sexta-feira, 29 de novembro de 2013

O Melhor e o Pior da Sétima Geração de Games


Olá crianças, como estão? Oh, eu vou muito bem, obrigado por perguntarem! Como podem ver, ainda não superei a psicose de conversar com meu blog esperando que vocês me respondam em tempo real, mas já estou me medicando e devo parar com isso em algum momento.

No momento em que vocês leem este artigo, a nova geração de consoles está dando seus primeiros passos. Xbox One e Playstation 4 chegaram a todas as lojas e estão fazendo a cabeça da galerinha esperta que curte altas emoções!

... e estão fazendo milhares de pessoas abrirem crediários para se encalacrarem de dívidas com prestações a perder de vista...

Mas hey, o que importa é ser parte da nova geração, mesmo quando não há garantia que o hardware da primeira leva dos novos aparelhos estará funcionando dentro de um ano!

Mesmo, já tem muito Xbox One dando problema. E o aparelho completou uma semana de vida hoje.

Bom, não estou aqui para malhar a nova geração, mas para celebrar a antiga! Quantas alegrias o Xbox 360 e o Ps3 nos trouxeram, não é mesmo? E quantas infelicidades também, claro.

Eu pretendia fazer uma lista com o melhor jogo de cada gênero que os consoles passados tiveram, mas infelizmente, não pude jogar muita coisa boa por falta de tempo, oportunidade ou de interesse mesmo. Digo, eu não poderia por exemplo escolher um "melhor FPS da geração" sendo que só joguei Bioshock e Call of Duty nesse gênero.

Assim, decidi escrever sobre as melhores (e piores) coisas presentes na geração. Verdade seja dita, todo mundo já tá fazendo listas com seus games favoritos e o Amer nunca gosta de seguir a maioria. O Amer é um espírito livre, independente e original.

Não, eu não sou hipster. Vá se lascar.

Então, sem mais delongas, confiram quais serão as memórias da geração passada que carregarei comigo até o fim de meus dias.

AVANTE, CAVALEIROS ATENIENSES!!!


Personagem mais desprezado por seus criadores - Mega Man

E vou começar com uma reclamação entalada em meu coração!

... Uia, rimou!

Agora, como todo jogador da minha geração, tenho um carinho imenso por Mega Man. Aquele robozinho gorducho que luta contra legiões de robôs malignos, armado apenas de uma carinha adorável, coragem inquestionável e de um canhão que dispara Mentos.

MAS QUE VONTADE DE APERTAR AS BOCHECHAS DESSE MENINO!

E 2013 foi o ano em que o personagem comemorou seu 25º aniversário, época perfeita para que a Capcom presenteasse os fãs com mais uma memorável aventura deste clássico herói, correto?

INCORRETO!!!

A Capcom cancelou a produção de Mega Man Legends 3, um título que os fãs esperam desde a época do PsOne. Um dos supostos motivos para isso, foi que a produtora não achou que o game venderia o suficiente para justificar os custos de seu lançamento.

Da mesma forma, o único jogo lançado para celebrar o aniversário do robozinho foi uma lastimável versão para celulares, que sofreu tanto repúdio dos fãs ocidentais que sequer chegou a ser localizado de seu idioma original.

Sério, Capcom? Vocês reduziram um dos maiores ícones da história dos games ao mesmo patamar de Angry Birds e Candy Crush? Pelo amor da mãe do guarda, viu!

Claro, tivemos Mega Man 9 e Mega Man 10 nesta geração, e ambos foram ótimos títulos. Mas seriosamente, acho que todos os fãs do personagem estavam esperando um título que fizesse uso de todo o poder que o Xbox 360 e o Ps3 tinham para criar gráficos em 2D.

Pessoalmente, acho que a Capcom decidiu enterrar o personagem como uma forma de retaliação a saída de seu criador, Keiji Inafune da empresa. Ou seja, por causa da birra de um bando de engravatados que não entendem um homem adulto que quer mudar os rumos de sua vida, milhões de fãs perderam a oportunidade de desfrutar mais uma aventura com um personagem que amam.

Mas nem tudo está perdido. Inafune lançou uma campanha no Kickstarter para financiar um projeto que nada mais é que um sucessor espiritual de Mega Man. Chama-se Mighty No. 9 e ele conseguiu financiamento suficiente para lançá-lo em todas as plataformas disponíveis no mercado, algo que ele pretende fazer até o começo de 2015.

Que bom que existem pessoas no meio que não são movidas apenas por dinheiro.

E falando em dinheiro...


Empresa que mais cagou em seus consumidores - Capcom

Sim, eu sei. Já malhei a Capcom em um artigo bastante recente, mas não tenho como deixar a empresa em paz ainda.

Agora, quero deixar claro que entendo a função dos DLC's , assim como entendo que são um mal necessário para a indústria hoje em dia. Para quem não sabe, "DLC" é conteúdo de download, as famigeradas expansões que são lançadas depois que um game já se encontra no mercado.

Atualmente, jogos custam muito dinheiro para serem produzidos e em diversas ocasiões, a venda de milhões de c´pias não paga os gastos com a criação, divulgação e distribuição dos mesmos. Entra em cena os DLC's, que são uma forma das produtoras continuarem lucrando com seus títulos mesmo quando todo mundo no planeta já os possui.

Dito isso, existe o BOM DLC, que acrescenta muito aos jogos e faz com que valha a pena revisitá-los. É o caso das expansões de Fallout e Mass Effect.

Mas não é o que a Capcom fez. De Resident Evil 5 a Street Fighter x Tekken, todo o conteúdo de download criado para seus jogos ESTAVA PRESENTE NO DISCO, em outras palavras, o público era forçado a pagar para ter acesso a algo... QUE JÁ HAVIA COMPRADO!

Sem contar a constante reciclagem dos títulos da empresa. Street Fighter IV teve três versões e no momento em que este artigo está sendo escrito, uma quarta está em construção. Claro, cada nova encarnação do jogo traz revisões e mais equilíbrio entre os personagens, mas não é nada que não poderia ser feito com atualizações gratuitas.

E eu nem vou começar a falar do tapa na cara que foi Ultimate Marvel vs Capcom 3.

Supostamente, a Capcom tem apenas US$ 125 milhões em seus cofres hoje em dia, quantia muito pequena para aquela que ditava as tendências dos fliperamas na década de 1990.

Eu chamo isso de justiça karmica.



Game legal pro qual ninguém deu a mínima - Kingdom of Amalur: Reckoning

Kingdom of Amalur: Reckoning é uma aventura de fantasia medieval bem bacana, a primeira investida da produtora 38 Studios no mercado de games.

Aqui, o jogador controla o "escolhido" deste mundo, um herói/heroína que volta da morte e tem a missão de resolver os conflitos e trazer a paz ao grande reino de Amalur... como diz o título. O game tem bons controles, um sistema de combate bastante ágil e empolgante e gráficos simples, mas bonitos, que diferem um bocado do "sujo e sombrio", que se tornou meio que uma regra para diversos lançamentos desta geração.

E ninguém deu a mínima.

Kingdom of Amalur: Reckoning recebeu ótimas notas em praticamente todos os sites onde foi avaliado, mas mesmo assim, não chamou atenção suficiente dos consumidores para se tornar um sucesso de vendas. Isso provavelmente porque apesar de ser um bom jogo, ele não oferecia nada que já não tivesse sido feito uma centena de vezes antes.

Mas pelo menos, o público comprou cópias o bastante para que a 38 Studios não saísse no prejuízo, certo?

...

Oh, não. Na verdade, a 38 Studios teve que abrir falência e seu fundador, o ex-jogador de baseball Curt Schilling teve de vender TUDO QUE TINHA EM CASA (e eu não estou brincando) para poder pagar parte da dívida que obteve nesta brincadeira.

Parafraseando o Batman: "Nem sempre conseguimos um final feliz."


Game no qual todo mundo inexplicavelmente se viciou - Minecraft

Eu não entendo o apelo que Minecraft tem pra tantas pessoas. Sério.

Então, você controla um personagem que parece um sobrevivente da geração do Atari, ataca tudo e todos com uma picareta, coleta material, faz bloquinhos, empilha esses bloquinhos uns sobre outros e constrói castelos, torres, Gundams, pôneis ou no caso de 99% dos proprietários deste game, pirocas gigantes e quadriculadas.

E pessoas especialmente talentosas conseguem fazer uma cachoeira correr da ponta de seus pintos gigantes digitais.

Tá, beleza. Mas não dá pra se fazer as mesmas coisas com um balde de LEGOs? E mais importante, quando seu irmãozinho encher seu saco (porque é o que todo irmãozinho faz), você pode pegar seu pau de plástico gigante e esbofetear a cara do menino com ele. É um nível de desmoralização que não se alcança com uma copia de Minecraft.

Claro, joguei apenas cinco minutos deste game, pode ser que minha antipatia por ele venha de uma frustração causada pela incapacidade de construir minhas próprias genitais digitais. Mas bem, vou esperar uns bons dois ou três anos antes de embarcar na geração do Xbox One e Ps4, nesse meio tempo posso dar uma segunda chance a Minecraft e quem sabe aprendo a ter prazer com ele?

Entendam essa última frase como preferirem.


Título cujo modo de criação de personagem é melhor que o jogo principal: SoulCalibur V

Soul Calibur...

Bom, eu sinceramente não sei o que aconteceu com esta série. O primeiro game foi revolucionário, o segundo teve menos impacto mas foi muito bom e o terceiro é provavelmente um dos melhores jogos de luta do Playstation 2.

Então veio o quarto título da série. Era muito bom, mas que diabos... Darth Vader? Yoda? Mas estes personagens não fazem sentido nenhum no mundo de Soul Calibur! De quem foi a idéia de adicioná-los ao elenco? Do porra do George Lucas? Deve ter sido, só faz merda, esse cara!

Daí veio Soul Calibur V, que não é ruim... Tampouco é bom... É apenas "meh". Os gráficos não são estonteantes, as novas mecânicas de jogo não revitalizam a série e os novos lutadores não chegam nem perto de ter o carisma dos antigos. De fato, é muito fácil criar ódio por Patroklos, filho de Sophitia e um dos protagonistas mais enjoados da história.

O fator que salva este jogo da perdição é seu modo de criação de personagens, que é tão vasto e completo, que permite a criação de qualquer Brucutu ou donzela que exista no seu córtex cerebral. Quer criar Zorro e He-Man? Ora campeão, aqui você pode!

Depois de prontos, você pode levar seus personagens para serem testados em combate... É quando você lembra como Soul Calibur V é "meh" e vai jogar as versões digitais de Soul Calibur ou Soul Calibur II para relembrar dos velhos tempos.

Não se fazem mais jogos de porradaria como antigamente...


Game do machinho inseguro - Gears of War

Honestamente, eu acredito que Gears of War foi criado como uma grande piada da parte de seus produtores. Aqui, temos um pelotão de caras SUPERMACHOSPRACARALHO, com pescoços da espessura de uma perna de boi, que decidem ir (literalmente) até o centro da Terra para destruir uma raça de seres lanfranhudos que estão dizimando a humanidade.

E veja bem, todos esses caras SUPERMACHOSPRACARALHO estão armados com metralhadoras que possuem serras elétricas embutidas. Não, reflita sobre isso, METRALHADORAS COM UMA PORRA DE UMA SERRA ELÉTRICA EMBUTIDA!!!

