quarta-feira, 20 de novembro de 2013

As Meninas Super Poderosas e uma lição sobre o Feminismo


Alou queridos, como vocês estão? Espero que estejam bem e fora da cadeia.

Algum tempo atrás, eu estava conversando com uma amiga (Micheli, é de você mesma que eu estou falando) sobre As Meninas Super Poderosas. Nosso bate papo era sobre como Florzinha, Lindinha e Docinho representam uma época de ouro, para todos que como nós, passavam tempo demais assistindo ao Cartoon Network depois de adultos.

Mais ainda, debatemos sobre como a série era revolucionária na sua maneira de tratar sobre feminismo. As Meninas Super Poderosas sempre fez questão de colocar suas protagonistas em posição de igualdade com outros heróis da casa. As meninas não deviam nada a um Samurai Jack ou a representantes mais modernos do canal, como Ben Tennyson ou Jake e Finn.

Durante a conversa, lembramos daquele que é um de meus episódios favoritos de toda a duração das Meninas Super Poderosas: Equal Fights. Minha amiga disse que desgostava de tal episódio, pois passava uma imagem errada do que era o feminismo.

Então... Minha amiga estava certa? Errada? Estava levemente temperada com canela e deveria ser levada ao forno em fogo brando?

Pois vamos descobrir!

Aliás... SIM, este será um artigo em que debaterei minhas opiniões sobre feminismo. Injetarei humor onde puder, mas pretendo travar uma discussão mais ou menos séria ao final do texto. Se não gostar disso, é só fechar a aba e voltar semana que vem, quando provavelmente escreverei sobre algo revoltante como anões vestidos de lagosta sendo amassados por um rolo compressor. Beleza?

E atenção, para quem nunca entrou aqui, meus artigos são recheados de ironia e o de hoje não será uma exceção. Tentem ler nas entrelinhas o que eu realmente quero dizer, antes de me acusarem de ser um machista louco. O debate sério virá somente ao final do post, ok?

Então adiante!


A CIDADE DE TOWNSVILLE!!!

Ó, que dia glorioso! Um sol brilhante nos céus, iluminando a vida de todos os bons cidadãos desta pacata metrópole!


E lá estão nossas heroínas, Lindinha, Florzinha e Docinho, prontas para mais um dia na escola.

Elas se despedem de seu pai virjão, o Professor Utônio, que pede a elas para colocarem o lixo para fora antes de irem para a aula.


E assim elas o fazem, pois são uns amores de meninas.


Na escolinha Carvalhinho, as meninas relaxam no recreio. De fato, parece que a aula de hoje é só o recreio, pois não vi ninguém abrir um livro sequer e começar a decorar a tabuada.

Bando de crianças badernistas! Em vinte anos mal vão saber ler, escrever ou contar, mas vão ficar entupindo o Facebook com mensagens de apoio a Olavo de Carvalho, má vá pá puta que pariu!

Enfim, no recreio as crianças brincam tranquilamente de queimada, amarelinha ou outras coisas divertidas de se fazer quando você não é obeso, cor de rosa e sofre bullying de todos ao redor. Eis que de repente...


... A linha de emergência toca!

OH!!!


É ninguém menos que o prefeito, que avida as meninas de que o Banco do Brasil mais próximo está sendo assaltado. Florzinha diz a ele para relaxar e não encher mais o saco, pois ela e suas irmãs logo resolverão o dilema.


E lá está o Banco do Brasil, com um buraco imenso na parede. Quem quer que o esteja assaltando, não se deu ao trabalho de tentar passar pelas portas rotatórias da agência.

Verdade seja dita, considerando o quanto essas merdas travam, não o culpo.

Pois bem, quem será o meliante desta vez? Macaco Louco? A Gangue Gangrena? O Senhor Furtado, que roubou os ferros de passar da vizinhança e jogou a culpa no Chaves?

Não! Na verdade, o criminoso de hoje é...


... Femme Fatale!!!

...

Olha, até que ela é bem gatinha pra uma animação em que todo mundo parece ter sido desenhado por vítimas de Parkinson.

Femme Fatale é uma vilã feminista! SIM! Ela tem uma vagina e se orgulha disso! Ela não teme a nenhum homem e passará por cima de toda a sociedade patriarcal para provar a força de seu poderoso útero!

SEU PODEROSO ÚTERO!!!

E como ela pretende fazer isso?


Apontando um canhão pra cara de um sujeito que claramente não pode se defender nem de um rato.

Boa.

Enfim, como todo bom assaltado, o sujeito entrega a ela todo o dinheiro que possui. Pois afinal de contas, ele quer viver para assistir a mais um episódio de The Walking Dead ao fim da noite.

Claro, The Walking Dead anda um saco, os personagens tão irritantes e a vontade de ver todos sendo comidos por zumbis para que a série chegue ao fim de uma vez fica maior a cada dia. Mas ainda assim, assistir a uma série chata ainda é uma opção melhor a ter o cérebro espalhado pelo chão por um canhão feminista.

Mas espere... O QUE É ISSO???


O caixa estava enchendo a sacola de dinheiro com notas de 100 Dólares! Notas essas que tem a cara de Benjamin Franklin impressa!

COMO OUSA??? OFENDER A UMA FEMINISTA COM DINHEIRO MACULADO PELO ROSTO DE UM HOMEM??? OBVIAMENTE ELE QUERIA NEUTRALIZAR A FORÇA DO ASSALTO FEMININO, FORÇANDO A MOÇA A CARREGAR NOTAS COM A FACE DE UM HOMEM POR AÍ!!! SÓ PODE, ANIMAL DO PATRIARCADO!!!

O quê? Você acha que o caixa deu notas de 100 Dólares para ela por serem as cédulas de maior valor que ele tinha em mãos? BAH! DESCULPA TÍPICA DO PATRIARCADO!!!

Femme Fatale quer apenas moedas com o rosto de Susan B. Anthony estampadas. Nenhum dinheiro adornado por homens é digno de sua atenção, não importa quantos apartamentos ou iates ele possa comprar.


Eis que As Meninas Super Poderosas chegam ao banco!

Femme Fatale usa de todas as suas habilidades para fugir...


... Com resultados questionáveis.


Derrotada, humilhada e sendo transportada pelo pé pela Docinho, Femme Fatale explica para as meninas que elas estão desperdiçando seu talento ao trabalhar para uma sociedade patriarcal que não dá valor algum as super-heroínas.

Lindinha explica que existem muitas heroínas legais, como a Supergirl e a Batgirl. Femme Fatale retruca que essas não passam de meras contrapartes de seus MANDANTES homens e exige que as meninas enumerem heroínas que sejam totalmente únicas e independentes de homens.

Florzinha então cita a Mulher Maravilha e...

...

... E...

Bem, ela não consegue pensar em mais ninguém.


Docinho por sua vez, fica horrorizada em constatar quão poucas heroínas mulheres existem...


... E tem um ataque de pelanca no processo.

Certo. Ok. Meninas, me acompanhem aqui.

Canário Negro, Caçadora, Oráculo, Estelar, Ravena, Viúva Negra, Gata Negra, Jean Grey, Tempestade, Lince Negra, Elektra, Poderosa, Flama, Fairchild, Emma Frost, Vixen, Gamora, Zatanna, Sue Richards, Jessica Jones, Jubileu, Lady Death, Vampirella, Psylocke, Red Sonja, Vampira, Feiticeira Escarlate, Silver Sable, Espectral, Sideral, Garota Esquilo... Eu podia passar o dia aqui citando nomes, mas acho que já me fiz entender.

Existem DEZENAS de heroínas que não são meras contrapartes de heróis masculinos já existentes, mas acho que Florzinha, Lindinha e Docinho não tem lido quadrinhos suficientes. Agora, se essas personagens tem tanto destaque quanto os homens mascarados, isso sim, é um debate que eu acho muito válido.

Só que no momento, existem questões mais importantes.


