terça-feira, 12 de novembro de 2013

Péssimos produtos baseados em Street Fighter


Mas olha pra esse grupo de monstros aí de cima! Pelo amor de Deus, que bando de miseráveis.

Ok, o segundo Ryu da esquerda para a direita ficou bem legal e o Dhalsim também quebra um galho. Mas o resto do grupo, pelo amor de Yoshinori Ono, vocês tem coragem de aparecer em público vestidos assim?

O que é essa sapata bolachona vestida de Ryu! Se bobear, a mulher é caminhoneira e tem uma tatuagem da Nossa Senhora no biceps esquerdo. Se quer fazer cosplay, NÃO SEJA O RYU! VÁ FAZER AQUELA MINA TRONCUDA DE TOBALNº1!!!

Tobal era um grande série, pena que ninguém deu a mínima para ela.

E esse Ken de merda? Parece o namorado babaca de uma amiga minha, com esse topetinho emo jogado sobre o olho, achando que tá arrasando! Mas eu queria socar a fuça dele com um bloco de concreto!

E o Bison, com essas malditas orelhas de abano! Se jogar esse filha da puta de um prédio ele plana até o chão com tranquilidade! E tem ainda o Honda desgraçado, com essas tetas de muffin!

É, tetas de muffin! Quando o maldito tem tetas que se estendem até debaixo dos sovacos, como se fossem o topo de um muffin! Escove os dentes com uma espingarda, seu horror Lovecraftiano!!!

Eu nem vou começar a falar mal da dupla de Chun lis dessa imagem, porque não quero me irritar.

Juro, estou calminho e pululante feito um Papa-Léguas!

Ok, estou fazendo gozação com cosplayers. Mas me dêem uma folga, já deixei claro em mais de uma ocasião, o quanto adoro este hobbie e respeito aqueles que o praticam. Mas cosplay, assim como tudo no mundo, é algo que pode muito bem ser usado para se abastecer comédia.

E além do mais, peguei uma virose braba nos últimos dias. Tenho o direito de rir de tudo e de todos enquanto me recupero das evacuações que mais pareciam Meteoros de Pégaso.

Mas enfim, Street Fighter! Acho que já deu pra perceber que este será o tema do artigo de hoje.

Então, pelas últimas duas décadas, Street Fighter tem sido uma das maiores franquias do mundo. Não apenas no meio dos games, mas em praticamente todas as mídias, uma vez que Ryu e seus amigos alegres se espalharam pelo mundo como o vírus Ebola. Quadrinhos, filmes, brinquedos... Nada estava fora do alcance dos guerreiros mundiais.

Alguns dos produtos inspirados na patotinha feliz da Capcom eram espetaculares, como o filme com o Van Damme e o longa metragem animado, que foi a deixa para a produção da espetacular série Street Fighter II Victory e eventualmente, o Anime de Darkstalkers.

Infelizmente, nem tudo são rosas no mundo. E como acontece com qualquer franquia geradora de cifrões, Street Fighter acabou adornando um sem número de bostas, algumas licenciadas e outras não. E é justamente disso que irei falar hoje!

Porque eu me divirto em espalhar miséria pelos meus leitores.

Assim, acomodem-se em suas cadeiras/sofás/camas/esposas/esposos/bonecas infláveis/beagles e divirtam-se com esta enxurrada de porcarias baseadas no game de luta mais amado de todos os tempos!

Fãs de King of Fighters, eu lamento muito, mas a verdade é essa.


E já comecei com um clássico, sim senhor! A versão porca de Street Fighter II para Nintendo 8 Bits.

Vejam bem crianças, no começo dos anos 1990, nada era mais quente que Street Fighter II. Todos estavam jogando, eu você, sua mãe, sua vó e até o viadinho do Robin! Sim, perdíamos horas e mais horas de nossas vidas, além de gastarmos milhões de Cruzeiros em fichas.

Então saiu a versão de Super Nintendo, que fez a balança da guerra dos 16 bits pender um pouco para o lado do console do Mario.  Além de ter levado uma geração inteira de crianças a tirar 10 em matemática com o intuito de ganharem um Super Nintendo como recompensa no Natal.

Daí eles ganhavam um Master System. Pois seus pais não entendiam porra nenhuma de videogame, tentavam fazer uma surpresa e fracassavam miseravelmente.

Quanto as crianças que eram devidamente subornadas e sabiamente acompanhavam seus pais na hora que eles decidiam comprar o Super Nintendo, estas eram as mais invejadas da época. Pois não mais precisavam ficar em um fliperama com cheiro de sovaco o dia inteiro e agora podiam ficar no conforto de seu lar enquanto debatiam se o Ken era melhor que o Ryu, e enquanto se acostumavam que o "G" em "Guile" não significava "General".

E como um bônus, toda uma geração tornou-se perita em aplicar pausas estratégicas quando jogava com a Chun li. Milhões de pré-adolescentes aprenderam a se divertir com suas piroquinhas enquanto sonhavam com uma moça chinesa durona e pernuda.

Mas e ao resto da molecada? Aquelas cujos pais se recusavam a desembolsar mais que dez cruzeiros e uma mandioca na hora de comprar um videogame? Bem, a essas restava voltar aos fliperamas... Ou tentar adquirir a versão não-oficial de Street Fighter II para o console de 8 bits da Nintendo.

O título foi produzido pela Yoko Soft, produtora de games não oficiais que lançou uma dezena de versões alternativas de SF para o NES. Pela qualidade de seus títulos, não duvido que a empresa pertença a Yoko Ono, porque ela só fez merda na vida.

Claro, não havia uma forma do NES original reproduzir adequadamente um jogo que teve de ser construído com limitações para seu irmão de 16 bits bombado, mas sinceramente, não esperávamos receber uma bosta tão absoluta quanto essa.

Pra começar, temos apenas quatro lutadores: Ryu, Guile, Chun li e Zangief. Tem também o Bison, mas ele serve apenas como chefe final e não pode ser selecionado. Além disso, seu nome foi escrito como "Viga", porque Yoko Ono é aparentemente analfabeta..

Para quem não sabe, no Japão, os nomes dos chefes de Street Fighter foram trocados. O pugilista se chamava M.Bison, em uma paródia óbvia a Mike Tyson. A Capcom Estadunidense ficou com medo de levar um processo do pugilista e resolveu trocar os nomes de todos os vilões da história. Assim, Mike Bison virou Balrog, Balrog virou Vega, Vega virou M. Bison e o Sagat virou a Mulher do Coringa.

Achei melhor explicar. Fico triste, mas descobri que existem crianças que nunca assistiram Tiny Toons ou Freakazoid. Não duvido que nunca tenham se informado a respeito dos nomes dos chefes de Street Fighter. Geração perdida, meu Deus...

Dois fatores tornam esse jogo uma bosta. Primeiro, sua jogabilidade é horrenda, disparar um singelo Hadouken é uma tarefa possível apenas a aqueles que venderam a bunda para Satã. Além disso, cada personagem possui um ataque especial que arranca quase um terço da energia do adversário se o atingir, no caso de Ryu, o Shoryuken, no caso de Zangief, o pilão (normal, não giratório) e por aí vai.