Tudo é tão exagerado e testosterônico, que não há como levar essa franquia a sério. Claro, existem momentos dramáticos, como a morte da esposa de Dom em Gears of War 2, mas isso não tem muito impacto num jogo onde os heróis são engolidos por um monstro gigante, viajam por dentro dele e rasgam todos os corações do bicho com golpes DAS PORRAS DE SERRAS ELÉTRICAS.

Mas de alguma forma, toda essa ironia passou voando pela cabeça de certos fãs.

Se você frequentasse o site Portal Xbox durante o auge do console da Microsoft e dissesse uma palavra contra a suposta perfeição da saga de Marcus Fenix e seus amigos alegres, rapaz, os membros da página fariam todo tipo de insinuação sobre a sua sexualidade por lá. E esse mal não se limitava ao site, todo fã paquita de Gears of War recusa-se a aceitar qualquer tipo de comentário que não seja um elogio sobre a série.

De alguma forma, a ironia presente na série passou voando pela cabeça de muita gente e o título tornou-se o equivalente gamer de se comprar um carrão para compensar por... Algo.

E que fique claro, gosto muito da série Gears of War, é uma franquia de ação muito boa. Só seus fãs que são uma desgraça.

Mas isso pode ser dito de qualquer fandom, não?


Melhor uso da tecnologia para se retroceder anos em direitos sociais - Dead or Alive 5

Mesmo com os consoles novos em mãos, temos que levar em consideração que os aparelhos da geração passada eram bastante potentes. Quão potentes, você pergunta? Eles possuem bilhões de vezes mais memória que os computadores da nave que levou Neil Armstrong e Buzz Aldrin para a Lua.

Então, se você conectasse seu ps3 a um foguete, você poderia viajar até Marte. Nas você fez isso? Claro que não, nem pra montar um foguete você serve, VOCÊ É UMA VERGONHA PARA SUA FAMÍLIA, SEUS AMIGOS E PARA OS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA!!!

...

*ARRAM*

E como as produtoras de games fizeram uso desta tecnologia? Bem, algumas criaram mundos incrivelmente vastos, com muitos lugares para se explorar. Outras optaram por fazer os gráficos mais realistas e impressionantes que podiam. E existiram aqueles que usaram a velocidade dos aparelhos para realizar jogos com ação frenética que simplesmente não eram possíveis de serem realizados alguns anos atrás.

Mas não o Team Ninja. De forma alguma. Não.

Para os membros deste grupo, a maneira correta de se aproveitar a capacidade dos aparelhos foi criando uma engine gráfica que se baseava unicamente na forma como os seios das personagens femininas reagiam quando elas se moviam. Não apenas isso, eles não ficaram satisfeitos até desenvolverem tecnologia para que as meninas ficassem suadas e molhadinhas durante as lutas, bem como fizeram das tripas coração para que elas ficassem sujas e oleosas sempre que fossem ao chão, pois sabemos o quanto isso é relevante em um título do gênero.

Assim, aprendemos com o Team Ninja que destituir personagens femininas de qualquer tipo de dignidade, é a melhor forma de se utilizar tecnologia de ponta.

...

Bom, não vou mentir, adoro Dead or Alive. Mas eu sou um masculinista imundo, acho que isso já ficou claro.


Título que mais abasteceu a guerra dos "istas" - Final Fantasy XIII

Vou tentar resumir aqui uma história muuuuuuito longa: A Square-Enix cagou ao produzir Final Fantasy XIII, desperdiçou tempo e dinheiro, e sua única opção decente para terminar o game no prazo, foi transformá-lo em uma linha reta de 60 horas de duração.

Com gráficos estonteantes, mas ainda assim, uma fila indiana que levava quase três dias pra terminar.

O caso é que a Square-Enix, quando já estava bem longe na produção da aventura, lançá-la também para o Xbox 360.

E os Sonystas ficaram OFENDIDÍSSIMOS, porque Final Fantasy XIII havia sido anunciado como exclusivo do Ps3.

O caso é que os paquitas do console da Sony decidiram que a culpa do jogo ter saído uma bosta foi da Microsoft. De acordo com eles, o console de Bill Gates JAMAIS teria potência para reproduzir algo que tinha sido criado para o Ps3. Assim, a dona do Windows teria pago a Square-Enix para ela... "Piorar" propositalmente Final Fantasy XIII, a única forma dele rodar em um Xbox 360 sem colocar fogo na casa.

Não vou entediá-los com especificações técnicas, mas direi apenas isso: O Ps3 é um um pouco mais potente que o Xbox 360 sim, mas não existe uma discrepância tão imensa quanto os fanboys da Sony afirmam.

Se me permitem bancar o antropólogo, o "ismo" surge por causa da limitada capacidade financeira de uma pessoa. O sujeito tem dinheiro para comprar apenas UM console de uma geração, então ele faz sua escolha e jamais irá admitir a ninguém, ainda mais para si mesmo, que ficou com a pior plataforma. Ele vai cuspir no console rival e em todos os seus jogos, não importa o quanto queira desfrutar deles e irá arranjar brigas com os proprietários dos aparelhos "inimigos" como se fosse um cavaleiro lutando nas Cruzadas.

Só que... Um pouco mais ignorante e irracional.

Caso tenham curiosidade em ver como tais animais agem, esperem pelo lançamento de Metal Gear Solid 5: The Phantom Pain. Já tem idiotas descrevendo como o jogo vai sair ruim por não ser exclusivo do Ps3 e por ter de se adequar a carroça que é o Xbox 360.

O mais triste é saber que não são moleques de 17 anos fazendo isso, mas em muitos casos, caras que já passaram dos 30.

As vezes, o público gamer merece todo o desprezo e desrespeito que recebe do resto do mundo.


Game legal que todo mundo odeia - Mortal Kombat vs. DC Universe

Mortal Kombat (ou MK 9, como tantos de vocês chamam) foi um ótimo game, não? Toda a ação, a violência, os Fatalitys, os personagens que mais pareciam bonecões feitos de queijo e aquela roupa de stripper militar da Sonya Blade...

Digo, posso entender que as garotas ninja andem por aí semi nuas. Elas servem a Shao Khan e como bom vilão, faz todo sentido que ele as trate como pedaços de carne. Mas não há nenhuma explicação pros trajes ridículos que a Sonya usa. É pedir demais para que uma militar tenha um pouco de dignidade?

Enfim, sabem qual outro jogo também é bom? Mortal Kombat Vs. DC Universe.

Não sério. Possui uma ótima jogabilidade, bons gráficos (em minha opinião, os modelos de personagens aqui são melhores que os de MK 9) e uma história bem legal, que uniu de forma coerente dois universos que não fazem o menor sentido quando estão juntos.

Ahhhh, mas os bebês não gostaram porque não tem Fatalitys horrendos! Óóóóóóóóóó... Não dá pra arrancar a cabeça do Superman e os pimpolhos ficaram ofendidinhos, bilú-bilú!

SANTA SANTA SANTÍSSIMA! Mas vocês são um bando de chorões mesmo! No meu tempo, se tínhamos apenas o Super NES, jogávamos Mortal Kombat sem sangue e dávamos graças a Deus por isso! E quem tinha o Mega Drive podia acessar toda a violência do game, mas tinha gráficos de merda em mãos. NÃO HAVIA UMA VITÓRIA COMPLETA!!!

Estávamos satisfeitos com aquilo que recebíamos e vocês choraram por uma geração inteira porque um jogo de luta perfeitamente decente não lhes dava a chance de arrancar a bunda do Lanterna Verde e mostrar a ele antes de morrer! Seu bando de pederastas sacripantas!!! NÃO AGUENTAM CINCO MINUTO NA PORRADA COMIGO!

E já que entrei no assunto...


Game que prova que estamos em uma geração de moleirões - Dark Souls

Pessoal na casa dos 25-30 anos vai me entender muito bem agora.

Na geração dos 8 bits, terminar um game não era apenas uma questão de habilidade, mas sim de perseverança, fé e determinação. Recebíamos TRÊS míseras vidas e precisávamos sobreviver a uma enxurrada de inimigos e adversidades que se estendiam por fases sem fim.

Claro, tínhamos acesso a vidas extras, mas na maioria das vezes eram só um placebo, uma falsa segurança que nos induzia a derrota. "Estou com nove vidas, vou passar desa fase rapidinho", era o que muitos de nós diziam antes de fracassarem monumentalmente na última etapa do jogo.

Sim, existiam continues. Mas normalmente nos colocavam NO COMEÇO DA MALDITA FASE E SEM NENHUM POWER UP!!! Seria como invadir o covil do Predador armado até os dentes, perder tudo no caminho e encará-lo pelado e armado com uma faquinha de rocambole Pullmann.

A molecada de hoje não sabe o que é isso. Nos games atuais, a morte tem o mesmo peso que em Os Cavaleiros do Zodíaco, você se ausenta do campo de batalha por alguns segundos, mas reaparece em seguida, como se nada tivesse acontecido.

Nas palavras do sábio e saudoso comediante Patrice O'Neal: "Você tá jogando Call of Duty, uma granada te explode, aparece uma frase de algum militar famoso na tela, tipo: "Guerra é uma coisa louca pra caralho - Alexandre o Grande", e seu personagem ressuscita no instante seguinte."

Não em Dark Souls (e seu antecessor, Demon's Souls). Aqui, a morte tem peso, pois o jogador corre o risco de perder HORAS de trabalho e evolução de personagem, cada vez que esquece de bloquear um ataque inimigo.

E o mais satisfatório disso, é saber que quando se aprende a jogar Dark Souls, ele se mostra um game difícil, mas não impossível. Saber defender e esquivar dos ataques inimigos é uma habilidade muito necessária aqui, mas a molecada que aprendeu a metralhar botões aleatoriamente enquanto entope a cara gorda de Doritos, nunca vai entender isso.

Obrigado, Dark Souls, por não ser complacente com a geração de moleques gordos com cheiro de bacon que definham em frente as televisões hoje em dia.

...

Meu Deus... Virei oficialmente um velho ranheta.


Jogo que mais lembra os tempos do Sega CD - Heavy Rain

Acho que eu sou uma das seis pessoas no mundo que sente saudade do Sega CD.

Ganhei o meu no último ano de vida útil da geração dos 16 bits, pouco antes do lançamento do PsOne e do Sega Saturn. Era difícil encontrar jogos para ele nas locadoras e muitos dos títulos disponíveis não funcionavam como deviam, pois a tecnologia de jogos em CD estava longe da perfeição naqueles tempos.

Mesmo assim, havia algo de especial em se ter um console que rodava CD's ao invés de cartuchos naqueles tempos. E não é como se o aparelho não tivesse excelentes jogos, como é o caso de Snatcher e Sonic CD.

"E o que isso tem a ver com Heavy Rain, Ameríndio?"

Bom, o Sega CD era INFESTADO de jogos que não passavam de filmes interativos. O jogador assistia a uma animação ou cena com atores reais em baixa resolução e no momento certo, apertava o botão certo no controle. Se o jogo mandava apertar pra cima, apertávamos pra cima, se mandava apertar "A, apertávamos "A" e se mandava enfiarmos o joystick na bunda, por Deus, obedeceríamos sem hesitar.

E Heavy Rain, sob muitos aspectos, é basicamente isso. Uma história interativa que você mais assiste do que joga. Claro, temos muito mais controle aqui do quem um Night Trap, por exemplo, mas os momentos de maior impacto no game são grandes sequências de Quick Time Event.

