sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Jogos que você nunca vai terminar (sem trapacear, isto é)!


Ah sim, video games!

Na minha humilde e singela opinião, não existe uma forma melhor de entretenimento solitário!

Imagine a seguinte cena: É sábado a noite e você acabou de chegar em casa após ter saído com seus amigos. Ainda não é tarde e você não está com sono. Você vai em direção a televisão, liga seu videogame e começa a jogar.

Você está completamente sozinho em casa (ou todo mundo mais já foi dormir) e suas únicas companhias são o som do game e a luz da televisão.

FUCKING AWESOME!!!

É, pra mim games existem para isso, como a mais perfeita forma de se passar o tempo já inventada pelo homem!

Sei o que você está pensando e sexo não foi criado pelo homem... sempre existiu! A humanidade simplesmente se apoderou da idéia!!!

Bom, por melhor que seja, sempre existem games que não existem para nos entreter, mas sim para acabar com nossa vida e foder nosso fim de semana! Existem games que são desgraçados, malditos, FILHOS DA PUTA, ARROMBADOS DA PORRA DO CARALHO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Ou em outras palavras, games tão frustrantemente difíceis que estragam qualquer senso de diversão que possamos ter.

Veja bem, não estou malhando games simplesmente por serem difíceis, alguns dos mais clássicos games da história são notoriamente difíceis: Contra, Ninja Gaiden, Double Dragon e por aí vai. Dificuldade não é um fator negativo, ela mantém o jogo interessante por mais tempo.

Por outro lado, existem games que se tornam tão difíceis que acabam sendo frustrantes. Não são o tipo de título que toda vez que se perde uma vida, você sente mais vontade de tentar novamente e avançar na história, são games tão abusivamente difíceis que fazem com que percamos cabelo, peso, amizades e tudo mais que possamos perder até temrinarmos!Games que só podem ser terminados com códigos, trapaças, truques ou orgias profanas em nome de Baphomet!!!

E é sobre alguns desses games que pretendo falar hoje! Que fique bem claro, alguns destes títulos são muito bons e só entraram nesta lista por serem capazes de causar lágrimas até no Arnold!

Aliás, este artigo é dedicado a James Rolfe, o Angry Videogame Nerd, que tomou as dores dos gamers muitas e muitas vezes e já fez inúmeros vídeos detonando games antigos horroríveis que tanta dor nos causaram! Alguns dos games que falarei hoje já foram revisados por ele!

Aliás: James, if you're by any means reading this, you're the fucking MAN! Hope we meet someday to talk about nerdy stuff!

Se você achar que algum outro game enlouquecedoramente difícil merecia estar nessa lista, me diga qual é, pois não vai ser a única vez que falarei deste tema!

E vamos nós!!!



Castlevania

Ok, não vou falar nada ruim de Castlevania, é um dos maiores clássicos da história dos games.

A história hoje é lendária: Dracula acordou, começou a foder com todo mundo e somente Simon Belmont pode detê-lo, armado apenas com um chicote e sua determinação!

Apesar de não usar calças, Simon se tornou o herói de toda uma geração de jogadores, ganhou duas continuações, toda uma linha de descendentes e até virou personagem de desenho animado!

Tudo muito bom, tudo muito bem, exceto que Castlevania era abissalmente difícil e qualquer criança que tenha terminado o game na época emque ele foi lançado, com certeza respira com auxílio de máquinas hoje em dia.

Castlevania era infame por dois trechos em especial: suas escadas e o duelo com a morte.

As escadas eram um problema, pois você ficava totalmente vulnerável nelas. Claro, era possível atacar os inimigos, mas seu posicionamento sempre seria menos que ideal, e você desperdiçaria ataques e mais taques no ar, enquanto os vilões presentes não teriam dificuldade em perfurá-lo mais que uma almofada de agulhas.

O duelo com a morte, bom... quanto menos eu falar a respeito melhor... só digo que deve ser mais fácil peitar a Morte na vida real do que neste game. Billy e Mandy conseguiram, o que prova minha teoria.

Droga Puro-Osso, por que era tão difícil te vencer?


Ghosts N' Goblins

Este é um caso raro, pois foi criado para ser insuportavelmente difícil.

Sim, desde o primeiro momento, a série G&G foi criada ppara ser enlouquecedoramente difícil e mesmo assim, ser amada pelos fãs ao redor do mundo!