Como o fato de que Docinho deixou Femme Fatale cair e ela está a um passo de se tornar um amontoado de órgãos feministas na calçada.

Eis que...


A moça é salva por um peão de obra, que passa uma cantada de pedreiro nela.

Ok, não acho cantadas de pedreiro legais, mas se um homem a salva de se espatifar no asfalto, o mínimo que você pode fazer é tolerar uma xavecada ruim dele, não?


NUNCA!!! NEM MESMO A BEIRA DO ARMAGEDDON!!!


MORTE AO PATRIARCADO!!!


Porém, alegria de loira dura pouco e Femme Fatale é capturada mais uma vez.

Mesmo assim, ela apela ao bom senso das meninas. É inadmissível que elas esteja, fazendo todo o serviço sujo dos homens e pior ainda, que a prendam! Pois ela é a única vilã de toda Townsville e se for encarcerada, o crime da cidade estará nas mãos dos HOMENS!!!

Claro, Townsville tem Sedusa e a Princesa como vilãs, mas como elas estão na cadeia, Femme Fatale diz que elas não contam.

Ok então...


Femme Fatale encerra dizendo que nesse mundo cheio de homens opressores, as mulheres tem de cuidar umas das outras e que as meninas deveriam reavaliar a decisão de mandá-la para o xilindró.

Meninas... Pensem bem no que vão fazer...


OH NÃO!!!


OH SIM!!!

Femme Fatale está livre para aterrorizar os homens e mostrar a flacidez de suas morais chauvinistas! Sim, nenhum PROPRIETÁRIO DE PÊNIS dirá a ela o que fazer, criaturas desprezíveis e homeopáticas!!!


Se bem que eu questiono a sabedoria de se roubar apenas moedas de Susan B. Anthony. Suponhamos que Femme Fatale queira comprar um iate, como levará as moedas até o pier?

Em um caminhão, ok. E como ela vai comprar o caminhão?

Certo, ela leva as moedas em um carro. E quantos sacos cheios de rodelas de cobre ela vai precisar arrastar até a concessionária?

...

Vou parar por aqui, que a piada já perdeu a graça. Pra ser sincero, não sei nem se teve graça quando comecei.

Pois bem, e as Meninas Super Poderosas, que foi feito delas?


Estão na escola, olhando com ódio para tudo que é masculino que aparece diante delas, como bons projetinhos de Feminazi que se tornaram.

Oh sim, homens são seres revoltantes, que merecem ser todos estuprados por golfinhos e arremessados em vulcões, ENQUANTO O ESTUPRO ACONTECE!!! SIM! MALDITOS DESGRAÇADOS!!!


Olha esse moleque genérico, construindo castelinhos de areia... Todos com formato fálico. Ele não está brincando inocentemente, mas sim, ESTÁ ERGUENDO MONUMENTOS EM HOMENAGEM AO PRÓPRIO PINTO!!! OOOHHHHH, PATRIARCADO!!!


E aqueles dois meninos feios brincando com carrinhos... Como ousam??? Não sabem que carros são instrumentos de opressão criados pelos homens para subjugar as mulheres???

COMO??? EU NÃO SEI!!!

MORTE A TODOS OS HOMENS!!!


Mas o que é aquilo? Um menino brincando de queimada com a coleguinha???

NADA MAIS É QUE UMA DEMONSTRAÇÃO DE COMO ELE QUER QUE ELA AGARRE SEUS TESTÍCULOS E OS SEGURE ATÉ ELE MANDAR PARAR!!! HOMENS SÃO TODOS FILHOS DA PUTA, PENSAM SEMPRE COM AS GENITAIS, NUNCA QUE UM MENINO AGIRIA COM INOCÊNCIA NO MUNDO!!! CANALHA FALOCRATA!!!

E eis que...


... PELO AMOR DA ROSANA!!! O GAROTO JOGOU A BOLA COM MUITA FORÇA E DERRUBOU A COLEGA!!!

VEJAM A EXPRESSÃO DE DOR ABSOLUTA NO ROSTO DELA!!! O MENINO CLARAMENTE PERPETUA A CULTURA DO ESTUPRO COM SEU ATO!!!


Para o azar dele, as Meninas Super Poderosas viram tudo e assim como Jiraiya, não o perdoarão!


Elas enfiam a bola no rabo do menino até chegar a seu esôfago...


... E preparam-se para realizar exames de próstata forçados em todos os demais colegas de classe.


Os meninos restantes entram em pânico com a possibilidade de serem violados analmente por semi deusas mirins e decidem fugir para o México, para se alistarem nos cartéis do país.

Ser traficante de drogas ultra hardcore parece ser uma vida bem menos difícil do que estudar com feminazis que possuem poderes infinitos.


Mas nem todas apoiam a súbita mudança de comportamento de Florzinha e suas irmãs. A senhorita Keane mostra-se bastante preocupada com suas alunas.


Depois da aula, as meninas, ainda cheias de ódio basculante, voam até em casa. Porque andar por aí nada mais é que uma imposição da sociedade masculinista, que acha certo exigir que as mulheres caminhem com a força de suas próprias pernas... OOOOOHHHHH, COMO OUSAM!!!

Eis que o professor Utônio anuncia que já limpou toda casa, lavou roupa, fez o almoço, trocou o óleo do carro e limpou a radiação do porão. Tudo que falta agora é que as meninas limpem o próprio quarto.


E ao sugerir isso, Florzinha, Lindinha e Docinho olham para ele COM TODA A FÚRIA DO OLIMPO!!!

Boa, meninas. Bom trabalho. Era justamente disso que o professor Utônio precisava, um último golpe no pinguinho de masculinidade que possuía. Agora ele nunca vai perder a virgindade, é isso que vocês queriam? Afinal de contas, vocês não querem que ele descole uma mãe pra vocês?

Pelo amor de Gru, viu!


Enfim, as meninas decidem relaxar um pouco... Mas não abandonam o ódio recém adquirido por todas as figuras masculinas da existência. Lindinha desenha com raiva, Docinho lê com ira e Florzinha...


... Decide trazer uma dose de igualdade a sua caixa de brinquedos.


MORRA! PERPETUADOR DO PATRIARCADO!

Florzinha, eu só queria dizer que o Ken não é o namorado da Barbie, mas o amigo gay dela. E em sua fúria para punir todos os homens, você acabou tornando-se opressora de uma minoria.

Mas hey, quando se joga uma granada em uma guerra, não importa se os estilhaços atingem inocentes, não é verdade?

Certo, certo, correto?


Mas eis que os ímpetos misandro-homofóbicos de Florzinha são interrompidos, pois há uma emergência na cidade!


Aparentemente, tem uma maluca a solta, roubando toneladas de moedas de Susan B. Anthony e as meninas precisam fazer alguma coisa a respeito!


Florzinha avisa ao Prefeito que não irá mais sujar as mãos para resolver seus problemas de masculinista e que se ele voltar a telefonar, ela vai enfiar a linha de emergência tão fundo no rabo do velho, que da próxima vez que tocar, ela irá arrebentar as paredes dos seus intestinos E ASSIM ELE MORRERÁ ENVENENADO PELAS PRÓPRIAS FEEEEEEEZEEEEEEES!!!


O prefeito, obviamente cai em prantos e decide unir-se aos meninos que fugiram para o México no meio do episódio.


E Sara Bellum demonstra uma expressão de grande preocupação para com o modo que as meninas vem se comportando.

...

...

...

Linguagem corporal, gente. Não preciso olhar pro rosto dela pra perceber a preocupação nele estampado. Vão ler uns livros de vez em quando ao invés de passarem o dia todo no XVideos, por favor.


Bom, a linha de emergência toca mais uma vez na casa das meninas. Florzinha prepara o lubrificante e uma luva de borracha para cumprir a promessa feita ao prefeito...


... Quando percebe que a pessoa do outro lado da linha é a senhorita Bellum, que quer apenas conversar com ela e suas irmãs.

