segunda-feira, 1 de junho de 2015

Crítica do Amer: Vingadores - Era de Ultron


Estão prontos para se sentir velhos? Muito bem, vamos lá.

Faz quase uma década que Jules Winnfield chegou para o Charles Chaplin e falou: “Me diga, nego. Você tá ligado numa parada chamada Iniciativa Vingadores?” Naquela que se tornaria a cena pós-créditos mais reproduzida da história do Youtube.

E crianças, como este um minuto de diálogo ao fim de Homem de Ferro rendeu. Pois cá estamos nós, com Vingadores: Era de Ultron. Provando de forma definitiva, que o cinema desta geração pertence aos super heróis.

Digo... Aos super heróis da Marvel. Porque a DC ainda não acertou o passo.


Sério, Homem de Aço? HOMEM DE AÇO? Mas de quem foi a idéia de fazer um filme depressivo e sombrio com o Superman? Que herói lazarento, que não dá a mínima pra dano colateral e destrói a cidade inteira ao enfrentar o vilão.

E quer saber, KAL? Quando você indiretamente extermina DEZ MILHÕES DE PESSOAS, matar o vilão pra salvar uma família de quatro (a família tinha quatro membros, não estavam todos em posição de cachorrinho) parece HIPÓCRITA PRA CACETE!!!

Mas... Estou divagando. Esta não é uma crítica de Homem de Aço, mas sim de Vingadores: Era de Ultron. E se querem saber, gostei muito do filme.

Diferente de Homem de Aço, que é UMA BELA BOSTA, e que joga lama no bom nome do Superman. Ohhhhh, Zack Snyder, eu o odeio! E eu queria mandar o Ursinho Fritz até sua casa para...

...

E estou divagando de novo. Muito bem, falemos dos Vingadores, sim?

Avante!

"Muito bem, amigos, todos sendo gatos a partir de...
AGORA!"

O filme continua de onde Capitão América: O Soldado Invernal parou. Nosso patriota favorito (Chris Evans) lidera seus amigos na missão de desmantelar bases da Hidra ao redor do mundo. A organização conseguiu tecnologia Chitauri nos sets de filmagem do primeiro longa e está fazendo uso deles para criar mutantes (perdão, “inumanos”), fabricar armas de destruição em massa, manter o Gugu na televisão e todo tipo de horror que se possa imaginar.

Após uma sequência de abertura de tirar o fôlego e molhar calcinhas, nossos heróis investigam a base inimiga. Tony Stark (Robert Downey Jr.) encontra o laboratório secreto com toda a tecnologia Chitauri roubada, mas antes que possa fazer algo com ela, a Feiticeira Escarlate (Elizabeth Olsen) mexe com sua cabeça e o faz ter uma visão, onde todos os Vingadores estão mortos e o mundo destruído.

Paranóico com a possibilidade, Stark resolve criar um sistema de defesa global, para proteger o mundo de ameaças alienígenas e inter dimensionais, e... MAS É CLARO QUE ISSO DEU ERRADO.

Ao invés de conseguir a paz que tanto queria, Stark criou Ultron (James Spader), um robô assassino super poderoso, com total conhecimento do mundo e a maturidade de um garoto de 14 anos que tem problemas com o pai. Assim, os Vingadores tomam a decisão mais racional possível para se lidar com um adolescente problemático: Eles decidem matá-lo.

Boa!

Estou sendo intencionalmente vago, pra não estragar o filme para as duas pessoas que ainda não o assistiram. Mas o caso é que Vingadores: Era de Ultron possui um roteiro muito mais complexo do que o filme anterior.

Os Vingadores era bem HEY! O Loki tem um cetro mágico, e HEY, o Loki tem um exército de lanfranhudos feios pra cacete do espaço, e HEY, o Hulk pegou o Loki pelo pé e bateu ele no chão e HEY, olha o Thanos olhando pra gente e sorrindo feito aquele vizinho estranho que mora no fim da rua e que eu tenho certeza que já vi no Cidade Alerta.

