domingo, 9 de novembro de 2008

Os Melhores Games do Sega CD!


Muito bem, já escrevi sobre os melhores games do Nes, Mega Drive e Super Nintendo.

Hoje é hora de falar sobre mais um console que tive e amei: o Sega CD.

De todos os video-games que tive, acho que o que me deixa mais nostálgico quando me lembro é o Sega CD. De fato, a história de como consegui meu aparelho é bastante interessante.

O primeiro Mega Drive que tive contraiu um estranho problema em uma certa altura de sua vida. Ele simplesmente não reconhecia os cartuchos.

Levei em uma assistência técnica e lá ficou por dias. O técnico não conseguiu localizar o defeito, pois o aparelho funcionava perfeitamente lá, mas quando eu o trazia de volta... nada...

De fato, o técnico que cuidou do meu aparelho achava que estava louco, mas eu sabia a verdade... meu Mega Drive fora possuído por um antigo espírito mau indígena... e nada seria capaz de consertá-lo!!!

Bom, era uma explicação tão boa quanto qualquer outra...

Minha mãe, que sempre tentou me compensar por tudo que a vida me tirava, se condoeu e resolveu me dar um novo Mega Drive. Por sorte, a Tec Toy estava fazendo uma promoção insana de praticamente dar um Sega CD para qualquer um que comprasse um Mega Drive.

Sério, comprando os dois juntos, o Sega CD custava só um terço de seu preço total. O que deixa claro que a Tec Toy estava desesperada pra se livrar dos encalhes do aparelho.

O negócio é que eu amava o Sega CD. Poucas locadoras próximas à minha casa trabalhavam com o aparelho, então eu tinha que camelar um bocado para conseguir alguma coisa pra jogar.

Mas mesmo assim, pude me divertir com muita coisa bacana na época.

Muita gente adora falar mal do Sega CD, criticando seu desempenho limitado como aparelho de CD's. Já ví compararem o Sega CD com o Playstation, o que na minha opinião é putaria das piores.

O Sega CD era só um add-on, era preciso acoplá-lo no Mega Drive para funcionar. Assim sendo, quem estava processando os jogos era o Mega Drive, não o leitor de CD e o aparelho fazia o que era possível com seu hardware.

Outra coisa que as pessoas não contam, é o fato de que a tecnologia de games em CD era muito nova na época. As produtoras estavam acostumadas a fazer seus jogos com espaço que variava entre 8 e 16 mega (e exceções de 24 e 32 mega as vezes) e quando tiveram a chance de preencher os 700 mega de espaço que tinham em um CD, não souberam como fazê-lo.

Mas sinceramente, a maioria das pessoas não pode julgar o Sega CD, pois nunca chegou a jogá-lo.

De fato, acho que sequer chegaram a ver um de perto.

Desta forma, é muito possível que você não conheça a metade... ou talvez todos estes jogos, mas continue lendo, pois quem sabe não descobre uma ou outra pérola que deveria ter jogado?

E este artigo é dedicado à memória de meu amigo, Danilo Monteiro!

Sim, porque o Danilo tem excelente memória e lembra de coisas que até Deus duvida! E se não fosse por ele, eu não teria as dezenas de títulos do Sega CD que estão em minhas mãos no momento.

Obrigado, Danilo! Onde quer que você esteja... no trabalho ou em casa...


10° Lugar - Silpheed

Hoje em dia temos jogos com gráficos fotorealistas ao ponto da barba de fim de tarde de nossos heróis nos arranhar se encostarmos no televisor durante a partida.

Na época do Sega CD (e conseqüentemente, Mega Drive e Super Nes) os gráficos poligonais estavam em sua infância, mas como nunca tinhamos visto nada igual, aquelas formas quadradas e sem textura alguma nos deixavam indagando "que mais falta inventar?"

Silpheed não alcançou a mesma fama de outros games poligonais da época, mas é um excelente shooter, que servia para mostrar como a capacidade do Sega CD foi mal aproveitada.

Basicamente, é um shooter. Você guia sua nave, metendo bala em Deus e o mundo e tentando o melhor que pode esquivar das hordas de naves inimigas e seus disparos.

Verdade seja dita, Silpheed não é o mais criativo dos shooters, se bem que este é um gênero pouco conhecido por sua originalidade. Com exceção de Parodius e Otomedius, a maioria dos shooters desse estilo se resume a voar, atirar e não morrer.

Ok, estou divagando, mas releve, pois passei a última noite em claro e estou me mantendo acordado a base de Fanta laranja e adrenalina.

Silpheed aliás foi meio que considerado o rival de Starfox pela mídia especializada. Mas não causou o impacto de seu oponente por ser muito tradicional, enquanto o jogo da Nintendo com seu tiroteio estilo arcade era algo menos comum em consoles domésticos.

E claro... pelo fato de que metade das pessoas não se importou em comprar um Sega CD.

... tolos... não sabem o que perderam...


9° Lugar - Spider Man Vs. The Kingpin

No artigo sobre melhores games de Mega Drive, eu confessei ter comprado o console em parte para poder jogar sua versão deste game.

Então, descolo um Sega CD e descubro que o Aranha estava aprontando das suas aqui também! Quais as chances?

Acreditei que seria o mesmo game que na vversão em cartucho, simplesmente com um audio melhor e animações horrororas e mal dubladas entre as fases.

E como eu estava enganado!

Digo, as animações horrorosas e mal dubladas estavam lá, não tenha dúvida, mas o jogo é completamente diferente. A história é exatamente a mesma (Rei do Crime, bomba, incrimina o Aranha, blá blá blí), mas a jogabilidade é aberta, é possível enfrentar os inimigos na ordem que der na telha.