Não sei o que o povo da Capcom fez, mas conseguiu! Não conheço uma pessoa sequer que fale mal deste jogo!

A premissa em Ghosts N' Goblins é simples: Começa com a Princesa Prin-Prin (com um nome desses, é melhor ser muito boa de cama... que comentário terrível...) e Arthur (que pode ou não ser o Rei dos Bretões) em um piquenique. De repente, o diabo aparece e seqüestra a Princesa, e resta ao nosso herói barbudo e de cuecão vestir sua armadura eenfrentar hordas e mais hordas de vilões que aparecem, atacam, atiram e causam explosões por todos os lados!

E nosso pobre Arthur é frágil como uma flor e morre com mais facilidade que um personagem de Dragon Ball quando aparece um vilão novo.

De fato, aúnica vez que consegui avançar bastanteem um jogo da série foi quando joguei uma versão hackeada que dava invulnerabilidade a Arthur, normalmente eu não passo da segunda fase e mesmo assim tenho um sorriso em meu rosto quando desligo o console, uma eterna prova de quanto esta série é boa!

A maioria das pessoas que conheço tem em comum comigo o fato de não passar da segunda fase, exceto meu amigo Igor, que consegue terminar Ultimate Ghouls N' Ghosts no nível mais difícil.

Eu juro! Eu já vi! Não sei se ele é um Cyborg ou se veio de Krypton, mas fato é que ele consegue terminar G&G sem problemas, o que o torna mais capacitado pra ser presidente da república que qualquer candidato existente!

Enfim, Vá em frente e veja se consegue passar da segunda fase. Se conseguir, você é foda e merece um harém de ruivas em sua homenagem!



Eternal Champions

Depois de Street Fighter II, toda produtora de games quis lançar um game de luta para aproveitar o vácuo que o clássico da Capcom deixou em sua passagem: A Midway tinha Mortal Kombat, a Konami tinha Martial Champion (o quê???), a SNK tinha quarenta mil títulos diferentes e a Sega tentou emplacar Eternal Champions.

Verdade seja dita, o jogo tinha suas qualidades: Os gráficos eram surpreendentes para o Mega Drive, a história dava pau em muito rpg e haviam fatalities de cenário, que embora não fossem tão violentos quanto em Mortal Kombat (pelo menos até EC sair pra Sega CD) eram bem bacanas a sua própria maneira.

O que deu errado então?

Pra começar, era difícil usar os golpes especiais. EC era cheio de comandos como "Carregar pra baixo e depois apertar diagonal superior frontal com soco médio e chute forte".

Sério, qual o problema de se usar "meia lua pra frente e soco"? Na maioria das lutas era complicado demais usar os ataques especiais e eramos forçados a ficar no "voadora forte com rasteira forte seguidos", o que comprovadamente tem seu limite de eficiência.

Não bastasse isso, a dificuldade aumentava dramaticamente a partir do terceiro oponente, isso é, se você conseguisse passar do MALDITO SEGUNDO OPONENTE!!!!!!! E se você fosse bom o bastante (ou sortudo o bastante, como eu) pra chegar no chefe final, era melhor se preparar, pois ele ia chutar sua bunda com tanta força que qualquer hemorróida iria parar na sua testa.

Quando Eternal Champions foi lançado para o Sega CD, essa dificuldade brutal foi diminuída, mas os comandos continuaram escrotos. Uma prova de que desde priscas eras, a Sega tem um talento nato em estragar boas idéias.



The Adventures of Bayou Billy

Sei que 98% de você não deve ter jogado esse horror, mas francamente, não perderam nada.

Bayou Billy era uma experiência interessante: A namorada de nosso herói (O caipira batizado de Billy, obviamente) é seqüestrada por um pilantra e nosso herói é forçado a sair rachando crânios para reaver sua moçoila! Ou seja, um típico beat'em up dos anos 80.

Aliás, as vezes eu penso sobre o que essas garotas de videogames faziam que uma delas acabava seqüestrada toda semana! Só a Marion levou socos na barriga o suficiente para ser uma garota propaganda do abuso doméstico!

Bayou Billy era original no fato de que era 1/3 beat1em up,1/3 game de tiro e 1/3 game de corrida. As fases alternavam entre porradaria, tiroteio em primeira pessoa e corrida de obstáculos com tiroteio.

