segunda-feira, 22 de junho de 2015

Impressões do Amer sobre a E3 2015


E na semana passada aconteceu a E3! A maior feira de videogames do mundo!

Sim, o evento que reúne jornalistas de todos os cantos do globo, e onde os maiores titãs da indústria apresentam os títulos mais quentes do momento... E que em um ano estarão esquecidos em nossas estantes, juntando pó, porque já teremos enjoado de jogar.

Meh.

Seja como for, eis aqui, a minha avaliação de tudo que foi mostrado na E3 2015. Entendam, não é um relato jornalístico preciso e detalhado, mas uma opinião pessoal sobre aquilo que vi na convenção deste ano.

...

Não, eu não estava lá em pessoa, assisti pela internet como todos vocês.

O que? Está questionando por que deveria perder seu tempo com meu artigo, sendo que eu tive a mesma experiência que o público? MA QUE PORCA MISÉRIA!!! Senão quer ler, vá pro Xvideos esvaziar seu saco, ao invés de ficar aqui enchendo o meu!!!

...

Aos demais, aqui vão minhas impressões sobre o evento.


Bethesda

Como uma das mais proeminentes companhias dos últimos anos, a Bethesda ganhou sua própria conferência na E3. Exatamente como um garoto que completa dez anos e passa a ter o direito de acompanhar seus pais a todas as festas chiques que os velhos forem.

Mas assim como esse iludido garoto, que não recebe o direito de sentar junto aos adultos e precisa bancar a babá de todas as outras crianças de quatro anos na mesa dos pirralhos, a Bethesda não pôde se apresentar no mesmo dia que as outras produtoras, e precisou amargar um horário na noite de domingo, abrindo o evento.

Acho que no fim, foi uma boa para a empresa.

De primeira, eles apresentaram o novo Doom, que se chama Doom... Quando deveria chamar-se Doom 4. Ou não. Não sei se é um remake do jogo original, ou um reboot, ou se seus criadores simplesmente se acharam Too Cool for School para numerar seu game. Quando peguei a conferência, eles já estavam exibindo vídeo de gameplay e eu perdi qualquer informação relevante a respeito do título.

Mas eu tenho certeza que algum de vocês irá me informar a respeito disso nos comentários. Provavelmente de forma passivo agressiva, para dar a entender o quanto é mais bem informado do que eu sobre o que aconteceu na E3.

Bom pra você, filho.

Agora, sei que estou colocando minha vida em risco... E a da minha família... E a da minha gata, ao dizer isso, mas a verdade é que Doom não me impressionou. Não parece ruim, de verdade, mas não mostrou nada que outros shooters já não tenham feito na geração passada. Você anda pelo cenário, coleta armas, massacra inimigos de maneiras cada vez mais violentas e juvenis, até ficar insensibilizado com toda a carnificina mostrada na tela.

E tudo é tão marrom. O jogador está no inferno, deveriam haver mais tons de vermelho, amarelo e cinza, pra lembrar todo o fogo, enxofre e Geisy Arruda que nos acostumamos a associar com os domínios do cramulhão. E as execuções que podem ser aplicadas ao se aproximar de um inimigo é algo que modders já tinham incrementado no título original. Procurem por Brutal Doom, se não sabem do que eu estou falando.


Toda a potência de um Xbox One, para matar os mesmos
inimigos que você enche de chumbo há duas décadas

Eu sei que muitos de vocês devem estar me achando um cuzão, por criticar tanto o jogo, mas vamos colocar as coisas assim, se o game se chamasse Aventuras do Fuzileiro Marciano... Ou qualquer outra coisa que não fosse Doom, vocês realmente acham que estariam tão empolgados? Ou será a nostalgia que os está fazendo dar a este game mais crédito do que ele merece?

Heim? Pensaram nisso? Hãm? Pois é.

Claro, houve uma grande ênfase no multiplayer, incluindo o fato de que os jogadores poderão criar seus próprios mapas e upá-los online para que sejam desfrutados por outras pessoas. Aposto que meras horas após o lançamento de Doom, os servidores da Bethesda estarão infestados de mapas no formato de pintos e suásticas.

Em seguida, a Bethesda apresentou Battlecry, que parece uma versão atualizada de Brink. Como Brink é merda, acho que Battlecry será como fezes atualizadas. Em seguida, nos foram mostrados Elder Scrolls Online e o card game de Elder Scrolls, que... AH, MAS QUEM SE IMPORTA COM ESSES CARALHOS???


ELE! Se importa com esses caralhos

Quando tudo parecia perdido, a Bethesda mostrou Fallout 4, que é extremamente bonito para um game da série. Digo, se você jogou os títulos da geração passada, sabe que eles são mais feios do que a Margot Kidder levantando a saia e mostrando o castor no meio de um batismo.

Falando em castores e batismos, eu não entendi como diabos funciona o sistema de criação de personagem neste novo game. Parece que o jogador não cria diretamente seu protagonista, mas sim, os pais dele. E o herói do jogo nasce com características do casal que o trouxe ao mundo.

Ok, é um sistema muito interessante, mas jogadores com transtorno obsessivo compulsivo irão sofrer com ele. Ou eles vão criar casais diferentes 980 vezes até obterem o protagonista com a aparência que querem, ou vão deixar isso pra lá e lentamente enlouquecer, enquanto jogam 160 horas com um personagem que não tem a cor dos olhos desejada.

*EDIT: Na verdade, você cria o casal de protagonistas do jogo e escolhe com qual deles vai prosseguir na aventura. o filhos dos dois é quem herdará as características que o jogador colocar nos pais. É isso.*

Aliás, o pessoal da Bethesda deixou claro que é possível criar uma protagonista mulher, algo que sempre pudemos fazer na série. Mesmo assim, o público aplaudiu, pois são todos a favor da diversidade de gênero, e aparentemente possuem a memória de um peixinho dourado, para se empolgarem com algo que esteve presente na série desde sua concepção nos anos 1990.

Enfim, dá pra jogar com uma mulher. Lembrem-se disso, pois será importante mais tarde.

De novidades, o jogo tem um sistema de criação de armas bem legal, onde você pode customizar seu equipamento como quiser e criar apetrechos bem interessantes. Dá pra pegar um bastão de baseball e colocar pregos, ou arame farpado, ou serras circulares nele... E em seguida, abandoná-lo, pois você encontrou um rifle de plasma ao matar o primeiro inimigo com que trombou.

Armas brancas não são muito úteis em Fallout.

Mais interessante que isso, é que é possível construir seu próprio vilarejo e torná-lo auto suficiente. Desta forma, o jogador pode criar seu próprio pedacinho do céu em meio ao deserto nuclear, oferecer, segurança, abrigo e alento a todos os desesperados e trazer paz... A quem eu tou enganando? Vocês vão é recriar Bartertown e a Cúpula do Trovão, seu bando de projeto de Tina Turner! Isso sim, nem mintam pra mim que eu sei!

E antes que e me esqueça, Fallout 4 tem o cachorro mais legal já criado para um videogame. NA SUA CARA, CALL OF DUTY: GHOSTS!!!

Oh, sim. Vai sair Fallout Shelter para smartphones, que funciona de forma semelhante a The Sims e ... ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ...

