sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Os Simpsons - Mother Simpson


Este é meu artigo de número 500.

Yep.

Pode não parecer muita coisa atualmente, quando a maioria dos sites sobre cultura pop publicam entre 15 e 20 notas por dia, mas lembrem-se de que eu sempre trabalhei sozinho. Nunca me tornei chefe de uma equipe de redatores que trabalham 14 horas diárias em troca de alpiste. Cada post contido nesta página é fruto do meu esforço, e me sinto orgulhoso em ter chegado tão longe.

Assim, eu queria que este artigo fosse especial, e não consigo imaginar nada mais apropriado do que escrever sobre aquele que é possivelmente meu episódio favorito dos Simpsons. Talvez esta não acabe sendo minha resenha mais engraçada, mas acho que vocês vão gostar.

Adiante então.


Nossa história começa às margens do Ipiranga. O Senhor Burns decidiu que Porto Alegre tem de ser seu próprio país e declarou guerra ao resto do Brasil, ao Paraguai, as Guianas e ao John Cena!

...

Espera, não... O velho pecador está às margens do rio Springfield, iniciando uma campanha de trabalho voluntário para a limpeza do lago.


Voluntário de seus funcionários, é claro. Assim que a imprensa vai embora, Burns abandona o lugar e deixa toda a labuta nas costas do Lenny, do Carl e dos quatro coadjuvantes que os produtores não se preocuparam em nomear.

...

E já posso imaginar membros do fandom dos Simpsons vindo me encher o saco porque eu não sei o nome do "funcionário genérico de óculos número 3", que foi revelado na página 784 do volume VII da "Grande Enciclopédia de Groening".

Fandom foi a pior coisa que já aconteceu pra ficção, eu falo pra vocês.

Mas esperem... Onde estará Homer? Como o episódio se atreve a dar tempo de tela para o "funcionário bigodudo genérico que servirá de base pro Scruffy", mas não para o protagonista do desenho?

Protagonista que assumiu essa posição quando todo mundo percebeu que ele era o mais engraçado, porque o protagonista no começo era o Bart.


Ora, mas que mandrião! Lá está ele, macaqueando para divertir seus colegas de trabalho! Que homem generoso, que busca trazer um pouco de alívio ao trabalho forçado que se abateu sobre aqueles que suam diariamente para ganhar o pão nosso.

Abençoado seja, Homer!


Mas que droga, Homer! Nem uma benção você recebe direito?

Bom, pelo menos não tem como piorar.


Oh!

Bom, essas devem ser todas as pedras do rio. Pelo menos não tem como piorar.


Oh!

Mas bem, esses devem ser todos os castores do rio. A menos que Homer seja tragado por uma turbina, não tem como piorar.


Oh!

Pelo menos não tem como piorar. LITERALMENTE, não tem como piorar.

Digo, a menos que sirvam os restos mortais do Homer na reunião anual dos papa-defuntos. Mas a censura da época jamais permitiria a exibição de tal cena. Podemos ficar tranquilos.


E todos os seus amigos lamentam esta enorme perda. Desde o Lenny até o "funcionário genérico com cabelo de Moe e rosto mais comprido que o dos demais de número 754".


Mas esperem... HOMER NÃO MORREU! Foi apenas um embuste que ele arrumou para não precisar trabalhar no sábado!

...

Considerando que um modelo realista de corpo inteiro não deve ser fácil de achar, e que a brincadeira lhe custou 600 paus, esta deve ser a maneira mais trabalhosa e cara de ser evitar um dia de trabalho pago.

Mas que se dane! O que importa é que nosso herói agora tem o dia livre! E irá desfrutar dele com uma paixão nunca vista antes!!!


Ou se largar na rede e beber limonada até ficar dividido entre a vontade de ir ao banheiro ou ficar deitado e deixar a bexiga explodir. O que vier primeiro.


Eis que a campainha toca. O reverendo Lovejoy e Ned Flanders, acompanhados de suas esposas, que por sua vez, estão acompanhadas de caçarolas, vêm dar as condolências a Marge.

"Mas como assim? O Homer não morreu!" Diz a moça de altos cabelos azuis.

Claro que ele morreu, Marge!


Saiu no New York Times!!!

Mas Marge se encontra em negação! Ela afirma que Homer está morgando na rede do quintal, ao invés de gastar seu tempo de forma mais útil, como vandalizando artigos do Wikipédia.

E ela pode provar!!!


Oh!

...

Eu faria uma piada aqui, mas não consegui pensar em nada.


Maude Flanders (oh sim, este episódio é de quando ela ainda estava viva) conforta Marge, dizendo que também pode ver o Homer e que ele sempre viverá em nossos corações.

É o tipo de coisa que eu espero ouvir de um Cavaleiro do Zodíaco, não de uma carola.

Eis que Lisa passa toda pululante e serelepe pelo quintal. O reverendo informa Marge que se ela quiser, ele conhece um sujeito que pode deixar a menina tão entupida de psicotrópicos que todos os sonhos dela serão destruídos antes dos 18 anos.

Infelizmente para ele, os sonhos da Lisa já foram destruídos aos oito anos. HA! NA SUA CARA, LOVEJOY!


Mais tarde, Patty e Selma, as irmãs broacas de Marge a visitam e levam de presente uma lápide que encomendaram para o Homer.


Viram? É por isso que vocês não arrumam namorado! Não basta carregarem uma fragrância perpétua de caixa de Marlboro, vocês ainda são cretinas com o orangotango que casou com sua irmã caçula!

Suas narcolépticas pasteurizadas!


Marge despacha as broacas, mas sua alegria dura pouco. O homem da Eletropaulo tá lá no poste, cortando a sua energia, porque a companhia de luz é a mais broaca que as broacas irmãs da Marge.

Eu adoro essa palavra. "Broaca". Ela desliza pela língua até chegar no alvo. Broaca. Broaca. Broaca.

... Pronto, repeti tanto que a palavra perdeu o sentido... AI DE MIM!!!


Marge finalmente confronta Homer, e lhe diz que quando permitiu que ele gastasse o fundo universitário da Lisa num modelo em tamanho real de si mesmo, não foi pra que ele simulasse a própria morte.

Envergonhado e entupido, Homer promete que vai ao cartório resolver tudo no dia seguinte.


E assim ele o faz. Com uma fúria que intimidaria a um funcionário do Bob's, Homer enfrenta o burocrata que parece ter saído de 1820 e exige ver sua ficha de existência... Ou seja lá como se chama o registro de que você ainda está vivo.

Logo ele encontra um erro. A ficha consta de uma tal "Margaret Simpson", de quem ele nunca ouviu falar. O viajante do tempo logo o informa que se trata de sua filha caçula.

...

Ok, mas logo Homer encontra outro erro! O computador afirma que sua mãe está viva e isto não passa de um LOMBROSO!!!

... De uma MENTIRA! Foi isso que eu quis dizer. Lombroso foi um vagabundo sobre o qual eu estudei na faculdade de direito. Mas que coisa pra se lembrar agora!


Homer leva seu novo amigo até a janela e mostra a ele o túmulo de sua mãe. Prova irrefutável de que os registros públicos e todos que trabalham neles estão errados em absolutamente tudo que acreditam.

O bigodudo aconselha Homer a ver a lápide por si próprio, para que descubra a verdade. Mais importante, FuncionárioPúblicoMan quer voltar ao eBay para dar lances em caixas de cereal de Star Wars, lançadas em 1978.

Sim, tem gente na internet que coleciona comida velha, contanto que tenha um super-herói ou personagens de desenho animado estampados na caixa.

Claro que eles não comem tais comidas! ISSO seria loucura!


Homer segue até o túmulo e pede desculpas a sua mãe por não visitá-la ma... O QUE? MAS QUE DIABO??? WALT WHITMAN???