Lógico, isso não é um problema para o computador, que dispara estes movimentos como se não houvesse amanhã e pode dizimar o jogador em segundos. Aí entramos no segundo problema, que é a dificuldade do jogo. Esta versão de Street Fighter II é RETARDADAMENTE DIFÍCIL.

Vejam bem, não tenho problema com jogos difíceis, contanto que sejam justos, Contra é difícil, mas com a devida perseverança, um jogador pode aprender a evitar os perigos do jogo e desenvolver reflexos e habilidade suficientes para terminá-lo sem perder vidas. Dito isso, Street Fighter II não é nenhum Contra. Não importa quantas horas passássemos jogando essa desgraça, nunca aprenderíamos a derrotar o computador, PORQUE ELE ERA UMA PUTINHA TRAPACEIRA QUE SE RECUSAVA A PERDER!

Terminar essa abominação não era prova de perseverança, habilidade nem nada do gênero. Mas sim de que você tinha sorte infinita e deveria tentar usá-la de forma mais proveitosa, como jogando na loteria ou tentando conquistar a Lucy Lawless.

Que foi? Lucy Lawless é linda, vá encher o saco de outro.

No geral, as adaptações da série para Nintendinho foram todas sofríveis... mas serei justo.


Street Fighter III, de uma produtora tão desconhecida que não existem informações a seu respeito, era muito legal.

Os personagens eram todos do tamanho de uma espinha, mas a jogabilidade era muito superior, os golpes especiais podiam ser usados sem que apagássemos nossas impressões digitais e quase todos os personagens do título original estavam disponíveis.

Prova que mesmo pirateiros safados podem ter amor e boa vontade quando tentam roubar uma franquia milionária.

Mas me digam, vocês conhecem a edição para preguiçosos da saga de E. Honda e Dee Jay?

Não, pois então...


... CONTEMPLEM! STREET FIGHTER ONLINE: MOUSE GENERATION!!!

O jogo foi produzido em 2008, obviamente para PC's e apenas no Japão. Sua criação ficou a cargo da Daletto, um braço que a Capcom criou ao se unir a empresa Games Arena.

Basicamente, é o que vocês estão imaginando, uma versão de Street Fighter que pode ser jogada apenas com os dois botões do Mouse, para aqueles jogadores que são preguiçosos demais para usar um controle de verdade ou que perderam oito dedos em um acidente enquanto tentavam fazer sorvete caseiro.

"Mas Amblim, isso é impossível! Tenho um controle arcade que me custou mais de Mil Reais, tem mais de 48 botões e ainda assim, eles não são suficientes para todos os combos e firulas que quero aplicar enquanto jogo! Você está mentindo e eu espero que seu cu caia e quebre, e você nunca mais possa peidar!"

Hmmm... OK. Mas você não precisa acreditar unicamente em mim. Aqui, tem um vídeo que prova que não há nada, por mais ilógico e abobado que possa parecer, que alguém no Japão não decida construir:


Agora, sejamos honestos. Pelo vídeo, não parece tão ruim, não é verdade?

EU SEI!!! Claro, é a versão preguiçosa de Street Fighter, sem sombra de dúvidas. Quando um jogo permite que qualquer um se transforme no Daigo Umehara com dois botões, não é porque seus programadores estavam pensando em disponibilizá-lo para campeonatos.

Mas, para um game que serve pra ser jogado no trabalho, nos momentos que seu chefe dá uma escapadinha pro banheiro pra assistir pornografia no celular, acho perfeitamente válido.

Bom, eu não o joguei, tampouco o farei, pois meu PC não consegue rodar games japoneses, exceto por aqueles que foram localizados não oficialmente por fãs ocidentais, como Rapelay e Sexy Beach 3... E eu não devia ter falado isso em voz alta. Seja como for, não o joguei, assim não posso falar oficialmente de seus controles. Mas pelo vídeo, parece que o mouse exerce bem a função de criar combos infinitos com mínimo esforço mental e físico.

Mas ok, tenho certeza que se procurar com afinco, vou encontrar algo para odiar neste jogo, por exemplo, o elenco de personagens.

Vejam vocês, apesar de se chamar "Street Fighter", o game tem apenas cinco personagens da franquia nele: Ryu, Ken, Chun li, Zangief e Guile. Os demais personagens vieram de outras fontes, como os livros do escritor Louis Cha, famoso por criar romances de artes marciais.

Graças a isso, temos personagens como ESTA:


Teiran, uma chinesinha mestra de kung-fu que usa uma garra mecânica como arma e...

...

Ok, vou ser sincero. Não é um design RUIM para uma personagem de game de luta. É pouco criativo, podemos até chamar de clichê, mas com certeza tem carisma suficiente para funcionar em um game como este.

E mais importante, não é ruim como O BOSTA DO RUFUS! Puta que pariu da gelatina, vai ser personagem ruim assim na casa do cacete! Se eu fizesse minha lista de piores personagens de Street Fighter hoje, o Rufus com certeza ocuparia todas as posições.

SIM! Eu odeio o Rufus mais do que a Sakura. Pra falar a verdade, minha opinião sobre a Sakura melhorou desde que comprei os pacotes de roupas extras de Street Fighter IV. A menina fica uma graça com aquele vestidinho de verão e seu gi de karatê. O que mais me irrita nela é a insistência da Capcom de fazê-la ser a "japonesinha colegial fofolete", especialmente em SF IV, quando já deve ter passado dos 30 anos.

Mas bem, nem todos os personagens deste jogo podem ser bons, correto? Aposto que seu eu procurar o bastante, descobrirei alguma bela bosta que merece ser massacrada com minha gramática impecável.

Espera... Espera.... Entre os demais membros do elenco temos Johannes Krauser II do anime Detroit Metal City??? E O XERIFE ESPACIAL GAVAN???

Sério, eles tão até listados na página do jogo no Wiki da Capcom!

OH MEU DEUS, ESTA É A MELHOR VERSÃO DE STREET FIGHTER DE TODOS OS TEMPOS!!!

DE TODOS!!!

OS TEMPOS!!!

JOUCHAKU!!!

E até agora, este artigo foi um belo fracasso. "Péssimos produtos baseados em Street Fighter" e eu falei bem de duas das três tralhas que expus aqui.

Mas beleza, acredito que vou mais do que compensar em qualidade fecal com o próximo item da lista.


VISLUMBREM!!! OS QUADRINHOS DE STREET FIGHTER DA MALIBU COMICS!!!

Oooohhhh sim, aposto que muitos de vocês se contorceram agora! Yep, essa bomba foi publicada no Brasil pela editora Escala, no começo dos anos 1990 e todos compramos. Todo fã do game que era um adolescente na época gastou seus suados dinheiros (roubados da carteira do papai alcoólatra e narcoléptico com muito custo) para adquirirem esta bosta na banca mais próxima.