As Meninas Super Poderosas cancelam os planos de violar analmente um político geriátrico e voam alegremente até a prefeitura.


Mas chegando lá, deparam-se com algo que não esperavam.


Senhorita Keane e a senhorita Bellum decidem ter uma conversa "de garota para garota" com Florzinha e suas irmãs e perguntam se algo aconteceu para que elas se tornassem tão agressivas com homens de repente.


Lindinha começa, dizendo que todos os homens da cidade tratam as mulheres de forma terrível. Primeiro, ela explica que viu um menino derrubar uma garota com uma bolada na hora do recreio. A senhorita Keane, chocada, pergunta se foi de propósito... Ao que Florzinha responde que não, já que eles estavam apenas jogando queimada.

STRIKE UM!!!

Em seguida, Florzinha aponta que seu pai é um machistoide masculinista, que as deu tarefas para fazer em casa! Bellum comenta que isso de fato é injusto, obrigar as filhas a limparem toda a casa e não fazer nada ele mesmo. Nessa hora, Florzinha se corrige e lembra que seu pai normalmente faz a faxina toda sozinho e que a única coisa que ela e as irmãs precisam limpar, é o próprio quarto.

STRIKE DOIS!!!

Finalmente, Florzinha lembra do Prefeito e de seu péssimo hábito de sempre pedir as meninas que salvem a cidade de super vilões e que isso só pode ser um sinal de masculinismo. Senhorita Bellum responde, cheia de ironia, que as meninas tem toda a razão e que o prefeito deveria usar os próprios poderes infinitos para combater o mal.

STRIKE TRÊS!!! AS MENINAS ESTÃO POR FOOOOOOOOOORA!!!


Florzinha acha que tem uma última carta na manga e menciona que o mundo trata os dois gêneros com muita injustiça. Como pode? Só existe uma vilã na cidade!

Senhorita Bellum as lembra que é uma vilã que elas deixaram escapar. As meninas por suas vez, respondem que sim, pois "nós garotas temos de cuidar umas das outras."

Meninas... Vocês não vão gostar do desfecho desta conversa...


Três mulheres entram na sala e lançam olhares bastante severos sobre Florzinha, Lindinha e Docinho. Elas são respectivamente uma gerente de banco, uma policial e uma patricinha local.

A gerente pergunta: "Femme Fatale estava cuidando de mim quando roubou meu banco?"

A policial dispara: "Femme Fatale estava cuidando de mim quando quebrou meu braço?"

E a patricinha completa com: "Femme Fatale cuidou de mim quando roubou meu visual?"

...

Ok, mau exemplo. Mas dois em três até que é um bom resultado.


Após a conversa, as meninas percebem que estavam agindo errado e mostram-se bastante arrependidas. Mas as senhoritas Bellum e Keane explicam que elas estão certas em uma coisa: Existe muita injustiça no mundo.

E é por isso que as meninas tem de proteger e ajudar a TODOS.

Acho que a moral desse episódio ficou clara agora.


No dia seguinte, Femme Fatale assalta a uma convenção de colecionadores de moedas e sai com uma tonelada de Susan B. Anthony das costas, que devem atingir o fenomenal valor de mil Dólares.

...

As moedas de Susan B. Anthony são de apenas um Dólar. É o maior valor corrente para uma moeda americana, mas mesmo assim... Um Dólar...


Na rua, a vilã dá de cara com as Meninas Super Poderosas e as parabeniza pelos novos hábitos de emascular toda e quaisquer figura masculina que encontrem pela frente. Só que quando se prepara para fugir, Femme Fatale tem seu caminho bloqueado por elas.

Lindinha então pergunta: "você sequer sabe quem foi Susan B. Anthony?"

Femme Fatale gagueja, pois não faz ideia de quem é a mulher estampada em todas as moedas que tem roubado. Sem problemas, pois as meninas decidem lhe dar uma aula particular sobre o assunto.


Pois então, crianças. Susan B. Anthony (1820-1906) foi uma das mais importantes ativistas pelos movimentos civis e feministas da história norte americana. Ela pronunciou-se contra a escravidão e lutou pelos direitos das mulheres em uma época em que se manifestar por estas causas era algo extremamente impopular entre a população estadunidense.

Mas o golpe definitivo de Susan na sociedade, foi quando ela votou em 18 de novembro de 1872, numa época em que mulheres não podiam votar. Ela foi presa por um xerife local e levada a "julgamento", nada mais que uma palhaçada organizada por um juiz que queria "colocá-la em seu lugar".

No fim das contas, Susan foi declarada culpada e o juiz estipulou que ela pagasse uma multa de 100 dólares (uma fortuna para a época) algo que ela se recusou a fazer. De fato, até o fim de sua vida, ela jamais pagou um centavo sequer do que foi determinado pelo juiz. E embora tenha perdido o caso, a história toda a transformou em uma mártir da causa feminista e deu-lhe muito mais força para lutar pelos direitos das mulheres, algo que ela fez até o último dia de sua vida.

Susan B. Anthony foi uma figura histórica fascinante e recomendo a todos que pesquisem sobre ela. Comecem pelo Wikipedia, ou vocês podem fechar um pouco o XVideos e quem sabe... Abrir um livro???

Sério, leiam mais livros.


De volta ao episódio, as meninas contam a Femme Fatale toda a história de Susan B. Anthony. A vilã é pega de surpresa em seu falso feminismo e só consegue balbuciar: "Ora... Homens... Odeio... Pinto... Ruim... Patriarcado... Injustiça... Útero!"

E diante de réplica tão ininteligível, as meninas fazem aquilo em que são melhores.


ENFIAM A PORRADA EM FEMME FATALE COMO SE NÃO HOUVESSE AMANHÃ!!!


É ISSO AÍ, MIGAAAAAAAAAAA!!!


E nossa vilã oxigenada acaba na prisão, onde reclama que as listras do uniforme a fazem parecer gorda.

HA HA HA! Ora, você heim?


E MAIS UMA VEZ, O DIA FOI SALVO!!!

GRAÇAS AS MENINAS SUPER PODEROSAS!!!

PAM-PAM-PAMPAM-PAMPAM-PAAAAAAAAAAAAM!!!

Nota do Amer:


E agora, vamos a discussão séria de que falei no começo do artigo.

Pode não parecer, mas eu apoio muito a causa feminista. Eu faço minhas piadas e comentários grosseiros, mas a verdade é que amo as mulheres, fui ensinado a tratá-las com respeito e vejo que ainda existe MUITA injustiça entre os gêneros no mundo.

Vejam vocês, eu quero me casar um dia e ter uma filha. E eu ficaria de coração partido se um dia as visse passar por alguma injustiça unicamente pelo sexo delas. Diabos, eu já fico irado quando vejo amigas passarem por algum tipo de discriminação por não terem nascido com um pênis.

De fato, as coisas estão hoje muito melhores do que eram na época de Susan B. Anthony. Mas vivemos em um mundo que ainda determina qual a forma "correta" que as mulheres devem se portar no mundo. Uma garota que decida transar no primeiro encontro ainda é vista por muita gente como "uma vadia".

E honestamente, isso não deveria ser da conta de ninguém. Que se dane o que ela faz com o próprio corpo, a vida é dela. Ninguém é obrigado a gostar da conduta sexual de outra pessoa, mas ninguém tem também o direito de julgar.

Agora, se vocês me perguntarem se eu sou feminista, direi que não. Eu defendo e apoio a causa, mas não a estudo o tanto quanto considero adequado para me considerar parte dela. De fato, tudo que sei sobre Susan B. Anthony, pesquisei apenas para escrever este artigo.

"Mas se você apoia o feminismo e ama as mulheres, por que escreve piadas tão pesadas e grosseiras com elas?"

Bom gente, é porque eu acredito em igualdade.