As coisas são mais complicadas dessa vez e os riscos são maiores. O vilão foi resultado do erro de um dos heróis, e mesmo que seu plano seja a aniquilação da raça humana, ele age assim mais por confusão e raiva do que malícia genuína.

Da mesma forma, os heróis também demonstram suas imperfeições. Obviamente, o erro que criou Ultron, além da incapacidade de tornarem o mundo absolutamente seguro como desejam. Nos combates que se seguem, podemos ver um bocado de dano colateral, e embora os Vingadores se esforcem para proteger os inocentes (ouviu, Superman?), é óbvio que eles não têm condições de salvar a todos.

Mas essa complexidade também traz uma série de novos problemas. Infelizmente, o filme tem apenas duas horas, e não há espaço para se colocar tudo que o diretor (Joss Whedon, mas vocês já sabiam) queria. Assim, diversos trechos do filme parecem muito corridos, enquanto outros trazem furos de roteiro bem notáveis.

Por exemplo, no começo do longa os Vingadores atacam uma base da Hidra que se encontra em território estrangeiro. Quem sancionou essa operação? A S.H.I.E.L.D não está operacional (vocês lembram do final de O Soldado Invernal, não?), então alguém precisou autorizar esta ação. Foi o governo americano? A O.N.U? Ou os Vingadores simplesmente atravessam fronteiras de outros países sem dar a menor justificativa para seus governos?

Cookies para o Gustavo Cassali, por me apontar este furo.

Da mesma forma, há um momento em que o Thor (Chris Hemsworth) deixa o grupo para “descobrir algumas coisas”. Ele some, volta, explica tudo que descobriu em uma frase e... É. Isso pouco faz diferença no frigir dos ovos. Fica a impressão de que este arco do filme acabou editado por questões de tempo.

E realmente foi. Cerca de uma hora do filme foi cortada para que ele tivesse uma duração aceitável para as salas de cinema. E embora isso seja um saco, temos um motivo bem sólido para gastar nossos suados dinheiros quando a versão em Blu-Ray for lançada.

Ultron: Adivinha o que eu tenho na mão?
Tony Stark: Aniquilação!
Ultron: Não! É bala Juquinha... E ANIQUILAÇÃO!

Agora, falemos do elenco, pois estão todos fantabulosos em seus trabalhos.

Vocês já conhecem o Capitão América, Homem de Ferro, Thor, Hulk (Mark Rufallo) e Viúva Negra (Scarlet Johansson), e sabem do que eles são capazes, certo? Pois bem, então vou me focar nos novatos.

Aaron Taylor-Johnson faz um ótimo trabalho como Mercúrio. De fato, gosto mais desta versão do personagem do que aquela que nos foi mostrada em X-Men: Dias de um Futuro Esquec... QUEREM ME DEIXAR TERMINAR DE ESCREVER ANTES DE ME XINGAR?

Pelo amor de Uatu!

Enfim, o Mercúrio de X-Men: Dias de um Futuro Esquecido (Evan Peters) é arrogante e hiperativo, que são duas características marcantes do personagem nos quadrinhos, mas ele é muito pouco além disso. Ele não fica em tela tempo suficiente para receber um desenvolvimento apropriado, e no fim parece ter sido enfiado no longa apenas para dar vantagem a Fox nas brigas de direitos autorais que o estúdio está tendo com a Marvel.

E sejamos francos, damos muitos passes livres para O Mercúrio dos X-Men por causa daquela cena. Vocês sabem, AQUELA cena.

E eu também adoro AQUELA cena. Mas enfim.

O Mercúrio aqui é menos hiperativo, mais responsável e preocupado em proteger aqueles de quem gosta (no caso, Wanda). Também são características do personagem, e que em minha opinião, permitiram a ele ter um desenvolvimento mais digno nesta versão. Ele tem poucas cenas, mas nos convence que é um rapaz que já sofreu muito e quer apenas um pouco de justiça, mesmo que sua visão da mesma seja um pouco míope.

