domingo, 31 de maio de 2015

Crítica do Amer: Starless - Nymphomaniacs' Paradise


Muito bem, sejamos maduros agora: Não há nada de errado em se jogar um bom game erótico de vez em quando.

Eles podem ser ótimas válvulas de escape para as fantasias de adultos saudáveis, e também podem ajudar a evitar que Bronies saiam molestando os gatos da vizinhança, algo muito bem vindo em minha opinião.

Sem contar que muitos games do gênero são genuinamente bons. Existem aqueles que remetem as descobertas e paqueras da adolescência (True Love ‘95), outros tratam de questões delicadas com enorme sensibilidade (Katawa Shoujo) e ainda existem aqueles com enredos capazes de deixar muitos títulos mainstream no chinelo (Divi Dead).

Por outro lado, temos Starless: Nymphomaniacs’ Paradise.

Jesus Cristo montado no Fofão. Por quê? Por quê? Por quê? Por quê? Como? Por quê?

Procurando emprego com essa calça justa e essa pose de sexy boy?
Mas claro que nada de bom ia sair disso.

O jogador é colocado na pele de Sawatari, japonês genérico que como eu e você cresceu assistindo Kamen Rider e Dragon Ball. Mas agora ele terminou a faculdade e é UM ADULTO, e como tal, tem de se preocupar com problemas DE ADULTO.

Como por exemplo, arranjar um emprego, juntar dinheiro e comprar um carro. Pois ele tem carteira de motorista, mas não um veículo automotivo. E sem um veículo automotivo ele não pode impressionar as garotas. E se não impressionar as garotas, ele jamais vai arrumar namorada.

...

SÉRIO? É essa a sua motivação, Sawatari? Você acabou de se formar e sua maior preocupação é arranjar uma broaca pra se esfregar na terça feira à noite? Mas até o Recruta Zero tinha mais ambição do que você, seu monstro!

Mas bem, pelo menos você está a procura de uma namorada de carne e osso, e que respira. Diferente daquele seu vizinho de 150 quilos que fede a tempero de curry, e que acabou de casar com uma ninfeta de anime estampada em um travesseiro.

Após passar semanas sem encontrar trabalho em sua área (no que esse cara se formou? Jornalismo?), Sawatari dá de cara com uma oferta de emprego em uma mansão completamente isolada no meio das montanhas. Parece que precisam de ajudantes no lugar e pagam 4 milhões de Ienes (cerca de 100 mil Reais) por duas semanas de labuta.

PERFEITO! Com esse tipo de dinheiro, ele pode comprar um carro 0 km até aqui no Brasil! E o que sobrar ele pode investir em estatuetas da Rei Ayanami, como qualquer japonês que se preze!

Assim, Sawatari logo se torna um orgulhoso empregado do bilionário clã Mamiya. E desempenha funções como cuidar da caldeira da mansão, alimentar o cão de guarda da casa, limpar a prataria, e ser o brinquedo sexual eternamente disponível para as mulheres da família.

...

É, pois é. Sawatori tem de estar pronto 24 horas por dia para satisfazer as perversões de Marie, a matriarca do clã, e suas duas filhas, Marika e Marisa.

“Ah, qualé? O objetivo do game é bimbar três meninas de anime tesudas por duas semanas, e você tá dizendo que não gostou disso? Falou Haggar. Aposto que você curtiu cada minuto, tá até sem a pele da palma da mão agora!”

É mesmo? Pois continue lendo!

OOOOOOHHHH!!! COMO EU ODEIO VOCÊS, SUAS
PIRIGÓTICAS DO SATANÁS!!!

Sendo que este game é uma Visual Novel, não há muito que se falar de sua apresentação.

Starless: Nymphomaniacs’ Paradise consiste basicamente de imagens estáticas com os personagens da história. Você encontra alguém, um monte de texto aparece na base da tela e os diálogos podem levar a cenas de sexo ou castração (mais sobre isso daqui a pouco). E é basicamente isso, o que é comum para o gênero.

