sábado, 1 de setembro de 2007

Um tributo a Poison...não a banda!


Sim, sim ... Poison...

Ainda não se lembra da moça? Tente de novo!



Agora sim! lembrou dela, não?

Bom, se não lembrou, eu lhe pergunto o que diabos está fazendo aqui! Se Você nunca jogou Final Fight, não tem motivo algum pra estar lendo este blog, de fato, NÃO TEM MOTIVO ALGUM PARA CONTINUAR VIVENDO!!!!!!!!

*ARRAM*

Tá bem, pra não alienar as três pessoas do mundo que nunca jogaram FF e que podem estar lendo este blog, darei um breve resumo: Poison é um dos inimigos normais que encontramos no Final Fight original, uma garota acrobática que entra na tela dando piruetas ou caminhando velozmente e que quase sempre consegue nos pegar de surpresa pelas costas quando estamos ocupados socando El Gado e Andoré.

Poison tem uma "gêmea" chamada Roxy, que é exatamente igual, exceto pelo cabelo laranja.



Mas o motivo que me levou a escrever este post é pra contar um pequeno detalhe em relação a ela: Ninguém sabe com certeza se ela é homem ou mulher!

Yep!

Quando FF foi lançado nos arcades, não havia problema, era um jogo de porrada e precisavamos socar uma gangue inteira de meliantes para salvar a filha do Haggar, a namorada do Cody...as duas ao mesmo tempo, como diria Cody! Não incomodava ninguém que havia duas garotas entre os inimigos e que podiamos socar, esfaquear, causar concussões e fraturas em ambas a fim de chegar ao objetivo!

Só que a coisa foi diferente quando resolveram lançar a versão doméstica do jogo para Super Nintendo em 1990, porque a Nintendo não ficou muito confortável com um game onde se podia esmagar a cara de uma garota com a bunda de 150 quilos do prefeito de Metro City e mandou a Capcom dar um jeito.

E a Capcom deu, afirmando que Poison e Roxy eram travestis!


Ah, pelo amor de ...

E eu penso: bater em mulher é crime de violência doméstica, mas bater em um travesti pode ser considerado um crime de preconceito ... a Nintendo acha o primeiro errado mas não se incomoda com o segundo? Há algo falho com essa lógica!

Mas é a Nintendo, a empresa que tem uma princesa promíscua como namorada de seu herói italiano, nada do que eles fazem tem muito sentido hoje em dia.

Bem, no Japão ela virou um travesti, mas acho que as coisas foram piores nos Estados Unidos.

You see, Poison usava roupas bastante reveladoras no jogo original de Arcade e sempre que levava um soco, por mais mísero que fosse, víamos tudo que ela tinha a oferecer, dos Apeninos até os Andes!



Claro! Isso jamais seria mostrado em um console doméstico e assim que o game foi portado no Japão, Poison ganhou roupas que cobriam um pouco mais.



Algo que na minha opinião é uma idiotice, mas nada comparado ao que aconteceria na versão Americana de Final Fight, onde ela e Roxy seriam substituídas por CARAS!!!



Assim perdemos duas das personagens mais legais de se espancar (é gostoso bater nelas, admita) pra receber um sujeito totalmente genérico e que consegue ser muito mais gay do que Poison jamais conseguiria, mesmo sendo um travesti!

E a história se repetiu em Final Fight 2, onde as garotas foram novamente substituídas por sujeitos genéricos...ack!

O povo da Capcom eventualmente declarou que Poison entrou na faca e trocou de sexo, finalmente se tornando aquilo que sempre almejou: Uma vadia legítima!

O problema é que a empresa não declarou esse fato para o grande público e muita gente não sabe que ela agora é realmente "ela", mas quando eu paro pra pensar, acho que a maioria das pessoas nem conhecia essa história, portanto acredito que no final não fez diferença o bastante para que os livros de história sejam retificados.



Mesmo com esse rolo, Poison permanece uma das personagens mais populares de Final Fight. Prova disso é que ela ganhou um belíssimo garage kit, além de fazer aparições especiais até hoje juntamente de Hugo.



Como Hugo é membro da família Andoré (precisa ser cego e autista pra não perceber) e precisava de um empresário para sua carreira de lutador profissional, nada melhor do que uma gostosa transsexual vestida como prostituta para desempenhar o cargo. Tanto que eles trabalham juntos desde Street Fighter III, o que indica que ela é muito boa nesse emprego.



Poison também se provou popular o suficiente para ter direito a uma cota de participações em mangás hentais, geralmente fazendo dupla com Cammy ou Chun-Li.

Que foi? Como se você nunca tivesse lido hentai!

Cheers!!!

13 comentários:

VRDMatrix disse...

pq raios se pode socar a chun li em street fighter e nao pode se bater na Poison?!?!
nao entendo essas coisas..

Fabiano disse...

Eu também! Em jogo de luta, não tem essa coisa de covardia, não! Tremenda hipocrisia!
Mas a/o Poison é muito gostosa, mesmo!

Rodrigo disse...

Promiscuidade por promiscuidade, ainda sou mais a Princesa Peach! =P

Maldito Marioo!!

Ian disse...

Hey, que tal um link esperto pra esses mangás hentais? XD

Sofia disse...

Impressionante né? Travecaram a "pobre" mulher dee integridade sem igual só pro preconceito ser "menos pior" que a lei Maria da Penha... Absurdo...

Mas digamos que ela encontrou seu caminho, afinal...

Beijos!

Luiz disse...

HENTAIIIIIII

/Spacejazz. disse...

Pô, sem falar que ELA BATIA EM VOCÊ!! Não é como se os caras tivessem entrado na casa de uma senhora e espancado ela até cair no chão, piscar e sumir. Blah!

Deviam fazer um jogo onde ela e a Roxy saem por aí batendo em caras diversos, porém - seria mais divertido >: D

Questão disse...

Poion é travesti apenas na versão americana. Na versão japonesa (original) ela foi criada como mulher. Quanto essas modificações, são de responsabilidade da CAPCOM que é a empresa que criou o jogo

BinaryMan disse...

A Poison entrou na faca? Essa eu não sabia, ou pelo menos não lembrava.

Se bem que, como leitor assíduo de hentai, acho que ainda preferia ela antes.

...Tá olhando o quê? XD

Louis Lindman disse...

Eu,sou foda!

Nisnast disse...

nossa q incrivel eu sou umas das 3 pessoas no mundo q nunca jogaram final fight xD(o pior é q e verdade ._.)

Osni_Paz ® disse...

Transexual ou Não, eu pegava...
Desde do Street 3 é a minha personagem favorita.

Leo Germano disse...

Concordo. Metia até o talo.