MAS DE QUE ADIANTA ISSO, UMA VEZ QUE TODAS ERAM MERDA SUPREMA??????

As fases de porradaria eram incrivelmente frustrantes pois no momento que você conseguisse acertar um mísero soco em um inimigo, ele já teria te dado um combo inteiro, de tão letárgica que era a velocidade de Billy em golpear!

As fases de tiro eram ruins porque demorava um século para se conseguir ajustar a mira sobre os inimigos, o que dava a eles tempo o suficiente para lhe deixar mais furado que Sonny Corleone em um pedágio.

E finalmente, as fases de direção eram terríveis pois tudo lhe matava de primeira: Tiros dos inimigos, colisões com outros carros e obstáculos no caminho... E A CADA DOIS METROS APARECIA UMA ROCHA NA ESTRADA PRA LHE FODER A VIDA, POIS PRA DESVIAR DOS CARROS E TIROS, SEMPRE SE ACABAVA BATENDO NELA!!!!!!!!!!

MAS QUE PORRA!!!!!!!!!!!!!!!!!


Enfim, Bayou Billy é um daqueles games medianos que se perdeu no meio da enxurrada de games de uma época e de que pouca gente lembra hoje. Neste caso, eu juro que é uma benção!


Contra - Shattered Soldier

Muita gente diz que Contra, Super Contra e Contra 3 são jogos difíceis.

Bando de bichinhas!!!! Por que não jogam Shattered Soldier???

Bom, pra falar a verdade, os games clássicos da série Contra são bastante difíceis, mas termináveis. Consegui (após 16 anos tentando) terminar o Contra original nessas férias e posso afirmar: É possível!!!!

Contra Shattered Soldier por outro lado, é uma história totalmente diferente. Nos games anteriores, sempre havia uma barragem de tiros por todos os lados esperando pra te matar, mas sempre havia espaço o suficiente entre eles para se poder sobreviver e avançar mais alguns metros. Shattered Soldier também tem estes espaços entre os tiros, mas infelizmente só uma agulha ou o Mini-Me podem passar por eles.

Após uma dezena de fiascos, Shattered Soldier foi o primeiro jogo da franquia que a Konami conseguiu fazer direito, mas na minha opinião, não precisavam ter aumentado a dificuldade em 400%, eu tenho quase certeza que este game consegue causar impotência em um homem se ele o jogar por tempo o suficiente.



Fester's Quest

O Angry Nerd fez um review sobre este game e devo dizer que concordo com tudo que ele disse no video em questão.

Ok, o jogo é difícil porque os labirintos não fazem o menor sentido, é preciso um trilhão de disparos para se matar qualquer inimigo e toda vez que você dá upgrade na arma sua precisão cai.

Sério, se assistir ao video do Nerd, verá que em alguns moentos os tiros PASSAM DIRETAMENTE PELOS INIMIGOS SEM ATINGI-LOS!!!! Some isso ao fato que os inimigos simplesmente surgem do nada e se multiplicam mais do que Gremlins na chuva e teremos um game capaz de acabar até com o bom humor do Primo It.

Sem contar que o game é loooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooongo... e precisa de uma dose de paciência quase divina pra ser terminado...

Me lembro claramente de quando joguei isso pela primeira vez, eu devia ter uns 11 anos e depois de menos de dez minutos de jogo eu tirei este cartucho do meu Nintendo para nunca mais colocar! E isso era raro, pois por pior que fosse o game eu sempre insistia nele, pra fazer valer o preço da locação!

...

Bons tempos... bons tempos...



Brawl Brothers

Este aqui... é uma longa história...

Brawl Brothers é o segundo título da trilogia Rushing Beat que por motivos totalmente desconhecidos por mim, sempre foram tratados como jogos separados no Ocidente.

Outro dia falo da série, por enquanto quero me focar neste aqui.

Rushing Beat 2 (ou"Rushing Beat Ran", como é conhecido no Japão) é um beat'em up bastante comum. Nada extraordinário, mas tem pontos positivos o suficiente para que o jogador não o largue após dez minutos.

Quando foi lançado na America, os produtores devem ter achado que o game precisava de um "algo mais"e acrescentaram bobagens o suficiente para estragar a diversão de todos nós.

Principalmente, o labirinto da primeira fase...

Na versão japonesa, a segunda etapa da primeira fase se passa em um esgoto e basta avançar e espancar todo mundo para se chegar ao chefe e prosseguir para a próxima parte do game.