Antes que eu me esqueça, Dishonored 2 foi anunciado, o que é bom. O game anterior foi uma lufada de ar fresco dentro da sala com cheiro de peido que se tornou o gênero FPS hoje em dia. Inclusive, a continuação tem uma protagonista feminina, além do retorno do herói original. Lembrem disso, porque será importante depois.


Microsoft

Após anos bancando o Nelson Muntz, e enfiando bosta goela abaixo de seu público, a Microsoft parece ter aprendido que tratar o consumidor feito imbecil não deixa uma boa impressão. Desta forma, a empresa do Bill Gates mudou consideravelmente sua postura este ano.

Primeiramente, tivemos a apresentação de Halo 5... Que é absolutamente mais do mesmo que já tivemos desde o Xbox original. Acredito que ninguém no mundo, exceto os fãs mais hardcore da franquia se importam com ela neste ponto do campeonato. Mas tudo bem, Master Chief é a mascote da M$, o evento não seria a mesma coisa se não anunciassem ao menos um título dispensável com ele.

Ou com outros personagens totalmente sem inspiração e que se vestem como ele.

...

Não gosto de Halo. Acho que já me fiz entender.

Após isso, tivemos a apresentação de Recore, um título exclusivo para o Xbox One e que parece bem legal. Nele, a humanidade foi destruída por um apocalipse não especificado e o mundo tornou-se um deserto habitado apenas por robôs. O jogador controla uma heroína, que com seu robô cãozinho, tem de sobreviver neste mundo fazendo...

...

Bom, nos mostraram um trailer pré-renderizado. MAIS UM!!! Que explica porra nenhuma sobre o título apresentado, tampouco como será sua jogabilidade. Eu odeio esse tipo de trailer, odeio quem os autoriza e odeio a sua mãe!!!


Mesmo cheio de ódio, quero muito jogar este game

Seja como for, Recore parece bem legal. E é protagonizado por uma mulher! Lembrem-se disso, pois será importante depois.

Depois, Henry Ford Parte 3, magnata da indústria automobilística, subiu ao palco, para anunciar como carros são importantes na vida de todos os homens que precisam compensar o fato de terem nascido com pintos minúsculos. Depois disso, anunciaram Forza Motorsport 6, para a satisfação de todos os nerds mal dotados que não tem grana pra comprar um carro de verdade.

Por algum motivo, havia um carro sendo suspenso sobre o público neste momento. Eu nunca rezei tanto para um veículo de três toneladas despencar em uma multidão, pois aí ao menos teríamos algo empolgante para assistir na conferência.

Eventualmente, chegou a hora da Microsoft se ajoelhar na frente de todos os nerds presentes e lhes oferecer prazer oral. Como fizeram isso? Anunciando que a partir de... Muito breve, o Xbox One passará a ter retro compatibilidade.

...

“Retro compatibilidade”, significa que ele poderá rodar jogos de Xbox 360 também. HUZZAH!!!

Por que isso é importante? Bem, digamos que a indústria dos games não é muito preocupada em preservar a própria história, diferente do cinema, música e outras mídias.

Por exemplo. Suponhamos que você quer assistir Cidadão Kane, um filme que foi lançado há mais de 70 anos. Tudo que precisa fazer é ir até uma loja de DVD’s, comprar o longa, bater em alguns hipsters com uma barra de ferro no caminho para casa, e assistir a obra de Orson Welles antes de escrever uma crítica prepotente e totalmente desnecessária no Tumblr.


Orson Welles não gosta de Tumblr

Se quiser jogar Snatcher, um game que foi lançado meros 20 anos atrás, precisará procurar o jogo no Mercado Livre ou eBay. E se tiver a sorte de encontrá-lo, terá de pagar um testículo (ou suas trompas) por ele.

E se não tiver um Mega Drive, um Sega CD e uma televisão CRT em casa, sua compra de nada adianta. Claro, você pode evitar todo este trabalho e simplesmente baixar Snatcher e um emulador. Mas todos sabemos que pessoas que usam emuladores são PIORES QUE HITLER!!!

Então... Sim, a retro compatibilidade é um passo na direção certa na questão da preservação dos games como produtos culturais. E quem sabe a Sony não faz a mesma coisa ano que vem, e apresenta a mesma tecnologia para o Playstation 4?

Não sei vocês, mas eu adoraria jogar Tekken 1 em um console com tecnologia de ponta. E eu odeio esse game, mas adoro a idéia de poder colocar um CD velho em um aparelho moderno e vê-lo funcionando.

Depois disso, a Microsoft anunciou um novo controle, chamado Elite. Foi quase como se a empresa dissesse: “Pois é, foi mancada tentar obrigar vocês a comprarem um Kinect. Aqui, tomem um controle novo como pedido de desculpas.”


"Nos perdoem por envergonhá-los na frente de seus amigos
e tentar convencê-los de que isso era diversão"

Basicamente, o Elite é um controle totalmente customizável, onde todos os botões podem ser trocados ao gosto do usuário, para que ele tenha a melhor experiência possível enquanto desfruta de seus títulos.

Agora, eu não tenho muita utilidade para um controle Elite, pois normalmente fico bem confortável com os joysticks que já vem com os consoles. Mas acredito que aficcionados por games de corrida, simuladores de vôo ou esportes, vão adorar comprar um desses, customizá-lo até o limite e então perceberem que gastaram uma fortuna em um apetrecho que melhora sua performance em 2,4%.

Pra mim, um controle da Microsoft que não use pilhas já seria um avanço muito bom.

Mas foi o anúncio seguinte que fez milhares de nerds ao redor do mundo esquecerem o valor do dinheiro e prepararem pré-encomendas o mais rápido que seus dedos de salsicha lhes permitiam.

Hololens.

É difícil explicar o que é o Hololens para quem não viu. É mais prático se vocês virem o apetrecho em ação:




Impressionante, não? Bom, antes que você comece a bolar maneiras de roubar o cartão de crédito do seu pai para poder comprar um desses quando for lançado, pare um minuto pra pensar aqui comigo.

Lembram do Kinect, que eu mencionei alguns parágrafos acima? Lembram como a Microsoft tentou nos convencer de que ele mudaria a forma como jogamos videogames? Como ele foi apresentado como a maior revolução do mercado e quem não o tivesse seria um fracassado que morreria virgem e sozinho, em um apartamento velho, cercado de lixo e de gatos mortos?

Lembram como o Kinect foi um fracasso, porque ele não funcionava como prometido na maioria dos jogos?

E o Kinect era uma tecnologia bem menos complexa do que o Hololens.

O que eu estou querendo dizer é que é melhor permanecer cético e ser surpreendido de forma positiva, do que ir com muita sede ao pote e ver que ele estava vazio. Talvez o Hololens seja tudo isso que estão prometendo, ou talvez seja outra tecnologia que ainda não foi aperfeiçoada o suficiente e que foi revelada apenas para gerar hype. Vamos esperar pra ver o que é o quê, antes de gastarmos nossos suados dinheiros.

Finalmente, veio o anúncio de Gears of War 4, para a alegria de todos os machinhos inseguros que freqüentam fóruns sobre o Xbox. Para o desespero deles, o novo titulo da série em nada se parece com os oceanos de testosterona não irônica aos quais eles se acostumaram.


