sábado, 8 de dezembro de 2018

Mês das Festas: Mais brinquedos péssimos dos Tartarugas Ninjas


E chegamos em dezembro! Mês das Festas!

Natal!

Hanucá!

Chocotone!

Dia do “Querida, vamos fazer sem camisinha hoje?” e “Não, foi isso que causou meus dois últimos abortos.”

Ah sim...

E que melhor maneira de passar este mês do que falando de coi... Eu já faço isso há dez anos, porque estou introduzindo o conceito deste mês pra vocês?

OK, VAMOS FALAR DE COISAS FESTIVAS!!!

A COMEÇAR POR BRINQUEDOS!!!

PORQUE DEZEMBRO É UMA EXCELENTE DESCULPA PARA UM HOMEM DE 40 ANOS PASSAR HORAS ESCREVENDO SOBRE OS BRINQUEDOS QUE NÃO TEVE!!!

Agora, se vocês se leram de meu artigo anterior sobre Péssimos brinquedos dos Tartarugas, devem lembrar do trágico rumo que a vida de April O’Neil tomou. Ela sofreu violência sexual no trabalho, perdeu o emprego no Canal 6, foi forçada a entrar na prostituição, e acabou numa penitenciária feminina após matar duas damas da noite com a qual disputava território.

Como a cereja do bolo, sua melhor amiga Irma e seu namorado Casey Jones, iniciaram um caso enquanto ela estava atrás das grades. Romance que terminou de forma trágica, quando em uma crise de ciúmes, a ex-melhor amiga de April matou o Chadão mascarado e ateou fogo ao próprio apartamento, perdendo a própria vida no processo.

E como a Nutella na cereja do bolo, April descobriu que as Meninas-Super Poderosas espancaram Raphael até a morte, após um mal entendido de exibicionismo.

Vingança era tudo que restava na mente de April neste momento.

Sério, eu só crio roteiros dignos de Emmy com meus brinquedos.

Agora, dois anos depois, os tartarugas tem de lidar com o trauma das perdas, cada um a sua maneira...


Michelangelo DJ das estrelas

Mike sempre foi o mais artístico dentre seus irmãos... E por “artístico”, entenda-se: Vagabundo que quer ter fama, fortuna e adulação fazendo mínimo possível de esforço.

Sendo ele nova iorquino e branco... Verde... Mike decidiu que o melhor caminho para o sucesso era se tornar DJ, girar discos em festas de celebridades e berrar “MACAROOOOOON” em um microfone, enquanto finge que tem alguma aptidão musical, e os convidados fingem que aquilo que ele fazia era música e não estupro auditivo.

Deu certo pro Jaguar Skills.

Assim, ele comprou todo o equipamento necessário (rapelando o fundo de garantia do Splinter, claro) e iniciou sua carreira musical. Após um começo difícil, onde tocou apenas em festas povoadas por brinquedos cristãos e/ou piratas, e a humilhante rave dos S.O.S Comandos, que foi frequentada apenas por outras linhas de brinquedos esquecidas dos anos 1980, Mike acertou na loteria, ao ser convidado para trabalhar na despedida de solteiro do Luke Skywalker.

E lá foi ele, tocar no playset da balsa do Jabba, e todos os bonecos mais pimpões do mundo estavam no local: He-Man, Duke dos G. Joe, Bumblebee, que hoje é astro de cinema... E a stripper convidada era a Draculaura, que precisava de alguma forma pagar o débito estudantil que contraiu na Monster High.

Foi a noite que a lenda de Mike se iniciou. A nata dos brinquedos viu seu trabalho e fez questão de guardar seu nome. Logo ele estava tocando nas baladas mais quentes, do Castelo de Grayskull até a Sala da Justiça. Sua conta bancária saltou, da noite para o dia, para um número de sete dígitos e ele vivia como um rei.

Nosso herói comprou os escombros do Tecnódromo e transformou na maior jacuzzi do mundo, que ele constantemente dividia com a Draculaura, de quem tornou-se cliente preferencial. Não apenas isso, ele contratou a Jem e as Hologramas como maids, que por motivos religiosos, vestem apenas aventais enquanto limpam a casa.

