sábado, 16 de fevereiro de 2008

Comerciais importados de utilidade pública!!!


As vezes é meio difícil escrever um artigo novo.

Não que eu não goste de escrever no blog, pelo contrário, muitas vezes deixo de fazer outras coisas só pra atualizar aqui.

O problema é arrumar assunto e as vezes mesmo quando tenho sobre o que escrever, não tenho imagens ou informações a respeito para fazer um artigo adequado.

Por exemplo agora, tenho cinco artigos em produção, mas não posso colocar nenhum no ar ainda por falta dos itens que mencionei acima, o que me forçou a fazer um artigo de emergência.

Que por um lado, pode ser uma benção disfarçada.

Bom, vamos ao assunto de hoje: comerciais de utilidade pública americanos!

Você já deve ter visto alguns comerciais desse tipo no Brasil, na maioria das vezes com campanha anti - drogas ou coisa do tipo. Lembra daquele em que um moleque com cara de chapado tá mascando chiclete e vêm alguém e dá descarga no cérebro dele? Clássico!

Pois bem, nos Estados Unidos, a coisa é muito mais séria do que aqui, eles investem pesado neste tipo de propaganda, com efeitos especiais, uso de celebridades e tudo mais e os resultados... bom, não sei se são melhores que os daqui, mas com certeza ficam na memória por mais tempo.

Eu daria mais atenção a alguns dos comerciais abaixo do que aos que são lançados em nosso país.

Bom, sem mais delongas, acompanhe-me e conheça alguns comerciais de serviço público do passado das tevês americanas.

E as fotos não tão grande coisa, eu sei. Mas a maioria desses videos tem pelo menos vinte anos de idade, portanto seja compreensivo.

Vamos nós!

Beber enquanto dirige irá transformá-lo no Esqueleto!!!


A história deste aqui começa do lado de fora de uma balada ou onde quer que a juventude americana fosse nos anos 80 pra curtir.

A galera tá enchendo a cara e uma das meninas do grupo expressa sua preocupação, pois sua turma pretende continuar a farra em outro lugar.



Bom, o namorado dela a convence que ela está se preocupando a toa e a faz entrar no carro, onde claramente há mais bebida do que pessoas.

Bom, eu não bebo, não dirijo e não saio de farra, mas me parece meio exagerada a proporção de garrafas de cerveja por habitante dentro deste carro. Por outro lado, se forem alunos do Mackenzie, então há cerveja de menos aqui.



O bonitão que tá mais bêbado que um gambá dá a partida no carro...



... E TODOS VIRAM CAVEIRAS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

ELES MORRERAM POR BEBER NO CARRO!!!!!!!!!!!!!!!!!

Sério, o comercial está tentando nos convencer de que se bebermos dentro do carro, alguma força do além irá nos vaporizar!!!

Pela dentadura de George Romero!!! Se já não bebia antes, eu definitivamente não o farei agora, ainda mais perto de um carro!!!!!



O comercial termina nos explicando que beber e dirigir pode matar uma amizade, mas não parece ser verdade, uma vez que um vivo está claramente cumprimentando um dos mortos no fim do video.

Imagino que eles já eram amigos antes do acidente, pois pouca gente se prestaria a fazer amizade com um zumbi.

Eu faria, mas sei que o resto da humanidade é racista!

O traficante das trevas!!!


Nosso próximo comercial começa com um traficante em seu ambiente de trabalho, vendendo baseado, coca e Yakult pra uma turma de manos.

Ele percebe a câmera, encerra suas atividades e começa um solilóquio.



O traficante sai passeando todo malaco, nos conta que é um cara legal e que todas as minas querem trepar com ele e que ele sabe o que é bom pra nós e por aí vai.

Ou seja, um sujeito bacana, do tipo que cuida da gente e nos ensina coisas úteis, certo?



Mas então, ele passa por uma sombra e sua silhueta... muda...

De repente ele não parece mais tão legal e sua voz começa a soar estranha, como se ele fosse um réptil ou um tremendo paga pau do Harry Potter...



Então o malaco sai da sombra e OH MEU DEUS!!!!!! ELE É UMA COBRA!!!!!!!!!!!!

PREPOSTEROUS!!!!!!!!!!!!!!


Em outras palavras, traficantes são como cobras e só querem foder sua vida!!!!!!!!!!!

Hmmmmmm...