MALDITO SEJA, WALT WHITMAN! MALDITO SEJA VOCÊ E O CAVALO QUE O TROUXE! CRIOU APENAS DOR EM MINHA VIDA! EU TE ODEIO E ESPERO QUE MORRA DE MICOSE CELESTIAL!!!

...

NÃO! EU NÃO SEI QUEM É WALT WHITMAN! EU SÓ SEI QUE O ODEIO!!!

...

Ok, vou parar de gritar agora.


A fúria de Homer o faz cambalear até sua própria sepultura, prontamente paga pelas broacas Bouvier. E que impressionante que as irmãs da Marge compraram não apenas uma lápide como também um lote no cemitério de Springfield.

Pra pessoas que odeiam o Homer, elas lhe pouparam um belo rombo no orçamento ao financiarem tudo isso.


Com a destreza de uma preguiça tetraplégica, Homer tomba em sua tumba.

... HA...

Isso enquanto lamenta que a sombra da morte não o deixa em paz.

Homer... Foi você quem começou essa história, lembra? Foi você quem comprou um boneco de 600 paus e tascou cachoeira abaixo pra ter um sábado de folga. Os 600 paus que iam mandar a Lisa pra faculdade, pra ser alguém! Ela podia ter sido presidente, Homer, mas NÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃO!!! Você tinha de gastar o fundo estudantil da menina! Agora ela só vai arrumar emprego como mestra de partida de RPG no Youtube ou roteirista de filme do Leandro Hassum!

VOCÊ DESTRUIU A VIDA DA LISA PRA TER UM SÁBADO LIVRE! VALEU A PENA?

Oh. Valeu!

Muito bem então, prossiga.


Enquanto chafurda na terra, uma senhora se aproxima e exige que Homer saia do túmulo do filho dela.


Homer corrige a velha e lhe diz que este é o túmulo DELE! Pago por suas inimigas juradas. As duas quarentonas solteiras que são mais peludas que uma fusão entre o A.L.F e o Fofão.

Descanse em paz, Fofão.

Mas espera, se este é o túmulo do Homer... E a senhora achou que pertencia ao filho dela... Então...


Mamãe Simpson!!!

OH MAH GUDNESS!!!

...

Eu uso certas expressões em inglês desde 2007 e me ocorreu que a maioria de vocês nem deve imaginar o que raios eu estou referenciando.

Metade das vezes é wrestling, a outra metade é o Angry Videogame Nerd.

Se bem que eu quase não tenho feito tais referências nos últimos anos. O artigo de hoje tá saindo bem old school, vou falar pra vocês.

Nostalgia é bom.


Homer e Mama Simpson se dão um longo abraço, porque abraços são como chocolates e eu não sei o que diabos eu acabei de dizer.

Mamãe diz que Homer cresceu e ficou muito bonito, ao que nosso querido paquiderme responde que muita gente o acha parecido com Dan Aykroyd.

...

Dan Aykroyd era um gorducho bonito. Assista Caça-Fantasmas pra ver.

...

Não, essa é a Melissa McCarthy, não Dan Aykroyd... embora eu entenda que a gordice cause confusão... Tou falando pra assistir o filme original de 1984, não o remake que a Sony desesperadamente quer que todos esqueçam. Meu Deus, não acredito que preciso explicar, seu bando de Millenials.

Enfim, o sósia gordo de Jean-Luc Picard curte um momento de ternura com a sua mãe, mas se apressa em explicar que ele sempre estraga tais ocasiões.


Viu só?

Mamãe diz a ele para não se preocupar, pois isso não foi culpa dele.

Aliás, a senhora se chama Mona. Que é quase o mesmo que "Moma", que é como se escreve "mamãe". Pergunte ao Timmy Turner.

...

E agora eu tou repetindo piadas do meu artigo de Gremlins. Bem, já que estão aqui, por que não dão uma lida nele depois? Recordar é viver!


Resolvida a situação no cemitério, Homer volta pra casa e apresenta sua mãe para o resto dos fardos... Digo, pro resto da família.


Bart e Lisa se chocam. A menina comenta que o surgimento repentino da vovó é algo que parece saído da obra de Dickens... Ou de um episódio de Melrose Place.

E eu acabo de descobrir que Melrose Place era a continuação oficial de Beverly Hills 90210. De fato, as séries Models Inc., e as versões modernas de 90210 e Melrose Place são todas parte de uma continuidade só, que une personagens do primeiro seriado até o último! É como a versão drama adolescente do Universo Marvel!

Aí eu me lembro que a metade de vocês é jovem demais pra conhecerem Melrose Place. Ser velho é um saco.

Ok, Melrose Place era um seriado sobre gente rica e bonita, reclamando de problemas de gente rica e bonita.

"Eu amo John, mas John ama Laura. E Laura ama Dennis. Mas Dennis me ama e eu o odeio, porque um dia ele se negou a nadar pelado no oceano com Gemma, a aluna do intercâmbio, que me prometeu um emprego na agência de modelos. E meu pai tem um caso com a máquina de fax do escritório, que na verdade é a mãe de John, o que torna nosso amor impossível e tentador simultaneamente."

Essas coisas.

E era tão anos 1990 que chegava a doer. A abertura da série parece uma versão lite de GTA San Andreas.

Misericórdia.


Bart imediatamente saca uma calculadora e calcula... Porque é isso que as calculadoras fazem... O quanto sua avó lhe deve por todos os Natais, aniversários e batizados dele que perdeu.

O total dá 22 mil Dólares.

Parece justo. Eu torraria tudo em bonecos do He-Man.


Homer decide então que a laringe e a coluna vertebral do Bart devem se tornar mais íntimas. Porque a melhor coisa que um homem pode fazer quando reencontra a mãe que não vê há 27 anos, é demonstrar sua sociopatia.

Lembrem-se desta lição.


Mais tarde, Lisa e vovó batem um papo sobre literatura e seus autores favoritos. Se Lisa fosse uma criança dos anos 2010, a conversa certamente seria sobre qual Youtuber é melhor: PewDiePie ou Markiplier.

Bom, tecnicamente, ela é uma criança dos anos 2010. E dos anos 2000.

E dos anos 1990.

Lisa é uma criança que viveu mais de vinte temporadas que se estendem ao longo de três décadas.

Que coisa bizarra e triste ao mesmo tempo.


Enquanto Homer faz macaquices para agradar a mamãe. HA! Quem nunca?

Eu nunca. Como criança gorda com a habilidade de uma placa tectônica, eu era incapaz de plantar bananeiras pra arrancar risadas.

Normalmente eu imitava a dancinha do Bozo, aquela que ele pula de um lado pro outro sem sair do lugar.

Aí um dia eu torci o tornozelo enquanto dançava e parei.

Permaneço imóvel no mesmo lugar desde então.

...

É.


Eis que no meio da conversa, quando Lisa se prepara para revelar que seu livro favorito é O Amante de Lady Chatterley, a velha decide que precisa respirar um pouco da umidade que reside dentro da casa e foge subitamente para seu interior.

Mas que diabos???


Eis que...


PAM-PAM-PAAAAAAAAAAAM!!!

DOM-DOM-DOOOOOOOOOOM!!!

...

Sizafitz.


Lisa, que é precoce demais para sua idade, o que um dia a colocará sob a mira de assassinos internacionais... Ou provavelmente já colocou, porque eu não assisto os Simpsons desde 2012 e não sei mais o que acontece na série, conta para Bart que suspeita que sua avó não seja quem diz ser.


Bart revela que bateu a carteira da velha e encontrou uma dezena de identidades falsas. Ambos concordam que há algo de muito errado nessa história.

Digo, além do fato de Bart ser um trombadinha profissional.


No quarto dos pais, Homer e Marge conversam sobre Mona. A moça de longos cabelos azuis tenta convencer seu marido a não se empolgar muito com a presença de sua mãe, pois ela desapareceu de sua vida uma vez e pode fazê-lo de novo.