Na versão americana, esta mesma etapa virou um labirinto, onde é preciso se acertar o caminho para se chegar ao chefe.

O único problema é que NÃO EXISTE NENHUMA PORRA DE INDICADOR DE CAMINHO E VOCÊ ACABA ANDANDO EM CÍRCULOS ATÉ CHEGAR NO MALDITO CHEFE DA FASE!!!!!!

E o pior de tudo é: A dificuldade da versão americana é sensivelmente superior e até você acabar a primeira fase, já perdeu pelo menos quatro vidas... uma bela maneira de se começar um game. (sarcasmo ao máximo)

Os programadores de Brawl Brothers devem ter percebido a merda que fizeram, tanto que esconderam a versão japonesa do jogo dentro do cartucho americano e que pode ser revelada com um código. Até hoje, Brawl Brothers permanece o único cartucho de Super nintendo com esta peculiaridade.

Aliás, dois personagens tem chutes no saco como golpes na versão japonesa... e na versão americana, tais golpes foram removidos...

Argh... japoneses podem fazer merda mas americanos também não ficam atrás, viu...



Silver Surfer

O Nerd também falou deste game e deu a descrição exata do que mais vai te acontecer aqui:

Morrer, morrer, morrer, morrer, morrer, morrer, morrer, morrer, morrer, morrer, morrer, morrer, morrer, morrer, morrer, morrer, morrer, morrer, MORRER, MORRER, MORRER, MORRER, MORRER, MORRER, MORRER, MORRER, MORRER, MORRER, MORRER, MORRER...

...morrer...

Qualquer movimento que você faça lhe causa a morte: Se encostar nos inimigos, morre, se encostar no cenário, morre, se levar tiro, morre, se ficar parado, morre, se for cagar, morre, se parar pra comer enquanto caga, morre... TUDO LHE MATA NESTE MALDITO JOGO!!!

Pra alguém que detém poderes cósmicos, o Surfista Prateado é tão frágil quanto um Cavaleiro do Zodíaco.

Havia um código que dava invencibilidade total ao personagem e graças a isso, eu consegui terminar o game. E que tipo de final esperava o jogador? Um mero debate entre Galactus e o Surfista para decidir que vai ficar com o treco que ele passou o game juntando as partes...

Queria ter uma imagem pra provar, mas tenho certeza que era um aumentador de pênis cósmico, o que torna o final sem sentido, pois o Surfista leva o aparelho embora consigo, embora não tenha pinto pra aumentar...

Mas por que raios estou divagando sobre a genitália do Surfista Prateado? Deve ser a falta de açúcar no sangue...



Twisted Metal Black

TMB é um dos melhores games do Playstation 2... não, um dos melhores games DE TODOS OS TEMPOS!!!!

Tudo foi feito direito aqui: A atmosfera, as histórias dos personagens, os gráficos sujos... tudo é perfeito! Parece que estamos jogando uma versão automotiva de Seven ou de Jogos Mortais!

Seu único problema é sua dificuldade brutal. Até veteranos da série tiveram problemas em se adaptar ao novo game, mas tudo bem, ver um monólogo de SweetTooth quase tendo um orgasmo ao descrever os assassinatos que cometeu vale qualquer dificuldade.

Felizmente, existe um código que deixa o jogador invulnerável e com munição infinita, o que permite aos maníacos de plantão terminarem o game e aproveitarem toda sua demência como se deve!

Sério, um jogo que tem um personagem com os olhos costurados e que mesmo assim dirige um carro merece ser jogado! No question about it!

E se isso não te convencer, o tema musical do jogo é "Paint it Black" dos Rolling Stones, que tal? Se você não gosta dos Stones, por favor, morra!



Battletoads

Ok, este é um clássico!

Battletoads acabou com a alegria de muita gente, de fato, já falei dele aqui antes.

O game é sensacional, mas já debati o quanto a fase do jet-ski deprimiu muitas pessoas e o game não facilita depois dela, pois vai ficando dramaticamente mais doloroso a cada etapa.

Hoje percebo que talvez Battletoads fosse um game pra ser jogado em galera, com uma roda de amigos tentando a sorte e cada vez que um perdia uma vida, passava o controle pro camarada do lado até todo mundo cansar de jogar e ir assistir a um filme pornô.

