sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Coisas legais dos anos 90!


Talvez você fique chocado ao saber, mas estou bem perto de fazer trinta anos!

Yep! Estou!!!

Sinceramente, isso não me incomoda. Tem gente que entra em crise quando chega a esta idade ou quando começa a se aproximar do quarenta anos, mas sinceramente, não vejo problema nisso.

Poxa, ficar velho é legal! Olha quantos caras velhotes cool existem no mundo: Sean Connery, Clint Eastwood, Morgan Freeman, Michael Caine, Robert Duvall e é claro, o Stallone!

Hein! Que tal?

Mas claro, eu fico bastante nostálgico com as coisas de vez em quando, acho que todo mundo fica.

Não gosto de me gabar, mas tive uma vida muito bem vivida... para os meus padrões, é claro! E vez ou outra me pego pensando em boas épocas que não mais voltarão.

E eu sei que vocês também fazem isso.

...

C'mon, fazem sim que eu sei!

Todo nerd de respeito é adora relembrar das coisas que gostava enquanto crescia, você também faz isso, eu tenho certeza.

Nem adianta olhar pros lados e fingir que eu estou falando com outra pessoa, nem vem com essa!

Enfim, quando fico nostálgico, penso principalmente nas coisas legais que existiam quando eu estava crescendo, ou pelo menos nas coisas que EU achava legais.

E é sobre elas que falarei hoje.

Portanto junte-se a mim nessa viagem através do tempo!

TAN-TAN-TAAAAAAAAAAAANNNNNNN!!!!!!!!!!

Aliás, não tenho intenção nenhuma de debater com precisão sobre a cultura pop da época, só quero relembrar com vocês de coisas legais do período!

E agora, sigaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa-ME!!!!!!!



O renascimento da indústria da animação!

Na década de 1980, tivemos uma quantidade blenorrágica de bons desenhos animados! Transformers, G.I Joe, Thundercats, He-Man e os Mestres do Universo, Caça-Fantasmas, Silverhawks, Galaxy Rangers, Seis Biônicos... a lista prossegue infinitamente e eu poderia ficar aqui citando desenhos o dia inteiro.

Então... veio o vazio...

Houve um período sombrio no fim da década de 1980 e início da década de 1990, quando todos os desenhos animados eram uma merda suprema e serviam apenas pra vender brinquedos.

Que fique claro que desenhos animados sempre existiram apenas pra vender coisas. Desde cereais matinais a brinquedos que seriam destruídos cinco minutos após sairem da caixa, todo desenho animado que já existiu sempre teve a única meta de empurrar produtos caros e totalmente desnecessários goela abaixo da garotada.

Mas neste limbo entre as décadas, as empresas de animação haviam perdido o juízo e não lançavam nada que se assemelhasse à uma série animada aceitável.

Claro, tinhamos as Tartarugas Ninja, o que eu assumo foi a única coisa capaz de evitar que multidões de crianças se erguessem em revolta e tomassem a América para fazer dela uma ditadura onde somente alguns teriam direito à jujubas e Nescau gelado.

Havia o desenho cagão dos X-Men também, que era uma merda grotesca, mas verdade seja dita, era o mais próximo que tinhamos de um desenho animado de super-heróis decente. E claro, tinha aquele desenho dos ratos motoqueiros de Marte... mas quanto menos falarmos desse, melhor...

Então, em algum dia de 1990, os Tiny Toons foram lançados contra o mundo... e tudo ficou mais colorido!

Após anos de desenhos mal animados, com piadas inacreditavelmente aguadas (muitas delas iniciadas com "Ora, seu...") e personagens tão carismáticos quanto um bife, tinhamos uma série que era bem produzida.

Bem produzida DE VERDADE!!! ERA BOA!!!

E mais, era engraçada!!!

E não falo "engraçada ao estilo Transformers" que fazia humor involuntário com idéias que eram inacreditavelmente imbecis (Galvatron indo para um planeta de macacos azuis psicólogos pra tratar de sua loucura? Mas que porra?) mas engraçada de verdade, quase como se assumindo que os espectadores eram seres dotados de raciocínio!

Claro, grande parte da qualidade de Tiny Toon vinha do fato que sua equipe de produção era composta de pessoas inteligentes que se lembravam de ter assistido Looney Toones na infância e o quanto gostavam de tais desenhos onde um coelho fascínora usava de violência extrema e malandragem pra foder com todo mundo.

E diabos! Que personagens legais a série tinha!

Perninha, Lilica, Plucky, Presuntinho, Felícia, Valentino Troca-Tapa, eram todos sensacionais! Era impossível pra quem assistia não se identificar com pelo menos um deles!

E vou admitir neste momento que eu sempre tive uma paixão platônica pela Fifi. Vocês sabem, a gambazinha Francesa romântica.

Sim, além de gostar de robozinhas, eu gosto de gambazinhas... eu sou um pervertido, eu sei, você sabe, não é mais novidade pra ninguém.

Tiny Toon foi um sucesso e mostrou que animações decentes podiam de fato ter mais sucesso que desenhos produzidos por meia dúzia de animadores coreanos mal pagos e mantidos constantemente sob a mira de rifles e foi quando as coisas passaram a mudar.

Tivemos Animaniacs, Histeria, Freakazoid e então o Cartoon Network criou vergonha na cara e começou a produzir desenhos originais mais voltados para os gostos do público da época, ao invés de continuar reprisando o desenho do Zé Colméia.

E o resto é história.

Aliás, a quem interessar possa, Steven Spielberg não foi a mente por trás do projeto. Ele deu a idéia e uma equipe über-competente cuidou do desenho animado.

Mas de quem era o nome que aparecia no título do desenho?

Pois é, como disse o Stimpy uma vez: "o produtor não faz nada e ainda fica com o crédito do artista!" Sábias palavras, sim, sábias palavras.

E já que falei do renascimento dos bons desenhos...



Surgia o DC Animated Universe

Eu cresci como um aficcionado por super-heróis. Comecei a ler quadrinhos fervorosamente aos doze anos, mas sempre adorei estes seres de roupas colantes que lutam contra o mal usando poderes burlescos muitas vezes conseguidos através de radiação.

E como tal, sempre fui um daqueles que tinha convulsões ao saber que um determinado gibi ganharia um desenho animado.

Eu costumava assistir ao Top Tv (lembra desse?) e ficar salivando violentamente toda vez que passavam um trecho do desenho animado dos X-Men ou de alguma outra série que não tinha previsão de chegada aqui.

E então, um dia, exibiram um trecho do novo desenho do Batman, criado pra pegar o embalo do sucesso de Batman - O Retorno.

E eu tive um ataque histérico!

Eu estava acostumado à desenhos extremamente meia boca de super-heróis. Quando sua melhor referência no estilo é o desenho do Homem-Aranha e seus Fantásticos Amigos, qualquer coisa que não pareça retardada por default já merece nossa atenção.

Após meses imaginando QUANDO a série chegaria aqui, o SBT a comprou e passou a exibir nos Domingos de manhã.

Sim... o SBT sempre teve o hábito de colocar boas séries no Domingo de manhã, não é uma imbecilidade exclusiva dos dias atuais.

Mas enfim, bastou assistir à UM episódio de Batman - The Animated Series que eu percebi que não era um desenho retardado como o dos X-Men, onde o ponto alto de um episódio era quando trancavam a Tempestade em um armário e onde a animação era tão instável que em alguns momentos a Jubileu estava entrando na puberdade e em outros já era uma mulher feita.

Não senhor! Episódios como "Heart of Ice" eram obras primas em acetato! E ter um Coringa que era uma mistura do palhaço alegrinho do seriado dos anos 60 e do monstro sádico de A Piada Mortal com certeza ajudo a cimentar este desenho como algo destinado à adultos também.

Claro, Batman foi só a ponta do iceberg, pois logo tivemos o desenho do Superman também, que fez com que muita gente parasse de achar o azulão um babaca (o que só prova que um bom roteirista pode tirar leite de pedra) e a seguir tivemos Batman do Futuro, que algumas pessoas não gostaram, mas que era tão boa ou até melhor que o desenho do Batman original.

Essa enxurrada de desenhos de heróis provocou um grande amadurecimento no mercado de animação e mostrou que uma série animada não precisa ser completamente imbecil para cativar a criançada e fazer com que eles aporrinhem seus pais para lhe comprarem a "lancheira temática falante com luzes e crio-redutor anamórfico do Batman."

De fato, fazer algo que os pais pudessem assistir sem se tornarem vítimas de trombose cerebral com certeza ajudava a empurrar as vendas... ou pelo menos não atrapalhava.