De fato, até a dublagem mediana, com diversos personagens inexpressivos, lembra os bons tempos do console da Sega, com seus atores mal pagos e totalmente sem entusiasmo.

Novamente, não me entendam mal, eu adorei Heavy Rain e acho que o jogo deixou sua marca. Só não acho que foi uma marca muito diferente de... Double Switch.


Produção que prova de uma vez por todas que games são arte - The Last of Us

Do mesmo jeito que Cidadão Kane elevou o status do cinema a arte, The Last of Us fez o mesmo com os games no último ano. Qualquer tentativa de tentar descrevê-lo em detalhes é falha, pois a única maneira de realmente provar sua qualidade absoluta é jogá-lo.

Com personagens cativantes, narrativa impecável e uma história sensacional sobre redenção e família, este título é a arma que todos os gamers esperavam para calar a boca daqueles hipsters maconheiros obcecados por cinema iraniano e que se acham grande bosta.

Hipsters filhos da puta... VÃO CHUPAR A MARGOT KIDDER!!!

...

Não, espera... VÃO CHUPAR UM CAVALO!!!

...

E VÁ SE FODER, MARGOT KIDDER!!!


Game que ainda estaremos jogando em dez anos - Grand Theft Auto V

Se você duvida, me diga, quantas pessoas você sabe que ainda jogam Grand Theft Auto: San Andreas, um jogo de 2004, hoje em dia?

E Grand Theft Auto V é bem maior. E pode crescer ainda mais, porque a Rockstar ainda tem planos para lançar expansões.

Assim, daqui a uma década, quando anunciarem o Xbox Alpha, o Ps5 e o Wiilaiálaiá, e você estiver colocando mullets e barbão de mendigo no Trevor pela milionésima vez, porque acha que isso o deixa mais engraçado, estarei esperando pelo seu pedido de desculpas e o reconhecimento de minha genialidade.

Sem mais.


Game que você vai jogar até fazer mal a sua saúde - Fallout: New Vegas

Imagine que é um dia de folga e você acordou as 8:00 da manhã por puro hábito. Renovado pela boa noite de sono, você pega uma coisinha pra mastigar e começa a planejar o que fará ao longo do dia.

Ainda é muito cedo para procurar seus camaradas e neste horário não tem nada decente passando na televisão. Assim, você decide dar uma chance a Fallout: New Vegas, que está dando sopa em meio a sua coleção.

Após algum tempo de partida, você olha para o relógio e nota que são 5:00 horas da madrugada. Aos poucos, seu cérebro percebe que passou mais de vinte horas jogando, sua pele está toda toda oleosa pela falta de banho, seu estômago está roncando mais que o Kraken, sua boca está com o maior gosto de chinelo por causa da desidratação e seus olhos ardem como o fogo do inferno, pois você precisa dormir.

De fato, você precisa satisfazer TODAS as suas necessidades vitais, ou morrerá.

E mesmo assim... Não é... Possível... Parar... De jogar...

É mais ou menos este o efeito de Fallout: New Vegas. Para ser bem justo, Skyrim também poderia se encaixar nesta descrição, mas eu pessoalmente acho mais fascinante explorar as ruínas de nossa civilização após uma guerra nuclear, do que as masmorras e castelos de um mundo medieval.


Melhor revitalização de uma personagem que já tinha enchido o saco - Tomb Raider

Eu provavelmente vou perder metade dos meus leitores agora, mas tenho de ser honesto com vocês: Eu nunca gostei de Lara Croft.

Reconheço o quanto a personagem foi importante em abrir espaço na indústria para figuras femininas fortes, claro. Mas eu nunca suportei a ideia do: "Oi, eu sou uma inglesa linda, perfeita e infalível, com peitos e bunda imensa, que supera todos os perigos e no qual você estará pensando quando esfregar sua coisinha antes de dormir esta noite."

Lara Croft não tinha defeitos, não tinha fraquezas e isso fazia dela uma personagem extremamente chata para mim.

Eis que veio o reboot. Lara é mais jovem e ainda é muito bonita, apenas não tem seios e bunda idealizados por alguém que não sai com uma mulher desde a época da revolução industrial. Mais importante que isso, ela não é infalível.

A moça se ferra muito até o fim da aventura, quem jogou sabe o quanto. E como todos que passam pela jornada do herói, ela não se manteve intacta.

Pensem comigo, todo personagem paga um preço para se tornar herói. Luke Skywalker perdeu a mão, o Homem-Aranha perdeu seu tio Ben, Superman perdeu seu planeta. Lara perde amigos e a inocência juvenil que possuía como exploradora, após descobrir que existem coisas extremamente perversas no mundo.

Esta nova versão de Lara não está acima do perigo como a antiga. Ela encara o perigo com medos e incertezas, mas encontra a força para superá-lo, o que faz dela uma heroína muito melhor do que sua encarnação anterior.

Um protagonista só é tão bom quanto suas falhas o permitem ser. E foi isso que fez com que eu me apaixonasse pela nova Lara Croft.

Fiquem a vontade para me julgar, rufiões!


Melhor uso para uma piroca de borracha: Saints Row: The Third

Muito bem, tente imaginar a seguinte cena:

Você está caminhando pela rua, feliz da vida, pensando em quem venceria uma luta: Fátima Bernardes ou Olavo de Carvalho. De repente, você avista três membros da gangue rival, parados na esquina e conversando sem perceber sua aproximação.

É quando você saca UM PINTO DE BORRACHA COM UM METRO DE COMPRIMENTO e com um único movimento da arma, atinge os três inimigos de uma vez, os arremessa a mais de três metros de distância, e causa suas mortes imediatas.

Então, os amigos deles começam a chegar em carros e com sua arma que permanece em um estranho estado entre a rigidez e a moleira, você desfere golpes mortais contra eles e seus veículos. Logo, automóveis estão sendo capotados com os ataques daquilo que deveria ser apenas um brinquedo sexual de garotas (ou rapazes) ridiculamente carentes.

O tipo de orgia de violência desnecessária e gratuita que nos faz dar graças a Deus por estarmos vivos.

Sem mais declarações, meritíssimo.


Game que fará você se sentir muito sujo, muito rápido: Record of Agarest War

Sim, basicamente.

Apenas aceite e não faça perguntas.

Vamos em frente.


Remake que não veio: Final Fantasy VII

Ainda estamos esperando, Square-Enix. Sério, qual o problema de vocês?

Final Fantasy VII foi ordenhado até não poder mais para gerar cifrões para a empresa. Games medíocres foram lançados como sendo parte de sua história, fomos obrigados a aguentar aquele filme retardado chamado Final Fantasy VII: Advent Children, só pra citar algumas dois grandes atentados contra o bom nome de Cloud e sua galera.

E verdade seja dita, não é como se a franquia estivesse sendo bem tratada pela produtora. Final Fantasy: All the Brave, criado apenas como uma forma de vender DLC infinito para os usuários, é uma prova bem clara disso.

Então, por que não lançar logo um remake do game mais popular de toda a série? Vai gerar muita grana para a empresa, deixará milhões de fãs felizes e talvez recupere um pouco do prestígio que Final Fantasy tinha no passado.

Muito bem, já temos uma nova geração de consoles em mãos. Tente não deixar a peteca cair desa vez, ok, Square-Enix?

EU QUERO TIFA!

...

E Yuffie...


Épico mais épico: Mass Effect

Não tenho como tentar explicar tudo que a trilogia Mass Effect significa em poucas palavras.

Assim, direi apenas que esta é, em minha opinião, a experiência definitiva da geração do Xbox 360 e do Ps3. E se você teve um destes consoles mas nunca deu uma chance a saga da Bioware, então imagino que você não aproveitou tudo que podia com eles.

Numa boa, se você nunca jogou Mass Effect, espero que um mexicano de duzentos quilos passe as próximas 24 horas sapateando nos seus testículos.

E se você for uma menina, espero que o mesmo mexicano sente ao seu lado, após participar de um jogo intenso de futebol e comer pão de alho e passe as próximas 24 horas te passando cantadas de tiozão.

VÃO JOGAR MASS EFFECT, SEUS FILHOS DO HONDA!!!


Sistema de vendas digitais que deveria ser canonizado: Steam

Então, você está em casa num sábado a noite, sozinho, porque todos os seus amigos morreram em um trágico acidente de carro enquanto iam pra balada. Você não tem nada para fazer e passa seu tempo na internet, oscilando entre o TV Tropes e o Xvideos.

Eis que você sente vontade de jogar alguma coisa, mas já fez 101% em todos os seus jogos. Você quer algo novo, mas tem apenas 50 paus no banco e seu pagamento só cai na segunda-feira.

Por mera curiosidade, você entra no Steam, fuça um pouco e encontra uma promoção mais ou menos assim:

*TODOS OS JOGOS DA SÉRIE FALLOUT!!! FALLOUT 1, 2, 3, NEW VEGAS E TACTICS, COM TODAS AS EXPANSÕES, POR APENAS 20 PAUS!!! BLALAHLAHLAHLAHLAHLAHLAHLAHLAHLAHLAGH!!!*

Você analisa sua conta bancaria e percebe que tem dinheiro o suficiente para aproveitar esta promoção, se alimentar no dia seguinte e sobreviver até o salário sair. Um sorriso se abre em seu rosto e você efetua a compra, cheio de satisfação.

Quem frequenta o Steam sabe que promoções similares a esta são bem comuns no site. Assim como sabem que um HD de 1 tera pode ficar sem espaço bem rápido.

E que Deus abençoe A Valve, por criar o Steam e alimentar nosso vício com a eficiência de um traficante de crack, mas de forma muito mais gentil.


Game que vai sair aos 45 minutos do segundo tempo e os fãs não poderiam estar mais felizes: Persona 5

A Atlus anunciou recentemente que lançará Persona 5, exclusivamente para o Ps3. Ainda não existe uma data concreta para sua chegada, mas podemos deduzir que não o estaremos jogando antes do final de 2014. Período em que a geração passada estará correndo com o finzinho do tanque reserva.

E a Atlus deu um grande FODA-SE para isso, demonstrando bolas que muitas empresas deveriam ter. Claramente, os chefões da companhia não dão a mínima para o hype da nova geração e estão mais preocupados em colocar um produto de qualidade no mercado.

E sinceramente, PRO INFERNO COM GERAÇÕES DE CONSOLES! Que importa se você joga um Ps3 ou Ps4? Pra que a pressa em ser parte da nova modinha quando ainda há tanto para se aproveitar dos games que agora, já são considerados "ultrapassados"?

Ligue seu Atari um dia desses, jogue River Raid por vinte minutos e me diga se não é mais divertido que muita coisa a que temos acesso hoje em dia.

Pois então, obrigado por Persona 5, Atlus. Amo você e lhe daria um grande abraço... Se você fosse uma pessoa e não um prédio cheio de funcionários.


Momento mais dramático de toda a geração: Quando seu console de mais de Mil Reais quebrava

Mais uma vez, vou pedir para que se coloquem no lugar de um personagem imaginário enquanto descrevo uma situação, pode ser? É a última de hoje, prometo.

Pois então, você chegou em casa exausto após um dia muito duro. Seu cachorro foi atropelado pelo seu melhor amigo, que não prestava atenção na estrada pois recebia um boquete da sua namorada, que há meses o traía com ele. Além disso tudo, o carro pilotado no acidente havia sido roubado do seu pai, que foi acusado de tráfico de drogas, uma vez que os cinco quilos de cocaína que seu amigo havia colocado no porta malas, foram encontrados pela polícia no veículo que estava no nome do velho.