Homer explica que sua mãe teve um bom motivo para deixá-lo, que provavelmente ele era um filho tão ruim que ninguém iria querê-lo.

Sem piadas aqui, acho esta uma das falas mais tristes de Homer em toda a série, que mostra muito sobre como o personagem se vê. Infelizmente o "Status Quo de Adamantium" dos Simpsons impede qualquer desenvolvimento de personagem real (embora tenha Flanderização aos montes), mas vez ou outra temos um lampejo que mostra como a psique dos personagens funciona.

Pois bem, Homer e Marge decidem que a melhor coisa a fazer é confrontar a vovó para que lhes conte a verdade.


E lá vão eles, em busca de justiça! Ou vovó conta tudo, ou apresentam ela pro Moe.

Como ninguém quer ter de conhecer o Moe, ela se abre e revela todo o seu passado.


Tudo começa nos anos 1960. E vamos tirar um minuto para apreciar a época em que os Simpsons ainda viviam em uma linha do tempo razoavelmente realista e faziam referências a acontecimentos históricos.

Como o episódio em que Marge estava grávida da Lisa, durante as olimpíadas de 1984. Ou quando Homer e Marge lembram de ir assistir O Império Contra-Ataca em sua estreia, essas coisas que conectavam os personagens com um público que tinha idade para se lembrar destes eventos.

Não é como hoje, que a série virou aquela bolha atemporal que referencia só cultura pop e que acabou virando uma paródia de si mesma. Que triste fim para aquela que já foi a melhor animação de todos os tempos.

Mas de volta a história, estamos nos anos 1960, quando Mona rotineiramente salvava Homer de ser eletrocutado por seu jogo de Operação.

Provavelmente, não ganhei um jogo desses pelo exato mesmo motivo.


Depois, mamãe Simpson canta a canção de ninar favorita de Homer, que se eu não me engano, era o jingle de uma marca de donuts da época.

Não pesquisei, mas olha de quem estamos falando! Acho que há uma grande probabilidade deste chute estar certo.


Infelizmente, a vida de Mona não é um conto de fadas, porque ela é casada com um bruto.

Mas sejamos justos, Abe não é muito pior que a maioria dos homens de sua época. Ele simplesmente acha que sua cerveja merece mais atenção que a esposa e o filho, e acredita que camisetas regatas são o terno do homem trabalhador.

Enfim, é noite de segunda feira e Abe está assistindo seu futebol.

Futebol americano. Aquele em que a bola é um ovo e o objetivo da partida é ver dois homens com mais de 150 quilos colidirem de cabeça um contra o outro.

Eis que subitamente...


... A WILD JOE NAMATH APPEARS!!!


Hipnotizada pelas costeletas selvagens daquele atleta rebelde, Mona se vê jogada em uma espiral psicodélica de cores e luzes, que a guiaram até um só destino...


... Tornar-se uma ativista social.

E vejam bem, uma ativista DE VERDADE! Daqueles que protestavam contra a Guerra do Vietnã e outras causas reais. Diferente dos "MUDERNOS" de hoje, que se sentem oprimidos porque a Viúva Negra não ganhou um filme próprio, e que tem ataques histéricos em público sempre que as coisas não saem como eles querem.

Que tristeza.


Pois bem, a primeira missão de Mona envolvia ir até um centro de pesquisas universitário onde armas biológicas estavam sendo desenvolvidas, e detonar uma bomba...


... De antibióticos, que prontamente mata todos os germes, vírus e Geyses Arrudas que podiam ser encontrados no local.


A bomba também afeta o guarda estudantil que cuidava do laboratório e o cura de sua asma.

Não sei se antibióticos tem a capacidade de anular asma, mas lembrem-se desta cena de qualquer forma. Vai ser importante mais tarde.


Eis que o dono do centro de pesquisas surge das trevas, e é ninguém menos que o senhor Burns! Velho já era lanfranhudo desde os anos 1960!

Pois nada o impedirá de vingar a morte de seus pobres germes! Nada nem ninguém...


... Exceto um pelotão de hippies descontrolados.

Quem diria que brownies cheios de maconha seriam capazes de transformar cabeludos imundos num pelotão de Fanáticos?

...

"Fanático" da Marvel. Aquele que atropela tudo pela frente. Não "fanático" como "religioso fanático". Se bem que o Fanático da Marvel também possui um certo fanatismo em suas atitudes.

...

Tão vendo por que é importante traduzir direito nomes de personagens de Comics? Uma piada teve de ser sacrificada porque um tradutor da editora Abril não faz seu trabalho direito nos anos 1980!

Demonhos!


Infelizmente, Mona foi identificada por Burns. A ÚNICA identificada dentre toda sua trupe.

Acho que ser uma jovem bonita em meio a um bando de cabeludos que fedem a terra e maconha chama mais atenção do que espinha inflamada na retina.

Mona agora é procurada pela justiça. E para proteger sua família...


... Sua única escolha é abandoná-la.

Ela dá um último beijo em Homer e desaparece na noite.


De volta ao presente, Homer entende melhor as motivações de sua mãe. Mas pergunta por que ela nunca lhe mandou ao menos uma carta em todos estes anos que esteve na estrada.

Ela responde que sempre lhe escreveu e pode provar. Os dois vão até a agência de correio e...


... Taí.

É o que acontece quando não se dá caixinha de Natal pro carteiro.

Explica porque eu nunca recebi a resposta da carta que enviei para o príncipe Adam.


Mas neste exato mesmo momento, nesta exata mesma agência de correio, está o senhor Burns, tentando despachar uma carta para a embaixada da Prússia no Sião... EM 1995!!!

Não é uma piada muito melhor do que aquele episódio que não passou de uma babação de ovo de 22 minutos pra Lady Gaga?

Deus, que saudade da época em que esta série era boa...


Mas enquanto espera ser atendido, Burns vê uma misteriosa mulher na agência...


... E a reconhece como uma figura de seu passado.

*CAN-CAN*

É aquele barulho que toca nas transições de cena de Law & Order. Não sei como fazer a onomatopeia.


Imediatamente, Burns recruta a ajuda do F.B.I. Mais precisamente, dos agentes Joe Friday e Bill Gannon, da série Dragnet.

Ok, agora não vou brigar com vocês por não conhecerem. Dragnet é velho demais até pra mim.

Enfim, de posse da foto de Mona e sem acesso a qualquer tecnologia moderna, os agentes saem a caça de seu alvo.


Enquanto isso, vovó e Lisa estão em casa, fazendo um dueto de Johnny Cash... Ou algo parecido.

Não conheço muitos músicos. Pra mim, qualquer coisa que não seja Ozzy Osbourne é Johnny Cash.

Eis que subitamente...


... O MAL ATACA!!!

Não, espera. É só o imprestável do vovô Simpson.

Ao ver Mona, o velho despiroca. Ele a acusa de ter sido uma péssima esposa e mãe, e que jamais a perdoará por tê-lo abandonado com um filho para criar sozinho.


Depois o vovô pergunta se eles podem transar.

Prioridades! Abe Simpson as tem.


Longe dali, o senhor Burns, Smithers, Chefe Wiggun e os agentes do F.B.I interrogam Stephen King, em busca de pistas que os levem até o paradeiro de Mona.

O escritor explica que uma senhora parecida com a que eles procuram visitou um túmulo recentemente. Túmulo este que foi comprado por duas moças, uma delas bonita, e a outra nem tanto.


O mais estranho é que uma delas realmente é menos desagradável de olhar do que a outra.

Seja como for, os agentes perguntam a quem pertencia a lápide que Mona visitou. Patty... Ou Selma, mesmo depois de vinte anos, ainda não aprendi qual é qual... Responde que para descobrirem, só precisam olhar pra mesinha de café.


Isso que é não querer desperdiçar nada!

