quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Mês das Festas: Péssimos brinquedos dos Tartarugas Ninja


Sim! Finalmente estamos em dezembro! Os 31 dias finais do maldito ano, que precedem a chegada de novos doze meses, que prometem ser ainda mais malditos!

E qual a melhor coisa de dezembro? O Natal, claro! Não por ser o aniversário de Jesus, ninguém lembra dessa parte. Pobre homem amarga o mesmo dia sozinho, todo ano, come um bolo inteiro e fica transformando toda água do lugar em Guaraná Jesus, só pra variar um pouco no uso dos poderes. O único que aparece é o porra do Judas, mas sempre que Jesus deixa ele entrar, a festa dá em merda.

Não, o Natal é bom pelos presentes! Ainda mais se você é criança. Nada melhor do que ser um guri debiloide na manhã de Natal, acordar mais cheio de energia que um Tony Montana que inalou uma montanha de cocaína, ir correndo abrir seus presentes, tropeçar no taco do piso, cair e sofrer um traumatismo craniano.

Mas assim que sair do hospital... Supondo que você não tenha morte imediata... Será uma delícia poder brincar com seus novos brinquedos, usando o pouco de movimento que as 78 cirurgias em seu sistema nervoso permitirem.

Então, que melhor maneira de iniciar o Mês das Festas deste ano, do que falando de alguns brinquedos horrendos que nunca foram lançados no Brasil? Então, sem mais delongas, comecemos nosso...

“Abney!”

Ai, me fode na maratona. O que você quer, Thiaguinho?

“Artigos sobre brinquedos não servem mais como especiais do Mês das Festas.”

Que? Claro que servem, seu puto!

“Servem não. Você escreve sobre brinquedos o ano inteiro. Como daquela vez que você falou de Comandos em Ação no mês de abril.”

Ora... Bem... Eu...


Mas...

“E aqui você tá falando dos bonecos do He-Man... Em fevereiro!”

Aonde você quer chegar, bebedor de chorume?

“Você só tá escrevendo sobre brinquedos porque ficou com preguiça de fazer uma resenha de um especial de Natal ruim, não é verdade?”

...

“Vergonha! Vergonha! Vergonha!

Tá, Thiaguinho. Você tem razão. Mereço ser estuprado por um urso.

“HAROOOOOOOOOOY!”

Mas depois deste artigo. Falemos agora dos brinquedos retardados dos quelônios mongoloides.


Chefe assediador sexual da April

Hoje, graças ao mercado de colecionadores, qualquer linha de brinquedos tem uma vida útil virtualmente infinita. E qualquer personagem tem uma chance de ser imortalizado em plástico e borracha, não importa quão Yamcha ele seja.

No passado não era assim. Apenas crianças se interessavam por brinquedos, e sem os Obamas dos colecionadores quarentões cheios de safenas no coração e pó de Cheetos nos dedos, as fabricantes não tinham porque lançar bonecos de figuras que eles sabiam que não seriam vendidas.

Exceto é claro... Após passar o pico de popularidade da franquia.

Já expliquei isso antes, mas vale a pena explicar de novo. Desenhos animados normalmente tem um tempo de vida útil, que varia entre quatro e cinco anos. É durante este período que o público do desenho cresce, atinge a puberdade, perde o interesse nas aventuras de Leonardo e seus irmãos, e passa a dedicar seu tempo a tentar adivinhar o número do sutiã da Mariana.

Você sabe. A Mariana. Que estudou com você no ginásio. Toda sala de aula tinha uma Mariana.

Conforme a criançada crescia, a popularidade da série caia. E neste momento, a fabricante dos bonecos lançava todo tipo de figura sarnenta e desgraçada, na esperança desesperada de faturarem um troquinho com crianças que tivessem TOC e necessitassem de uma coleção absolutamente completa ou comeriam a si mesmas durante a noite.

Caso em questão, Burne Thompson. O chefe da April.

Burne era basicamente J.J.Jameson Lite. O editor chefe do Canal 6, que odiava os tartarugas, odiava mutantes em geral, e considerando que ele deve ter perdido seu emprego pra algum vlogger metido a cientista político, ele deve odiar o Youtube também.