Sim, dia cansativo e tudo que você quer é jogar uma partida de Duke Nukem Forever antes de dormir.

Você liga seu aparelho... A imagem não aparece na tela... E quando olha para o console... As Três Luzes Vermelhas da morte estão piscando.

Um calafrio corre sua espinha, você não acredita no que vê. Então desliga o console e o liga de novo. Desta vez, ele funciona bem e você deduz que a fonte devia estar mal conectada, tinha uma fada presa nas engrenagens do videogame ou algo assim.

Minutos depois, ele trava. Você o desliga e liga mais uma vez... E o Anel da Morte retorna.

Acabou, Johnny...

Tudo que resta é apoiar o rosto na mão, com um olhar desolado. Sabendo que seu pai está na prisão sendo comido pela galera, seu melhor amigo está ganhando chupadas olímpicas da sua agora ex-namorada e que você não tem nem um joguinho besta e malfeito para tirar um pouco a mente dos problemas.

A vida é dura.

E se você tinha Ps3 e não Xbox 360, apenas substitua as Três Luzes Vermelhas da Morte pela Luz Amarela da Morte. O sentimento é o mesmo.

Bom, por hoje é só. A seguir, Mês das Festas!

Cheers!!!

77 comentários:

Agronopolos Vendaval disse...

Nós Fãs de minecraft e de My Little Pony agradecemos por colocar uma imagem da Rainbow Dash nessa lista por causa do jogo do Minecraft(ok, My little Pony foi por sorte de achar imagem do jogo)

Agradecido
Editor chefe do Blog MLP Brasil

Ryu dos Brother disse...

Eu sempre falava que Final Fantasy XIII era o jogo mais dolorosamente tedioso ao qual eu já me submeti nos últimos anos... Só que eu joguei Minecraft e me senti forçado a retirar isso.

Depois de ver quase todo mundo ao meu redor jogando isso, eu decidi jogar por mim mesmo e ver qual é a desse negócio, mas não durei nem 30 minutos nisso sem ficar entediado e desejando uma dose de Sonic 2.

... O lado bom disso é que eu joguei Sonic 2 até o final depois, coisa que eu não fazia há um bom tempo.

E falando de Sonic num post relacionado ao pior da sétima geração, ainda não me esqueci do Sonic the Hedgehog de 2006... Por que, Sega?

Lipe De Freitas disse...

Por que não citou nada da Nintendo?

Amer H. disse...

Não tive Wii, infelizmente. Por mais que eu goste da Nintendo (e eu gosto, muito), não posso avaliar nenhum aspecto positivo ou negativo dela da forma que eu gostaria. :(

Lucas Pinheiro Silva disse...

Só fazendo um adendo: o 38 Studios faliu não somente por causa de Amalur, mas devido a uma dívida enorme que fez com Rhode Island sob a promessa de gerar 300 empregos nomsetor de TI e desenvolver um MMO. Amalur seria o prólogo desse futuro MMO, mas logo após o lançamento do jogo o estado de Rhode Island processou a empresa por ela não ter cumprido suas promessas e cancelou o resto do crédito prometido.

Helio Mendes Jr ou Kamen Homer disse...

ao invez do remake do Final fantasy VII, ELES DEVERIAM LANÇAR UM REMAKE PARA PS3 DO FINAL FANTASY VI,serio por mais que eu goste do VII e gosto mesmo, o VI é que merecia um remake digno, mas ao invez disso a square(não incluo a enix nessa, pois final fantasy não é do departamento dela) lança um remake do VI para Iphone, serio isso da vontade de meter um tiro nos filhos da puta da empresa e no Nomura, e sobre rockman, eu ja falei sobre a merda que a capcom faz com ela, e se alguem me dar o street fighter x tekken é como me dar um e.t para atari 2600, mas ate o e.t eu preferia jogar do que esse estupro de empresa de games, e a lara Croft eu só gostei dela apenas na epoca do ps1 quando eu tinha 11 a 14 anos, e depois isso acho ela um saco, e esse novo jogo tambem não muda minha opinião sobre ela, e mais uma coisa sobre mim eu não sou muito fã de jogar jogos americanos, não odeio mas não é muito do meu fetinho, mas não quer dizer que não posso jogar esse jogos, o que eu mais quero jogar é o novo game de south park o stick of truth que na minha opinião sera o BESTO GEMU EBAA!!
e sobre a geração ps4 o jogo que mais quero jogar é o Guilty gear Xrd, então terei que dar muito a bunda quando o jogo for lançado, WAKA, WAKA WAKA!!!

Meia Dose disse...

Muito boa a matéria. Passei essa geração apenas olhando, apesar de ter comprado um ps3 logo no começo, não tive dinheiro para os jogos (não me julguem). Ainda espero fervorosamente para poder jogar uns 20 jogos dessa geração.

ps: Na parte do street fighter
"Street Fighter IV teve três versões e no momento em que este artigo está sendo escrito, uma terceira está em construção."

Amer H. disse...

Já tinha arrumado. Thanks.

DENDEROTTO IG disse...

No caso do aniversário do Megaman, pra não passar em branco a Capcom aproveitou que um fã estava fazendo um projeto chamado "Street Fighter X Megaman" e ajudou o cara a terminar, tornando o game oficial pra comemorar o aniversário das duas franquias (o game é de graça mesmo, mas a Capcom "lançou" só pra não dizerem que não teve nada, triste)

Lipe De Freitas disse...

Poxa, Amer, que pena que não teve um Wii ou não acompanhou o 3ds, teve muita coisa que você certamente iria adorar! bem, tem o 2ds que é cem reais mais barato que o 3ds, então acho uma boa. Vou ver se compro ano que vem. Abraço e ótima matéria.

o/

Só dando uma sugestão, gostaria que você falasse um pouco em algum momento de jogos da Blizzard como starcraft, diablo e warcraft(de preferência starcraft) e também sobre Moba's.

Juninho! disse...

Artigo fantástico esse novo Amer, agora citarei minha opinião sobre tudo!

Porque sim, claro!

Eu sou muitíssimo fã da série Megaman X, amo a série Megaman Zero e não sou muito fã da clássica... Então 9 e 10 pra mim passaram sem o mesmo impacto.

MAS PORRA, CADÊ MEGAMAN NOVO PORRA? NÃO TEM!

E ainda teve aquele Street Fighter X Mega Man e eu queria muito entender quem disse que aquilo era uma boa ideia. Sinceramente, que coisa mais estúpida.

Eu peguei PS3 final do ano passado então pude pegar jogos nas versões finais, Arcade Edition (podem rir, eu acreditei que era versão final) do SSF4, UMVC3, Resident Evil 5 Gold Edition e por aí vai.

E bem feito que o mediano SFXT que vendeu tão mal à ponto de nem cogitarem uma versão full.

Kingdon of Amalur, nunca tive contato. Mas gostaria. E Minecraft é o tipo de coisa que sempre me perguntei:

"Onde diabos está a graça desse jogo?"

Soul Calibur V... Eu já tinha me decepcionado com o IV e o Broken Destinty do PSP que são dois lixos, veio o V com tanta merda que ainda num tive coragem de comprar ou pensar em jogar. Acho que fico feliz de ver o progresso da série do I ao III (que é o melhor de todos, que modo lindo é aquele Tales Of The Souls) e acho que devo dar a série como morta.

Gears of Wars eu ainda pretendo jogar quando tiver meu Xbox 360 destravado, eu já tenho PS3 original e sou assalariado, ainda necessito de uma TV HD. Uso a dos meus pais.

DOA é bom com peitos, desse jeito mesmo. E eu também me senti sujo porém no mesmo barco que você, querido Amer.

Final Fantasy eu acho a série muito manjada, curto o VI por indicação do seu blog e o VII pelo maravilhoso enredo. E só. E odeio o 8.

MKvsDC nunca joguei mas sinceramente não consegui me interessar em absolutamente NADA que o jogo tem, mas ele anda baratinho, quem sabe eu o compre?

A série Souls é algo que não me diverti de forma alguma jogando de tão desnecessariamente difícil, joguei e zerei muito jogo difícil no SNES mas porra, eu não vim da era dos 8 bits e acho isso o máximo pra ser sincero. Não me divirto por dificuldade, essa série no meu ver só fez fama em cima da dificuldade mostrando que "os fodões podem zerar" e nada além. Pra mim isso não transmite qualidade.

The Last of Us eu não tenho palavras pra descrever esse jogo, há quem diga que é superestimado e eu digo:

NÃO, O JOGO É MUITO MEGA ULTRA FODA! QUE FINAL GENIAL

GTA V ainda quero MUITO jogar, mas vou terminar o IV antes.

Tomb Raider... Finalmente alguém que pensa EXATAMENTE como eu, a Lara era meio Batman, e tals, mas o jogo não colaborava muito, era chato de jogar e isso num personagem "humano" de intocável fica MUITO chato, só o Batman pode ser tão foda, intocável e sem falhas. SOMENTE O BATMAN!

Saints Row é risada garantida, comprarei o IV e brincarei com a invasão alienígena com um gigante sorriso de Coringa no rosto.

Record Of Agarest War, nunca vi o jogo mas a imagem que você escolheu me deixou desconcertado.

E outro jogo que comprei por recomendação do seu blog, foi Mass Effect, na verdade eu tava o ano passado inteiro... "Nossa, me fodi, só tem o 2 e o 3, e ainda bugado pra PS3... Como eu vou fazer pra jogar o Mass Effect que o Phillipe e o Amer tanto falam?"

Anunciaram o Trilogy. Paguei 220 reais rindo. Não pude jogar AINDA, devido ao trabalho, estudo e tentativa de me tornar um cara magro e saudável, mas COM TODA CERTEZA irei. E novamente Amer, agradeço sua recomendação. Vi maravilhas sobre o 1 e o 2 no seu blog gamer e achei supimpamente atraente.

Ainda preciso de placa de vídeo pra ter acesso aos jogos do Steam, e os primeiros serão Fallout 3 e Fallout 3 The New Vegas.

Sobre Persona, eu amo o 2, os dois jogos. Com todas as minhas forças e são definitivamente a melhor coisa que joguei em JRPG's, curti o 3, ainda pretendo jogar o 4 apesar de acha-lo meio fru-fru, mas o 5 eu espero que venha aquele clima dark e maduro do 2 Innocent Sin ou que seja totalmente adulto com temas mais psicológicos além da pegada policial do Eternal Punishment.

ATLUS SEJA ETERNA!

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

é, realmente o Blue Bomber foi esquecido pela Capcom...mas vamos combinar, as suas "reincarnações" também...

Megaman ZX? , Starforce? pela mor do Morgan Freeman viu!

e em sites de redes sociais de games, o povo só aguarda esse Mighty 9. ao menos os jogos feito por fãs como Street Vs Megaman ou Megaman Unlimited são incríveis.

antes eu achava que era algum truque da Capcom, mas se você falou que o Kenji saiu mesmo, é porque saiu realmente.

sobre a Capcom: ela merece tudo o que esta passando ultimamente...sério, qual é o problema dela? e acho Street vs Tekken um crossover imbecil. qual vai ser o proximo? Street Fighter Vs Dragon Ball e Hokuto no Ken?

eu até tentei jogar esse Kingdom of Amalur, mas no PC deu pau. e Minecraft é legal, mas não tenho saco para fazer uma estátua da Lightning ou da Momiji e Ayane peladas.