Mas as baionetas de serra elétrica continuam, porque
não dá pra eliminar toda insegurança de uma vez

Primeiro, o herói do game é um homem com proporções humanas, ao contrário de Marcus Fenix e sua turma, que eram compostos unicamente de barbas, esteróides e ódio. Ao contrário de seus antecessores, o novo protagonista fala com uma voz normal, ao invés de soar como se estivesse perpetuamente gargarejando carne moída.

Além disso, ele é acompanhado por uma mulher. Uma mulher normal, diga-se de passagem, não uma que tenta ao máximo se parecer com Tim Tebow. Além disso, os cenários parecem mais coloridos, com tons de cinza e azul, ao invés do tradicional “marrom interior de cueca” que se tornou uma tradição no visual dos títulos anteriores da série.

Não sei vocês, mas acho que este título tem potencial para ser o melhor da série. Senão, pelo menos o melhor em enfurecer os fãs putinhas da franquia.

Só por isso, Gears 4 sempre viverá em meu coração.


Metal Gear Solid V

Após a conferência da Microsoft, foi liberado o novo trailer de Metal Gear Solid V: The Piroca of Martinho Lutero. E todos os nerds de 300 quilos e barba no pescoço do mundo todo gritaram feito colegiais histéricas em uníssono.

Ok, eu não deveria ser tão cruel com estes homens obesos e sem nenhuma conquista pessoal. O fato é que a empolgação deles é justificada, porque este será o último Metal Gear Solid decente que teremos. Com a saída de Kojima da Konami, podem ter certeza que a produtora irá terceirizar a criação dos títulos da série, da mesma forma que fez com Silent Hill.

E nós sabemos o quão bem essa história acabou, não?

Quanto ao trailer, é a mesma coisa de sempre. Cenas desconexas de conflitos, enquanto Snake faz um solilóquio sobre a guerra.

“A guerra é a destruição da alma do homem, enquanto o dinheiro é o anjo do Lúcifer. E se a teta nos é negada, devemos caminhar como dromedários em celibato, com as consequências que a realocação do sindicalismo nos trará.”

E no fim do trailer aparecem dois meninos, e a comunidade nerd inteira começou  especular se são Solid e Liquid Sna... MAS CLARO QUE SÃO SOLID E LIQUID SNAKE, PORRA! CHAMAM ELES DE LES ENFANT TERRIBLE NO TRAILER! VOCÊ TÁ JOGANDO ESSA PORRA DE SÉRIE DESDE O PLAYSTATION ORIGINAL! QUEM SÃO LES ENFANT TERRIBLE? SÃ SOLID E LIQUID! ENTÃO QUEM PODEM SER OS MOLEQUES, SATANÁS BUCETANTE???

...

Ai ai... Assistam o trailer e tirem suas próprias conclusões.



Em outras notícias, gosto muito da Quiet. Acho que ela vai ser uma das melhores personagens do game.

Vocês me ouviram!


Electronic Arts

Ah sim, Electronic Arts! A empresa mais odiada do ramo. E justificado, embora outras companhias mereçam tanto ou mais ódio do eu ela.

Bom, a EA começou com Mass Effect Andromeda. E em seu trailer (em CG, pré renderizado, CLARO) descobrimos que será possível explorar a gláxia, e vestir armadura de combate... Enquanto Ghost Riders in the Sky toca ao fundo... E... Quê?

Olha, eu sou um fanboy de Mass Effect e provavelmente vou jogar este game até ter mais cabelo nas orelhas do que na cabeça, mas seria bom se as produtoras tivessem algo concreto de um game antes de tentarem nos deixar hypados com um trailer que mostra NADA sobre ele.

Mas bom, pelo menos gerou artes interessantes:

*Imagem roubada de Gilsomar Livramento*

Depois a EA anunciou um game de esporte que eu nem lembro mais qual é. Aproveitei a oportunidade pra ir cagar.

Quando voltei, estavam mostrando Mirror’s Edge Catalyst, a continuação para o título Cult de 2008 que tanto esperávamos... Em mais um trailer pré renderizado que mostrava porra nenhuma da jogabilidade.

Vi gente tendo faniquito no Twitter por isso. Sério? Sério mesmo? QUALQUER JOGO PARECE BOM EM CG PRÉ RENDERIZADA! VOCÊS NÃO APRENDERAM ISSO AINDA???

Em seguida, anunciaram mais algum game de esporte... Ou foi um Need for Speed novo, não sei. Não me interessava. Então aproveitei a deixa para cagar mais.

...

Eu tinha comido banana com aveia no café da manhã aquele dia e cagalhei muitas vezes, ok?

Então, apresentaram o próximo FIFA, e eu me preparei para atender aos chamados do meu cólon mais uma vez. Quando estava me levantando, eis que surgiu no palco... ELE! O PRIMEIRO! O ÚNICO! O REI DO FUTEBOL! AQUELE CARA QUE AFOFOU A XUXA NO AUGE! PELÉ!!!

SIM! O ATLETA DO SÉCULO! SUBIU AO PALCO COBERTO DE APLAUSOS! RECEBENDO TODA A ADORAÇÃO QUE ELE MERECE DO PÚBLICO, QUE ENCONTRAVA-SE EXTASIADO DIANTE DE TAL LENDA E QUE se arrependeu de recebê-lo tão calorosamente, quando Pelé bancou o vovô Simpson e começou a contar toda a história de sua vida para o representante da EA que estava no palco.


Nunca uma platéia quis tanto ver um homem sofrer
um ataque cardíaco fulminante

Mas bem, anunciaram o FIFA e eu nem sei se Pelé vai estar no jogo. Só sei que eu queria muito que o Hulk Hogan aparecesse de repente e desse uma surra no Pelé, pra mostrar quem é o Atleta do Século de verdade.

Finalmente, mostraram Star Wars Battlefront. Como eu nunca liguei pra série, não dei a mínima e preparei-me para ir trocar as calças que se encheram de bosta durante a apresentação do Pelé. Eis que Luke Skywalker apareceu no game e eu senti um calafrio percorrendo minha espinha.

O que prova que eu ainda tenho algum carinho por Star Wars, e há chance da próxima trilogia consertar o estrago que As Loucas Aventuras de Anakin Skywalker causaram a minha psique.

Oremos.


Ubisoft

Assistir a conferência da Ubisoft, foi como ver o episódio dos espíritos zombeteiros do Chaves mais uma vez. Você sabe o que vai acontecer, não se surpreende em momento algum, mas não sai da frente do monitor, por puro hábito.

A conferência foi apresentada por Aisha Tyler, aquela amazona gata que serve de mestre de cerimônias para a Ubisoft há alguns anos. A produtora sabe que as pessoas assistindo este evento não tem contato com mulheres desde o ginásio, e que é só colocar uma modelo no palco que imediatamente o público prestará total atenção a tudo que ali for dito.

Então, quando todos estávamos confortáveis em nossas poltr... SURPRESA!!! Um novo Assassin’s Creed, com o subtítulo Syndicate, que se passa na Inglaterra durante a revolução industrial, e que é estrelado por um sujeito que parece o Hugh Jackman da classe trabalhadora.


Acompanhado de um bando de refugos de
peças de Charles Dickens

E daí temos os Assassinos em conflito com os Templários, por causa de blagahblagahblagahaaaaahhhhhhh...

...

