domingo, 6 de julho de 2008

Os Melhores Games do Mega Drive!


Ahhhh, o bom e velho Mega Drive...

Lançado em 1988 pela Sega, o Mega Drive foi um dos primeiros consoles de 16 Bits da história e foi uma das metades responsáveis pela grande guerra dos consoles da primeira parte da década de 90.

Aqui no Brasil, o console foi lançado pela Tec Toy, que fez o favor de divulgá-lo como se ele trouxesse a cura do câncer e a chave para o Paraíso em cada unidade.

Veja só, imagine que você é um moleque impressionável de dez anos cujo último videogame que jogou foi o Atari ou algo igualmente clássico. De repente você está em casa, assistindo o programa do Bozo e aparece um comercial na televisão.

O comercial é narrado por alguém que parece ter vindo diretamente do além túmulo, que diz apenas palavras chave como "oito canais de som" e "512 cores". Enquanto isso na tela, nos é mostrado um gráfico fotorealista (ou o que achavamos que era fotorealista na época) de um cara sarado esmilingüindo zumbis com bicas, até o momento em que ele se transformava em um lobisomem!

PUTA MERDA DO CARALHO!!!!!!!!!!!!!!

Se visse isso na época, você cagaria nas calças com tanta força que elas inflariam e explodiriam, espirrando fezes para todos os lados!!!!!!!!!!!!!

...

Isso foi nojento, me desculpem!

Mas enfim, o Mega Drive era bom a esse ponto e grande parte de sua graça era seu ar de arcade.

A Sega era uma notória produtora de games para fliperama na época e decidiu seguir a mesma rota com o Mega Drive, lançando muitas conversões de seus maiores sucessos do fliperama para o aparelho e diga-se de passagem, essa foi a receita para o sucesso.

Exatamente como um bom fliperama, vocêe pode sentar e passar meia hora ou quarenta minutos jogando e vai sair satisfeito ao fim da sessão. Esse era o charme do console.

Embora não fosse tão poderoso quanto o Super Nintendo (que conseguiu o impossível pelo menos duas vezes), o Mega Drive ainda é um excelente console e hoje resolvi dissertar sobre alguns de seus melhores jogos.

Tentei fazer uma lista de dez games, mas é impossível resumir a qualidade deste aparelho em tão poucos títulos.

Assim sendo, prepare-se para ver os melhores vinte games do Mega Drive!!!

Deus salve a America!!!!

E se o seu game favorito não entrou na lista, não seja uma putinha e não me encha o saco!

Pronto, problema resolvido! Vamos em frente!



20° Lugar - Comix Zone

Este foi um dos últimos games lançados para o Mega e foi bastante ofuscado pela nova geração de consoles, o que é uma pena.

Aqui, temos Sketch Turner, desenhista de quadrinhos (ou como algumas pessoas definem, "artista que passa fome") que em uma bela noite de tempestade, é seqüestrado pelo vilão de sua obra, que cria vida e o joga dentro da revista, para enfrentar monstros e horrores além da imaginação.

Esse povo não aprende que não deve fazer nada em noites de tempestade??? Alguma coisa sempre cria vida e tenta te matar!!!

Enfim, o que se segue é um beat'em up situado dentro dos quadrinhos de uma página de revista, onde o herói pode tomar caminhos diferentes para chegar ao fim da página, sempre auxiliado por Alyssa Cain, a gostosa residente do jogo.

Porque todo desenhista de quadrinhos um dia cria umapersonagem gostosa que é a amálgama de tudo que ele acha irresistível em uma mulher.

Comix Zone é um game bastante original e só não pegou colocação mais alta por dois motivos:

Primeiro, como o pênis de um anão, Comix Zone é muito curto.

Segundo, a partir de um certo momento, o jogo fica insuportavelmente difícil. Tanto que eu nunca o terminei, mesmo jogando com invencibilidade!

Quando um game não pode ser terminado mesmo que você trapaceie, então temos um problema.

E Comix Zone também vale como referência cultural, pois só nos anos 90 alguém podia se vestir como Sketch e não levar uma surra na rua!



19° Lugar - Spider-Man vs the Kingpin

Vou confessar que este foi um dos games que me fez comprar um Mega Drive.

Ou melhor... encher o saco da minha mãe até ganhar um... mas isso não vem ao caso agora!

Sempre tivemos toneladas de games do Aranha, mas posso afirmar com 100% de certeza que este foi um dos primeiros títulos decentes dele.

Aqui, o Rei do Crime ativa uma bomba em um local ignorado de Nova York e coloca a culpa no Aranha, que precisa atravessar a cidade espancando alguns de seus inimigos mais clássicos para conseguir as chaves necessárias pra desarmar o artefato.

Um grande barato do game é poder tirar fotos dos bandidos genéricos e chefes que você encontra pelo jogo, para ter grana que será convertida em fluído de teia ao fim de cada fase.

Bons tempos que os games do Aranha não nos davam teia infinita...

Enfim, o jogo era muito criativo e trazia muitas novidades legais para o gênero. Por exemplo, se sua energia estiver muito baixa, você pode dar um tempo no apê do Parker para recuperar as forças.

E durante a luta contra o Homem-Areia, enfiar porrada não funciona, então é preciso atraí-lo para perto de um hidrante e chutar o mesmo, para que a água dissolva o vilão.

Coisas assim eram raras na geração 16 bits.

O único problema deste game era a luta ORNITORRINCAMENTE DIFÍCIL contra o Rei do Crime no final.

Sério... dava desespero...

Mas a recompensa era salvar a Mary Jane... e sinceramente, uma ruiva daquelas vale qualquer esforço!

Homem-Aranha, Homem-Aranha! Nunca bate, só apanha!

...

Já ouviram a versão americana dessa música? É assim:

"Spider-Man, Spider-Man! Takes a shit in a coffee can!"

Pois é!

Qual você prefere?



18° Lugar - Moonwalker

Quero deixar uma coisa bem clara: eu não acredito que Michael Jackson seja realmente um pedófilo.

Pra mim, ele foi vítima de pessoas cuzonas que se aproveitaram do fato dele ser um completo destrambelhado para arrancarem sua grana fazendo uso do sistema legal.

Sim, eu não tenho dúvidas de que ele é um doido varrido, mas pedófilo eu tenho certeza que ele não é.

Ele não é padre da Igreja Católica, ora pois!

Dito isso, Moonwalker é um tremendo game de ação e um dos mais impressionantes do console!

O jogo é baseado no filme homônimo, que mais parece um amontoado de videoclipes costurados juntos e que é odiado por todas as pessoas do planeta, fora os fãs ultra-hardcore de Michael e meia dúzia de malucos formados em desenho industrial que possam achar que o filme é "uma obra conceitual".

Diferente do filme, o game chuta bundas!

Você controla Michael, que desfila com o figurino do video Smooth Criminal e passeia pela cidade dando bicas em criminosos dos mais variados tipos para resgatar criancinhas!

Vamos lá, faça suas piadas sobre Michael ser pedófilo.

Vai, eu espero.

...

...

...

Pronto?

Prosseguindo...

Michael vai de um clube dos anos 30 para as ruas, para um cemitério, para as cavernas mais extensas do mundo e finalmente para uma base futurista do mal, última parada antes dele se transformar em nave e meter bala em Joe Pesci.

E Michael pode derrotar seus inimigos sando o maior de todos os poderes: o poder da dança!!!