Toda a arte ficou a cargo de Sei Shoujo, artista que também é responsável por Bible Black, clássico hentai moderno. Devido crédito a quem merece, ele sabe muito bem o que faz, pois todos os seus personagens, sejam homens ou mulheres, são lindos e muito agradáveis ao olhar. Claro, isso acaba sendo uma espada de dois gumes, pois as cenas sensuais podem ser extremamente excitantes, mas momentos grotescos são de virar o estômago.

E tem muita coisa grotesca aqui. Pelo amor do A.L.F.

O áudio consegue ser igualmente brilhante e constrangedor. Todos os personagens são dublados e seus respectivos atores conseguiram lhes dar personalidades muito bem definidas. Marie é sedutora e intimidadora, Marika é doce, mas parece esconder algo, e Marina é uma pirralha mimada, arrogante, cretina, gata polar que merece ser esfaqueada na cabeça... OOOOOOOH, COMO EU A ODEIO!!!

Os efeitos sonoros também merecem destaque, pois conseguem transmitir muito bem a “ação” do game. Eu não sei se os produtores se deram ao trabalho de ir até a gravação de um filme pornô para registrar os sons daqueles momentos especiais... Mas se não fizeram isso, encontraram substitutos perfeitos que eu nem quero imaginar o que possam ser.

E vocês sabem do que eu estou falando, não? Aquelas horas... em que coisas batem umas nas outras e fazem aquele som rítmico inconfundível... que só ouvimos quando as nações se unem. Ou aqueles barulhos típicos... Aqueles lá, de quando alguém coloca um pirulito do Quico inteiro na boca, e começa a se afogar em açúcar e saliva... Aquele som lá... Isso...

Pois é, tudo isso está no jogo, em uma definição de áudio gloriosa. O que torna Starless: Nymphomaniacs’ Paradise, um daqueles títulos onde é melhor jogar com o áudio desligado.

Ou talvez não, porque qualquer um que decida comprar este game claramente mora sozinho e já abandonou todo e qualquer contato humano.

Eu? Eu joguei por motivos profissionais.

Sim, foi isso.

Este é o momento mais doce e inocente do game. Para compensá-la, a cena
seguinte envolve uma grávida e um cavalo

Agora, em uma Visual Novel, a jogabilidade é simples. O jogador guia seu avatar por um período de tempo determinado (na maioria das vezes, um ano letivo completo), e é apresentado a várias garotas. Jogando suas cartas direito, é possível ficar e fazer sexo com várias delas, e no fim da aventura, escolhe-se com qual o herói deve viver feliz para sempre.

E sempre há uma pegadinha para cada menina, pois é necessário preencher requisitos específicos para conquistar o interesse delas. Por exemplo, para namorar a atleta, será preciso praticar algum esporte. A artista só vai se interessar por um sujeito com conhecimento mínimo de artes e sua professora (sempre tem a professora) só vai considerar transar com um aluno se ele tiver notas altíssimas e for incrivelmente responsável.

... Por essa lógica, eu devia ter transado com todas as professoras que tinha na 5ª série. Mas deixe estar.

O caso é, em todo game do gênero, a cena de sexo é uma recompensa para seu desempenho como ser humano. Seja um cara legal e interessante e as meninas se apaixonarão por você e permitirão que você cheire suas calcinhas e enfie o nariz na bunda delas.

Mas não em Starless: Nymphomaniacs’ Paradise! Onde com dez minutos de jogo você já está atolado em mais virilhas femininas do que jamais julgou ser possível em um game.

E não, não é um ponto positivo.

As mulheres da família Mamiya são predadoras sexuais. Elas atraem pessoas com ofertas de trabalho que pagam ridiculamente bem, e quando os candidatos já estão em sua mansão isolada do mundo, elas o entopem de drogas que os mantém em um perpétuo estado de excitação. Depois disso, elas os manipulam até que aprendem a gostar de viver assim, e quebram sua força de vontade para que obedeçam a qualquer ordem, por mais absurda que seja.

