quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Crítica do Amer: True Love '95


Atenção: Este artigo tem imagens de nudez e sexo. Se você estiver no trabalho, ou for apenas um chato puritano, não leia. Se ler, não venha encher meu saco depois.

Em 1995, o mundo era um lugar muito diferente. Jean-Claude Van Damme era levado a sério como ator, Batman – O Retorno era o melhor filme de super heróis que existia, e Dragon Ball Z era uma série conhecida apenas pelos Otakus que se esgueiravam pelos becos escuros do bairro da Liberdade em São Paulo.

Videogames também eram vistos de forma diferente e considerados algo exclusivamente para crianças. Graças a Nintendo, que reconstruiu o mercado a sua imagem e semelhança nos anos 1980, consoles domésticos traziam títulos cheios de ação e aventura, mas sem nenhum conteúdo de gosto questionável como violência ou tetas. Com isso, Super Mario Bros e Legend of Zelda tornaram-se clássicos atemporais que podiam ser desfrutados por crianças e adultos.

Claro, naquela época, adultos gostarem de videogames era algo extremamente mal visto. E se você pegasse em um joystick depois dos 12 anos, seria considerado um MALDITO IMATURO!!!

Que bom que as coisas mudaram, e hoje, um homem adulto que desfrute deste hobbie é visto apenas como um MISÓGINO ESTUPRADOR!!!

Ou pelo menos, é o que o Tumblr costuma dizer.

Mas se nos consoles os jogos eram apropriados para se entreter vovós e netinhos (exceto pela ocasional cabeça de Hitler explodindo em Bionic Commando), nos computadores as coisas seguiam outro rumo. PC’s sempre foram uma terra de ninguém no tocante a games, e qualquer empresa com capital e podia se arriscar a lançar títulos voltados ao público adulto.

Os resultados variavam. Tínhamos desde clássicos da comédia grosseira como a série Leisure Suit Larry, até aqueles famigerados games de strip poker, onde as modelos contratadas para aparecerem nuas pareciam ter cobrado o cachê em crack.

Enquanto o moralismo ocidental (herança da igreja católica) fez com que a maioria das produtoras se mantivesse afastada deste gênero e impediu sua evolução em nosso mercado, a história foi muito diferente no Japão. A naturalidade com a qual a cultura japonesa trata o sexo, permitiu que este tema fosse tratado de forma mais madura e saudável no país.

Visto aqui: Maturidade saudável

Desta forma, PC Gamers japoneses da época logo viram um grande influxo de jogos eróticos nas prateleiras de suas lojas. Produções cada vez mais ambiciosas, com histórias elaboradas e personagens bem desenvolvidos, e que traziam o erotismo mais como um excitante bônus do que como sua única razão de ser.

Vez ou outra, um destes games era traduzido e lançado no ocidente. E através de muita pirataria e DAQUELE amigo (vocês sabem, AQUELE que sempre conseguia arrumar pornografia em plenos anos 1990, quando isso parecia impossível), podíamos finalmente experimentar um título para adultos que não era uma mera coleção de fotos ou vídeos em baixa resolução.

O primeiro, para muita gente, foi Cobra Mission: Panic in Cobra City. Ele foi lançado para PC-98, vinha em três disquetes, e eu duvido que funcione em um computador moderno sem que magia negra esteja envolvida.

Mas o Eroge que apresentou toda uma geração a este gênero foi True Love: Junai Monogatari. Ou True Love ’95, como é popularmente conhecido por aqui.

Pois bem, agora que encerrei meus DEVANEIOS DE VELHO (...ELHO... ELHO...), falemos do jogo.

"Muito bem, preciso organizar meu dia. De manhã vou pra aula, a tarde
praticarei esportes, e a noite VOU FAZER A LOUCA, BEEEE!!!"

Aqui assumimos o papel de Daisuke, um estudante de 19 anos da universidade local. O jogador pode mudar seu nome se quiser, e rebatizá-lo como Link, Serjão ou Seborréia, se preferir.

Eu sempre o chamei de He-Man quando jogava. E é desta forma que irei me referir a ele neste artigo.

O caso é que as férias de He-Man estão se aproximando e ele ainda não arrumou uma namorada. Seu pai, compreensivo como todo senhor japonês, o expulsou de casa, para ver se a solidão e o desgaste na palma da mão direita o estimulam a arranjar uma companheira. Sem alternativa e quase sem loção, He-Man não tem alternativa exceto atirar pra todo lado e ver quem acerta.