A Era de Ouro dos Videogames

Na década de 1990, games eram uma coisa para nerds.

Se você jogava videogame, você era um rejeitado social! Era sinal que não tinha amigos, não saia de casa, era considerado repelente pelas garotas, não daria seu primeiro beijo antes dos dezenove anos e não perderia a virgindade antes dos trinta e sete!

Hoje... todo mundo tem um Playstation 2 em casa, nem que seja só pra jogar Winning Eleven.

... ou como dizem alguns... "Wing Elévi"...

...

HA!

De qualquer forma, na época havia uma grande guerra sendo travada pelas duas maiores empresas de games do mundo: Nintendo e Sega!

E ao olhar para esta frase, vejo como o mundo mudou...

Enfim, Super Nintendo e Mega Drive duelavam furiosamente pelo gosto da molecada do mundo! O Super Nintendo tinha gráficos superiores, melhor áudio, efeitos especiais em Mode 7 e franquias já consagradas como Zelda e Mario.

E o Mega Drive tinha "Blast Processing"!

Não, sério agora, o que porras era "Blast Processing"??? Em todas as propagandas gringas do Mega Drive apareciam palavras flutuantes garrafais destacando tal capacidade, mas nunca fizeram questão de explicar o que porras era!!!

Alguém aí sabe? Algum de vocês tem a menor idéia?

Pois é, foi o que eu imaginei...

Na época não fazia diferença, cada um de nós escolhia um console favorito e o defendia além de suas capacidades quando confrontado com as duras realidades da vida.

Os donos de Super Nintendo defendiam que tinham a versão melhor de Street Fighter II, que os gráficos do seu console eram melhores e que Super Mario World tinha 96 fases.

Os donos de Mega Drive diziam que o controle de seis botões de seu console era melhor pra jogar Street Fighter, que a trilha sonora de Streets of Rage 2 compensava qualquer gráfico e que o Sonic podia se transformar em Super Sayajin.

As discussões não se resumiam exclusivamente à esses termos, mas já deu pra ter uma idéia.

As atenções da gurizada nerd da época estavam voltadas para esta guerra e qualquer motivo era coisa pra se gabar que seu console era o melhor, por menos sentido que a alegação fizesse.

Esses debates permaneceram até que saiu o Neo-Geo.

Ninguém questionou que era o console mais foda já lançado em toda história do universo... mas também era tão caro que só os três maiores reis do planeta teriam o ouro necessário para comprá-lo... e então voltamos a bater boca sobre qual era melhor entre o Super Nintendo e o Mega, sempre concordando que o Neo-Geo era algo que só poderia ser adquirido por Deus e pelo Bill gates e como tal, jamais entraria na discussão.

E as brigas continuavam, sobre qual console tinha a melhor versão de Mortal Kombat 3, que o Mega Drive tinha o Sega CD e que o Super Nintendo tinha o Super Game Boy, que nos permitia jogar títulos do portátil sem que nossos olhos caíssem de tanto tentarmos enxergar a tela monocromática microscópica do tijolinho.

E lógico que essas discussões nada seriam sem...



As revistas de video-games que pipocavam por todos os lados!

Uma das verdades do meio editorial é que se algum assunto de repente se tornar moda, uma revista "especializada" vai surgir nas bancas falando a respeito dele.

Mesmo que não haja muito o que se falar, olha quantas revistas de musculação existem por aí. O que tanto há pra se debater sobre musculação? Depois que o Arnold lançou um livro a respeito, toda e quaisquer declaração sobre o assunto se tornou obsoleta.

Mas não existia internet na época e a única forma de se descobrir quais games seriam lançados nos próximos meses era através de revistas voltadas para o assunto.

Ahhhh, bons tempos...

Voltar da escola, passar na banca de jornais e comprar uma revista de games, imaginando qual seria o detonado do mês e quais jogos seriam avaliados, além das notícias do mundo e quando teriamos os próximos lançamentos...

No caso da Supergame, havia também as patifarias do Chefe e as ocasionais fotos de modelos peitudas que ele colocava na revista e dizia que eram suas motoristas. Eu juro, a Supergame me fez acreditar que jornalistas de games eram o equivalente nerd dos astros do rock...

E as especulações da época... ahhhhhh, as especulações...

Como eu disse acima, não existia internet naquele período e as informações não vinham com a velocidade que às recebemos hoje. Se alguém dizia algo e estivesse errado, o sujeito teria de esperar um mês pra corrigir a cagada.

Quem não se lembra de quando a Ação Games disse que "em Super Street Fighter II, o Blanka seria mais humano" ou quando a Supergame mencionou que havia uma versão de SF II em produção para o Sega CD?

E quem pode esquecer das gafes mensais da Gamers e seu linguajar "mano" ou quando a revista Videogame colocava a frase "para vencer este chefe não há dicas, tem de ser na habilidade" em seus detonados?

Hoje em dia, eu trabalho em revistas de games (mais especificamente nas revistas Gamemaster e Dicas e Truques para Playstation, COMPREM) e posso afirmar que não é um trabalho mole.

... pelo menos hoje em dia, pois naquela época era só ter imaginação pra inventar coisas burlescas e pronto.

Foi o melhor dos tempos... foi o pior dos tempos...



Fliperamas e seus jogos que NUNCA seriam lançados em consoles domésticos

Na década de 1990, videogames eram uma febre, já gastei mais de dez parágrafos dizendo isso. Um setor que estava crescendo em particular nessa época era o dos fliperamas.

Desde o início da década, com Pit-Fighter e Final Fight até seu período final, com House of Dead 2 e King of Fighters Neo-Whatever-Fuck Mai in the Ass-Special, ou qualquer que seja o nome da última versão a aparecer nos nossos arcades.

E por um bom tempo, os arcades eram nossa única alternativa para certos games, como Marvel Super Heroes, Cadillacs and Dinosaurs, aqueles jogos de tiro que falavam "RELOAD" tão alto que o fliperama inteiro podia ouvir e King of Fighters Ultra - What the hell - Now Cum into Athena's Mouth - The Slugfest ou qualquer que seja o nome da versão Coreana totalmente pirateada que surgiu de repente em todos os lugares.

O negócio é que na época, os fliperamas tinham aquele ar especial de "uau, eu nunca vou poder jogar isso em casa", o que era uma certa verdade, considerando que as conversões de arcades para consoles domésticos sempre perdiam um bocado de seu encanto original.

Final Fight tinha um personagem e uma fase a menos, por exemplo e eu nem vou comentar sobre The Avengers pro Mega Drive.

Sem contar que em um certo momento apareceram jogos que simplesmente eram inconvertíveis (damn, essa palavra existe?) para os aparelhos domésticos. Um amigo meu reclamava que não lançavam KOF 94 pro Super Nintendo por preguiça de converter o jogo.

Na época eu apenas disse "o Super Nintendo não aguenta esse jogo" quando na verdade devia ter dito "o Super Nintendo não aguenta esse jogo, porra! Você tem merda na cabeça? Seu burro, animal, sua besta quadrada!!! Eu te condeno ao inferno!!!"

Pra quem acompanha somente os consoles de hoje, que são tão poderosos quanto Deus, pode ser difícil imaginar uma época em que os games mais avançados se encontravam em locais mal ventilados, com posteres de games disputando o espaço das paredes com calendários de mulher pelada e onde um tiozão de cento e doze anos nos vendia fichas com tremenda má vontade.

Mas eu te digo, passar por um lugar ensurdecedoramente barulhento, ouvir claramente os elefantes no cenário do Dhalsim e não se sentir tentado a entrar era praticamente impossível.

Hoje em dia, os arcades estão praticamente mortos e enterrados. Não há mais grandes lançamentos para eles, exceto no Japão, onde os jovens ainda frequentam fliperamas como os daqui frequentam baladas.

Aliás, quando eu era mais jovem, minha mãe sempre dizia que fliperamas eram antros de maconheiros e marginais.

Nunca encontrei um maconheiro sequer em um fliperama, mas conheci dezenas quando fiz faculdade.

Faz você pensar, não?



Comprar toneladas e toneladas de quadrinhos, por piores que fossem.

A década de 1990 trouxe consigo o "boom" dos quadrinhos.

Quando revistas especializadas como a Wizard começaram a colocar em suas páginas que alguns gibis antigos podiam valer mais de 15 mil dólares, os colecionadores começaram a comprar quadrinhos fervorosamente e os editores ficaram gananciosos, lançando mais revistas do que qualquer pessoa pudesse humanamente comprar.

Claro, isso não impediu muitos (eu incluso) de tentarem.