Plus! Há dois chefes novos neste game: Mysterio e Abutre!!! Fucking awesome, é assim que se usa capacidade de armazenamento de CD!

E melhor ainda, a trilha sonora deste jogo foi composta e executada pelo Mr. Big!!!



Uma das melhores bandas da história do universo!!!! Se você não conhece, deveria ser estuprado pelo Belo Ursinho Fritz!!!

Sério, se você nunca ouviu Mr. Big, vá se foder!!!!

Enfim!

Sabe essa putaria de games atuais de heróis, onde tem artes conceituais e capas antigas espalhadas pelo cenário para recolhermos? Bom, nasceu aqui!

Este foi o primeiro game (que me lembro) onde era possível passar horas recolhendo capas de revistas antigas e provando sua nerdisse ao explicar para seus amigos o que acontecia em cada edição... não que eles estivessem interessados, mas foda-se! Estavam em NOSSA casa, então eram NOSSAS regras!

Mas enfim, é ótimo poder jogar um título do Aranha enquanto toca Mr. Big no fundo. Deviam ter chamado a banda pra fazer a trilha sonora dos games atuais do Aranha.

Chamariam mais atenção, eu garanto.


8° Lugar - Heart of the Alien

Out of this World foi um dos games mais badalados da geração 16 bits, por causa de seus gráficos poligonais de primeira e sua narrativa cinematográfica, anos luz a frente do que estávamos acostumados a ver na época.

Conta a história de um Lester Knight, um cientista ruivo que mexeu com forças que não devia e acabou transportado para um mundo onde todo mundo era careca e enorme e onde nada fazia sentido. Ruivas sempre acertam, mas é incrível ver que ruivos só fazem merda!!!

Enfim, o ruivo Lester só pode contar com sua arma laser, sua esperteza e seu camarada enorme e ao fim de uma tremenda aventura, os dois fogem montados em um pterodáctilo.

Uau! Todas as grandes histórias deveriam terminar assim! Já imaginou se o Cidadão Kane tivesse um pterodáctilo e pudesse buscar Rosebud com ele?

Diabos, Orson Welles! Por que não encerrou o filme assim???

De qualquer forma, Heart of the Alien é a continuação de Out of this World e enquanto o primeiro game foi lançado para todo console conhecido pelo homem, este aqui é um título exclusivo do Sega CD.

YEAH!!!!!

A história prossegue de onde acabou a primeira: o grandão careca amigo do ruivo Lester o leva até sua vila e então... ALL HELL BREAKS LOOSE!!!

E desta vez temos de jogar com o grandão e não com o Lester.

Heart of the Alien é ofensivamente difícil. Literalmente, qualquer passo errado pode e VAI causar sua morte prematura.

Mas até aí, isso também acontecia em Out of this World, então acho que foi só uma maneira de manter os trapaceiros bichinhas afastados deste título.

Funcionou com perfeição!

Inclusive, Heart of the Alien faz bom uso do espaço no CD e nos dá de brinde o primeiro game também. E só por esta mini coletânea, já vale a pena comprar um Sega CD.

Procure por um no Mercado Livre quando terminar de ler este artigo.



7° Lugar - Final Fight CD

Não tenho o que dizer de Final Fight que você já não saiba: seqüestram a filha de Haggar, prefeito de Metro City e macho profissional, que ao invés de ceder às exigências dos pilantras, saiu espancando os mesmos até saírem da cidade.

O jogo é o mesmo da versão de Super Nes, mas tinha a fase do setor industrial, que não estava presente no console da Nintendo, a presença de Guy e a possibilidade de se jogar com um amigo. Duas coisas que a Sega não cansou de usar na época pra demonstrar a superioridade de seu aparelho.

Há alguns pequenos problemas de programação que facilitam para os inimigos lhe atingirem, o que aumenta dramaticamente a dificuldade do game, mas não prejudica muito a jogabilidade.

Mas o melhor de Final Fight CD é a sua abertura!


Não conseguiriam colocar no Haggar uma voz que combinasse menos nem que tentassem! E repare como o Guy é imbecil aqui:

"Guy, seqüestraram a Jessica!"


"Jessica?"

O que deixa claro que Guy acabou de ser operado no cérebro, algo aparente pela sua expressão de sonolência.

E Cody deixa bem claro que Jessica é "seu amorzinho desde a infância" antes de quebrar o espelho!!! Fantástico!!!

Aberturas assim faziam a vida de qualquer dono de Sega CD valer a pena! Deus do céu, que tempo bom!!!


6° Lugar - Lunar - Eternal Blue

Poucos rpg's foram lançados para este console, o que é uma pena, dada a quantidade de armazenamento de um CD. Mas a série Lunar mais do que compensa por isso.

Os dois games da série Lunar contam fábulas que lembram muito aqueles animes de magia do início dos anos 90. Você sabe, da época que quase todos os desenhos provindos do Japão eram bons.

Em Eternal Blue, o jogador guia Hiro, um rapaz comum e gente fina, que resolve ajudar a uma misteriosa e bela moça chamada Lúcia, a cumprir seu destino.

Seja lá qual for...

Não quero contar muito pra não estragar a história, mas Eternal Blue é uma continuação direta de Lunar Silver Star e são feitas muitas referências ao primeiro jogo, algo que sempre deixa fanboys felizes.

É muito difícil descolar uma cópia desses games hoje em dia, mas felizmente, eles foram relançados para PsOne há alguns anos atrás.

Tá certo que games de PsOne também são meio difíceis de encontrar, mas pelo menos são mais fáceis que os de Sega CD. E sério, estes dois games valem muito a pena para quem curte RPG.