Sim, Michael pode fazer todo mundo na tela dançar com ele, o que faz os inimigos morrerem logo em seguida!

...

Não questione! É o poder da dança!!! Você nunca dançou até cagar nas calças? Então?

O mais impressionante deste game é sem dúvida seu audio, pois toda a trilha sonora é composta de músicas do senhor Jackson!

E te digo, você ainda não viveu se nunca escutou Beat It, Billie Jean ou Thriller em arquivos de MIDI! Não senhor!

E a menos que você seja um fã de Ready 2 Rumble, não existem muitos outros games onde você possa jogar com Michael!

Tem a versão de Moonwalker para arcades, onde Michael tem de confrontar robôs que o atacam com pistões enormes e fálicos, mas isso é uma outra história.



17° Lugar - Pit Fighter

No fim dos anos 80 e começo dos 90, havia um game de luta que fazia filas e mais filas nos fliperamas, um game que parecia uma versão digital de um daqueles filmes da Sessão Kickboxe.


Pit Fighter!!!

E sim, me lembrava muito de "Gladiador Imortal II" ou alguma outra pérola do gênero que estrelasse Gary Daniels ou Lorenzo Lamas.

Aqui, podemos escolher entre três caras: Buzz, um lutador de luta-livre que nunca conseguiria emprego na WWE mas que tinha um mullet invejável, Kato, um karateca que não parecia capaz de derrotar sequer o Simpato Yamazaki e Ty, um mano que todo mundo escolhia porque tinha um chute giratório igual ao do Van Damme.

Lembremos que na época, o Van Damme ainda não tinha ficado de pau duro ao dançar com a Gretchen, portanto ele ainda era alguém.

Pois bem, os três desempregados seguiam espancando meliantes em um círculo de lutas underground, até chegarem ao desafio final: Masked Warrior, um sujeito imenso de máscara de metal, que gritava muito e vestia tiras de couro.

Engraçado, parece que acabei de descrever um ator pornô alemão.

Enfim, a graça de Pit Fighter eram seus gráficos digitalizados. Lembre-se que Lethal Enforcers e Mortal Kombat ainda não haviam sido lançados e qualquer videogame que os personagens não parecessem desenhos era um tremendo chamariz.

Devo ressaltar que a versão de Mega Drive conseguiu ser muito fiel à máquina, se levarmos em consideração o hardware limitado do console.

E se levarmos em consideração que é a única versão doméstica que presta, isso é mais impressionante ainda!

E aí vai um pouco de trivia: você sabia que existe um protótipo de Pit Fighter para o Atari 7800?

E mais, sabia que o ator que interpretava Chainman Eddie (ou como todo mundo chamava, "O Bebezão") se chamava Eddie na vida real?

E mais! Sabia que Kato, o karateka japonês era na verdade interpretado por Glenn Fratticelli, um ator que pelo nome só não era mais italiano porque não era mais alto?

Agora você sabe! E saber é metade da batalha!!!


16° Lugar - Alien Storm

Mais um arcade de porradaria lindamente convertido pela Sega para o Mega Drive.

Aqui, alienígenas canibais pedófilos republicanos invadem a Terra e somente um bonitão, uma gostosa e um robô podem detê-los!

Enredos assim mereciam um Oscar!!!

Nossos heróis avançam pelo cenário, eletrocutando, calcinando, chicoteando, metralhando, explodindo e sodomizando os alienígenas até serem engolidos pelo líder deles e navegarem por seu interior até chegarem ao seu cérebro e explodí-lo, transformando-o em uma massa de carne cinza retorcida e fumegante!

Uau! E tem gente que reclama da violência de GTA hoje em dia!

Como alguém que jogou as duas versões, posso afirmar que a versão de Mega Drive deve muito pouco á do arcade. A única real diferença é que na versão original, podemos ver que os três heróis trabalhavam numa barraquinha de hambúrger antes de sairem por aí matando visitantes extraterrenos.

Sério, eu não conseguiria inventar isso nem que tentasse.

Além das fases tradicionais de porradaria, Alien Storm tinha seqüências de correria e também de tiro em primeira pessoa, o que o destacava dos demais games do estilo da época.

Vou encerrar dizendo que, se você sempre quis atacar seus inimigos com uma ogiva nuclear enquanto joga usando uma gostosa de collant amarelo, este é seu jogo!



15° Lugar - Devil Crush

Pinball!!! Todos gostam de jogar pinball!!!! Nada mais relaxante do que fazer uma pontuação obscenamente alta ao se rebater uma bolinha pelo cenário!!!!

E melhor que um pinball normal, somente um pinball VINDO DIRETAMENTE DOS QUINTOS DOS INFERNOS!!!!!

Tudo em Devil Crush remete a um filme de terror: há monstros espalhados pela tela, cultistas no topo da máquina, os minigames consistem de quebrar caixões ou dragões diabólicos e por aí vai.

Arte, eu te digo!!!

E a trilha sonora de Devil Crush é simplesmente perfeita! O game tem só uma música tocando infinitamente, mas é tão boa que nunca mais sairá de sua mente enquanto você viver.

E vou te dizer, este game originalmente foi lançado para Turbografix 16, um console da NEC que rodava cd's, mas a versão do Mega é muito superior. Joguei as duas, posso confirmar.

Aliás, (piada machista a seguir) que outro jogo de Mega Drive lhe permite dizer que passou a tarde toda dando boladas no queixo de uma bela moça adormecida?

Pois é...


14° Lugar - Yuyu Hakusho - Sunset Fighters

Vou te contar, morar no Brasil tem suas vantagens!

Se você é velho como eu, deve lembrar de Yuyu Hakusho, desenho japonês de pancadaria ensandecida que passava na Manchete e nos deixava felizes e sorridentes!

E que depois passou no Cartoon Network, totalmente censurado e nos fez bufar, espumar e chorar, nessa ordem.

Bom, na época que passava na Manchete, a Tec Toy, sempre oportunista, deu um jeito de trazer esta maravilha do Japão e lançá-la oficialmente aqui!

Toma essa, Estados Unidos da América! Nós temos Yuyu Hakusho e vocês não! Vão chupar um cavalo!!!!!!!!

Enfim, Yuyu foi desenvolvido pelo pessoal da Treasure, verdadeiros mestres em fazer jogos 2D que também desenvolveram um game que aparece mais a frente na lista e que para não fugir à regra, fizeram de Sunset Fighters um dos melhores games do console.

Ok, o game era mais ou menos assim: você escolhe um personagem, seu oponente escolhe outro, vocês começam a metralhar botões e descobrem que praticamente todos os comandos que fazem acaba gerando um combo magnífico. Depois de cinco minutos aprendem a usar os golpes especiais e daqui a pouco estão se perdendo em porradarias tão alucinantes e cheias de efeitos especiais quanto o desenho animado!

Daí vocês chamam mais dois amigos, começam a jogar em quarteto e a pancadaria fica mais alucinada ainda e todos se divertem às pencas!

Aí todos bebem um pouco demais e um de vocês resolve contratar umas garotas de programa. Você e seus amigos fazem uma orgia, desmaiam pelo excesso de drogas, bebidas e sexo e acordam na manhã seguinte algemados no banheiro e percebem que as damas da vida fizeram a limpa em sua casa antes de irem embora.

Pois é, Sunset Fighters era divertido a esse ponto!

