sábado, 30 de julho de 2011

Katawa Shoujo, 4Chan e o Romance com Garotas Deficientes


*Este artigo foi postado no finado “O Outro Blog do Amer”, que eu usava unicamente pra expressar minhas opiniões. O texto foi publicado em algum momento de 2010 e certas informações já são meio desatualizadas, mas optei por não editar o texto para não sacrificar seu significado original. Divirtam-se.*

Não sei quantos de vocês estão familiarizados com o 4chan, mas é nele que nossa história começa hoje.

4chan é um fórum de internet onde as pessoas podem postar imagens e conversar a respeito dela. Logicamente, seus idealizadores tinham em mente um uso bem simples, como a criação de comunidades onde fãs de um determinado tema pudessem se encontrar e fazer amizades.

Mas como tudo na internet que depende de usuários para se manter ativo, a proposta do 4chan se tornou algo que seus criadores não seriam capazes de imaginar nem em seus maiores momentos de agonia.

Aproveitando-se da garantia do anonimato, os usuários do 4chan são conhecidos por postarem imagens e comentários inacreditavelmente cabeludos no site. Discussões sobre escatologia, pedofilia e incesto brotam a todo o momento e em qualquer lugar do site.

Por exemplo, um grupo de caras pode estar conversando sobre Dragon Ball e de repente eles começam a debater quem estupraria a Pan da forma mais violenta e humilhante. Lembremos que Pan é uma menina de uns 10 anos no desenho animado.

Não vamos esquecer que o 4chan nasceu como um fórum baseado em imagens, então não é difícil encontrar ilustrações de garotas de anime ultra sexualizadas, imagens de violência contra a mulher ou cenas simplesmente nojentas, como uma garota de anime com uniforme colegial que não conseguiu segurar uma diarréia em sala de aula.

Aliás, o 4chan é supostamente responsável por 25% do movimento da internet.

Não acredito em porcentagens que não tenham um número exato por trás delas... mas mesmo que a quantidade de usuários não chegue a tanto, ainda é gente demais que passa seu tempo debatendo sobre colegiais de anime com incontinência.

Mas verdade seja dita, não acredito que os freqüentadores deste site sejam ruins. Não todas, pelo menos. As vejo em sua maioria como idiotas que aproveitam a internet para dar vazão a coisas que não podem conversar normalmente em seu dia a dia. Todos temos pensamentos sombrios e curiosidades mórbidas, e um site onde todos são anônimos é o local perfeito para isso.

Diariamente somos julgados por nossas ações. Basta um comentário inapropriado e nossos colegas de escola ou do trabalho podem fazer julgamento errado de nosso caráter. Um amigo me advertiu a não declarar abertamente quais sites ou veículos midiáticos eu acho ruins, porque isso pode me afetar profissionalmente no futuro.

Mas na internet não existe isso. Basta conectar e após cinco minutos escolhendo um avatar e um pseudônimo, você pode declarar que se excita com a imagem de uma pilha de bebês mortos. Ninguém vai te julgar, nem o declarar um monstro, e todos esquecerão a bobagem que foi dita logo que desligarem seus computadores.

Pelo menos é o que acreditamos acontecer, mas nem sempre é o caso. E o artigo de hoje é a respeito disso.


Um usuário do site, com o pseudônimo de “Nurse-kun” e que declarava ser um enfermeiro na vida real, começou a postar sobre uma paciente que havia chegado ao hospital em que ele trabalhava. A paciente em questão era uma menina de sete anos, que havia sofrido um acidente de carro e tinha não apenas ficado órfã, como perdido as duas pernas, um braço e um olho.

Inicialmente, Nurse-kun só queria fazer o mesmo que os demais usuários: chocar. Na primeira postagem ele pediu a opinião dos demais membros do fórum se devia abusar da menina ou não caso tivesse chance. As tradicionais piadas sobre pedofilia e estupro se seguiram e a vida continuou normalmente.

Mas a história não parou por aí, Nurse-kun continuou relatando a vida da menina e sua dificuldade em adaptar-se a sua nova vida, não só ela precisava aprender a se virar com próteses, como também com as cicatrizes mentais causadas pela perda dos pais. Pra piorar as coisas, ela estava sozinha no mundo, pois não tinha parentes vivos do lado da família de seu pai e a família de sua mãe nunca aprovou o casamento e queria distância dela.

Nurse-kun se condoeu pela menina e aos poucos se aproximou dela. Tornou-se seu amigo e mostrou-a que não estava sozinha no mundo.

Eis o ponto mais chocante dessa narrativa: muitos membros do 4chan se sensibilizaram com a história e pediam a Nurse-kun que os mantivesse atualizados a respeito da menina. Muitos fizeram desenhos da garotinha, baseados na descrição de Nurse-kun e as postaram no fórum.