A Marvel lançava uma tonelada de Graphic Novels como "A Última Caçada de Kraven" e "Tormento" (é, eu comprava muita coisa do Homem-Aranha) e a DC lançava pelo menos três especiais do Batman por mês, como "O Messias", "Devoção" e "De Volta a Sanidade".

E muitos fãs ficavam falidos com isso.

Pior ainda eram as mega-sagas que se espalhavam por diversas revistas, como "Inferno", cuja história principal (que eu não entendi porra nenhuma, diga-se de passagem) acontecia na revista dos X-Men, mas que tinha ramificações em todas as outras séries.

E lá iam os leitores que compravam todos os gibis que pudessem pra poder entender todas as minúcias da saga. Eu sei que teve gente que acabou comprando o gibi do Capitão América vez ou outra por esse tipo de coisa.

Claro, a DC sempre fazia ultra-mega-super-duper-Ronald sagas onde reescrevia as origens de praticamente todo seu universo, algo que obrigava os leitores a comprar absolutamente tudo da editora para TENTAR entender o que raios estava acontecendo.

Não que gastar o equivalente ao PIB da Ucrânia em gibis da DC fosse ajudar nessa causa, mas enfim. E nesse oceanos de revistas, surgiu a Image, qe era a coisa mais cool que um garoto de quatorze anos podia querer.

Spawn era um herói vindo do inferno, o que para um adolescente é a coisa mais legal desde o pão de forma. Wildcats era uma cópia descarada de X-Men com heróis que PARECIAM ser mais legais que os mutantes e com um pelotão de gostosas em roupas ultra-colantes. Gen 13... era praticamente só as gostosas em uniformes ainda mais colantes ou praticamente sem roupa alguma.

E a partir deste ponto, o pobre adolescente tinha de escolher quais gibis ia parar de comprar, ou se ia arranjar um emprego para sustentar seu vício.

A maioria de nós decidia pela primeira opção e se voltava unicamente para os games, que no final das contas acabavam saindo mais baratos do que comprar gibis todo mês.



O surgimento de estilos musicais alternativos

Vou confessar que meu conhecimento musical é ridículo se comparado ao dos meus amigos.

Que fique bem claro que meus amigos não são todos guitarristas com bandas próprias que ganham a vida fazendo shows e comendo groupies tontas que ficam bêbadas com um copo de tequila

...

Alguns até são, mas não todos.

O negócio é que eu sempre fui meio lento pra música mesmo. Tirando Kiss, Queen e Beatles, nunca fui muito apegado a bandas específicas. De fato, os únicos cd's de bandas que tenho são o primeiro álbum do Gorillaz e o Best of the Beast do Iron Maiden.

De fato, eu só fui escutar Nirvana dez anos após o suicídio de Kurt Cobain.

Como eu disse, lento.

Mas isso não me impediu de acompanhar a súbita mudança que o meio músical sofreu nesse período, em grande parte por causa de um amigo que comprava absolutamente tudo que parecesse meramente bom.

E foi graças a ele que eu descobri muita coisa boa como Red Hot Chili Peppers, Smashing Pumpkins, Radiohead, Alice n' Chains e uma tonelada de outras bandas que não consigo me lembrar pra falar aqui.

Mas acho que já deu pra entender aonde quero chegar.

Claro, continuei sem comprar cd's e lojas de música são ambientes razoavelmente alienígenas pra mim, mas mesmo assim foi uma época bacana pra se acompanhar as mudanças deste ramo.

Aposto que pra alguns de vocês foi uma experiência muito mais intensa que a minha e vou pedir então que comentem a respeito depois que lerem este artigo.



Eis que aparece a Geração MTV

Foram nestes turbulentos anos que surgiu uma emissora de tevê totalmente diferente de qualquer outra coisa que já tinhamos visto. O que? Um canal dedicado única e exclusivamente à música e assuntos jovens? Meu Deus era a coisa mais legal de todos os tempos!!!!!!

Sem contar que naquela época, ter acesso à MTV era tão difícil quanto se encontrar a Arca da Aliança.

Me diga se a seguinte experiência lhe parece familiar: você e mais um amigo juntavam grana por um tempo, iam até uma loja de tralhas eletrônicas, gastavam seu suado dinheirinho em uma antena de UHF, depois passavam o dia no telhado da casa (e não importa em que época fosse, seria sempre o dia mais quente do ano quando decidissem fazer isso), levavam pelo menos três horas instalando a antena e quando finalmente desciam pra assistir ao novo canal, descobriam que precisavam de um transcodificador ou seja lá como se chamava, pra poderem visualizar a MTV com uma imagem pelo menos assistível.

Eu não passei por isso, mas meu irmão sim.

E após essa maratona, ter a MTV em casa era praticamente um presente vindo diretamente dos céus! Nada de Gugu nem Faustão, só música, Vj's jovens, desenhos legendados e programas inteligentes.

Pelo menos, era assim no passado. Hoje em dia, a MTV é uma diarréia cagada pelo Godzilla! Parece que ele comeu a própria merda e cagou a merda feita da merda, que resultou em uma merda muito mais concentrada e tão podre que nem as moscas chegam perto dela.

De fato, a única coisa que presta na Mtv hoje em dia são os programas com o João Gordo, Hermes e Renato e o desenho do Fudêncio.

Mas não há como esquecer da época em que absolutamente todo mundo pagava um pau pra Sabrina. Ahhhhhh sim, bons tempos...



Os Simpsooooons...

Simpsons é a série animada de maior sucesso de todos os tempos e sinceramente, não tenho o que dizer aqui que já não tenha sido falado por outra pessoa com um emprego melhor e que seja mais respeitada no meio artístico.

Mas vou dizer uma coisa, se você acha que eles são grandes hoje, é porque não viu durante a década de 1990.

Parafraseando John Lennon: "Eles eram mais populares que Jesus Cristo!"

Pra todo lado, pra ABSOLUTAMENTE TODO LADO QUE SE OLHASSE, tinha algum produto com a família de Matt Groening. Camisetas do Bart, albuns de figurinhas, chicletes com tatuagens, revistas "especializadas" sobre os Simpsons, matérias de jornal e a lista prossegue infinitamente.

Lembro de quando minha professora de educação artística da 5° série mandou que a classe fizesse um desenho livre incentivando as pessoas a jogarem o lixo no lixo, você sabe, esses trabalhos que recebemos no ginásio e que as professoras acham que vão desenvolver alguma consciência social nos alunos.

ABSOLUTAMENTE TODOS OS ALUNOS FIZERAM UM DESENHO DO BART JOGANDO LIXO FORA!!!

Eu tenho certeza que isso não aconteceu só na minha escola e é uma prova irrefutável da popularidade avassaladora do desenho naquela época.

Outra prova é a quantidade gigantesca de games com os Simpsons, mas como a maioria era uma merda cavalar, nem vou falar deles aqui hoje.

De fato, boa parte do tempo livre das crianças na época era dedicado a conversar sobre Os Simpsons e é impressionante ver que estas pessoas, hoje adultas, acabam enfiando referências ao desenho nas mais diversas conversas.

Como eu e meu chapa Victor, que transformamos nossas conversas em declarações de quase fanatismo à série, tamanho o número de referências que fazemos.

Sério, pegue qualquer frase da série e eu te digo de qual episódio veio!


Vamos, eu te desafio!!!


Nosotros somos Los Caballeros del Zodíaco!!!

Ok, vou adivinhar exatamente como você descobriu a série.

Lá estava você, vegetando no sofá, comendo alguma porcaria e "esquecendo" de fazer a lição de casa enquanto zapeava pela tevê com o controle remoto. De repente, aparece uma cena de um cara enorme segurando um garoto em sua mão e ameaçando mutilá-lo e comê-lo com ovos e molho rosê.

Quando sem aviso nenhum, uma orelha decepada cai no chão!

E pronto, estávamos fisgados e passaríamos os quatro anos seguintes amargando reprises atrás de reprises e aguardando pacientemente o final da série.

Isso já foi dito à exaustão por centenas de pessoas, mas Cavaleiros do Zodíaco foi de fato o desenho que abriu as portas do Brasil para a animação Japonesa. Se hoje você pode ter seus dvd's de Tokyo Godfathers, Appleseed e Akira na estante, tem de agradecer à Seiya e seus amigos.

Quando começou a passar no Brasil, Cavaleiros chamou a atenção de todo mundo, a minha, a sua, da sua prima e até da sua mãe!

Sim, tenho certeza que sua mãe assistia à série também! Pelo menos no começo!

Lembro claramente que durante o episódio em que o Seiya precisa socar as costas do Shiryu pra fazê-lo voltar a viver, minha mãe estava atenta a televisão como se fosse o capítulo final da novela.

