quarta-feira, 26 de março de 2008

Teenage Mutant Ninja Turtles para Game Boy! Ninjas portáteis!!!


Ahhh sim! Último artigo do mês e ultima vez que vou falar de games das tartarugas aqui!

Pois muito bem, na época que as tartarugas estavam em seu auge, todos os consoles Nintendo recebiam games das ditas cujas e o Game Boy não é exceção.
Pra quem é muito novo pra se lembrar, Game Boy é o videogame portátil original da Nintendo, que rodava jogos em preto e branco (ou em tons de verde, como queira) , tinha tanto poder de processamento quanto uma samambaia e parecia um tijolão.

Mas na época, poder levar um console de videogame para qualquer lugar era uma tremenda inovação. Imagina só, jogar Super mario enquanto se tá cagando!!! UAU!!!

De fato, foi o Game Boy que fez de Tetris um sucesso, pois jogar puzzle em portátil é sempre mais legal que jogar em console doméstico. Faça o teste e me diga se não tenho razão.

Mas estou divagando, o fato é que a Konami lançou três games das tartarugas também para o Game Boy e apesar de não serem tão bons quanto os de NES, também merecem ser comentados.

Acompanhe-me!


Muito bem, começando por Fall of the Foot Clan, o primeiro game portatil das tartarugas. Aqui, April foi NOVAMENTE seqüestrada pelo Destruidor e lá vão as tartarugas salvar a ruiva.

O que mostra o quanto as tartarugas são nobres, pois se eu tivesse de resgatar tantas vezes uma mesma garota, seria bom que da próxima vez que eu fosse na casa dela, ela estivesse me esperando só de lingerie e com pensamentos impuros.

Que pena pras tartarugas que eles e a April são de espécies diferentes... mas estou divagando de novo. Muito bem, como era o jogo?



Um side-scroller bem simples.

A tela do Game Boy era pequena e não tinha as dimensões necessárias para a criação de um beat'em up com movimentação livre pela tela, como Double Dragon (embora eu tenha quase certeza de que estou errado e existam pelo menos dois games com movimentação livre pela tela no Game Boy).

Mas verdade seja dita, isso não chegou a ser um problema, o game era muito legal mesmo assim.

As tartarugas atravessavam vários cenários atrás de sua amiga, indo desde os esgotos...



... até caminhões feitos de barras de chocolate.

E caso elas não tomassem cuidado e apanhassem demais durante a fase...



... eram capturadas e sodomizadas pelos soldados Foot.

Na verdade, eram só capturadas. Na época a idéia de games e sexo juntos era tão distante quanto a idéia de Angelina Jolie beijar o próprio irmão.

...

Espera aí...

Bom, não havia diferença alguma de força entre as quatro tartarugas e era possível trocar de personagem entre as fases, de forma similar ao que rolava no primeiro Turtles de NES.

O fato mais curioso deste game é que o último chefe é o Krang e não o Destruidor. Oroku Saki é o chefe da quarta fase enquanto Krang nos aguarda ao final do Tecnódromo e tem até música de batalha própria.

Mas enfim, vamos em frente.



Turtles II de Game Boy era mais do mesmo. Side-scroller com as tartarugas e enfiação de porrada nos vilões.

É, não tenho muito a acrescentar nesta frase.



A primeira coisa que se nota aqui é que os gráficos estão anos luz a frente dos do game anterior.

As tartarugas parecem um misto entre suas encarnações cinematográficas e as versões animadas, o que ao mesmo tempo que é meio bizarro, é também bastante legal.



Eu não sei muito bem a história deste game, mas tenho quase certeza que o Destruidor seqüestrou a April de novo.

Na época não existia internet nem sites de relacionamentos e se um cara fosse muito tímido pra iniciar um relacionamento com uma moça, ele a seqüestrava vezes o suficiente para que ela começasse a criar afeição por ele.

Na verdade, o enredo do game não era esse, mas minha versão é muito melhor do que a velha "Destruidor seqüestra a repórter ruiva gostosa para atrair seus amigos quelônios para uma armadilha" usada aqui.

Pode discordar, mas ambos sabemos que eu tenho razão.



Ok, Rocksteady era o primeiro chefe como de praxe e eu lhe faço agora uma pergunta: onde está a tartaruga que devia aparecer na imagem acima?

Tem um milhão de explicações para a ausência de um dos quatro heróis na cena mostrada, mas a mais plausível é a de que David Blaine de alguma forma deu um jeito de sumir com nossos heróis.

Maldito Blaine!!! Maldito seja você e a Blainetologia!!!



Entre uma fase e outra, tinhamos o "Pizza Time"!!!

Que eu não faço a menor idéia do que era, pois há pelo menos uma década não jogo este game, mas que era legal pois tinhamos a imagem da tela título do desenho animado quando a mensagem aparecia.

Você lembra, aquela imagem que no desenho aparecia quando nos era dado o nome do episódio do dia. Ou era o Mike feliz com a pizza ou o Leo em posição de combate e com cara de quem tá com prisão de ventre.

Considerando tudo, Back from the Sewers era um bom game, mas não me marcou tanto quanto o anterior.

Só mais um game de tartarugas para falar e é nada menos que...



... Radical Rescue, que possui uma das capas mais horrorosas da história dos video games!!!

Meu Deus, quem desenhou esse Leonardo? Stephen Hawking?

...

Ok, essa piada foi cruel e eu peço desculpas. Mesmo nunca tendo entendido nenhum dos livros dele, eu não tinha o direito de descontar assim.

Peço perdão, Larry Flint da ciência.



Bem, neste game, as tartarugas estão em casa, relaxando, quando DE REPENTE SÃO TODAS SEQÜESTRADAS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Menos o Mike, que devia estar cagando, ou passando um xaveco na Irma no momento.

Então adivinha só...



Lá vai o Mike sozinho resgatar seus irmãos e seu mestre.

Não tenho muito pra falar sobre este game pois nunca o joguei, mas vendo pela imagem, parece ser mais do mesmo.

Ao longo da história, conforme se resgata os irmãos de Mike, eles se tornam personagens selecionáveis, mas não sei se eles tem características diferentes ou se são a mesma merda só com um gráfico diferente pra arma, pois como disse antes, não cheguei a jogar este aqui.

Radical Rescue foi lançado em um momento em que o interesse pelas tartarugas estava indo pro saco e logicamente, o game não chamou a atenção que pretendia.

E é isso! Acabei! Chega de Tartarugas Ninja! Não aguento mais escrever sobre elas e imagino que vocês também não aguentam mais ler a respeito!

E sim, sei que o artigo de hoje foi mais curto que o normal, mas eu falei sério quando disse que meu limite de tolerância tartarugal havia chegado a seu ápice.

Claro, eu poderia falar dos games da nova geração, mas são todos inacreditavelmente ruins. Sério, teste qualquer título das tartarugas que tenha sido lançado desde o Ps2 e vai ver que tenho razão.

Foi divertido, mas semana que vem o blog volta a seu ritmo normal, tartarugas de novo só em Dezembro!

Aliás, quase todas as imagens que usei nestes artigos das tartarugas vieram do site Moby Games.

Dêem um pulo lá que vale a pena.

E antes de ir: COWABUNGA!!!

Pronto, agora estou em paz!

Cheers!!!

2 comentários:

Victor R. Fernandes disse...

Nossa, o Leonardo parece mais um "Senior Mutant Ninja Turtle" na capa do jogo III... heheehhe :)

Amer disse...

"Heroes in a wheelchair!!!"