Com todo respeito aos publicitários brasileiros, mas este vídeo é muito mais eficiente para manter a garotada longe das drogas do que aquele antigo comercial com uma dona vestida de branco dizendo "Meu nome é cocaína". Se tivesse visto isso quando era criança, eu ia passar a carregar uma 12 para onde quer que fosse e meteria bala em qualquer um que eu visse fazer menção a drogas!

Eu mataria metade dos meus colegas de faculdade, mas diabos, nenhum homem cobra jamais iria me pegar!!!!!!!

E a maquiagem é extremamente bem feita para um comercial, ainda mais dos anos 80. O que mostra que realmente não se media esforços com esse tipo de coisa lá na terra de Super Sam.

A seguir, alguns comerciais de utilidade pública que fazem uso de licenças bastante interessantes.

Não beba e dirija em Tatooine!


Ok, um comercial de utilidade pública usando a licença de Star Wars! Sensacional!!!

O video começa em Tatooine, na cantina de Mos Esley. Você sabe, onde Obi Wan cortou fora o braço de um alien que perguntou pra Luke onde ele fez o cabelo e onde Han Solo costumava atirar no Greedo sem provocação.



Há muito mais fumaça na cantina do que quando vimos o lugar pela primeira vez, o que indica que os Hutts agora vendem bastões mortais no lugar também.



Um alien peludo bebeu demais e perdeu a cabeça. Ele começou a gritar (rosnar, urrar, balir, sei lá) com o barman, que não o entende.

Com seu idioma ininteligível, o peludo pode estar falando qualquer coisa, desde perguntando onde pode conseguir umas prostitutas Jawas até estar deixando clara sua opinião política ao dizer que o Império só ascendeu por culpa do Jar Jar.



Felizmente, o amigo do peludo aparece, deduz que ele bebeu demais e resolve leva-lo para casa.

É melhor mesmo, as brigas de bar em Tatooine sempre acabam mal...



Eis que a Millenium Falcon passa pela tela e recebemos a mensagem "Amigos não deixam amigos dirigir bêbados!"

Uma boa lição, mas já que ela apareceu na mesma cena que a nave do Han Solo, eu agora acho que ele é um tremendo pau d'água e que o Chewie sempre o leva pra casa depois das farras na corte do Jabba.

Mas tenho certeza que a Léia o fez largar a bebida e encerrarei este parágrafo sem fazer nenhuma piada referente aos antigos vícios de Carrie Fisher.

R2-D2, o maconheiro!



Nosso segundo comercial passado em uma galáxia muito distante estrela os dois Droids de Luke.

A história começa com C-3po brincando de Jenga ou algo parecido. Ele fica tão impressionado com a própria habilidade de jogar sozinho e vencer, que resolve chamar R2 para compartilhar com ele de sua glória.



Mas onde estará o baixinho?

3po sai passeando pelos corredores de... onde quer que ele esteja até que de repente...



... ele avista fumaça!

Tem fumaça alí no meio da foto! Olhe com afinco que você verá!



O droid inglês acredita que é um incêndio, mas na verdade é apenas R2 - D2...



... que está fumando?

...

...

...

Eu juro, tem tantas coisas erradas com esta cena que eu nem sei por onde começar...

Mas enfim, 3po dá uma bronca em R2, explica todos os males que o cigarro causa e o convence a largar o hábito.



E recebemos um texto nos dizendo que é uma mensagem de uma "Galaxaia muito muito distante".

Depois dessa, chega de Star Wars!!! Pelo amor de Yoda!!!

De fato, os personagens de George Lucas não foram os únicos a embarcar nesses comerciais de utilidade pública, a Hasbro fez sua parte e mandou personagens de suas duas maiores franquias trabalharem um pouco em função do bem da juventude americana.

E vamos começar pelos heróicos Comandos:

Doc diz: Não tome remédios sem seus pais por perto!



Nossa história começa com a pequena Mariazinha (eu sei que é um pleonasmo, não me encha o saco), que está com dor de barriga e pede ajuda ao irmão mais velho.

Como isso é um desenho, o menino resolve ajudar a irmã ao invés de chutá-la na barriga e piorar sua dor.



Ele vai até o armário de remédios do pai e pega a primeira garrafa que vê na frente sem sequer ler o rótulo... bom talvez ele esteja tentando matar a irmã, portanto acho que falei cedo demais no parágrafo anterior.