Lembro de uma vez que joguei com um amigo, eu escolhi a Gankai e ele o Yusuke e prendemos o Sensui entre nossos personagens (não da maneira que você está pensando, seu obsceno) e o metralhamos com uma seqüência de socos de ambos os personagens.

A energia de Sensui já tinha acabado, ele já estava morto, mas continuavamos a socar o infeliz! Tanto que o computador nem tava mais contando nossos hits, pois já tinham passado de 99!

Ahhhh, como era bom!

E só pra deixar este trecho ainda mais nostálgico, clique aqui para ver a abertura de Yuyu Hakusho quando passava na Manchete!

E nem tente me enganar, pois eu sei que você cantava essa música! todos cantávamos!

Embora não faça o menor sentido um sujeito cantar uma música inteira em português e a encerrar com uma palavra em japonês.

Mas o que eu sei, né?


13° Lugar - Altered Beast

A primeira coisa que vem a minha mente quando penso em Altered Beast é: "Mas esse jogo é uma merda do caralho!"

Verdade, e sei que muitos de vocês pensam da mesma forma.

A jogabilidade era péssima, o herói era mais duro do que se tivesse sido feito com vibradores e a dificuldade era absurdamente alta, fator causado unicamente por má programação.

Mas mesmo assim, todos lembramos deste game com enorme carinho.

E por quê?

Porque foi o primeiro título do Mega Drive e veio com muitos consoles na época que o aparelho foi lançado por aqui.

Para muitos de nós, Altered Beast foi um companhiro inseparável enquanto a Sega não lançava Streets of Rage e Sonic, ou para aquelas tardes de Sábado em que constatávamos com tristeza que os jogos que havíamos alugado eram uma merda colossal.

De qualquer forma, a mistura de homoerotismo (é o que me vem a cabeça quando vejo um super bombado de sunga chutando zumbis com passinhos de balé) e mitologia grega reminiscente de filmes como Fúria de Titãs provou ser uma receita infalível para o sucesso.

Claro, a língua presa de Zeus se tornou uma fonte para muitas piadas que continuariam sendo contadas nas écadas que viriam.

"Wise fwon your gwave!"

Como eu queria que Zeus tivesse a língua presa também em God of War...


12 ° Lugar - Shadowrun

Imagine que você mora em uma cidade sombria e violenta.

Aqui, seres bizarros se escondem nas sombras, você não está seguro em lugar algum e a polícia não pode protegê-lo, pois é apenas mais uma corporação corrupta e truculenta.

Somente foras-da-lei fortemente armados podem ajudá-lo... pelo preço certo...

...

Não, eu não estou falando de Guarulhos, estou falando da Seattle do ano de 2050! Bem vindo ao mundo de Shadowrun!

Shadowrun começou como um rpg de mesa da FASA Corporation e misturava universo cyberpunk com fantasia numa dose muito bem equilibrada.

Ora, onde mais você pode encontrar uma mega-corporação cujo presidente é um dragão?

Ou gangues de elfos controladas pela mafia?

Ou prostitutas elfas?

...

Não, espera, isso dá pra encontrar em Dungeons & Dragons mesmo.

O maior problema de Shadowrun no entanto é que era muito chato aprender a jogar. O livro tinha tanta regra besta e desnecessária que aprendê-lo se tornava uma tarefa.

O que não é um problema em Shadowrun no Mega Drive, onde tudo é simples e intuitivo! Até o pai do Billy conseguiria jogar!

Aqui, jogamos com Joshua! Um Shadowrunner (mercenários sem registro existencial que fazem trabalhos sujos por muita grana) que descobre que seu irmão foi morto no trabalho. Joshua toma para si a missão de vingar o irmão e é aí que nossa história começa.

Josh pode vagar numa boa por diversos bairros e territórios da Seattle do futuro, fazendo missões, juntando pistas, matando gente e se entupindo de implantes cibernéticos! O céu é o limite!

O que difere Shadowrun de outros rpg's da época é o quanto o jogo é aberto. Você pode fazer o que quiser na ordem que quiser.

Se quiser avançar e descobrir logo quem foi o lazarento que matou o irmão de Josh, você pode, mas se quiser ir devagar e fazer amizade com as gangues da cidade, você pode também.

De fato, o jogo é tão aberto que se você tiver paciência e jogar as cartas certas, Joshua pode se tornar um tanque de guerra com conexões com a Yakuza antes mesmo de sair do primeiro bairro!

Oh, G'yeah!

Shadowrun era GTA antes de GTA nascer! Word Life!

Vale ressaltar que a versão de Mega Drive é muito mais fiel a seu material de origem que a de Super Nintendo e assim sendo, é muito mais memorável!

Se a vida real fosse um pouco mais justa, eu poderia contratar uma elfa loira gostosa e um troll de três metros para serem meus guarda costas pelo resto da vida... mas já que não tenho como, obrigado Shadowrun, por me permitir saber como é isso.


11° Lugar - Shinobi III: Return of the Ninja Master

Uma lista de games do Mega Drive não seria completa sem um jogo do Shinobi!

E que jogo!!!

Shinobi III é o melhor de toda série! Melhores gráficos, melhor som, a melhor jogabilidade e um game que puxa os limites do Mega Drive até o talo!

Embora Revenge of Shinobi e Shadow Dancer sejam clássicos igualmente impecáveis, selecionei Shinobi III por ser o auge técnico da série, que mostra do que Joe Musashi é capaz!

Quem dera a Sega ainda tivesse a cabeça no lugar quando faz games do Shinobi...

... maldito Hotsuma...

...

...bicha de merda...

E graças a este game, descobrimos que Joe Musashi é capaz de muitas coisas de que não faziamos idéia antes, como andar a cavalo e surfar, enquanto dispara shurikens infinitos em seus inimigos e os manda para o diabo que os carregue!

E é por isso que ele é um dos melhores ninjas dos games!!!

Não tenho mais nada a dizer sobre este game! Vá jogá-lo, ou você será marcado como uma putinha pelo resto da vida!


10° Lugar - Teenage Mutant Ninja Turtles - The Hyperstone Heist

O que seria desta lista se eu não mencionasse as tartarugas, heim?

Já falei um bocado deste game em outra ocasião, portanto vou apenas frisar que nele você pode enfiar a porrada no Tatsu e ser feliz!

O quê? Você ainda não sabe quem é o Tatsu?

Oras merda, vá pro caralho! Seu borra-botas!!!!!


9° Lugar - Splatterhouse 3

Este é outro game sobre o qual eu já falei antes.

Desta forma, vou apenas dizer que Splatterhouse vai ser ressuscitado para a atual geração de consoles e que se você nunca estraçalhou zumbis com Rick, eis aqui uma nova chance!

Se bem que se você nunca jogou Splatterhouse, você é uma putinha! Fique bem longe do novo jogo da série! Não o turve com sua falta de masculinidade!

Ora... nunca jogou Splatterhouse... como pode... é uma putinha mesmo...


8° Lugar - Castle of Illusion

Ah sim, bom e velho Mickey Mouse! Sempre disposto a salvar sua namorada dos perigos, não importa quais sejam!

Aqui, Minnie é seqüestrada pela bruxa Mizrabel, que quer transforma-la em polainas... ou algo assim, e cabe a Mickey passar por diversos mundos psicodélicos que parecem ter saído de uma viagem de ácido dos anos 60 para poder reaver sua namorada e o direito de fazer sexo de graça.

Embora...