Claro, depois desse começo fenomenal (disparado, o melhor trecho da série) a série virou um amontoado de enrolações e bobagens como a maioria dos desenhos vindos do Japão e só os mais perseverantes acompanharam até o fim.

Eu continuei acompanhando e nunca deixei de gostar, por mais que a série repetisse a mesma história, mudando só o cenário e os inimigos.

E por mais besta que Cavaleiros tenha ficado, sempre terei um carinho enorme pela série, pois na época em que começou a ser exibida aqui, a coisa com mais ação que tinhamos pra ver era o desenho cagão dos X-Men.

Aliás, ninguém nunca conseguia comprar o boneco do próprio signo! Não é engraçado? Eu sou de Gêmeos e só consegui os bonecos do Mu de Áries e do Poseidon! E vocês?



A busca por mais desenhos japoneses!!!

Não sei quantos de vocês também passaram por isso, mas considerando o oceano de otakus que existem hoje, eu acho que muitos vão se familiarizar com esta experiência.

Depois que Caballeros começou a ser exibido em nossas televisões, passei a querer mais animação japonesa, então comecei minha busca!

Eu ia na Liberdade com um amigo alugar fitas vindas direto do Japão pra selecionar quais eram os bons desenhos e quais eram merda. Na maioria dos casos, os bons acabavam sendo só Dragon Ball e Ranma, e a merda acabava sendo todo o resto, não havia uma seleção de títulos muito vasta na época.

Não apenas isso, busquei colecionadores de animação japonesa, fui em eventos, conheci uma tonelada de gente, desde tiozões que gravavam pornografia de travestis nas mesmas fitas que os desenhos até totais e completos otakus do pior nível que me faziam parecer cool como o Mick Jagger por comparação.

E sem legendas! Isso era para os fracos!

Assistíamos tudo CRU, sem entender porra nenhuma da história e fazendo o máximo possível pra deduzir algo do enredo.

Uma história que sempre conto é de quando eu e meu amigo conseguimos nossa primeira fita com o início da saga de Majin-Buu. Não havíamos visto o final da etapa de Cell pois na época qualquer fita com episódios da dita saga eram mais raros que encontrar uma virgem numa balada e ficamos nos questionando sobre como certas coisas haviam acontecido.

Especificamente, queríamos saber como Goku tinha morrido, como Kuririn estava com cabelo e por que o Picollo estava amarelo.

Sim, isso mesmo, o que havia acontecido que o Picollo estava amarelo?

Pois bem, conforme descolamos mais fitas de Dragon Ball Z, descobrimos que Goku havia se sacrificado para salvar a Terra da explosão de Cell, que Kuririn simplesmente tinha parado de raspar a cabeça e que o Picollo não estava amarelo e a primeira fita que arranjamos tinha uma qualidade de imagem grotesca.

...

É... pois é...

Isso era mais comum na época do que vocês pensam. De fato, era difícil conseguir uma fita que a qualidade de imagem não fosse grotesca.

E nem vou dizer o quanto era difícil conseguir hentai, pelo amor de Zarathrusta!

Deus abençoe a internet!



Power Rangers e suas coreografias mirabolantes!!!

Nosso país sempre teve vínculos fortes com o Japão, talvez porque dois terços do país tenham vindo pra cá na época da Segunda Guerra.

Em tempo, sei que não foram dois terços! Eu também assisti "Haru e Natsu", portanto não me encha o saco querendo corrigir meus erros históricos propositais!

Enfim, por causa desse vínculo, não é de estranhar que as série japonesas de heróis plastificados que combatiam o mal tenham feito tanto sucesso na década de 1980.

No entanto, nossos canais sobrecarregaram nossas televisões de tais séries e chegou um ponto que até mesmo o maior dos aficcionados perdeu o interesse em vê-las.

Diabos! Eu nunca assisti Maskman e não sinto a menor falta!

Então, entrou a Saban na história e começou a canibalizar séries japonesas de Sentai e transformá-las em Power Rangers e o resto é história.

Devo dizer que o público Brasileiro é dividido em relação a Power rangers, tem aqueles que gostavam, tem aqueles que odiavam e tem aqueles que fizeram juras de rancor eterno pois "os seriados japoneses em que eram baseados eram muito mais profundos, realistas e direcionados a um público maduro."

Estou só repetindo o que eu ouvi.

O negócio é, Power Rangers e as séries japonesas são igualmente imbecis, eu falei isso no artigo passado e torno a repetir! A diferença principal é que em Power Rangers as heroínas são menos molestadas pelos amigos e monstros.

E como já falei muito desses heróis multi-coloridos, só vou mencionar que eles ganharam uma música cantada por Sandy & Junior e todos sabemos que isso é sinal de sucesso supremo em nosso bizarro país.

Por mais horrendo que possa ser... é um fato inegável... ó destino cruel...



Programas infantis que continuamos assistindo depois de grandes

Entre 1991 e 1999, eu era um adolescente como tantos de vocês.

E desta forma, buscava programas que pudessem me ajudar em meus conflitos e indecisões, me ajudassem a crescer e finalmente descobrir quem eu... *ppfffffbbbbttttttttllllll*... aaaaaaaaaargh! Eu assistia Beakman, isso sim!!!!!!

Enquanto todo mundo assistia Confissões de Adolescente, Beverly Hills 90210 e tantas outras séries sobre adolescentes onde o elenco já tinha quase trinta anos, eu assistia Doug, Tin Tin e Mundo de Beakman.

E que o diabo me carregue, mas eu sei que muitos de vocês faziam o mesmo! Ligavam na TV Cultura no fim da tarde e ficavam assistindo à programação infanto-juvenil do canal até que ela se encerrava e começava o Vitrine.

Minha nossa, como eu odeio o Vitrine...

O negócio é que era um prazer culpado, era aquela parte de nós que se recusava a crescer que nos fazia assistir a tais programas. Já sabiamos quem eramos e não precisávamos de programas de adolescentes que "nos entendessem" para que nos sentíssemos melhores.

Embora já tivessemos passado da idade em que era socialmente aceito ver Beakman, nos divertíamos mais assistindo a um cientista de cabelo em pé do que uma série onde a principal preocupação dos personagens era ter conflitos morais por fumar maconha após transar pela primeira vez.

E sejamos sinceros, as poucas noções de física, química e biologia que temos hoje, na era pós-vestibular, vieram do Beakman.

Oras merda, você acha realmente que sabe quem é Marie Curie por ter estudado a respeito pra fazer uma prova?

NÃO!!! Você sabe quem ela é porque viu a Rosie vestida como ela e interagindo com o Lester!

Não engana ninguém tentando parecer um intelectual, compreendeu?

Aliás, houve uma época que eu sugeri a um amigo que fossemos de Lester e Beakman à uma convenção de animação japonesa, antes de se tornar moda ir vestido como personagens que não vieram necessariamente do Japão.

O covarde não quis... maldito seja, eu o condeno ao inferno!

Antes que você pergunte, claro que eu seria o Lester! Não poderia ser de outro jeito!



Star Trek amadurecendo!

Não sei quantos de vocês são fãs de Star Trek (Jornada nas Estrelas, pra quem não conhece pelo título original), mas a julgar que nunca recebi pedidos pra escrever a respeito, imagino que são poucos.

Eu gosto muito de Star Trek, não tanto quanto outras pesoas, mas gosto bastante do universo criado por Gene Rodenberry e do futuro otimista que foi usado como pano de fundo para suas histórias.

Ok, eu admito, fui membro da Frota Estelar Brasil e ia em convenções de Star Trek em São Paulo.

Assisti as palestras de um tiozão obeso que entre outras coisas se gabava de saber as três leis da robótica (coisa que qualquer mané que tenha lido Isaac Asimov pode fazer, mas nós o deixávamos ter seu momento de glória), um camarada que falava igual a um pato e que sempre dissertava sobre as "futuras temporadas de Star Trek" e mais um cara... que não fazia muito exceto dar boas vindas ao público.

Antes de prosseguir, quero deixar bem claro que nunca usei uniforme de membro da frota, ou me vesti de Klingon gordo. Sou um nerd, mas tenho minha dignidade.

Eu nem sequer tenho o dicionário de Klingon, embora reconheço que tal coisa me faria entrar na USP em um piscar de olhos (o medidor de sarcasmo vai explodir, abriguem-se)!

Mas honestamente, sinto falta da época que a Record entupia nossas televisões com todas as séries de Star Trek, especialmente Deep Space Nine.