Quanto ao fundo de garantia do Splinter, Mike jogou o rato em um asilo assim que lhe foi cobrado o empréstimo, e ele pagou um extra pros Terminators que trabalham como enfermeiros do local enfiarem a porrada no velho sempre que ele perguntar de seu dinheiro.

Sim, sim. A vida ia muito bem para Mike. De tartarugo que foi deixado cair de cabeça enquanto era um ovo, para o maior sucesso das pistas de dança da década.

Infelizmente, como a ereção do Sílvio Santos, tudo que sobe tem de descer.

Foi em uma festa na Toca dos Gatos, para celebrar os dezoito anos do rei Lion. Todos os brinquedos estavam presentes, do Godzilla ao Líder Optimus, e até mesmo algumas linhas pouco populares foram convidadas, como Galaxy Rangers e M.A.S.K. Tudo correu bem até a meia noite, quando Mike disse que precisava usar o banheiro e deixou seu equipamento aos cuidados do Ben 10. Passados 40 minutos, Mike ainda não retornara a sua função, o que deixou os demais bonecos preocupados com sua ausência.

Imediatamente, Aquaman reuniu um grupo de busca, que saiu a procura do DJ. Para o horror de todos, ele foi encontrado no Thundertank, inconsciente, ao lado de uma imóvel Wilykit.

Os Droids médicos de Star Wars nada puderam fazer, pois a jovem já se encontrava sem vida. Uma overdose de álcool e anfetaminas, dada a ela por Mike minutos antes, foi a causa da morte. Mahoney e Tackleberry foram chamados ao local e rapidamente levaram o DJ embora.

Nos meses que seguiram, o julgamento de Mike tornou-se o assunto mais debatido do país. Seus irmãos o deserdaram, jogaram todas as suas coisas fora e passaram a agir como se ele nunca tivesse existido, o tartarugo foi julgado por um boneco do Brock Lesnar, o que diminuiu muito suas chances de inocência, e sua única defesa ao ouvir as acusações de sedução e homicídio de menor foi: “ELA TINHA CATORZE ANOS DESDE OS ANOS 80, CARA!”

Mike foi declarado culpado, sentenciado a trinta anos de prisão e enviado para a penitenciária de bonecos do quarto do Syd, onde passou a ser molestado pelo Esquadrão Marte todas as noites.

Michelangelo foi encontrado enforcado em sua cela, no dia 7 de dezembro de 2018.

Ele tinha 38 anos.


Leonardo apropriador cultural

Após a morte de Raph, Mike e o confinamento de Splinter em um asilo, Leo decidiu que todo esse papo de “ninjitsu” nada mais era do que uma fantasia adolescente que há muito havia passado de seu prazo de validade. Como ser jornalista de games.

Assim, ele deixou tudo para trás e decidiu que era hora de arrumar um emprego. Ter carteira assinada, uma carreira, se organizar o suficiente para ter uma família e filhos... Agora que o Raph estava morto, a Mona Lisa era solteira... Quem sabe?

Infelizmente, Leo tinha ainda menos educação formal que uma aluna de Monster High... e Já vimos o fim que a Draculaura levou. Tudo que o ex-líder dos tartarugos sabe fazer é arremessar shurikens, fatiar robôs, ter lutas não letais com seus arqui inimigos, permitindo que retornem na semana seguinte para ameaçar o mundo mais uma vez e bater boca com o Raphael sobre assuntos inconsequentes, como quem tem a melhor bunda: Shia LaBeouf ou Tom Holland. Nenhuma destas habilidades tem um uso prático no mercado formal de trabalho, e logo nosso herói se viu no mato sem cachorro.

Desesperado, com contas acumulando e tomando para si a responsabilidade de sustentar a todos (incluindo a Mona Lisa, pra quem ele agora estava pagando as parcelas de um apartamento novo), Leo abandonou a dignidade e foi trabalhar como animador de festa infantil.