Apesar de ser um dos primeiros games do Mega, Castle of Illusion ainda é um excelente game, onde tudo foi feito da maneira certa, dos gráficos à jogabilidade.

E era difícil! Mamma mia, como era difícil terminar este game! Mickey enfrentava perigos que matariam até mesmo Jack Bauer! Eu juro! Que camundongo durão!

Só pra se ter idéia, em uma das fases era preciso matar com bundadas uma serpente marinha gigante que emergia de um oceano de leite e em um local onde o camundongo só podia se equilibrar sobre minúsculas plataformas de açúcar.

Mas se era um oceano de leite... ainda pode ser considerada uma serpente marinha?

Oras merda, quem se importa? Mickey era foda!

Espero que a Minnie tenha realizado todas as fantasias sexuais dele como agradecimento por ser salva, pois o rapaz merece! Eu juro!

Claro, eles ainda tem de fazer o Mickey assumir que não é o "tio" de seus sobrinhos, uma vez que é filho único... mas isso é uma outra história.

Por que eu estou falando disso? Não faço a menor idéia...

Aí você diz: "Eu não gosto do Mickey! prefiro o Donald!"

E eu respondo: nada tema...


7° Lugar - Quack Shot

...pois Donald também está aqui!!!

E no quesito dureza, ele não deixa nada a dever a seu colega camundongo.

Aqui, Donald viaja pelo mundo em busca de um grande tesouro que ele quer dar de presente á Margarida, sempre com a ajuda dos sobrinhos, que sabe lá Deus como, tem brevê pra pilotar avião.

Este jogo segue uma lógica parecida com a de Duck Tales, só que diferente do Tio Patinhas, Donald não mata os regentes dos países para onde vai e toma suas riquezas, ele as vezes negocia com eles e destrói seres do mal que estão causando problemas.

Um sujeito de moral bem mais elevada que o tio, vou te dizer.

E não posso deixar de mencionar que neste game, o Donald está vestido como o Indiana Jones, o que é incrivelmente cool! Esse pato tem estilo!

Mas mesmo assim, ele não usa calças.

E aliás, já que o Pato Donald não usa calças, porque ele amarra uma toalha na cintura quando sai do banho?

Perguntas e mais perguntas...

E no fim do jogo, a Margarida fica brava que o único tesouro que Donald conseguiu trazer foi uma estátua velha ao invés de jóias e riquezas.

Ora, sua vadia!!! O cara deu a volta ao mundo e mobilizou todos os amigos pra lhe dar um presente! Ele merece reconhecimento e uma noite de hot monkey sex!!! Ingrata filha da puta!

"Hot ducky sex" seria mais apropriado... eu acho...

Dê uma bota nessa vadia, Donald! Você merece coisa melhor!

A Clarabela não, ela é uma vaca!

Nossa... que piada mais óbvia...


6° Lugar - Contra: Hard Cops

Quando a Konami rompeu sua exclusividade com a Nintendo e começou a lançar versões de seus títulos para o Mega Drive, todo mundo esperava que um dos games criados para o console da Sega fosse Contra.

Então, foi lançado Contra: Hard Cops e houve muita alegria!

Este game é uma continuação direta de Contra III do Super Nintendo. Os aliens que invadiram a Terra levaram um chutamento de bunda federal e se mandaram, o que deixa o mundo em paz, felicidade e Doritos! De repente os robozões criados pela humanidade começam a destruir tudo e os heróis partem em seu encalço para lhes encher de chumbo quente e os ensinarem a respeitar sua autoridade.

Mas isso não passava de uma distração criada para ocupar nossos heróis enquanto o General Bahamut (uau!) dominava o mundo!

E lá vão nossos heróis enfiar bala no Bahamut e mostrar a ele que alguém com um nome desses não deve aparecer em jogos que não sejam rpg's!

Este Contra é o único da série que nos dá uma seleção de personagens para escolher: temos Ray Poward, um cara igual aos comandos genéricos que normalmente aparecem em Contra, o que indica que ele deve ser descendente de um deles, Sheena Etranzi, uma gostosa de armadura que prova que mulheres também gostam de meter tiros de M-60 em inimigos, Brad Fang, um lobisomem (?) ciborgue (???) e Browny, um robô baixinho.

Cada personagem tem armamento próprio, o que torna este game muito mais interessante de se jogar depois de terminado.

Isto é, se você terminar.

Contra: Hard Cops é tão insuportavelmente difícil que você provavelmente vai ficar estéril e calvo se conseguir chegar a seu final.

Eu só terminei porque joguei uma versão hackeada que me dava energia infinita.

Ah sim, se puder, jogue a versão japonesa, pois nela os personagens tem um medidor de energia, o que torna o game um pouco menos brutal que na versão americana.

E tente fazer o final secreto! Eu o desafio!

Vamos!!! Não seja covarde!!!!!!!


5° Lugar - Castlevania Bloodlines

Claro que a Konami não ia abdicar de sua exclusividade com a Nintendo e lançar apenas Contra: Hard Cops para o Mega Drive!

Seguindo a premissa de Contra, este game conta uma história totalmente original.

Muito bem, em 1897, Drácula foi devidamente exterminado por Quincy Morris, um descendente dos Belmont. Todo mundo ficou em paz, sem ter de se preocupar novamente com aquele filho da puta chupador de sangue.

Então, estourou a Primeira Guerra Mundial e a Europa se tornou um lugar de trevas, o que permitiu a uma bela jovem de cabelos verdes chamada Elizabeth Bartley (que pode ou não ser a Condessa Elizabeth Báthory ) fazer sacrifícios e rituais e provavelmente orgias para trazer Drácula de volta à vida.

Mas ela não contava com a intromissão de John Morris, Texano sem pescoço que descende do mano que escafedeu com o Drácula e de Eric Lecard, um Espanhol que luta muito bem com uma lança e quer foder com a Condessa por ela ter fodido com sua noiva.

O que segue é o típico game de Castlevania: grandes fases, chefes memoráveis, trilha sonora soberba e telas intragavelmente difíceis próximo ao fim.

E mortes por queda em buracos.

Muitas mortes por queda em buracos.

Muitas...

Um diferencial bacana deste para os outros jogos da série, é que os heróis não estão limitados a explorar Castlevania, o castelo do Drácula, mas sim eles viajam por toda a Europa do começo do século 20, indo desde a Torre de Pisa até uma fábrica de munições na Alemanha.

Uau! Eles devem ter gasto uma fortuna viajando de trem!

Uma coisa que sempre me fez coçar a cabeça é: por que a Konami fez dois personagens tão diferentes?

Eric pode golpear em todas as direções, tem super-pulo e se segurarmos o botão de ataque, ele abre as lâminas de sua lança, o que pode causar um dano extra aos inimigos.

John... pode chicotear para a frente...

Não, sério, o que eles estavam pensando?

E por que a maioria das pessoas prefere jogar com John Morris assim mesmo?

E quem se importa? Eu jogo com Eric e adoro enfiar a lança na Condessa!

...

Você me entendeu.


4° Lugar - Golden Axe

Este é um dos maiores clássicos de todos os tempos, acho que dispensa apresentações.

Todos viviam felizes na terra medieval de Undrogoth (ou podia ser a Terra Média mesmo, até onde eu sei) até o dia em que Death Adder, um sujeito cuja armadura consistia de ombreiras, botas e uma máscara, roubou o MACHADO D'ORO!!!!!!!!!

Aí ele fodeu com todo mundo!

