ter uma infecção no pinto do que ter um Wii!

Caralho, o Wii é praticamente uma infecção no pinto!!!!

Não me pergunte a lógica de tal afirmação, apenas concorde e acene positivamente com a cabeça, por favor!


Divi-Dead

Um dos meus amigos (Nando, sei que você está lendo) já se referiu a Divi-Dead como o "Fnal Fantasy do Hentai".

Sou forçado a concordar, não porque o jogo tenha uma história fantástica e inesquecível, mas porque é realmente muito mais rpg que hentai.

Não posso falar da história, pois não sei nada sobre ela. Meu modo de jogar games hentai é avançar o mais rápido possível pelo texto para chegar logo nas cenas de sexo.

E Divi-Dead tem só quatro ou cinco cenas deste tipo!!!

Claro, pode parecer muito, mas comparando às dez ou doze cenas de True Love ou as mais de trinta de Hitozuma Hime, seis trepadas é muito pouco.

...

E qualquer dúvida sobre eu ser um tarado imundo se confirmou agora.

Mas enfim, cenas de penetração explícitas a parte, Divi-Dead me parece um ótimo game de terror.

Novamente, não posso falar muito da história (um dia vou tentar jogar sem avançar furiosamente pelos textos) mas ví imagens de cabeças explodindo, uma lolita tendo uma morte horrível e a cena acima do cara que está sem a tampa da cabeça, aponta em direção a um enredo bastante violento.

E me corrija se eu estiver errado, mas sexo e violência são as duas coisas preferidas de qualquer homem e jogos que misturem os dois podem ser automaticamente considerados fantásticos!

God of War confirma essa teoria!

Sem mais perguntas, meritíssimo!


Phantasmagoria

Eis aqui um game que nunca joguei, mas que já ouvi falar muito a respeito.

Até onde sei, a história gira em torno de Adrienne e seu marido Don, que compram uma mansão que pertenceu a um mago do século 18.

Como esse tipo de coisa nunca acaba bem, o marido é possuído pelo demônio que o mago evocou antes de morrer e se torna mais agressivo conforme o jogo avança.

Em uma cena, ele estupra Adrienne analmente.

É...

Não sei vocês, mas ter o cu comido por um demônio é assustador pra cacete na minha opinião! E nada mais tenho a dizer sobre isso!

Enfim, joguem estes games e me digam como foram suas experiências na madrugada!

Aliás, a ilustração que abre o artigo veio daqui! Dêem uma olhada na galeria toda que vale a pena!

E por enquanto é só!

Cheers!!!

34 comentários:

André disse...

Amer, você esqueceu de dizer que em Dead Rising dá pra se vestir de megaman e atirar em zumbis com um super canhão de plasma, além de ter um espada laser estilo Zero/Star wars
:D
E cada vez que eu leio sobre splatterhouse minha vontade de jogar esses jogos aumenta

Bruno disse...

Valeu pelas dicas Amer, o artigo de hoje foi sensacional. E eu ão vejo a hora de jogar Sillent Hill de madrugada.

Felipe disse...

Valeu por desenterrar Phantasmagoria, assisti ao meu irmão terminar esse jogo em um fim de semana assustador, que eu me lembre não havia evidências de ser estupro anal... e até esse ponto ela achava que o marido estava muito estranho e não possuído... mais assustador ainda na minha humilde opnião.

Mas sou um maricas e vou ficar jogando Portal.

Amer H. disse...

Hmmmm,me disseram que a cena do estupro era anal... eu apenas repassei a informação.

Mas uma rápida busca no Youtube pode resolver essa dúvida!

joão disse...

Os que mais me assustaram foram Doom 3 e Silent Hill 3.
Resident é muito bom, mas o fato de serem zumbis deixa o fator terror meio fraco.
Afinal quem tem medo de um zumbi q anda mancando a 0.2 km por hora ?
Silent hill (principalmente o 3 e 4) são pertubadores.
O 3 tem até um CD bônus com os efeitos sonoros. Luxo total.
E sobre as coincidências: uma vez deixaram um prato mal colocado na pia da cozinha, e eu jogando silent hill 3 de madrugada, sozinho no quarto quando de repente o prato caiu arrastando outros pratos e copos e talheres e panelas.
foi aquela barulheira.
Caí da cadeira e quase tive um ataque fulminante.
Demorei uns 5 minutos até me recompor e ver o que tinha acontecido..........
E fatal frame é ótimo pra vc fazer sua irmã ou sua mãe jogar, principalmente ver elas gritarem e derrubarem o joystick quando ele vibra. hahahaha

Perdido disse...

Disso tudo ai, só joguei Zombies at my Neighbours e não é exatemente um jogo de terror.