E que tipo de imbecil deixa vidros de remédios a mão pros filhos tomarem? Como os pais eram negligentes nos anos 80!

Mas a tentativa de fraticídio falha pois...



... Doc aparece na janela e imbute algum bom senso na rapaz, dizendo que se estiverem sozinhos em casa e estiverem com dores lancinantes, devem esperar pelos pais ou pedir ajuda a um vizinho.

O que mostra como os tempos mudaram de lá pra cá, pois hoje em dia, pai nenhum instrui os filhos que estão sozinhos em casa a pedirem ajuda pro vizinho. Todo mundo é um pedófilo em potencial, até mesmo VOCÊ!!!!!!!!

E por falar nisso, o que diabos Doc fazia espiando pela janela do banheiro das crianças? Vai me dizer que ele passou por acaso aí e resolveu aconselhar os dois? Eu teria mais medo de um cara que aparece na janela do meu banheiro do que de morrer por overdose acidental.



Seguindo o conselho de Doc, Mariazinha vai pedir ajuda para a vizinha e provavelmente virá com a polícia, para prender este voyeur que se diz médico.

Mas tenho certeza que o Duke livrou a cara dele da prisão depois.

Blow Torch ensina o que fazer em caso de incêndio!



Pedrinho e Zezinho estão sozinhos em casa e decidem fritar algumas bananas para comemorar a vitória de seu time contra o de Charlie Brown!



Como Pedrinho é um imbecil, ele põe fogo na casa no processo.



De repente, Blow Torch aparece, o que significa que a casa era uma pensão e ele estava alugando um dos quartos. De outra forma, seu surgimento súbito não faz sentido algum.

Ele passa dez minutos explicando para os meninos que se houver um incêndio, eles devem sair da casa o mais rápido possível e pedir ajuda do lado de fora.

Claro, o fato dele explicar isso para as crianças dentro da casa ao invés de levá-las pra fora e só então conversar coloca em dúvida sua capacidade como chefe da brigada de incêndio dos Joes.

Ou esse cargo era do Barbecue?



Não importa, pois o papo chato de Blow Torch é o suficiente para fazer as crianças saírem correndo em horror da casa. E ele não estava errado, pois meio segundo após as crianças saírem gritando "Fogo", um caminhão de bombeiro apareceu do nada.

Gritar do lado de dentro não dá em nada, mas gritar do quintal faz com que os bombeiros se materializem no ar. Aprenderam a lição?


O comercial termina com Blow Torch agarrando os meninos de forma suspeita, mas como ele é militar, aposto que escapou numa boa das acusações de pedofilia.

Gung - Ho diz: seja legal com as meninas!



Este outro comercial começa com três meninos "radicais" fazendo manobras "iradas" de skate em um parque "muito louco".



De repente, uma menina aparece e quer brincar também. Como os meninos são "ligadões" e possivelmente gays, não a deixam ser parte da turma.



Eis que Gung - Ho aparece e com toda sua sabedoria e todo o seu bigode, convence os moleques a darem uma chance para a menina.



E ela prova que é tão "Radical", "irada" e "muito louca" quanto eles.

Automaticamente, os meninos mudam de idéia e a deixam fazer parte de sua turma.



Gung - Ho explica que os meninos nunca devem excluir alguém por ela ser menina, especialmente porque uma noite ela pode tomar um porre violento e querer trepar com todos eles.

Ele não disse isso, mas sei que quis dar a entender. Ele é militar, já deve ter feito muito isso.

Mas bem, os Joes não foram os únicos a fazer este tipo de serviço, os Transformers também tiveram esta honra.

Vejamos alguns conselhos Cybertronianos.

Tracks diz: roubar carros é mancada!



João, um cara descolado e Onófre, que é um tremendo mané estão passeando. Por que duas pessoas tão diferentes andam juntas eu jamais vou saber.

João percebe um carro parado e decide "pegá-lo emprestado", para dar umas voltas, apostar uns rachas e comer algumas vadias no banco de trás. Onófre não curte a idéia, mas não faz nada para impedir o amigo, com certeza esperando que sobre alguma vadia e ele possa finalmente perder a virgindade.



João dá prosseguimento a seu plano maléfico, quando DE REPENTE...



... o carro se transforma em um robô.