E só três guerreiros poderiam detê-lo!!!!

Gillius Thunderhead, um anão puto da vida que quer foder com todo mundo e que tem o melhor ataque!!! Tyris Flare, uma amazona gostosa e tremendamente durona, que possui a magia mais poderosa!!! E Ax-Battler, que queria muito ser o Conan e tem um bom corte de cabelo.

Os três marcham através da Ciméria (ou seja lá qual for o mundo onde essa história acontece) e enfiam a espada em milhares de meliantes, até finalmente chegarem em Death Adder e poderem foder com ele!

Yeah!!!!!

Depois eles descobriam que quem tava mandando mesmo era um mano chamado Death Bringer, que estava dentro do castelo e era exatamente igual ao Death Adder.

Exceto que ele era verde. Ora... quem diria?

Golden Axe é um beat'em up bastante difícil, pois se perder o foco por um segundo que seja, os inimigos vão te cercar e te currar feito uma piranha banguela!

A Sega lançou duas continuações, Golden Axe II sendo tão bom quanto o original e Golden Axe III sendo bastante diferente, o que o fez ser odiado por muitas pessoas.

Pobre jogo velho...

Golden Axe foi também lançado para o Sega CD o game é praticamente idêntico ao de Mega Drive, mas com gráficos um pouco melhores e som definitivamente superior, afinal era em CD.

Mas por algum motivo bizarro, só podia ser jogado como single player.

Bom, quem precisa de amigos afinal?


3° Lugar - Streets of Rage 2

Agora, isso sim é poder!!!!

O primeiro Streets of Rage era um grande beat'em up! Ótimos personagens, muita ação, grandes chefes, uma trilha sonora foda pra caralho, um carro de polícia que vinha do nada e explodia os inimigos na tela onde quer que a luta estivesse acontecendo e a possibilidade de matar seu amigo ao fim do jogo e se tornar o senhor do crime na cidade!

Que maravilha!

Então a Sega pegou a série, injetou hormônios de testículos de tubarão nela e recebemos Streets of Rage 2!

Não tinhamos mais a ajuda do carro de polícia nem a chance de trair a amizade de nosso colega de batalha, mas tinhamos um game duas vezes mais bonito, mais rápido e com mais meliantes pra se causar fraturas.

Na minha opinião, Streets of Rage 2 representa o auge do Mega Drive, o momento em que a quantidade de jogos bons ainda superava de longe a de jogos ruins, uma era de ouro que nunca acabaria!

Exceto que acabou alguns anos depois.

Bom...

Eu mencionei a trilha sonora e quero falar um pouquinho mais dela.

A música de SoR2 foi toda composta por Yuzo Koshiro e era do tipo que nos fazia deixar o jogo ligado no sound test como trilha sonora de fundo enquanto íamos fazer outra coisa, pelo menos até um de nossos pais entrar no quarto e brigar por deixarmos a tevê e o videogame ligados sem estarmos jogando.

Ora, pais! Eles não entendem nada de sound test!

Minha única reclamação de Streets of Rage 2 é que substituiram o mano pugilista e totalmente badass do game anterior, Adam, por seu irmãozinho caçula patinador de merda, Sammy!

Tá certo que ganhamos a chance de jogar com um verdadeiro caminhão que é o Max, mas mesmo assim, Sammy suck balls!!!

Mas que se dane! Sempre podemos jogar com a Blaze que como a Tyris, é muito durona!

E uma gostosa, caso eu tenha esquecido de mencionar.


2° Lugar - Gunstar Heroes

E aqui temos mais um game da Treasure, e eu nem preciso dizer que é totalmente du caralho, não?

Ok, o game tem duas histórias, uma americana besta e uma japonesa que é considerada a oficial. Estou com muita preguiça de contar as duas aqui, portanto vou simplificar:

Os vilões querem dominar o mundo e você é um menino armado! Mate-os!

Pronto! Viu que simples? Eu devia trabalhar adaptando livros para o cinema!

Enfim, Gunstar Heroes pode ser meio que considerado um filhote de Contra. A ação é similar, onde você corre e metralha tudo que se mexer, mas o jogo é bem menos difícil.

Na verdade, você pode terminar Gunstar Heroes sem que seu corpo consuma seus testículos, coisa impossível de ser feita com qualquer Contra.

Os personagens tem uma gama grande de movimentos aqui e podem escorregar, empurrar e arremessar os inimigos um contra os outros, o que é uma tremenda mão na roda e acaba gerando momentos bastante cômicos.

Além do que, os personagens tem um arsenal muito legal de armas, que incluem um lança chamas, um tiro teleguiado, raio laser e um tiro normal.

Melhor que isso, você podia combinar as armas e ter os atributos de ambas. Por exemplo, podia combinar o fraco tiro normal com o lança chamas de curto alcance e ter um tiro de fogo de longo alcance, ou então combinar o tiro teleguiado com o laser e ter um laser teleguiado.

Claro, dava pra fazer merda também e pegar o laser duas vezes, o que lhe daria uma arma de merda pra usar contra os inimigos.

E vou te dizer, a última fase de Gunstar Heroes é uma das mais criativas que eu já ví! Nosso herói avança pela base inimiga enquanto os chefões assistem seu progresso por um telão e cada vez que o menino chega em um ponto chave da fase, um dos vilões sai da sala e vai enfrentá-lo, enquanto seus colegas continuam assistindo.

Winning Eleven faz isso?

É claro que não!

Gunstar Heroes é um puta jogo! E se você nunca jogou, tenho pena de você e choro por sua alma maculada.

Sério! Este game é melhor que sexo!!!

...

...

...

... acho que eu não devia ter dito isso...


1° Lugar - Phantasy Star IV: The End of Millennium

Phantasy Star é para a Sega o que Final Fantasy foi para o Super Nintendo! Um jogo capaz de arrancar muita grana de seus fãs.

Phantasy Star IV é o final de uma saga. Veja você, os acontecimentos de um game da série sempre tiveram influência sobre suas continuações.

A história do primeiro teve repercussões no segundo, a história do segundo influiu no terceiro e a história do terceiro... não influenciou ninguém pois é o pior jogo da série e ninguém gosta dele.

Phantasy Star IV conta a história de Alys e Chaz, caçadores de recompensas que vão resolver uma treta em uma universidade e acabam envolvidos em uma grande aventura de fantasia que também acaba sendo uma ópera espacial.

Ao mesmo tempo que o mundo dos heróis é sua típica terra medieval, eles também se aventuram pelo espaço em um determinado momento.

E eu juro, Phantasy Star faz isso de forma tão bem feita que não se torna imbecil, o que definitivamente acontece quando alguém coloca naves espaciais em um mundo medieval.
Dungeons & Dragons que o diga!

E é legal ver que os fatos que ocorreram no primeiro Phantasy Star acabam sendo relembrados aqui! A espada mais poderosa da grande heroína do primeiro game acaba sendo a arma suprema de Chaz ao final deste, algo que com certeza foi um deleite para todos os que terminaram o Phantasy Star original.

Aliás, este foi o único Phantasy Star que eu joguei por completo e não me fez falta não conhecer direito os outros. As referências são colocadas de forma a não foderem a vida de quem não acompanhou a série.

Uma jogada muito sábia da Sega, digna da época em que a empresa sabia ganhar dinheiro!