Lembram que eu falei que Sawatari passava por uma entrevista para conseguir o emprego? Pois bem, a dita entrevista consistia em transar com quatro mulheres, uma em seguida da outra, e ter ao menos três orgasmos com cada uma.

Servem chá drogado para ele na entrevista, por isso tamanha potência.

Mas claro, mesmo com uma dose de chá de Viagra (e estimulante de cavalo, que também passam nele durante o ato) o rapaz já está completamente “vazio” quando precisa satisfazer a quarta garota da entrevista. A solução? Recolherem tudo que ele despejou pela sala com uma bombinha, conectá-la a uretra do rapaz via um cateter, e mandar tudo pra dentro dele de novo.

...

Não parece mais tão legal agora, né? Seu bando de Nelson Ned! Manjam nada, vocês!

Então, esta se torna a rotina de Sawatari pelos próximos 15 dias: Ser constantemente drogado (todas as refeições servidas na casa são entupidas de drogas), viver em um estado perpétuo de excitação, e fazer sexo contra sua vontade sempre que uma das patroas exige.

E isso não acontece só com ele, mas com os demais serviçais da casa. Que incluem Sachie, uma menina que lhe ajuda muito no começo, mas que logo mostra ser mais um problema, Mikako, a governanta da casa que parece um pouco “fora do ar” boa parte do tempo, e  filho dela, Makoto, que tem um ar afeminado e aparenta ser MUITO menor de idade.

Isso sem mencionar Mitarai, que é A MENINA MAIS INOCENTE DO MUNDO, começa a trabalhar na mansão um dia após Sawatari e imediatamente passa a sofrer abusos brutais nas mãos da matriarca da família.

Agora, não vou mentir, algumas das cenas do game podem ser bem excitantes, como os poucos momentos onde acontece uma relação consensual. Mas a medida que se avança na história, as coisas vão e tornando mais e mais sombrias, até o momento em que estão envolvendo incesto de mãe e filho, sexo com animais e escatologia.

Bom, a escatologia começa cedo, mas vai se tornando menos dourada e mais marrom conforme o tempo passa.

...

POIS É!!!

Starless: Nymphomaniacs’ Paradise possui diversos finais, que são determinados pelas escolhas que o jogador faz durante a história. O problema é que estes momentos são raros e nunca mostram uma mudança imediata. Assim, é difícil saber quais opções levam a diferentes finais.

Não que isso faça diferença, pois todos os finais do game são ABOMINÁVEIS!!!

No melhor dos finais, Sawatari volta para casa completamente falido (Marie deu um jeito de enrolá-lo e não lhe pagou um centavo sequer dos quatro milhões), traumatizado por todo o horror que presenciou em duas semanas e ainda lotado de drogas, que seu corpo precisou de dois meses para expelir completamente.

No momento que começava a se sentir normal mais uma vez, Sawatari recebe um DVD escrito “Mitarai”. Quando decide assisti-lo, ele vê a inocente menina sendo estuprada por cinco velhos e prestes a ser vendida como escrava para aquele que a engravidar.

Oh sim, eu mencionei que este final só fica disponível caso Sawatari inicie um romance com Mitarai?

E olha só, este é o MELHOR final. Os demais se dividem entre horror puro e pesadelo absoluto. O pior final de todos (que eu consegui logo de cara) é tão repugnante que mesmo anos assistindo Programa do Mallandro e João Cleber não me prepararam para ele.

Então... É. Nada bom.

Pois é, este último trecho da crítica ficou um bocado depressivo. Deixa ver se consigo escrever algo que melhore os ânimos:

UNICÓRNIOS DE ARCO ÍRIS DISPARANDO RAIOS DE ALGODÃO DOCE!!!

...

Estão se sentindo melhor? Eu sei que eu estou!

EU TE ODEIO, SUA VACA! VÁ PRO INFERNO!
VÁ PRO INFERNO E MORRA!!!

Então, meu veredicto é: ARGH!!!

E minha recomendação profissional é: NÃO JOGUEM ESTE JOGO! PELO AMOR DE DEUS! POR TUDO QUE HÁ DE MAIS SAGRADO! NÃO JOGUEM ESTE JOGO!!!