E... há cenas onde as heroínas aparecem tomando banho...

...

Pronto, isso deve fazer alguns nerds se mexerem pra encontrar estes jogos...



5° Lugar - Rise of the Dragon

Uau! Este game é diferente!

Rise of the Dragon é um adventure gráfico, algo muito comum em PC's na década de 90. Nada de bonequinhos na tela ou medidores de energia, somente um inventário, uma seta para clicarmos nas coisas e uma história em quase tempo real.

Aqui, temos o controle de um detetive contratado para desvendar a morte da filha do prefeito. Conforme se junta pistas, descobrimos que há muito mais por trás da história e que a máfia chinesa pretende foder com todo mundo na cidade.

E tem também um dragão.

UMA PORRA DE UM DRAGÃO!!!!!!

E dragões sempre fazem tudo ficar melhor.

Como eu disse acima, o game é quase em tempo real. Isso significa que se marcar algo com alguém em um certo horário, é bom estar lá na hora marcada.

Por exemplo, para fazer as pazes com namorada no começo do game, você pode marcar um encontro com ela as 9 da noite. Se aparecer no horário, tudo é lindo e bacana, mas se não for lá... ela fica puta da vida e nunca mais vai querer vê-lo.

E aí fodeu, pois ela é uma peça chave na solução de alguns mistérios mais a frente na história. Pois é, as cagadas aqui são permanentes!

Há uma cena em que é preciso chegar ao local de um crime, mas se demorar muito a polícia isola a área e você não poderá ecolher mais as provas. Mas muito pior é estar na cena do crime na hora que os tiras chegarem...

E o melhor, a dublagem era boa... para os padrões do Sega CD!

Mas sem dúvida o fato mais memorável era poder sair só de cueca na rua e ser preso por indecência!
Resident Evil te deixa fazer isso?

Foi o que eu pensei!!!


4° Lugar - Eternal Champions: Challenge from the Darkside

Eternal Champions foi a tentativa da Sega de entrar no mercado de games de luta, que incendiou após o lançamento de Street Fighter II.

Aqui, diversos lutadores das mais diversas eras foram salvos momentos antes de suas mortes prematuras. Uma entidade atemporal chamada Eternal Champion resolveu realizar um grande torneio de artes marciais com eles e o vencedor poderá voltar no tempo e ter uma chance de reverter sua morte.

Sim, a história era boa, mas a jogabilidade terrível (soltar golpes especiais era um dom digno de Merlin) e a dificuldade burlesca impediram que fizesse sucesso.

Então foi lançada uma versão para Sega CD, com a jogabilidade um pouco superior, audio bem melhor e baldes de sangue.

Baldes e mais baldes de sangue e entranhas. Olhe a imagem acima! Dá pra distinguir boa parte dos órgãos do cidadão empalado.

Acho que Eternal Champions - Challenge from the Dark Side é um dos mais grotescos e violentos games de todos os tempos, pois praticamente todos os "fatalities" aqui presentes espalhavam os órgãos vitais (ou parte deles) pela tela.

E tinha gente reclamando das decapitações de Mortal Kombat!

HA!!!

DUPLO HA!!!

Verdade seja dita, a violência burlesca deste game é o único motivo para a maioria das pessoas querer jogá-lo! Explodir a cabeça de uma japonesa gostosa e espalhar seu cérebro pelo chão não tem preço.

...

...

...

Essa frase soou tão errado...

Não importa!!!

E a abertura deste game é genial! Dá só uma olhada!

Tá certo que envelheceu muito mal, mas acredite quando eu digo que na época de seu lançamento, as pessoas ficavam ao redor das máquinas de play game das locadoras só pra ver esta abertura rodando.

Play game... locadoras... bons tempos...


Tou me sentindo um velho de 112 anos hoje.


3° Lugar - The Secret of Monkey Island

Conheça Guybrush Threepwood! Poderoso pirata!!!!

Ele é capaz de prender a respiração por dez minutos! E você? Claro que você não consegue! Você não é um poderoso pirata!!! Seu monstro!!!

Secret of Monkey Island é um dos mais clássicos adventures da Lucasarts. Possivelmente o game que colocou a empresa no mapa e lhe permitiu lançar outros jogos no mesmo estilo.

E podíamos jogá-lo no Sega CD!

Uau!

Aqui, temos a história de Guybrush, que quer ser um grande pirata e para isso precisa realizar missões burlescas e ridículas e que ao longo de sua aventura, confronta o temível LeChuck e precisa conquistar o coração da bela Elaine.

Secret of Monkey Island é especial porque foi o primeiro da série a ser lançado para um console doméstico (fato que só se repetiu onze anos depois quando o quarto game da franquia foi lançado para Ps2) e porque sua versão de Sega CD era ornitorrincamente superior à de computadores.

Assim como Rise of the Dragon, Monkey Island não roda como um game típico de consoles dos anos 90 e por isso passava uma sensação de "estou jogando um game para adultos" nos tolos incautos que brincavam com ele em seus Sega CD's.

Pelo menos... eu me sentia assim...

...

Enfim, Secret of Monkey Island é um clássico e se nunca jogou, você merece uma surra de pau!!!



2° Lugar - Night Trap

E chegamos ao recheio cremoso do Sega CD: Jogos em Full Motion Video!!!

Falei no início do artigo que as produtoras de games não sabiam o que fazer com o espaço que tinham nos CD's. Ao invés de fazerem coisas inteligentes como Moonwalker que usava as versões integrais das músicas de Michael Jackson ou um Street Fighter com áudio em CD, lançavam toneladas de games em FMV.