Não tenho muito mais o que falar sem acabar estragando algum trecho do jogo! Se você curte rpg's, vá jogar este game ontem! Ele foi relançado na Sega Genesis Collection pro Play 2 e pro PSP.

Tá vendo? Você não tem desculpa! Se não jogar é porque é uma putinha cheia de gonorréia!!!


E o game Supremo do Mega Drive é: Sonic 2

Definitivamente, o melhor game produzido para o console da Sega! Sem discussão!

Muita gente prefere o Sonic Original ou Sonic 3, mas eu digo que o top de todos ainda é o segundo!

Sonic 2 acrescentou diversas coisas a franquia, como a presença do Tails, fases de bônus em 3D (diferentes das malditas fases giratórias causadoras de epilepsia do game anterior) e o mais importante, foi aqui que descobrimos a herança Saya-Jin de Sonic!

De fato, nem tenho muito mais o que falar de Sonic 2 que já não tenha sido dito.

Só vou acrescentar que por muito tempo, eu pensei que o Tails era uma menina.

É.

E eu não me orgulho disso.

Menções Honrosas


After Burner II

After Burner II é um clássico em seu próprio direito e mais um dos games que a Sega fez o favor de converter dos fliperamas para o Mega Drive.

Você joga como um piloto de F-14 Tomcat (que pode ou não ser o Tom Cruise) e sai metendo bala em uma tonelada de aviões, sejam eles inimigos ou não, por um horizonte infinito até finalmente ser abatido.

E não tinha muito mais a se fazer além disso.

After Burner II é um game muito divertido, mas assim como um filme pornô Húngaro, perde a graça após dez minutos.


Out Run

Out Run também é um clássico e mais uma conversão de arcade.

As pessoas dizem que é um jogo de corrida, mas eu digo que é um jogo de direção. Não é preciso ultrapassar ninguém obrigatoriamente, só é necessário dirigir muito bem para chegar ao fim do percurso, impressionar a namorada e ganhar um boquete dela depois que se parar o carro.

Infelizmente, Out Run sofre do mesmo mal que After Burner II e depois de algumas jogadas, você já tá de saco cheio.

Mas tenho de dizer, tem uma puta trilha sonora!


Ghostbusters

Quem você vai chamar?

Para a molecada que passou a infância tentando decifrar os abomináveis games dos Caça Fantasmas para Nintendo 8 Bits, a versão do Mega Drive foi uma lufada de ar fresco! Com jogabilidade side-scroller, fases diversificadas e a possibilidade de meter chumbo na boca do Stay Puft.

Infelizmente, não se tornou um game tão memorável quanto os outros da lista.

E não tem o Winston.

Os caras que programaram o jogo são racistas, por acaso? Me dêem o Winston, seus arianos nazistas chupadores de pica!!!


Buck Rogers: Countdown to Doomsday

Buck Rogers é um rpg estratégico excelente e com uma dose de exploração espacial tão grande pra época, que ele pode ser considerao o avô de Mass Effect.

E uau, sua jogabilidade era muito profunda na época. Seu manual de instruções tinha 84 páginas.
84 malditas páginas.

O único problema deste game é que ele era horrendamente feio. Tão feio que eu optei por colocar uma das cenas de intermissão aqui, pois se tivesse usado uma imagem do jogo, nunca mais poderia sair de casa, com medo de linchamentos.

E verdade seja dita, uma vez terminado, não havia muitos motivos para se jogar de novo.


World of Illusion

Não vou mentir, World of Illusion é um jogo lindo e emocionante, mas há um limite pro tanto de Mickey e Donald que um console aguenta e quando este game foi lançado, ele já tinha estourado.

Mas ainda é divertido ouvir o Mickey pigarreando "Alakazam" por causa da limitada capacidade pra voz digitalizada que o Mega tinha.


Beyond Oasis

Muita gente é apaixonada por este game, que é uma aventura ao melhor estilo Zelda.

Após uma sessão de jogatina, cheguei a conclusão de Beyond Oasis é de fato um excelente game, se for jogado em 1994.

É, infelizmente este é um título que envelheceu mal.

Portanto, a menos que você consiga fazer seu capacitor de fluxo funcionar, é capaz de achar este game um saco.


Shining Force

Eis mais um jogo amado por muita gente, o rpg estratégico que mostra cutscenes toda vez que se ataca um inimigo.

Novamente, este é um título que pode ser melhor aproveitado se jogado na época de seu lançamento. Hoje o impacto foi perdido.

Mas pode ser que a história cative, por que não? Eu não tentei jogar, faça isso você e depois me conte.


Rocket Knight Adventures

Este foi mais um dos games que a Konami lançou para o Mega assim que quebrou sua exclusividade com a Nintendo e foi bem badalado na época.

Aqui temos um gambazinho de armadura com turbina que enfrenta um exército de suínos.

É...

Rocket é um game bem bonitinho e bastante divertido, embora não seja a melhor coisa qe a Konami já fez.

E quando a primeira fase de um jogo é difícil até mesmo no nível de dificuldade "Peter Griffin", então temos um problema.

E é isso! Estes são os melhores games de Mega Drive na minha opinião! Se discordarem, me digam quais games vocês colocariam em uma lista.

E talvez você esteja se perguntando: "Amer, essa lista é muito legal, mas e quanto ao Super Nintendo?"

Querem que eu enumere os melhores games do Super Nintendo também?

...

... no próximo artigo.

Cheers!!!

49 comentários:

Rodrigo disse...

Primeiro a comentar...

Amer, mais uma vez seu artigo está muito bom! Parabéns!

Eu tive um Mega Drive, foi o primeiro videogame novo (leia-se: não era usado qdo eu ganhei) e me diverti muito, mas muito mesmo com ele. Mega Drive I, japonês, com o cartucho do Sonic. Inesquecível!

Rodrigo disse...

A lista está muito boa, mas falta o maravilhoso Top Gear 2 e o cômico Earthworm Jim! Ah, vc se lembra do Alex Kidd? E do Ayrton Senna's Super Monaco GP? E, claro: Virtua Racing - perfeito, os pneus quadrados mais lindos da história dos games!

Fabiano disse...

É mesmo! Faltaram "Super Mônaco GP" e "Virtua Racing"!
Eu também ganhei o Mega-Drive de "importabando"! Ah, em tempo: meus favoritos eram "Veritex" e "Granada"! Mas, sim, joguei "Altered Beast", "Golden Axe", "Castle of Illusion",...
Bons tempos! Que saudade!...
:_)

Amer H. disse...

Bom, eu não gosto muito de games de corrida, então...

E Earthworm Jim era melhor no Sega CD.

E... eu não gosto muito de games de corrida.

E é isso.

E sou uma putinha as vezes, eu sei.

Fábio Catena disse...

O DOnald usa toalha pra naõ molhar o tapete da sala, pq penas de patos nao absorvem a agua, eu acho...

Mas se nao absorverem, epleo menos ele nao molha a casa inteira rsrsrsr

Essa discussão saiu ontem no estúdio e foi engraçada!

parabéns pelo blog, a gente sempre lê e se diverte!!!!

Amer H. disse...

Faz sentido! De verdade!!!

Thanks!!!

Nicholle disse...

Amer... Se você listar os games mais célebres do Super Nintendo, eu serei uma pessoa mais feliz e vou montar um altar pra você na minha casa, ao lado do altar onde eu rezo para Darth Vader...

Ah sim, o artigo está muito divertido, apesar de eu não ser familiarizada com o Mega Drive, mas foi educativo!