Não é uma tentando usar psicologia reversa, eu estou alertando de verdade. NÃO JOGUEM ESTE JOGO!

Se o encontrarem, MATEM ELE COM FOGO!

Depois COLOQUEM FOGO AS SUAS MÃOS E AS CORTEM FORA, PARA NUNCA MAIS FICAREM TENTADOS A SEGURAR ESTE JOGO!

Depois MUDEM PARA O TIBETE, VÃO MORAR COM OS MONGES E COLOQUEM FOGO NOS PRÓPRIOS OLHOS, PARA NUNCA MAIS FICAREM TENTADOS A OLHAR PRA ESSE JOGO!

Finalmente COLOQUEM FOGO NA CHINA, PARA O TIBETE SER LIVRE!

Mas haja o que houver, não joguem Starless: Nymphomaniacs’ Paradise.

Continuem com Candy Crush ou Flappy Bird. É melhor pra saúde e pra alma.

Principalmente pra alma.

Cheers!!!

29 comentários:

Bruno He disse...

Jesus Cristo Amer agora eu não conseguirei dormir cara, eu me encolho toda vez q leio a palavra "uretra".

Anderson "ANDF" Ferreira disse...

Nossa! Tão horrível, assim?? Que mentes perturbadas. Imagina se tivesse dedo (??) do Tom Six, Uwe Boll ou Srdan Spasojevic!!!

Helio Mendes Jr ou Kamen Homer disse...

por que voce não viu só as imagens desse negocio, e essa serie faz discipline coisa de criança

Game Fury disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Game Fury disse...

Eu fiquei com ''''''''''vontade'''''''''' de jogar para ver o pior final... mas depois que eu li sobre o melhor....

Além de ter quase vomitado provavelmente eu não durmo hoje...

The Fool disse...

Jesus amado, o que os japas tem na cabeça?? @_@

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

graças a Deus que o Amer ainda é um ser humano e não aprovou a jogar essa coisa.

Katawa Shoujo pelo menos tem uma história emocionante (o que pode ensinar o jogador alguma lição de vida) e tem final feliz com a garota que nós escolhemos.

e as cenas de..."intercourse" são bem menos constrangedoras ou nojentas

Orokoify disse...

Só eu acho que esse tipo de coisa daria otimo material para horror? Se bem que se for pra ser sincero, eu ja vi pior... muito, muito pior.

Otimo post como sempre, Amer! Continue bem e forte~!

R.S.M disse...

Grande review, mas, de todos os jogos Hentai que existem no mundo, o que te possuiu a jogar logo esse?

Sabe, eu tinha baixado essa merda faz umas duas semanas, e isso tava só acumulando poeira aqui no HD, por que eu vi a cena da entrevista e imediatamente perdi a coragem.

E olha que eu nem cheguei a essa parte da uretra. Deus do céu, mas quando o Japão exagera as vez- a maior parte do tempo.

Mas enfim. Amer, quando tiveres a oportunidade (e se recuperar do trauma dessa merda aqui) procure uma VN chamada Saya no Uta. É bem grotesca (embora não tanto quanto essa aqui) mas é muito bem escrita e é uma das melhores histórias de terror que eu já li. Vale muito a pena.

Sanderson Rx disse...

cara nem vou dizer que esse e o pior game que já vi nesse estilo, vai que os japas se empolgam e criam algo pior que isso ae (se e que isso e possivel).

Luke_Starkiller disse...

Sério,ao ler o "melhor final",eu quis que o Saejima do Yakuza 4 entrasse naquela mansão e quebrasse todo mundo de lá que nem palitos de dente.Que jogo doente,credo.

Diogo Batista disse...

Droga, agora eu fiquei extremamente tentado a jogar, mesmo sabendo que irei me arrepender.

Amer, por que você não insere o sistema Disqus por aqui?

Acho ele ótimo para que possamos acompanhar os comentários e as atualizações do blog. É uma dica, mas amo o blog de qualquer maneira =)

Diogo Lopes Bastos disse...