Desculpem. Não consigo falar do enredo de um Assassin’s Creed sem que minha garganta feche, para me impedir de gastar mais palavras com esta franquia.

Depois, tivemos uma apresentação de vários jogos militares. Vocês sabem, aqueles games onde hominhos armados matam outros hominhos armados em uma tentativa de blagahblagahblagahaaaaahhhhhhh...

... Ok, essa é nova. Aparentemente, meu corpo desenvolveu uma resistência a falar de títulos militares intercambiáveis também.

Ah sim, anunciaram também o novo game de South Park: The Fractured But Whole, que vai focar nos alter egos super heróicos dos meninos, e que parece eu vai ser do balacobaco.

Bom, tinha de ter pelo menos uma coisa na conferência da Ubisoft que não desencadeasse uma forte reação alérgica no meu corpo.

Em outras notícias, fiz um Hangout com o Fabio Catena e a galera do Melhores do Mundo. E vocês podem assisti-lo logo abaixo.



Não, eu não apareço no vídeo, só a minha voz. Que mania vocês tem de querer ver a minha cara, mas que coisa. Se querem mesmo saber como eu sou, eu me pareço com o Greg Universe, só que mais acabado.

Pronto, tão felizes agora?


Sony

Agora, vou pintar uma cena para vocês, tentem se imaginar nela.

Você é o menino mais gordo, feio, impopular, espinhento, oleoso e com halitose crônica da sua classe. E seu dia está sendo péssimo.

Você tentou conversar com a Carminha, sua paixão secreta, mas seu bafo a fez vomitar em sua camisa novinha do Homem de Ferro. Você foi então até o banheiro, para tentar salvar suas vestes e sua dignidade, eis que os meninos da turma do fundão te pegaram lá dentro, e se revezaram para comer seu cu.

Aí, você voltou pra sala de aula, fedendo a vômito, ensangüentado e cheio de hematomas, contou tudo pra professora, na esperança de obter alguma justiça, e a velha te espancou com o apagador até você ficar inconsciente. E antes que recuperasse os sentidos, ela enfiou o apagador no seu cu também.

Aí a aula termina e você ta lá, espancado, vomitado, com sêmen do Robertão escorrendo pela sua cueca e torcendo para que a substância viscosa ao menos te lubrifique o suficiente para desentalar o apagador. Mas quando você chega em casa, sua avó o recebe com um sorriso, lhe oferece as cocadas que acabou de fazer (dane-se o almoço! Netinho querido não precisa de comida saudável), pronta para te dar colo e te adorar, mesmo você sendo um arremedo de ser humano.

A Sony foi isso, a avó legal que faz tudo por você e torna melhor qualquer dia de bosta. O que alias, tornou-se uma tradição nos últimos temos. A Microsoft tenta nos empurrar alguma tecnologia nova totalmente imbecil e dispensável, a Electronic Arts nos enfia games de esporte goela abaixo, a Ubisoft tenta nos impressionar com Assassin’s Creed e algum jogo militar que foi idealizado pelo cadáver de Tom Clancy, e quando já estamos exaustos e esbaforidos, a Sony chega e diz: “Hey, crianças! Sabem aqueles jogos que vocês tem hypado há quatro anos? Pois é, aqui estão eles!

Primeiro, nos mostraram The Last Guardian. É, aquele game que eu achava que tinha virado Vaporware, e que está sendo desenvolvido pelos mesmos criadores de Shadow of the Colossus.

E de Ico. Que vocês, seus sacripantas bestiais, sempre fazem questão de ignorar.

The Last Guardian não parece nem um centímetro mais bonito do que quando foi apresentado anos atrás, e a jogabilidade me pareceu bem básica.  Mas o bebê grifo é insuportavelmente fofinho e eu quero jogar só pra poder brincar com ele. E sei que todos vocês também.


Mas vamos ser honestos, todos sabemos que o bebê grifo
vai morrer no fim do jogo. Mas é claro que vai

Em seguida, mostraram No Man’s Sky, aquele sandbox onde o jogador pode explorar uma galáxia inteira e todos os planetas dela em tempo real. Confesso que acreditei que este game tinha virado Vaporware também, pois desde que foi apresentado na E3 do ano passado, não ouvi muitas notícias a seu respeito nos bordéis que freqüento. E pessoalmente, achei que a escala do jogo era grande demais para os consoles modernos.

Bom, parece que eu estava errado. No Man’s Sky tá bem legal, e fiquei bem interessado em jogar quando for lançado.

Então houve o anúncio que fez todos os homens presentes sofrerem ereções tão massivas, que suas funções cognitivas foram seriamente afetadas nos minutos seguintes, devido a falta de sangue no cérebro. Enquanto as mulheres na platéia encharcaram as calcinhas de tal modo que elas poderiam resolver o problema da seca no Nordeste se seus fluidos fossem recolhidos e devidamente distribuídos.

Claro que estou falando do remake de Final Fantasy VII, que por alguma razão, o mundo parece querer.


Com 85% mais "ZÁS" que o jogo original

Agora, eu não gosto muito da idéia de um remake de Final Fantasy VII, porque acho que é um game que não precisa de remake. Claro, o jogo original tem gráficos ridículos para os padrões modernos, com os bracinhos de Popeye do Cloud, e é difícil ler a linguagem corporal de um personagem e entender se ele está com raiva, fome, ou se simplesmente viu uma moeda de Um Real no chão e está pensando se o esforço de pegá-la vale a pena.

Mas Final Fantasy VII não precisou de gráficos realistas para ser um sucesso, pois tinha uma história marcante e personagens inesquecíveis. Tanto que ainda estamos falando dele quase duas décadas após seu lançamento. O que um remake acrescentaria a o legado deste game?

Ah bem... No fim das contas, Final Fantasy VII Remake só existe porque os fãs deixaram claro que pagarão o que for para tê-lo. E a Square Enix está tão determinada em colocar as mãos no dinheiro do público que atenderá a todas as suas demandas para isso.

Não vou me espantar se for possível ressuscitar a Aerith antes do fim do jogo.

Quando eu achava que nada mais poderia fazer meu coração duro e carcomido bater de novo, um japonês MINÚSCULO subiu ao palco. Era Yu Suzuki, AQUELE Yu Suzuki, lendário designer da Sega, dos bons tempos em que a produtora ainda tinha alguma paixão e não prostituia o Sonic para executivos entediados de meia idade.

E após usar esta piada repetida à exaustão, tenho certeza que se procurarmos com afinco, encontraremos Hentais em que o Sonic está vestido de colegial e sendo comido por japoneses velhos pançudos e cheios de verrugas.

E se não existirem ainda, algum desenhista desocupado, muito suado e sem nenhuma aptidão social se encarregará de criá-los após ler este trecho do artigo.


Enquanto isso, aqui está algo igualmente perturbador

Onde eu estava? Ah sim, Yu Suzuki. Pois bem, o senhor Suzuki virou para a platéia e disse: “Hey, lembram de Shen Mue? Aquele jogo bacana do Dreamcast que nunca foi completado e que deixou milhares de vocês, que não conseguem deixar sua adolescência para trás, de coração partido? Pois é, se vocês me bancarem no Kickstarter, farei a parte III, finalmente.”