Beijo ;*

Marcelo disse...

Valeu Amer, mais um artigo muito bem feito. Joguei muito Mega drive, quando comprei um tal de Multi Mega CDX que era a mistura de mega drive com sega cd. Meus favoritos eram Yu Yu Hakusho 2, que na minha opinião era bem melhor que o do Super Nes, contra Hardcorps, Comix zone e outros, claro não posso esqueçer o saudoso Streets of Rage. Faltou vc comentar a fase do elevador onde se podiam atirar os vagabundos. Quem não gosta de uma fase de elevador em um Beat'n up é uma puta relaxada. Se for fazer uma matéria sobre jogos de super nintendo, não se esqueça de mencionar um jogo chamado Mutant Chronicles, é muito bom e divertido, ao estilo Contra.Achei sua lista perfeita, mas se fez dos melhores games não esqueça dos piores de cada console pois seus comentários são engraçados pra caralho.
Valeu

Jersica Paes disse...

Faltou menção honrosa pro Kabuki... adorava!!!! Vale ressaltr que eu ainda tenho o meu :)

Amer H. disse...

Thanks a bunch, pessoas!

Os piores games também serão mencionados eventualmente, não tema!

Mutant Chronicles e Kabuki? Não me lembro desses, vou checar nos meus emuladores depois.

Cheers!

Nanda disse...

Ahhhh, eu quase chorei quando li o título do post!

Mega Drive foi meu segundo videogame, depois do Master System (que aliás era ótemo porque vinha com o Sonic gravado na memória!!! E aí vc colocava o cartucho de algum outro jogo e plim! tocava a musiquinha do Sonic!! Só quem teve um Master System lembra dessa sensação! ahhahahahahah!)

Eu adorava o Mega Drive! Adorava os jogos! Joguei quase todos os que vc citou nessa lista! E eu preferia World of Illusion do que os outros dois citados (adoraaava a fase dos doces! ahahha). E fiquei nostálgica de lembrar do Moonwalker!! Era o máximo matar todo mundo só dançando! Mas o mais legal era no fim das fases, que ele gritava (eu, sendo o player 2 cor de rosa, sempre ganhava "wow" mais curtos que meu irmão, que levava uns "woooooooooooooow".. era frustrante)...

Awww, se eu for comentar dos jogos eu fico até amanhã escrevendo o comentário! Golden Axe!! Eu SEMPRE caía das fases... E detestava aqueles duendes/gnomos que vc tinha que chutar pra pegar magia e energia! ahhahahaha!

Mas senti falta de Kid Chameleon, um dos jogos mais enormes (e difíceis!) que já vi... E Sonic e Knuckles! Que o cartucho era aberto em cima, e tinha como associar outros cartuchos do Sonic!! Era o MÁXIMO! Eu só passei da fase do circo em Sonic 3 porque usei o Knuckles (hahaha trapaceira!).

Bom, mas é isso! Emocionadíssima com esse post! Adorei! Relembrei minha infância! hahaah!

Se cuida, moço! Uma ótima semana!!
Beijo!

Nanda disse...

Ah! E eu esqueci de comentar!

Realmente as fases bônus do Sonic 2 são as melhores! As dos Sonic 1 eram terríveis!!

Agora.. Eu sempre detestei a fase Metropolis do Sonic 2... Porque eu sempre me esmagava naqueles parafusos gigantes! Ou então SEMPRE tinha uma daquelas estrelinhas malignas pra explodir quando eu tava lááááá no alto, SEM argolas! Traumático!

Rodrigo Jeferson Damasceno disse...

Amer, e quanto a ToeJam & Earl, adorava esse jogo apesar de ser muito dificil, foi um dos jogos que fiz questão de chegar ao fim quando arrumei o emulador do mega, otima lista

Amer H. disse...

Obrigado pelos comentários, meus queridos! E agora vamos à explicação das ausências!

Kid Chameleon era um jogo revolucionário, admito, mas o fato de ter mais de 100 fases, sem password ou sistema de save o tornava um game frustrante. Honestamente, games tem de divertir e não se tornar frustrantes.

Tá certo que Contra e Castlevania não são exatamente fáceis, mas você pode terminá-los de uma sentada depois que ficar bom o suficiente.

Quanto a ToeJam & Earl, sofria do mesmo mal de Kid Chameleon, que era se tornar muito frustrante. Se bem que não é impossível que eu o coloque como uma menção honrosa mais pra frente.

E sim, as fases mais avançadas do Sonic tinham a capacidade de nos fazer implodir em chamas...

Cheers!

Nanda disse...

ToeJam & Earl!!!

Owww, era bom demais!! Um dos jogos mais divertidos e engraçados!
Não sei... Eu sempre joguei com meu irmão, então talvez por isso nunca foi um jogo frustrante pra mim! Era o máximo a tela se dividir, e cada um dos players jogar a sua parte!! A não ser quando um dos dois caía de fase, justo quando o outro achava o elevador...
(imagino que jogar sozinho aquele mundo de fases devia cansar... E sem um método de salvar é complexo)

Mas era legal demais! Particularmente, eu tinha PÂNICO do caminhão de sorvete e o dentista cismava em aparecer sempre na tela do meu irmão. Mas tinham as abelhas (malditas abelhas!!), e as dançarinas de hula! ahahhaha!

Rodrigo foi felicíssimo lembrando desse jogo!

Falou ae!!

Rodrigo disse...

Amer, voce esqueceu definitivamente da série Road Rash, mesmo que não goste de jogos de corrida, esse era foda demais.

Edson disse...

Amer

Não acredito que você não conseguiu terminar Comix Zone! Você vive citando o final de jogos muito mais difíceis que esse! Até EU, que sou um completo MANÉ, consegui finalizá-lo! hahahah!!

E um detalhe legal sobre o jogo é que ele possui dois finais: dependendo do seu desempenho, você pode ser transportado de volta ao mundo real sozinho OU com a gostosa da HQ. Demais! :D

XXX disse...

Hammer sua puta louco faltou:

Batman do filme
Kid Chamaleon
Senna Monaco GP
Kabuki
Road Rash
e outros...

Vai tomar no olho do teu cú






















sim ainda te amo

Smile Time disse...

Buck Rogers: Countdown to Doomsday
Shadowrun
Phantasy Star IV: The End of Millennium

Desses 3 rpgs me orgulho de ter zerado 2, Buck Roger eu joguei quando era muito novo, talvez seja o caso de dar uma revisitada.

joão disse...

Cadê o Flashback ?
Vlw.

Amer H. disse...

Havia uma versão de Flashback que era superior a do Mega. Só não me lembro se era a do Super Nes ou Sega CD.

Ou se chegou a sair pro Sega CD, preciso averiguar isso.

Felipe disse...

Pra minha lista falta:
King´s Bounty(iniciou a série Heroes pra PC)
FatMan (não era tão bom, mas merecia uma menção honrosa)

Rodrigo disse...

Sem contar com o Boogerman... aquilo era hilário: matar os inimigos arrotando e peidando!

BAH disse...

O Genesis/Mega Drive foi lançado meio que num período de transição para mim. Eu ainda adorava o meu nintendinho (leia-se Phantom System) e quando comecei a cogitar um 16-Bits, parti logo para o Super Nes.

Ocasionalmente pegava um Mega Drive emprestado com um amigo por causa de alguns jogos em especial (Strider, Growl, Flashback, X-Men, Shadow of the Beast, The Immortal entre outros).