Ao lado de Ronald McDonald, uma Ravena sem articulações, uma Pucca sem baterias que não acendia mais os olhos e outra dezena de brinquedos genéricos doados com o McLanche Feliz, Leonardo conheceu a dura vida do proletariado. Acordando as cinco da manhã todos os dias, trabalhando dez horas e recebendo uma pipoca como pagamento ao fim do mês, Leo tornou-se amargo e depressivo. Nem mesmo o sorriso das crianças de LEGO o animava mais, pois ele sabia que a expressão de alegria era acompanhada de chutes no saco e deboches vindos dos pequenos malfeitores.

Em seus momentos mais sombrios, o antigo líder dos tartarugas amaldiçoou Splinter e sua insistência em treiná-lo e a seus irmãos para serem ninjas. Por que não os estimulou a serem advogados, médicos, críticos de comida no YouTube ou algo de valor na sociedade? Mas não, o ego do velho os fez serem proficientes em uma arte milenar japonesa que já havia saído de moda há pelo menos 400 anos em seu país de origem.

E para piorar ainda mais as coisas, Leo tornou-se o centro de uma polêmica, quando um dia, ao decidir ir já travestido como índio para o trabalho, foi acusado de “apropriação cultural” pela Fluttershy, que o fotografou no ônibus e estampou sua cara no Facebook. O posto viralizou, foi compartilhado mais de 100 mil vezes, Leo foi acusado de “racismo”, “privilégio branco”, teve sua identidade atacada pela “Associação das Barbies Brancas que Defendem os Direitos das Minorias Étnicas Mas Que Nunca se Envolveriam Romanticamente com um Membro das Ditas Minorias”, perdeu seu emprego junto aos outros brinquedos e viu a vida que a tanto custo tentou construir, se esvair por entre seus quatro dedos.

Implodido e defenestrado, Leo voltou pra casa, onde encontrou apenas um bilhete de Donatello onde estava escrito “foda-se essa merda, cara”. Agora, implodido, defenestrado e magoado, nada restava a Leo, exceto encher a cara e arrumar brigas por aí. Se Splinter o treinara para lutar... Então é o que ele faria até o fim de seus dias.

Com um desejo suicida capaz de rivalizar com o de Mike durante as penetrações anais que lhe foram impostas na prisão, Leo vagou por entre os bares da cidade, bebendo álcool em gel (tudo que seus trocados lhe permitiam consumir) e descendo a porrada em qualquer boneco que o olhasse engraçado. Kamen Rider da Glasslite, os Super Sumôs e o Arqueiro da She-Ra foram apenas algumas de suas vítimas, enquanto o desonrado guerreiro afundava cada vez mais no abismo.

Uma noite, enquanto procurava o Kissyfur para lhe ensinar uma lição, nosso herói passou por uma igreja batista, de onde ecoava uma voz angelical. Era a Mãe biônica, que cantava em glória a Jesus. Leo adentrou a igreja e caiu em prantos, assustando os outros brinquedos com seu cheiro de vômito, sangue e cera de ouvido. Mãe Biônica não se assustou diante de tal visão, ela ofereceu a mão ao guerreiro e deu-lhe a chance de recomeçar sua vida e pela primeira vez em muito tempo, o ex-líder dos Tartarugos sentiu esperança.

Leo foi batizado na igreja e tornou-se um cristão. Ele passou a pregar o evangelho e a palavra de Cristo. Em um espaço de cinco anos, Leo tornou-se um dos palestrantes mais requisitados da comunidade cristã, falando abertamente contra o terrível vício da pizza, que o acompanhou por tantos anos. Ele se casou com a Roqueira, e com ela adotou Tokka e Rahzar, que comeram metade da congregação na primeira chance que tiveram.

Leonardo hoje é deputado federal e apoia o porte de armas pelos cidadãos de bem.


Donatello fazendeiro de frangos

Don sempre foi o mais inteligente e sensível de seus irmãos, e sempre aquele que consertava as cagadas dos mesmos.