Em tais games, ficavamos assistindo o filme na tela até que aparecia o momento de fazer algo... normalmente apertar UM BOTÃO e esperar a próxima ocasião de fazer o mesmo.

Ou simplesmente, não sabíamos o que porra fazer... o que era bastante comum em games do tipo.

Night Trap é um clássico, pois foi um game extremamente polêmico na época.

Um bando de garotas adolescentes que mora em uma pensão está prestes a se tornar vítima de sujeitos vestidos de preto que cambaleiam muito. Cabe ao jogador (como um mebro do grupo de ataque da Sega) ativar as armadilhas da casa e prender os safados antes que eles façam... o que quer que eles fizessem com as meninas...

Fato é, que as meninas apareciam usando lingeries ou pijama e a associação das senhoras católicas mal comidas acreditou que tal título mostrava cenas de sexo e que o jogador fazia pontos ao estuprar as mesmas.

...

É incrível... toda vez que um desocupado resolve malhar games, ele diz que "se ganha mais pontos ao se cometer crimes." Porra, há anos que fazer pontuação alta não é o principal de um game! Se esse povo quer malhar os jogos, pelo menos se atualize na hora de falar merda!

Enfim...

Night Trap não é melhor que os outros games em FMV do Sega CD. Na verdade, é tão ruim quanto os outros, mas por ter se tornado um cult, nenhuma coleção de games do aparelho está completa sem ele.

Só... não jogue com outras pessoas por perto... vai por mim...


1° Lugar - Sonic CD

Sem sombra de dúvida, este é o melhor game do Sonic de todos os tempos! Melhor que Sonic 2, Sonic 3, Sonic & Knuckles e todos mais que você possa pensar!

Aqui, nosso ouriço favorito faz aquilo em que é melhor: corre pra caralho e fode com os planos do Dr. Robotnik!

Mas o que torna este game diferente dos demais é que aqui, Sonic pode viajar no tempo... provavelmente todas as vezes que alcança 88 milhas por hora.

Além do que, Sonic CD traz a maior quantidade de loopings por jogo da série em todos os tempos. Os cenários tem tantas voltas, piruetas e rodopios que quando desligar o console, você vai estar com dor de cabeça.

Há também fases em 3D, onde guiamos Sonic pelo cenário como se fosse um carro de corrida e agora percebo que esta frase não faz o menor sentido, então apenas olhem para a imagem acima e entenderão.

Burro... por que não mandei olharem a imagem antes?

E claro, não podemos esquecer da lendária abertura do game, que conseguiu ter uma das músicas mais bregas da história a incluir "sonic boom" em sua letra.

Jogue este game, pois ele é o segredo da vida!!!

Pena que hoje em dia o Sonic é uma putinha de merda que se prostitui para o Mario.

... caralho de merda, viu... Sonic da porra da bosta... putinha chocolatante do bucéfalo...

...

Desculpem, mas lembrar o que o Sonic se tornou hoje faz meu sangue ferver...



E o game supremo que justifica qualquer dinheiro gasto em um Sega CD é: Snatcher

Sabe quem produziu este game?

Hideo Kojima.

Pois é.

Enquanto em Metal Gear Solid ele misturou tudo que sabe sobre estratégias militares, terrorismo, espionagem e Kurt Russel, aqui ele criou um mundo cyberpunk sensacional, misturando Terminator e Blade Runner.

Em Snatcher, guiamos o detetive Gillian Seed, que não tem nenhuma memória de seu passado e que foi designado para trabalhar na sede do grupo J.U.N.KE.R, policiais treinados para enfrentar os Snatchers.

Snatchers por sua vez, são robôs que se parecem muito com Terminators e que eliminam humanos em altas posições do governo para tomarem seus lugares.

A razão... ninguém sabe ao certo, mas envolve protetor solar, a Rússia e um cover do Sting... e cabe a você descobrir como isso tudo se encaixa!!!

TAM-TAM-TAAAAAAAAAAAAAAAAAMMM!!!

Snatcher... bom, não há palavras para descrever o quanto este game é bom. Sua história é muito cativante, os personagens são carismáticos e a dublagem é sensacional, coisa muito rara pra época.

Não, sério! Os jogos de Sega CD pareciam todos dublados por um cara só, que se esforçava ao máximo para fazer sua voz parecer o mais diferente possível nos trinta personagens que dublava por jogo.

Aqui, as vozes são um atrativo a parte. Ninguém tem a voz que colocaram no Haggar!

E fique sabendo que a única versão em inglês de Snatcher é esta lançada para o Sega CD. Todas as outras conversões do game ficaram lá pelo Japão mesmo.

Ou seja, mais uma razão para você levantar sua bunda gorda da cadeira e procurar no Mercado Livre...

...

... digo, mantenha sua bunda gorda na cadeira e procure por um Sega CD no mercado livre! Snatcher vai mais do que compensar qualquer dinheiro gasto!

Mas não vá ainda, acabe de ler o artigo antes.

Menções Honrosas:



Time Gal

Este é um game em Full Motion Video que não é exatamente em Full Motion Video.

É... eu sei... não faz o menor sentido.

Enfim, ao invés de usar um desenho animado, os programadores usaram sprites de animação normais, do mesmo tipo que se usa para fazer qualquer jogo em 2D, só que descomunalmente imensos.

E a ilusão da movimentação dos sprites fazia com que parecesse um desenho animado.

Bem legal!

A jogabilidade é simples: você assiste a animação até aparecer uma indicação na tela de que é preciso apertar o direcional ou algum outro botão. Aperte na hora certa e tudo beleza.

Time Gal é bacana, mas a heroína é muito irritante... e se eu quisesse ver uma menina de cabelo verde irritante com voz de patricinha menstruada, eu assistiria Escaflowne, Fushigi Yuugi ou algo do tipo.