Sério, como João não percebeu a insígnia Autobot enorme no teto do veículo eu jamais vou saber. Déficit de atenção é uma coisa, mas esse cara deve ser retardado.



Tracks enfia o dedo na cara de João e pergunta: "Como você se sentiria se seu carro fosse roubado, seu filho da puta?" e o rapaz esfrega a cabeça e fica todo sem jeito, reconhecendo o próprio erro.

Claro que ele perdeu toda a macheza agora que um robô de cinco toneladas está enfiando um dedo na cara dele, eu não o culpo.



Nossa história termina com Tracks levando os meninos para tomar sorvete e depois para a prisão, onde a carinha bonita dos dois fará com que sejam a mulherzinha de todos os outros presidiários.

Powerglide diz: seja legal com as meninas!



Este outro comercial começa com três meninos "radicais" fazendo manobras "iradas" de skate em um parque "muito louco".



De repente, uma menina aparece e quer brincar também. Como os meninos são "ligadões" e possivelmente gays, não a deixam ser parte da turma.



Eis que um aviãozinho aparece...



... e se transforma em Powerglide que com toda sua sabedoria e todo o seu bigode...

Espera um pouco...

... caralho Powerglide! Você só tá imitando o que o Gung - Ho já fez lá em cima! Tá vendo porque ninguém gosta de você???



Bom, ele convence os meninos a darem uma chance, blá blá blá, ela é boa pra caralho no skate, blá blá blá e a turma de boiolinhas resolve deixa-la entrar no grupo.

O fato dela já ter seios com certeza contribuiu pra isso, pois eles devem ter visto a mensagem do Gung - Ho sobre o porre e desejo sexual flamejante que a menina pode vir a manifestar.



E Powerglide continua falando, mesmo quando os meninos estão mais interessados nos peitinhos da nova amiga do que nele.

Droga, tenha alguma dignidade seu inútil! Por que Optimus deixa gente como você trabalhar pra ele?

Bumblebee ensina que fugir de casa é coisa de viadinho!



Este comercial começa com Raimundo, que está revoltado com seus pais e decide fugir de casa.

Ele bota a mala nas costas e faz sua melhor imitação de Bill Bixby quando parte em direção a estrada.



Eis que um fusca amarelo cruza seu caminho e lógico que o veículo só pode ser...



... o Bumblebee!

Antes de prosseguir com a história, quero dizer que Bumblebee foi o único dos Transformers do primeiro time a participar destes comerciais. Normalmente só eram convocados aqueles Autobots que não tinham muito o que fazer na Arca e que raramente apareciam na série animada.

Optimus, Ironhide, Jazz e Grimlock jamais se rebaixariam fazendo este tipo de comercial. Mas Bumblebee é um Autobot humilde e não vê problemas em atuar com perdedores como Powerglide.



Bumblebee explica para Raimundo que fugir de casa não é a solução, pois a vida nas ruas é dura e antes que perceba ele estará fazendo boquetes em bêbados atrás dos bares para ter o que comer no dia seguinte.

Raimundo concorda que chupar paus d'água (HA, I MADE ANOTHER FUNNY) não é uma boa e decide dialogar com seus pais mais uma vez.



E como sempre acontece quando alguém toma a decisão certa, para de chover.

Bumblebee acompanha Raimundo e Josué (o amigo de Raimundo, para quem o rapaz tava se lamentando no começo do comercial) até em casa e eu espero que ele tenha ficado por lá enquanto o menino conversava com os pais. Vai que os velhos eram pervertidos adoradores de Satã? Nunca ouvimos a versão completa sobre o que fez Raimundo fugir de casa.

Bom, mais de vinte comerciais de utilidade pública foram feitos com os G.I Joe e somente seis com os Transformers. A Hasbro deve ter achado que as crianças ouviriam mais a militares do que a robôs gigantes, o que prova que definitivamente eles não sabiam porra nenhuma sobre o público que tinham.

Quero encerrar com um dos comerciais mais clássicos da história da televisão. Acredito que nunca passou aqui, mas você vai saber qual é, pois é uma das cenas mais parodiadas da história da humanidade.

O nativo americano chorão!



Este comercial começa com um nativo americano passeando de canoa pelo rio, uma imagem que não importa o quanto eu tente, não consigo fazer piada nenhuma a respeito.



Aos poucos, o cenário da floresta é substituido por um fundo cheio de indústrias que estão contaminando as águas.