Da listagem do post, pelo menos metade acabou sendo ignorada por mim. Provavelmente numa lista de Super Nes poderei fazer comentários mais relevantes.

PS: Um jogo de Mega Drive que me surpreendeu na primeira vez que eu vi uma foto dele (numa Ação Games da vida) foi "Lakers vs. Celtics". Para a época, o gráfico era espetacular.

Marcelo disse...

Amer, gostaria de pedir uma lista de jogos de Neo Geo (Fliperama como The king of Fighters, Art of Fighting, Real Bout Fatal Fury e outros que na minha humilde opnião foi a era de ouro dos Arcades.
Um forte abraço

Amer H. disse...

Uma lista de games de Neo Geo é uma boa, mas como o como o melhor que o console tinha a oferecer eram os games de luta, vou fazer uma lista com os melhores games do gênero, sejam da SNK ou não.

Aliás, deixa explicar uma cois: quando faço minhas listas, eu tento colocar um só jogo por franquia.

Um único Sonic, um único SHinobi e por aí vai.

Se tem uma coisa que eu detesto são aquelas listas que o sujeito coloca uma franquia inteira.

Por exemplo "Os melhores games de ação" e o cara coloca Gta III, Vice City, San Andreas e GTA IV nas quatro primeiras colocações.

Por isso mencionei só Sonic 2 e quando chegar a hora, somente UM game da franquia Street Fighter entrará na lista...

Aguardem...

Eder disse...

Realmente,

O Amer é um dos maiores FDPs do mundo, e sem este blog minha vida faria menos sentido (sim, minha vida vale pouco).

Post muito foda.

Sem contar que me senti menos sozinho quando descobri que mais alguém imaginava que Buzz, Kato e Ty eram desempregados.

Mandou bem de novo.

fellipe disse...

oi amer
eu sei que provavelmente vai me xingar por isso mas
adivinha(charada)


o que anda para traz, muda de cor e come criança?

hauhauha

foi mal,
gostei do artigo ;)

Amer H. disse...

Obrigado, man! Você também é um FDP!

E tudo bem... sei que nem todos entendem a complexidade dos poderes de Michael Jackson...

Marcelo disse...

Cara, só faltou kid chameleon na minha opinião, e eu não acho frustrante, acho um jogo aprisionador de almas, aonde passamos uma tarde inteira jogando pra perdermos as vidas antes de terminar, o que nos motiva a termos um melhor desempenho na próxima tarde que iremos perder... hehehe

e mais, no sega genesis collection, tem save a qualquer momento... u.u'

cara, nunca tinha comentado aqui, mas me obriguei com esse post, muito legal, parabéns pelo blog...

abração

Amer H. disse...

Ok... Sega Genesis ollection tem save... de fato...

MAS!!!!!

Fiz esta lista com base nos recursos da época! E em seu lançamento original, Kid Chameleon fez muitas crianças se tornarem nazistas e adoradoras de Satã!

Sim! Pois é, pois é, pois é!

Tiago R. Lima "Mad Max" Andrade disse...

Putz, que saudade do meu Mega e das noitadas de UMK3...

E.F disse...

Ohh mega drive!

Férias e férias sendo escravo do mega drive, uahauaha... xP

aMt disse...

wow!!!

Belo artigo! Mas faltou alguns (sou puta mesmo) ^^

California Games é o mais importante dentre esses.

Foram horas e horas tentando pegar aquela moto com a bmx!


Deu até vontade de desenterrar meu MD do fundo do armário, e tentar zerar sonic de novo!
--

Bruno disse...

eu também gostava de road rash^^

Renver disse...

Sempre tivemos toneladas de games do Aranha, mas posso afirmar com 100% de certeza que este foi um dos primeiros títulos decentes dele.

Cara esse game é melhor que muitas das versões do GBA!!!!


game fantástico que dificilmente você fecharia na primeira sem revista e pra acertara ordem dos cartões da bomba eim??????

Renver disse...

Yuyu Hakusho - Sunset Fighters

Um dos melhores jogos de luta da era 16 bits!!!!!

Júnior disse...

tem um jogo do mega-drive que não lembro o nome, era de luta que no final o lutador terminava rico ou pobre, se alguem souber o nome eu agradeço

Abacatekid disse...

Acredito que os jogos do mega são quase todos memoráveis, mas sua lista está perfeita, principalmente com o ga me supremo Sonic 2.
Cara vc tá de parabéns

MENINO disse...

Cadê Ranger X?

Pablo Augusto disse...

Amer, primeira vez que entro no seu blog (ui!) Gostei do modo que escreve (e tb descreve). Procurei no google sobre os melhores games do Megadrive pois comprei um Dingoo A-320 da DYNACOM para mim, joguei alguns games do M.D. (até tive) mas como baixei 1.074 roms fiquei meio que perdido!Já coloquei mais de 50 roms no meu player de games móvel!Valeu pelas dicas!
Agora deixo a minha: Faltou Insector X (jodo dificil do caralho!Esse sim quem não jogou é PUTINHA EXTREME!) Fica a dica! Bjundas
Todi

Luis disse...

ta bom esse artigo, mas falto mencionar o Road Rush, side poket, mortal kombat(que revolucionou),entre outros.

Garlock disse...

Cara, me fez relembrar uma das melhores fases das minhas férias escolares, quando eu ia pra casa da minha prima e jogávamos Mortal Kombat 2 até ficarmos enjoados de tanta pancadaria. Isso no Mega mesmo! Nem sonhava em ver um SNES de perto! Depois partíamos pra um Streets of Rage e (como nem tudo é perfeito) encerrávamos a tarde de jogatina com um joguinho imundo da "Pequena Sereia" (era o Mega da miha prima, ia dizer o quê??). Mas era bom. Pelo menos eu conheci o horror de VR Troopers no MEga na casa de um amigo meu...

Caetano disse...

grande artigo.
mas, acerca do Mickey, está escrito:
"Só pra se ter idéia, em uma das fases era preciso matar com bundadas uma serpente marinha gigante que emergia de um oceano de leite e em um local onde o camundongo só podia se equilibrar sobre minúsculas plataformas de açúcar."

Nossa, isso soa BEM gay.
xDDD

Abdul Rafay disse...

Olá querida, seu blog é realmente muito interessante... contém informações grandes e únicas. Gostei muito de visitar seu blog. É simplesmente fantástico... Muito obrigado

jogos mario online

Tales Viana disse...

Mas cadê Mortal Kombat 3? Estou sendo humilhado agora. Meu jogo prferido ñ está ai :(

carlos ballack disse...

A sua lista é até boa e tals...mas faltam alguns jogos.
E pera aí... o Super Nintendo é mais potente que o Mega Drive em quê? Fora algumas fitas que saíram com um chip especial o super Nintendo tinha a metade ( SIM A METADE ) do processamento do Mega Drive. O único motivo do Mega não ter lançado cartuchos com chips foi pq a Sega já estava investindo no Saturn na época.

silasjr disse...

eu gostava do Sonic 3, Shinoby 3 e um que faltou ae q é o Kid Chameleon q tinha 10000 fases diferentes

Titio Evans disse...

Shining Force II é bem superior ao primeiro, os gráficos são mais bonitos, a história tem personagens carismáticos, diferente dos "sem-reação" que aparecem no primeiro jogo. A jogabilidade é praticamente a mesma, mas, continua ótima.