Road Avenger

Mais um game em FMV (dessa vez de verdade) mas em animação, onde o jogador poe guiar um carro turbinado por estradas, praias, milharais e outros lugares que não fazem o menor sentido, atropelando punks em busca de justiça.

Clássico!

Road Avenger funciona como Time Gal. Seu maior defeito é que não tem saves ou passwords, então o jogador precisa fazer tudo e uma tacada só.

E diabos... ser obrigado a jogar um game inteiro de uma sentada só é um tremendo chute nas bolas! Programadores filhos da puta!!!



The Adventures of Willy Beamish

Esta é a história de um moleque mala do início da década de 90 que tem como meta de vida participar do torneio de Nintari.


"Nintari"... eu juro...

Nesse meio tempo ele tem de evitar confusões na escola, valentões, suas irmãs mais velhas, babás vampiras e evitar de ser mandado pra escola militar.

E se possível, dar uma passada na enfremaria da escola, para ver a nova loira de peitos enormes que trabalha lá.

Enfim, Willy Beamish é um jogo interessante, e seu visual lembrava muito um daqueles desenhos "para adultos" que vez ou outra vinha parar em nossas locadoras.

O que fode esse jogo é que ele sofre da síndrome de "MAS QUE PORRA EU FAÇO AGORA???" Em alguns pontos simplesmente não há como saber o que fazer e games assim deveriam ser proibídos, por sua capacidade de fazer testículos explodirem.

Metaforicamente falando, claro.


Brutal - Paws of Fury

Brutal é um game de luta medíocre com personagens que parecem animais de cartoon.

A versão de Sega CD não era melhor que as lançadas em cartucho, mas tinha algumas animações bem divertidas.

E qualquer game que tenha uma raposinha sexy, merece pelo menos uma menção honrosa minha.

...

Já falei que gosto de raposinhas! Vê se aceita isso!



Popful Mail

Popful Mail é uma mistura interessante de Side-Scroller e Rpg, com uma heroína que pode coletar itens e grana para aperfeiçoar suas habilidades e arsenal ao longo do game.

O que estraga um pouco aqui é a jogabilidade. A personagem se move rápido demais e acaba esbarrando em inimigos quando anda pelo cenário.

E sinceramente, isso me enche o ravioli!!!



Masked Rider

Este é mais um game em FMV onde precisamos apertar os botões corretos na hora que forem mostrados na tela.

O que o torna único é que ele é baseado no longa Kamen Rider ZO, um dos melhores da franquia do homem-baratão.

... desculpem, gafanhotão!

Mas o que faz este game valer a pena é sua dublagem! Onde mais você veria uma voz de segurança de boate em um moleque que não parece ter nem dez anos?

Puxa vida, como sinto falta dessas dublagens de baixo orçamento...



Urusei Yatsura - Dear My Friends

Urusei Yatsura é um anime bem bonitinho de autoria de Rumiko Takahashi, criadora de Ranma 1/2 e (ARARGH) Inu Yasha. Basicamente é a história de uma alienígena gostosinha que vem pra Terra morar com um bobão e que se segue uma tonelada de insanidades, bem típicas do desenho do Ranma.

No Sega CD, é um adventure ao estilo de Secret of Monkey Island e com um visual muito bem feito, o que indica que custou uma boa grana.

O único problema é que não foi lançado no Ocidente e não dá pra jogar adventures sem entender o que está sendo dito na tela.

O que só me lembra que eu já devia entender japonês... assisto animes há mais de 15 anos... levei muito menos tempo pra aprender inglês... que vergonha...

Mas enfim, isso era tudo que eu tinha a dizer hoje.

Não espero muitos comentários, pois como mencionei no início, sei que pouca gente teve a oportunidade de brincar com o Sega CD, mas eu precisava fazer este artigo, como parte da série "jogos que o Amer amou nos consoles que teve."

E também como minha homenagem a este console tão bacana e que foi tão mal compreendido pela sociedade.

Sega CD, sempre o levarei em meu coração!

...

E depois desta frase tão gay que é digna de um cavaleiro do Zodíaco, me despeço de vocês!

Semana que vem tem mais!

Cheers!!!

39 comentários:

Sergio disse...

Lunar é muito bom mesmo. lembro de ter zerado o silver star do PsOne

e não consegui terminar o Eternal Blue porque o emulador travava.

vou baixar e jogar no PSP...

Pudim de Kana disse...

Porra, deu uma vontade infernal de jogar Final Fight.

Benditos sejam os emuladores!

Guilherme disse...

Boa Amer... Sega CD tornou mto mais felizes minhas tardes!!
Lista bem legal, nao eram todos os jogos q eu conhecia, pq soh conhecia uma locadora de Sega CD e nao era mto facil de chegar la... Mas de qqer forma, Sonic CD eh o melhor Sonic de todos, tinha a fase q vc apostava corrida com o RoboSonic...
Snatcher eu nao cheguei a jogar, mas salvo engano eh a primeira parte do Policenauts do Saturn, certo?
PS: Vc ainda pretende fazer um artigo sobre os melhores games do Saturn?

Amer H. disse...

Snatcher e Policenauts são jogos independentes um do outro. Mas como todo game do Kojima, Policenauts faz referências à Snatcher também, além de Metal Gear.

O artigo de melhores games do Saturn vem dem Janeiro, pode ficar tranquilo.

lance disse...

"Os Melhores Games do Sega CD!"

E eu pensei...vai ser um post curto...

fabricio disse...

Ótimo post como sempre Amer!!!