Pra quem não conhece, DS9 conta a história de uma estação espacial colocada bem no meio de uma zona de guerra entre três (ou quatro, não sei ao certo) raças diferentes e onde todo tipo de merda que pode acontecer, de fato acontece.

E DS9 tinha a Kira Nerys!

...

Que foi?

Acho que sinto nostalgia de ser membro da Frota Estelar e dessas convenções pela sensação de estar fazendo parte de algo, de não estar sozinho quanto a meu gosto raro e incomum.

Ei, é o tipo de coisa que buscamos na adolescência antes de darmos um enorme dedo do meio para o mundo e fazermos o que bem entendessemos da vida.

E... é... é isso!



Arquivo X, a série que fez o mundo parar

Você assiste Lost?

Assiste?

Todo mundo assiste!

...

Menos eu...

Tá, tá, pode me dar bronca, manda ver. Tenho um amigo que vive brigando comigo por eu não assistir à série.Sei lá, não tenho mais paciência de assistir séries! As emissoras vivem mudando o horário e demoram pra trazer temporada nova e me falta saco pra aguentar essas enrolações.

De fato, acho que gastei toda paciência que tinha com as séries da década passada.

Pois bem, Arquivo X era em 1997 o que Lost é hoje: a série que todo mundo assiste! Se você fosse minimamente inteligente, assistiria as desventuras de Mulder e Scully!

... acabei de me chamar de burro por não assistir Lost... argh...

Enfim!

Arquivo X era a coisa mais cool que se pode ter idéia! Especialmente por que fazia com que os ufólogos e caras que acreditavam em teorias de conspiração pelo mundo parecessem menos malucos.

A série era tão quente na época que Mulder e Scully até apareceram nos Simpsons!!!

Hurley não apareceu nos Simpsons!!! Nem o Sawyer!!!

Ha!!! Faça melhor, J.J Abrams!!!

Claro... Arquivo X deixou de ser uma das melhores coisas do mundo e se tornou algo tremendamente imbecil e confuso depois que o filme foi lançado.

Não o filme de 2008... tou falando do que foi lançado dez anos atrás e fez todos os fãs da série chorarem compulsivamente ao sairem do cinema, pelo enorme dedo do meio que receberam da Fox.

De fato, tenho um amigo que era tão fã que criou explicações para todos os absurdos do filme, ele que estava em negação a respeito do horror que tinha acabado de ver.

Aliás, os produtores da série sabiam o status de sex simbol que Gillian Anderson teria entre o público nerd e resolveram capitalizar neste fato, lançando mais imagens sensuais dela do que qualquer nerd seria capaz de imaginar.

E como fomos gratos por isso...

...

...

...

*ARRAM*

Hoje em dia, Arquivo X está morto e enterrado. O filme "Arquivo X - Eu quero acreditar" sendo a última pá de cal sobre a franquia, mas permanecerá em nossos corações como a série que tornou o final da década de 1990 uma época mais cheia de conspirações e traições!

E é isso! São essas coisas que me lembro com nostalgia da época em que era um adolescente chato!

Então você diz: "Ok Amer, essa época foi bacana e tudo mais, mas eu queria mesmo que você falasse de coisas da década de 1980!"

Eu sabia que você diria isso, e este será o tema do meu próximo artigo!

Então até a semana que vem, quando lembraremos das melhores coisas de nossa infância!

Cheers!!!

55 comentários:

Frodo Dylon disse...

primeiroooo!

nossa! como lembrei de coisas legais! Vc não falou, mas a foto do Tamagoshi me fez lembrar da época de escola... acho que matei uns 5 Tamagoshis de amigas... hahaha
Teve uma coisa nos anos 90 tbm que eu achava um máximo: a briga entre a Grow e a Estrela no comércio de jogos! (ou isso foi mais nos anos 80???)

de qualquer forma, ótimo post!
abraços!

Felipe disse...

Grande artigo... me lembrei da ansiedade crescente cada vez que eu pisava em um fliperama com dinheiro para fichas, realmente tinha que ter culhoes pra jogar After Burner.
Salve Beakman, idade aceitavel e pra formatos ruins, coisa boa nao tem idade(geralmente).
Escreva sobre Star Trek! tambem sou um fa apesar de nao lembrar todos os episodios de cor, afinal so fui u m legitimo nerd no final da decada de 90, antes eu era um esportista.
Sintonizar MTV era bico, foda era o mitico canal 50, que sintonizavamos no 14.

Amer H. disse...

Hmmm, não lembro dessa briga entre a Estrela e a Grow, mas acho que foi mais nos anos 80.

E Tamagoshi nem precisa se falar, era uma desgraça em escala nacional...

E vou falar mais de Star Trek aqui, aguarde e confie.

Canal 50? What the hell was that?

Cayo disse...

Pra algumas coisas sou novo demais, mas, de outra eu lembro.

Eu assistia Beakman compulsivamente, mas acho que na época ainda tava na idade... ou não pq todos os outros garotos falavam que era pragrama de nerd com um rato gigante.

Infiéis!

Tamagoshi o/ eu era o único [que conhecia] que tinha um cachorro e não um E.T., e me orgulhava disso \o/

E tinha os flipers... que, segundo a minha mãe eram um reduto de marginais e eu seria sequestrado se fosse lá.

Bem... considerando que o mais próximo ficava numa rodoviária imunda com todo tipo de gente estranha indo e vindo... acho que ela tinha certa razão.

What the hell did I just say?! Oo

ps.: eu tinha a fita da SAndy e Junior com a música do PR \o/

Samuca disse...

kra, tempo é dinheiro.

Adoro ler seus posts, porém infelizmente não tenho tempo de ler até o fim, e sou obrigado a parar no meio do caminho de vários, e não dá como voltar e ler de novo =(

Postei só para desabafar, sei que não pode fazer nada :D

Smile Time disse...

3 comentários hehe:

1-Tu tá certo, todo mundo pegou sem querer o primeiro episódio de Cavaleiros!
2- "EU sou velho, não gosto de nada, só de novela, falando nisso já começou" - de que episódiod os Simpsons é essa?
3-Tu viu que o Shogum do Harlem morreu?

Amer H. disse...

Beakman é um bom homem, nos ensinou muitas coisas!

E fliperamas de rodoviária... LITERALMENTE de rodoviária... bom, esses eu nunca entrei, dá pra sentir um grave distúrbio na Força vindo de tais lugares.

Quanto ao tamanho dos artigos, sinto muito man, mas é como eu gosto de escrever. Por isso deixo cada um deles no ar por uma semana, pro pessoal poder voltar e continuar lendo depois, caso não termine de uma tacada só.
Tenta fazer isso de novo, vai que você consegue sem ficar incomodado.

E ok, você me pegou. De onde veio essa fala?

Sho'nuff morreu?

NOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!

fabricio disse...

huauhahuahuahuahuauhauh

acabei de ler também o post sobre o filme do Gaoranger, e me perunto... "porquê cargas d'água, pelao holy cow o amer não vai falar sobre a cena do gaoranger bebendo leite??? eu me mijei de rir vendo, e se o amer comentar, mesmo quem não viu o filme vai se mijar tbm!!!"

quanto aos bonequinhod dos CDZ, eu tive um Saga, meu sígno tbm, mas era daqueles de plástico bagavundo vendido em qualquer camelô de esquina no rio de janeiro... até achei um saga ORIGINAL num evento de anime, mas tava o zoio da cara e eu não ganho pr a isso... T^T mas quem sabe um dia né???

no mais , belissimo post!

continue assim!!! o/

andersiqueira disse...

Opa Amer.

Cara já leio seu blog há um tempo, um bom tempo na verdade, já até indiquei a amigos, e amigos meus indicaram a outros e por aí vai...

Muita nostalgia lembrar dos velhos tempos cara e já que você falou de beakman cara manda ver um artigo sobre ele, isso sim era muito foda.

Mas de resto parabéns pelo blog e cerveja na cabeça.

Vicente disse...

Puxa vida... anos 90... me sinto um velho agora. Minha adolescência foi nos anos 80.
Em compensação nos anos 90 descobri os mangás, comecei a ouvir mais rock e "deslanchei" minha carreira de desenhista. "Caaaaballeros são ridííículos"... :D

Heverton disse...

ótimo artigo Amer!! mas eu queria sobre a década de 80 rsrsrs( levantando a plaquinha de sarcasmo)....

Caramba é impressionante como todo nerd segue praticamente a mesma trajetória! No meu caso, tirando as graphic novels

(é hoje em dia é moda falar esse nome, quadrinhos da um tom de coisa infantil né? De produção de Maurício de Souza,apesar de eu já ter sido fã de turma da mônica! ôô se já, tinha até os 2 filmes, e hoje eles me vêem com turma da mônica em mangá... em que mundo vivemos... mas isso não vem ao caso)

pois nunca fui fã de quadrinhos.