Vejam bem, nesta época não havia muito desenvolvimento de personagens em Street Fighter. O máximo que tínhamos de informação sobre cada personagem, era o que vinha impresso no manual de instruções do jogo. Zangief era um louco movido a vodka que assassinava ursos em suas horas vagas, Dhalsim era um zumbi obcecado por ouro (era a versão que espalharam no pátio da minha escola) e Blanka era um monstro verde carniceiro, como todo paulistano.

E mesmo com este fiapo de informação sobre seu elenco, a Capcom e a Malibu Comics chagaram a conclusão de que era possível criar uma série dramática e memorável baseada em pessoas que arrebentam barris vazios em uma adega por nenhum motivo aparente.


A história foi escrita por um orangotango analfabeto e desenhada por um mendigo cego viciado em heroína. Porque a Malibu Comics era totalmente dedicada a cortar custos em suas produções.

A arte é horrenda, com proporções tortas, narrativa terrível e personagens que possuem TODOS A MESMA EXPRESSÃO FACIAL!!! Sério, olhe pro Ryu e pro Ken da imagem acima. Parece que são gêmeos mongoloides e que um deles decidiu usar uma peruca da Xuxa por nenhum motivo aparente.

Isso para não mencionar o quão mal caracterizados estão todos os personagens. Ryu não é o artista marcial focado e sisudo que aprendemos a amar, mas mais parece um universitário babaca pronto a desafiar os amigos para um concurso de "quem bebe mais destilados".

Ken virou uma pseudo-celebridade que nada deve aos nossos Ex-BBB's. Obcecado com auto promoção, fama, ternos dos anos 1980 e disposto até mesmo a estrelar um comercial de tubaína se isso o mantiver na televisão.

Não estou brincando, uma cena o mostra na gravação de um comercial de TUBAÍNA!!!

E a Chun li... ohhh... Chun li.

Bom, aqui ela é uma louca esquizofrênica...


... Que limpa o chão com a cara do Ryu em um momento e que no segundo seguinte, está lambendo suas amídalas com a força de um touro.

Sim, porque esta é uma maneira extremamente digna de representar uma das primeiras personagens femininas realmente fortes dos games.

E ainda digo mais, Chun li e Ryu decidiram treinar juntos? Ela, que o que mais queria era levar uma vida normal e ter uma família (que ela conseguiu em SF IV, nas figuras de Yun, Yang, Lee e todas as crianças que adotou), abandonou tudo isso pra ir treinar no cu do mundo com Ryu? E estabeleceu residência justo com o Ryu? O andarilho que não consegue ficar em um único lugar por mais tempo que três rounds de 99 segundos cada?

Mas bem, qual o enredo dessa merda? Bom, a história se passa anos após o fim do torneio SFII e cada lutador seguiu seu rumo na vida, como bem expliquei acima. O caso é que Bison é um péssimo perdedor e quer com todas as forças, forçar Ryu a lutar mais uma vez.

Por que só o Ryu? NO LO SE!!!

Assim, Bison ordena a Sagat e Balrog que espanquem Ken brutalmente e é basicamente isso que acontece durante todas as 20 páginas da edição 2. Vemos Ken Masters, o maior lutador da América e provavelmente o número 2 do mundo, sendo devastado por dois vagabundos que nunca foram um problema antes. Para colocar sal na ferida, Sagat arranca o escalpo de Ken e o envia para Ryu, que reage muito bem a saber que seu melhor amigo agora está careca.


Todos os Street Fighters ficam muito chocados com a morte de Ken e decidem unir forças porque claro. Juntos, eles decidem dar uma surra em Bison, mesmo sem existirem provas concretas de que foi ele o mandante da morte do senhor Masters.

Assim aprendemos que na dúvida, é só culpar o cara com uniforme de policial.

...

Que foi? O pessoal que frequentava fliperamas na sua região não chamava o Bison de "O Policial"? Oh bem, deve ter sido um fenômeno guarulhense então.

Mas sinceramente... Matar o Ken pra forçar Ryu a competir em um torneio de artes marciais? Sério, se um vilão quiser que Ryu apareça em sua competição, tudo que ele precisa fazer é... ANUNCIAR UMA PORRA DE CAMPEONATO!!! Ryu não é um advogado em uma grande corporação, que precisa de uma motivação absurda pra se inscrever em um evento desses, ele é literalmente, um cara que viaja pelo mundo a pé procurando gente pra brigar. NÃO É DIFÍCIL CONVENCÊ-LO A ENTRAR NUM TORNEIO DE LUTAS!!! NÃO É PRECISO ESCALPELAR SEU MELHOR AMIGO PARA ISSO!!!

Mas o plano de Bison é ainda mais retardado. O fato é que ele quer clonar (ou já clonou) todos os guerreiros do planeta e sua ambição final, era organizar um grande conflito em que cada um deles enfrentaria sua cópia maligna em um duelo definitivo entre as forças do bem e o mal.

...

Nessas horas sinto saudade de Street Fighter: A Lenda de Chun li.

...

Tá, não chega a tanto.

Mas nem tudo foi ruim nesta saga. O quadrinho da Malibu teve momentos memoráveis sensacionais, como por exemplo...


... a luta entre Honda e o Furão, um dos super-heróis da editora.

...

O Furão? Sério? Um sujeito que parece o filho ilegítimo do Aquaman com o Dentes de Sabre... Que se chama o Furão!!!  A PORRA DE UM FURÃO!!! UMA MERDA DE UM DESGRAÇADO DE UM FURÃO!!! MAS QUE PUTA QUE PARIU DO NED FLANDERS!!!

Ok, ok, ok... foi um péssimo exemplo. Admito.

Mas sabe o que é algo realmente memorável e sensacional dentro desta derrota em forma de história em quadrinhos? O Blanka lendo uma carta com óculos de vovó!


E de  repente, tudo está bem com o universo mais uma vez.


E aqui, temos um boneco do Blanka cor verde catarro. Supostamente, o boneco deve brilhar no escuro, você larga ele no sol ou próximo a alguma fonte de luz durante o dia todo e a noite, ele deve permanecer aceso, o que lhe renderá diversão por dois minutos e depois lhe causará frustração, porque ESSA PORRA DE BONECO NÃO APAGA E NÃO TE DEIXA DORMIR!!!

Acredito que esta versão do personagem deveria simular sua capacidade de causar choques elétricos. Mas sério, não dava pra fazer isso com um boneco que não pareça ter sido enfiado na bunda do Geléia?

Esse boneco de merda foi feito pela SOTA... Ou pela NECA, não sei ao certo. Ambas eram companhias que manufaturavam brinquedos caríssimos baseados em games, até onde eu sei. Eventualmente, uma das empresas comprou a outra, o que gerou revolta em milhões de nerds ao redor do mundo, que para demonstrarem sua insatisfação, continuaram comprando as figuras lançadas pela companhia que agora odiavam.

Pois é.