Sonic CD eu joguei em uma das "coletânias" pra PS2, e eu me amarro na abertura... Tenho o vídeo no Orkut e tudo... Lunar: Eternal Blue é difícil quando você não pode se dedicar a passar horas matando os mesmos montros fracos pra subir um nível, e quando seu MP não dura o bastante pra usar o mesmo golte 3 vezes seguidas, mas acho que vou dar uma chance ao jogo novamente... ainda tneho o meu aqui em algum lugar...

Como eu conheço tanto de Sega CD quanto de Física Quântica, melhor parar de falar antes que uma besteira que ue fale abra uma fenda interdimensional...

A propóaito, realmente parece que eles queria economizar em dubladores no Sega CD!!! O Haggar tá falando com ele mesmo no telefone!!!

See ya!!! o/

Nando disse...

òtimo artigo Amer....
lembrando que night trap era o mais próximo que podiamos ter de pronografia na época :)
lembrando que 1990 internet era para poucos....

e todo mundo que jogou rise of the dragon cometeu esse erro de sair apenas de cueca na rua......pena que depois disso você era preso :)

Marcelo Hazuki disse...

Excelente post Amer. Eu tive um Multimega CDX que era a junção de mega-drive e Sega cd em um único aparelho. Com certeza esse jogo do sonic cd era o melhor, eu me amarrava nas músicas e as fases bônus, se vc destruísse todos os discos voadores, vc ganhava a Esmeralda do Caos. Caso vc pegasse todas as esmeraldas, a fase do chefe era toda diferente, muito maneiro. Também tive um cd que era com vários jogos: Streets of rage, Shapes and Columns, Golden Axe, Super Mônaco Gp e Revenge of Shinobi. Ecco the Dolphin também era o máximo.Minhas tardes foram repletas de diversão com meu querido Multimega CDX. Bem também joguei um game de basquete em FMV mas era muito escroto. Obrigado por mais uma vez matar a saudade com seus posts e em agradecimento tá aqui a letra da música do jogo Sonic CD:

If you're strong, you can fly,
you can reach the other side of the rainbow.
It's alright, take a chance,
'cause there is no circumstance
that you can't handle (when you use your mind)


Sonic Boom, Sonic Boom, Sonic Boom (trouble
keeps you runnin' faster)
Sonic Boom, Sonic Boom, Somic Boom (save the
planet from disaster)

Through the dark, to the light
It's a super sonic flight
gotta keep it goin'

Sonic Boom, Sonic Boom, Sonic Boom (trouble
keeps you runnin' faster)
Sonic Boom, Sonic Boom, Somic Boom (save the
planet from disaster)
Sonic Boom, Sonic Boom, Sonic Boom (spinnin'
though the world in motion)
Sonic Boom, Sonic Boom, Sonic Booooom...

Amer H. disse...

Yeah, sair pelado de casa e ser preso era um saco...

Ainda bem que temos Saints Row 2 hoje em dia, que nos permite dirigir ambulâncias e resgatar vítimas com uma latina musculosa, tatuada e pelada sem ninguém achar estranho.

E eu estava certo! O tema de abertura de Sonic CD é horrivelmente brega!!!

kadu hammett disse...

eu quero um sega cd =/
tenho q arrumar dinheiro pra comprar um,pior q por aqui nunca achei jogos pra ele,em nenhum momento da minha vida...

vc ainda tem o seu amer?

eu to com um jogo q não é oficial,sonic megamix,é um hacker do sonic 1 pra o sega cd,se quiser posso te mandar depois pra dar uma olhada =]

Marcelo disse...

Cara, passei horas e horas da minha vida olhando no livreto do Sega CD que vinha junto com o Mega Drive os jogos que eu nunca poderia ter por não ter o dito Sega CD... e o pior... até hoje não consegui jogar nenhum maldito jogo no maldito console... Na época, talvez eu fosse meio autista em termos de notícias (outro problema de falta de grana), mas eu nunca jamais pensei que o Sega CD pudesse ser ruim, sempre o tive como algo tecnológico e supremo que um pobre chinelão como eu jamais teria acesso...

o.o'

Bruno disse...

Você já falou do game Night Trap em outra ocasião, não falou?

BAH disse...

Caraio! Acabou o meu inconformismo de mais de uma década devido ao final em aberto e a ausência de uma continuação para "Out of this World". Tenho que arrumar um emulador de Sega CD só pra jogar "Heart of the Alien"!

PS: Eu tenho quase certeza que já vi esse "Road Avenger" rodando em algum lugar...

Amer H. disse...

Falei de Night Trap sim, no meu artigo "Polêmica barata é foda."

Só não botei link pra ela por pura preguiça.

E que bom ver que tanta gente tá reconsiderando suas opiniões sobre o Sega CD. Só lembrem que vocês precisam de um Mega Drive acoplado nele pra funcionar.

Já conheci um cara que vendeu o Mega pra comprar o Sega CD... todo cuidao é pouco...

E sim, ainda tenho meu Sega CD. Nunca vendi nenhum de meus consoles! Foram grandes amigos nas horas de necessidade.

lilo disse...

ola Amer
tenho uma sugestão para um artigo eu queria que vc postace o q vc sabe ou pensa ou um raking com o assunto mensagem subliminar
tambem um ranking sobre os melhores lutadores da WWE,ECW e TNA
e vi vc falar que o blade trinity é um p**** então um dia desses fiu ver blade trinity na tv(a pra falar a verdade era no sbt no 8 e meia no cinema)e adivinha que era um dos vilões ele msm o Triple H(eu sei que vc não pensou no Triple H mais fazer oq tem que dar graça).
e msm que você nem leia o meu comentario ou não poste nem uma das minhas ideias...foda-se eu vou continuar a ler seus artigos e ser fã do blog do Amer(acho q isso ficou gay)


vlw.