Eventualmente, Nurse-kun se tornou o guardião legal da menina e parou de escrever no 4chan. Hooray para um final feliz!

Verdade seja dita, alguns pontos da história fazem ela parecer a criação de uma mente muito imaginativa, a menina descrita por Nurse-kun é loirinha de olhos claros, mas com feições asiáticas, devido a miscigenação entre seu pai Nórdico e sua mãe Japonesa. Convenhamos, uma combinação que parece saída de um Anime.

E Nurse-kun errava termos médicos básicos ao falar dos ferimentos da menina, o que leva a crer que ele não é um enfermeiro real, só um sujeito com muito tempo livre e que deveria estar escrevendo roteiros para Hollywood. Sinceramente isso não importa, acho que os fins justificam os meios e os resultados desta história é que valem.

Logicamente, dado o conteúdo presente no 4chan, muitos usuários começaram a conversar sobre transas com meninas deficientes, o quanto ficavam excitados em imaginar uma menina sem pernas nem braços sendo violentada e por aí vai.

Mas eles não foram a maioria neste caso. Outros tiveram uma idéia bem mais nobre.

Um grupo de usuários do site decidiu unir-se e criar um game onde o tema seriam garotas com deficiências e a possibilidade de se namorar com elas. Nasceu Katawa Shoujo (literalmente “Meninas Deficientes”).

Basicamente, é um game ao estilo simulador de encontros, como True Love, Hitozuma Hime e diversos outros games eróticos para PC. Aqui, o jogador assume o papel de Hisao Nakai, um garoto com uma doença cardíaca grave e que é transferido para uma escola para alunos com necessidades especiais, onde ele passa a conviver com diversas garotas e pode tentar conquistar uma delas. O game ainda está em desenvolvimento, então não sei se haverão cenas de sexo explícito com as meninas.

Entre as possíveis candidatas a namorada, estão uma garota que perdeu as pernas em um acidente (assim como a menininha da história de Nurse-kun), outra que nasceu sem os braços, uma vítima de incêndio com marcas de queimaduras feias pelo corpo e pelo rosto, uma garota surda muda e uma que é cega.

O game não as trata como fracas e dependentes, pelo contrário, apesar de suas deficiências, elas são meninas normais. De fato, em muitos momentos elas ajudam o protagonista, que tem a saúde muito frágil devido a sua condição cardíaca.

A internet reagiu a tal game com a trindade patenteada de emoções do meio: repudia, apatia e aprovação. Vamos falar da repudia e da aprovação, pois a apatia não nos interessa neste caso.

Os que desgostaram da idéia viram algo errado e imoral em sexualizar garotas deficientes. Um amigo meu disse que “homens se sentem atraídos por meninas sem pernas, pois tem a impressão de que elas não podem fugir”.

O que mais percebo nos argumentos contra o jogo, é a necessidade daqueles que os proferem se passarem por pessoas nobres e com valores morais maiores e mais bem definidos do que o resto dos mortais. Claro, eles não percebem que estão sendo violentamente preconceituosos com isso.

Eu aprovo Katawa Shoujo, simplesmente porque coloca garotas deficientes no mesmo nível de todas as outras mulheres do mundo.


Um dia, já faz algum tempo, eu estava andando na rua, quando vi uma garota muito bonita.

Ela tinha um rosto glamouroso, como se fosse uma artista de cinema do passado, corpo saudável, com o visual curvilínio que tanto adoro e que é cada vez mais raro no mundo que prega anorexia como modo de vida para as mulheres. A moça também possuia seios fartos, uma característica feminina que me atrai e era alta, com pernas muito atléticas.

Só havia um porém: ela não tinha os braços. Por causa deste detalhe, devo me sentir sujo por ter passado tanto tempo admirando sua beleza?

Isso é um falso moralismo que eu sinceramente não suporto, pessoas portadoras de deficiências são tratadas com diferença pela sociedade, quando tudo que querem é ser consideradas iguais. Elas se esforçam três vezes mais que todos nós, simplesmente para conseguirem o respeito que lhes é devido. Mesmo quando nos superam em todas as áreas da vida (o que é quase sempre), ainda são vistas como coitadinhas e julgadas dignas de pena.

Houve um episódio de Família Soprano (antes da série ficar imbecil) em que o protagonista, Tony, transava com uma garota russa que não tinha uma perna. A moça era linda, parecida com Greta Garbo (de acordo com o próprio Tony), mas era bastante áspera e durona.

Em um dado momento do episódio, Tony disse que a admirava devido a sua determinação, mesmo com a deficiência. A garota respondeu cinicamente “gente como eu existe para inspirar gente como você.”