Vocês sabem por que Isaac Hayes (o dublador do Chef) saiu de South Park pouco antes de sua morte? Foi porque ele se opôs a um episódio que fazia graça com a Cientologia. Hayes era Cientologista e reclamou que a série estava transmitindo muitas ideias erradas sobre sua religião.

Por sua vez, Trey Parker e Matt Stone, criadores de South Park, responderam que Hayes nunca teve problemas quando a animação caçoava de Católicos, Judeus, Budistas e Islâmicos, mas queria que sua fé fosse tratada de forma especial e que é aí que a intolerância e o preconceito começam.

Concordo plenamente com isso, no momento que um grupo exige tratamento especial, é quando a igualdade começa a fraquejar.

O Feminismo é uma luta pela igualdade entre os gêneros, para que as mulheres tenham o mesmo tratamento, direitos e deveres que os homens, qualquer pessoa que diga que este não é o ponto do feminismo está errada. Porque se o movimento não busca igualdade, então aquelas que lutam por ele querem apenas derrubar uma ditadura e impor outra, e se fosse isso mesmo, o movimento não seria muito diferente de algo como o Nazismo, não?

Voltando a Femme Fatale, ela tem uma postura que eu vi se multiplicar muito na internet nestes últimos anos: a da "feminista" (atenção as aspas) que luta apenas por si própria.

No episódio, Femme Fatale não é uma feminista real, ela apenas grita o nome Susan B. Anthony e usa de uma lógica torta para conseguir aquilo que quer. Ela conquista as Meninas Super Poderosas pela raiva unicamente em benefício próprio e tudo que ensina a elas é como destilarem misandria pelo mundo.

E a cada dia mais, podemos encontrar mulheres com esta mesma conduta por aí. Narcisistas completas que não possuem nenhum interesse real no feminismo ou em sua história, mas que usam a causa como uma desculpa para serem agressivas contra qualquer um que não concorde com elas ou como um escudo a ser usado toda vez que alguém prova que elas estão erradas.

Femme Fatale ensinou as meninas que misandria e feminismo são a mesma coisa. E esta é uma conduta que muitas mulheres que se dizem feministas, assumem. Afinal, é sempre mais fácil disseminar o ódio e exigir tudo de bandeja do que lutar por igualdade real. Eu poderia citar meia dúzia de blogueiras que vivem de vomitar este tipo de coisa, mas sinceramente, não quero dar ibope para as loucuras que elas escrevem.

"Mas Amer, feminismo é uma causa criada pelas mulheres e para as mulheres. Você é um homem, não tem como entender isso. Além do mais, está usando um episodio de desenho animado para justificar seu raciocínio, percebe o quanto está sendo ridículo?"

Pois bem, sabe quem escreveu o episódio sobre o qual acabei de dissertar? Foi essa moça linda aqui:


Esta é Lauren Faust, ela escreveu e produziu o storyboard do episódio Equal Fights e podemos dizer, sem exagero algum, que ela é a mulher mais influente da animação norte americana neste momento.

Como, você me pergunta? Bem, ela é apenas a responsável por...


My Little Pony: Friendship is Magic. Lauren simplesmente pegou uma licença da Hasbro que era o equivalente feminino de Transformers dentro da empresa e fez dela uma série que com certeza é uma das animações mais assistidas do mundo no momento.

E que com certeza, é muito melhor do que 90% do que já produziram com Transformers em toda a história da franquia.

Pronto, falei.

MLP é um desenho feminista, que prega a diversidade. Cada uma das pôneis tem uma habilidade diferente de suas amigas e a série ensina que não há nada de errado nisso. As meninas são ensinadas a superarem seus limites e serem as melhores que podem, naquilo que são boas. Nenhuma delas é forçada a se adequar a um padrão opressivo imposto pelo mundo.

Pessoalmente, adoro esta mensagem.

Enfim, não sou um grande estudioso de feminismo, mas tenho certeza que Lauren Faust é. E quando trabalhava com As Meninas Super Poderosas, ela fez questão de deixar clara a mensagem de que FEMINISMO NÃO É SOBRE ODIAR AQUELES QUE SÃO DIFERENTES DE VOCÊ, TAMPOUCO É UMA CARTA BRANCA PARA SE AGIR ERRADO SEM SOFRER CONSEQUÊNCIAS.

Eu concordo com ela, totalmente.

E se você discorda, bom, só posso lamentar. Pois sua conduta prejudica muito a aquelas que deveria ajudar.

Bom, por hoje é só crianças. Volto semana que vem, com algum artigo revoltante, provavelmente.

Cheers!!!

53 comentários:

Rodrigo Vinicius disse...

Isso me lembra um artigo que não tem muito haver com feminismo, mais com vaidade, mas também entra muito nessa distorção da realidade que algumas mulheres fazem:

http://covildoraposa.wordpress.com/2013/10/11/algumas-mulheres-precisam-aprender-que-nem-todo-ser-com-penis-no-mundo-quer-come-las/

Sempre discuti isso, algumas mulheres que se dizem feminista e todo esse mimimi, nunca quiseram igualdade e sim privilégios...

É só ver as leis que elas aprovam ,que dão vantagens a mulher em cima dos homens, e elas nunca estão procurando igualizar os mesmos direito (NUNCA VI uma feminista defendendo o direito de prestar serviço militar obrigatório igual os homens são obrigados a prestar), e quando questiono elas com isso, nunca sabem o que responder, só demonstram nitidamente que jamais iriam querer prestar...

Ou seja, o sexo forte se torna frágil quando lhe convêm...Em Israel existe serviço militar obrigatório pra mulheres também, e da certo...

Essas feministas desorientadas não percebem que agindo assim, vão alimentar ódio contra suas causas, e distanciar ainda mais a igualdade que é o esperado (pelo menos).

Bob Mota disse...

Ótimo artigo, parabéns. Gostei muito e concordo com você quando diz que existem "feministas" que não sabem do que se trata o real feminismo.

Tasso Evangelista disse...

É bom deixar claro que o Feminismo brasileiro é só um braço do Marxismo, aquela doutrina social podre que reduz toda a sociedade ao maniqueísmo "opressor versus oprimido". Por isso esses coletivos feministas no Brasil reunem meia dúzia de descoladas metidas a pansexuais, nem as mulheres engolem.
No dia em que essa vinculação escrota desaperecer, eu deixo de ser misógino. Por hora continuo sendo o nerd gordo frustrado que nem rela no tal "poder do patriarcado".

Tasso Evangelista disse...

Adendo: você é foda, Amer, mas as Meninas Super Poderosas são mais! Hehehe

Twero disse...

Boa!
Creio que seja o primeiro artigo seu que leio na íntegra (Aproveitando, lendo sua narração do episódio a la narrador do próprio desenho elevou o nível cômico do negócio) e achei demais!

Me lembrava bem desse episódio quando o vi (ainda criança) e o que me passava era isso mesmo: que acima de tudo é preciso lutar pela igualdade dos gêneros, mesmo em um mundo tão desigual.

Concordo com sua visão, principalmente quando disse que não se sente repreendido em falar o pensa por causa do sexo da pessoa.

Espero conseguir ter um tempo de sobra para explorar mais o seu blog! Imaginei que o artigo seria excelente, ainda mais com a pitada de zoeira na narração e sério quando precisou.

Amer H. disse...

Nem todas as feministas são assim, Tasso, mesmo no Brasil. Conheço muitas que não seguem essa "vinculação" descrita no seu comentário.

E sério, quando você segue esse papo besta de misoginia, tá sendo exatamente igual as "feministas" que eu descrevi no texto. Se importando só com o próprio umbigo e declarando ódio generalizado sem sentido.

Acho que seria ótimo, pro seu próprio bem estar, rever seus conceitos. Ao se declarar misógino, ficou claro que você não entendeu sobre a igualdade que descrevi no texto.

Unknown disse...

