sábado, 15 de setembro de 2007

Capitão N: O único cara que usa um controle de NES como fivela do cinto!


Meus últimos três posts acabaram sendo sobre games e minha intenção era variar um pouco hoje. Sei que prometi o review de um filme sensacional e não se preocupe pois não esqueci e estou trabalhando nisso, mas hoje, gostaria de falar de um desenho pelo qual eu era totalmente apaixonado na minha infância:

Capitão N: O Senhor do Jogo!!!

Capitão N foi produzido nos anos 80 pela Nintendo, que na época acreditava que criar séries animadas envolvendo seus principais games faria com que eles se tornassem ainda mais populares. Normalmente, eu não curto desenhos que são baseados em games, pois a grande maioria acaba sendo uma imensa diarréia, mas Capitão N, Super Mario Bros Super Show e A lenda de Zelda eram incríveis, pois tinham aquele espírito que somente animações dos anos 80 eram capazes de ter.

Aquela aura que diz "Hey, eu posso ser um comercial de 20 minutos, mas mesmo assim sou legal!"

Transformers tinha essa aura, Thundercats também e Capitão N, uau, também tinha! E isso é dizer um bocado!

Mas vamos ao enredo:

Nesta série, acompanhamos as aventuras de Kevin Keen, o yuppie da ilustração acima, que um belo dia enquanto jogava Punch - Out foi tragado pela televisão e foi parar na Videolândia. Ao melhor estilo Keanu Reeves, ele descobre ser o escolhido que vencerá o mal e salvará o mundo digital.

Quem diria?

Mas até onde sei, as chances desse tipo de coisa acontecer eram relativamente altas nos anos 80.


Kevin rapidamente faz amizade com os nativos do lugar, ganha uma pistola de NES e um joystick que ele passa a usar de fivela e então, dedica-se a combater o mal do lugar!


KABLAM!!!

Mas qual era o grande perigo que ameaçava Videolândia?


Ora, Elke Maravilha é claro!

Digo, Mãe Cérebro de Metroid! Isso!

A vilã mais maquiada que um travesti acreditava que precisava conquistar o Palácio do Poder, que era a base de operações de nossos heróis, para tomar Videolândia e se tornar o ser mais poderoso do universo... dos games...

Vou te contar, o Esqueleto fez escola.

E como boa vilã dos anos 80, ela não pretendia fazer isso sozinha e tinha seu próprio exército particular de incompetentes multi-coloridos.



Que consistia de vilões dos games cuja propaganda era feita neste desenho: Dr Wily de Megaman, Bruxo Berinjelus de Kid Icarus e Rei Hippo de Punch-Out.

Diabos, com exceção do Dr. Wily, nenhum deles se parecia muito com sua contraparte pixelada. De fato, Rei Hippo é muito mais grotesco no desenho do que em Punch Out, onde ele aliás não tinha essa cor.

E essas tetas caídas e tremendamente azuis dele me deixavam muito incomodado quando eu era moleque e por Primus, ainda deixam!!!



Claro que como bons capangas, eles usavam truques dignos de personagens dos anos 80, como se disfarçar de técnicos de tv para enganar os heróis, e mesmo que fossem um gigante obeso com hipotermia e uma berinjela ciclópica falante, bastava um boné e uma camisa para que se tornassem irreconhecíveis.

Por essa lógica posso deduzir que nos anos 80 eu podia vestir uma roupa de funcionário de assistência técnica e assaltar um banco, bastando me livrar do uniforme para não ser reconhecido nunca mais depois.

Pena que na época eu era muito pequeno para tentar colocar isso na prática.



Aliás, Dr Wily com esse cabeção me lembra alguém...



TIMMY! TIMMY! LIVIN' A LIE! LIVIN' A LIE! TIMMY!!!



Mas claro que o Capitão N não estava sozinho, ele também contava com um elenco de ajudantes extremamente coloridos, cada um provindo de um game que a Nintendo pretendia divulgar com a série, exceto pela Princesa Lana que era uma personagem criada especialmente para o desenho e que servia como ponto de tensão sexual para o herói e seus amigos, mas estou me adiantando.