Felizmente, sua faculdade é cheia de garotas lindas. Mais felizmente ainda, todas são solteiras e não demonstram interesse por qualquer outro rapaz que não seja ele. Isso acontece porque He-Man é o único garoto em toda universidade que não é gay, otaku ou um completo canalha (rapazes que preencham estas três categorias podem ser encontrados ao longo da história). Ou seja, em terra de Esqueleto, até o Mentor pode ser Stratos.

Ok, chega de referências a Mestres do Universo.

Então, nosso herói precisa ajustar sua rotina de modo que tenha tempo para estudar, praticar esportes, trabalhar, se divertir e namorar. E para que assim, tenha chance de encontrar seu verdadeiro amor.

Entendeu? “Verdadeiro amor”. O nome do game é “True Love”!

HEIM! HEIM!

Quer ver ficar ainda mais cafona? O nome original do protagonista é “Daisuke”, um trocadilho com o termo “dai suki”, que em japonês, significa “eu te amo”.

Porque nada diz “romance” como se enfiar no máximo de calcinhas possíveis.

Isso, campeão. Fala na lata que quer transar com a moça.
Mas lógico que isso vai dar certo.

Muito bem, falemos das garotas, sim? Cada uma delas preenche um estereótipo de Anime, ao qual já cansamos de ver em séries estilo harém, ou Slice of Life.

Por exemplo, temos Mikae, amiga de infância de He-Man, por quem ele nunca nutriu sentimentos, mas que começou a ver com outros olhos depois que ambos cresceram. Há também Remi, a menina mais inteligente e popular da escola. Porque diferente do Brasil, onde te apedrejam se você tiver sucesso acadêmico, no Japão tais pessoas são admiradas.

Não vamos esquecer de Chiemi, a atlética e durona capitã do time de natação da faculdade. Além de Arisa, a irmão caçula de seu melhor amigo, que é claramente menor de idade, mas que foi atingida pela mágica da maioridade quando este game foi lançado nos EUA.

E fora de suas colegas, temos Misako, uma mulher mais velha, atraente e cheia de iniciativa que te arrasta pro apartamento dela após vocês se conhecerem em uma noitada na cidade, e Yumi, sua professora na faculdade, porque TODO HOMEM SE APAIXONOU POR UMA DE SUAS PROFESSORAS AO LONGO DA VIDA!

Existem outras garotas no jogo, mas acho que já me fiz entender nesse aspecto. Além do mais, as outras personagens não são tão interessantes quanto as que já mencionei.

Exceto talvez Anze, que entra na história como uma gatinha de rua, mas que na verdade é um anjo que foi castigado por Deus por ter perdido um tesouro celestial. E a única maneira dela voltar ao normal é recebendo amor e afeição do protagonista.

Sim, é exatamente o amor que você está pensando.

Mas pelo menos ela se transforma em uma catgirl antes disso.

Diabos, Japão...

Uau! Deu certo! Abordagem direta funciona, quem diria?

Agora, permitam-me explicar como True Love ‘95 funciona.

A história acontece em um período de três meses, e cabe ao jogador decidir qual será a rotina diária de He-Man. Normalmente ele tem aula durante o período da manhã, mas tem os horários da tarde e noite livres, e que podem ser aproveitados como ele bem entender. Seja praticando esportes, lendo, ou simplesmente relaxando em casa, com uma mão dentro da calça e pensando na Mara Maravilha.

O caso é que nosso herói possui diversas barras de atributos, que abrangem desde aparência física e desempenho acadêmico, até interesse em artes e fadiga. Suas ações durante o dia que determinam quais atributos se tornarão os mais marcantes em He-Man.

Por exemplo, você pode se dedicar totalmente aos esportes, o que irá melhorar sua aparência e força física, mas fará seu rendimento escolar cair. Por outro lado, você pode estudar até o cu cair, o que terá o efeito exatamente oposto.

Assim, é preciso escolher se você vai ser um saradão com o intelecto de uma pessoa que teve a cabeça atravessada por uma estalactite, ou se será tão inteligente quanto Stephen Hawking, e tão apto fisicamente também.

E não vamos esquecer a fadiga, que deve ser evitada a todo custo. Cada ação do jogador aumenta um pouco esta barra, que se for preenchida, fará He-Man desmaiar de exaustão. Com isso, ele fica preso em casa alguns dias para se recuperar, o que pode fazê-lo perder vários eventos importantes com data certa para acontecer.