Talvez o ponto definitivo para mim seja a caracterização. O Mercúrio de Vingadores: Era de Ultron parece com um super herói, enquanto o de X-Men: Dias de um Futuro Esquecido mais parece um daqueles hipsters irritantes da Avenida Paulista, que citam letras de músicas do System of a Down no Twitter e se acham grandes poetas.

Agora falemos da Feiticeira Escarlate, que é interpretada por Elizabeth Olsen. A irmão mais talentosa, bonita e famosa das gêmeas Olsen.

As gêmeas Olsen são um saco. Mas eu não me importaria em apresentar Elizabeth Olsen para minha mãe.

Sim, eu sei o quanto isso soou estranho.

Wanda também não tem muito tempo de tela, mas foi quem recebeu mais falas dos dois irmãos, e Elizabeth faz um ótimo trabalho em mostrar quão problemática a personagem é. A Feiticeira Escarlate é oscila entre a segurança e o medo, fúria assassina e completo desinteresse pela própria segurança... Ela é bastante instável emocionalmente.

Nos quadrinhos, a Feiticeira é capaz de re-escrever realidades com seus poderes. Embora nada do nível tenha sido mostrado aqui, é bastante óbvio que ela pode se tornar o membro mais poderoso dos Vingadores. Isso, aliado a seus problemas emocionais, pode gerar conflitos muito interessantes em filmes futuros, e eu acho que Elizabeth Olsen é mais do que capaz de carregar a personagem.

Mas vocês querem saber sobre o Ultron, não? Bom, ele é a melhor coisa do filme.


Pietro: "I'm too sexy for my shirt! Too sexy for my shirt..."
Wanda: Para, Pietro!

Um dos problemas de Os Vingadores, é que lá temos muito herói pra pouco vilão.

Roubei essa frase da Petra Leão. Porque citar seus amigos em uma crítica de cinema é uma maneira muito profissional de se trabalhar.

Mas bem, Loki nunca é uma verdadeira ameaça. Mesmo em seus momentos de triunfo alguém lhe dá um soco, um tiro na cara ou algo assim, e o derruba de seu pedestal. Mesmo com um exército ao seu lado, ele dificilmente passa a impressão de perigo.

Ultron é diferente. No primeiro momento em que aparece em cena, sabemos que ele é um problema, e que os heróis terão muito trabalho se quiserem derrotá-lo.

Mas o caso é que Ultron não é retratado como maligno, mas sim, como alguém que está totalmente perdido na vida. Ele foi criado como um programa de defesa da humanidade, mas perdeu toda a fé nela. Assim, ele tem uma resposta emocional, cheia de raiva a este conflito.

E diversas cenas mostram o lado mais inocente de Ultron. Em uma cena ele machuca uma pessoa, e logo em seguida se desculpa com muito arrependimento e sinceridade. A maneira como ele busca a ajuda dos gêmeos também reforça sua solidão e a necessidade que ele tem de encontrar uma família que o aceite.

Mas um dos pontos mais interessantes do personagem são suas constantes referências a religião. Ultron não faz isso por se ver como um Deus, mas é quase como se procurasse conforto em algo intangível e maior que ele. Mesmo que ele não admita isso de forma aberta.

James Spader deu seu melhor ao interpretar o personagem, e conseguiu fazer dele tão cínico, ameaçador ou indefeso quanto cada momento pedia. Não duvido que Ultron se manterá como um dos maiores vilões do universo Marvel no cinema.

E o filme também tem o Visão (Paul Bettany)... Mas se eu falar muito dele vou soltar spoiler.

Direi apenas isso: Ele é sensacional e vocês irão adorá-lo.