Não acho que um artista sem braços mereça mais reconhecimento que um artista que nasceu com os braços. Ambos trabalharam duro para ter reconhecimento e valorizar mais o trabalho de um por causa de sua deficiência é preconceito, puro e simples.

Do mesmo jeito, aquela garota sem braços que achei tão bonita, não deve querer ser colocada em um pedestal, como uma figura mítica que traz esperança aos desesperados. Acho que ela quer apenas se sentir normal, conhecer alguem que a ache bonita e a deseje.

Eu não veria mal em me apaixonar por uma garota que tivesse perdido as pernas, tampouco em beijá-la na frente de outras pessoas, e não me sentiria culpado em fazer amor com ela dez vezes por dia quando estivéssemos sozinhos em casa e com os hormônios a flor da pele.

Katawa Shoujo mostra que seus criadores também não vêem nenhum problema. O que demonstra que nerds reclusos que levam seu lado negro até as últimas conseqüências em um site são supostamente mais evoluídos do que boa parte da sociedade.

Um pensamento interessante, não?

Se quiser conhecer Katawa Shoujo em maiores detalhes, clique aqui. Mas se quiser ler a saga de Nurse-kun (em inglês), clique aqui.

Cheers!!!

11 comentários:

Warnius! disse...

good times!
me lembro quando li esse artigo,ainda era um leitor mais novo,foi um desses que chamou minha atenção pro blog

Warnius! disse...

ganho algum premio ou algo do tipo...por ter comentado primeiro?

Matthew disse...

Porra, o Amer posta um artigo novo bem quando eu tava comentando no último.

Leray

Matthew disse...

Concordo com tudo, mas a desocupação dos membros da 4chan sempre me impressiona.


Aliás... "Nurse-kun" é pra foder, né? AHAUAHAUAUAHUAHAUAHUAHAUAUAHAUA

E de boa, se o cara inventou isso mesmo, REALMENTE deveria escrever roteiros para hollywood, porquê porra... Eu veria um filme com essa sinopse, e levando em conta que normalmente eu só vejo filmes a la Os Mercenários, isso diz muito coisa. Haha!

Lucas disse...

Boa amer! Fodao como sempre!



Eu queria conversar com voce sobre jornalismo por um tempo...poderia por favor me passar um contato? [msn,orkut,algo assim]

Nappa_ disse...

4chan pelo ambiente criado, o anonimato, dá uma certa liberdade aos usuários e querem aparecer.
Também tem muita coisa fake.

Mas eu confesso que não esperava uma coisa desse tipo da comunidade do 4chan. Não achava ser possível também eles terem um pouco de bom senso e crítica social.

2 perguntas:
Você já jogou Katawa Shoujo?
E a segunda, o outro blog era sempre tão sério assim?

o/

thewarsong disse...

O 4chan foi um divisor de águas na minha vida. Graças a ele eu descobri que, oh céus, eu gosto de ler guro e que eu não sou uma serial killer em potencial por isso.
E que eu gosto de anatomia, mesmo sem uma célula apta a trabalhar na área médica no meu corpo, mas fico fascinada.

Mas divago. A imagem que abre o seu post foi uma das primeiras que eu achei sobre meninas bonitinhas com deficiência, uma coisa que sempre me incomodou (a ausência delas nos mangás que eu lia), e que me interessou muito quando eu descobri. Agora ler você falando sobre isso me traz boas lembranças do tempo que eu revirava o 4chan atrás de imagens semelhantes.

Não é uma história tão fofa quanto, mas a Bikko é uma personagem deficiente física e bad-ass. Não sei colocar link em comentário então eu vou simplesmente jogar ele aqui e torcer pra alguém abrir e se interessar: http://ylwong.wordpress.com/2008/05/10/bikko-chan-3/

Rafael Sampaio disse...

Legal!Senti falta dos textos do outro blog

Mas Amer,voçe vai postar todos estes textos de uma vez ou só de vez em quando?

leco disse...

muito bom o artigo amer, apesar de eu estar mais acostumado com seus posts mais comicos, esse tambem foi muito bom,e eu tambem concordo com vc, e não veria mal algum em sair com uma garota que não tivesse um braço ou uma perna,,ate por q todos somos humanos e sentimos as mesmas coisas ....

Shouugo disse...

Bom... é isso aí!!!

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

estou jogando ele aqui Amer, cada um das meninas e o cara de oculos desmemoriado são cativantes. a Nanako é tão bonitinha e fofinha, a Emi também. e a Rin é metidinha a ser esperta e tem cabelos curtinhos, nada é mais sexy do que uma menina ou mulher com penteados curtos. realmente muito bom, muito cativante.

a Misha e a Shizune também são Fofoletes. gracinha