Quando Mike explodia a cozinha porque resolvia assar uma pizza com a mochila protônica roubada da coleção dos Caça-Fantasmas, era ele quem limpava tudo e removia os traços de radiação do aposento.

Quando Leo iniciava um debate sobre “honra” com o Tygra, e passava o dia ocupando o Facebook por se negar a ceder em um debate ideológico de rede social, era ele quem desligava a internet e bloqueava o acesso do Leo a rede do Zuckerberg para que os demais pudessem usufruir do computador também.

Quando Raph acidentalmente espancava um boneco da linha do Ben 10 até a morte (e sejamos francos, quem nunca fez isso?) era ele quem encontrava o corpo, jogava na fenda do Rei Rato e deixava que o tempo se incumbisse de eliminar todas as provas.

Não mais.

O suicídio de Mike e a morte trágica de Raph foram as gotas de sêmen que transbordaram o copo de coleta da clínica de fertilização artificial.

Assim, Don esperou o Leo sair para o trabalho um dia, arrumou todos os seus pertences (que incluíam um ferro de solda e uma Revista Sexy com uma ex-BBB que ele nem lembrava mais quem era) e foi-se embora dos esgotos, para nunca mais voltar.

Com os dois dinheiros do Banco Imobiliário que tinha no bolso, Don comprou uma passagem de avião (daqueles aviões de brinquedo genéricos que criança ganha em aeroporto) e afastou-se de Nova Iorque para sempre. Seu destino: Alabama.

Ao chegar à faixa rural dos EUA, o mais intelectual dos Tortugas buscou emprego. Logo, ele descobriu que a fazenda do Bob precisava de ajuda.

Sim, o Bob.

O assistente do Coringa no Batman do Tim Burton.


E este boneco agora precisava de ajuda para com sua fazenda de frangos de LEGO. Bob aprendeu a duras penas (trocadilho involuntário) que não podia deixar frangos sob os cuidados dos Playmobils... Aqueles malditos Playmobils e suas mãos sem dedos, que vinham pro seu país roubar suas mulheres...

Apesar de não concordar muito com as políticas de seu novo patrão, Don aceitou o emprego. Com seu intelecto superior, ele reprogramou todos os robôs Brainiac da coleção Super Powers que encontrou, além do Roboto, o amigo cibernético do He-Man e os colocou para trabalhar. Como os robôs não precisavam dormir ou comer, a produtividade da fazenda aumentou em 200%. Bob não cabia em si de tanta felicidade e promoveu Don a seu braço direito.

Tudo correu muito bem por alguns meses, até que um dia, Bob percebeu um grupo de manifestantes na entrada de sua fazenda. Era um grupo liderado pelo Data, da coleção de Star trek, acompanhado por C3P-0, R2-D2, os Cylons, um Dalek, o Eva-01 e um Gundam, todos carregando cartazes em oposição a escravidão robótica.

Bob, sulista que só ele, sacou uma espingarda, gritou “SAIA DA MINHA POPREDADE, SEU CRIOULO DAS MECÂNICAS” e meteu um tiro no bucho de Data... Que nada sofreu, pois era um androide construído para aguentar até explosões nucleares. Uma espingarda de lixo branco nada poderia contra ele.

Data apenas declarou que voltaria no dia seguinte, com repórteres, e que a maldade de Bob logo teria fim. Naquela noite, Bob e Don discutiram o que deveriam fazer e o tartarugo convenceu o velho gangster que o melhor seria que eles falassem com os repórteres e dessem sua versão da história. Se fossem honestos, os brinquedos da América logo os entenderiam e lhes dariam razão. Relutantemente, Bob concordou.

Data cumpriu sua promessa e no dia seguinte, havia um batalhão de bonecas de pano genéricas com caixas de sapato fazendo as vezes de câmeras no local: Era a imprensa, que como um bando de abutres sobrevoando uma carcaça recém abandonada, não abandonaria a oportunidade de reportar um furo.