Enfim, não tenho certeza se foi a SOTA que comprou a NECA ou o contrário. Se alguém aí souber, vá pro inferno, não estou interessado. Parei de me preocupar com brinquedos quando parei de colecionar Transformers.

Eu parei, verdade. Estou sóbrio a mais de dois anos.


Falando em brinquedos imbecis, chegamos a isso, Rock' Em Sock' Em Robots de Street Fighter II.

Agora, eu não me lembro deste brinquedo ter sido lançado aqui no Brasil. Pode ser que alguma empresa o tenha licenciado, mas não foi durante a minha infância. Se algum de vocês teve uma tralha dessas quando era criança, pode me confirmar se ela chegou em nosso país?

Para quem nunca ouviu falar de Rock'N Sock' Em Robots, é provavelmente um dos mais maçantes conceitos já idealizados para um brinquedo. Temos dois robôs em um ringue de plástico, que trocam socos até que um deles tenha a cabeça e a coluna vertebral deslocada.

Contemplem:


O vídeo tem só 40 segundos, mas parece que leva oito anos pra terminar. E sinto como se estivesse sendo enrabado por um negão vestido de Sérgio Mallandro que fica cantando "CO-NHE-CI! UM CAPETA EM FORMA DE GURI!" nesse meio tempo.

Rock' Em Sock' Em Robots é um daqueles brinquedos que parece extremamente divertido em seu comercial, mas que mostra-se capaz de entreter uma criança por exatos dez minutos depois que é tirado da caixa. Depois disso, seu destino é ser desmontado por seu dono, uma prova clara de que ele falhou em sua função como instrumento de entretenimento.

Para ser mais claro, Rock' Em Sock' Em Robots é daquelas brinquedos cuja preparação para a hora da diversão era de fato mais interessante do que a brincadeira em si. Você sabe, aqueles momentos preciosos antes de começar a brincadeira, quando você posicionava todos os seus bonecos em posições estratégicas pelo quarto e começava a planeja o que cada um ia fazer? Os G.I Joes em cima da cama, os Thundercats pelo chão e o Esqueleto e seus asseclas em um caixotão de laranjas que servia como Montanha da Serpente improvisada?

E mais ainda, você ia a fundo e decidia onde cada personagem ia morrer! O Homem-Fera era posicionado no banheiro de sua base, para ser metralhado pelo Snake Eyes assim que terminasse de cagar, exatamente como Bruce Willis fez com John Travolta em Pulp Fiction! Céus, que tempo bom!

Rock' Em Sock 'Em Robots servia como adereço de brincadeiras. O menino podia posicionar todos os seus outros bonecos ao redor do ringue, fazer os vilões torcerem pelo robô vermelho, os heróis pelo azul, e antes que a luta terminasse, um mal supremo (talvez a Barbie versão Crepúsculo) atacaria a arena e forçaria He-Man e Darth Vader a unirem forças contra um inimigo em comum.

Sério, me deu vontade de desenterrar todos os meus brinquedos antigos agora.

Mas uma versão Street Fighter dessa merda não podia sequer ser usada desta forma. Por que picas Megatron e She-Ra estariam interessados em uma luta de Ryu e Guile? Robôs intergalácticos genéricos podem servir a uma multitude de improvisos, mas um militar estadunidense com péssimo corte de cabelo e um mendigo japonês não.

Ok, podemos cercá-los com figuras de outros Street Fighters, mas e daí? Por que a luta entre Ryu e Guile é tão única e importante em seu universo? Se fosse Ryu e Akuma, eu até poderia entender, seria um duelo pela alma do protagonista da série... Mas Ryu e Guile? Isso é uma terça-feira no mundo de Street Fighter.

Aliás, por que não Ryu e Ken? Eles são os protagonistas dessa porra! E quando foi que as regras do torneio mudaram? Os guerreiros mundiais agora socam um ao outro até descolarem cabeças que permanecem ligadas ao tronco unicamente pela coluna vertebral?

Olha, esse brinquedo faria bem mais sentido se fossem Johnny Cage e Sub-Zero. Claro, continuaria um conceito tão interessante como ver bambu crescer, mas estes são dois personagens que ganham a vida arrancando a cabeça (e corações, fígado e bunda) de seus amigos. Esta simples mudança tornaria este pedaço de plástico muito mais interessante.

Street Fighters não decapitam uns aos outros. Eles apenas trocam socos até vomitarem.

Lembram disso? Como em Street Fighter II, um soco forte bem aplicado fazia o adversário expelir líquido pela boca? As vezes era vermelho, representando sangue, mas outras era amarelo, que mostrava que a porrada tinha sido tão forte que havia feito o adversário decorar a rua com o almoço.

Ou seja, Street Fighter II é um game que nos permite bater em uma chinesinha adorável até ela vomitar!!! Vai ser politicamente incorreto assim na puta que pariu!


Mas calma, eu ainda não terminei de falar brinquedos ruins baseados em Ryu e seus amigos felizes. Nesta nota, apresento a vocês a coleção especial G.I JOE - STREET FIGHTER!!!

No começo da década de 1990, a franquia G.I Joe estava meio em baixa. Os bonecos militares da Hasbro costumam ter períodos em que não vendem nada, normalmente quando seu país tem um presidente democrata que não necessariamente apoia ações militares.

Hoje em dia, a Hasbro foca suas energias em Transformers e My Little Pony quando G.I Joe para de vender, mas na época, decidiram que a coisa mais inteligente a ser feita era unir forças com a Capcom e tentar faturar um troquinho com a série de games mais quente do momento.

Assim, nasceram os COMANDOS EM AÇÃO DE STREET FIGHTER II!!! Com comerciais senfafionais para tentarem impulsionar as vendas:


Só pra esclarecer, o militar abobado que aparece nos comerciais não é o Guile, mas sim o Duke. O líder loiro e de olhos azuis dos G.I Joe. Porque obviamente, os americanos não permitiriam que o exército de sua nação fosse liderado por qualquer coisa que não fosse um ariano.

A mistura de personagens pode parecer uma ideia estúpida (e é), mas do ponto de vista comercial, faz todo o sentido.

Como eu mencionei acima, Street Fighter II era a coisa mais quente do começo da década de 1990. Era o fator que unia a todos os moleques entre 10 e 12 anos. De fato, mencionar o game em uma conversa no pátio da escola era a maneira ideal de se fazer amigos. Até crianças que jamais haviam jogado o título da Capcom disparavam trívia sobre a série feito filhos da puta, na esperança de não passarem sua vida escolar sozinhos.

Foi o que aconteceu comigo. Eu não pisei em um fliperama até meus 14 anos de idade, mas sabia descrever até a renda das calcinhas da Chun li, se necessário. Isso me rendeu o fantástico número de UM AMIGO na quinta série.

E no ano seguinte, ele descobriu a masturbação e deixou de ser meu amigo... O que pode ter sido algo positivo, agora que penso a respeito.

Enfim, tentar impulsionar sua coleção de bonecos estagnados usando a franquia mais quente do momento como alavanca é uma ótima ideia... No papel. Na prática, a coisa não funcionou como a Hasbro esperava.