Eu me assusto mais com jogos de tiro em 1 pessoa, como o doom3 e até half life...

Lee disse...

Ótimo post!

Já joguei a maioria desses, o Zombies ate my Neighbours me rendeu algumas semanas no emulador há pouco tempo, mas esse FUCKING jogo tem mais fases do que uma mulher mestruada, quando eu cheguei na 40 e muitos perdi a gravação, fiquei puto, chutei tudo que via até fuder com meu dedo e me aquietar.

Também já cheguei a jogar esse Divi Dead, além de macabro ele é totalmente sem noção. Aquela enfermeira que você dá uns malhos mais tarde se revela como.... SUA MÃE! Sim, ela é a mãe do protagonista. O jogo tem alguns finais alternativos, aliás, são uns 4 ou 5, mas o desenrolar da história se altera em cada um deles. Se bem me lembro em uma das histórias você acaba dormindo em uma casa meio macabra e acorda do lado de uma ninfeta semi-nua e ultra-gostosa, você não come ela, apesar da vontade ter sido monstra, mas é melhor assim, porque depois descobre que ela é sua IRMÃ!

Quer dizer, esse jogo é japonês, não se poderia esperar muito. A não ser crianças, tá certo que ainda pega-se umas adolescentes, mas que eu me lembre não tem a opção pedófila.

Ah, e ainda percebi um ato falho, a coisa mais assustadora que você anunciou de "Sweet Home" foi o choro das crianças no incinerador e ressaltou no artigo que isso mostra que um console que reproduz 56 cores tem seu valor. Mas O que o som tem a ver com o número de cores, capiau? XD

Sim, quase me esquecia, ia postar apenas para fazer essa pergunta e acabei me empolgando: Fugindo um pouco do assunto você citou que ia chegar mais um filme a ser dissecado, mas onde você compra esses filmes, hein?! Já tô baixando Robo Vampire aqui, mas ainda prefiro um DVD à uma avi 600x464.

Amer H. disse...

Zombies ate my Neighbours é uma HOMENAGEM aos filmes de terror. Não entendeu a mensagem?

Quanto a não ter medo de zumbis... jogue Dead Rising e vai ver que criaturas lentas podem ser temíveis quando CENTENAS DELAS O CERCAM!!!

Aliás, não houve ato falho meu... pelo menos desta vez. Quando mencionei as "56 cores" foi em referência ao comentário que escrevi quando comecei a falar de Sweet Home.
Onde está escrito "56 cores", entenda-se "capacidade limitada do aparelho."
Leia as entrelinhas, meu caro!

Por fim, também prefiro dvd's a filmes baixados e Deus sabe a pilha enorme de filmes que tenho aqui. Mas quando um filme não é lançado no Brasil, como é o caso de Robo Vampire, não vejo mal algum em usar a internet pra conseguí-lo.

Aliás Lee, toma mais cuidado com os spoilers. Eu não ligo mas há muita gente que se importa.

Se for fazer spoilers, coloca uma aviso antes de fazê-lo.

Lee disse...

Ah, tá. Homenagem, quanto mais melhor. Mas fica meio solto, queria ver como é o "final" desse jogo, se tem algum mega boss ou coisa do tipo. Whatever, quando tiver com MUITA paciência volto a jogar.

Mas na fase 04 tem ago que vai contra o que você já disse em outro post... [SPOILER, desculpe não ter avisado no outro post:/] Lá tem vários Jasons com serras elétricas!

Cidão Oliveira disse...

um adeno:
Frankeistein não é um monstro. Frankeisten é o doutor, o monstro se chama ...monstro.

Amer H. disse...

Na verdade Lee, isso não é um Spoiler, mas só um aviso do que virá na fase seguinte.

Spoiler, precisamente, é contar detalhes da história de um filme para as pessoas.

Por exemplo, se em 1982 eu saísse de uma sessão de Império Contra Ataca e dissesse em voz alta "Darth Vader é pai do Luke", seria o maior dos spoilers.

Morou a diferença?

Agora, Jason nunca usou uma serra elétrica. O Jason DE VERDADE, dos filmes.

Cópias e homenagens não contam!

E de fato, Frankenstein é o nome do cientista, o monstro sequer se chama "monstro". A maneira mais correta de ser referir a ele é como "a criatura de Frankenstein".

E sinceramente, ele é popularmente conhecido como "Frankenstein" e não vejo mal algum em me referir a ele assim, se é pra deixar claro de qual monstro clássico estou falando.

Tecnicamente, eu devia me referir ao Alien como "xenomórfico" e ao Predador como "Yautja", pois são os nomes "corretos e científicos dos bichos. Mas não é mais fácil e compreensível me referir a eles pelos nomes que são conhecidos do grande público?