Caramba você descreveu perfeitamente como foi o meu encontro com Cavaleiros do Zodíaco!

Eu era strogonoficamente sensível quando o assunto era CDZ, comprava tudo quanto é álbum de figurinhas e ainda jogava na cara dos meus amiguinhos menos favorecidos monetariamente, o fato de eu ter completado cada um (que coisa feia.

Sem contar que já tive até festa de aniversário de CdZ!

Mundo de beakman era o que tinha de melhor! Será que é graças a ele que hoje faço faculdade de biologia? Enfim, mais um mistério. Ae eu já aproveito o gancho para assinar em baixo da sua afirmação:
"Nunca encontrei um maconheiro sequer em um fliperama, mas conheci dezenas quando fiz faculdade."

Que mundo preconceituoso né, e pensar que a gente que jogava fliperama que era o filho perdido.

Ahhh as revistas de game.. Tenho até hoje umas antigas aqui, não muuito antigas... você se lembra da coluna do byte?! hã-hã?!! "me da um xisbósqusí com tubaína ae!"

Ahhhhhh como eu dava risada com essas revistas! Hoje a internet realmente tirou 1 pouco desse glamour.

Finalizando o comentário (nossa como eu escrevo, eu acho que eu acabo me empolgando demais hahaha)

Ahhhhhhh a era super nintendo... lembro que eu fui o primeiro garotinho "rico" da cidade a ter um super nintendo! Sim o primeiro! Ae você deve estar pensando, poxa que esse nerd tetudo morra seco e arreganhado por mentir assim!

Nãão, não estou mentindo, a pseudo-cidade ou distrito como preferir, possuia apenas 3mil habitantes e eu conhecia absolutamente TODOS os moradores. Sim eu era pop e nem sabia! hahahaha.

Lembro-me que em frente a minha casa tinha uma igreja com um espaço para sentar, e logo quando eu levantava, e abria a janela da casa que era 2 andares, eu olhava lá para baixo e via cerca de 10 amigos todos dando um sonoro "bom-dia heverton!" enquanto os seus dedos faziam gestos anciosos de álguem manuseando a manete de snes.

Falava com todos para subir e assim ficavamos desde a hora que eu levantava até literalmente hora de dormir, jogando videogame. Porra, como era gostoso!

Sinto muita saudade dessa galera, eram meus melhores amigos, hoje infelizmente cada um tomou seu rumo na vida e sumiram do mapa, mudando de cidade e tal, assim como eu também me mudei.

E é isso, espero que você tenha tido paciência de ler essa pequena
parte da minha vida que com certeza eu sinto muita falta hoje em dia. Droga como é ruim envelhecer e perceber que temos que fazer parte do sistema... Faculdade, trabalho e talvés um pouco de lazer...


Forte abraço Amer!

lance disse...

Uhulll eu não assistia ao Arquivo X, e odiava os outros que inclusive falavam que as coisas que aconteciam lá eram reais.

e na boa...só assistia Star trek por causa dos "sabados sci-fi" do USA, pq tinha uma mistura com varios programas bons.

As revistas de games da época eu achava bemm melhor(sem ofenças já que vc trabalha numa:P), mas o melhor tb era que existiam poucos titulos e eles eram raros até...hj as empresas cagam titulos e até cancelam uma caralhada...dificilmente se acha um jogo que vc joga por meses a fio.
Sem falar que o unico jeito de não se virar algo é travando pq vc não leu algo que te explicava aonde ir.

Amer H. disse...

Damn, agradeço a todos os comentários, guys!

A cena que eu me neguei a falar no artigo de Gaoranger ... bom, o cara tá apanhando do monstro, então tira uma caixa de leite de dentro do kimono, bebe e dá um super pilão giratório no bicho, enquanto no fundo vemos a imagem de um copo d eleite sendo enchido e uma vaca mugindo.

... é... pois é... a vida se torna menos bela depois disso...

Caballeros Ridículos rulz! A melhor coisa ue tinha na Hypercomix!

Sobre o Beakman, assim que pensar uma boa maneira de escrever um artigo sobre ele, eu o farei.

Ahhhh, amigos interesseiros pra jogar Super Nintendo... todos já conhecemos gente assim.

E sem cerveja na cabeça, eu não bebo!

WA-TCHAAAAAAA!!!

E sinceramente, as revistas de games de antigamente não eram melhores do que as de hoje... a gente era mais novo e não tinha internet pra nos informar sobre as novidades.

É isso, cheers!

Nanda disse...

Awww, eu quase chorei de emoção lendo esse artigo! Só não chorei porque as risadas foram maiores! ahhahahahahaa!

Bom, vamos lá!!

Tiny Toons era muito legal! MUITO legal! hahahaha! "É tiny, é toon! Com muitas novidades em lindos desenhos que chegam pra vc!"
E Freakazoid também era muito divertido!

O desenho do Batman marcou minha vida também! E foi nessa série que o Coringa se confirmou como meu vilão favorito!
Assim como os quadrinhos, que também marcaram! Claro que não tive tantos quadrinhos assim, mas tive minha época!

Como eu já comentei em outro post, eu era da turma que tinha um mega drive (e o sonic que virava um super sayajin!!).. E como gastei dinheiro com revistas de detonados.. ahahahhah! Ainda bem que na época as revistas não eram tão absurdamente caras...

Fliperamas! Fliperamas eram o máximo!! Meu irmão era pequenininho, então eu TINHA que ir com ele jogar fliperama... hahahaha! Achava suuuper chato! Deixava meu irmão no fliperama que ele mais gostava, e de repente tava todo mundo em volta dele, vendo o mulequinho passando as fases que muitos dos "mais velhos" não passavam.. e eu ficava nas outras máquinas! hahahahaha!
("aqueles jogos de tiro que falavam "RELOAD" tão alto que o fliperama inteiro podia ouvir" hahahahahah! Nessa parte quase caiu uma lágrima!)

Agora.. faltou uma parte importantíssima nesse trecho aqui:
"e onde um tiozão de cento e doze anos nos vendia fichas com tremenda má vontade."
As fichas custavam centavos na epoca.. CENTAVOS.. E não 2 reais, como custa em alguns lugares por aqui! CÉUS!

Cavaleiros do Zodíaco e DragonBall Z.. Outro momento que quase caiu uma lágrima! Nem tem o que dizer, era muuuito legal assistir 184729582948 vezes os mesmos episódios, enquanto esperávamos as novas sagas...
E eu tive um boneco original do meu signo! hahahaha! Escorpião! \o/
(aliás, tenho até hoje.. Adoro aquela coisinha!)

"Power! Power! Power Rangers! Power Rangers têm a forçaaa"

O Mundo de Beakman!!! Ahhhhhh, chorei! ahahhahahahah! Afinal, acho que todo mundo fez o experimento do gelo + sal + barbante pra família! hahahahahha!! Eu fiz! E Doug e Tin Tin, nem falo nada... Eram desenhos geniais! Tin Tin era MUITO legal.. MUUUITO!

Quanto aos programas, eu assistia Star Trek! Depois me desinteressei, mas nessa época eu adorava. E Arquivo X também! Morria de medo! ahhahahahaha! Mas assistia!
E, é claro, Simpsons!!
(e eu também não assisto Lost! Que emoção saber que não sou a única!)

Ahhhh eu ADOREI esse post! Foi muito nostálgico! Muito bom!!
Aguardo ansiosa agora pelo dos anos 80!!!

Beijo!!

Nanda disse...

E novamente eu fiz um post nos seus comentários! hahahahhahah!!

Não me expulse do bloooog!!

Beijo!!

Amer H. disse...

Relax, pode fazer posts à vontade aqi! Gosto de gerar essas reações!

E pra ser muito sincero, tava ansioso pra ver qual seria sua reação, já que você tava querendo tanto ver esse artigo!

Nanda disse...

Pelo tamanho do meu comentário, acho que deu pra perceber que eu adorei! hahahahahahaha!!

Foi mais legal do que eu imaginava!

Beijo!

Amer H. disse...

Que bom que você gostou!

Vamos ver se o artigo da semana que vem agrada também!

Thiago disse...

fodastico


eu lembro q ficava discutindo com uns amigos meus sobre megadrive e nitendo e a histeria q foi quando vimos o sonic se transfomar em super saiajin


e é claro os eternos cavaleiros do zodiaco

Vicente disse...