Mas bem, estes bonecos são uma desgraça. O molde genérico de tronco de barril e barriga de cerveja usado nos G.I Joe dos anos 1980 não é o mais adequado para representar os personagens extremamente atléticos da série da Capcom. E há algo de extremamente perturbador na ideia de um Sagat e uma Chun li que possuem o mesmo tipo físico.

E todos os personagens vinham embalados com armas. Por que os Street Fighters tinham armas? Estamos falando de pessoas que destruíam carros e muros de tijolos com os próprios punhos! O Zangief era bem capaz de aplicar pilões giratórios nos tanques dos Cobra e Guile podia disparar Sonic Booms até a vitória, ESSA GENTE NÃO PRECISA DE ARMAS!!!

Com exceção do viadinho do Vega.

Aliás, eu até posso imaginar Ryu e os demais mocinhos trampando com os Joes para salvar o mundo, mas Bison e seus capangas aliando forças aos Cobra? Não, de maneira alguma. Bison arrancaria os intestinos do Comandante Cobra pela boca e assimilaria sua organização à Shadaloo. Pouco depois, ele desbandaria o grupo, após ver que não passavam de um bando de incompetentes com máscaras cromadas e nomes engraçados.

Ele só manteria a Baronesa por perto. Porque verdade seja dita, é o que todos faríamos.

Mas esta série de brinquedos cagados teve ao menos um impacto definitivo em toda a mitologia de Street Fighter. Foi graças a ela que Ken ganhou um nome completo.

Na época que produziram esta tragédia, Capcom e Hasbro sabiam que lançar um boneco chamado simplesmente "Ken" provavelmente renderia um belo processo da Mattel, a outra grande fabricante de brinquedos e dona da linha Barbie. E se vocês bem se lembram, a boneca tem um amigo gay também chamado "Ken".

Desta forma, decidiram que o ideal seria dar um sobrenome ao lutador. A Capcom decidiu correr com a bola e até hoje, Kenneth Masters é um dos poucos personagens de toda a mitologia de Street Fighter que possui nome completo.

Agora você sabe... E SABER É METADE DA BATALHA!!!


Agora, imagine um conceito que combina muito pouco com Street Fighter II, ainda menos que Comandos em Ação. Sim, exatamente, jogos de "Acerte a Toupeira".

... Provavelmente não foi nisso que você pensou, mas pelo bem do artigo, vamos fingir que a imagem que se formou em sua mente a de um destes joguinhos. Me ajude aqui, sim?

Pois bem, "Acerte a Toupeira" são aqueles adoráveis joguinhos de fliperama, em que você pega uma marreta e tem de esmagar os cerebrozinhos de adoráveis e gorduchas toupeiras que pipocam de furos na máquina. Pois nada grita "diversão em família" como a tarefa de sacrificar pequenos animais e despertar o assassino serial dentro de seus pimpolhos.

Só que aqui, ao invés de amassar toupeiras fofinhas...


... o objetivo é amassar Bisons fofinhos!

Ou... Quase fofinhos. Sei que esse Bison largou mão da aparência, porque tá com uma papada digna daquele selvagem com tetas de muffin da imagem que usei pra abrir o artigo.

E eu queria muito... MUITO falar mal desse jogo, mas a verdade é que não me parece tão ruim. Claro que o jogo em si não combina uma vírgula com Thunder Hawk e seus amigos, mas diabos, se existem máquinas de Pinball do Kiss, qual o problema em brincar de "Acerte a Toupeira" com o Bison?

Desta forma, reafirmo o fracasso deste artigo, onde não consegui massacrar todos os produtos que afirmei no título, eram pessimamente baseados em Street Fighter. Isso demonstra como sou um profissional falho e que deveria abandonar a carreira do jornalismo de uma vez.

Ou apenas simboliza que eu não me empenhei tanto quanto podia para encontrar itens ruins inspirados em uma série de jogos de luta com 25 anos de idade. Quem nunca?


E agora entramos na área que nos faz ter muita vergonha de sermos humanos. As vezes, seria melhor se fossemos todos raposas e passássemos o dia na floresta fazendo Ring-Ding-Ding-Ding-Ding-Ding.

Deparei com esta figura peladinha da Chun li enquanto vasculhava a internet atrás de itens imbecis para o artigo. Obviamente, não é um produto licenciado, mas algo que um fã com tempo livre demais e relacionamentos com o sexo oposto de menos, criou para faturar uma graninha junto a seus semelhantes.

Uma das minhas novas políticas na vida, é tentar não julgar as pessoas. Claro, eu xingo todo mundo e seus hábitos aqui no blog, mas faço isso unicamente para gerar humor. Como eu já disse antes, sair por aí dizendo o quanto todo mundo é maravilhoso e lindo não gera boa comédia. Eu pareço um ser odioso e intolerante nos meus artigos, mas na vida real tento ser um cara bem sossegado.

Assim, sempre tento entender o que levou as pessoas a tomarem certas decisões na vida. Se eu descobrir que um amigo é obcecado em prostitutas, não vou enfiar o dedo na cara dele e agir como se minha moral fosse superior. Vou só tentar descobrir se isso o está prejudicando de alguma forma e se a resposta for positiva, tentar entender o que em sua vida o levou a se viciar em sexo.

E não estou tentando ser politicamente correto, de forma alguma. Me deixem falar um palavrão pra deixar isso claro: MERDA! MERDA SAINDO DO MEU RABO!

Pois então, esta nova filosofia é só uma forma de tentar levar a vida de forma mais pacífica, especialmente porque eu sei que não tenho todas as respostas.

Mesmo com essa postura mais zen... Devo admitir que não entendo porque picas um sujeito compraria uma miniatura de uma mulher nua. Ok, se o cara comprar uma Real Doll (aquela bonecas sexuais realistas e CARÍSSIMAS), beleza, ele quer ter relações sexuais sem as complicações de um namoro e não se importa de agarrar com um pedaço de borracha pra isso. Maravilha, manda ver campeão... Mas a miniatura de uma mulher pelada? Mas que diabos?

A Chun li da imagem tem uma vagina esculpida (que o Squirtle está cobrindo, como bom menino que é) e verdade seja dita, é uma das estatuetas mais discretas que eu vi pela rede. Algumas mostram a Chun li abrindo as pernas como se fosse uma águia esticando as asas pra alçar voo. E ninguém vai me convencer que o louco que comprou uma dessas vai colocar ela na estante e deixar lá. Não, ele vai esfregar tudo que tem nessa boneca, feito a abominação desgraçada que é!!!

E eu tou reclamando disso, por quê? Sujeito vai passar as noites de sábado em casa acariciando o peru com uma Chun li de resina, ao invés de tentar fazer isso com mulheres de verdade no metrô, ou pior, com crianças! Com mil demônios, todos vencem!