Soul Calibur V.... mesmo no Game Blog do Amer ter visto o post e terem dito que o jogo não valia a pena, comprei ele (e porque ele custava apenas 100 reais) e....decepção. e o insulto maior esta no modo história. desde quando os filhos da Sophitia tem mais valor no enredo que o Mitsurugi,Ziegrief ou a Ivy? e nem fala nada da Sophitia, o que aconteceu com ela afinal?

e a batalha final: Patrokolos enfrentado uma entidade que é a mãe deles quase pelada..................má vá se fuder!!

Japão porque? PORQUE????? PORRA!!!


Gears of War...ahhh...jogo de tiro legal pá! só isso...e Dead or Alive, bem...hoje esse game não traz boa fama, digamos.

diga que você é fã da série e experimente estender a mão...no minimo vão se distanciar da pessoa uns 500 metros. e sim, já fiz esse teste. é.....pois é.

FFXIII...olha, eu devo ser a unica pessoa aqui que não acha o game tão ruim assim. tudo bem que ela errou na lineariedade (que eu acho uma benção, pois só basta ir para frente, SEM OLHAR PARA PORRA DE DETONADO) mas tem pontos que o salvam...e não gosto desses XII-2 e o novo XIII-3. uma tem a Serah como protagonista e nessa agora tem a Lightning quase como objeto Sexual...tenso.

nunca joguei Mk vs DC.

Dark Souls é um excelente game e te faz crescer cabelo no peito. e gostei muito do New Vegas, apesar do planeta inteiro falar que o 3 é melhor...e para mim, GTA sem visão aerea, não é GTA. mas um generico de Drive. (aquele game do PS1 que ninguém lembra que foi um dos alicerces desses GTA em 3D) e acho Saints Row divertido pra burro! lá sim você toca o foda-se na cidade!!

Tomb Raider...ah, assisti o filme e achei um pé no saco. Mass Effect merece todo o paga pau que o povo fala, mas prefiro não jogar o terceiro game da franquia, para mim, morreu no segundo jogo.

me abriu um grande sorriso o anuncio de Persona 5 e convenhamos, já estava na hora. Atlus.

e sobre o Remake do FFVII.......

vou falar o mesmo que falo a todos os meus amigos: esse remake só vai sair quando a Square estiver perto da falência, aposto que esse remake já está pronto, só esperando usa-lo em caso de desespero. reconheço que esse game consagrou os Rpgs e fez Bernard Stolar enfiar do Dedo no Cu e violentar brutalmente o Sega Saturn (snif, snif) mas a pagação de pau é demais... e amigos querem que eu desista de achar FFXIII ao menos jogável, para eu idolatrar...

um SUPER SOLDADO que SURTA ao saber que é um monstro....e que a mãe é UMA ALIEN COM TENTACULOS!!!!

outro que resolve assumir a identidade do amigo e querer foder com a namorada dele...

e outra que quer dar pro protagonista, mesmo ele a vendo como um escroto, uma merda para ser limpa pela solas do sapatos....falta de amor próprio é o que há.

pela mor do Yu Narukami!

Ryu dos Brother disse...

Nunca joguei nenhum Mass Effect, mas jogarei pra evitar que um mexicano transforme minhas bolas em omeletes e assim todos nós fiquemos felizes, e também porque já me recomendaram várias vezes.

A propósito, Mass Effect 3 é tão ruim quanto dizem ou o pessoal diz que o jogo é ruim só por causa do final? Nunca entendi isso direito e o jogo parecia bom pelos vídeos.

EU disse...

Muito bom o Post Amer... Eu só não concordei com o que você escreveu de TLoU... Não que eu não ache o jogo bom, mas é MUITO overrated. A história é boa, a trilha sonora também, o enredo é cativante, mas o que faz de um jogo um jogo??? O GAME PLAY, PORRA!!! E nesse quesito, TLoU não é nada excepcional. Não que o gameplay não seja bom, mas nesse quesito ele não fez nada que algum jogo já não tenha feito antes, além de ser um bocado broken as vezes. A história pode ser boa, os personagens também e etc, etc, etc. MAS NÓS ESTAMOS FALANDO DE UM JOGO, NÃO DE UM LIVRO!!!!! Então TLoU pode parecer fantástico se fosse um livro ou filme, mas como JOGO mesmo, eu achei ele bem "meh".
E quanto a algum jogo elevar os jogos a arte, na minha opinião isso já aconteceu a MUITO TEMPO, com Earthbound.

Juninho! disse...

Jogabilidade de The Last of Us é fantástica, altamente intuitiva e muito simples.

Não vi nenhum bug ou erro na jogabilidade que fizesse com que eu pensasse sequer em algum segundo:

"Nossa, que exagero o que dizem do jogo"

Não, a jogabilidade é tão impecável quanto o roteiro, as músicas, e a atmosfera.

The Last of Us não é um mero jogo e sim uma grandiosa experiência no mundo dos games. Sem mais.

PS: Eu sei dos bugs que ocorreram com a IA do jogo, mas eu não vi nenhum, e duvido que MUITA gente viu.

Jon_Hen disse...

Belo artigo.... bom eu não tenho nenhum console serio e meu pc é bem fraquinho, porem sempre posso contar com meus amigos para jogar (na vdd só um amigo e ele so tinha o xbox 360) e realmente jogamos muito jogos bons (farcry 3 ate agora é o meu favorito) e jogamos muitas merdas tbm...agora é esperar essa nova geração que estou ate confiante...

Onyas Claudio disse...

Enquanto isso, eu fico aqui curtindo o meu bom e velho Super Nintendo, que funciona desde 1996... 1996!!!

Não é como a porcaria de 360 que me sugou praticamente dois anos de economia e funcionou, e mal, por apenas meio ano!!

Foi o golpe definitivo. Que se danem esses consoles novos, vou comprá-los quando eles estiverem velhos e barato, como eu fiz com o Play2 - que, por sinal, tem ainda uns trocentos jogos bons, mas bons mesmo, que eu ainda nem joguei.

Aliás, posso dizer o mesmo do Super Nintendo e do Mega Drive. Por mim, poderiam estar fazendo jogos para eles até hoje. Mas é como eu digo, a indústria é como uma cobra que come a própria cauda. E os consumidores apóiam... enfim, desconsiderem minhas opiniões, sou um ranzinza irrecuperável. Vou lá jogar Axelay e deixar a geração atual em paz.

Unknown disse...

Yupii, artigo novo!
de repente o mundo nao parece mais tao horrivel... <3

Ryu dos Brother disse...

The Last of Us é obviamente elogiado mais pela história e pelos personagens do que pelo gameplay, isso não tem nem como discutir.

Eu pessoalmente gostei bastante da história, mas The Last of Us como um jogo apenas foi bom, mas não ótimo, eu fiquei mais empolgado assistindo as cutscenes e a história do jogo do que jogando.

Rafael disse...

Caramba, que triste essa história do cara que perdeu tudo por causa de um jogo que não vendeu o suficiente.

Se me permite uma sugestão, eu gostaria de ver um "OS MELHORES JOGOS DO PS2".

E Leandro, eu não duvido que se Street Fighter Vs Dragon Ball fosse lançado, desse um bom lucro pra mercenária da CAPCOM
Ambos tem milhões de fãs e seus maiores atrativos são pancadaria e não um bom enredo

Ótima postagem, Amer.
Valeu!

Ass. Major Glória

Rafael disse...

O SNES e o Mega Drive são bons ainda hoje. Deus abençoe os emuladores e seus criadores.

Não vai ter Megaman mais não? : (

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

Rafael,sobre o crossover só uma coisa quero te perguntar:

tu acha mesmo que Ryu aguentaria uma porrada do Goku?

ele viraria papa antes de dizer Shinkuu Hadouken.

Marcos disse...

Duas coisas: Quanto os GEARS, eu também gosto muito da série e tal... mas com certeza da pra notar que o jogo foi feito para um público específico, quanto a isso concordo com o Senhor Hammer

agora sobre o Cidadão Kane dos jogos TLOU, eu acho que Bioshock 1 tem tano peso quanto ele e não seria justo não te-lo citado como grande referencial dessa geração.

juubi o primeiro de dez disse...

Sinceramente, GTA V......

https://www.youtube.com/watch?v=JODwetfioWA

Eo resto pro resto da série. Eu simplesmente não vejo o apelo de GTA e nunca vou ver. Mas uma coisa eu tenho que notar: eu nunca vi a palavra "fucking" ser usada tantas vezes numa mesma obra de ficção do que em GTA IV. Isso me fez realizar a função dos palavrões:chocar. E depois da vigésima vez, surpresa, palavrões não chocam mais ninguém

Rafael disse...

Eu também acho que o Ryu não aguentaria um soco do Goku, Leandro.
Mas sabe como é né? Tudo em nome dos cifrões as custas dos fãs.

Aliás, em março de 2014 será lançado no Japão o jogo J-Stars Victory Vs para PS3 e PS Vita. É um crossover com vários personagens da Shonen Jump, em comemoração aos 40 anos da editora

Entre alguns dos personagens estão: Goku, Lufy, Naruto, Ichigo, Toriko, Kenshin, entre outros, apesar de não ser da Capcom e sim da Namco.

Ah, e esses Mugens da vida em que Podemos fazer o Dino da Silva Sauro lutar contra o Majin Boo.

Você acha que o Naruto ou qualquer outro desses persongens poderia enfrentar Son Goku?

Twero disse...

Excelente artigo, Amer!
Como joguei uma parcela desses jogos ou conheço alguns desses items, vou fazer um comentário sucinto de cada um (ou ao menos tentar).

-Megaman: É, confesso que nunca fui fã do mascote da Capcom, mas o respeitava tanto quanto respeito seus jogos e também sinto empatia pelos fãs nessa situação difícil. E pensar que uma empresa concorrente como a Nintendo tá tando u mtrato melhor ao persoangem em um jogo de crossover do que a própria empresa, é porque tem mita coisa errada aí.
Eu cheguei a culpar isso, do Inafune e tals, mas também começo a achar que...a Capcom não consegue achar pessoal para fazer um Megaman a altura dessa geração. E quando algum projeto inovador pinta na área (como o Legends 3 e o Maverick Hunter, o FPS do Megaman), ela fica com receio de ariscar e cancela, preferindo fazer jogos pseudo-retrô como 9 e 10. Agora, sobre o Mighty 9... Eu não duvido que vai ser um puta de um jogão, o megaman que todos sonham em jogar... e que foi concebido para ser o sucesso espiritual do Megaman. É um jogo sem originalidade e que jamais vais se despegar de ser "o megaman isso... o megaman aquilo..." mas será um tapa na cara da Capcom pra ver se ela aprende o que fazer com o MEGAHOMEM

-O mercenarismo da Capcom: Eu fui um dos vitimados do Ultiamte e foi quando meu ódio pela empresa surgiu. Mesmo que ela chegue a bancar jogos interessantes, como Asura's Wrath (comentarei mais dele lá embaixo), ainda aplica seu "estilo Capcom de chupar dinheiro" nele e estraga a diversão de quem comprou o game. Ela vem evitando essas presepadas nos últimos anos, mas quero manter distância de seus jogos até ver se ela aprendeu a lição.