Bob, nervoso, fez menção de falar aos microfones, mas foi impedido por Don, que tomou a dianteira e decidiu falar em seu lugar. As câmeras apontadas para seu rosto, Data e demais robôs o julgando, Don logo começou a falar... E declarou que a ideia de escravizar os robôs foi toda de Bob, que ele tentou impedi-lo sabendo que era imoral, mas Bob ameaçou matá-lo e estuprá-lo se o fizesse e que como não tinha outro lugar para ir, teve de aceitar as condições impostas por seu algoz. Ele caiu de joelhos e implorou o perdão de todos... Foi quando Bob gritou: “SEU MARCIANO TRAIDEIRO DE UMA FIGA”, sacou sua espingarda, apontou-a para a cabeça de Don... Mas foi prontamente alvejado por Buzz e Woody, que estavam fazendo a segurança do local e o cravaram de balas e lasers, em plena rede nacional.

Com o mundo o assistindo, Don revela que havia um documento que o colocaria como dono da fazenda caso algo acontecesse a Bob (ele só não contou que havia forjado tal documento na noite anterior, minutos após a conversa que teve com seu antigo patrão), e que agora que tudo alí lhe pertencia, ele libertaria os robôs e em serviço de reparação histórica, lhes pagaria tudo que devia em dinheiro atrasado.

Donatello foi enaltecido como um abolicionista, brinquedo do ano, o bilionário que se fez sozinho e lutava pelas minorias robóticas.

Ele também manteve sua promessa. Reprogramou todos os seus empregados para que tivessem livre arbítrio, lhes pagou reparações e lhes deu um salário, até contratou mega Man e Roll como capatazes, para mostrar o quanto se importava com a causa robótica.

De fato, ele transformou Mega Man em seu braço direito e Assessor de Imprensa, trabalho que o mantinha constantemente ocupado, representando a Fazenda do Donnie, como um lugar onde robôs eram tratados com tanta dignidade quanto qualquer outro brinquedo.

Rico, bem sucedido e amado por todos, Donatello se aposentou e passou a usar sua vasta fortuna para o avanço das pesquisas científicas. Ele passava muito tempo em sua fazenda, curtindo os prazeres simples do campo.

Uma existência pacífica, mas que as vezes se tornava solitária.

Felizmente, Roll nunca saia em viagem... E sabia ficar de bico calado...


Harvey Weinstein Mutagênico

Ok, você tem uma linha de brinquedos que envolve criaturas mutantes. E não “mutantes” no sentido dos X-Men, onde são pessoas lindas com poderes sensuais, falo de híbridos entre humanos e animais, grotescos, nojentos, imundos e repulsivos. Você é o responsável por criar novas figuras para essa linha e pode fazer O PERSONAGEM QUE QUISER PARA ELA, O CÉU É O LIMITE!

E você faz um lutador de Sumô.

Daí vemos quão limitada é sua imaginação.

E os poderes desse boneco eram suas tatuagens... Adesivos autocolantes, que podiam ser coladas em qualquer parte de seu corpo e que de acordo com sua ficha de personagem, lhe daria poderes.

Sim, é estúpido.

Idiota também.

Assim, na nossa brincadeira ele não será um mero lutador de sumô. Ele será um empresário... Corrupto... Que veio para Nova York agora que os Tartarugas não mais estão, para dominar a cidade e espalhar a imundície nela!

Este boneco é... Harvey Weinstein!!!

Você sabe, AQUELE CARA LÁ de Hollywood.

Isso, o que fez todos os predadores sexuais de Hollywood fingirem que eram contra o abuso sexual.

Então, com os tartarugos fora de seu caminho, Weinstein pôde finalmente estabelecer seu reinado de terror na cidade! Logo, todos na cidade o temeriam e o obedeceriam, e a Pinky Pie e a Princesa Cintilante estariam lambendo suas micoses de unha para lhe trazer prazer erótico!

E como ele conseguiria isso? Através da indústria musical, claro! Mais precisamente, empresariando...