Não é possível maximizar todas as habilidades. Então o melhor curso de ação é escolher logo de cara o tipo de personagem que você quer desenvolver, e dedicar-se unicamente a isso. Fazendo tudo direitinho, um deus aparecerá em seus sonhos e lhe garantirá um bônus bastante generoso ao atributo de sua escolha, o que facilitará muito a sua vida.

Que foi? Você achou absurdo que um deus aparece nos sonhos de um rapaz e usa seus poderes cósmicos pra aumentar as chances dele comer as colegas?

Escuta, esse é um game onde dá pra trepar com um gato até ele virar anjo. Você vai realmente reclamar de realismo aqui?

"Oh querida, você... Você... VOCÊ... Já conhece os serviços da GVT?"

“E por que eu deveria me preocupar com esses atributos, Abner? O que ganho se os desenvolver?”

Bem, cada garota tem um gosto específico no tocante a rapazes. Algumas prestam mais atenção a sua aparência física, enquanto outras se sentem mais atraídas pelo seu intelecto. Algumas só podem ser conquistadas por um cara que pratique esportes e há pelo menos uma que só vai se interessar por He-Man, se ele demonstrar alguma aptidão artística. Cabe ao jogador descobrir o que atrai cada menina, e então se aprimorar na área que lhe dará mais chances de conquistar o alvo de seu afeto.

“E como XAVASCAS eu vou descobrir o que cada uma delas gosta?”

Conversando com elas, demônio.

Quando faz amizade com uma garota, você pode optar por passar mais tempo com ela após a aula. Sempre que se encontrarem, você descobrirá mais sobre sua personalidade, o que ela gosta, quais suas metas de vida, e por aí vai. Com isso é possível desenvolver o protagonista de modo que ele se ajuste perfeitamente ao que a mocinha quer.

O roteiro de True Love ’95 não é tão refinado quanto o de jogos modernos no mesmo estilo. Compará-lo a um Persona 4, por exemplo, é uma covardia tão grande quanto colocar o Didi num ringue com o Brock Lesnar. Mesmo assim, a história é muito bem escrita para seu tempo, e as possíveis namoradas são personagens bem mais interessantes do que parecem à primeira vista. Ainda que sigam alguns clichês, é divertido passar tempo com elas e descobrir características que não são imediatamente aparentes.

O quarto de dormir da professora. Onde nenhum aluno jamais esteve...

Agora falemos do sexo. Afinal, este é um Eroge.

Tem bastante sexo aqui.

BASTAAAANTE!

Dá pra trepar com um gato nesse jogo. Eu já falei disso? Já? Pois é!

Mas aqui vai o plot twist da brincadeira: O verdadeiro objetivo deste game não é o sexo, mas sim romance. O único jeito de vencer em True Love ’95, é fazendo com que uma garota se apaixone por você e no último dia do ano, aceite seu pedido de namoro.

Transar com uma das meninas não é garantia de que ela vá se apaixonar. De fato, uma das garotas mais difíceis de conquistar, é justamente a única com a qual é possível fazer sexo mais de uma vez.

Por estranho que possa parecer em se tratando de um game Eroge, o sexo aqui nunca é gratuito. Ou ele é o resultado de uma relação que se desenvolveu após um longo período, ou é um ato imediatista, realizado por uma pessoa carente de afeto, mas que tem medo de ter uma conexão que vá além da paixão física. Assim, mesmo após consumar o ato, o jogador é estimulado a passar mais tempo com a personagem de sua escolha, seja para não deixar que a relação enfraqueça, para fazê-la florescer.

Se você souber o que faz, é possível conquistar duas (talvez três) meninas antes do calendário chegar a seu último dia. Graças a isso, o fator replay de True Love ’95 é bastante alto, pois é difícil abandonar este game, sem ter conquistado o coração de todas as moças aqui presentes.

E caso vocês tenham esquecido...

Então, o que tornou True Love ’95 tão especial para tantas pessoas? Bom, eu tenho uma teoria.

Tente lembrar da sua adolescência, de como todos os hormônios em seu corpo estavam em ebulição, e o transformando. Você começou a prestar atenção nas meninas (ou nos rapazes) ao seu redor, e passou a ter pensamentos com eles que jamais haviam passado pela sua cabeça antes.