-Kingdom of Amalur: Reckoning: Confesso que cheguei a ficar MUITO curioso em experimentá-lo, baixei a demo e era bem o que eu tava esperando... mas era tão bugado que me desanimava. Esperei que isso fosse corrigido por meio de patches no jogo final, mas como a 38 faliu, meu sonho de jogar sem se frustrar por problemas de programação. Vou esperar o game ficar bem baratinho, ainda quero ter a chance de jogar o jogo completo.

-FFXIII e a Square como um todo: Eu sou um dos poucos seres desde Huezil que chegou a curtir o XIII, sem negar suas falhas. Lembro dessa treta de que "FF traiu a Sony ao ir pro chis-caixa, etc...". E nem se lembram que FF fica namorando com outros consoles de outras empresas desde que FF saiu da nintendo e foi pra Sony... e por aí vai. Até anti-ontem tive uma discussão das boas com um ista ferrêneo que xingava Square e seu mundo de XIII pelas vendas fracas do Lightning's Returns, como a Square vive de spin-offs, remakes (que nem fazem,na verdade, o única que entrou na onda dos HD edition foram os X e XII) e como deixar isso acontecer com o "legado". Bom.. de faot, a Square tá nos devendo esse remake (e lembrar que em 2017 a Copilação do VII via terminar, e nem sei como terminar aquela cena secreta do Dirge of Cerberus). No mais, curta aí o Crisis Core, a melhor coisa que essa copilação toda aí nos deu! Eu não fico cobrando muito dela porque...já passou o tempo em que a Square se resumia somente à FF, ela é dona de uma caralhada de séries e precisar dar uma atenção para cada um deles. Enquanto o Nomura fica nos enrolando com FF XV, KH III como Gaben faz com quem espera o HL-3.

-Dark e Demon's Souls: Eu joguei um pouco do Demons que um amigo meu me emprestou, já sabendo da fama de masoquista que o game tem. Fui cauteloso, morri aqui e ali e... ele é um verdadeiro professor! A quantidade de lições que tu aprende nele (não ter apegos materiais, aprender com as sequências de tentativa/erro é impressionante), apensar de ter "dado a volta" na primeira fase e nem ter visto a cara do primeiro chefão. Só de ter voltado ao Nexus, atravessado uma ponte que um certo dragão adorava cuspir fogo, me senti ter ganho o dia.
[COMTINUA]

Twero disse...

[CONTINUANDO]
-Steam, a estupradora de carteira: Ó, Valve, como queria que todas as emrpesas aprendesse com você como nos abusar sem que nos sentíssemos violados. Ontem teve uma caralhada de promoções, aproveitei e comprei o Portal 2 para uma conhecida por um preço de um lanche de padaria, além de um joguinho maroto por menos de 30 contos.

-Mass Effect: Como conheci a série foi bem aquele namoro "que chega de mansinho". Depois do 3 ter saído, ouvia direto sobre a franquia. Li análises, ouvi comentários aparte e, mesmo não sendo um grande fã de jogos de tiro, deu uma chance comprando um item que agora é bem caro: O Trilogy pro PS3. Meu, foi só eu começar o 1º, ver aquela cena da Normandy chegando à Citadel e ler todo o Codex que me apaixonei pela série. Me apaixonei estonteantemente como o 2 virou e sinto que fechou bem a trilogia de Shepard e sua trupe. Ainda pretendo fazer a devida homenagem à série espacial, mas por enquanto fica o meu amor e respeito eplo universo fantástico criado.
Also, uma curiosidade: Além da Comandante, quais são seus personagens favoritos da trilogia?

Bom, creio que está de bom tamanho, agora que vi que falhei miseravelmente em ser breve. Caso tenhas chegado até aqui, vou lhe presentear com sugestões de jogos FODAS dessa geração que passou! Bom... pode ser que acabe jogando e não ache foda, mas vai, no mínimo, achá-los interessantes, no mínimo. Vou dar só poucos motivos, para não enrolar mais.

*Portal 1 e 2
Motivo: Além de ter puzzles GENIAIS com portais, creio que nunca amei tanto uma vilã amoral e psicopata como a GLaDOS. E nunca vais amar tanto um moron-inglês como o Wheathey no 2. Se REALMENTE ficar interessado, me diga seu ID da Steam que eu te dou o 1, que dá dando sopa aqui no meu inventário de presentes.

*Asura's Wrath
Motivo: Tenha em mente que o jogo tem um climão de anime bem classudo (sério, com direito à intro, vilhetas de comerciais, telas de CONTINUA e preview do próximo episódio, que não importa qual seja, você fica super empolgado em saber como vai ser o próximo. Além de um personagem que não só deixaria Kenshiro orgulhoso, como digno de sua lágrima mais máscula com o que ele diz no final VERDADEIRO (enquanto eu, mero mortal, chorei litros pelas suas palavras no final) que a Capcom faz questão de nós pagarmos pra ver (minto, poe ver no YT a parte IV, para não colaborar mais com seu mercenarismo). Muita gente o taxa com "o personagem mais furioso de todos os tempos", mas quando você vê o que alimenta toda a fúria dele, e o quão gente-boa ele é, não tem como não gostar dele. E, caraca, até os personagens secundários são carismáticos, mesmo com uma participação bem pequena.

*Enslaved: Odyssey to the West
Motivo: Uma leitura bem incomum e muito interessante da Jornada ao Oeste, Andy Serkis faz um show como Monkey e tem um final que ou vais odiar, ou amar, ou achar "meh". Mas, como dizia o ditado, o importante é a jornada, não o destino.

*Bayonetta
Motivo: Para mim, é a obra-prima do Hideki Kamiya, "O" designer fodão da indústria e que todos os desenvolvedores de telejogos deviam se inspirar, tanto na hora de produzir um game que não tem medo de ser o que é e como lidar com o público (agradecendo pelos elogios e mandando um belo "vai se foder" pros chupa-rolas e chorões em seu twitter. Além da Bayo ser uma personagem interessantíssima de ser analisada.

Bom, creio que já esteja bom. Se está lendo isso agradeço de coração por ter lido tudinho e, vá por mim, não vais se decepcionar ao jogar um dos jogos que listei (especialmente Asura's Wrath e Bayonetta).

Tudo de bom pra ti!

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

"Você acha que o Naruto ou qualquer outro desses persongens poderia enfrentar Son Goku?"

não Rafael e como falei, esses virariam uma massa de ossos e carne. se tivesse o Kenshiro ou Raoh de Hokuto no Ken...aí sim seria uma luta equilibrada e sinceramente...Kenshiro venceria.

e sobre o pessoal não aceitar falar mal de Gears of War, até em Metal Gear tem essa parcela de fãs....

acho MGS: Peace Walker injógavel!! não é ruim realmente, mas não parece que estou jogando um game da franquia. e ainda tem a Paz Ortega....menina escrota do caralho e quer transformar o Big Boss num pédofilo.

aí alguém fala: mas Leandro, ela tem 20 anos no jogo, ela pode dar para quem quiser, seu panguão nerd de merda!!

o que respondo:

http://static3.wikia.nocookie.net/__cb20130414102942/metalgear/images/0/02/Paz_Ortega_Andrade.jpg

se nem mesmo Kojima me fez acreditar nisso, não vai ser uns fanboys de MGS que vai me convencer do contrário. e tenho dito!!

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

quis dizer, ela parece ter 14 ou 16 anos, não 20...

e eu achava que Kojima era imune a esse tipo de coisa.

Ace Shadow disse...

Cara artigo fode pa carai sensional sebre a geração do Xbox 360 e o Ps3 realmente passou batido por mim por mas não me julgue (por falta de grana animo tempo contratempo e falta de trabalho mal que tive que reviver pois estou sem emprego de novo e por interesse em outras coisas quadrinhos ocidentais e orientais animações livros e filmes)por isso deixei passar só joguei no Xbox 360 quando fui na casa de um primo meu mas só foi uma vez então... mas vou ver se consigo um (emprego) Xbox One ou Playstation 4
e participo dessa nova geração de como ce deve

bem é só sempre quis deixar um comentário aqui aguardando o Mês das Festas

Falou !!!

loFbxj4iyJlxmxzdSJG0P2r2K8VtyY2lfRRPOxVViadwvw-- disse...

O artigo foi sensacional mas tenho que confessar e perdi a geração do Xbox 360 e o Ps3 (por falta de grana tempo e motivação e por ter me focaum pouco mais em comics mangas livros filmes animações etc ...por issso deixei passar essa geração) só joguei uma vez no Xbox 360 quando fui na cas de um primo meu mas só foi uma vez e só então... mas vou tentar arranjar (um emprego já que estou sem) um Xbox One e Playstation 4 e desfrutar da nova geração como se deve

E bem é só sempre quis comentar aqui

FALOU !!!

esperando ansioso pelo Mês das Festas

Bruno He disse...

Amer, se tu não se importa, tbm quero fazer minha lista:

Personagem mais desprezado por seus criadores: Mega Man

Sem duvida concordo contigo nesse, mesmo só tendo jogado o Mega Man X no SNES fiquei mto triste de ver q não teve nenhum grande game do mega nesses últimos 10 anos.

Empresa que mais cagou em seus consumidores: Capcom

Capcom tem feito MTA cagada nessa geração.

Sobre o DLCs, como vc mesmo disse, há casos e mais casos, não sou contra pois sem eles não teriamos um Far Cry 3 Blood Dragon ou BioShock: Burial at sea, mas q mta empresa abusa isso eh vdd.

10 conto por roupinhas extras? Ah, tomar no cu.

Game legal pro qual ninguém deu a mínima: God of War Ascension

Não joguei Kingdom por isso não posso falar nada, e embora GoW seja uma franquia bastante popular, o último não vendeu quase nada.

O q eh injusto, pois tem um bom single e o modo multiplayer eh bastante divertido, mas td mundo passou reto pq eh só mais um.

Mesma coisa pode ser dita do Batman Arkham Origins.

Game do machinho inseguro: Dark Souls/Demon's Souls

"Olha pra mim, eu consigo jogar jogos dificeis"

Título que mais abasteceu a guerra dos "istas" - Final Fantasy XIII

Não visitava fóruns de videogame na época, o q me faz pensar q tomei boas escolhas na vida pelo menos uma vez.

Game legal que todo mundo odeia: DmC Devil May Cry

Úm dos poucos acertos da Capcom.

Sobre o MK vs DC, a única coisa q incomodou um pouco foi a falta de legendas, se tivesse jogado ele anos antes não teria entendido palhufa nenhuma.

Game que prova que estamos em uma geração de moleirões: Dark Souls

Aqui tenho q concordar pq eh o único do genero q conheço.

Jogo que mais lembra os tempos do Sega CD: Heavy Rain

Não tive Sega CD e lendo o q vc escreveu sobre ele, fico feliz por isso.

Produção que prova de uma vez por todas que games são arte: The Last of Us

Sem argumentos aqui tbm, a quantidade de pessoas q compraram um PS3 só por ele eh incrivel.

Ansioso pelo DLC.

Game que ainda estaremos jogando em dez anos: Grand Theft Auto V

GTA V is the new GTA San Andreas.

Game que você vai jogar até fazer mal a sua saúde: Qualquer jogo de mundo aberto

Eh mta coisa pra fazer e eu sempre penso "só vou fazer mais isso antes de desligar o ps3".

Melhor revitalização de uma personagem que já tinha enchido o saco: Tomb Raider

Sem argumentos aqui tbm, mais um jogo do estilo antigo e provavelmente a séria entraria num hiato.

Melhor uso para uma piroca de borracha: Saints Row: The Third

Não acho q outro game tenha tal arma, talvez o Saints Row IV.