Agora, pelo pouco que eu me lembro do desenho original dos Tartarugas, Burne não era um glutão. Claro, ele era meio gordo, mas não obcecado por comida como sua figura indica. O sanduíche permanentemente esculpido em sua mão deve ter sido a vingança pessoal de um artista que acreditou que seu talento estava sendo desperdiçado na criação de um boneco com diploma em jornalismo.

E não o culpo. Não é como se um boneco do chefe da April fosse se tornar um item indispensável em listas de Natal ao redor do mundo. Não consigo imaginar muitos cenários de brincadeiras onde este personagem pudesse ter uma participação notável.

Claro, Burne poderia ser a peça central da dramatização da festa de Natal do canal 6, onde ele encheria a cara de espumante e em uma imitação impecável de Don Draper, arrastaria a ruiva para uma sala vazia e arrancaria suas roupas. Antes que o pior acontecesse, Casey Jones brotaria no lugar (por acidente, pois estaria procurando um banheiro para expelir o horrendo arroz com passas da Irma) e espancaria Burne violentamente, recriando AQUELA cena de Watchmen que deve deixar muita gente “engatilhada” hoje em dia.

E os outros personagens seriam atraídos pelo barulho e dariam de cara com um Burne moído, uma April traumatizada, e um Casey Jones mais puto que o Donald Trump quando vê um imigrante. Em seguida, todos os bonecos estariam no tribunal, acompanhados de figuras da Mariska Hargitay e Ally McBeal, testemunhando contra o Burne e tentando livrar Casey de um processo por massacre brutal de gordo.

Uau, isso escalou rápido!

Mas acho que podemos ir ainda mais longe, com...


April prostituta do centrão

Após sobreviver ao trauma da festa de Natal, April percebeu que não conseguiria mais pisar em uma redação de jornalismo. Ela decidiu então abandonar a profissão e seguir adiante com sua vida. Com os olhos cheios de lágrimas, ela despediu-se de todos os seus amigos do Canal 6... O que consistia da Irma, porque o resto da empresa a odiava... E partiu em busca de novas aventuras! Sim! Avante, mulher empoderada!

Infelizmente, com um diploma de jornalismo em mãos, tudo que restou a April foi cair na prostituição.

Pois é.

Toda semana ela atende aos mesmos três caras: Um magricelo albino que pede pra ser chamado de “Líder Optimus” durante o programa, Michael Bay, e o Destruidor, porque sua mãe lhe pediu para que ao menos TENTASSE sair com garotas.

Em um noite fatídica, April saiu na porrada com a She-Ra e a Moranguinho, em uma disputa pela melhor esquina do centro da cidade. Infelizmente, ela foi facilmente derrotada pela força bruta e o cheiro intoxicante de frutas silvestres de suas rivais. Desesperada e implodida, April foi até o mestre Splinter e implorou ao velho que a treinasse na mística arte dos ninja. Ele aceitou, porque quando você é um rato idoso que mora nos esgotos, qualquer distração do constante cheiro de bosta ao seu redor é bem vinda.

Assim, April concluiu seu treinamento em meras seis semanas. E como um presente de formatura, Splinter lhe deu armas muito especiais, entre ela um estojo de maquiagem que também funciona como shuriken, e um pincel de base grande o suficiente pra causar traumatismos cranianos e um ferro de chapinha que serve pra queimar a Irma, sempre que ela olha com desaprovação para a nova carreira da amiga.

... Sério, essas são as armas que acompanham a personagem...

PROGRESSO!!!

Então, April voltou à esquina que agora era o ponto de suas rivais, e as desafiou para um último duelo... “OU TUDO OU NADA” ela gritou. Espantadas com a capacidade da ruiva de expelir frases de efeito que já não eram impressionantes em 1986, elas acataram ao chamado.

Nossa repórter favorita então enfiou o pincel na cara da She-Ra e a entupiu de blush. Seus poros ficaram tão encalacrados de maquiagem que ela sufocou de forma horrível e lenta... Mesmo sendo totalmente capaz de respirar pelas narinas. Com a mais forte das rivais morta, April então pulou sobre Moranguinho, que com suas pernas curtas de Goomba, não pôde correr rápido o suficiente para escapar de tamanha fúria. Fazendo uso de sua chapinha sagrada, April começou a torrar a tampa da cabeça de sua adversária, vocês sabem, aquele chapéu que todas as bonecas da coleção tinham e que tentava simular a fruta que lhes dava o nome.