 Milly & Chantilly

Claro que uma baleia repelente como Harvey Weinstein, em um ímpeto de nepotismo, daria uma carreira a dois porcos obesos iguais a ele. E assim ele o fez.

Mas não dois gordos genéricos, pois isso seria absurdo. Ele procurou as duas tartarugas mais porcas, grotescas, com mais dobras de gordura, que faziam barulho de peido a cada passo, e foram elas que ele transformou em ídalas da música.

Ora, deu certo com o Psy.

E para completar a caracterização dos dois gordos, Weinstein ordenou que usassem bandanas coloridas, para capitalizar na fama dos tartarugas ninja e preencherem o vácuo que a partida dos mesmos deixou em Nova York.

Assim eles o fizeram. Logo, Milly e Chantilly estavam fazendo cinco shows por noite na cidade, cantando todos os sucessos do especial We Wish You a Turtle Christmas.

O ano inteiro, até no meio do verão.

A canção fora de época não importava para a audiência, que dançava freneticamente em todos os shows, comprava os álbuns, esperava por horas nas filas na esperança de conseguir um autógrafo de seus músicos favoritos e via neles uma história de superação. Se dois porcos oleosos como esses podiam ter sucesso na vida, qualquer pessoa com um índice de gordura corporal normal também poderia.

Logo, Milly e Chantilly viajavam pela América, contando sua história para as crianças, se posicionando contra o bullying e ensinando que o crime não compensava. Eles estavam nas paradas de sucesso e eram exemplos, diariamente entrevistados no programa da Barbie, ao lado dos bonecos do Supla e do Bruce Wayne.

Um dia, ao chegarem a sede de sua gravadora, eles se depararam com Harvey Weinsein, apenas de sunga... Hmmmm... Bom, ele só andava de sunga... Digo, com essa sunga que lutadores de sumô vestem.

Como chama?

...

MAWASHI! ISSO! Obrigado, Cody.

Cody é meu gato caçula.

Enfim, lá estava Weinsten, de Mawashi... O que não era surpresa. A surpresa é que ele estava montado em uma pelúcia do Odie inconsciente.

ESDRÚXULO!!! GROTESCO!!! INACEITÁVEL!!! Tomados pela fúria cachorral, Milly e Chantilly agarraram seu ex-benfeitor e o arremessaram contra a janela.

Que não se quebrou.

Os dois olharam um para o outro com cara de “não era isso que eu achei que ia acontecer”, e agarraram Harvey Weinstein novamente, o arremessando contra o vidro, que desta vez cedeu, uma segunda vez.

A queda de doze centímetros parecia ter 40 quilômetros, e por todo trajeto o vilão gritou: “NÃO ME ARREPENDO DE NAAAAADAAAAAAAAA...” Até que caiu em um transporte dos G.I Joe.

São e salvo, Harvey se levantou... Foi quando percebeu que havia caido sobre a espada de Snake Eyes, que agora trespassava seu coração. Ele olhou para a câmera e disse: “Uau, que noite cheia de reviravoltas... Parece filme do Rian Johnson...”

E tombou, finalmente morto.

Milly e Chantilly resgataram o pobre Odie, que parecia nem ter percebido que estava sofrendo abuso de um gordo. Nada incomum aí, o Odie é tão inteligente quando um saco de estopa cheio de lepra.

Horrorizados com a atitude de seu ex-chefe, Milly e Chantilly juraram a si mesmos que iniciariam uma cruzada pela inocência e contra o abuso sexual de pelúcias, o movimento se chamaria MeThree, com direito a hashtag e tudo.

Infelizmente, antes de iniciarem o movimento, a imprensa descobriu que todas as músicas que eles cantavam vinham do especial de natal live action dos tartarugas... MILLY E CHANTILLY FORAM DESMASCARADOS COMO FRAUDES.

Quando indagados sobre isso, eles simplesmente responderam: “Sim, são as músicas do especial de natal... anunciávamos isso no começo de cada show. Vocês são retardados que só perceberam agora?”

Mas a defesa dos dois músicos não foi suficiente para aplacar a fúria do público, que agora questionava se eles sequer eram tartarugas de verdade.