Bem vamos sem minha alcunha....mas ae Amer conhece a história da primeira Prefeita eleita no Brasil?

e isso antes de mulheres poderes votar?
http://www.tse.jus.br/noticias-tse/2013/Marco/semana-da-mulher-primeira-prefeita-eleita-no-brasil-foi-a-potiguar-alzira-solano

Frodo disse...

Cara, artigo com imensa qualidade, expondo sua opinião final com respeito e mostrando que coisas "bobas" como um simples desenho animado pode passar uma bela mensagem.

Mas sinceramente admiro o fato de que você dá "sua cara a tapa", tocando em assuntos delicados (que DEVEM ser discutidos, mas sempre geral alvoroço) e fazendo a pessoas pensarem nisso. Eu honestamente não tenho coragem de mexer nesse tipo de vespeiro.

Meus parabéns

Abraços!

Helio Mendes Jr ou Kamen Homer disse...

Hammer o que voce acha do Marxismo, voce o odeia ou não?

Major Glória disse...

"Elas enfiam a bola no rabo do
menino até chegar a seu esôfago..."
KKKKKKKKKKKKKKKK!!!
Achei mais engraçado por causa do close na cara do moleque.
Falando sério agora, eu acredito que nem todas as mulheres querem ser dominates. Algumas não se incomodariam em serem boas donas de casa preparando um jantar daqueles pro marido chega do trabalho. Acho que é direito delas se optarem por isso.
Infelizmente também existem mulheres machistas, que acham que homens não deveriam exercer profissões como cozinheiro, cabelereiro, etc.

Sei que é uma saia justa, mas estou curioso pela sua resposta, Amer.
O que voçê faria se sua futura filha transasse no primeiro encontro?

Bia Chun-li disse...

Vai ter gente que pode querer me bater agora.

Quem e vê postando o face sabe que eu faço críticas ao movimento feminista e ao masculinista (o pessoalzinho da Real).

Na verdade, eu tenho uma opinião pessoal sobre esses movimentos. Começaram de uma maneira nobre, cada um de acordo com a sua realidade, mas hoje, excetuando algumas pessoas que participam (independendo se concordo u não com elas), se perderam.

Me focando mais no feminismo, vejo feministas que olham mais para o próprio umbigo, que querem privilégios, que agem como verdadeiras "talebãs" quando tu não concordas com elas.

Isso quando não fingem desconhecer o próprio movimento. Eu por exemplo acompanhei discussões entre feministas pró-aborto e pró-vida. As primeiras agiam de uma forma tão cortês com as segundas, tanto quanto um nazista trata bem judeus. E ainda com afirmações de que não existe feminista pró-vida, quando eu com cinco minutos de pesquisa descubro que as cabeças do início do movimento eram pró-vida, por diversos motivos, dentre eles, pois consideravam o aborto como uma forma de opressão contra a mulher, e encontro grupos atuais pró-vida, dentre eles um que luta contra as barbáries de abortos forçados na China. E aí, "cadê a sua Deusa agora"?

Mas voltando a questão, esse episódio é um tapa na cara deste tipo de feminista, que vê opressão na própria sombra (como aquela que viu machismo - no pior sentido da palavra - na Galinha Pintadinha), que vejo aos montes por aí. Ou como chamo carinhosamente, é mais um idiota que diz lutar por uma causa.

Como disseram, o feminismo aqui é um braço do marxismo, doutrina que fez o favor de matar mais que muita guerra religiosa (agora sim vão querer me matar, pois sou formada em história xD), e já vi feministas que não seguem essa linha serem tão bem queridas quanto as pró-vida.

Como mulher, adoraria ter uma sociedade mais justa para ambos os sexos, apesar das diferenças de ambos. Mas do jeito que muitas usam do feminismo, não conto com ele para algo mais justo. E muito menos com o masculinismo, pois o que tem de machinho pregando que tudo quanto é mulher é puta, não está no gibi.

Dou o meu apoio as causas que eu concordar, sem me envolver diretamente(como contra a violência doméstica, a favor da saúde do homem, no caso dos masculinistas, etc), pois não tenho mais paciência para idiotas que usam de uma causa para destilar seu ódio.

E mais uma coisa, usar de ódio para combater ódio é burrice. É que nem certos grupos que dizem lutar contra o preconceito, usando como arma mais preconceito.

Jon_Hen disse...

Belo Artigo Amer... Bom realmente o feminismo esta sendo muito distorcido não só aqui no Brasil mas também em outros lugares (principalmente na Europa). E o pior que algumas da que se dizem feminista nos metem o pau quando ousamos discordar delas é uma pena msm. Bom eu me lembro desse capitulo e é realmente muito interessante pois pegou uma mensagem dificil para ser discutido com crianças e transformou numa mensagem no qual qualquer um entenda (e eu sempre achei essa bandida bonitinha)

Luis Paulo S.M disse...

Muito boa a matéria, Amer!!

Eu também adoro My Litlle Pony, e acho que você devia rever sobre Transformers.

Recomendo que você assista Transformers Prime, que pra mim, é a série definitiva da franquia.

Amer H. disse...

O que eu faria se minha filha transasse no primeiro encontro, Major Glória?

NADA. O corpo seria dela, a vontade também. Que faça o que preferir com ele.

Eu só conversaria com ela e a convenceria a tomar todos os cuidados do mundo pra não engravidar ou pegar uma DST.

Não estamos no século 18 para um pai decidir como deve ser a vida sexual da filha.

Avalanche Alvers disse...

Pelo menos não é o episódio tosco e forçado aonde as meninas desafiam a liga dos super-herois do mundo....

Amer H. disse...

C'mon! O episódio em que elas enfrentam a Liga dos Heróis é sensacional!

Tasso Evangelista disse...

Amer, eu preciso realmente conhecer essas mulheres, já que tudo que vejo na cidade onde vivo (Porto Alegre) são ou mulheres femi-marxistas (acham que numa sociedade patriarcal nenhum homem heterossexual é oprimido, se relacionam com homens somente se eles forem bissexuais e participam de movimentos sociais governistas) ou são mulheres machistas (se beneficiam das conquistas feministas, tratam os amigos gays como poodles, acham que sempre que um homem inicia uma conversa é para comê-las e se relacionam exclusivamente com homens machistas). E ambas são marianistas.

Acredito que seja uma coisa regional, porque sempre mantenho conversas agradáveis com cariocas e mineiras, independentemente das opiniões políticas delas. Sem contra-exemplos próximos, acho que a única forma de não ser misógino por aqui é ser um femista castrado.

Desculpe se o comentário exalou ódio (a raiz de todo preconceito), mas desfiz amizades com mulheres recentemente de formas estúpidas por decorrência destes perfis que descrevi. Foi um desabafo. A ideia de não poder falar dos seus problemas pessoais para uma amiga sem que ela te ache um bunda-mole ou um fresco é muito triste e aconteceram várias vezes comigo. Coisa que não acontece com meus amigos homens.

Amer H. disse...

Yeah. Você precisa conhecer mais gente, dude.

Use a internet. Sempre existem boas surpresas na rede.

Paulo disse...

Esse neo feminismo é revoltante. O pior de tudo é que as feministas não aceitam opiniões diferente daquilo que elas imaginam estar correto. Se você tenta expressar uma opinião contrária, você será presenteado com um Ban (se for em um sitio delas) ou verá muito ad hominen.

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

foi o post que mais gargalhei aqui, mas acho que nunca vi esse episódio das Meninas.

não sei se o SBT já o exibiu alguma vez, pois só fui ter tv a cabo um dia desses.

e sobre o Assunto...bom para ser sincero, não tenho muito o que dizer. mas as mulheres devem ter direitos iguais, mas sem odiar os homens, a raça masculina é filha da puta com as mulheres muitas vezes. mas nem todos são assim.

mas creio que a luta delas é diaria e como o Amer Mencionou uma vez:

"você pode lutar sempre todo dia, mas ainda sim, nunca vai sair vitorioso/a no fim....na maioria das vezes."

mesmo que daqui a 200 anos, espero que melhore ainda que seja pouco a vida delas, nós homens temos que protege-las e ama-las

até as bara...que não são tão bonitas...acho que isso vai soar mal

mas sobre a Mulher-Maravilha, sem ser a mulher-gato, acho que a maioria tem menos destaque mesmo, só aqueles que leem quadrinhos sabem de alguns nomes.