Realmente esse jogo não é recomendável para pessoas que tenham apenas interesse em ver cenas de sexo normal, aí o esperto aqui resolveu ler o seu post falando do pior final do game e... Não dá para entender que tipo de mente doentia conseguiria escrever algo assim, que consegue fazer Apocalypse Zero ser um passeio no parque.
Parabéns pela coragem de jogar esse game e escrever o artigo para nos prevenir de cometer um grande erro.

Adan Ribeiro disse...

50 tons de estupros.

Nova Andrew disse...

Poxa, Amer, que coincidência. Será que frequentamos os mesmos lugares? Acabei de baixar esse jogo também e achei que era um jogo normal, até começar a parte do Golden Shower e que horrível. Como se pode produzir tanta pornografia horrenda no mundo. O ser humano é um bicho terrível. Mas , talvez mudando um pouco de assunto, espero sua crítica do novo Mad Max, porque eu achei pura masculinidade violenta que não se vê há muito tempo.

Adan Ribeiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Adan Ribeiro disse...

Aqui vão os passos para os 10 finais possíveis: http://adult.megaden.net/archives/55471400.html

Escape (primeiro "Endless Nightmare"): Você tenta escapar com Mitarai e são pegos. Daí vocês são torturados fazendo sexo com animais.
-Não pague os 50 mil a Sachie quando ela pedir.

New Family: Termina com a MILF. É um dos finais "bons".
- No nono dia, não espie. Daí pra frente espie.

New Owner: Você é vendido para a louca de óculos que você encontra na festa.
-Espie no nono dia.
-Não empreste os 3 milhões para Sachie.

New World: Você foge com Mitarai e vive feliz para sempre. Final bom... e chato.
-Espie no nono dia.
-Empreste os 3 milhões para Sachie.
-Não jogue com Marika

Bizarre Marriage: Você casa com Marika. Para alguns é o melhor final.
-Espie no nono dia.
-Empreste os 3 milhões para Sachie.
-Jogue com Marika
-Não ouça o conselho de Sachie.

Endless Nightmare: Coisas humilhantes em essência.
-Espie no nono dia.
-Empreste os 3 milhões para Sachie.
-Jogue com Marika
-Ouça o conselho de Sachie.
-Recuse participar do plano dela.

The Worst Outcome: Você é capado, estuprado por cachorros e vive o resto de sua vida comendo cocô.
-Espie no nono dia.
-Empreste os 3 milhões para Sachie.
-Jogue com Marika
-Ouça o conselho de Sachie.
-Participe do plano dela.
-Goze dentro dela

Flower of Evil: Você assume o cargo de mordomo malígno. Alguns acham esse final bem legal...
-Espie no nono dia.
-Empreste os 3 milhões para Sachie.
-Jogue com Marika
-Ouça o conselho de Sachie.
-Participe do plano dela.
-Goze fora

Black Video: Você bate uma punheta enquanto assiste um vídeo... de Mitarai sendo estuprada.
-No nono dia, não espie. Não espie de novo.
-Não empreste os 3 milhões para Sachie.

Soiled Bride: Mais humilhação com Mitarai.
-No nono dia, não espie. Não espie de novo.
-Empreste os 3 milhões para Sachie.
-Não jogue o jogo.

No fim das contas, os únicos bons finais são New Family e New World (oficialmente o "melhor final"). Flowers of Evil também conta. Acho que tanto como Bizarre Marriage, em menor grau, embora não seja exatamente feliz.

Diego Alberto disse...

Olá, Amer.

Fiquei interessado no jogo e procurei no Google (e li o comentário do Adan Ribeiro) e vi que não eram nada exagerados. Vou passar longe desse jogo. Credo!

Fico feliz que esteja postando com mais frequência. Também está ativo no Twitter e parece estar vendo bastante filmes e séries e... isso me preocupa. Parece um velho ciclo da melancolia. Bem, isso não é da minha conta, afinal.

Espero que esteja tudo bem e que continue assim. Estamos sempre aí. Aguardo ansioso pelo próximo artigo. Abraço!