Entre os aliados podiamos encontrar:



Simon Belmont de Castlevania, que definitivamente não se parecia nada com o herói em que foi baseado.

Na série, Belmont era uma versão caça vampiros de Johnny Bravo: Narcisista, chato, bombado, com um gigantesco topete e um eterno desejo de conhecer as calcinhas reais da Princesa Lana.

Além disso, ele carregava uma mochila com uma quantidade infinita de itens dentro, o que me faz crer que o personagem foi ligeiramente baseado na sua versão de Castlevania 2, que também possuia o dom de carregar qualquer coisa na mala, inclusive os órgãos do Drácula.

O momento mais nobre de Simon se deve a dublagem brasileira da série, onde ele parafraseia Tião Macalé e chama a Mãe Cérebro de NOJENTA!

Juro por Deus, ele disse: "Como diria o Tião Macalé, ela é NOJENTA!"

Como eu queria ainda ter a fita pra provar...



O garotinho de bochechas rosadas acima é Pit, que veio do game Kid Icarus.

Na série todos se referiam a ele como Kid Icarus, o que me deixou confuso por alguns anos quanto ao real nome do pimpolho.

Icarus (ou Pit) tinha um verdadeiro arsenal de flechas a seu dispor e como eram os anos 80, elas tinham as mais diversas funções como causar paixão instantânea em alguém, fazer a grama crescer, gerar vacas do nada (?) e lógico, flechas antídoto para reverter os efeitos de todas as outras.

E é curioso que um dos personagens menos conhecidos é justamente um dos mais semelhantes a sua versão digital.



E por fim temos Mega Man, que aqui tem a aparência de um menino gordinho usando agasalho.

Nesta imagem ele está usando um moletom, mas normalmente era somente um agasalho verde.

Nada contra meninos gordinhos de agasalho pois eu já fui um, mas Mega Man já tem um visual tão simples, por que não usaram?

Por outro lado, ele podia ter acabado como sua versão em desenho animado dos anos 90 que tinha músculos falsos esculpidos na armadura, então eu acredito que sempre pode ser pior.

Aliás, como já mencionado, ele está verde.

Mega Man, o "Blue Bomber" foi desenhado na cor verde...

Pois é...


Ah sim, Donkey Kong fazia aparições esporádicas na série, como um gorilão do tamanho do Godzilla que era uma ameaça a heróis e vilões, sem exceção.

E que ficava muito bem de avental, se me permite dizer.



Um dos temas recorrentes da série era o eterno romance "vai-não-vai" entre Kevin e Lana, que como a maioria das mulheres, não deixava claro se era a fim do sujeito ou não.

Era mais do que claro que o Capitão N ficava com alta circulação sanguínea nas partes baixas quando a via pois uma coisa é certa:



Diabos, ela era maravilinda!

Já deixei clara minha paixão por mulheres animadas em outra ocasião, mas devo afirmar que a Princesa Lana é uma das personagens de desenho mais sensuais que eu já vi na vida.

Não tem o charme de mulher fatal da Baronesa ou a insanidade adorável da Arlequina, mas algo nela a deixa extremamente hot! Talvez seja porque ela é uma morena curvilínea que anda com personagens de videogame.

E é só um palpite, mas acho que ela é o tipo de garota que prefere ficar em casa num sábado a noite jogando Super Contra do que ir em restaurantes ou baladas que custam sessenta paus pra entrar sem contar a consumação!

Damn, que mulher!



Viu? O Kevin concorda!

E pela cara que está fazendo na foto, aposto que ele teve de colocar uma cueca limpa assim que acabou a cena.

Alguns historiadores afirmam que a Princesa Lana ficou gostosa assim porque seu visual foi inspirado em sua dubladora, Venus Terzo.



E Mamma Mia, eles não estão errados!