Vitor Rezende Viana disse...

Como diz o Donida, não há nada mais nocivo que o idiota de iniciativa...

mr.Poneis disse...

Tão deslocado quanto este comentário possa parecer... queria perguntar se o Amer está acompanhando este anime aqui...

Sekai de Ichiban Tsuyoku Naritai

Como é sobre Wrestling feminino, acredito que veria algo aqui qualquer dia desses...

Sobre a mensagem do post... talvez valha a máxima de que as pessoas devem respeitar para serem respeitadas... embora eu provavelmente não seja culto o bastante para divagar a respeito...

até mais ver
mr.poneis

Lady Strawberry disse...

Amer, eu te amo <3333 Eu já fiz parte de fóruns feministas, e sabe o que me obrigou a me distanciar dos mesmo? Pois é... "Pessoinhas" com o tipo de pensamento retardado da vilã retratada no episódio. O que acontecia era: se eu tentasse dar minha opinião, e esta não coincidisse com o que as ditas "feministas" pregavam, eu automaticamente era chamada de "mulher machista"... Pois é 'u' Bem...Eu sou totalmente CONTRA o machismo, já sofri devido ao mesmo, e apesar de não ser feminista, eu simpatizo MUITO com a causa, e adoro conhecer e trocar ideias com uma boa feminista de verdade ^^ Uma que lute pelas causas certas, e não uma dessas "feminazis" que andam brotando sabe-se-la-Deus-de-onde, ditando como outras mulheres devem agir e se elas não concordarem, são taxadas de "machistas", não merecendo serem defendidas pelo feminismo... Desse tipo de gente que quero distância ._. sério (e o mais irônico é que conheço mais gente assim do que feministas de verdade :\ é a vida...) Mas enfim, quanto ao episódio em questão, eu penso assim: As meninas super poderosas tiveram VÁRIOOOS episódios claramente CONTRA o machismo! Mm bem clássico até é aquele dos super heróis, onde eles não deixam as menininhas entrarem em sua equipe por...POR ELAS SEREM GAROTAS! O desenho em si tem várias criticas feitas de modo sútil, é um desenho bem inteligente, sempre foi um de meus favoritos por conta disso ^^ E se ele podia criticar o machismo sempre que quisesse, por que não teria direito de criticar esse "feminismo torto"?? Ora...Não é pela igualdade que as pessoas lutam? Isso pra mim é apenas um exemplo óbvio de igualdade :P E uma última coisinha... O episódio basicamente ESFREGA IGUALDADE NA CARA DO ESPECTADOR! Pelamordedeus! É preciso ser muito tapado pra não perceber isso XDDD

lucas disse...

Adoro quando os leitores pegam uma crítica a uma parcela de um grupo e generalizam para o todo.

O Amer criticou feministas misândricas, e derrepente tem mané mandando generalização do tipo "Odeio esse neofeminismo", como se todos ou mesmo a maioria fosse assim.

Vão estudar um pouco.

No mais, ótimo artigo, Amer. E devo dizer, bem mais esclarecido que o primeiro que você tinha feito.

Amer H. disse...

Yeah, eu evolui um pouco desde então.

Thiago Ladislau disse...

Duas postagens em menos de um mês cara? já é natal? Vamos ficar mal acostumados.

Ana Beatriz disse...

Caro Amer, de fato existem várias heroínas que não são a mera contra parte/extensão do seu equivalente masculino. Não que que a Super Girl ou a Batwoman não sejam o máximo, mas elas só existem por que existe o Superman e o Batman respectivamente. Aquestão é, a Mulher Maravilha foi em criada em 1941 e desde então se passados mais de 70 anos da sua criação, nenhuma outra super heroína conseguiu chegar ao primeiro escalão dos super heróis da DC Comics. Quando vemos os heróis em outras mídias como filmes, video games, desenhos a única representante feminina que está sempre presente é a MM. Eventualmente, os produtores se esforçam para promover outras super heroínas fora dos quadrinhos como a Mulher Gavião, a Canário Negro, a Super Girl, a BatGirl e em geral para por ai. Nenhuma outra super heroina conseguiu atingir o patamar de popularidade da MM. Temos outras heroínas bem populares, mas elas ainda estão muito restritas ao nicho dos leitores de quadrinhos e de desconhecimento do grande público. Quando eu penso que 70 anos depois da criação da mulher maravilha, ela permanece como a smurfette me faz pensar que ainda temos muito a avançar. Sem contar o aspecto que 100% das heroínas são mega sexualizadas para agradar o seu público masculino. Sério, não tem uma heroína com seios pequenos nos quadrinhos, e olha que eu conheço um número bom delas.

Ps: sobre a questão do dinheiro. Os rostos estampados no dinheiro dos EUA são de pessoas que se destacaram no meio político e são rostos de séculos atrás e foram escolhidos há algumas décadas. Como os direitos políticos femininos não tem tanto tempo assim logo... nada de mulheres estampando as notas. É triste pensar que nos dias de hoje as mulheres não tem tanta força política e os rostos das notas não vão mudar tão cedo.

Ps: em 2017 a Femme Fatale já poderia ir no Reino Unido roubar as tão sonhadas notas estampadas com o rosto de uma mulher, vai ser a Jane Austen. Lá os rostos nas notas são rotativos e logo mais pessoas podem ser homenageadas. Muito melhor.
http://www.shoujo-cafe.com/2013/07/e-jane-austen-vai-enfeitar-nota-de-10.html

Ps: lado bom no Brasil aqui não temos essas coisas, temos bichinhos simpáticos que nunca dão e darão problema kkk

Pando disse...

Bom artigo Amer, como sempre. Mãs, quero comentar sobre algo fora do tema... EU ACHO QUE TE VI NA FIQ!
Eu sou de BH e fui lá em todos os dias, vi pelo menos cinco dúzias de caras enormes (Como você costuma se descrever) e vi pelo menos três com esta descrição travarem na frente do Laerte. Se eu soubesse que um deles era você eu te parabenizaria pelo Blog o/

Fellipe Igor disse...

Tinha escrito um comentário imenso a respeito, mas deu pau no Blogger quando fui postar. Só queria dizer que um dos fatores que me faz curtir teu blog e ter nos favoritos é tu ser um dos poucos caras do "meio gamer" (me faltou expressão melhor) que não é um reacionário da pior espécie.

Ao menos é uma impressão que tenho, com base nos fóruns que frequentei, assim como você tem impressões de feministas que são diferentes das que eu tenho (Diria que 99% das que eu conheço são muito coerentes e de luta). Torço para que continue assim! Me representa!

Há! disse...

Uma parcela pertinente do movimento feminista está torto.
Ponto.

Essa é uma tecla batida. Já dei muito da minha opinião sobre o assunto, não creio que precise opinar mais do que já opinei.

Em vista do que já está saturados, vamos aproveitar a deixa para partir para o outro aspecto do assunto, na mesma linha.

Vamos falar sobre o masculinismo...

Há! disse...

Bem, sinceramente, sempre achei que o masculinismo consegue mais torto que o feminismo.