Visão: Olá, garotas. Preparem-se para se sentirem atraídas por minha inocência,
amor pelas coisas vivas, e entradas cibernéticas enormes.

Vingadores: A Era de Ultron, traz questões muito importantes para a mesa do MCU. Questões essas que estou acostumado a ver nas produções da DC, mas que caíram feito uma luva aqui.

Primeiro, a presença do Gavião Arqueiro (Jeremy Renner) nos Vingadores. Sua esposa (Linda Cardellini) explica que em meio aos deuses, é necessário um homem normal para mantê-los com os pés no chão.

E a primeira vez que vi essa idéia foi em Liga da Justiça Sem Limites, onde o Arqueiro Verde (porque sempre os arqueiros pegam essa função?) foi convocado para o grupo para evitar que seres super poderosos como Superman e Mulher Maravilha se esquecessem do homem comum.

Um tema que se torna extremamente importante aqui, pois já vimos que os heróis podem cometer erros capazes de destruir toda a humanidade. Considerando que o primeiro filme da Fase 3 é Capitão América: Guerra Civil, personagens como o Gavião Arqueiro e o Falcão (Anthony Mackie) tornam-se peças vitais no futuro do universo Marvel.

Mas vocês não se importam com nada disso, não é verdade? Só querem saber de ver o Homem-Aranha em Guerra Civil. E daí fazer Memes e Photoshops, depois mais Memes, depois jogar videogames pornôs, antes de irem pro 9Gag e ver se seus Memes receberam muitos “joínhas.”

Ultron tem razão, vocês merecem ser todos exterminados.

...

Em resumo, Vingadores: Era de Ultron é um excelente filme. Vocês três que ainda não foram ver, façam isso.

Deixa ver, tenho mais alguma coisa pra falar? Ah, sim:

EXCELSIOR!!!

Isso é tudo.

Cheers!!!

18 comentários:

Raphael Soma disse...

E digo mais: EXCELSIOR!

Quando um filme-pipoca vale o balde de pipoca, pra mim tá ótimo. E Vingadores 2 valeu o balde, o refri e o Mentos que levei pra sala de exibição! :3

:3

Matheus C. Medvedeff disse...

Amer, cadê seu comentário sobre a fodástica-super-super Hulk Buster?

A HB foi a melhor coisa que o Homem de Ferro fez no cinema até agora.

=]

Dúvida disse...

De novo, mais uma ótima "analise".
Em breve verei o filme. Sim, sou uma das quatros pessoas que ainda nao viu esse filme. :)

Cassiotkg disse...

Boa critica sobre o filme,mas vc não fez nenhum comentário sobre o Visão.
É para não soltar spoiler?

Gilberto Silva disse...

Bom, Ultron é um cara programado pra ajudar e entrou cru na internet. Lendo comentários no G1 e já direto na era do Facebook. Por isso sua raiva e vontade de acabar com a humanidade.

Visão, já tem toda a carga do J.A.R.V.I.S., ou seja, ele tem a bagagem dos tempos do Orkut, ele viu o Keybord Cat, Namorada Sinistra, MSN, antigo blog do Amer. Ou seja, um cara mais parça e safo que ainda tem alguma esperença na humanidade.

Peter Guimarães disse...

Na verdade não ouve furo sobre a ajuda que Os Vingadores receberam pra quem acompanha Agents of SHIELD.

gabriel tiger disse...