E elas nem são pirigóticas! Toma essa, Elvira!


Enquanto isso, na mansão Simpson, todos jantam e morrem de rir do vovô, porque senilidade é hilária.

Mas durante a refeição, a família recebe um telefonema.


Homer atende, chama sua mãe e diz que está tudo bem, mas que é melhor ela dar uma última olhada na família e depois encontrá-lo na cozinha.

Eu juro! Não se faz mais humor desse quilate hoje em dia!


E bem a tempo, o F.B.I chega até a casa dos Simpsons, acompanhados pe,a guarda nacional.

Parece um pouco excessivo pra se capturar uma hippie sessentona. Mas eu não entendo nada de operações federais ou militares, não posso julgar.


E quem comanda a batida é ninguém menos que o senhor Burns! Provando que se você tiver dinheiro o bastante, pode se tornar o chefe de todas as autoridades de seu país em uma tarde.

Nada incomum para quem mora no Brasil.


Cheios de brutalidade fatal, eles arrombam a porta da casa dos Simpsons... Mas chegam tarde demais, vovó já fugiu.


TOMA ESSA, VELHO LAZARENTO!!!

Se fosse em um episódio recente, os roteiristas dariam um jeito de enfiar o Nelson na cena, só pra ele fazer HA-HA pro Burns. Era engraçado no começo, mas perdeu seu impacto lá pela ducentésima oitava vez que aconteceu.

De verdade, eu odeio as temporadas modernas dos Simpsons.


Homer e sua mãe estão no meio do deserto. Eles fugiram a tempo graças a um telefonema anônimo que os alertou do perigo.

Mas quem, QUEM foi este amigo misterioso?


Ninguém menos que o chefe Wiggun, cuja asma foi curada graças a bomba de antibióticos de Mona nos anos 1960. O que lhe permitiu entrar na academia de polícia e tornar-se um incompetente, obeso e corrupto agente da lei.

Viu? Eu disse que lembrar disso ia ser importante!


Infelizmente, Mona tem de voltar a vida de fugitiva. Um de seus amigos hippies imundos (eles ainda existiam nos anos 1990) aparece com uma van elétrica que só tem bateria pra mais vinte minutos.

Não há tempo para despedidas longas.


Só um abraço...


... E um pedido de Homer: "Não se esqueça de mim!"

Mamãe Simpson diz ao filho que ele sempre será parte dela...


... Então mete a testa na entrada da Kombi.

DO'H!!!


Mona parte para um destino desconhecido.

E por um momento, Homer deixa de ser o bonachão atrapalhado que amamos.


Ele se torna um menino que perdeu a mãe pela segunda vez.

...

Como eu disse no início do artigo, este deve ser meu episódio favorito de toda a série. Seu roteiro é impecável, tem ótimas piadas, faz bom uso dos personagens e traz momentos genuinamente comoventes. Uma combinação raríssima, especialmente em uma série animada.

Mas acima disso tudo, este é um episódio que me fazia confrontar uma triste realidade. Sempre que via a cena final, onde Homer olha para o céu estrelado, eu pensava em como um dia eu perderia minha mãe. Claro, eu tentava afastar tais pensamentos o mais rápido possível, e me convencia de que ainda teria muitos anos ao lado da minha querida mãezinha.

Infelizmente, não foi como aconteceu.

Perdi minha mãe recentemente. Hoje, dia 21 de outubro de 2016, seria seu aniversário de 73 anos.

Os últimos anos de convivência com ela foram difíceis. Minha mãe sempre foi uma pessoa teimosa, que tinha de fazer as coisas do seu jeito, e seus problemas de saúde só pioraram esta atitude. Cada dia era uma batalha.

Mas assim que ela partiu, todos os momentos difíceis se dissiparam e o que ficou foi a saudade. Aos poucos fui relembrando os últimos momentos que tivemos juntos. O último filme que assistimos (RoboCop, o original), o último desenho animado (Princesinha Sofia, que ela adorava), e a última mensagem que mandei pra ela no WhatsApp (um vídeo da nossa gatinha se lambendo).

Mas de todas as memórias, tem uma que se destaca.

Como vocês devem saber, eu tenho depressão. Faço tratamento desde 2012, mas há dias em que eu simplesmente não consigo derrotar este monstro. Fico especialmente deprimido no meu aniversário, quando contemplo todas as conquistas que não tive na vida, sejam pessoais ou profissionais.

No meu aniversário de 35 anos, eu estava particularmente deprimido e vagava pela casa feito um fantasma. Ao perceber isso, minha mãe me perguntou se eu não queria sair e comprar comprar alguns games pra me animar. Eu podia ter negado, mas me permiti ser um garoto e deixei que ela me mimasse.

Ela me emprestou seu cartão de banco e comprei três jogos, dentre eles, Castlevania: Lords of Shadow 2. Assim que cheguei em casa, ela pediu pra ver o que eu havia comprado, e enquanto olhava praquelas caixas com imagens que certamente não faziam sentido para uma senhora com sete décadas de idade, ela exclamou: "Castlevania"!

Vejam bem, minha mãe não tinha interesse por games. Ela nunca pegou em um controle, tampouco sabia a diferença entre um Playstation e um Atari. O máximo que fazia era comentar como um ou outro jogo "era tão bonito que parecia um filme" quando o via.

E mesmo assim, ela guardou o nome "Castlevania". Ela me escutou dizê-lo na infância e o guardou para o resto da vida. Ela não fazia ideia do que queria dizer, apenas de que era importante para mim, e isso parece ter bastado. Se significava algo para mim, então também significaria para ela.

Este era o amor que ela tinha por mim. E é o que eu pretendo sempre levar comigo.

O artigo de hoje foi o motivo pelo qual não houve um Mês das Bruxas este ano. Prometo que volto com a tradição no próximo outubro, mas desta vez, não seria apropriado.

Deixo este post como uma singela homenagem a minha mãe, que me faz tanta falta.

Não é muito, mas é algo.

Cheers!!!

59 comentários:

Diogo Lopes Bastos disse...

Parabéns pelo excelente artigo Amer, esse episódio dos Simpsons é um dos melhores não pelas coisas engraçadas, mas por ver um outro lado do Homer, um homem que cresceu sem a mãe e mesmo assim continuou a amando incondicionalmente.
Sinto muito pela perda da sua mãe, sou um fã antigo do blog mas não tenho o costume de comentar, só o fiz algumas vezes, todos nós temos medo de perder nossa mãe e a medida que a idade vai chegando esse medo aumenta. Eu acredito que vai haver um momento que vocês irão se reencontrar e terá a chance de agradece-la por tudo que fez a você.

Fafah Katsu disse...

Artigo emocionante Amer. Acho que não sou capaz de dizer nada reconfortante, mas deixo aqui minha empatia pela sua perda. Espero que seja sempre firme pra lidar com isso. Eu sei que tem.

Bia Chun-li disse...

Eu me emocionei com esse artigo. Ninguém nunca imagina uma perda dessas tão dolorosa. Achamos que nossos pais são imortais ou coisa assim. De certa forma, lembrei do meu velho agora, que se foi esse ano. Minha relação com ele, nunca foi as mil maravilhas, mas graças a Deus, estava boa. Quando bate a saudade dele dói e imagino o quão doloroso deve ser contigo.

Seja forte e lute contra esse monstro da deprê. E um dia vocês vão se reencontrar.

Leandro DM disse...

Esse episódio sempre me deixou emocionado, mas hj tô chorando igual criança aqui. Amanhã eu tento comentar direito. Força cara

Galomortalbr disse...

Caiu uma lágrima aqui

João Cabral disse...