Muito bem, tarados da resina, defenderei até a morte seu direito de esfregarem os mancebos em estatuetas de personagens de games! Divirtam-se e por favor, nunca mais saiam de seus quartos com cheiro de tundra! Estarão fazendo um bem incrível ao mundo!

E agora, seguindo para o total oposto do espectro sexual...


... Afrodisíacos de Street Fighter!!!

É.

Porque quando uma pessoa pensa em dar uma trepada longa e duradoura, a primeira imagem que vem a sua mente é a da bunda musculosa do Ryu. Claro, como não?

Não encontrei muita informação a respeito deste produto, pois ele é obscuro até mesmo para os padrões da internet normal e não faço muita questão de visitar a Deep Web em busca de mais dados. Seja como for, ele se chama STREET OVERLORD, obviamente não é licenciado e ao que parece, é fabricado no Japão, mas distribuído unicamente na China. Provavelmente porque seus fabricantes querem evitar uma pica judicial da Capcom.

O afrodisíaco vem em duas variações, caramelo mastigável e em comprimidos e o usuário deve ingerir uma hora antes do sexo. Pela descrição que encontrei do Street Overlord, ele é indicado não apenas a homens, mas para mulheres também. Porque afinal, ambos os sexos merecem ter o poder de um lutador de rua dentro das calças.

Enfim, um usuário do site Tribe.net descreveu o efeito do remédio da seguinte forma: "causou sonolência duas horas após ingerido, tirei uma soneca e quando acordei, tive uma surpresa". O sujeito não especificou o quê, mas não creio que ele acordou com um travesti de dois metros ao lado dele na cama dizendo "OI PAINHO"!

ISSO, seria uma surpresa.

Dito isso, vou dizer que pelo menos a ilustração da caixa faz parecer que é o afrodisíaco mais poderoso de todos os tempos. Tão forte que fez o Ryu esperar pelado pela Chun li chegar em casa e nem sequer se deu ao trabalho de tirar a roupa da menina, arrancou a meia calça e as calcinhas da menina com a bunda e atracou nela com toda a força da gravidade. E a cara da moça não é exatamente de prazer, ela parece mais querer dizer "OH MEU DEUS, ESTÁ TOCANDO NOS MEUS PULMÕES!!!"

Eu não tenho muito mais a dizer sobre esta coisa, exceto que, se algum de vocês algum dia viajar para a CHina, pode comprar uma caixa de STREET OVERLORD e mandar pra mim?


Agora, voltemos um pouco para a Capcom e péssimas ideias que seus chefões autorizaram. Mais especificamente, uma péssima política que a prejudicou duramente nos últimos anos.

Tenho um amigo de TWO METROS com quem costumo conversar muito sobre o mercado de games e na opinião dele, a geração Xbox 360/Ps3 foi a pior de todos os tempos. Ele acha que o excesso de DLC's (conteúdo de download ou expansões de jogos, como preferir) está matando a indústria, pois nenhum jogo que compramos mais vem completo hoje em dia.

Concordo com ele em parte.

Por um lado, eu ADORO bom DLC. Por exemplo, eu comprei todas as expansões de Fallout 3 e Fallout: New Vegas. Sim, me custou uma graninha, mas todas acrescentaram novas áreas e equipamentos a seus respectivos jogos e aumentaram muito a duração dos mesmos.

Isso é, como eu falei acima, BOM DLC. O tipo que melhora a sua experiência de jogo, mas não é essencial a ela.

Mas existe também o DLC ruim, que é quando uma empresa simplesmente tenta explorar os consumidores, vendendo em separado conteúdo que já devia vir normalmente no jogo. É o caso de Total War: Rome II, que lançou um pacote de "Blood & Gore" como expansão, para tornar o jogo mais violento, quando isso deveria ser meramente uma opção já presente no disco.

Caso em questão: Street Fighter X Tekken, que em minha opinião, é um dos melhores títulos de luta de sua geração. Com boa jogabilidade, bons gráficos e um rost de personagens bem legal, tinha tudo para ser um dos marcos da era Xbox 360/Ps3.

Infelizmente, a Capcom ficou gananciosa e lançou TANTO DLC DESTE JOGO, que é quase impossível encontrar um item específico na sua lista de produtos, em uma única passada de olhos.

Mas até aí, tudo bem. Ninguém te obriga a comprar um pacote de roupas ou jóias de reforço (não pergunte) opcionais. São adereços para o perfeccionista que quer ter o jogo completo. Ok, eu posso entender.

O que eu... E acredito que o mundo inteiro não podemos entender, é que todos os personagens extras de SF X Tekken já estavam inclusos no disco. E mesmo assim, a Capcom achou justo nos cobrar uma taxa alta (no Brasil, R$ 40,00) para termos o direito de jogar com personagens pelos quais tecnicamente, JÁ HAVÍAMOS PAGO!!!

Lógico, a internet descobriu a patifaria da empresa e Street Fighter X Tekken perdeu a chance de se unir aos demais crossovers lendários da empresa, para tornar-se um dos maiores vexames de toda a sua história. De fato, todos os personagens de DLC de Tekken Tag Tournament 2 foram liberados gratuitamente para os jogadores, o que eu acredito veementemente que foi a maneira que a Namco encontrou de pedir desculpas pela cagada de sua colega.

Então, sim. Acho que DLC pode ser algo muito positivo para um game, mas a produtora deve saber controlar sua ganância para não cometer gafes como esta. Mas eu tenho certeza que a Capcom aprendeu a lição e nunca mais vai deixar a peteca cair assim.

Certo? Certo? Correto?


...

Cores extras.

Um pacote de cores extras em Street Fighter III: Third Strike.

UMA PORRA DE UMA PACOTE DE CORES EXTRAS EM UM JOGO!!!

VAI SE FODER, CAPCOM!!!

VAI SE FODER MARGOT KIDDER!!!

TOU PUTO AGORA!!! NÃO QUERO MAIS VIVER NESSE MUNDO!!! VOU ATRÁS DE PEGAR OUTRA VIROSE!!!

Cheers!!!

28 comentários:

Bia Chun-li disse...

Amer meu querido, tu só esqueceste de cometar uma coisa a respeito do SF Online. Ele foi o primeiro jogo a introduzir um personagem lutador de Taekwondo na franquia, antes da Juri (fiz um artigo sobre o cara, quando procurava material para por no site do meu esposo). Não que isso faça diferença, já que ele é tão relevante quanto o Mike de SF 1.

Ah, e eu assumo, shippo Ryu e Chun-Li!! xD Mas sou realista, é mais fácil o Bison se assumir como trans-lésbica encubada (quem saber a história dele vai entender) do que os dois ficarem juntos. xD

DENDEROTTO IG disse...

Muito bom o post, Amer, Eu realmente não conhecia 90% dessas bizarrices envolvendo o nome de Street Fighter! XD

E concordo na parte do SFxTekken, é um excelente game que tinha tudo pra ser um dos marcos dessa geração, mas a Capcom estragou tudo com essas DLCs. O game ficou tão desvalorizado que, poucos meses depois do lançamento, ele já se encontrava por 40 reais em sites de lojas do Brasil, na mesma faixa de preço de jogos como Lego Rock Band e Ben 10! O_o

Dante Alighieri disse...