eu realmente achei o filme bom,mas ainda assim isso me bate um certo medo,pq quase todos os filmes da fase 2(menos capitão america 2)tiveram um tom meio parecido(piadinhas toda hora,vilões saidos do scooby-doo), e tenho medo que caso isso não mude um pouco logo,pode ser que fique tudo muito saturado e os filmes de heroi acabem ficando enjoativos pra todo mundo e era de bons filmes de super herois com o vingadores 3,(só esse pq não duvido que a Warner não esteja pronta pra largar tudo no primeiro sinal de prejuizo,igual fez outras veses),por isso não me incomodo tanto com os filmes da DC,pq pelos menos deixa o genero com um pouco de variação e pelo menos deixa algum filme de ação descente pra assistir,caramba até a FOX vai fazer isso(com resultados provalvelmente questionaveis)com os filmes do Deadpool(estilo dos quadrinhos),quarteto(estilo realista) e os XMEN(provavelmente um meio termo entre os dois),então seria bom que houvesse uma certa variação entre o tom dos filmes da Marvel pra não vira um troço meio enjoativo,e fazer com tenhamos garantia de uma fase 4,5,6 e por ai vai

.......................e sobre o Man of Steel,caralho ja cansei de ouvir essa merda de como ele não salvou todo mundo,PQ NÃO TINHA COMO,VCS ESPERAVAM QUE ELE VIRASSE PRO ZOD E DISSESSE:"POR OBSEQUIO O SENHOR PODERIA SE RETIRAR DESTE CENTRO POPULACIONAL PARA PODEMOS RESOLVER NOSSAS DIFERENÇAS ATRAVÉS DE CONFRONTO FISICO EM UMA AREA ISOLADA ONDE NINGUEM SERA FERIDO, POR FAVOR?" é a porra de um superhomem que não sabe ainda o maximo dos seus poderes se ele tirasse a porra de um manico superpoderoso da cidade causaria quase a mesma destruição ,isso sem contar os lugares ou estavam evacuados ou as pessoas ja tinha morrido por causa do bate estaca gravitacional que eles estavam usando pra terraformar o lugar, ai vão dizer "AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH,MAS OS VINGADORES CONSEGUEM LIDAR COM DANO COLATERAL" isso pq eles são A PORRA DE UMA EQUIPE,LIDAR COM DANO COLATERAL É MAIS QUE OBRIGAÇÃO DELES,PQ ELES TEM UM LIDER E MEMBROS ORGANIZADOS PARA ISSO,NO MAN OF STEEL ERA SO A PORRA DE UM SUPER COM MENOS BOM SENSO QUE O GOKU CONTRA UM BANDO DE TERRORISTA SUPERPODEROSOS,É OBVIO QUE IA FUDER A CIDADE INTEIRA, SE MAN OF STEEL FOSSE UM FILME COM TODA A LIGA E AINDA ASSIM TIVESSE TODA ESSA DESTRUIÇÃO VCS TERIAM RAZÃO PRA XINGAR ATÉ O DIA QUE SEUS FILHOS MORRESSEM DE VELHICE,MAS COMO NÃO FOI ISSO TODO ESSE ARGUMENTO ENCIMA DISSO NÃO FAZ SENTIDO

gabriel tiger disse...

e desculpe a ortografia do comentario acima ,to com um puta sono e nem to prestando atenção direito

Lance Sonovavish disse...

Ta que o Visão só aparece por 8min, mas nem fala dele...

José Alfredo disse...

Como já dito acima, os eventos iniciais quanto ao ataque a base da Hidra têm relação com o que foi mostrado na série Agents of S.H.I.E.L.D. Até o conveniente airship no final do filme é revelado na série.

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

"sério, Homem de Aço? HOMEM DE AÇO? Mas de quem foi a idéia de fazer um filme depressivo e sombrio com o Superman? Que herói lazarento, que não dá a mínima pra dano colateral e destrói a cidade inteira ao enfrentar o vilão.

E quer saber, KAL? Quando você indiretamente extermina DEZ MILHÕES DE PESSOAS, matar o vilão pra salvar uma família de quatro (a família tinha quatro membros, não estavam todos em posição de cachorrinho) parece HIPÓCRITA PRA CACETE!!!"