Hã? O que? Não tô chorando, não... é que caiu uma árvore no meu olho.
Lindo o artigo, Amer. Não assisti esse episódio, mas deu pra sentir o impacto dele só de ler.
E tenho certeza que sua mãe se orgulhava do homem que você se tornou -- e que se orgulharia muito dessa dedicatória linda.
Nem consigo imaginar o que você tá passando. Na verdade, tenho medo de que talvez não demore tempo demais pra eu descobrir. Sou o caçula, sempre fui "momma's boy", tenho só 22 anos e minha mãe já tá nos 65...
Enfim, força aí. Depressão é mesmo um monstro colossal, mas você é forte. Keep fighting the good fight.

Thumbs up, soldier.

Fabio Takahashi disse...

Ótimo artigo Amer.
E lendo ele, também me emocionei com seu relato. Minha mãe faleceu faz 2 anos e em breve completará 3 anos e lendo seu relato me lembrei das vezes que ela teve de me aturar jogando, mesmo quando ela queria ver algo na TV.
Você pode dizer que é uma singela homenagem, mas creia, é uma grande homenagem.
Força contra seu monstro, você não está sozinho contra ele. Sua mãe está ao seu lado nessa e todos nós que acompanhamos seus posts e vídeos também.

Obs.: Nunca comentei antes... mas não tive como deixar passar essa vez.

C disse...

Acho que esse artigo é uma das duas melhores coisas que eu já li (ok, não no sentido de legais, mas boas, argh, maldito idioma idiota)sobre esse tipo de experiencia pessoal. O outro é o episódio de Buffy que a mãe dela morre (que o diabo carregue quem reclamar de spoiler de uma série de 20 anos atrás) e que é completamente alien a todo resto da série na edição. Com efeito, o episódio foi feito sem nenhuma trilha sonora ou música de fundo e passa muito bem a sensação de como é esse momento em particular. O que mostra como Joss whedon pode ser bom quando não tem um executivo da Marvel mandando ele cortar metade do filme para colocar no lugar um trailer dos próximos 5 filmes do MCU. Não é a toa que a reação dele com a Marvel foi o bom e velho "avapaputaqueopareo", mas posso estar divagando um pouco. Eu não sou muito bom em dizer coisas legais para as pessoas em momentos dificeis (ou dizer qualquer coisa em qualquer momento para qualquer pessoa), e usualmente falo trivias idiotas, mas acho que a intenção é que conta. Ou não. Enfim, força Amer. E obrigado por fazer a internet um lugar melhor. Raava sabe como ela precisa.

Ladrhobbit disse...

Amer, sou seu leitor desde 2009 e posso te dizer que esse foi um dos artigos que mais me atingiu emocionalmente. A perda de entes queridos é uma realidade, e tudo que nos resta é preservar a memória e seguir em frente. Força, bro, você é forte e irá sim vencer essa doença.

Bruno Antônio Bastian Ransan disse...

Nossa, me emocionei de verdade com suas palavras... Também perdi alguém que era como uma mãe para mim... e nunca me conectei da mesma maneira com minha mãe verdadeira. Tantas memórias vieram à tona...
Não há nada que eu possa dizer para aliviar a dor que vc deve estar sentindo. Só posso lhe desejar força e determinação para superar essa fase difícil. Um grande abraço!!

Bier disse...

Obrigado, Amer, por ter dividido tudo isso conosco.
Estou relendo todo o seu blog, e vi aquela sua homenagem à sua mãe, naquela vez que você ficou doente e ela tentou amenizar o seu sofrimento e talz...

Mas enfim, CARA! Eu te adoro! Serião, me identifico muito com todo o teu blog. Obrigado por não deixar a depressão falar mais alto, por compartilhar todo esse conhecimento e memória nerds. Eu sigo você desde os tempos do finado Orkut, lá fomos amigos, inclusive, graças àquela comunidade sobre o filme do Street Fighter. Lembro de trocarmos felicitações de aniversário, de falarmos de games do megadrive e outras trivialidades... a questão é que, assim que "conheci" o teu perfil e vi com que tipo de pessoa eu estava falando, prometi a mim mesmo não perdê-lo de vista.
Você costuma dizer (com razão) que não pode ser amigo de tantos seguidores. Pudera. Porém, todos nós, teus seguidores somos teus amigos. Não podemos te culpar por não lembrar de alguns de nós (inclusive de mim).

Um grande beijo na tua mãezinha, te olhando lá de cima, ao lado de Deus. Ela nos deu esse presentão que chamamos de Amer!

Tá... muita coisa tá ficando gay nesse depoimento, mas eu gostaria de dizer pra você ser forte... por nós! Se hoje ainda sou blogueiro, devo uma boa parte a você.

Ah, eu ia esquecendo! 3 posts no mês de outubro... parece que os bons tempos estão voltando, não?

Luis Paulo S.M disse...

"Ela sempre foi uma pessoa teimosa, que tinha de fazer as coisas do seu jeito".

Bem parecida comigo...

Eu teria sido um grande amigo dela.

Fabiano Forte disse...

Poxa, cara, artigo bacana, muito... E uma bela homenagem para sua mãe.
Onde quer que ela esteja, deve estar muito feliz!

João Pedro Alves Oliveira disse...

Adorei esse teu artigo Amer, a parte final foi realmente tocante e com toda a certeza a tua Mãe está em um lugar muito melhor agora, e tu pode não me conhecer, mas essa parte final fiquei com vontade de te dar um abraço como um amigo, pois eu simplesmente adoro o teu trabalho na internet e tu é um dos caras que eu mais gosto da internet, eu quase sempre estou voltando a ver os teus outros artigos que eu tanto gosto desse blog, enfim, força pra ti nesse momento cara, tudo de melhor sempre pra ti :)

Giovanni Seiji disse...

Lindo post Grande Amer.
Não posso sequer imaginar as dificuldades pelas quais você passa, ou a tristeza de passar um aniversário sem sua amada mãe.
Mas saiba que nunca estará sozinho e por mais que nenhum de nós tenhamos nos encontrado, somos seus ávidos e fieis fãs.
Um grande abraço do Totoro para você!

Miguel Massolar de Carvalho Pimenta disse...

Opa! Como sempre um artigo impressionante Amer! Bom não sei bem o que falar sou fã do seu trabalho, embora não quero que ao escrever isto você se sinta na necessidade de ficar ficar puxando além do seu limite para criar artigos para o seu blog e conteúdo para o seu canal do youtube! Porém quero que saiba que sei mais ou menos como se sente em relação a sua mãe, pois também perdi parentes próximos a mim (minha avó por exemplo, sempre me pego me lembrando dela e me dá mais agonia saber que um dia minha mãe e meu pai também vão partir...). Enfim! Não deixe a sua depressão te dominar! Tem muita gente que se importa com você no blog e no canal do youtube! Força cara por que você é capaz de superar isso!

Adan Ribeiro disse...

:.|

Helio Mendes Jr ou Kamen Homer disse...