TOP TV, caras! Esse pra mim foi o melhor programa da década. Foi só em 92 que a Record começou a passar na minha cidade, e junto com séries até então "inéditas" como Missão Alien e o segundo ano de Águia de Fogo (céus, a primeira temporada havia passado na Globo uns dez anos antes!), chegava também aquele programa misto de Vídeo Show com Cinemania, mas falando só das coisas que mais gostávamos: cartoons, gibis, filmes de ficção científica, animes e garotas gostosas. Lembro que uma vez tiveram a coragem de passar em plena tarde um clipe só com cenas de nudez das loiras mais gatas do cinema, como Kim Basinger, Sharon Stone e Jodie Foster. Sem falar na "polêmica" sobre o suposto destino da garotinha Tabitha, a filha da Feiticeira, que cresceu e virou atriz pornô. Tudo cascata, claro, mas divertidíssimo!

BIEL !!! disse...

Amer...grande post ...minha infanci afoi nos anos 90 e me veio um sentimento nostalgico...uma coisa q eu me lembro dos anos 90 foram os 3 melhores filmes da disney!!! rei leão , a bela e a fera e alladin!! eu perdi as contas de quantas vezes eu vi esses filmes ...grande post !!! me amarrei

david disse...

Mais um grande post, Amer!e com um assunto que na certa agradou a maioria do pessoal que te acompanha!
.Eu nunca tive Tamagochi, nunca tive vontade de ter, mas achava interessante.

.Tiny Toons foi um dos melhores desenhos desse tipo que já vi!lembro até hoje do capítulo que aparecia a infância do Plucky e ele entupia o vaso de casa.
Freakzoid me marcou muito, pois eu tava numa época que eu buscava uma identidade e eu copiava tudo que eu vi em desenhos.

.Batman me fez quase cagar nas calças!Como podia ter um desenho tão bom assim?!esse desenho me motivou de novo a colecionar gibis.e desde então meus heróis favoritos passaram a ser homem-aranha e batman!!afinal de contas o batman não tinha super poder e o fato de ele parecer ter condições de encarar qualquer coisa que tivesse algum poder me deixava abismado.

. Eu tive os dois, mas primeiro tive o Mega Drive.e nunca virei um jogo sequer do Sonic!eu gostava , mas nao ligava pra jogar sozinho, sempre gostei de jogar com mais alguém.Mas foi no Snes que zerei meu primeiro rpg:Secret of Mana.

. Caraca, tu tem memória de elefante!eu tinha todas essas revistas!Ação games, a revista do fera!!!lembra da vinhetinha?

. Quando Marvel vs Street saiu eu já não frequentava os fliperamas da vida.mas bemdita seja a maravilhosa engwnhoca chamada "emulador", pois eu me divertir pacas na casa do meu amigo jogando esses jogos de NeoGeo e imitando o aperto de mão entre Ryu e Cyclope.

. Eu acompanhei aquela saga Massacre.Eu tive que com prar a revista do homem-aranha, wolverine, x-men, e depois A revista especial-final mas não tive saco pra acompanhar o que aconteceu com os não-mutantes que ficaram de iscas...espero que isso não seja spoiler pra ninguém.

. Até hoje tenho um gosto bem diversificado pra música, porque meu pai também o é e eu ficava horas ouvindo o que ele ouvia,mas ele é beatlemaniaco e eu cresci ouvindo os caras.

. Meu 1ºcontato com a MTV foi o clipe do Ozzy e eu fiquei com medo.Mais tarde vrei fã do canal:assiti Garganta e Torcicolo, e por último Piores clipes.

. Simpsons pra mim tá no mesmo patamar que Chaves e Chapolim:se tiver passando na tv pode ser a temporada que for, eu paro o que tô fazendo e vejo como se fosse algo inédito!!!

.Cavaleiros foi um primo meu que me indicou mas ele mesmo não viu pois quando a mãe del ouviu o Ares mandando um Satã imperial em não-lembro-quem ela proibiu o pobre de ver.Com certeza foi o desenho que abriu as portas para todos os outros que vieram do japão.Que bom, pois sem isso não teria visto Dragon Ball e YuYu Hakusho!!!

. Badabin Badabum Badaben!!!Beakman era tão fodastico que copiaram ele no Brasil(lembram de agente G?pra mim era meio que uma cópia).
A Rosie foi trocada e na minha opinião ficou melhor assim.

. Amer, você naõ assite Lost?eu tinha essa mesma sensação com Arquivo X.Todo mundo falava e eu vi um episódio e achei normal.daí não vi mais. Star Trek nunca prendeu minha atenção.


Deixei umas perguntas(ou afirmativas) pro final:

1 - João Gordo é incontestavelmente foda, mas alguém assitiu a merda que ficou os piores clipes do mundo com ele?


2 - Como é que um homem de uns quarenta e tantos vestido de rato pode ter tanta graça?até hoje não entendo, mas que era engraçado era!

3 - Falando em Lester, você lembra do 'DESAFIO DO LESTER!!!"?alguém lembra??

4 - De qual temporado são?
frases de Simpsons:
- eu adoro minha família!eu amo a Marge, o Bart, a menina-Bart e aquela pequininha que eu nunca lembro o nome...


- Existem 3 formas de se fazer as coisas:a maneira certa, a errada e a do Máximo Poder.
- mas pai, a última não seria igual a errada?
-Sim, só que é bem mais rápida!

Nossa, bati meu recorde de post!mais isso é sinal que você escrewve muito bem e nos faz querer opinar e interagir.
abraços

Amer H. disse...

Man... Top TV era nossa salvação em um mundo sem internet! Onde mais veríamos coisas do Ultraman em plena década de 1990?

Yeah, os desenhos Disney voltaram a ficar bons nessa época, mas sei lá, já falei muito de desenho no artigo, preferi não tocar nesse assunto.

Piores clipes num ficou ruim, é que a gente se acostumou ao jeito do Marcos Mion (que era ótimo apresentando esse programa e o João Gordo tem outro estilo menos palhaço. Esse foi o problema.

A resposta mais simples à sua pergunta é que Lester era um enviado de Deus. Simples!

Eu lembro que o Homer tava de porre quando falou a frase da garota-Bart, não lembro direito sob qual circunstância que isso aconteceu... acho que tou ficando velho...

Mas o outro é o episódio em que o Homer troca o nome para MÁXIMO PODER!!!! Episódio inesquecível! Acho que todos deviamos trocar o nome para MÁXIMO PODER em algum momento da vida!

É isso, abração!

lance disse...

Não disse que eram melhores nesse sentido[:P]

È que tinha mais entreterimento.
Sei la hoje uma revista de Games ta sempre abaixo da internet...dai sinto falt daquele humor, das imagens exclusivas, de uma HQ totalmente sem nexo... dos editores discutindo dentro das matérias...

...dos cards do Killer Istinctí(:P)

Lembro que tinham lançado o chaveirinho do controle do Mega Drive que todos queriam uma vez.

Amer H. disse...

Checa a última Gamemaster que você vai ver imagens de Tomb Raider que apareceram na revista antes de sequer serem lançadas na Net!

DIM-DIM!!!

Mas bom humor realmente falta as vezes, eu mesmo vivo falando isso. Quem sabe muda no futuro?

andcravo disse...

Cara! Ví o seu blog ontém numa comunidade de ps2 no Orkut...nunca fui de acompanhar blogs, entrei mesmo só pra dar uma olhadela e quando ví já estava há horas lendo os artigos!

Amer H. disse...

Damn, fico feliz de saber! Brigadão pela preferência!

Marcos Toledo disse...

Bravo! Bravissimo! Muito bom!

PS. Eu só tinha um bonequinho do meu signo, o Kamus de Aquário (Execução AURORA!!!). Mas a armadura dele nunca ficava presa no braço direito. :-(

david disse...

Máximo Poder!Asportas devem ser abrir pra alguém com esse nome!Yeaaaaaah!!!!
Eu lembro que ele queria bordar o nome completo na camisa, mas a loja só bordava as inicias.inesquecível mesmo!
È verdade o que você disse sobre o Gordo.Tanto é que o próprio Mion disse que botaram o cara na maior roubada da carreira porque o Mion tinha deixado o programa a sua imagem e semelhança, então só ele mesmo poderia apresentar.
E você não tá ficando velho, tá ganhando mais XP e Skill Points.

p.s.: O Undertaker voltou!!!
abraço

BAH disse...

Odeio Tiny Toons. Não me pergunte o motivo, mas eu nunca consegui gostar desse desenho (e nem dos Animaniacs).