E ai Amer tudo bem? Sou ã do seu blog e sempre tento acompanha-lo, realmente é muito engraçado. Se possível queria te fazer um pedido. Eu rachei de rir nos posts sobre Crespusculo, será que você não poderia fazer um do filme Pacific Rim. Queria ver a sua visão do filme. Vlw e abraço!

Amer H. disse...

Quando o filme sair em DVD, quem sabe?

Cidão Oliveira disse...

eu tive a coleção quase toda de GI-JOES do SF, mas eram diferentes dessa coleção do vídeo. Eles eram mais voltados pro que apareceu nos filmes, se nao me engano até tinha imagens do filme nas cartelas e o guile (que tinha umas 6 versões) tinha o cabelo do VanDamme

Helio Mendes Jr ou Kamen Homer disse...

Denderotto, os DLC não foram a unica coisa que estragou street fighter vs tekken,alem disso a capcom cuspiu na cara da gente( um delas em mim pelo menos) aquela versão horrenda do rockman/ megaman daquela capa nojenta do nes americano do primeiro jogo, tudo isso apos ter cancelado o legends 3, e um jogo que faria a alegria do megaman 2 fags/ alem claro de nas cenas de partes mostrando personagens e um deles ira ser a Rainbow Mika, ai ele jogaram bosta na minha face, e todos os fãs da japa rabuda tetuda e pernuda hehehh, e colocaram o urso de Tekken usando as roupas dela, alem claro Rufus com Zangief, quer ofensa maior que essas?,pelo menos para mim os DLC não foram um problema grande, e por esses motivos que passei a considerar SFXT um dos meus piores jogos de todos os tempos ao lado de King of Fighters XII, serio preferia jogar E.T do atari do que jogar essas merdas de estupro gamistico, alias amer, eu sei que boneca da Chun-li que voce estava falando, é uma das coisas que queria ter se fosse rico, é um dos malacos que comparias essas bonecas sou eu, e essa boneca dela ela toda cavaluda coisa que essa ai que voce mostrou não é, e Chun-li sem ser cavala é um saco, desculpem se ofendi alguem.

Sybellyus Paiva disse...

Tem uma HQ brasileira de Street Fighter que foi lançada nos anos 90 em que o vilão se transforma em todos os personagens da franquia, sendo o último, Bison, levando um golpe da Chun Li de toalha e caíndo de um edifício.

Pois é.

Marcus disse...

Quando vai sair os proximos posts sobre os ultimos filmes da saga crepusculo? O único lado bom dessa porcaria de serie de vampirinhos são os seus hilarios comentarios.

Marcus disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Frodo disse...

Post muito bom Amer! obrigado por me animar antes de eu ter que me ferrar no serviço!

Gostaria de fazer minha contribuição para esse post apresentando Street Fighter 2010!!!
Um jogo tipo contra futurista estrelando o Ken! e sim, é horrendo!
http://www.texturemonkey.com/HCG/blog/StreetFighter2010_(12).jpg

è só isso por hoje, se cuida!

Joao Felipe Felix disse...

hahahaha ótimo post hamer, bem eu sou novo aqui e acompanho seu blog desde o começo do ano e já li quase todos os seus posts (nunca comentei nada porque sou preguiçoso :D) e eu gostaria de sugerir um post:

qual filme é melhor: Homem Aranha (2002) ou O Espetacular Homem Aranha (2012).

(eu pessoalmente prefiro o espetacular homem aranha \o/).

Aliás foi você que me fez gostar de Transformers.

Obrigado e continue fazendo vários posts !!!

Rafael Uchida disse...

Eu literalmente me curvei na cadeira quando você me lembrou dos quadrinhos de SFII. De repente uma tormenta de emoções vieram a tona.
Tirando isso, grande artigo, Amer.

Amer, como seu fã de longa data e não usuário do Twitter, peço que pense na possibilidade de criar uma fan page na rede do Titio Mark. Assim poderemos ter mais um canal onde acompanhar seus pensamentos, postagens e loucuras nerds.

Grande abraço!

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

olha Amer, joguei bastante esse Street Fighter com 4 personagens, e nem era assim tão dificil. o jeito era pegar como cada lutador lutava e vencer em cima disso. eu zerava com os 4 personagens direto no meu NES.

e já testei esse Street Fighter 3 e mesmo com mais personagens, a diversão não era a mesma. ao menos para mim.

sobre os quadrinhos, o unico que comprei era justamente essa que a Chun-li quase engole o Ryu com a boca...quando vi isso quando criança, senti que algo estava fora do lugar. tipo, mas que porra? sem falar que aqui ela era feia bagarai.

e realmente, só valeu comprar uma pelo que tinha falado em outro post falando de Street, esse quadrinho era tão ruim que cancelaram. e não, eu não fazia pausas estratégicas com a coitada....já basta o Japão fazer atrocidades com ela....

e nem vou falar desse afrodisiaco, ou vou ficar em depressão de novo. e parece que ela esta sendo estuprada isso sim....que coisa triste......

PROVE-ME QUE ESTOU ERRADO JAPÃO...PROVE-ME!!!!!!!!!!! CACETE!!!!

e VÁ SE FODER OH GREAT!!! PUTA QUE PARIU!!!!

.............acalmei, um pouco. desculpe Amer, não era com você não. certo?

e sobre os jogos..bem, ela meio que cavou a propria cova. com as DLCs, jogos que deveriam ter um
fim a milênios, jogos que não honram seus mascotes e sem falar de muitos titulos abandonados.

Darkstalkers 4, cadê? os fãs pedem, choram e imploram e nada.

e ainda pretendem fazer um Street Fighter 5 em 2018, se a Capcom. AINDA estiver viva.

Azrael_I disse...

Amer, acompanho seu blog há tempos e só agora resolvi postar um comentário (porque o blogger é bloqueado lá no trabalho, hehe), e quero começar te elogiando e agradecendo pelos posts, é muito raro achar tanta boa informação com a quantidade certa de humor! Parabéns, cara!

Quanto ao post: realmente, como você disse, qualquer franquia de sucesso sempre vai vir acompanhada de um monte de porcaria (por mais bela que seja a bunda, uma hora ela há de cagar...), e até achei que você iria citar mais algumas como por exemplo o desenho animado americano de SFII (que era dublado aqui no Brasil pelos mesmos dubladores de SFII Victory) ou o Manhua ("mangá chinês") de SFII que, apesar de ser muito bem desenhado, tinha uma história tão viajada ou mais que a da Malibu (aliás, mais uma merda da Malibu: a Chun Li, além do Ryu, também acaba pegando o Guile na comics). Mais informações sobre o Manhua no Blog da Bia Chun-li.