eu faço tratamento desde 2008, eu tinha 21 anos quando tive depressão, hoje em dia eu estou praticamente curado, mas quando tava na merda durante a depressão, eu tenho 29 anos, nunca na minha vida eu nunca tive uma namorada se quer, o que me confortava era os hentais que via e claro pornografia e alem disso esse é o principal motivo de eu amar a animação japonesa, as garotas que eles desenham, para mim isso era uma beleza estonteante, e foi graças a elas que comecei a desenhar mulheres, e hoje em dia é o que mais faço, e o principal motivo tambem que me deu forças para continuar lutando durante a depressão, quando eu a tive eu não parava de pensar em coisas gays, e quando via corpo de homem que antes eu nem ligava, veio para mim num tipo de atração que eu odiava mortalmente e não parava de pensar nisso 24 horas por dia, e sendo que nem assisti aquele episodio gay de evangelion que antes via numa boa, ou qualquer coisa relacionada a gay eu não podia ver, e por causa disso eu fiquei homofobico, e não é que como a homofobia do merda do jair bolsoturd que usa a heterossexualidade dele como muleta para sua ideologia e se pudesse ele adoraria encher porrada em gays com toda a força do universo, ou por questões religiosas, e nem ligava para isso de religião mesmo quando acreditava no deus cristão na epoca,e isso meio que durou por 5 anos, ate diminuir aos poucos ate eu voltar ao normal com meus gostos de antes agora mais do que aprimorados, e se antes eu ja era tarado por mulher ainda fiquei ainda mais tarado, e aquela homofobia que tinha durante a depressão se foi totalmente, e durante mesmo a depressão nos terceiro e quarto ano, eu pensei fazer uma experimentação em tentar bater uma para homem para ver se era isso que minha mente queria, não consegui e nem fiz, e bati pra mulher mesmo, e ja fiz testes de homi peladão para encarar o meu medo na epoca, minha mente ta distorcida, mas pelo que sei meu coração, espirito e corpo não sentiram absolutamente nada, nem tesão, nem excitação, só incomodo, e mesmo depois de estar curado esse incomodo ainda continua, mas o que quero dizer é, se eu sobrevivi a depressão quando eu a tive ela aos 21 anos, voce tambem pode superar, eu sei que voce acabou de perder a sua mãe e isso é extremamente dificil para voce, mas acredite, voce é mais forte que isso, e mesmo curado, eu luto contra os social justice warriors ate mesmo antes desse termo existir, e não é a toa que odeio mortalmente seres como leonardo Kitsune, Jim Sterling, Movie Bob, e Anitta Sarkeesian, continue dude, you are not alone!

Helio Mendes Jr ou Kamen Homer disse...

e alem do mais eu odeio muito mais as temporadas atuais de diarreia de aids dos simpsons que tu!

rgiostri disse...

Boa tarde Xerife, você não me conhece, não sou seu amigo, nunca faço comentários pois acho que essa selva já tem opiniões de mais e a minha, como as demais seria apenas mais uma.
De qualquer forma gosto do seu trabalho (que me diverte) e mas hoje resolvi quebrar minha própria regra para te dizer.

OBRIGADO!

Obrigado por gastar seu tempo conosco e compartilhar não apenas sua ideias (criativas por sinal), mas também suas angústias.

Você é melhor que a média Xerife e apesar de tão ter tida a "sorte" de outros e ter alguns escravos para ser uma máquina de posts, você faz um bom trabalho e isso te faz uma pessoa melhor.

Layne Staley disse...

Grande Amer, achei lindo o artigo. Esse é o meu episódio favorito dos simpsons, lembro de ver quando criança e chorar pra caramba no fim, a última cena é espetacular. Nao sei o que está passando, mas cheguei perto por um tempo, minha mãe acabou de se curar de um câncer. É a mulher mais forte e legal que já conheci e espero ainda compartilhar muitos momentos com ela.

Por falar em nostalgia, reparei agora quanto tempo faz que acompanho o blog. Lembro do lançamento do artigo do Vingador Tóxico, caramba há quase 8 anos. Cada artigo novo é como uma carta de um velho amigo, sempre bom saber como voce está e o que anda aprontando. Tenho um grande carinho por esse cantinho da internet, continue com o bom trabalho, bro!

E assim que melhorar a situação por aqui, serei mais um padrinho!

Fernando Ribeiro disse...

Parabéns pelos 500 artigos,acompanho seu blog a muito tempo, acredito que eu tenha lido uns 490, teve alguns poucos que eu não gostei e não li, e outros pra não tomar spoiler. Lamento que ainda esteja sofrendo com a depressão, quando esse blog ficou parado um tempão e vc disse que estava sofrendo com a depressão e não conseguia escrever, e depois vc voltou a escrever regularmente, e por isso eu pensei que vc já tivesse superado a doença, eu realmente não imaginava que vc ainda sofre com ela. Pode parecer estranho Amer, mas as vezes eu acho que vc faz parte da minha vida, acompanho o blog desde 2009 se não me engano, também lia o ''outroblogdohammer'' e o ''hammergamer'', a algum tempo atrás queria reler sua postagem sobre o SFxTekken e fiquei chateado que vc tenha deletado o blog de games, e quando vc passou a escrever pra aquele blog que se não me engano se chamava ''blogpopcinema'' eu também lia suas postagens lá, acho que tenha sido lá que eu ouvi sua voz pela primeira vez num podcast. Como eu já disse faz tanto tempo que acompanho os seus textos que parece que vc faz parte da minha vida, uma espécie de conselheiro ou amigo sempre me alegrando com seus textos, saber que vc ainda está mal por causa da depressão me deixa muito triste mesmo, fiquei com um nó na garganta lendo essa postagem. Vou ver como funciona o Padrim e quem sabe eu consiga te ajudar com alguma coisa. Desejo muita saúde e felicidade pra vc mestre Amer, do seu maior fã que quase nunca comenta mas que sempre lê e se diverte com seus textos, Luis Fernando.

Unknown disse...

Ótimo artigo, gostaria de dar meus pêsames mesmo em uma data triste, somente uma pessoa boa se preocupa em divertir o próximo. Obrigado por todas as risadas Amer.

João Pedro Alves Oliveira disse...

Já que todos nós leitores e fãs do Amer estamos dando força para ele e alguns falando a sua história pessoal que de alguma forma o Amer ajudou de forma indireta com o trabalho dele, eu posso dizer que, tu Amer de uma forma ou outra me ajudou a eu abrir a cabeça e parar de ficar naquela palhaçada política binária de esquerda vs direita, isso foi na época lá da tua página do Facebook naquele post que tinha um vídeo de uma trans que tinha sido atacada e eu tentei "responder" com um vídeo daquele MERDA daquele rosqueiro do nando moura supostamente falando a """verdade""", e tu respondeu de volta e ali eu vi o quão Thiaguinho que eu estava naquele maniqueísmo de merda e hoje em dia eu acho os dois lados um chorume inenarrável, então, valeu por isso Amer, pelo menos eu hoje em dia sempre questiono tudo que eu vejo nessa internet.

Nerd Rangers disse...

Excelente resenha! Devo dizer que, apesar de ser um cara que acha extremamente difícil chorar e se emocionar com filmes, textos, músicas etc, eu chorei emocionado no fim deste texto.
Enfim, não sou bom com palavras, mas te desejo sempre o melhor!

Shadow Geisel disse...

Parabéns pelo post, Ammer. Te acompanho desde 2011, e você deve lembrar dos meus Twitts comentando uma coisa ou outra que você posta. Espero que você nunca se deixe abalar pelas dificuldades pessoais, pois o blog tem muita qualidade. Meus pêsames pela perda da sua mãe.

Domingos Junior disse...

Achei que so Buffy,Hercules e Arquivo X eram lembradas ate hoje

henrique santos drumond disse...

boa sorte amer sou um fa novo estou desde 2015 e adoro seus post e sobre sua mae boa sorte e tenta se anima eu sei que depressao e uma merda mas passa so tenta jogar uns jogos e come umas putas que resolve te dejeso tudo de bom
ps1:eu sei que meu pt e uma merda n me julgue e depressao e uma doença seria mais da para resolver

Pseudo Wounds disse...

Eu nunca chorei tanto lendo um texto como eu chorei hoje. A minha mãe é exatamente como o Amer descreveu a dele, assutadoramente igual. Até os detalhes, como ela gostar de Princesinha Sofia e ela lembrar os títulos dos games que eu jogava.
Eu só tenho a minha mãe e os meus cachorros nesse mundo, a minha fé e nada mais. Não tenho família, não tenho amigos, nem nada. O medo de perder a minha mãe é o maior medo que eu tenho e sempre tive a minha vida inteira, e ler sobre isso, da forma como foi escrito, ainda mais pelo Amer, que eu acompanho há anos, me destruiu.
Eu sei que vai ser repetitivo, mas tenha força, Amer. Milhares de pessoas leem o seu blog e assistem os seus vídeos por causa do afeto que elas tem por você, e você consegue tocar inúmeras pessoas com as coisas que você põe na internet. como os comentários desse texto mostram.
Sua mãe está em um lugar melhor agora, longe de toda a bullshit diária. Algum dia, quando a hora chegar, vocês dois irão se reencontrar!
Com certeza, todos nós aqui e todos os seus inscritos amamos você e o seu trabalho, Amer! isso em si já é uma conquista muito grande aos meus olhos! espero algum dia poder dizer isso diretamente para você!