Épico mais épico: nun sei.

Sempre tive curiosidade de jogar Mass Effect, mas ai então o 3 saiu, e td mundo reclamou, e eu fiquei sabendo do final e ae então não tinha mais sentido.

Quem sabe na próxima trilogia.

Sistema de vendas digitais que deveria ser canonizado: Steam

Sem dúvida tenho mta inveja dos PC Gamers por isso, o máximo q cheguei perto de um Steam Sale foi uns descontinhos q a sony dá de vez em quando na PSN.

Game que vai sair aos 45 minutos do segundo tempo e os fãs não poderiam estar mais felizes: Castlevania Lords of Shadow 2

Ok, ok, eu sei q só vai sair em fevereiro e q lá os consoles novos ainda não vão tá mto fortificados, mas ainda assim, considerando a fanbase do jogo, eh algo arriscado.

Por causa desse jogo q decidi adiar a compra do meu PS4.

Momento mais dramático de toda a geração: Quando seu console de mais de Mil Reais quebrava

Uma vez o leitor do meu PS3 queimou, mas antes de saber disso eu achava q tinha perdido ele pra sempre e q teria q comprar outro.

Aquele dia foi uma bosta.

Mais ou menos 1 mês depois e 250 reais eu tinha ele de volta sem mais nenhum problema.

Analisando por cima, diria q essa geração foi a melhor pra mim, já q joguei mais e com um melhor entendimento da lingua inglesa, consegui aproveitar mto mais titulos.

Ancioso pela próxima geração, pelo VGX e principalmente pelo mês de festas.

Abraços Amer, vlw por voltar a atualizar com frequencia aqui.

GaminBro BR disse...

Eu sou o unico ser humano que é contra a qualquer tipo de remake desses rpgs clássicos?

sério, eu acredito que se for lançado pra essa geração, o remake não vai possuir a "magia" que o jogo tinha na epoca...

Num sei, eu posso ser um nostalgeiro bastardo... e totalmente cego, mas sou totalmente contra aos remakes...

Não consigo imaginar um remake de Chrono Cross que para mim, é o jogo definitivo da minha vida.
E muito menos consigo imaginar uma sequencia direta ou, remake de Chrono Trigger... coisa que muita gente sonha em ver.

Eu grito NÃO para os remakes desses rpgs clássicos, simplesmente porque não consigo imagina-los de forma apropriada nessas gerações.

GaminBro BR disse...

Ah, e me perdoe a falta de respeito, foi um ótimo artigo, estava ancioso para ler a sua opinião sobre os jogos dessa geração.

E só pra não perder o costume, é bom te ver de volta Amer!

Juninho! disse...

Eu fico triste é de ver o JRPG morrendo cada vez mais no ocidente e cada vez menos títulos são lançados aqui.

E eu espero MUITO que Persona 5 não seja um RPG com ação nem nada do tipo, e sim um JRPG legítimo como sempre foi e sem as pululâncias do 4 (que não o tornam necessariamente ruim) e sim o clima dark e maduro do 2.

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

"Eu fico triste é de ver o JRPG morrendo cada vez mais no ocidente e cada vez menos títulos são lançados aqui."

nada Juninho, é que a maioria desses foi tudo para o Wii. acho que tirando Final Fantasy...não lembro de mais nenhum. agora a moda é mundo aberto como Skyrim, Mass Effect ou Fallout.

Onyas Claudio disse...

http://tobemtogordo.com.br/wp-content/uploads/2013/10/Como-comprar.jpg

Juninho! disse...

Mas lançar só no Wii e morrer é a mesma coisa.

Ops...

Mas falando sério, o público é o maior responsável de não ter jogos assim, afinal perdeu-se o interesse da grande maioria, logo as vendas caíram a na Nintendo isso não acontece.

Por isso comprarei meu 3DS.

Ryu dos Brother disse...

JRPGs tão morrendo por aqui porque não aparece nenhum notório que seja bom, Final Fantasy XIII podia ter alavancado o gênero de novo assim como o VII fez na época do PS1, mas foi essa bosta que foi e aí não serviu pra nada além de reforçar o argumento dos fãs de RPGs ocidentais sobre JRPGs serem lineares.

Existem JRPGs bons nessa geração, Lost Odyssey, Xenoblade Chronicles, Resonance of Fate, Persona, The Last Story e provavelmente outros que eu no momento esqueço, mas no máximo só Xenoblade e Persona têm alguma atenção da mídia e parte do público, de 10 pessoas que eu conheço, umas 3 ou 4 conhecem a maioria desses.

Matheus Allan disse...

Amer, Nintendo não é minha praia, mas caso se interessa por titulos do Wii (como o Zelda Skyward Sword, que é um ótimo game), aconselho você adquirir um Wii U, pois pela retrocompatibilidade dele, vc pode aproveitar o melhor dos 2 consoles, eu não tenho um, mas eu não me interessaria só pelos titulos atuais dele, então poder tb adquirir os do console passado é algo muito bom pra se considerar

Matheus de Carvalho disse...

Amer, Persona 5 vai lançar no Inverno japonês de 2014 (Dezembro), logo, versão americana só em 2015 :(

Daniel R. disse...

@GaminBro BR

Não meu amigo, você definitivamente não é o único contra esses remakes.

Também acho que essa tal "magia" desapareceria. É uma ilusão achar que forma e conteúdo podem ser separadas, um jogo daquela época com gráficos diferentes ou jogabilidade reajustadas, com certeza já NÃO seria a mesma experiência. Aqueles fundos pré-renderizados de FF7 pareceriam outra coisa com a tecnologia 3D de hoje. Alguém aí já viu pedirem pra fazer remake de uma tela do Van Gogh com pincéis e pigmentos modernos?

Eu entendo que pode ser um bom negócio para as empresas, talvez investir no remake de um jogo já criado exija menos recursos do que criar algo do zero, mas não entendo muito do ponto de vista do jogador. Se alguém quer jogar um jogo antigo mas não consegue só porque seu preconceito o impede ao achar os parâmetros técnicos do original "limitados", ele já não deveria jogá-lo pra início de assunto. Isso pra não dizer de remakes como o FFX/X-2, jogos de gerações recentes impressionantes até hoje.

Também considero a hipótese de estar cego de nostalgia, mas na minha cabeça entre pedir uma atualização de uma experiência que já está ao seu alcance ou uma completamente nova, eu não pensaria duas vezes. A molecada de hoje é que tem que se deixar levar e aprender a ter prazer jogando jogos que não tenham "vídeo em 1080p" ou "áudio dighital Dolby 5.1". Assim você ainda tem a vantagem adicional de abrir as portas a uma biblioteca infinitamente maior de bons jogos antigos que jamais conseguirão ter seu remake. Estive jogando Legend of Dragoon esses dias!

Por fim, nossas opiniões batem assustadoramente mais uma vez: não gostaria de ver séries queridas revividas na geração atual. Trigger foi o melhor jogo da geração dele, Cross foi o melhor jogo da geração dele e o melhor jogo que joguei até hoje, e o mesmo teria que acontecer com a suposta continuação pra atender às (minhas) expectativas. Quem conseguiria fazer um jogo assim no mercado de games hoje? Quem quer jogar Trigger que pegue a versão do DS, o sprite do Crono está com mais carisma do que nunca. E quem quer jogar Cross deve ter na biblioteca digital pro PSP ou afins, aquela luminária acesa no CG da intro me deixa bobo até hoje.


Pra não ficar só no ódio, fica um elogio aí: o Amer está mandando muito bem como sempre!

JF disse...

Bom, eu achei TLoU bom, mas ele também não é essa coisa absurda que falam, como já comentaram aqui. Agora, gostar muito dele tudo bem, mas falar que foi ele o grande jogo que transformou jogos em arte, ai já foi de cagar no pau, em Amer...

Unknown disse...

Cara, sem Red Dead Redemption, sem credibilidade Amer... PQP!!!

Я disse...

Eu dei uma chance a Persona 4, Persona 3 FES e para a trilogia Mass Effect por causa de vossa mercê, Amer... E só posso te agradecer, foram horas e mais horas de histórias de vida e experiências inesquecíveis, e sem duvida estão no topo da minha lista dos "FAVORITOS DE TODOS OS TEMPOS".

Amer H. disse...

O blog é meu, JF. Falo o que eu quiser aqui.

E eu não disse que ele transformou os games em arte. Games são arte tem um bom tempo e TLoU é a PROVA disso.

Entendeu agora?

Marcel disse...

Amer, é muito bom ver você voltando a atualizar o seu blog. A três anos atrás, comecei a escrever em blog inspirado nos seus textos. :D

Quanto ao texto, acho que o maior ponto negativo de toda a geração foi mesmo a Capcom. Dessa vez, ela conseguiu se superar nas safadezas.

Lembro que quando ela lançou o SSFIV, ela lançou a versão tunada para o PS3 e o 360...mas cagou para os PCs, onde havia lançado a versão original do jogo. Já não bastasse chamar os consumidores que compraram o jogo original de idiotas, ainda deixam de lado uma das plataformas mais importantes dos games.

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

"Eu entendo que pode ser um bom negócio para as empresas, talvez investir no remake de um jogo já criado exija menos recursos do que criar algo do zero, mas não entendo muito do ponto de vista do jogador. Se alguém quer jogar um jogo antigo mas não consegue só porque seu preconceito o impede ao achar os parâmetros técnicos do original "limitados", ele já não deveria jogá-lo pra início de assunto."

também concordo Daniel R. e vamos combinar, nem todo remake que fizeram causou embaraço. e não me lembro ter jogado algum remake de outro game. e repito: se quiserem esse FFVII, façam que o FFXV seja um fracasso.

e é Marcel, a Capcom cagou nos Pcs e tenho agora uma politica que não compro mais nada da empresa até ela tomar algum juízo...

o que se depender dela, vai ser nunca.

Ana Beatriz disse...

Amer, que bom vê que você está com a corda toda e lançando artigos novos com tanta frequência que não dá nem tempo pra dar saudade do blog hehe Adorei o artigo, em especial a luz vermelha da morte que infelizmente se abateu sobre o Ps3 do meu namorado, que já o ressuscitou ele 2 vezes e só está prolongando a vida do coitado até comprar o Ps4. Eu sugeri a ele comprar outro Ps3, mas ele diz que com isso perderá todos os saves do jogo dele, e isso pra ele é completamente desestimulador. Pergunta de NooB mesmo: por que o save dos jogos de Ps3 e todos os outros consoles da Sony precisam ser salvos num save card e não no próprio cartucho do jogo como nos cartuchos da Nintendo?

Ps: O que você acha da Sony não ter retroatividade nos seus consoles do tipo eu tenho um Ps3 e posso jogar meus jogos de Ps2. A Nintendo tem isso e eu acho isso o máximo.

Pps: a Sony ainda não fez remake de Final Fantasy 7 por que ela está fazendo os remakes dos jogos da série por ordem cronológica e no momento acredito que esteja no IV.

JF disse...

CALMAE RAPAZ, foi só um comentário. Eu sei que o blog é seu, assim como o comentário é meu e nele eu ponho o que eu quero. Uma vez que você esta expondo a sua opinião em uma mídia completamente pública você deve estar ciente de que nem todo mundo vai concordar com você, e que elas não são obrigadas a se calarem por isso.
O post ficou muito bom, como sempre, eu só achei que TLoU não faz a mínima diferença quanto ao fato de games serem arte, é só mais um jogo (um jogo MUITO BOM, sem duvida, mas nada além disso).