Bom, ele pediu US$ 2 milhões no Kickstarter. Nove horas depois, tinha atingido sua meta com sobra. De fato, no momento que escrevo este texto, Shen Mue III acumulou mais de 3,5 milhões em doações. E os fãs ainda têm quase um mês para injetarem grana no projeto se assim desejarem.

Não duvido que ao fim deste tempo, Yu Suzuki tenha arrecadado o PiB da Europa.

“Ain, mas o jogo original custou mais de 70 milhões de Dólares. Como ele vai bancar Shen Mano III com apenas dois milhões? Você está errado, Amer. Não tem integridade jornalística nenhuba.”

Ora, meu caro demente. Já pensou que a campanha do Kickstarter pode ser apenas uma forma de medir o interesse do público no game? Mais importante, é a forma que os investidores usaram pra ver o quanto iriam faturar com pre-orders do game?


Entre os novos IP’s, teve Horizon: Zero Dawn, mais um game onde um apocalipse aconteceu e varreu a civilização do mapa. Exceto que aqui, os sobreviventes se reorganizaram em uma sociedade tribal, que caça para sobreviver, como nos bons e velhos tempos, os anos 1970.

E por alguma razão não explicada, os humanos precisam enfrentar dinossauros mecânicos... Que não devem ser bons de comer, mas que devem oferecer algum recurso muito necessário para a subsistência dos novos humanos. Os mecanismos de combate também pareceram bem legais e criativos.

Ah sim, a protagonista do trailer era uma mulher, nada sexualizada. Lembrem-se disso, pois será importante depois.


Quero ver cosplays dessa personagem. AGORA!!! JÁ!!!

O que mais teve? Ah sim, Dreams, que pode ser definido como Massinha Animator 2000. O jogador pode criar qualquer tipo de animação que quiser com modelos que parecem feitos de argila. Logo, todos poderemos criar animações comunistas exatamente como aquelas vindas do Leste Europeu, e que a rede Cultura exibiu com tanto orgulho durante nossas infâncias.

Sim, estou repetindo uma piada do meu último Let’s Play. Estou cansado.

Finalmente, mostraram que Assassin’s Creed Syndicate também terá uma protagonista feminina: Evie Frye, irmã gêmea de Jacob Frye. Lembrem-se disso, pois será importante depois.

Oh, e Batman Arkham Knight. Vai ter ainda mais DLC.

Além dos pacotes de missões da Arlequina, Capuz Vermelho e Cesar Romero, também terá missões exclusivas com o Espantalho... Ou contra o Espantalho... Ou em que será necessário levar o Espantalho em um encontro, com cinema e jantar, depois acompanhá-lo até seu apartamento e fazer amor docemente com ele.

Porque é exatamente isso que Batman: Arkham Knight precisa: MAIS DLC! A edição Game of the Year deste título parece cada vez mais um investimento melhor.

E teve Uncharted IV, que foi como um chocolate de menta ao fim de uma grande refeição: Algo que você irá largar na penteadeira assim que for pra cama, porque estará entupido demais com tudo que lhe foi servido durante a noite.


Nintendo

Uma garota que conheço resumiu a presença da casa do Mario da seguinte forma: “Só digo uma coisa: essa conferência da Nintendo na E3 foi mais brochante que lingerie bege.”

*APLAUSOS*

Assim como fez nos últimos anos, a Nintendo mostrou dois enormes dedos do meio para todos enquanto gritava: FODA-SE A E3! E FODAM-SE OS FÃS! CHUPEM NOSSAS BUNDAS!!!

Nada de conferência ao vivo, apenas uma gravação onde Shigeru Miyamoto, Regis Fils Aime e Satoru Iwata apareciam como Muppets, o que foi bem engraçado. Qualquer coisa que remotamente lembre as crias de Jim Henson é imediatamente divertida em minha opinião.

Daí Miyamoto anunciou Starfox Zero, para Wii U, que parece bem legal e recicla idéias que foram desenvolvidas originalmente em Starfox 2... Aquele jogo que a Nintendo cancelou logo que estava completo, para não concorrer com Starfox 64.

Yep, a Nintendo está precisando recorrer a jogos cancelados de duas décadas atrás para ter o que mostrar para o público. GLORIOSO!!!

Depois anunciaram Fire Emblem Fates e Mirage Master, ambos games bem bonitos e com uma estética tão baseada em Anime que os Otakus que estavam assistindo escolheram uma dúzia de novas Waifus só assistindo aos trailers que foram exibidos.

Daí, começaram a falar de Amiibos... E foi quando eu desencanei da conferência e fui assistir Steven Universe. Vocês já viram a abertura da segunda temporada? É a coisa mais linda do mundo!


AH sim, a Nintendo anunciou também Metroid Prime: Federation Heroes. Um shooter genérico que tem muito pouco a ver com a saga de Samus Aran, mas que usa o nome da franquia para faturar alguns dobrões com aqueles fãs que possuem transtorno obsessivo compulsivo e precisam comprar TUDO que seja lançado de sua série favorita.

Mais ou menos como eu era nos anos 1990, com Final Fantasy.

Ou como sou hoje, com Persona.

Bom, os fãs não gostaram nada disso e iniciaram uma petição online exigindo que a Nintendo não lance o dito game. Ao invés de tomar o caminho mais lógico e simplesmente não comprá-lo quando chegar às lojas, o que... AH MEU DEUS. É A INTERNET. POR QUE EU AINDA TENTO COLOCAR SENTIDO NELA?


Square Enix

A Square Enix também teve uma conferência no evento, para surpresa de todos... Ou pelo menos, para minha. Digo, a empresa teve conferências nos anos anteriores? Eu não lembro, e pessoalmente não me importo o suficiente para pesquisar.

Mas devo dizer que a Square Enix foi quem mais me impressionou este ano, pois seu primeiro anúncio foi a continuação de Nier. E eu amei Nier! É to niilista e depressivo e a gente se sente tão mal quando termina! Definitivamente, é um dos meus games favoritos da geração passada de consoles.

Da mesma forma, Nier tinha uma jogabilidade medíocre, o que com certeza afastou muitos fãs em potencial. Não é o tipo de game que eu esperava que fosse gerar uma franquia. Acreditei que seria eternamente um título Cult, jogado por poucos e mencionado em conversas de bar, quando todos estivessem falando de MMA e o nerd residente tentasse pateticamente fazer a conversa ser sobre um assunto que o interessasse.

Depois disso, anunciaram Kingdom Hearts para celulares, que pode chupar meu pinto! Logo em seguida, coloquei o pinto dentro das calças, porque anunciaram Kingdom Hearts III!

E é muito estranho ver qualquer coisa relacionada a
Kingdom Hearts com o pau pra fora

E eu honestamente não me empolguei.

Mesmo, o trailer mostrava dois personagens que eu não faço idéia de quem são, jogando xadrez e tendo uma conversa tão sem sentido que poderia ter sido escrita por Hideo Kojima. A conversa era entrecortada por cenas em que Sora, Pateta e Donald desciam o sarrafo em Heartless.

E nesse aspecto, KH III não deve nada ao resto da série, pois parece tão confuso quanto seus antecessores. Sejamos francos, o enredo da franquia não faz sentido nenhum desde o segundo game. É uma salada de Heartless e Soulless e Pantless e todas essas coisas... Tudo misturado em um monte de fan service de Final Fantasy e Disney, os únicos motivos pelos quais continuamos voltando a este mundo.