Jéssica L. disse...

Leio seu blog desde 2013 eu acho, mas li praticamente todos os posts e posso dizer que este foi um dos melhores, se não o melhor. É uma bela homenagem à sua mãe, não a conheço, mas acho que ela deve estar orgulhosa de você.

Leandro"ODST Belmont" Alves the devil summoner disse...

Bela homenagem a sua progenitora, Amer. Sei como é difícil perder alguém que é o "Porto seguro" para muitos... mas enfim, a mãe de Homer parece que volta num episódio futuro da série, só não lembro qual. E só queria saber porque a maioria detestar os Simpsons hoje, vejo o desenho às vezes e tanto os episódios mais novos quanto os antigos, Não vejo diferença. Ou é uma nova ondinha de odiar algo só por odiar? Como a perseguição a filmes de comediante porque ao invés de fazer rir (desde que não seja piadas nível Zorra Total) a filmes dramáticos que tenham chance de Oscar.

Só me lembro do Jim Carrey fazendo aquele filme superestimado de ele querer perder a memória só pelo término de um namoro. É a garota nem valia esse trabalho.. ARGH!

Enfim, bom post Américo!

Aline Dantas disse...

Boa tarde Amer.
Leio seu blog há algum tempo e sempre gostei dos seus artigos. em especial, gostaria de dizer que sou solidária com sua perda, apesar de não ter passado ainda por essa experiência.
Perdi uma pessoa muito importante pra mim esse ano, alguém que amava muito e que demorei meses para me sentir melhor.
Acho que palavras não sejam o suficiente para que possa te confortar, mas acredito e tenho fé que você vai se recuperar e passará por essa fase tão difícil. Ninguém pensa que principalmente nossa mãe partirá e nos deixará, e entendo seus sentimentos, eu e meu irmão( que inclusive é seu fã), também não possuímos um bom relacionamento com nosso pai... Por mais divergências que hajam, acho que nossa mãe ainda é nossa maior heroína, certo?
Por fim, gostaria de lhe dizer que o seu artigo que mais gosto é sobre as maiores mãe dos desenhos, onde você fala do dia em que sua mãe o levou ao médico, depois ao cinema, assistir Tartarugas Ninja e você disse que com todas as adversidades ela sempre dava o melhor para te fazer bem!
Torcerei por você todos os dias, para a sua recuperação e acredite, independente de onde ela esteja, sua mãe tem um olhar de amor e carinho direcionado à você e sempre estará junto de você.
Take care of yourself.

Marcos Paulo disse...

Sinto muito pela sua mãe Amer. Que Deus lhe dê forças para superar esta perda.

MasteRaveN disse...

A vida sempre sera complicada cara mas nunca deixarmos de ser nos mesmos pelas pessoas que amamos sempre sera a melhor forma de honrar essas pessoas tão importantes pra nos...

Força man tem uma vitoria especial guardada pra vc ainda nessa vida...

vic666 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
vic666 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leo D'Leon disse...

Muito obrigado Amer, lhe agradeço por tudo cara...você me ensinou muito hoje. Sei como é difícil a depressão. E sei que é como se os dias perdessem o gosto e a graça e sobretudo como é difícil seguir em frente por causa disso. Lamento muito por sua mãe, mas sei que ela sempre vai viver eternamente em suas lembranças, seja os ensinamentos que apredeu com ela ou seus momentos juntos sempre lhe darão forças pra seguir em frente e ser feliz.
...
...
porque sei, que o que ela queria mais que tudo, era lhe ver feliz
...
...
muito obrigado cara....você é demais.

vic666 disse...

A imagem do Homer olhando pra o céu estrelado está como imagem no meu face desde fevereiro, quando a minha mãe se foi. Belo post cara.... Cheio de ninjas com cebolas... Independente do que sintas, saiba que tem um monte de gente que é teu fã e toece por você (como eu).

Matt Jeevas disse...

Obrigada por existir, Amer! =)

Walterlino disse...

Amer, não sou de comentar muito, mas não poderia deixar esse post passar batido porque, apesar de nunca tê-lo conhecido, você é uma figura muito influenciadora e importante na minha vida, tal qual certos escritores, líderes e artistas são para mim.
O seu estilo de humor, seu conhecimento de coisas nerds e dos anos 1980 e 1990, suas críticas, seu pensamento (mesmo quando não concordo com tudo, faço questão de vê-lo), até sua forma de escrita me marcam e isso é bem significativo porque quero ser escritor. Mas algo que sempre me chamou a atenção foi sua personalidade, fosse na sua sinceridade, na depressão, com a qual teria meus primeiros contatos no ensino médio, ou o amor que você tem pela sua mãe.
Antes eu queria encontrá-lo só para parabenizá-lo pelo seu trabalho. Hoje acho que iria parabenizá-lo pela pessoa que você é. Cara, você não tem 6 milhões de seguidores, mas é muito importante para muita gente, vejo isso em várias pessoas que comentam no blog ou te citam na rede. É uma baita conquista, especialmente porque não é uma influência vazia, mas que até faz a diferença na vida de várias delas.
E agora você homenageia sua mãe de uma forma simples, porém bela. Uma bela homenagem para aquela que te guiou para ser a pessoa que é hoje.
Não sei se esse textão ficou bom, mas o que quero dizer é que sinto muito pela sua perda.

Kzduardo Oliveira RJ disse...

Acompanho seu blog desde 2009. Foi o artigo mais comovente que li..obrigado. Que venham mais 500. Saude e paz.

Kzduardo Oliveira RJ disse...

Acompanho seu blog desde 2009. Foi o artigo mais comovente que li..obrigado. Que venham mais 500. Saude e paz.

Matteus Silva disse...

Oi Amer, sou eu Matteus Silva Bonifácio, o garoto que vez ou outra enche o seu saco toda vez que vc faz lets play no YouTube.
Cara eu não tenho palavras para poder te confortar, essa é uma triste realidade a qual enfrentamos e é duro de lidar com essas situações.
Eu sou um garoto com 18 anos e já tive depressão por volta dos 14 anos, eu sempre sou visto com bons olhos pelos meus amigos que dizem que sou forte pois já enfrentei de tudo, mas não é verdade.
Lá pelos meus 14-15 anos foi uma época em que eu quase perdi a minha mãe e fiquei muito abalado por isso (de quebra eu ainda sofria bullying) e só a sensação de poder perder a pessoa mais querida da minha vida me fez entrar em uma espiral de sentimentos...
Amer, me identifico muito com você, eu também sou/era um garoto gordinho que devorava animações da época de 1980(reprises), 1990(o melhor dos cartoons) e de 2000, e eu era mimado pelos meus pais, Acontece que quando chegou o declínio da cartoon Network eu fiquei muito puto e passava tardes em busca de sites onde o pessoal tacasse pau no canal (acho que era uma forma estranha de prazer), e no meio desses sites e blogs topei com o seu artigo sobre "Um desabafo sobre a morte dos desenhos animados", eu me identifiquei com cada palavra que você escreveu, a partir daí eu me tornei um seguidor seu, me admirava ainda mais com seu conhecimento, suas referências, suas críticas e raios, até tive uma paixonite de infância (a diferença que ela não era ruiva, mas tinha aquele par de olhos verdes que você se mataria para telos). Cheguei a acompanha-lo tanto no Twitter, quanto no Facebook e lamentei por não ter te conhecido pessoalmente ou por perder contato com você depois que deletou seu Facebook em prol de idiotas.
Meu sonho de carreira é de ser professor, e sempre sigo à filosofia de vida de que "o verdadeiro professor é aquele que se sujeita a ser aluno de seus pupilos", e você mesmo não trabalhando nessa area, foi responsável por inúmeras vezes que me dei bem na escola, seja por uma crítica sua ou por um conselho.
Você foi minha fonte de inspiração quando não tinha com o que trabalhar e nesse ano até cheguei a criar um blog, baseado em animes, jogos, filmes e séries.
...Bem, o que eu quero dizer é...
Eu te desejo força como um amigo diz para o outro é que possa superar os problemas que esteja passando por hora. Também estou te desejando muita saúde, um feliz aniversário (atrasado) e um próspero natal e ano novo (sabe, o ano está passando rápido) Estou declarando esse texto todo em sua amizade, pois reconheço uma grande pessoa quando vejo, e Amer você é uma delas, eu lamento se não pude te reconfortar com minhas palavras, mas é Genoíno o desejo de melhoras, então é isso.
Um forte abraço, do seu leitor.
ASSINADO: Matteusboni (meu nickname de jogos)