Marcel disse...

Leandro, eu fui uma das pessoas que se lascou com essa palhaçada do Marvel Vs Capcom 3. Fiquei putaço com essa atitude por parte da empresa.

Tanto que hoje em dia, só vou atrás de jogo deles depois de pelo menos 1 ano após o lançamento.

GaminBro BR disse...

@Daniel R.

Poxa cara, é muito bom ver que não estou sozinho no mundo! quando eu falo esse tipo de coisa em foruns e essas coisas, geralmente sou muito criticado... muitas pessoas não conseguem compreender esse ponto de vista.

"A molecada de hoje é que tem que se deixar levar e aprender a ter prazer jogando jogos que não tenham "vídeo em 1080p" ou "áudio dighital Dolby 5.1". Assim você ainda tem a vantagem adicional de abrir as portas a uma biblioteca infinitamente maior de bons jogos antigos que jamais conseguirão ter seu remake. Estive jogando Legend of Dragoon esses dias!"

Cara, você falou tudo aqui! hoje em dia as pessoas estão muito mais exigentes, e é por causa dessa exigência que eu acredito que os remakes podem sair inferior ao conteúdo original...

Já pensaram num remake de FF VII no estilo desse Final Fantasy XV ae? eu particulamente não consigo imaginar.

Alias, Legend of Dragoon é excelente.
Eu no momento estou jogando Breath of Fire IV (e Batman Arkham Origins, joguei todos eles, tenho que jogar esse tambem), e tá sendo incrivel jogar esse jogo depois de anos, você percebe muita coisa que não percebia antes... o enredo dele é bem melhor do que eu me lembrava!

Xenogears é outro que eu tenho vontade de jogar novamente.

"E quem quer jogar Cross deve ter na biblioteca digital pro PSP ou afins, aquela luminária acesa no CG da intro me deixa bobo até hoje."

kkkkkkkkkkkk, nossa, eu sempre me emociono quando eu vejo essa abertura linda, lembro a primeira vez que a vi, fiquei paralizado com tanta beleza.

Amer H. disse...

Ana, fala pro seu namorado que ele só precisa de um Pendrive grande pra transferir todos os saves dele pra um Ps3 novo. Ele não vai perder dados.

Os jogos da Sony sempre foram em mídia de disco, CD, DVD e agora Blu-ray. Não há como salvar dados em um disco, por isso eles precisam de dispositivos de armazenamento. No caso do PS3, ele salva tudo no HD do console, como um computador faz com seus dados.

Qualquer coisa, se seu rapaz não souber fazer backup de saves do Ps3, fala pra ele procurar um tutorial na internet, que deve ter vários.

Amer H. disse...

JF, você tem todo o direito de postar suas opiniões aqui. Não tenho nada contra troca de ideias e o debate delas.

Mas dispenso comentários como "você cagou no pau". Eu falo palavrões no texto, sou extremamente agressivo com as piadas, mas sempre respondo cordialmente nos comentários e espero o mesmo tipo de cordialidade de volta.

Amer H. disse...

Ah sim, Ana. A falta de retroatividade não me incomoda, porque ainda tenho todos os meus consoles antigos aqui.

E sempre é possível comprar as versões digitais de jogos clássicos para os consoles modernos. A PSN não tem tudo que foi lançado para seus consoles anteriores, mas tem uma seleção muito boa.

JF disse...

Eu não falei "VOCÊ CAGOU NO PAU, AMER!!!!". Eu quis dizer que a coisa toda foi de cagar no pau, e eu não sei nem porque você levou uma coisa dessa a sério se foi só ironia. Anyway, desculpe se pareceu ofensivo, eu pensei que você sendo quem você é, entenderia a non seriedade dessa parte do comentário. Ótimo post e ate o próximo :)

Italo Amadeus disse...

Olá Amer, me chamo Italo, tenho 15 anos e gostaria de lhe pedir ajuda. Eu estou produzindo um jogo e gostaria de saber se você poderia me ajudar a criar um roteiro que não seja clichê, que tenha bastante comédia e drama ao mesmo tempo. Você sendo um cara bastante crítico, conhecedor dos jogos antigos e de bons RPGs poderia me ajudar bastante. O jogo seria de Beat'n up com elementos de RPG nos gráficos de Cube World, só que mais bem detalhados. Se puder ajudar, está aqui o email: italuamadeus.12@gmail.com
Gosto muito de suas postagens e seria uma honra trabalhar com você.

nenhum disse...

Só um adendo meio fora de tópico: jogos para celulares e tablets vão MUITO além de Angry Birds e Candy Crush.

Muitos jogos de todos os tipos de console foram convertidos com sucesso para celular(As versões de Sonic que foram feitas com ajuda de um fã são muito bem feitas), e há jogos bastante novos ganhando versões convincentes(Vide o House of The Dead).

Aliás, jogos como Real racing 5 batem fácil muito jogo para PS3. E mesmo jogos ditos casuais como Temple Run tem uma certa inocência, aonde um grupo pequeno de criadores consegue impor uma visão, que não existe mais para jogos de console.

Então, não só Megaman pertence sim ao Universo dos celulares, como este é um universo ideal para se ressuscitar franquias antigas, como Street Fighter, Final Fight e Golden Axe.

Fabio Fausto de Moraes disse...

Mais um grande artigo amer ja acompanho seu blog a algum tempo mas tenho uma preguiça anormal em comentar bom que seja nota 10.um abraço

Ana Beatriz disse...

Esse Team Ninja por acaso é o mesmo que faz Ninja Gaiden e o que esteve enolvido na produção de Metroid Other M?

Arqueiro disse...

putz! me sinto feliz de ter lido inteiro esse maravilhoso artigo, Amer. Que tal fazer agora suas expectativas e sonhos para a próxima geração? uheuheuhe A começar com um novo jogo do Megaman e um remake de Final Fantasy VII

Ryu dos Brother disse...

Sim, Ana Beatriz, foram eles que fizeram o Other M.

Ana Beatriz disse...

Poxa Ryu, agora me deu um calafrio na espinha. Temo que o jogo sem a supervisão direta e rigorosa que deve ter tido da Nintendo viraria algo como: Metroid: As aventuras de Samus Aran, a caçadora de recompensas mais molhadinha de toda a galáxia hehe

É inquestionável pelo que eu vi das imagens de Dead or Alive V, Other M e o último Ninja Gaiden de Wii U que a empresa tem uma técnica excelente. Já o que ela faz com essa técnica nem tanto...

Rubens Leite disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rubens Leite disse...

Obrigado por mais um post AMer, já tinha lido faz um tempo mas só tive coragem de comentar agora.

Eu joguei a maioria dos jogos falados e vou jogar os outros em breve, talvez nas férias.
Enfim, acho que faltou o Skyrim na lista, talvez você não tenha jogado (uma pena muito grande), pois o jogo é MUITO BOM e ele usa a mesma Engine de Fallout que você tanto gosta, eu inclusive, morro de vontade de joga-lo por sua causa. E sobre a Steam realente não tenho comentários, é magnífica. kkkkkk
E pro pessoal dos comentários que tá falando de remake, eu acho que um remake da série Chrono seria fantástico. Eu gosto tanto de Chrono Trigger e Chrono Cross que escolhi cursar física por causa deles. E como falei deles, vou deixar aqui meu pedido de sempre:
Um post sobre Chrono Cross no game blog seria tão bem vindo quanto promoções da Steam, Ameríssimo.

Johnny Zervinato disse...

Puxa amer na parte do console que quebra vc falou acabou johnny que medo meu nome é johnny e tenho. um 360 sera q tuh. preve. o futuro

Amer H. disse...

Não, Johnny. Foi só uma referência a Rambo mesmo.

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

"Um post sobre Chrono Cross no game blog seria tão bem vindo quanto promoções da Steam, Ameríssimo."

seria bom ver o Game Blog do Amer ressucitado. tem uma porrada de jogo que merecia ter a Analise do Amer, tanto aqueles que prometiam e quanto aqueles que não valem nem de curiosidade para testar...

vou continuar na espera.

Há! disse...

seria bom ver o Game Blog do Amer ressucitado [2]

Euclydes disse...

Olá Amer, beijos pra vc.
vou dizer, arte pra mim, em termos de game é "Shadow of The Colossus" só queria saber o que os espíritos falam o tempo topo, acho que deve ser algo como, "cê ferrou com meu mano, quero ver fazer de novo..." (...) "e de novo, e de novo...".
Agora, não gostei muito do texto desta vez, sei lá... Abraços e beijos e manda alguma de toranjas só pelos velhos tempos...

Euclydes disse...

complementando... achei que no texto faltou alguma coisa, só não sei dizer o que é... acho que, como as piadas são de jogos que a maioria não conheco, o sentido se perde.
Agora, sério: vamos marcar para tomar um café? sinto saudades (que bichice)!

Bruno Mattes disse...

É muito bom ver você de volta, Amer! Estava com muita saudade de ver artigos seus sendo publicados com frequência. Isso mostra que você está melhor, e nos deixa muito felizes. Abraços, e parabéns pelo seu trabalho! <o/

Bruno Mattes disse...

AMER! Já postei hoje, mas voltei porque me lembrei que tenho um pedido de fã pra fazer à você.
Recentemente, consegui em algum buraco negro da internet (Não me lembro onde) a série "Gárgulas" completa, pois me lembrava vagamente da história, e tive vontade de assistir novamente. Para a minha surpresa, a série é tão absurdamente boa que devorei ela em poucos dias. Estou assistindo os últimos episódios. Quero pedir um review seu, seja da série como um todo, ou do primeiro capítulo, como você faz com algumas séries, pois tenho uma vontade imensa de ler uma opinião mais detalhada de sua parte sobre essa série que considero algo ABSURDAMENTE à frente de seu tempo, e que acho que não recebeu o devido valor, pois faria mais sucesso se fosse lançada hoje em dia. Já catei no seu blog, e vi que há duas menções sobre essa série (Uma em "Desenhos Banidos", e outra em "Mulheres Animadas dos meus Sonhos"), mas gostaria demais de ler um artigo sobre esse tema DAQUELES que só você sabe fazer.
Sugestão: Gosto muito quando você chama o Edward do Twilight de Cedrico, e no momento em que bati o olho em David Xanatos, já imaginei você chamando ele de Tony Stark. lol
Estarei esperando o artigo ansiosamente. Abraço! <o/

Fabio Fausto de Moraes disse...

ótimo artigo amer como sempre.Eu odeio minecraft kkkkkkkk não vejo graça nenhuma neste jogos mas gosto não se descute achei muito interessante suas escolhas e concordo gears of war é um jogo de personagens SUPERMACHOPRACARALHO e isto o torna tão especial.

juubi o primeiro de dez disse...

Sobre Yoda e Darth Vader em Soul Calibur......

"Muito, muito tempo atrás, em uma galáxia muito distante"

O que "muito tempo atrás" você acha que significa?

Hum você parece ter se acalmado sobre a Nintendo. Eu li o seu review de Bayonetta no outro blog e você baixou o pau pra cima do Wii nos comentários quando alguém perguntou sua opinião sobre o console.

Bruno Bronze disse...

Não tive o prazer de jogar Soul Calibur 1, mas joguei o 3, o 4 e o 5. Realmente a franquia está saindo dos trilhos. Ótimo artigo Amer. Cotinue como puder.