Amer H. disse...

Primeiro, eu leio todos os comentários postados aqui. Não sei se você reparou, mas costumo responder a todos que posso.

Quanto à mensagem subliminar, é um tema interessante, mas não tenho a menor idéia de como escrever um artigo sobre isso.

Quanto aos lutadores, não pretendo escrever sobre os melhores, pois isso depende de MUITOS FATORES para se julgar (técnica no ringue, carisma, capacidade pra superar idiotices) mas tenho engatilhado um artigo com aqueles que são indiscutivelmente durões. Aguarde.

Sobre Blade Trinity... pensei em escrever um artigo sobre este filme em outubro, mas não consegui me obrigar a assistí-lo de novo.

Cheers!

Rafael disse...

fiquei no youtube procurando a imagem
e não achei so achei umas cinekills(estava escrito assim)

Bem toscas mas como você disse cheiasde Animações mais trabalhadas em 3D

Nunca tve oportunidade de ter um sega
meu primeiro video game foi um super nintendo com o MELHOR mario(mario bros.3

Larissa disse...

olá Amer, sobre o link do meu blog no seu, não há problema, é até uma honra...
obrigada.
'beeeijo

patrickpereira disse...

Wow! Muito bom post! Tá cada vez melhor, infelizmente nunca tive opurtunidade de jogar (ou até mesmo de ver) o Sega CD, mas graças ao milagre dos emuladores já tô baixando as roms de alguns jogos do top 10 do Amer, vlw cara! Obs: Tô usando o Picodrive (ótimo emulador de mega drive e sega cd do psp) e tô baixando as roms de um site chamado coolROM.com (se alguém conhecer um melhor me avise) e o primeiro jogo que eu botei a baixar foi o Night Trap :P (Não me julgue!)

Tércio Stardust disse...

Primeiro comentário viu Amer... E olha que leio o blog há um bom tempo...

De fato eu ainda corro atrás de comprar sega CD, esses dias arrumei um CDX (ainda maisraro) pra comprar, mas o carro quebrou e láse foi o extra do meu orçamento.
Mas o fato é que eu me lembro o dia que eu entrei na locadora e tinha um louco jogando HOOK CD. Eu pirei o cabeção com o som do jogo. Eis que eu descobria o Sega CD. E quando fui perguntar ao carinha do playgame o que tinha de jogo, ele me mostrou Final Fight. Se eu já fosse capaz na época teria gozado nas calças...
Mas enfim, o Sega CD foi tão marcante na minha infância que valeu até o comentário.
Abração Amer, seus textos são nota MIL.

Rafael disse...

Eu sou foda e nem disse que estava falando de eternal fighters

Edson disse...

Amer, eu lembro que um dos primeiros jogos do Sega CD foi o "Earnest Evans" (continuação do legalzinho "El Viento" do Mega). E nunca tive a oportunidade de jogá-lo.

Eu sei que o "Earnest Evans" foi bastante criticado porque o personagem mais se contorcia do que se movia na tela, mas, no geral, o que você achou desse jogo?

O fato de ele não figurar nem nas menções honrosas já me dá uma dica, mas eu queria realmente saber a opinião de quem jogou esse game.

S. Jade "hero point" disse...

Putz...
fui ignorada totalmente nos 2 posts q fiz nos dia 28 e 31 de Outubro...ou então vc nem teve o trabalho de ler ¬¬
sacanage
só pra constar: AZULA DOMINA BA-SING-SE novamente^^ (leia meus posts anteriores q vc vai entender^^)
e quero comunicar-lhe q vou imprimir dois de seus atrigos: "regras q os cosplays jamais deveriam esquecer" e " 12 motivos para vc assistir avatar"
PQ ACHEI MUITO FODA OS DOIS!!!!!!!
e tem um pessoal q frequenta minha loja q precisam ler seus comentários (principalmente do primeiro artigo)
no mais...boa semana e bjocas!!!!!11

andcravo disse...

Muito maneiro!
Sou suspeito de falar, mas meu videogame favorito era o Mega Drive! Mesmo depois que entrou o Super Nintendo que tinha uma tecnologia superior eu ainda ficava espantado com a maneira que faziam as conversões (o jogo praticamente ficava o mesmo pros dois consoles). É sobre Sega CD, apenas joguei o Road Avenger em locadora eu gostava da dinâmica do jogo. Mas pra mim o melhor de todos os tempos é o Final Fight!!!! **Essa dublagem do Sega CD é incrível, rs. Legal ter visto a abertura.
Detalhe: Comprei meu primeiro computador só pra jogar Final Fight (emulado). Nem videogame eu tnha jogava só em locadoras e o computador virou meu videogame.

Agronopolos disse...

Sendo sincero:
Sempre fui fã da Nintendo por causa do Super Nintendo
Mas depois dessa acho que vou garimpar o Mercadão Livre
Pô um monte de coisa que eu sempre quis que tivesse hj eles fizeram naquela época...
Só pensava na era "Saturn" em diante pór causa de Guerreiras magicas de RayEarth que tinha nesse console...
Vivendo e buscando coisas antigas véio

PS: Kr faz uma sobre jogos que tinham censura, pois vi que até no Final Fight tinha isso, acredita?

Amer H. disse...

Earnest Evans é um saco. Nossa, que jogo horrendo!

O cara parecia uma porra de boneco de pano! Que coisa abominável!!!

E é bom ver que consegui fazer tanta gente se interessar pela velharia da Sega! Da época que a empresa ainda fazia bons games!