Cleithon Bezerra disse...

Amer, trabalho fantástico como sempre. também acho os episódios recentes dos Simpsons bem fracos, para mim perdeu a magia. Me identifiquei muito com o que vc contou da sua mãe. A minha mãe desenvolveu uma doença depressiva que a deixou em um estado triste, e foi algo que me deixou muito chateado. Tá uma luta só para seguir em frente. E difícil demais para a família. Nesse momento estou doente, e ler seu artigo me deixou feliz apesar de toda dor. Obrigado pelo seu esforço, e pretendo em breve ser seu padrim.

Rafael M. disse...

Sobre o que você comentou sobre aniversários, acho que sinto a mesma coisa, só que no ano novo. Sua mãe criou um homem inteligente, eloquente, sincero e com um ótimo senso de humor. Eu descobri o seu blog por acaso, acho que em 2009. Eu ainda tinha internet discada, juro por Deus. Por ser só um estudante duro e por morar num cu de burro. Meus finais de semana na net se resumiam em ler mangás online e o Blog do Amér com aquele Deadpool no plano de fundo e o Mês de Cybertron.
Li tudo, desde o primeiro post em 2007 (por favor que tenha sido em 2007 mesmo. Gafe agora não) Isso é o quanto sou seu fã, mesmo que não concorde com tudo que você diz, creio que um conteúdo como o seu no Brasil não existe.
Te desejo muita força. Isso é uma coisa inevitável para seres insignificantes como nós.













E MANOWAR DETONA SIM,TÁ? SEU VIRJAUM!!

Only Yesterday disse...

Hora errada, Hélio.
Blog errado.
Aliás, planeta errado!

Jon_Hen disse...

500 artigos é realmente uma marca impressionante Amerilio. Eu lembro o primeiro artigo seu que eu li foi do mês especial de Final Fantasy que me recomendaram pelo orkut então quer dizer que to um bom tempo vendo sua saga tbm. Eu não sou bom com palavras, mas a quantidade de pessoas aqui compartilhando solidariedade com vc prova o quão importante tu és para nós. Eu agradeço muito a você pois me lembro diversas vezes que eu estava triste abria seu blg e ficava lendo os artgos pela quinquagésima vez e continuava rindo, e como disse um carinha acima quem faz os outros rirem certamente é uma boa pessoa. Eu acredito que sua mãe esta em um lugar especial te olhando e ainda oferecendo proteção, mas o importante mesmo e que ela SEMPRE vai estar viva em você e depois de todos esses comentários tenho certeza que ela ta feliz em ver que o filho dela é tão querido. FORÇA AMER!!!!!! E que venha mais 500

Alecs disse...

Muito obrigado por tudo amer, simpsons me da uma nostalgia danada de ver os eps todo dia com minha irmãzinha, me lembra como eu era feliz.
Hoje tenho depressão tambem, não saio de casa e as coisas só parecem piorar.
As vezes quando era pequeno tambem imaginava e temia o dia em que perderia meus pais, eram noites deitado no travesseiro chorando e imaginando, imagino a dificuldade que passou em perder uma pessoa que nos da tanta força nesses momentos dificeis. Sinto muito.

Me esqueci como os posts daqui são diferentes e tem uma certa energia. Obrigado por continuar a escrever sempre, é muito bom poder ler.

Btw, temporadas depois a Mãe do Homer voltou, e realmente morreu, mas não lembro se o episódio foi tão bom quanto esse.

nicholas disse...

Alecs o episódio acabou sendo muito bom também, o Homer resolveu homenagear a mãe realizando seu último após seu falecimento, e no final mostra diversos flashbacks da mãe do homer cuidando dele, é muito triste e muito bonito.
amer muito obrigado pelos artigos, por favor, leve o tempo que precisar com a dor, a coisa mais triste do mundo é imaginar que pessoas que amamos muito um dia irão embora...

Serginho Sanches disse...

:"|

Emocionante.

Força, Amer. Estamos juntos.

Hades disse...

Tem um olho na lágrima :'(

A bad baateu e ficou depois desse artigo.
Te desejo toda a força e que esse apoio que todos estão dando aqui te anime.
Obrigado por postar no seu blog a tanto tempo.
E sim, eu viraria um padrim seu.

Henrique de Matos disse...

Parabéns pelo 500, Amerêncio! Que venham muitos mais! <3

Edson Silva disse...

Excelente artigo Amer. Não pela resenha dos Simpsons, mas por falar de algo tão perigoso e importante quanto a depressão. Sinto pela sua perda, não é nada fácil lidar com isso. E desejo que seu próximo Dias das Bruxas seja mais alegre.

Shouugo disse...

Sabe Amer, eu ainda tenho a minha mãe, uma guerreira poderosa, fã de Star Wars e que me ensinou muita coisa útil, infelizmente eu sou um péssimo filho, ela mora a pouco metros da minha casa, mas eu só fui visitá-la uma vez esse ano, não que eu não a tenha visto em outras ocasiões. Lendo a parte final desse artigo foi impossível não chorar, porque eu percebi que posso perder minha mãe e nem ter uma última lembrança boa com ela, obrigado por isso, vou tentar ser um filho melhor daqui pra frente.

disse...

Lindo artigo e um ótimo blog.
Um abraço de um leitor de longa data

Nappa_ disse...

Um belo artigo, Força aí Amer!

Moonwing disse...

Belo artigo. Desejo muita força ai, Amer.

Escritor Nerd disse...

Acompanho o blogdohammer faz alguns anos já, indicado por um amigo

Você tá em plena forma, domina as figuras de linguagem como ninguém, adoro seus artigos

O final do artigo me pegou de surpresa... chorei. T__T

Uma bela homenagem!!! Meus sentimentos

RafaNinja disse...

Amer!
acompanho você a tempos !
e de todos os blogs, sites de entretenimento pop(jovem nerd, omelete e entre MILHÕES de outros)
você sempre tem algo a mais que todos eles em seus textos e criticas.

Sempre te vi como um grande amigo, acho isso bem engraçado e eu nem te conheço.
tinha você no orkut, acho que isso conta.
haha

acho que é pelo fato de sermos conterrâneos, a universidade de guarulhos e suas tretas, fui uma vez num show na antiga Philips e Dj do colocou um Rage Against the machine-killing in the name e na parte do...
"And now you do what they told ya" o grande mestre de cerimonias do local cantava junto o seguinte verso.
"guarulhos não tem trouxa"
haha

Senti muito pela sua perda.
sempre me identifiquei com seu trampo por aqui.
e realmente me emocionei com esse lindo texto, cara !

e... é nóis, mano !
sempre !
pode crê !