Eis que Moranguinho começou a gritar: “ISSO NÃO É CHAPÉU, É O MEU CÉREBRO! ISSO NÃO É CHAPÉU, É O MEU CÉREBRO!” Mas April não estava nem aí, ela ferveu as sinapses de sua inimiga até ela tombar estrebuchando e expelindo milk shake de morango pela boca.

TRIUNFO! SIM! April era agora a puta definitiva! E clamaria seu lugar de direito, atendendo aos clientes mais ricos da cidade, como Buzz Lightyear e o Groot da Funko. Vocês sabem, brinquedos de linhas que fizeram sucesso.

Mas alegria de puta dura pouco, pois matar duas mulheres no meio de uma avenida, utilizando armas ninjas que parecem o equipamento de maquiagem do Ultraman é o tipo de coisa que costuma chamar muita atenção. Logo, a viatura chegou, e os bonecos do Mahoney e do Ranger Azul não tiveram escolha, a não ser autuar April e a levar para o xilindró.

Foi quando ela se tornou...


April, a ninja-puta-Tarzan de Bangu 1

Que vida, heim April? Você sonhava em ser um Cid Moreira com peitos, mas olha onde o destino a levou! Para uma versão de plástico de Orange is the New Black, junto da Cover Girl, Areala, Neytiri e outras bonecas que mesmo órfãos quenianos não fazem questão de ter.

E lá estava ela, em sua primeira noite na prisão, dividindo a cela com a princesa Daisy.

Daisy, não Peach. Peach é a loira que agasalha o croquete do Mario, Daisy é a morena que relutantemente encaçapa o Luigi.

De novo, lá está ela. Nossa pobre ruiva, vítima de um destino insalubre e vil, tentando dormir numa cama que mais parece uma bolacha de maisena enorme, enquanto ajeita a cabeça em um travesseiro cheio de carunchos.

SUBITAMENTE, a capitã Janeway aparece na porta da cela. E com um olhar cheio de luxúria pútrida, encara April e pergunta: “Tu sabe chupar carpete?”

April tem apenas uma escolha... Ela salta sobre Janeway e a derruba no chão. Antes que a capitã perceba, a ex-repórter, ex-puta e atual Laura Prepon de baixo orçamento fura seus olhos com os polegares, e bate sua cabeça contra o chão enquanto grita “EU SOU O TOM HAAAAAAAANKS!!!”

Nisso, Cheetarah aparece desesperada e tenta salvar sua amada Janeway. April, mais louca que a louca dos gatos... O que é estranhamente adequado, considerando a situação... salta sobre a Thundercat, dá uma dentada em seu rim, e com um único puxão, arranca sua pele. Nossa heroína despirocada veste o couro de sua inimiga, e em celebração a seu triunfo, brada “GLAHLAHLAHLAHLAHLAHLAAAAAAAAH” a plenos pulmões.

Maligna e uma Playmobil genérica chegam pra acabar com a putaria, espancam April e a arrastam pra solitária, enquanto todo pavilhão grita “GLAHLAHLAHLAHLAHLAHLAAAAAAAAH”, em tributo a sua nova líder.

...

E em um artigo sobre brinquedos idiotas, escrevi um arco muito melhor pra April do que Hollywood fez em três filmes.

“Espera.”

Que foi agora, Thiaguinho?”

“Três filmes dos tartarugas? Tá falando dos velhos ou dos novos?”

Ambos.

“Mas dos novos só fizeram dois filmes...”

Você acha que vão ficar só em dois? Não aprendeu nada com os filmes de Transformers?

“... Tem razão...”

E nunca se esqueça disso.


Irma, a amiga feia membro da NRA

A Irma é uma personagem que foi esquecida pela franquia até anos recentes, quando foi ressuscitada na forma de uma Velma pirigótica para a série da Nickelodeon.

Basicamente, ela era a melhor amiga da April e o exato oposto de nossa ruiva jornalística. April era alta, Irma era nanica. April era elegante, Irma tinha péssima postura. April tinha visão perfeita, Irma precisava colar o fundo de duas garrafas de Coca Cola nos olhos pra poder enxergar o mundo. April se vestia como um eletricista de meia idade, Irma se vestia como um solteirona de meia idade que passa o dia assistindo o programa da Ellen DeGeneres... Então pelo menos no gosto pra roupas elas se completavam.