Mas bem, agora Star Wars e Marvel são da Disney, e há um fiapo de esperança que possamos colocar Pateta e Donald pra tretar com Darth Vader e Thanos. Isso deve manter o hype alto até o game ser lançado e vermos que nenhum dos mundos que tanto queríamos ver está presente no game.

Depois, a Square Enix nos lembrou de que vai fazer o remake de Final Fantasy VII, para o caso de toda comunidade gamer do planeta ter esquecido aquilo que fez artérias estourarem em seus cérebros na noite anterior. Mas isso não seria tudo que a produtora tinha a apresentar de Final Fantasy! Não senhor, também nos foi apresentado WORLD OF FINAL FANTASY!!!

É... Pois é.

Basicamente, é um JRPG que estão desenvolvendo para Ps4 e PsVita (como se alguém no planeta ainda jogasse Vita) e que parece um jogo de celular... O que não é algo muito positivo, sendo que vai ser lançado para uma plataforma de geração atual.

Seja como for, World of Final Fantasy prestará homenagem a heróis de toda a saga, representados por bonequinhos chibi. E a história é protagonizada por um casal de pirralhos que parecem ter dez anos de idade e nada no corpo exceto jujubas e a capacidade de ficarem empolgados com idiotices.

Mas mais importante que isso, a menina tem PEITOS ENORMES!!!

E não falo disso como se fosse um ponto positivo. Ela parece estar na 4ª série e já precisa usar sutiã tamanho GG. Não sei vocês, mas fico muito desconfortável com a aparência desta personagem. Quem foi o tarado que a desenhou? O mesmo cara que fez Character Design de Ben 10 Omniverse?


Se não fica desconfortável vendo esta imagem, então todos
devem ficar desconfortáveis ao verem VOCÊ!

Finalmente, a Square Enix encerrou sua conferência com os anúncios de um novo Star Ocean, de mais um Hitman, e do próximo Deus Ex... Mas a essa altura eu estava de saco cheio demais do evento e apenas contava os minutos para ele acabar.

Não me olhem assim. Sei que muitos de vocês compartilharam este sentimento.



A presença feminina no evento

Lembram de todas as vezes que mencionei uma personagem feminina em um dos games apresentados, e disse que seria importante depois?

Pois o depois é AGORA!!!

...

Eu sou melodramático. Me processe.

Ok, vou falar sério por um momento, se me permitirem.

Pois bem, com base no que vi nesta E3, arrisco dizer que perto de 50% dos games apresentados tinham uma mulher como protagonista, ou nos davam a opção de escolher entre um cara ou uma garota. Os outros 50% eram estrelados exclusivamente por homens, ou eram títulos esportivos, onde se controla times, ou onde não é estabelecido um gênero para o jogador controlar (como em jogos de corrida).

Da mesma forma, acredito que metade das pessoas que subiram ao palco para apresentar os novos títulos eram mulheres. Houve bastante representação feminina no evento este ano, o que não é uma surpresa, se lembrarmos que 48% do público gamer hoje em dia, é composto por garotas.

Meu ponto com este parágrafo é que na questão da representação de gênero, a indústria de games está avançando mais rápido do que outras mídias. Cada vez mais personagens femininas estrelarão grandes títulos, e mais e mais mulheres tornar-se-ão figuras importantes dentro deste mercado. Diabos, eu tenho uma amiga que se mudou para o Canadá porque tem por meta trabalhar com games e conquistar uma fatia desta torta.

E hoje em dia, existem pessoas que clamam aos quatro ventos que o meio gamer é "misógino" e "tóxico", e que faz o possível para sistematicamente impedir a entrada de mulheres em seu "clube do Bolinha"... E isso é mentira. É uma mentira tão deslavada que dói.

Vinte anos atrás, Games eram um passatempo quase que exclusivo de homens, mas as coisas mudaram. A cada dia, mais mulheres tornam-se Gamers e a comunidade que já existia aceitou essa mudança de braços abertos. Por que seria diferente? É uma oportunidade de conhecer novas pessoas que compartilhem de uma paixão com você, fazer novas amizades, quem sabe conhecer um namorado ou namorada que curta passar as noites de sábado na frente da tevê jogando Skyrim.

Se você é mulher, e sofreu algum tipo de ataque por parte de pessoas que curtem games, isso não aconteceu porque a comunidade gamer é sexista e misógina, mas porque você deu o azar de conhecer um troll. Essas pessoas te atacam por ser mulher, mas fariam o mesmo com um gay, um negro, um gordo, ou qualquer outra pessoa que um dia lhes desagradasse, não importa o motivo.

E isso existe em todo grupo de fãs do mundo. Sejam eles de Dr.Who, My Little Pony, MMA, Jane Austin... O que for. Se você é parte de uma comunidade de fãs, um dia vai encontrar alguém que irá te agredir da forma mais horrível, simplesmente por saber que pode escapar impune disso.

É a internet.

É claro que existe sexismo no meio dos games, mas é algo que está sendo erradicado em passos mais largos do que parece. Com o tempo, deixará de existir completamente, porque a sociedade está se tornando melhor a cada dia.

Por isso, eu peço a vocês, tomem muito cuidado com os "revolucionários" da internet. Pessoas que clamam que a comunidade Gamer é misógina e cheia de ódio, que condenam todo um grupo de pessoas sem base alguma, e que perpetuam um ciclo de desinformação e ódio, apenas para levar adiante os próprios interesses, sejam políticos ou financeiros.

Inúmeras pessoas que hoje dizem "lutar contra a misoginia dos games", inventam problemas onde eles não existem, e o fazem apenas porque tornou-se uma plataforma para se ganhar destaque na mídia e dinheiro fácil. Essas pessoas não se importam com sexismo ou igualdade de gêneros, e assim que o poço dos games secar, elas partirão para novas e suculentas controvérsias.

Assim, desenvolvam um senso crítico. Aprendam a olhar todos os lados de uma questão, informem-se o máximo que puderem sobre um assunto e só depois criem uma opinião a seu respeito. E mais importante, questionem TODO discurso que virem pela internet, por mais que ele concorde com suas opiniões.

Porque nenhuma opinião é absoluta, ok?

Ok. Pago um cookie pra vocês na próxima vez que nos encontrarmos.


Conclusões finais

Eu aprendi uma coisa hoje: Cobrir a E3 é um saco. Portanto, este será o primeiro e único ano que farei isso.

HOORAAAAAAAAAY!!!

Ademais, finalmente estou me sentindo empolgado pra comprar um console de geração atual.

Um Playstation 4.

E agora, sintam-se a vontade pra me chamar de “Sonysta” e fazerem acusações de que eu recebi grana da Sony para escrever este último parágrafo.

Sim, claro. Porque a Sony, uma MEGA CORPORAÇÃO JAPONESA, se importa muito com o que um blog tem a dizer sobre seus produtos.

Pois bem, isso é tudo por hoje.

Cheers!!!

13 comentários:

Ero Lucas disse...