E não eram.

Eram apenas Battletoads com problema na glândula pituitária.
  


April Shogun da Prisão

É... April teve uma dezena de bonecas dentro da coleção clássica dos tartarugas.

Meninos brincavam com bonecas de personagens femininas sem nenhum problema entre os anos 1980 e 1990.

Foi então que AS FABRICANTES DESTES BRINQUEDOS decidiram cortar as personagens femininas das coleções de meninos, como a Mattel fez com a Toph e a Katara na série de avatar.

Depois, as mesmas corporações começaram com discursos sobre “masculinidade tóxica” e “gênero é construção social” e “menino brinca de boneca SIM”, quando eles próprios passaram anos privando os meninos de terem a chance de brincar com suas heroínas.

Os garotos da minha geração não tinham problemas em brincar com as personagens femininas das nossas coleções favoritas. Brincávamos com  She-Ra, com a April, com a Scarlet e a Lady J, e eu era obcecado em conseguir uma figura da Arcee pra minha coleção de Transformers (P.S: Missão Cumprida).

Garotos que como eu, não tiveram a chance de ter uma Pumaera, WilyKit, Baronesa, Zarana e tantas outras, porque as mesmas não foram lançadas ou chegaram às lojas em quantidades extremamente limitadas, são hoje rotulados como "Monstros sexistas de masculinidade frágil", por não terem brincado com bonecas na infância. Bonecas que queríamos, mas por esforço das próprias empresas, não podíamos ter.

Percebe como se cria uma narrativa?

MAS FALEMOS DA APRIL!!! Da última vez que a vimos, sua vida havia dado uma guinada absurda, e ela se tornara a rainha do presídio das bonecas, lugar que ela governava com punho de ferro. De fato, todas as presas pediam sua benção para resolverem disputas pessoais, como na semana passada, quando a boneca da Princesa Celéstia pediu sua autorização para matar a Blackarachnia no chuveiro, pois já estava cansada de suas piadas envolvendo os pôneis e a Monica Mattos.

April consentiu, sabendo que uma égua mágica não teria muita chance contra uma Transformer de Transmetal-2, o que a livraria de sua rival equina, e de quebra deixaria as fêmeas Decepticons em seu débito.

Sim, tudo corria muito bem para April. Ela tinha Toadettes cozinhando suas refeições, bonecas repolhinho lavando sua roupa, e Ursinhas Carinhosas limpando sua cela diariamente. E a rotina dura da prisão a obrigou a se disciplinar, não mais uma selvagem que apenas furava os olhos das inimigas em ímpetos de fúria, April treinou duro e tornou-se uma combatente capaz de derrubar o Destruidor em dois movimentos... O que não era difícil, porque o Oroku Saki dessa linha de brinquedos era baseado no imprestável com voz de tio Phil do desenho clássico... Mesmo assim, era algo para se gabar.

Mas April ainda trazia um peso em seu coração: A morte de Raphael. Ela nunca contara aos demais, mas o tartarugo irritadinho sempre foi seu favorito. Ela adorava como ele manifestava um ódio digno de Facebook numa era onde as redes sociais sequer existiam, e mais de uma vez, esse ódio se diluíra em champanhe... E na banheira de seu apartamento.

Só que as Meninas Super Poderosas lhe tiraram Raphael... E Irma lhe tirou Casey. Tendo perdido os dois únicos homens... Hãããã, o único homem e o único mutante que já amara, April não tinha mais interesse no mundo lá fora... Apenas na vingança...

Usando dos inúmeros contatos que acumulou em seu tempo de prisão, April contratou os piores criminosos que o dinheiro lhe permitia comprar.

“Piores” no sentido de “maus”, “perversos”, “vis”, “biltres”, “gatos polares”... Não no sentido de “serem uma bosta”. Isso seria muito pouco produtivo.