E a série fazia questão de frisar que Irma era a feia da dupla, o que é uma afirmação incorreta. Claro, ela parece a mais velha das chipettes, mas definitivamente não é feia. De fato, ela faria muito sucesso entre o público nerd hoje, na mesma escala da já mencionada Velma, Meg Griffin e outras “feias” pelas quais abandonaríamos nossas famílias se tivéssemos a chance.

Você ficaria com a Meg, você sabe que sim. Então não discuta.

 E a figura da Irma não é necessariamente ruim. Considerando que para uma personagem secundária, ela tinha uma participação grande na série, faz todo sentido que ela tenha sido imortalizada em plástico. O problema é que o executivo responsável por esta decisão deve ter uma compreensão muito frágil da realidade, pois ele achou que faria todo sentido que uma secretária baixinha e magricela andasse por aí mais armada do que o Chuck Norris no 4 de julho.

Apenas olhem pro equipamento da boneca! OLHEM! Ela vem com duas granadas e um revólver que com um só disparo é capaz de remover os anos de sujeira que se acumularam no bigode do Danny Trejo. Isso sem mencionar as duas bolsas, que devem trazer ainda mais explosivos, e esse medalhão, que eu tenho certeza que é o AllSpark. Ou seja, se tudo mais falhar, a Irma pode evocar o Galvatron e acabar com a farra de todo mundo.

E ela ainda traz um monitor CRT, porque ela é old school, com uma imagem sua perpetuamente queimada na tela. Além de ser obcecada pela segunda emenda da constituição norte americana, Irma tem fixação pela própria imagem, o que é... Bom... Eu acho? Digo, auto-estima é fundamental para uma garota que vive na cidade grande.

Mas como adequar ela a uma tarde de brincadeiras? Certamente, ela não pode ser a vítima da história. Se o Destruidor mandasse Bebop e Rocksteady a sequestrarem, ela espalharia o cérebro dos dois pelo cenário mais rápido do que você pode dizer “Esquadrão Marte é um plágio descarado e pouco criativo dos Tartarugas”.

E ainda digo mais, com a quantidade de explosivos que carrega, Irma poderia se livrar facilmente do Tecnódromo e de seus residentes. Imagine que os tartarugas lutaram bravamente, mas foram derrotados pelo Krang... Porque vencer um robô alienígena de três metros e 900 quilos deve ser mais difícil do que parece. Então aparece a Irma, e com sua agilidade de secretária judia, ela cambalhota até o vilão e encaixa duas de suas granadas em sua pança metálica.

Fim do Krang. Fim da aventura. Tartarugas humilhados, pois seus anos de treinamento e devoção a arte ninja provaram-se muito menos eficazes que a invenção de Alfred Nobel.

Claro, ela sempre pode fazer parte do elenco de suporte de “Orange is the New April”. Quando aparece na história, ela acompanha pela tevê a notícia do massacre que sua amiga causou no presídio. Chocada, ela vai até a cozinha e conta a história para Casey Jones... COM QUEM ELA TEM DORMIDO DESDE QUE A RUIVA FOI PARA A CADEIA!!!

PAM-PAM-PAAAAAAAAAAAAAAM!!!

Abalado com a notícia, Casey percebe que ainda ama April e encerra seu caso com Irma. Ele decide se vestir e visitar sua antiga namorada no presídio, a fim de reativar seu romance... É quando Irma entra na cozinha, com lágrimas nos olhos e um trabuco nas mãos. Cheia de ódio, ela grita: “EU NÃO SEREI IGNORADA!!!”

E com um disparo, espalha o sistema digestivo de Casey na mesa onde algumas horas antes eles haviam jantado cheesecake.

... Eu devia tar escrevendo roteiro em Hollywood, vou te dizer uma coisa...


Hot Spot, o dálmata mutante bombeiro porque motivos

Quando você coleciona bonecos que são baseados em uma série animada, as vezes as melhores figuras acabam sendo as dos personagens que nunca apareceram no desenho. Simplesmente porque você pode inventar a história que quiser para elas.