Joguei bastante as versões para Nes do SFII (graças ao Turbo Game do meu primo, que além do SFIII piratão também tinha o SFII do "Viga", na caixa); é incrível, entretanto, que mesmo essas versões piratas são melhores do que a versão oficial de SFII para Master System (lançada lá por 1997).

E engraçado, eu vi em alguns sites a imagem da caixa dos afrodisíacos (sem censura, aparece tb a buça da Chun Li), dizendo que eram preservativos de Street Fighter... como na caixa está escrito "3800mgX4", acredito mesmo que sejam 4 cartelas de 3800 miligramas de afrodisíaco (sem contar que a informação do Amer é mais confiável que a Deep Web, hehe). Pra acompanhar, que tal o Teste de Gravidez dos Bad Dudes? http://www.bradycarlson.com/wp-content/uploads/2012/12/baddudes110910.jpg

45% de precisão, huahauhua!

Jonathan Ribeiro disse...

Cara,ótimo artigo,eu nunca tinha ouvido falar dessa linha de G.I. Joe com o Street,mas ao contrário de você,acho que um crossover desses dois universos poderia ficar bom(se fosse bem escrito.)
Eu cansei de jogar os jogos piratas do Street no meu Dynavision e realmente,eles tem uma dificuldade muito alta.
Em relação aos quadrinhos,eu descobri eles recentemente em um sebo perto de casa e pra mim tanto a versão americana,quanto a as histórias feitas pela própria editora Escala são duas merdas.( Sybellyus Paiva,eu tenho essa HQ que você citou,história bizarra aquela.)
Já a "action-figure" adulta da Chun-Li,despertou o Mestre Kame dentro da mim,tenho que admitir que gostaria de ter uma,(principalmente depois de procurar e achar a versão sem censura da imagem.)podem me chamar de punheteiro,eu não ligo,kkkkk. Mas agora falando sério,eu acho que tá na hora da Capcom lançar um
Street Fighter 5,quem sabe ele não sai pra esses novos consoles.

Jon_Hen disse...

Eu não queria me lembrar do quadrinho........uashsauhsauhsausahsauhsausahusahsauashsauhsausahasusahasuhsaasuashasusahsausahusaua otima postagem meu amigo sem zoas....vc vai postar no gameblog novamente??????
Ah e eu sei que vc é um grande fã de WWE vc ja viu o filme "O Lutador" ????(não sei o nome do titulo original o protagonista é o vilão do Homem de Ferro II e é um filme de drama não sei se faz o teu estilo.......

Bruno He disse...

Hilário como sempre Amer.

Sobre a última parte, q se refere aos DLCs, até me lembro q na época rolou um boicote ao jogo, a Capcom só tá fazendo cagada nessa geração, de Resident Evil e Street Fighter.

Único jogo bom foi o remake do DmC

De qualquer maneira, grande artigo, nunca tive muito contato com SF, só joguei o II e o IV, mas ainda assim valeu a lida.

Abraços cara.

L disse...

"A história foi escrita por um orangotango analfabeto e desenhada por um mendigo cego viciado em heroína." kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
D.M.C é foda demais!!!!, uma pena ter menos de 20 eps, enquanto as porcarias de Naruto e One Piece (of shit) possuem mais de 400.

juubi o primeiro de dez disse...

No final, quem faz mais porcaria com SF é a Capcom mesmo.


Major Glória disse...

Amer, leio seus artigos à muito tempo, mas nunca comentei por timidez e também um pouco de preguiça, além da minha internet não me favorecer também.
Achei seu blog por acaso, e nunca mais parei.
Parabéns por escrever tão bem sobre assuntos que você gosta pra um monte de gente desconhecida, aprendi muito com você.
Bom, não acho que você fracassou em fazer este artigo.
Você pegou um bocado de bizarrices de Street Fighter e conseguiu achar pontos positivos nelas.
Primeiro: Que bom que não tive o desprazer de ler essas HQs, isso devia ser pior que Codinome: Strike Force que eu ganhei com cinco anos e guardei até que aprendesse a ler.
Segundo: Que Chun li mais feia essa do GI Joe, principalmente comparada com a porn figure que é perfeita, sério é muito bem feito!
Terceiro: Você quer mesmo um ESTIMULANTE SEXUAL DA CHINA?! Lembre se do macarrão banhado em óleo de motor que é comida, imagine um medicamento onde existe o risco do seu pinto ficar verde e cair.
Não sei os perrengues que você passou cara, todos nós temos nossos problemas, mas não some não.
Você faz isso tudo com muito carinho, é o que eu acho.

Major Glória disse...

NOOOOOOOOOSSAAAA, O BLANKA TÁ LENDO, kkkkkkkkkkkk!!!

Lance Sonovavish disse...

Eu ainda acho os SF do GI joe fodas....e tu sabe que adoro quando todos os bonecos são na porra da mesma escala!

Lance Sonovavish disse...

Eu ainda acho os SF do GI joe fodas....e tu sabe que adoro quando todos os bonecos são na porra da mesma escala!

Floriano Pereira disse...

Ah, Malibu comics e seus quadrinhos baseados em games...
http://imageshack.com/a/img837/778/cbg7.jpg

Major Glória disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Major Glória disse...

Amer, tu conhece um jogo chamado Roller Games?
Joguei muito a versão do NES, mas tem também a de fliperama que eu descobri graças ao mame, e é bem diferente.

Twero disse...

E eu aqu iachando que Star Wars era uma franquia estrupada de produtos e mais produtos....

Tá certo, um ou outro da lista realmente não é de todo ruim, mas aquela comic faz ganhar toda a lista.

E pra suavizar as crianças: aquele não era o cabelo do Ken, o Bison só pegou a peruca de Xuxa dele, jogou ketchup e visgou o Ryu.


Agora, é u mfato consumável que a Capcom é uma emrcenária do caralho.

Fiquei puto quando comprei, todo alegre, o Marvel vs Capcom 3, comprei os DLC's e esperando que saisse mais dois persoangens quando... ressolve lanaçr o Ultimate com TUDO que eu queria ter comprado.

Mas a gota d'água foi o que ela fez com Asura's Wrath.

Primeiramente, recomendo muito, mesmo com o que a Capcom fez com este ótimo trabalho da CyberConnect 2 em fazer um legítimo "anime em forma de game".

O jogo tem umas DLC's que fazem jus ao termo: capítulos extras onde lutamos em estilo SF contra Ryu e Akuma, dois que são QTE's em estilo anime....

Mas ela me vem com a caaa de pau de me vender O FINAL VERDADEIRO como DLC,e eu tenho que PAGAR por ele!!!

O pior de tudo? É UM FINAL ÉPICO! Sérião, é um final que Keshiro derramaria uma lágrima masculina pelo que o Asura faz. Um final desse NÃO DEVIA FICAR FORA DO PRODUTO FINAL.

Isso não foi mancada, Capcom, foi um pulo de penhasco. Sua mercenária de merda.

Unknown disse...

TOBAL! Devo ser uma das sete pessoas em todo o mundo a lembrar, e ter saudade, desse jogo que era bem bacana sim...