A Nintendo realmente cagou no pau com a conferência, mas juro que aquele crossover de Mario & Luigi e Paper Mario parecia razoavelmente interessante. Mas a Nintendo só falar desses malditos amiibos ultimamente já me encheu o saco há eras e só continua a encher, puta que o pariu. Não demora eles param de produzir jogos pra ficar mexendo com esses bonecos lazarentos (sim, eu sei que não o farão, mas foda-se). O resto dos jogos parecia bem "ok" ou "meh" (Metroid Federation foi um chute no saco, puta que o pariu). Mas ao menos vai lançar Hyrule Warriors pra 3DS e eu vou poder jogar (não comprarei um Wii U nem sob ameaça de morte, que o diabo me carregue) e o Mario Maker me pareceu o tipo de jogo que você mexe por menos de uma hora e depois enjoa para sempre, mas aposto que vai virar uma febre entre uma certa comunidade, afinal tem uma possibilidade ENORME de ser um jogo divertido para quem gosta disso, mas pra mim parece chato.

Pra quem curte, KH3 teve um trailer bacaninha e quem entende a história (pessoas sem vida como eu) acharam bem interessante. Mas eu me interessei muito em Deus Ex que parecia bem bacana e o novo Hitman parece que será bem daora. Curti demais o lance de você poder planejar seus assassinatos de VÁRIAS maneiras diferentes e ganhar um certo "Rank de eficiência" com mortes mais discretas e elaboradas. Se o jogo sair aquilo que promete, juro que é um dos títulos mais interessantes da próxima geração a meu ver, ou ao menos que eu fiquei afim de comprar.

Ubisoft foi a Ubisoft e a EA foi a EA, mas eu também fiquei um pouco com gosto agridoce do novo Mass Effect. I mean, não falou porra nenhuma além do título e que será na galáxia de Andrômeda. UM POUQUINHO de gameplay ou enredo não mataria, pelo amor.

E você vai querer me matar, mas como eu não ligo pra Fallout (desculpem, jogos de mundo extremamente aberto me entediam com uma facilidade sobrenatural) então não opino muito.

Mas o lance da Microsoft ter retrocompatibilidade e não querer enfiar goela a baixo aquela droga de kinect foi uma benção. Pontos pra empresa do Bill.

Mas Amer, eu podia jurar que você ficaria mais animado com o anúncio do remake de FF7, mas oh well.

Galomortalbr disse...

cara queria tanto retrocompatilidade no PS4 :(

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

quando saiu esses games na conferencia da Sony, acompanhando o Hype de inúmeros sites e ouvindo podcasts sobre a E3, me deu a impressão que a Sony "ganhou" a feira no primeiro momento...

mas pelo que contam, a Sony não tinha nada de impressionante a mostrar, tinha esse No Man Sky e Uncharted 4, mas isso era o que o pessoal esperava anunciar. já se aguardavam remasters a torto e direito até jogarem Last Guardian, FFVII Remake e Shenmue 3 de uma só vez para o publico. mas sem data de lançamento...é muita coisa para uma E3.

seria o mesmo se alguém me dissesse que a Mariana Ximenes irá posar na Playboy um dia...mas quando e em que mês? ou seja: sem datas, nada de jogo. mas acredito que pelo menos UM desses três estará para jogar daqui a 2 anos.

Ero Lucas disse...

Acho que FF7 sai em 2017 pra comemorar 20 anos do lançamento do original (seria uma data perfeita pra lançamento, honestamente), e seria os 30 anos de Final Fantasy. Numericamente falando, é a data mais que perfeita para esse lançamento. Eu só temo que KH3 e FF7 remake vão "se chocar" (Nomura trabalha nos dois projetos em cargos importantíssimos), ainda mais com o fim da produção de FF15. Acho que KH3 vai demorar a ver a luz do dia, tipo aconteceu com o Birth By Sleep.

E The Last Guardian e Uncharted 4 pareciam do caralho. Mas realmente não creio que a Sony ganhou a E3, ao menos não com essa margem de diferença enorme. Retrocompatibilidade do Xone pro 360 foi um chute no saco da Sony. Mas Shenmue 3, FF7 Remake, Last Guardian e Uncharted 4 foram boas coisas da Sony a terem sido mostradas, e só o hype de FF7 Remake foi basicamente o que eclipsou todo o resto das outras companhias.

Mas minhas duas maiores decepções foram a ausência de um Metroid com a Samus (Federation Force é meu pau de óculos) e NADA de informação de Persona 5 ou algum SMT novo (FE x SMT não conta, francamente). Pelo menos teve Dark Souls 3, mas ainda to com gostinho amargo na boca.

Helio Mendes Jr ou Kamen Homer disse...

sobre a menina tetuda amer, voce sabe que é japão porra o pais mais pedofis do planeta, é normal que as meninas la tem tetas de 95 cm busto!

Unknown disse...

Nada sobre Street Fighter V, Amer? Vc já foi melhor do q isso... rsrsrs!

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

sem duvidas para muitos, esse foi a "E3 de 1998" dessa geração.

Doom e Fallout 4: o primeiro acho que é um reboot em ultra HD com toques de Dead Space. se o jogo não tentar aplicar susto a cada 10 segundos, já está otimo. e Fallout...sinceramente, não me deixou empolgado.pode possuir mais opções e lugares a se explorar, mas vai ser o mesmo dos games anteriores. estou feliz com o meu New Vegas, obrigado.

eu espero até hoje esse Master Chief Collection vir para Pcs...mas isso nunca acontecerá e sobre Halo 5, para muitos, a história já deveria ter acabado no terceiro jogo. mas "Master Chief nunca é demais" para os fãs hardcore e ver o novo visual da Cortanna (uma IA SUPER inteligente que não sacou até hoje que está PELADA diante de um super-soldado virgem (não acredito que Chief seja gay, mas ele nunca teve namorada, então...) e enche o saco do mesmo nos piores momentos, Halo 3 abraços!!) é um "colírio" para a Nação Halo.e eu tendo PC, tenho de me conformar com versões para celulares na Steam, que são legalzinhos até. gosto de Halo e tal, mas não sou fanatico e não vou comprar o XONE (nome horroroso, preferia MUITO MAIS X720) só para jogar esse game

deram fim ao Kinect, que na minha opinião de merda, foi uma boa coisa. deixem essa coisa de "sensor de movimento" para a Nintendo. mas pelo menos o Kinect vingou mais que o PSMove. (que lembrava um vibrador ou algo pior)

Gears of War 4...meh! achava legal a franquia quando eu ainda não tinha entrado na "geração Microsoft vs Sony" hoje...digamos que eu prefira mais Halo do que Gears.

MGSV está para mim o mesmo que acho do Batman hoje após ler A Piada Mortal....que ambos e o Alan Moore vão se foder!! e que sejam violados por vários afroamericanos de 2 metros de altura e com 1 KM de pica cada um....e vestidos de palhaço.

e como você falou Amer, provavelmente a Konami vai tentar ordenhar MGS o quanto puder até os próximos games serem uma porcaria, o que para mim, whatever. estou cagando para a franquia.

eu levei 5 minutos para entender a foto do Shun no novo Mass Effect...tá me chamem de lento, mas porque não chamar o game de Mass Effect 4 duma vez? esse nome "Andromeda" parece nome de Spin off. e espero que dê para o nosso personagem ser de outras raças além de humano.

sobre FFVII, menos Amer. pois o plot de: "Super Soldado surta ao descobrir que é um monstro e resolve destruir o planeta" não é algo digno de nota (Solid Snake, Cap. America e Master Chief cuspiriam na cara de Sephiroth) ,sobre os personagens...digamos que Cait Sith, Yuffie e Vincent são dispensáveis e Tifa e Aeris só servem pra bronha mesmo. geralmente o pessoal jogam com Barret, Cid e XIII (admito que são legais, vai) e o Cloud que INFELIZMENTE não dá para tira-lo da liderança da porra da Party.

legal a noticia do Remake, mas repito: NENHUMA FORÇA DO PLANETA vai me fazer a retornar a MALDITA quest de fazer o maldito chocobo dourado!! eu sofri 6 meses para fazer esse bicho. e o pior que acho que sou o unico do planeta a sofrer nessa quest pois a cada pessoa que falo, eles dizem que é uma das missões mais divertidas do jogo...

claro, TUDO é mais divertido quando se tem um Detonado SUPER detalhado.