Alguém nos comentários citou que o masculinismo surgiu com um propósito nobre. Teve um tempo que eu estava prestes a concordar com o masculinismo, e resolvi pesquisar mais a fundo, já que a ilusão sobre "como deve ser o olhar oposto em relação a igualdade de gênero" me parecia apetitosa. E bem, não, o masculinismo não tinha propósitos essencialmente nobres. O criador do masculinismo foi um cara ofendido com as primeiras feministas (taxadas por muitos aqui como "as feministas-corretas-de-verdade,-pois-depois-delas-o-feminismo-deixou-de-ser-uma-luta-por-direitos-iguais"). Bem, ele achava que a sociedade não deveria prestar queixa a nada para com a condição das mulheres, já que o lugar delas estava certo na maneira em que se encontrava. A história de "direitos iguais" do masculinismo surge em prol da defesa contra essas mulheres feministas, que iriam sufocar e matar os homens, pois os verdeiros sofredores com a SOCIEDADE OPRESSORA são os homens, vix! (se quiser saber mais, veja na wikipédia. Não lembro o nome do criador e não faço questão de ir procurar)

Ambos foram movimentos contemporâneos e é possível entender a tendencia que cada um traz.

Pois bem, o masculinismo evoluiu muito desde então, apesar de se manter como um prisioneiro das paredes virtuais: nunca vi um movimento masculinista organizando passeatas ou propondo leis. De fato, nunca vi um masculinista ao vivo, só na internet. Alguma coisa me leva a crer que eles atuam feito os trolls: só fazem surgir sua voz na presença do escudo de uma tela e de um avatar anônimo.

Mas mesmo sem peso nenhum no tocante ao ato, o masculinismo ganhou uma força extremamente significante no que se diz em disseminar uma linha ideológica. E isso contém sim, força. Sempre questionei esses movimentos de sofá, mas a partir do momento em que você influencia alguém, rapaz, tens uma PUTA arma em mãos. Pois você pode não fazer nada a respeito, mas vai aparecer um louco que vai.

Pois verdade seja dita: as reivindicações masculinistas são, no mínimo, preocupantes.

Não só isso, mas perigosas.

Há! disse...

As reivindicações imbecis "feministas" não ultrapassam tanto a linha da inutilidade, desfiguração de conceitos e privilégios. Não vejo quase nenhuma ideia, na media do considerado deturpado, plantar um atentado REAL a identidade humana. terrorismos a vida e a liberdade, na média, são limitados no "feminismo" (o que de forma alguma serve para aumentar a moral do mesmo), na maioria das vezes, "feminismo" clama por "mulheres não deveriam de depilar!!! Fora patriarcado e ditadura da beleza!!". E outra: pedir por privilégios desfigurados é uma atitude BEM, mas BEEEEM diferente de terrorismo social.

Não da pra dizer que o mesmo acontece no masculinismo.

Enfim, para fechar, uma reflexão que eu fiz um dia: dou o meu total apoio para a discussão sobre o feminismo, afinal, não gosto de "assuntos blindados". Sempre mantive minha opinião sobre aonde o feminismo acerta e peca, assim como muitas pessoas aqui. No entanto...

Vejo poucas críticas ao masculinismo no mundo virtual em geral. Tirando quando este é tradado em locais feministas e "feministas", não vejo praticamente ninguém de fora tecer sua visão sobre o masculinismo. Já vi quase todo mundo que sigo em rede tecer sua crítica ao "feminismo", em blogs, vídeos e etc.

E nenhuma delas tecer um "a" sobre o masculinismo.

E isso é preocupante, se parar para pensar.

Há! disse...



Enfim Amer, se possível, já tentou adentrar nesse assunto? Acho que ele precisa de mais avaliação do que recebe.

Podem dar a desculpa de que, como eu falei, ele se trata de um assunto muito trancado em um ambiente, com poucas representações reais. Mas isso está longe de ser praticável: o masculinismo já tem uma rede enorme de pensantes.

Queria muito ver homens comentando sobre esse cassunto, assim como muitos homens querem ver mulheres criticando e se voltando contra as falácias do "feminismo". Da mesma forma como é válida essa critica ao pensamento pseudo-igualitário nas mulheres, também acho pertinente o contrário. Afinal, é sobre direitos iguais que estamos falando e sendo assim, todos devemos ser reféns das avaliações criticas.

Pois, só isso que eu gostaria de frisar.
Belo texto Amer! Tudo de bom para você!!
Abraços xD

Fizzo disse...

Sobre as super-heroinas, quero ser aquele cara chato que vai no blog dos outros comentar tecnicalidades imbecis.

O Cartoon Network tem parceria com a Warner, que por sua vez tem uma parceria tão forte com a DC Comics, que fez a Disney comprar a Marvel para manter a rivalidade aberta.

Por isso, o Cartoon Network nunca referencia a Marvel em qualquer hipótese. Somente a DC. O que faz com que guerra entre estúdios de animação proibissem a Florzinha de citar metade dos nomes de super-heroinas disponiveis para desmentir a Femme Fatale.


O que é claro, não impedia ela de citar a outra metade que são as super-heroinas da DC, mas isso é porque elas são menininhas na pré-escola que não lêem quadrinhos, e Teen Titans ainda não passava no Cartoon Network para elas conhecerem a Estelar e a Ravena.

Victor Luz Rodrigues disse...

Amer, você disse: "E que com certeza, é muito melhor do que 90% do que já produziram com Transformers em toda a história da franquia."
Cara... leia os quadrinhos More Than Meets The Eye, que tem saído desde 2012 ou 2011, acho, e você vai encontrar parte dos melhores 10% de Transformers. E POR FAVOR ESCREVA SOBRE ISSO UM DIA! T_T Você deve ser o brasileiro que mais escreve sobre Transformers na Internet, continue assim :)

Amer H. disse...

"Há"... Ou seja lá qual for seu nome, nunca pensei em escrever sobre o masculinismo. Principalmente porque vejo como um bando de machinhos inseguros que pelos mais variados motivos, resolveram unir-se contra o movimento feminino.

Nunca vi NENHUMA DECLARAÇÃO SÉRIA desse grupo. Se é que são um grupo. O que vejo são dúzias de frustrados declarando morte a mulheres em blogs. Provavelmente porque tomaram um fora lá na adolescência e nunca se recuperaram.

Já o feminismo é um movimento sério, mas que tem seu sentido deturpado por facções que estão interessadas apenas no auto benefício oferecido por ele. E acho justo levantar a questão sempre que a oportunidade aparece.

Então, acho que não vou debater masculinismo aqui. A menos que algo muito impactante venha dos defensores dessa "causa".

Há! disse...

Hm, saquei. Explicado e entendido ^^

O meu único problema com o masculinismo é a forma como ele se propaga.. tem muitas pessoas aderindo a ele, e pior: pessoas com mais de 20 anos. Uma coisa é um moleque birrento, outra é um adulto teoricamente formado.

Mas enfim, okay, valeu pela resposta!

bejios!

Cidão Oliveira disse...

Elmer, tu viu esse vídeo? http://www.youtube.com/watch?v=z0kyPotqOc0

Opine, pfv.

Matheus de Carvalho disse...

Amer, por favor, pare de citar o Olavo de Carvalho.

Ainda não me recuperei daquele vídeo dele tentando desmentir Einstein e Copérnico.

Ana Beatriz disse...