Gabriel Santos disse...

"Mas claro, mesmo com uma dose de chá de Viagra (e estimulante de cavalo, que também passam nele durante o ato) o rapaz já está completamente “vazio” quando precisa satisfazer a quarta garota da entrevista. A solução? Recolherem tudo que ele despejou pela sala com uma bombinha, conectá-la a uretra do rapaz via um cateter, e mandar tudo pra dentro dele de novo."


Hahahahaha recarregaram o cara!

Luis Paulo S.M disse...

"Sério,ao ler o "melhor final",eu quis que o Saejima do Yakuza 4 entrasse naquela mansão e quebrasse todo mundo de lá que nem palitos de dente.Que jogo doente,credo".

Deviam é mandar o Kenshiro entrar lá, isso sim!!

Breno disse...

me vejo aqui forçado a concordar com um certo R.S.M , saya no uta, ou canção da saya, é uma visualnovel muito boa, tem ótima emoção, horror, e romance, até hoje eu prefiro o segundo bad ending ao final feliz, simplesmente pq parei de simpatizar com o protagonista em parte do jogo, mas esta foi minha pura opinião, eu ainda acho que a canção de saya é uma obra de arte, digna de uma review sua prezado amer.Em geral parabéns pelo seu retorno e pelo continua linha de qualidade em seus artigos.
Ps> Boa sorte se recuperando psicologicamente disso, a parte da uretra já me horrorizou, ainda mais imaginando os efeitos e sensações negativas que viriam como resultado do "reabastecimento", se a expansão desta já não fosse horrível o suficiente, isso sem contar em um final netorare, não vou mentir geralmente tento ver certas coisas horríveis por curiosidade mórbida, mas a escatologia, me afastou totalmente da ideia disso, saciar minha curiosidade sobre quão fodida era a cabeça do escritor do roteiro deste jogo não vale a pena pelo que parece.

Camorel disse...

Se não me engano tem um (desenho-hentai) desse jogo, só não sei qual foi baseado em qual, e se o desenho pega tão pesado quanto a descrição acima. Agora vem o desafio!Quem se habilita a ser o "Juiz" desse julgamento.

Helio Mendes Jr ou Kamen Homer disse...

eu gostei da animação, primeiro eu sei que as meninas são animadas e não reais, mas teve um jogo hentai que me deixou aterrorizado, é um indie de luta, e tinha cada garota marombada dele e eu achei que ia gosta, mas durante as torturas de umas garotas, voce podia queimar e cortar elas, sem duvida, pelas imagens que eu vi do starless , ele é fichinha perto daquele jogo de luta, e se caso querem ver coisa acima do nojento e doentio vejam bondage game, serio, quero ver voces aguentarem esse troço

Mariana Almeida disse...

Minha curiosidade mórbida tintilou como doida depois de ler essa crítica, mas eu sei que se eu jogar isso vou me arrepender demais. De qualquer maneira, crítica awesome Amer!

Ito Leonardo Tadahiro Ito disse...

Gostaria de apresentar uma obra interessante ao postador, se chama Aku no onna kambu, achei muito divertido o jeito como falou sobre Starless - Nymphomaniacs' Paradise, fiquei curioso pra ver o que acharia do jogo q recomendei.

hugo cesar disse...

e o mais impressionante tem cara que fã dessa vaca chamada marie mamiya paga caro num action figure e ainda usa o brinquedo pra bater uma pra ela depois dessa não me supriendo com mais nada.

comer e legal disse...

Tu achou pesado? Tenta Euphoria tem um excelente enredo com personagem interessantes é uma prática que vai fazer esse jogo parecendo ursinhos carinhosos...

comer e legal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rafael disse...

Aqui tem um torrent pra baixá-lo: https://torrentproject.se/23a818be9a30b79fd55ef120e2dc891ef252b57e/150512-JAST-USA-Starless%EF%BC%9A-Nymphomaniac%26%2339%3Bs-Paradise-%2B-Restoration-Patch-English-torrent.html