Aliás, você escreveu "Frankenstein" errado.

I rest my case!

Heverton disse...

"Prefiro ter uma infecção no pinto do que ter um Wii!"


KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK




Não tenho mais palavras para escrever depois dessa perfeita descrição!

kadu hammett disse...

ta...
vou comprar um NES pra mim
ta faltando isso na coleção =]

metade desses jogos eu não conhecia,vou atras depois(se lembrar disso)

tem como vc fazer uma lista de melhores jogos de game boy/game boy color depois?e uma de sega cd?
to precisando de opiniões pra novas compras :D

Amer H disse...

De Sega CD eu vou fazer agora em Novembro, provavelmente o segundo artigo do mês.

Quanto ao Game Boy, posso fazer uma hora dessas, ainda não tinha pensado nisso.

Rafael disse...

Indigo propechy
Tambem é muito bom
Killer7 me deu medo mas é uma merda o jogo

Gostaria um artigo de fracassos como o jogo da NIna do tekken
"Death by degrees"

Amer H. disse...

Indigo Prophecy eu pensei em colocar na lista, mas fica tão sem sentido depois de um trecho que resolvi deixar pra lá.

Grandes fracassos, heim? Boa idéia!

Nando disse...

òtima matéria Amer!!!!

Fatal Frame depois daquele incidente nunca mais peguei para jogar.

Quanto a divi-dead a história é sensacional, apesar de ser um jogo hentai a parte artistica é espetacular.

Muito bacana você ter lembrado de fantasmagoria, a história não faz muito sentido mas os assassinatos são espetaculares.

um jogo que você deveria conhecer é o condemned(pelo menos o primeiro)
foi o unico jogo/filme que fez eu pular da cadeira de tanto susto que tomei

Nando disse...

Alias,

discordando do Rafael,
Killer7 é um dos jogos mais criativos da geração passada

alias acho que foi o unico jogo que o suda 51 conseguiu fazer direito :)

Amer H. disse...

Eu ainda não tive bolas de sentar e jogar Killer 7 direito, mas me apeteceu bastante.

Digo, acredito que jogando Killer 7 eu vou saber como é ter uma viagem de crack sem precisar me viciar.

Foi a impressão que eu tive ao menos...

BAH disse...

Fiquei surpreso com a existência de SWEET HOME. Como eu não conhecia esse jogo??? Um preço a se pagar por não ser japonês na década de 80. Quase 20 anos depois eu não fiquei com vontade de jogar, mas vou baixar para saciar a curiosidade.

SPLATTERHOUSE joguei uma versão para Mega Drive no início dos anos 90 e não achei graça. Você fala tanto desse game que darei uma nova chance a ele.

THE IMMORTAL é sensacional (e meu elogio é baseado na versão de NES). E a explicação para o velhinho barbudo (chamado Duncan) entrar no labirinto é procurar seu mestre (e sogro) Mordamir, que foi em busca de um poder arcano e nunca mais voltou. A versão de Mega Drive me pareceu ainda melhor por causa dos gráficos e da violência, mas eu não tive muitas oportunidades para joga-la.

HAUNTING me pareceu ser um jogo divertido e descartável.

ZOMBIES ATE MY NEIGHBOURS é ótimo. O único motivo para ser odiado por alguém é você chegar em uma determinada fase armado até os dentes, morrer e ter que voltar umas 05 fases praticamente desarmado. Como depois da trigésima fase (são 50!) tem fases que se você não encontrar um bebê em menos de 05 segundos ele é devorado por um lobisomem e você perde, isso se torna bastante frustrante. Recomendo jogar no emulador salvando de fase em fase.

CASTLEVANIA é clássico. E clássicos são imortais. Vale ressaltar que meu favorito ainda é o IV para Super Nes.

Nunca joguei SILENT HILL. Não sei o motivo. Foi um dos meus primeiros jogos para PS, mas foi preterido por Diablo, Resident Evil 2 e Driver. Acho que faltou tempo para eu me dedicar ao jogo. O filme eu vi e achei bem legal. Não sei se como adaptação é legal, mas como terror é acima da média recente.

BAH disse...

Ah sim. Voltarei mais tarde para ler com calma e comentar o resto.

Mas passando o olho no artigo, senti falta de um game que merecia ser citado: ALONE IN THE DARK.

Não é justo a bomba cinematográfica queimar o filme desse excelente game para as novas gerações.

Amer H. disse...

O Alone in the dark original era assustador pra porra... na sua época...

Infelizmente foi um jogo que envelheceu mal. Seu gráfico quadradão tira um bocado do medo hoje em dia.

Mauricio Lazaretti disse...

Um dos jogos que senti falta, foi F.E.A.R, esse mete medo, é escuro, fantasmas, coisas sobrenaturais.