Um dia, você teve sua primeira namorada (ou namorado). Vocês passavam todo o tempo juntos, conversavam, se beijavam e sabiam que queriam mais. Um dia, vocês tiveram a chance de ficar sozinhos por alguns momentos, e puderam se entregar um ao outro e descobrir o sexo.

Esta é, pela falta de um termo melhor, uma época mágica na vida de todos. Aquele momento que abandonamos a infância e descobrimos um mundo inteiramente novo.

É também algo que nunca mais se repete na vida.

De alguma forma, True Love ’95 consegue duplicar este sentimento. Sempre que passamos tempo com uma das personagens, é como se redescobríssemos o primeiro amor novamente. Quando nos permitíamos ser levados pelos sentimentos, sem medo das conseqüências. E aproveitar o momento, fosse ele bom ou ruim, era a única coisa que importava.

Cheers!!!

14 comentários:

Azrael_I disse...

True Love... pode parecer exagero, mas é de longe um dos games que mais influenciou minha vida. Foi meu primeiro Game Hentai, o primeiro em que aprendi a usar a mão esquerda para controlar o mouse (graças a isso sou ambidestro hoje!) e graças a ele também aprendi Inglês! Mas o mais importante... foi por jogá-lo que aprendi a ter coragem de chamar as garotas pra sair (sim, FUNCIONA!). Quem diria que um game dedicado à bronha me ajudou a SAIR da bronha e chegar aos finalmentes com uma garota! True Love e seus criadores, eu os saúdo!

OK, deixando o papo furado de lado, True Love é de longe meu eroge preferido (e olhe que joguei praticamente todos os que tem em Inglês!). O diferencial dele é a jogabilidade, a interatividade; a maioria dos games Hentai da época (e muitos posteriores) tinham pouco desenvolvimento do personagem do jogador, as histórias eram lineares demais e as decisões do jogador tinham pouca ou nenhuma importância para o final. Em True Love, o personagem vê seu personagem mudar e melhorar com o tempo (ou piorar), vê o aprendizado dele, o amadurecimento, mas o mais importante é que as escolhas que o jogador faz realmente influenciam no que o personagem irá se tornar e quais garotas vai pegar (a decisão de escolher seu verdadeiro amor acaba ficando um tanto supérflua, em comparação com as coisas que vai aprendendo, principalmente a respeito das garotas em si; o jogador entende o quanto a conversação é importante para conquistá-las, tanto para o sexo quanto para o amor, no final. Claro que na vida real não é tão simples...).

O fato de o jogador começar como uma pessoa normal, sem superpoderes, sem uma história complexa, sem nada em especial, enfim, ajuda muito o jogador a se identificar com o personagem; Daisuke (ou He-Man, como batizou o Amer...eu usava meu apelido do teatro na época, Axel) é um rapaz normal, que quer seguir sua vida e arranjar uma namorada (como a maioria esmagadora dos caras que jogam esse game). E o fato de Daisuke/He-Man/Axel evoluir ou piorar com o tempo, dependendo do que ele fizer (treinar/se embelezar/estudar/vagabundear/etc.) chega a ser um estímulo a mais para os jogadores buscarem seu crescimento pessoal (quem disse que os games não podem influenciar positivamente?). Japão, sempre sendo didático com suas mídias (as que valem, pelo menos...).

Não é por nada não, Amer, mas existe uma versão para Windows de Cobra Mission (a qual eu tb joguei e até sugeri no Facebook pra vc); seja como for, também consegui fazer funcionar no meu PC a versão para PC-98 e o que é melhor, consegui achar e fazer funcionar o lendário Venus Select (que é o game em que é possível pegar a Akane, a garota de rabo de cavalo), e fiz isso sem apelar para forças ocultas, só meu poder de nerd mesmo. E putz, Amer, você acha impossível conseguir todos os atributos no máximo?! É fácil demais! Mesmo na época que eu era um completo noob (True Love não foi só meu primeiro Hentai Game, foi o primeiro game de PC que tive na vida!!) eu consegui todos os atributos no máximo na primeira vez que completei o jogo, sem usar Walkthrough e usando um dicionário de Inglês-Português pra ler a história! Pena que das dez garotas disponíveis eu só consegui sete, nessa primeira jogada...