Eram eles: Doutor Escaravelho, João Bafo de Onça, Scar, Blitzwing, um daqueles vilões excessivamente detalhados da MacFarlane Toys, um robô mexicano de camelô, o Esqueleto com armadura removível mas que perdeu a espada... E o mais temível dos vilões... O BONECO DO FOFÃO!!!

April foi clara: Ela desejava a cabeça das Meninas Super Poderosas enfiadas no trato intestinal uma da outra, para que assim formassem uma Centopéia Humana Kawaii. A imperatriz presidiária deu suas ordens, então recolheu-se em sua cela, onde aguardaria até a missão ser cumprida.

Enquanto esperava, April colocou vinho em uma taça e então requisitou a presença da Princesa Peach. Quando esta chegou, April removeu as calcinhas e disse: “Ouvi falar que você faz uma excelente imitação de esquilo lambendo creme de leite de uma colher... Por que não me mostra?”

Sem escolha, a ex-regente do Reino dos Cogumelos pôs-se de joelhos e satisfez o desejo de April, sabendo muito bem que não fazê-lo representaria uma surra... Ou pior.

Provando de seu vinho e sendo servida por uma monarca deposta, April ligou sua TV na GloboNews, para ver se o embate de suas forças com as Meninas Super Poderosas apareceriam no jornal das onze.

De fato... Apareceu, mas não da forma que ela aguardava.

Seus homens estavam mortos, todos enfiados no estômago do Fofão, em uma versão macabra da boneca Ganha Nenê, e os repórteres que estavam no local, liam ao vivo a mensagem escrita na calçada em sangue pelas semideusas mirins, e que dizia: “Vai ter de fazer melhor que isso, vagabunda!”

O sangue de April ferveu, em um grito primal, ela agarrou Peach pelo cabelo, estilhaçou sua taça com a mão e enfiou os cacos goela abaixo da loirinha, que chorou em agonia, mas nada pôde fazer, até que um jato de bile e sangue subiu pela sua garganta e atingiu April no abdômen, marcando assim o triste fim da antiga namorada do Mario.

Com lágrimas nos olhos e rangendo os dentes com tanta força que suas gengivas sangraram, o ódio de April não conhecia limites... As Meninas Super Poderosas tinham de morrer... Nem que fosse a última coisa que ela fizesse na vida...

Mas ano que vem.

Acho que vocês já tiveram histórias grotescas com brinquedos velhos suficientes para este ano.

Nos vemos em breve.

Smurfbot-Dog!

Cheers!!!

10 comentários:

Leandro"ODST Belmont" Alves the devil summoner disse...

Excelente matéria Amer, você devia levar esse texto como roteiro para o Quentin Tarantino ou Spike Lee, seria Blockbuster do verão na certa.

Ítalo dos Santos Alves disse...

Quem precissa ir ao SpiritFanfic pra ler história alternativa sem graça quando temos o Américo para nós entreter com seus roteiros que fariam cineastas do Leste europeu se contorcendo em acessos de inveja, fúria e ódio de tamanho força que faria com a entropia os fezesem regredia a forma de um feto de terceiro trimestre, em?

Victor Castilhos disse...

Muito bom Amerindo!

Diego Paes Cuter disse...

Vendo as imagens, fizeram um Village People das Tartarugas?

Leonardo Marques disse...

Só por curiosidade, teve alguma figure do Casey Jones que se encaixa nessa lista, Hammer?

Leandro disse...

Isso sim é uma história decente !!!

Alex Souza disse...

Sempre sensacional!!! 👏🏽👏🏽👏🏽👏🏽👏🏽

luciano viana disse...

Eeeeeitasaa

mr.Poneis disse...

https://archive.org/details/LinhaTorta04CulturaPopEPoltica

Você ainda esta procurando por algum lugar para hospedar podcasts? Cabe bastante, parece gratuito... Só não parece muito popular ou com espaço para comentários... Mas salvo engano seu objetivo era disponibilizar seu material para download correto?

Até mais ver
mr. Poneis

Azrael_I disse...

O sonho do Amer não é trabalhar no cinema, é escrever roteiros do Frango Robô, hehehe!