Megatron é Megatron. Não dá pra transformá-lo em um robô com aspirações a ser cantor de sertanejo universitário, porque ele é A PORRA DO VILÃO PRINCIPAL!!! É um título que não dá pra ignorar.

Mas peguemos um personagem como Ransack, o Insecticon de segunda que não fez sequer uma ponta como erro de animação na série. Ele poderia muito bem ser o amante gay do Ultra Magnus, que desertou de seu posto como Decepticon para ir atrás de um amor que seus colegas maiores, mais fortes e que se transformavam em veículos que faziam sentido, jamais aprovariam.

E Tartarugas Ninja oferecia um terreno fértil para este tipo de personagem. É só tascar mutagênico em alguém, misturar com algum animal relativamente ameaçador e SAGOUZO!!! Tínhamos um personagem novinho em mãos, pronto para lutar contra o Destruidor, ou pelo Destruidor, ou contra o Destruidor e pela Claudete Troiano... Com um boneco destes em mãos, o céu era o limite!!!

Pena que Hot Spot não era um destes bonecos.

Como posso colocar delicadamente? Bem, Hot Spot É UMA PORRA DE UM DÁLMATA BOMBEIRO!!!

DÁLMATA!!!

BOMBEEEEEEEEEIRO!!!

Digo, dálmatas são lindos, mas devem ser uma das raças de cachorros menos agressivos que existem. Eles parecem com tigelas de sorvete de flocos que latem! Ninguém no mundo seria capaz de vê-los como uma ameaça. O Destruidor provavelmente lhe faria um chamego atrás da orelha e daria um biscoito Scooby caso se digladiasse com ele.

E tem o caso de que ele é um bombeiro...

Agora, eu tenho um respeito absurdo por bombeiros. Eu não aceitaria levar uma lambida no mamilo pra salvar a vida do meu melhor amigo, é claro que eu respeito caras que entram em prédios em chamas pra salvar completos desconhecidos. Mas o problema é justamente esse, Hot Spot não pode ser um vilão, pois bombeiros nunca são vilões.

E se não temos liberdade para mudar o alinhamento de um boneco que nunca apareceu no desenho animado, então a melhor parte de ter sua figura se perde.

Além do mais, como usar um cão bombeiro na brincadeira? Só consigo imaginá-lo sendo chamado para apagar um incêndio no prédio da Irma, iniciado pela própria, que teria enlouquecido após explodir Casey Jones. Ele chega ao local, acompanhado por um grupo de LEGO bombeiros, apaga as chamas e encontra dois cadáveres carbonizados, que logo são identificados como a ex-melhor amiga e o ex-namorado de April.

As notícias voam, e logo chegam até a prisão onde se encontra nossa ruiva perturbada. O fiapo de sanidade que lhe restava se esvai mais rápido que a carreira de Milli Vanilli ao descobrir o que aconteceu com Irma e Casey, e em uma explosão de loucura, ela agarra a princesa Daisy enquanto dorme, a arrasta pelos cabelos até o vaso sanitário de sua cela, e a afoga na água suja que ali se encontra.

Pobre April...


Raphael encapotado de Michael Bay

Após toda a violência sexual e crimes passionais contidos neste artigo, acho que é de bom tom tentar encerrá-lo em uma nota mais positiva. Me vejam fracassar nesta empreitada, porque é claro que eu vou fracassar.

Então, vocês se lembram de como no desenho clássico, os tartarugas se disfarçavam pra poder andar por Nova York? Eles vestiam capotes, colocavam máscaras de Tio Chico e de alguma forma conseguiam que isso os fizesse passar desapercebidos pelas ruas da cidade.

Este boneco é um tributo ao disfarce imbecil dos tartarugas clássicos. Sem a máscara de tio Chico, mas com um capote que deixaria Philip Seymour Hoffman orgulhoso.

O único problema aqui é que este disfarce não funciona pros Baytugas, porque eles são IMENSOS!!! Os tartarugas originais eram nanicos e podiam fazer uma imitação razoavelmente convincente de gordo antissocial quando vestiam seus sobretudos e chapéus. O mesmo não pode ser dito de monstros de mais de dois metros que parecem os filhos bastardos do André o Gigante com o Gamera.