Descobrimos que o nativo americano é então muito corajoso ou muito estúpido, pois se tocar nessa água com certeza vai se transformar no Venom.



Ele chega as margens do rio, onde está tudo uma imundície só, mas o que causa tanta sujeira?



O nativo americano chega a uma auto - estrada, talvez buscando uma resposta para a dúvida que atormenta seu ser: Como o rio e suas margens ficaram essa merda que estão agora?


Um inimigo do Capitão Planeta dá a resposta, passando de carro e jogando um saco pela janela...


... que literalmente explode aos pés do nativo americano.

Pra fazer tanta sujeira deliberadamente, só pode ser um dos inimigos do Capitão Planeta. Daqueles que poluiam a Terra "porque sim".



O nativo americano fica triste...



... o que é provado pela lágrima que corre em seu rosto...

A LÁGRIMA MAIS DRAMÁTICA DA HISTÓRIA DA TELEVISÃO AMERICANA!!!!!!

Esta cena já foi satirizada nos Simpsons, em Quanto mais idiota melhor 2 e com certeza em outros lugares que agora não me lembro. Mas independente da sua cafonice, a mensagem ainda é atual: temos de cuidar melhor do planeta ou muitos índios vão chorar.

Desculpe, nativos americanos.

E a maioria destes vídeos podem ser encontrados no Youtube, é só procurar. Não forneci os links por pura preguiça desta vez.

Ora, faça alguma coisa você também! Só eu dou duro aqui?

E aguardem, pois eventualmente eu irei falar de Cartoon All Stars to the Rescue, onde TODOS os heróis de desenhos animados do fim dos anos 80 se unem para evitar que um menino vire drogado!

Espetacular!

Cheers!!!

10 comentários:

Fabiano disse...

Muuuuito legal, o post! É, nos anos 80, a gente até curtia essas coisas...

Nilo freak Two Metros disse...

Dukaralho !!!! hehehe

Victor R. Fernandes disse...

Hhahahahah, esse foi um dos artigos mais engraçados que você fez nos últimos tempos!

Muito bom para um "plano de emergência", hein? :)

E é assustador considerar que, nos anos 80, Doc e Blowtorch tomou para si o papel de "institucional infantil ambulante onipresente" (I.I.A.O., que fica bonito pronunciado em inglês: "AI AI EI OU") que antes era do Urso Smokey... X^D

In fact, that makes me a SAD PANDA...

Walmir disse...

Putz, Amer... estou com muito pouco tempo ultimamente, mas não pude deixar de passar aqui e chorar de rir com essa matéria.

Cara... como os anos 80 eram inocentes (ou a gente era muito tolinho mesmo). Essas cenas dos Transformers dando conselhos eram clássicas. Tinha também as do He-Man e She-Ra, que seguiam a mesma linha, "faça o que eu digo, não faça o que eu faço".

PARABÉNS!!!!!

Amer disse...

Eu sinceramente não sei se eramos inocentes, se os desenhos eram bem intencionados, não sei de nada... só sei que os anos 80 foram do caralho!!!!!!!

Walmir disse...

Amer... veja... vc tem uma certa razão. Os desenhos eram bem-intencionados mesmo.
Tanto é que hoje, quando não existe mais conselhos assim, adolescentes se matam nas escolas dos EUA.

Precisamos de um novo He-Man. Não aquele do desenho mais atualizado... Temos que ter o cara da sunga de pelúcia e camiseta cor-de-rosa, falando sobre como ser um humano melhor (embora , tecnicamente, ele seja um alienígena).

Rafael disse...

Parabens Amer, otimo post! Achei do caralho, até por ser um projeto de publicitario. hauhuahuaa

Jersica Paes disse...

Adorei o blog, Amer! Você tem cuidado e capricho, parabéns! Tomei a liberdade de linkar seu blog no meu, para que eu não o perca de vista. Voltarei mais vezes, sempre, pode ter certeza! Um abraço!!!

birasblog disse...

muito bom!!!

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

o comercial do Ind...Nativo Americano é muito triste mesmo.

e como o Klatuu dizia: o ser humano é incapaz de mudar. mas a Jennifer Cornnely o impediu, grande erro

ou seja, TAMO FUDIDOS!!

o ser humano vai continuar degredindo a natureza até tudo virar Fallout.