World of Final Fantasy: Caguei e andei...e soltei um peido

novo Deus Ex: legal, mas não estou com pressa de pega-lo no lançamento.

e sobre a Nintendo...eu não sou tão fã de Metroid, mas aquilo mostrado na conferência deles não é aquilo que esperavam e até o tal Mario Maker o pessoal está com um pé atrás. embora a conferência tenha sido um fracasso (na minha opinião, só Starfox que prestou nos jogos mostrados) isso me fez olhar os fãs da Nintendo de outro modo.toda empresa tem a sua cota de Fanboys,mas até para Nintendista, fanboylolismo tem limite para a maioria deles e tiveram de reclamar.

mas sempre tem aqueles que mesmo se a empresa defecar e urinar na boca deles, esses ainda vão venera-la, mas é uma minoria nesse caso.Obrigado pelo post Amer, você é um daqueles que mais aguardava a sua opinião sobre o evento. Cheers e Gerônimo!!!

José Abrão disse...

Acho que a única parte boa do atual mercado AAA de games ser tão bosta é que, se você tiver bom-senso, você acaba gastando pouco com games por ano: no final das contas, por ano, saem só uns 3 discos que valem realmente a pena. Esse ano mesmo, The Witcher 3 foi massa e Fallout 4 provavelmente vai ser também. Até Arkham Knight parece um repeteco sem graça dos jogos anteriores (inclusive aguardo sua resenha caso vc tenha coragem. Não consegui me empolgar com esse jogo).

Roni Lanes disse...

Amer por que você não gosta de mostrar a cara? Alguém ja te ameaçou de morte?

Vinicius Hass disse...

Para não falar que eu cheguei aqui e já quero sentar na janela eu acompanho o blog tem uns 7 anos, mas sou muito de escrever, mas me dei a esse privilegio dessa vez.

MGS se não me falha a memoria é de direito do Hideo Kojima, a Konami só pode gerar jogos com aquele spin off do Raiden que da para desenhar com a espada nos inimigos, ou sei lá é tipo um relacionamento difícil, então ele saindo da Konami só vai gerar chorume com o nome de MGS, não duvido nada sair uma DLC para jogar com o Sneak no próximo PES (ainda existe PES?).

O esquema de não se chamar Mass Effect 4 é porque não é continuação da trilogia original do Sheppard, vai ser outra historia com outros personagens, talvez em outra linha de tempo, em andromeda, a única informação que eu tenho sobre esse jogo é que seremos agentes da M7 (que nem no Mass Effect 1), e vai ter novas raças, e na boa a historia de mass effect é manjada, chega uma raça de alienígenas NOVA PERDIDA tentando destruir o mundo, e você consegue chutar a bunda dela para os confins do universo, o que faz o jogo ser épico é a jogabilidade e o desenvolvimento do jogo, por que o big plot é tão manjado como filme do 007.

Sobre o FFVII, eu comprei tudo que podia até FFXIII, quando joguei aqui e vi que teria continuação prometi sair do vicio do FF, e o 7 é melhor que o 8 no PS1 mas ta longe de ser um FF que eu considere O MELHOR, na verdade é um jogo bem medíocre, acho que ele marcou a infância de muitos por ser uma inovação na época que foi lançado, e se eles quiserem cagar esse FF eles vão cagar sem esforço algum...

Deus Ex é o único jogo primeira pessoa que eu joguei em quase toda minha vida que falei "massa vou zerar de novo", e acho que esse novo Deus Ex vai ser do balacobaco, ainda mais por que a empresa realmente ta tentando trabalhar a historia mesmo eu sentindo ainda o jogo meio linear. Para falar a a verdade os melhores títulos da Square Enix recente mente são as franquias que ela comprou para faturar em cima de fãs bitolados que compram tudo da franquia.

E tem o novo Hitman, depois de uma Hype desgraçada criado pelo ultimo, acho que eles vão voltar a época do Blood Money (que decorei todos os movimentos dos personagens para fazer todos os assassinatos perfeitos com time perfeito...), o que é visto como o melhor jogo da serie, mas eu tenho esperança que algum produtor vai conseguir cagar isso tudo "Não, não mais tiro, mais sangue, menos dificuldade" (leia isso com um sotaque japonês estereotipado)

E para terminar, as ultimas E3 foram uma bosta, e na boa esse ano foi da M$, não porque ela teve uma conferencia boa, mas a sony só empurrou um bando de titulo que ela quer vender para continuar a dominar o mercado, pouca coisa ali eu vi e falei "po que ideia de jogo legal", e não que tenha sido difícil a M$ "ganhar" essa E3, sem retrocompatibilidade não dá...

Gutembergue Lucas Vila Nova disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Franci23 disse...

Olha, entendo e respeito sua opnião em tudo que falou mas esse seu odiozinho copioso contra Gears Of War é muita insegurança da SUA parte e não do publico do jogo, o jogo ser overpower é a maneira que ele tomou pra ter um estilo diferenciado e veja que tudo no jogo é overpower,das armas as soldados, sim as mulheres aqui agem como soldados e não são estereotipadas ou sexys demais, aqui são tão soldados quantos os homens e se eles e os inimigos do jogo te desagradam, por causa de sua insegurança, isso é o mesmo de uma dessas feminazi que ficam nervosinhas porque uma mulher faz propaganda de langerier,hipocrita.
Desculpome por comentar tão tardiamente mas tinha que fazelo uma hora.
Obs.: nem uma das produtoras empolgou de verdade, FFVII remake?! Méhh! Lançar jogo que já tinham cancelado trazendo trailer antigo não passa de jogada caça niquel... falar a verdade, ficaria mais propenso a comprar um X1 pois pelo menos tentaram criar algo novo e com a retrocompatibilidade deixaram o passado onde deve ficar, no 360.

Rakka of Glie disse...

"Pessoas que clamam que a comunidade Gamer é misógina e cheia de ódio"

Eu achei isso totalmente maluco quando vi pela primeira vez. Aí sentei e assisti a como os gamers responderam a tal e me convenci de que está mesmo cheio dessas coisas. Eles podem não ser a maioria entre nós, mas a maioria de nós está mais preocupada em reagir a qualquer coisa que suje nossa imagem coletiva do que lidar com isso.
Outra coisa é que esta E3 aconteceu depois de a conversa sobre como os jogos incorporam personagens femininas já era um dos assuntos mais populares da internet. É bem possível que os desenvolvedores tenham levado toda esse barulho em consideração em relação a incorporação das personagens femininas nos seus jogos.