Para a pessoa que estava se perguntando por que os/as feministas feias, chatas e bobas não lutam pelo alistamente obrigatório só digo uma coisa: te falta informação e boa vontade para procurá-las. Vá para qualquer blog/site feminista e você verá que essa questão já foi superada a muito tempo, então se quer fazer bullying com o feminismo, procure outra questão. A postura da maioria dos sites feministas é o alistamento voluntário para ambos os sexos. Fala sério, qual é o sentido de lutar por algo compulsório e ainda mais se esse algo compulsório é num pais que não é militarizado? E mais, mulheres atualmente são proibidas de serem combatentes, qual seria o sentido do alistamento obrigatório delas? Uma das lutas atuais do feminismo é dar o direito as mulheres que queiram seguir a carreira militar possam fazê-lo e temos conseguido avanços apesar da resistência interna dos militares, que devem achar que as mulheres são muito fraquinhas e jamais conseguiriam lutar numa guerra. (Numa guerra antiga isso até poderia ser verdade, mas nas guerras atuais em que há muito mais tecnologia do que força bruta isso é questionável) Isso ai é machismo, não feminismo. Ano passado nos EUA as mulheres conseguiram o direito de serem combatentes e aqui no Brasil a Dilma já aprovou um decreto que vai possibilitar termos mulheres combatentes.Os militares pediram um tempo para se adaptar. Atualmente a matrícula de mulheres em escolas de formação de soldados como a AMAN e a ESPecX são vedadas. Enfim, o meio militar é altamente machista e isso não vai mudar tão cedo, pra se ter ideia a matrícula de mulheres no Colégio Militar sómpassou a a ser aceita depois da constituição de 1988. E aqui a notícia das boas novas da situação das mulheres que mudou não graças aos masculinistas, que aliás duvido muito que saibam dela. http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2012-10-17/exercito-brasileiro-se-prepara-para-ter-mulheres-combatentes-em-ate-cinco-anos.html

Matheus Allan disse...

http://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn2/q77/s720x720/1459289_550954571656356_1370796556_n.jpg
Apresento-les acima, os melhores cosplays de persona 4 já feitos, só rpa deixar todo mundo no clima pro genial persona 4 Dancing huahuahua

Unknown disse...

Gostei do texto, bem didático e sincero. Só achei que tu passa mesmo a impressão de que as mulheres que usam do feminismo para benefício próprio invalidam todo um movimento que tem raízes históricas bem mais profundas e atingem de forma positiva muito mais gente. Entendo que certamente não foi a intenção, e vendo os teus comentários percebo isso mais claramente, mas é justamente um ponto que pode vir a ser usado contra ti por alguma dessas pessoas =P

Nanda disse...

Ana Beatriz, obrigada pelo seu comentário! Não aguento esse argumento automático de algumas pessoas: "e o alistamento militar obrigatório?" como se isso não fosse um exemplo de machismo...

Quero dizer também, que lá na nossa constituição querida tá dizendo que o alistamento obrigatório apenas para homens é válido apenas em tempos de paz.
Ou seja, em tempos de guerra, as mulheres também tem que se apresentar.

Halley, compartilho da opinião do lucas!
Esse artigo está em outro nível, comparado ao primeiro! Que orgulho!! =*

Ryu1908 disse...

Eu não pude deixar de lembrar desse vídeo depois do post.

http://www.youtube.com/watch?v=lq-4q-n0VlU

Essas pseudo-feministas entrevistadas que nem ao menos sabem de verdade contra o que estão lutando são uma reflexão perfeita da própria Femme Fatalle. Não conhecem a história de tal movimento, não conhecem as principais pessoas por trás de tudo, mas saber que o Jean Wyllis, ou sei lá como se escreve o nome dele, veio do BBB, elas sabem direitinho.

Aquelas trabalhadoras que morreram no incêndio da fábrica devem estar se revirando em seus túmulos nesse momento.

nenhum disse...

Aliás, tive um comentário deletado num blog de uma feminista conhecida daqui quando apontei educadamente que ela se ocupava de temas triviais como os tais masculinistas(Poderia ter citado que a dita gostava da série Crepúsculo, mas não o fiz), mas que ela tinha se esquecido dos vinte anos do episódio Clarence Thomas/Anita Hill...

Amer H. disse...

Yeah, ela apaga os meus comentários também. Como apaga qualquer crítica sensata que seja feita de forma educada. Ela não pode atacar a pessoa por ser grosseira, tampouco quer ter de arranjar argumentos (que ela não tem) para um debate racional.

nenhum disse...

"Ela não pode atacar a pessoa por ser grosseira, tampouco quer ter de arranjar argumentos (que ela não tem) para um debate racional."

Esse é o ponto. Ela apaga os comentários racionais e se engaja com trolls completos(Isso explica a obsessão com os masculinistas) porque é a mesma coisa que o valentão da escola faz, que é bater nas crianças pequenas e fugir dos mais fortes.

Aliás, essas ditas feministas quando entram em debate em campo neutro com gente séria dá nisso aqui, ó:

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/o-aplicativo-lulu-finalmente-iguala-as-mulheres-aos-homens-no-que-eles-tem-de-pior/#comment-1138989601

Nanda disse...

hahahaha esse Lulu tá dando o que falar, hein??

Bem, não vi nenhuma feminista "séria" defendendo o aplicativo, inclusive a objetificação dos homens é tão combatida quanto a da mulher!

Agora, o que todo mundo concorda é que de repente os homens acharam ruim só porque estão sentindo na pele o que as mulheres passam diariamente, e isso incomoda!

Usar o argumento de que "as feministas estão se igualando no que os homens têm de pior" é tão raso!
Primeiro porque se fosse algo ruim, esses "hábitos masculinos" não duravam tanto tempo...
Segundo que, embora eu também concorde que o ideal seria os homens mudarem, nós sabemos que isso não vai acontecer enquanto não houver uma vantagem... E algumas vezes, a única forma de se mudar algo é tocar no calo que dói.
Exemplo bobo: as pessoas só passaram a usar cinto de segurança porque se não usassem levariam multa, apesar de taaaaanta campanha sobre os riscos de não se usar o cinto.

Halley, sexta feira é minha formatura!! *__*

Amer H. disse...

YAY!!! Parabéns, Nandoca!!!

Luis Paulo S.M disse...

Esse artigo me fez lembrar da Mulher Maravilha. No começo de Liga da Justiça, ela era uma amazona que desprezava os homens por eles serem uns imbecis egoístas e violentos, o que acho isso errado, mesmo que isso seja parte da cultura de seu povo.

Ela é uma GUERREIRA, e sua cultura militar não difere muito dos homens!!

Isso me lembra um episodio onde os homens da Liga foram pegos por uma praga que foi disseminado por uma antiga colega de Diana, e em um trecho, ela chega na Shayera e diz que "os homens não são essenciais em sua vida", o que faz que a princesa acabe levando uma tirada da amiga.

Luis Paulo S.M disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Paula Martins disse...

Gosto muito quando discutimos sobre feminismo de uma maneira direta, sem tabus ou escudos de desconhecimentos. Acho que alguns/algumas comentaristas já esclareceram muitos mitos e inverdades acerca do movimento, então, nesse humilde post, limito-me só a parabenizar muito o autor e compartilhar com vocês, embalando um pouco o debate do alistamento militar, do machismo latente no meio militar e afins, a história mui antiga de uma guerreira e monarca celta chamada Boadicea, que quase destruiu o Império Romano com sua tribo guerreira :3
http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/boadicea-monarca-celta-desafiou-poder-romano-destruiu-londres-729482.shtml
De novo, obrigada pelo post incrível, Amer!

Beautiful Darkness disse...

eu estava concordando até a parte do "ninguém tem direito de julgar outra pessoa" - eu concordo, com uma ressalva. Se a pessoa abrir a vida dela ao publico, como no facebook ou twitter, ela está PERMITINDO que a vida privada dela, vire, publica ! E a partir deste momento ela não tem mais como evitar que ninguém dê opinião.
Se eu vou no face e posto - "eu gosto de camisetas azuis" - eu abri essa questão ao publico, disse a todos o que eu gosto, eles não me perguntaram e não esperaram tal afirmação, eu compartilhei com eles algo e agora eles passam a ter o direito de concordar ou discordar. Se eu faço algo no meu meio privado, porque eu contaria ao publico ? a partir do momento que vc publica algo, a coisa vira publica, qualquer um pode julgar e opinião com todos os direitos possíveis.
A unica forma disso ser injustiça, é, quando você mantém aquilo pra você, e alguém descobre de alguma forma e vem te julgar, ISSO sim é errado. Pois você não abriu a sua vida pra ninguém colocar as ideias próprias, não é algo publico e você não permitiu que alguém "visse" isso. Por fim, é a unica ressalva que eu gostaria de fazer.