Jogos censurados? Grande idéia, mas por hora procure meu artigo sobre a Poison (Um tributo à Poison) que eu já menciono essa questão brevemente.

E Azula, eu não queria ignorar você. As duas vezes que você comentou em pensei em respondr mas fui possuído por um mal espírito ou coisa assim e acabei não fazendo-o.

E agradeço por mostrar meus artigos para o povo, de verdade! Cosplayers precisam de puxões de orelha!

Já mandei um mail pra você, me mostre sua Azula!

Cheers!

Amer H. disse...

Aliás, você tem loja do quê?

Walmir disse...

Amer, meu chapa.
Faltou mencionar o game que vinha com versão americana do Sega CD, o Sewer Shark.
Era um FMV também ,com uma nave percorrendo os esgotos. Lembro que terminei esse.

Outro nesse estilo que eu curtia era Ground Zero Texas. Mas olhando hoje, o game era bem ruim.

E tinha o C+C Music Factory. Antes de eu virar gente e descobrir o Rock'n Roll, eu ouvia essas coisas...

Bram Stocker's Dracula também era bem legal, com vídeos (em resolução digna de um GameBoy) do filme.

E Dragon's Lair, um amigo meu não passava da ponte do começo, ehehehe.

Abraços, seu patife.

Lee, D. disse...

Ah, não joguei nenhum, tenho dezoito anos, o primeiro console que tive foi um PS1 (apesar de tarar sempre nas locadoras com snes).

Mas me lembro, de tempos remotos perdido no tempo espaço, que jogava Pacman com um daqueles joysticks que parece um manche na casa do meu tio; deveria ter uns cinco anos ou menos, nem lembro que console era aquele.

Quanto ao artigo, cara, sei que vou merecer um chute no saco por causa disso, mas só agora descobri que aquele cara enorme que sai detonando os corintian... digo, malandros nas ruas é nada menos que o prefeito da cidade indo em busca da filha. FODA! XD

E ser preso por indecência? Puts, essa doeu! Pff... hahahahahahaha. Realismo máximo.

Amer H. disse...

Walmir, não fique triste, mas todos esses games que você mencionou... bom... EU OS ODEIO!!!!!

Joguei Drácula recentemente e minha nossa, me deu urticária! O Angry Nerd tinha razão, esse jogo suck balls!!!

Lee, você jogou Pac-Man num Atari. tenho certeza disso.
Quanto a você não saber que o Haggar é prefeito... que vergonha...

Especialmente por que eu jádisse várias vezes em vários artigos que o Haggar é prefeito de Metro City.

Que vergonha, menino! Que vergonha!

WiLL - A Evolução Da Irônia disse...

Cara muito bom seu especial Sega CD!! Sempre quis jogar esses fantásticos jogos como Segafã que sou mas aquele maldito emulador Gens num colaborava. Agora com o PSP parace que vai. Já baixei todos esses jogos que vocÊ citou e confesso que como Também Kojima-fã tava doido p/ conhecer esse "Snatcher" que com certeza será o 1° jogo de Sega Cd que irei zerar. Parabéns pelo blog e se me permite uma sugestão, faça um especial com Master System e 3DO também. abraço!

Rafael disse...

Sega CD é massa, o meu ainda esta em atividade até hoje, como é bom jogar sonic cd naquele controle leve e nada ergonomico! VIVA A MEMORIA DOS GAMES!

Jaspion Brasileiro disse...

Adoro o Sega Cd, tenho ele desde 1994 e outros consoles da SEGA também. Sou colecionador.
Corrigindo uma coisa: O Final Fight CD e o Final Fight do Super Nintendo tem mais uma diferença além de jogar com o Guy e ter a fase da indústrial. O Final Fight CD tem um gráfico muito melhor que do Super Nintendo, os personagens estão maiores e estão mais coloridos (vivos).
Adorei o seu post sobre o Sega CD.

Um grande abraço.

Alexandre disse...

tive oportunidade de jogar sega cd em uma locadora q tinha videogames p jogar por hr...definitivamente sega cd era incrível...joguei 1 o night trap, e fiquei besta c/ a imagem e som...o hook cd acho q foi o 2 q joguei...e ecco the dolphing foi outro q pirei...realmente era um puta videogame...pena q um sonho distante devido ao preço...

Alexandre disse...

tive oportunidade de jogar sega cd em uma locadora q tinha videogames p jogar por hr...definitivamente sega cd era incrível...joguei 1 o night trap, e fiquei besta c/ a imagem e som...o hook cd acho q foi o 2 q joguei...e ecco the dolphing foi outro q pirei...realmente era um puta videogame...pena q um sonho distante devido ao preço...

Conrado disse...

Eu tive 2 sega Cds e vendi há mais de 12 anos. Me arrependo muito... Mas na época joguei muitos jogos como shining force cd, sonic cd, final fight e vários outros.

Agora estou readquirindo um sega cd para jogar os jogos que não tive oportunidade na época, como snatcher e eternal champions.

Ótimo artigo, também acho que as pessoas falam mal do Sega Cd sem conhece-lo. Quem jogou sabe como é um bom console.

matheus rodrigues disse...

puts cara maravilhoso post parabens
e se vc curti o sega cd e gosta de ver gameplays comentadas verifique meu canal ai
http://www.youtube.com/user/DicasXbox360?feature=mhee

eccodragao disse...

joguei quase todos esses jogos o melhor jogo que eu tive na minha opinião foi ecco the dolphin compri todas as versõe desde o master sistem ate do play 2 que na minha opinião não chegou nem aos pes do dreancast.

maciel carlos disse...

gostei muito da publicacao eu tive um sega cd quando criança saudades boms tempos