Fiz uma vez isso com um grupo de amigos e Samba de Amigo no Dreamcast, exceto que eu fiz parte das pessoas que preferiram ficar na sala assistindo o filme pornô, ao invés de ficar no quarto jogando.

Aprendi duas lições valiosas nesse dia: Primeiro, nunca prefira ver um filme pornô a ficar jogando com os amigos e segundo, se pegar emprestada a fita em que o filme foi gravado, você nunca vai precisar devolve-la.

...hehehe...



NAM 1975

Por fim, temos um jogo do Neo Geo.

Agora, os games do console da SNK eram notoriamente difíceis. De fato, desafio qualquer um de vocês a terminar Sengoku ou Art of Fighting. Garanto que seu tempo de vida vai diminuir se você conseguir.

NAM 75 era obscenamente difícil. Controlavamos um mísero soldado sem as habilidades do Snake Eyes ou a testosterona excessiva do Sargento Slaughter e tinhamos de enfrentar o Vietnã inteiro para salvar um cientista.

O problema é que mesmo hoje em dia, quando temos emuladores e créditos infinitos para jogar games que eram impossíveis de completar no passado, não é possível terminar NAM 75.

Isto porque O GAME COME TODOS OS SEUS CRÉDITOS ASSIM QUE VOCÊ CHEGA AO CHEFE FINAL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Se você tiver colocado 50 créditos, o jogo vai comê-los e não vai lhe deixar usar continues na batalha final. Como o chefão atira mais do que o Rambo em um dia de fúria... bom... você entendeu aonde eu quero chegar...

Bom, pode achar que este artigo foi só o lamento de um nerd incompetente que não termina certos games, mas não se engane, não sou como certas revistas "especializadas" que dão nota 4.5 pra Ninja Gaiden Black só porque não o terminam.

Os games que descrevi ultrapassam a barreira do difícil, eles são impossíveis devido a programação ruim e mal planejamento. Games difíceis não são ruins, pois quando bem feitos, a dificuldade não se destaca do resto do jogo.

Mesmo assim, eu sou um trapaceiro bichinha que adora usar...



...pois é.

Na verdade, uso Codebreaker hoje em dia, pois é muito mais eficiente e trava menos.

Isso porque acredito que games existem para nos divertir, mas quando um programados sádico acaba fazendo alguma cagada que nos impede de terminar, nada nos resta a não ser trapacear.

E trapacear muito!

E com orgulho!!!!

E nada mais tenho a dizer!!!

Cheers!!!

9 comentários:

Victor R. Fernandes disse...

Excelente! : )

Battletoads... a fase do Jet ski. ARGH. Aquilo era insuportável... poutz. :(

E sou velho o bastante para lembrar do GAME GENIE... credo!

Rodrigo Jeferson disse...

Realmente Batletoads era de deixar qualquer um louco, mas eu zerei Contra Original em um Fim de semana quando tinha meus 9 anos...

Amer disse...

Viu? É possível terminar Contra!!!

Lucas disse...

quanto ao battletoads...

maldita fase do jet ski!maldita fase do jet ski! MALDITA FASE DO JET SKI!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Aliás, tem um jogo que se tu não tiver um emulador, é muito difícil de terminar, e ja me rendeu muitos murros na tela do PC! o nome deste é smash TV!

Amer disse...

Smash TV eu joguei muito pouco, mas considerando minha baixa tolerância para com jogos dificílimos... não é surpresa...

viciado em psp... disse...

Pra mim esses jogos Quase impossiveis, só podem ser jogados pelo Vg, por um motivo, pelo emulador tem save state...

Amer disse...

Sábias palavras...

Igor Henrique disse...

Muito obrigado amigo pela citação em G&G, porem minha real origem, fui construido com membros e orgãos de ex-jogadores de G&G absorvendo somente o que eles tinham de produtivo. falow amigo e essa semana eu consigo seu analogico pra psp

danielt3 disse...

cara, muito legal esse post...mas faltou um que nao deveria ficar de fora de nenhuma lista de games-mega-fodassos de todos os tempo: Fantasia do mega-drive. Sim, a ideia do Mickey ser um feiticeiro passa, os graficos/som passam, mas os controles sao desanimadoramente ruins. Eh uma sensacao tao ruim que soh quem jogou sabe descrever. Quem terminou esse (sem usar save-state no emulador) merece o premio final-fight-com-uma-ficha.