E como se brinca com esse desastre? Bom, o raphael sempre foi o mais emocionalmente frágil dos Tartarugas, e talvez, ver a April ir pra cadeia e perder a Irma e o Casey de forma tão horrível o faça atingir seu limite. Raph então desiste de tudo, se veste de Darkman e vaga por aí, mostrando o pinto para crianças em parquinhos e espancando mendigos por restos de pizza.

E em uma tarde qualquer, após tomar um porre de lustra móveis, Raph decide exibir suas genitais chutulhianas para três garotinhas que brincavam inocentemente em uma caixa de areia. Mas mal sabia ele que suas vítimas eram AS MENINAS SUPER PODEROSAS!!! Putas da cara, Lindinha, Florzinha e Docinho espancam Raphael até ele se tornar uma mancha verde na calçada.

Claro que isso a coloca em rota de colisão com os outros Tartarugas e uma endurecida April, que agora é a rainha do presídio e não vê problemas em arrancar o escalpo de três garotinhas olhudas e as sufocar com eles.

Mas isso é uma outra história a ser contada...

...

Viu? É por isso que você mistura suas linhas de brinquedos. Porque isso te dá a chance de criar todo tipo de cenário mirabolante!

Chega. O próximo artigo será natalino de verdade, eu prometo.


Cheers!!!

14 comentários:

Bier disse...

AEEEEEE!
Amer, inspirado como sempre!!!

Eu gargalhando aqui no trampo, não querendo que ninguém percebesse que era por causa deste texto.

Como sempre digo: muito bom, Amer!

Será que fui o primeiro a ler? Hein, hein?

Galomortalbr disse...

eu ate curti os Tortugas do Mikchael bay"o segundo filme o primeiro e canceriano,o que merdas era aquele design do DESTRUIDOR"

Miguel Massolar de Carvalho Pimenta disse...

Meu Deus eu não consigo parar de rir! Ótimo artigo amer!

Leandro"ODST Belmont" Alves the devil summoner disse...

Hilario como sempre Amer! Não perdeste o fio do humor.

JohnRDVSMarston disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
JohnRDVSMarston disse...

Cacetaralho! Se essa história virasse filme, seria o primeiro filme em anos de tirar minha bunda da cadeira e ver um filme sozinho no cinema (e depois perceber o quanto sou solitário, mas esse filme iria acalentar tal fato por umas boas semanas).

Sinceramente, não sei no que deu pro Michael Bay criar 4 arranha-céus com músculos e chamar de Tartarugas ninjas. Eu prefiro a versão delas sem Whey, muito obrigado.

Enfim, belo artigo, Amer :D

Leandro"ODST Belmont" Alves the devil summoner disse...

Tá, JohnRDV, e como tornar as tartarugas convincentes que podem porradear uma gangue de ninjas liderados pelo filho do Megatron com o samurai de prata de Wolverine Imortal (péssimo filme) em 2016? Com fantasia de Borracha dos anos 90 é inviável, sem falar que seria motivo de chacota.

Oz disse...

Você acertou em cheio, realmente eu estudei com uma Mariana no ensino médio e os peitos dela eram sensacionais

Zweist disse...

Muito bonito. Então o ano está se encerrando e você acha que 2016 já foi suficientemente bizarro, mas então Lager vem com um trocadilho com o Philip Seymour Hoffman.
É sinal que esse ano está esperneando e chutando para não acabar.

JohnRDVSMarston disse...

Leandro, por mim, seria melhor criar uma forma menos monstruosa dos tartarugas e mais voltado pra atualidade, tipo a animação que temos hoje (bem, pelo menos eu gostei do que eles fizeram...).

Marcos Paulo disse...

Meu deus Amer vc deveria escrever roteiros! De onde vem tanta imaginação?! Nem q pretendo trabalhar com roteiros tenho uma mente tão bilhante.

Amazing Leo disse...

Nossa, esse artigo foi muito "bad vibe" HUAHUAHUAHUA

Rauldouken Holz Lokschin disse...

Cara tu deveria fazer videos com tuas historias de bonequinhos.

Neko Nekrom disse...

mano voce devia escrever roteiro de filme porque se manda bem nisso poderia entrar no lugar do Michael Bay mole mole e endireitar os filmes dos transformers