Amer H. disse...

Não joguei F.E.A.R, achei melhor não comentar.

Ok, também não joguei Phantasmagoria, mas as lendas são mais que suficientes para fazer valer a menção.

Lance Sonovavish disse...

Porra nunca passei da primeira fase do imoral e vejo o walkthro o cara fazer em 3 min.

Nunca joguei o fantasamgoria...

kadu hammett disse...

ei,não tem um jogo da athena do king of fighters?ou to enganado?

Marcelo disse...

Amer, meu caro. Vou te pedir um conselho por que sou fã do teu blog e nao sei pra quem perguntar, e visto que tu gosta de video game como eu e tem um gosto muito parecido com o meu pelo que eu posso ler aqui, creio que seja uma ótima referencia. Valhe a pena eu comprar agora um XBOX 360 ou valhe mais esperar sairem métodos alternativos de jogatina barata para o PS3??????

Se tu pudesse me dar a tua opinião eu ficaria mais agradecido. O mesmo para os outros leitores do blog.

Abraços

R.N.Coldheart disse...

Saudações Amer!

Boa lista.

Eu incluiria na minha lista pessoal:

Doom II: Clássico FPS com boa dose de monstros e violência. As últimas 10 fases (referentes ao "inferno") eram pertubadores com vários corpos mutilados espalhados pelo cenário.

Blood: "I live again!" Outro clássico. Além de mais violento do que Doom II tinha coisas legais como queimar os inimigos (e ouví-los gritar em agonia) e matá-los com o boneco vudu.

F.E.A.R. - FPS + Samara (do "Chamado"). O legal do jogo (além da I.A. avançada dos inimigos) é que ele não tenta te assustar com monstros grotescos, mas sim com visões e cenas que lembram
"filmes de terror oriental com meninas com cabelo na cara". A fase do hospital na expansão Extraction Point é bastante tensa e bizarra.

Dead Space - Não vejo a hora de ser lançado para PC. Pelos trailers é um jogo violentíssimo e inimigos insanamente grotescos. E o fato de você estar no espaço cercado por muito deles parece ser bem assustador...

Toni disse...

Faltou o "The suffering", ótimo jogo de terror com criaturas bizarras,pouca munição menos iluminação ainda e vida escassa,que eu conheço só uma ou duas pessoas têm e jogam pra valer já que o resto ficou com medo e não conseguiu progredir no jogo.
Além de ser um jogo bem pesado se você perguntar pra mim ^^

Mas realmente muito boa a seleção de jogos (y)

Amer H. disse...

Boas sugestões!

Reconheço que esqueci alguns games, mas ficam pro Mês das Bruxas do ano que vem.

Marcos Toledo disse...

Killer,

Assinando embaixo sobre os comentários do Nando sobre Phantasmagoria: O assassinato da alcólatra é fenomenal: O mágico enfia a cabeça dela em uma garrafa que está na mesa, e depois puxa a cabeça para cima, enquanto a garrafa vem presa nos olhos.

Phantasmagoria 2 também é assustador, e tem cenas ..hmm.. sexies também (final do CD 1).

Agora animal mesmo era "The Ripper": http://www.csoon.com/issue14/ripper.htm .. que outro jogo tem Christopher Walken em péssimas atuações, e assassinatos virtuais em meio à puzzles impossíveis?

Ah, as horripilantes lembranças do passado..

Dui

Leo Matheus disse...

Faltou Gabriel Knight!
É muito bom! (pelo menos o primeiro e o segundo, o terceiro não joguei)

Barry Burton disse...

Resident evil com historia ruim??
pelo amor de deus...¬¬"
Quatro epidemia de zumbis?? isso nunca aconteceu...naum na serie principal...ja q no 1 e no 0 naum foi uma "epidemia" e pq o 2 e o 3 se tratão da mesma,tbm pq no 4 e no 5 naum saum zumbis...
4 pessoas??
desde quando? o enredo do resident evil envolve mais de 100 personagens diferentes...contando os personagens jogaveis, so no jogo RESIDENT EVIL OUTBREAK FILE #1 saum 8...personagens em geral,no primeiro são 13 personagens, sem contar os que tão mortos ou q são apenas mencionados entaum imagina o resto...

me desculpe o comentario "meio" ofensivo mas eh q eu naum gostei muito dessa analise u.u

Dragonerd disse...

Oh my gosh! Amer, cara é o meu segundo post no blog, e realmente esse blog vale cada segundo perdido - (?) - O post é muito foda cara, nem sei da onde você tira essas idéias, quero link por que tô precisando de fontes - TÁ PODE ME MATAR AGORA - Enfim, tô te seguindo cara.
Você é dez!

www.dragonerd.blogspot.com