Venus também dublou Blackarachnia em Beast Wars, onde ela com certeza recebia muitas cantadas de seus colegas.

Uma delas descaradamente foi parar nos diálogos de um episódio, mas outro dia conto essa história.



E o capitão N era amigão do Link e sempre que podia, ele e a Princesa Lana iam até Hyrule fazer piquenique com ele e a Princesa Zelda.

E eles faziam apenas piqueniques, eles não eram swingers! Kevin e Link não conseguiam comer nem suas respectivas princesas, quanto mais fazer troca de mulheres!

Por fim, a série cativou toda uma geração de garotos que cresceram jogando Nintendo e que só desligavam seus games para assistir os desenhos baseados neles. De fato, reflexos do impacto gerado por esta série podem ser vistos até hoje.

Como Captain S:


Que é uma série com temática similar, onde um nerd entra em games do Mega Drive para combater um grande vilão, seja lá quem for. Imagine uma mistura de Blossom com Capitão N e você vai entender.

A série pode ser assistida aqui e em um episódio, Captain S se une ao Angry Videogame Nerd para salvar o Natal!

Hooray!


O que me resta falar de Captain N? Bem, a série foi lançada em DVD recentemente nos Estados Unidos e é muito boa, mesmo para os padrões atuais.

Fica claro que a Nintendo injetou uma boa grana nas duas primeiras temporadas da série, que apesar de erros comuns aos desenhos da época, possuía animação muito acima da média e um aspecto geral muito agradável.

O mais importante é que apesar de ser um desenho meramente criado para servir de propaganda para os produtos da empresa, a equipe de roteiristas realmente tomou cuidado para que os episódios fossem bem escritos e não se tornassem (muito) estúpidos, o que com certeza é um dos fatores pelo qual esta série é lembrada com tanto carinho ainda hoje.



Isso e uma princesa gostosa e armada!

Toma essa, Rainha Amidala!

Antes que eu me esqueça, o Capitão N era amigo de um Game Boy gigante, falante, dotado de consciência própria e incrivelmente cuzão, mas isso também é uma história para outro dia.

Cheers!!!

P.S: Quase que a totalidade de imagens deste artigo veio do site Ultimate Warp Zone, que é totalmente dedicado a série e que sem dúvida merece uma visita! Clique aqui para chegar lá!

8 comentários:

/Spacejazz. disse...

Eu lembro! E lembro que queria que o design dos personagens fosse mais fiel, especialmente o Belmont...

Ian disse...

3 coisas:
1- Dr. Wily, não Willy
2- Como você não menciona o fato do Megaman estar VERDE? XD
3-O último link leva pro Captain S de novo =O

Mas fora isso, muito bom lembrar desse clássico XD

/Spacejazz. disse...

Onde foi parar a enquete? Sumiu! o.o

Vardão disse...

não é da minha época isso..
mas o Super Mario Show eu lembro de ter assistido Oo

Amer disse...

Tudo consertado Ian.

Foi mal o desleixo...

Já me castiguei assistindo a duas horas de um show dos Inimigos da HP.

Fabiano disse...

Nooosa, eu já tinha até esquecido disso! Poxa, era legal, sim!
Agora, tem um outro desenho baseado em videogame, na verdade, em um periférico, que era TRI-LEGAL: Zillion!
Sim, se for bem feito, até um desenho-propaganda se salva...
Abraço!

Anônimo disse...

Velhoooo!!!!Virei teu fã, sério.Achei o blog muito sem querer e é du caralho!!!Acabei de ler ele todo e tenho q te encher o saco pedindo mais.Fala do Jaspion(+foda q os Changeman,ñ fica puto q eu era fã deles tb),Galaxy Rangers(Mucho Loco), Lion Man(hilário),COMANDOS EM AÇÃO (os caras).Vou recomendar geral, esse saudosismo aliado ao teu humor ficou du c... ABRAX ae (Hawk)

leandro moraes disse...

Cara, não tinha nada mais divertido que o Simon dizendo "Nojenta". Uma das melhores dublagens.