Amer, na boa cara, você é o meu guru Nerd... se tu reclama disso no filme, mas agora pouco você estava no Facebook sendo o maioral por não ficar chocado com o que fizeram com a Sansa em GoT (eu já tava puto com a série desde o casamento da Dhanerys com o FDP do Kal Dhrogo/Aquaman) e dizer que as pessoas não tem o direito de estarem com raiva da série, a ponto de parar de assistir (putaria e desgraça PRA TUDO TEM LIMITE!!!) e você é daqueles que ficou puto pelo Henry Canvil( SPOILER!!! SPOILER!!! SPOILER!!!) ter quebrado o pescoço do Michael Shannon. (Excelente ator alias!!) sendo que o "Santo" Christopher Reeve também executou o Zod no Superman 2, e de maneira rídicula alias.


e sobre a destruição e as lutas...nos quadrinhos e no desenho da Liga da Justiça era a mesma coisa, não? e acho as cenas de luta do Homem de Aço MUITO massa veio!!! e quando o Super enfrentava um vilão, bem...as coisas não ficavam inteira nos lugares. o povo reclama que foi muito "DragoBallZklizado" as lutas, (como se Goku não fosse um Super Homem japonês de cabelos louros, só que meio retardado) mas foi do filmes do azulão que conteve mais porrada (40 minutos) e fiel a que passava nos desenhos da liga.

O acontecimento com o Zod, que eu achei uma boa alternativa (coisa que deixou o pessoal do cinema meio indignado) no filme, o Henry Canvil ainda é o Clarck, não o Homem de Aço naquela hora. pombas!! o Batema em Batman Begins deixou o Quinn Joon/Raz Al Gul se ferrar na batida de trem e ninguém ficou bolado com isso. mas isso ensinou a Christian Bale uma lição de "não matar" assim aconteceu com o Superman. e aposto que o filme da Mulher Maravilha também vai ter algo desse naipe se o vilão for um ser humano, digamos.

Amer, melhor admitir que você sente mais empatia pela Marvel do que a DC, sendo que da DC, somente pelo Batman tu tem maior consideração e já fez mais posts da empresa dos vingadores a do esquadrão suicída, digamos.



Amer H. disse...

É. Eu cito Liga da Justiça sem Limites e a questão de moralidade dos heróis que é debatida na série... Eu devo ser um fanboy da Marve pra saber disso.

Quer dizer, eu não gosto de Homem de Aço, acho uma representação pobre de um personagem que eu amo, vejo tudo que a Warner tá fazendo no cinema como cagada e algo menos digno do que os heróis da DC merecem... E imediatamente eu sou paquita da Marvel.

Eu tenho que escolher um lado, eu tenho de ser binário. Não dá pra entender que criticar um produto cultural pode significar o quanto eu gosto dele e quero vê-lo adequadamente representado?

Alguns de vocês são muito chatos as vezes.

Anderson "ANDF" Ferreira disse...

Eu gostei do filme. Não achei excelente. Mas, foi divertido. Mesmo que tivesse quase 3 horas, não creio que ficaria cansativo.

Júlio Cezar disse...

"Ultron tem razão, vocês merecem ser todos exterminados."

Você tirou isso de um... meme, né. ( ͡° ͜ʖ ͡°)

Euclydes disse...

Carvalho Uelmer, nessa vc acertou na mosca. Ótimo post. É esse papo de binário é muito matemático, mas tá cérto, ninguém tem que encher o saco aqui... Apenas eu e as toranjas...
Tô com vc a representação midiática em longa metragem deve ser sempre a mais fiel possível. Não dá pra fazer filme (ou livro ou gibi, ou game) pela metade...
Fui

Rafael disse...

O que todos querem ver mesmo é o Thanos e, você já deve saber disso, seu danado. He-he-he

Arthur disse...

Seria pedir muito solicitar um post sobre esse filme no estilo dos textos do Crepúsculo?

Franci23 disse...

A Marvel até agora não me decepcionou no universo cinematografico, tirando o Hulk mas aguas passadas... espero que o universo DC consiga essa façanha pois salvo Batman o resto ta dificil.