sábado, 4 de agosto de 2007

Coisas que me irritam profundamente em alguns games!


Ok, o post de hoje é fruto de pura e incontida frustração com games!

Por quê?

Bom, porque eu estava jogando ontem e fiquei extremamente irritado com certos acontecimentos em certos games...irritação que se tornou pura e simples fúria, e que foi contida apenas após a liberação de um personagem secreto em um game de luta, e sob condições desumanas de dificuldade.

Enfim, resolvi escrever um pouco sobre algumas coisas que me emputeceram muito em alguns games, e acho que muitos de vocês podem simpatizar com minha causa, pois já passaram por situações parecidas.


1 - As missões da ambulância em qualquer GTA:


Não existe coisa mais incrivelmente irritante e desagradável em toda série GTA do que completar as missões da ambulância, simplesmente porque é muito fácil alguma coisa dar errado nelas.

É muito fácil perder o controle da ambulância e capotar com ela, ou derrapar pela pista e atropelar um dos pacientes a serem resgatados, ou simplesmente parar direitinho do lado de um dos pacientes e ver algum barbeiro passar por cima dele e estragar sua missão.

Ou o tempo pode simplesmente acabar quando você está prestes a entregar a última leva de vítimas no hospital...

Nenhuma das outras missões paralelas é difícil assim, nem a "Vigilante", nem a do táxi, nem a do caminhão de bombeiro. A missão da ambulância tem esse talento em acabar com nosso dia.


2 - Esquecer algum item em um baú lá atrás, em qualquer Resident Evil


É batata. Você já usou aquela chavezinha estranha em umas três ou quatro portas pelo jogo e acha que não vai mais precisar dela. Seu inventário está lotado, com dois tipos de arma (uma leve e uma pesada, sempre) munição para as duas, alguns herbs ou first aid sprays, mais umas duas ou três chaves que ainda não usou e é isso, não tem lugar pra mais nada.

Então você faz o que qualquer americano de sangue quente faria, larga a aparentemente inútil chave no baú mais próximo, e avança bravamente, matando tudo em seu caminho e assim que chega na próxima leva de portas, descobre que uma delas só pode ser aberta com a chave que foi deixada no baú lááááááááááá atrás...

E lá vai você, voltar por 8 quilômetros de cenário vazio até encontrar o baú mais próximo e poder trocar algum item pela chave que precisa, provavelmente deixando algum herb ou first aid spray que com toda certeza vai fazer falta quando destrancar a porta e um Hunter vier lhe dar as boas vindas.

Coisas assim me fazem ter orgulho de ter jogado RE3 com Gameshark.


3 - A fase do Jet-Ski em Battletoads


Não preciso falar nada, pois quem jogou sabe como é.

Lembro que revistas de game da época (91, se não se lembrar) dedicavam páginas e mais páginas a como se passar deste trecho maldito do jogo, inclusive o povo da Ação Games desmontou o joystick do Phantom System pra ter mais precisão no uso das diagonais ao se jogar.

Bom Deus, queria saber quantos dementes estragaram seus controles ao tentar imitar essa proeza.

Só consegui passar dessa parte do jogo nos dias atuais, graças aos emuladores e ao recurso de poder salvar o jogo onde bem entender e continuar depois. Devo ter salvado umas trinta vezes durante o jet-ski, só pra carregar em seguida e evitar o erro que havia acabado de cometer.

Pode me chamar de trapaceiro bichinha, eu não me importo.


4 - Qualquer chefe final em qualquer jogo de luta da SNK


Isso até gerou o termo "Síndrome de chefão da SNK", pra você ter uma idéia.

Mas sinceramente, é algo que virou uma espécie de piada. Os jogos de luta da SNK são ótimos e desafiadores com o nível certo de dificuldade, pelo menos até se chegar ao chefe final de cada um.

Chegue no Mr. Karate em Art of Fighting ou em Geese Howard em Fatal Fury 1, e eu garanto que eles vão chutar sua bunda com os dois pés ao mesmo tempo por pelo menos meia hora até que você consiga descobrir o que fazer pra não apanhar tanto.

Sinceramente, não sei qual é a dos programadores, por que fazem chefes finais tão difíceis? Eles não percebem que isso não tem graça? É enfurecedor, não desafiador! E nem mesmo a sensação de vitória ao derrotar o cara é suficiente pra aplacar a ira divina que sentimos nessas batalhas!!! Pelo amor de Benji!!!

E se quer perder a cabeça mesmo, tente preencher os requisitos pra enfrentar Geese Howard com chefe final secreto de Art of Fighting 2, garanto que você vai ter envelhecimento precoce.
Pra próxima semana prometo um post decente e menos furioso.

Cheers!!!

7 comentários:

/Spacejazz. disse...

A FASE DO JET SKI... Eu lembro. AH, lembro... quase fiquei louco com essa merda. Demorei dias para conseguir passar e, depois, ao jogar de novo, só conseguir repetir a coisa umas duas ou três vezes... MESMO decorando era difícil demais...

Battletoad disse...

Jamais achei q alguem se lembraria disso...

Acho improvavel q acreditem, mas fui eu quem deu as dicas de Battletoads ara a Acao Games.

Na verdade, o negocio do controle nem foi pra fase do Jet ski.
Foi para a fase q vc tem q fugir de uma bola.
Ai sim nao pode acertar nas diagonais.

Desmontar o controle realmente eh bizarro..
Inimaginavel hj em dia..
Mas eu tinha soh 13 anos...
Sem nocao msm...

BAH disse...

Nada mais irritante do que as famigeradas "fases da água" de alguns games.

Anderson, o Monge disse...

Haha!
Eu tenho trauma do Resident Evil por causa desse tipo de coisa.

Pietro Enrico disse...

O q mais me irrita em gta eh a porra do carro ter um dispositivo q faz ele se auto destruir quando ele eh virado de ponta cabeça!

Jake Farley disse...

Não há nada mais agonizante do que aquelas ridículas missões de Destroy All Humans!

Carlos "Cipher" Renato disse...

Meu amigo, só tem uma coisa que voce esqueceu: AQUELAS PORRAS DE PEIXES FANTASMAS DO NINJA GAIDEN SIGMA!!!

Sério voce tem que enfrentar centenas de uma vez só, e quando elas te derruban voce não tem como atacar, eles podem drenar sua life inteira, os bixinhos eram muito piores que os bosses do jogo