No meu antigo blog de games eu fiz uma resenha bem completa sobre True Love( http://museumdosgames.blogspot.com.br/2009/11/true-lovepc.html ), dicas ( http://museumdosgames.blogspot.com.br/2009/12/true-love-dicas.html ) e seus segredos ( http://museumdosgames.blogspot.com.br/2009/11/lendas-dos-gamesix.html )

Azrael_I disse...

Ah sim, e pra provar meu "True Love" por este game, meus primeiros desenhos digitais foram de duas garotas do game, Mikae: http://eduardoazrael.deviantart.com/art/MikaeMorikawabyEduardoAzrael-457123391?q=gallery%3AEduardoAzrael%2F49693342&qo=6

E minha favorita, Mayumi: http://eduardoazrael.deviantart.com/art/MayumiKamijobyEduardoAzrael-457333429?q=gallery%3AEduardoAzrael%2F49693342&qo=5

Trolly disse...

É possível conquistar todas as garotas sim. Pegar todas elas e escolher a sua preferida no final. Exceto a amiga de infância e a popular. Nesse caso ou você pega uma ou outra outra, pois só consegue ficar com uma das duas bem no final do jogo e o evento com elas é no mesmo dia.

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Yuri Lima disse...

Amer, sempre divertido ler seus artigos. ^^
Algum e chance de você analisar também Tsukihime? Acho chato Tsukihime ter tão poucos fãs enquanto o seu irmão (Fate/stay night) fica com toda a glória.

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

Ah.. bom post Almerindo, um dia desse testo esse jogo. Pois me deu uma mórbida curiosidade de saber mais de como ter coito com um gato para se tornar um anjo

Adan Ribeiro disse...

Amer, ter a cabeça do Hitler explodindo pode ser uma ótima opção comparada a ter sua avó sentada ao seu lado enquanto você joga CHO ANIKI - BAKARETSU RANTOU HEN!

Alessandro Goulart disse...

Baita lembrança desse jogo, acho que foi a primeira Visual Novel que joguei. Pra quem quiser relembrar esse jogo e mais alguns clássicos como Paradise heights, Nocturnal illusion e Immoral study tem um site (http://tss.asenheim.org/) onde você joga direto no navegador. Tem até as versões traduzidas pra pt-br. O link direto para jogar o True Love (http://tss.asenheim.org/true-love.html).

vic666 disse...

Belo começo, estou curioso pra ver o que vem por ai.
Vai rolar 3 sister?

lilycarroll disse...

E agora percebo que muitas imagens desse game foram publicadas naquelas revistas de hentai que forma publicadas por aqui entre o finzinho da decada de 90 e começo de 2000...

Fabio Kasecker disse...

3 Sisters Story é interessante, aliás, uma boa sugestão pro Amer talvez possa ser fazer um review abrangente de jogos da Jast.

Pq Runaway City tem uma história bem profunda (rá!), Season of Sakura é o único (creio) jogo do gênero que comer uma das meninas é "game over".

E nunca vou esquecer do plot meio "Hotel California" de Nocturnal Illusions.

Jogos hentai: transformando meninos em homens em mais de um sentido.

Fabio Salvador disse...

Eu nunca, NUNCA tinha jogado um desses jogos Hentaizentos na minha longa e interminável vida, embora tenha sido gamer, otaku e tarado desde o finalzinho da infância. Disso tudo, larguei só da otakisse, mas estou voltando.

Enfim. Nunca tinha jogado nada disso, até ler aqui sobre Katawa Shoujo. Vocês já jogaram Katawa Shoujo? Pois deviam jogar. Eu não jogo mais, porque o final BOM da Shizune me fez ficar deprimido. De qualquer forma, é preciso que eu faça True Love funcionar no meu PC qualquer dia desses. Não que as cenas de sexo desses jogos sejam grande coisa agora que somos adultos e temos acesso tanto ao sexo quanto ao pornô ilimitados. Mas eu me impressiono com a trama que essas porqueiras têm.

Bom. Amer Houchaimi, sempre brilhante.

Uma hora dessas, passe lá para dar uma olhada no Planeta Proibido...

http://planetaproibido.club/

Gabriel Moragas disse...

Me explica uma coisa Amer, o que os otakus brazucas faziam pra assistir Dragon Ball Z em 1995?

Lucas Ximendes do Amaral disse...

Azrael_I, onde você achou o Venus Select? Tô procurando esse jogo há muito tempo, então se puder me fornecer o link, mande para lucasx.amaral22@gmail.com.

Muito obrigado pela atenção.