Refêrencia de desenho da Warner, para mim, é Pinky e Cérebro. Mas o desenho dos X-Men era legal (e melhor que o recente

"Evolution"), ainda mais depois das muitas doses homeopáticas exibidas no Top Tv (muito bem lembrado). Desenho para mim era X-Men e Aranha na Fox e Batman na Warner no início da noite. O longa-metragem "A Máscara do Fanstasma" eu considerava o melhor filme do morcego até surgir o Begins.

Até hoje sinto saudades da época do Super Nes e nunca me interessei pelo Neo Geo. Só o vi nas locadoras precursoras das Lan

Houses onde pagavamos para jogar por alguns minutos genéricos de Street Fighters. Tem algum jogo bom de Neo Geo que não seja

um Street Fighter genérico?

Li muito pouco a Supergame. Mas no meu sotão ainda tenho as primeiras edições da "Videogame" e da "Ação Games" (incluindo as

duas primeiras que foram ótimas edições especiais).

Naquela época eu já não gastava tanto dinheiro em fichas de fliperama (e sim alugando jogos de Super Nes). Mas cheguei a

atender aos apelos dos elefantes do Dhalsim me chamando no bar da esquina próximo a casa do meu pai.

Foi nos Anos 90 que eu, tardiamente, comecei a ler HQs de heróis (mais precisamente, X-Men) justamente por "Inferno". Me

mantenho até hoje um fiel leitor por ter sido um rato de sebo e ter praticamente todo o x-material lançado antes da Marvel

começar a imitar a Image. Hoje, por pior que seja o momento atual, me mantenho firme lendo a turma do Wolverine.

A música dos Anos 90, com raríssimas exceções, eu passo. O destaque dessa década vai para o seu finalzinho, com o surgimento

do MP3 (e do Napster na virada do século).

E agradeço por nunca ter tido problemas em sintonizar a MTV, graças a uma poderosa antena coletiva existente no meu prédio,

que além da emissora musical, ainda me dava um resíduo de imagem da ESPN. Hoje em dia, assim como muitos, não quero a MTV nem

de graça. E a Sabrina era (ainda deve ser) uma puta gostosa.

Me arrisco a dizer que os Simpsons é o melhor legado dos anos 90.

Cavaleiros do Zodíaco eu comecei a acompanhar depois de todo mundo. E talvez por já estar um pouco velho, não dei muita bola

(preferia o desenho "cagão" dos X-Men e do Homem-Aranha). E isso me poupou da busca por mais desenhos japoneses (só com um

pouquinho de saudade de Pirata do Espaço e Patrulha Estelar). E até cogitei arrumar um boneco do cavaleiro de sagitário, mas além de feios, eles eram caros pra cacete.

Power Rangers para mim é a série da Kimberly. E só.

Não assisti Beakman, mas não perdia um desenho do Tintim, velho conhecido meu dos livros da Editora Record desde a década de 80.

Fã de Star Trek? Sorry. Não tenho o menor interesse nessa série. E vale o mesmo para Lost. Arquivo X me deixou tão traumatizado que agora eu espero uma série terminar para saber se vale a pena assistir. Arquivo X acabou para mim (e para muita gente) no longa horroroso que eu ainda me dignei a assitir no cinema. De qualquer maneira, obrigado pelo link com fotos da Gillian Anderson. Até hoje tenho uma revista portuguesa chamada EGO comprada só por causa de 3 ou 4 fotos da Gillian em trajes sumários.

Lendo esse artigo, acabo de me dar conta que os Anos 90 não foram tão ruins quanto pareciam. De qualquer maneira, a maior saudade que eu tenho da década passada é o tempo livre para aproveitar o que eu gosto.

Amer H. disse...

Sim, de fato... e conforme o tempo passar, sentiremos ainda mais saudades, pois o tempo no dia-a-dia começa a ficar cada vez mais raro conforme os anos vão passando...

Marcelo disse...

Amer, dessa vez vc se superou. Cheguei a imaginar todas as etapas que eu passei nessa fase boa da nossa vida. Com certeza, Cavaleiros do Zodíaco iniciou uma era muito maneira de desenhos japoneses passados na extinta rede Manchete. Os jogos então nem se fala, tive um master system III mas jogava Snes e Mega na casa de amigos. Flipperama era demais, as melhores maquinas sempre ficavam em botequins, padarias e outros logares sinistros. Matei muito tamagotchi das minhas amigas também, principalmente depois que eu descobri que quando se apaga a luz, o bicho mesmo sem vontade continua comendo, hahahahahaha. Valeu por esse post amer, aguardo ansioso pelo próximo, e seus comentários foram o máximo. Ah, e mais uma coisa, a versão dos jogos de fliper para os consoles caseiros era uma merda.

Cheers and justice for all!!!!

Nanda disse...

Amer, os meus posts ficam MUITO mais divertidos depois que vc comenta! hahahahahahahhahahaha!!!

"Você conseguiu o impossível na minha opinião: fazer um post cheio de referências de duplo sentido e cocô de pulgão, que culmina com o assassinato de uma joaninha"

Nem eu conseguiria resumir de forma tão genial! hahahahahahahahahahhaah!! Morri de rir!!

E vc recebe muitos acadêmicos de física nuclear, não??
ahhahahahahahhahahahaha!!

Beijo!!

Amer H. disse...

Thanks pelos elogios man! E algmas conversões de arcades eram boas!

Por exemplo Golden Axe, Forgotten Worlds e Contra.

E não, nunca recebi nenhum físico nuclear aqui.

Eu acho...

Eu espero...

Eu temo...

Nanda disse...

Mas vc esqueceu um ponto importantíssimo da história toda! O post culmina com o assassinato de uma joaninha por formigas que ACARICIAM a barriga dos pulgões com as antenas!!!

É muita emoção na Biologia! ahhahahahahahahah!! Duvido que na Física Nuclear tenha tantas coisas assim!

Beijo!

Amer H. disse...

AAAAAAAAAAAAAARGH!!!!!

Como coisas tão grotescas vieram parar no meu blog? Na parte dos comentários ainda por cima!!!!

Jesuis!!!

Formigas são legais quando são gigantes e secretamente Transformers!

Aliás, qualquer artrópode só é legal se for mecânico e gigante e secretamente se transformar em um robô!

Ou se tiver o poder de passar suas habilidades para um humano via picada radioativa.

Espero ter deixado tudo claro!

Nanda disse...

Acho que chegamos a um consenso! ahhahahahahah!!

Eu também odeio artrópodes (a menos que eles sejam robôs, como vc bem disse)!

E essas coisas grotescas vieram pros seus comentários devido ao seu post sobre os vilões, em que vc colocou uma foto do Mum-Rá que eu queria!

Como a vida é, não? hhahahaha!

Amer H. disse...

É... a vida é curiosa... só falta eu descobrir que você é na verdade uma de minhas arqui-inimigas na vida real.

Mas acho pouco provável.

E nem quero imaginar o que as outras pessoas vão pensar quando entrarem nos comentários e virem esse diálogo horrendo que tivemos.

lance disse...

"Formigas são legais quando são gigantes e secretamente Transformers!"

Viva a Realeza!!!!!!!!!!!
-Inferno predacon

Amer H. disse...

Exato! Após essa declaração, nada mais precisa ser dito!

Nanda disse...

hahahahahahah!!

Ok, ok!
Eu me rendo!

Cidão Oliveira disse...

Power rangers têm a força
Power rangers são herois!
juntos eles formam o poderoso megazord
o mundo confia em voces

power
power
power rangers!

....



foda!

li o blog todo ueahuae.
Beakman *_* LEEEESTER.

e eu lembro da tal briga Grow\estrela

andcravo disse...

Me lembro bem dos videogames, nunca tive nenhum deles (Mega e Super Nes), mas tinha um carinho especial com o Mega. Adorava quando os games saiam tanto pra Mega e Super Nes e ficava vendo as revistas só pra comparar as diferenças do game de um console pra outro. Cheguei até a trabalhar em uma locadora só pra poder jogar Street Fighter de graça, coisa que na época era quase impossível porque o Super Nes era cobiçado demais.
O engraçado era que a gente era meio novo e não entendia praticamente nada daquelas sequências de comandos desses jogos de luta e ficava quebrando a cabeça tentando entender a sequência das setas que as revistas explicavam...tipo: magia do Ryu, e quando alguém conseguia fazer um hadouken era como se fosse uma mágica, mesmo!Eu peguei muito a época da revista Videogame que tinha até uns reviews de Atari! Tinha um Master System, mas babava nos games do Super Nes pela enorme variedade! Na época só eu tinha o Master,comprava poucos jogos e praticamente todos os meus amigos tinha um Phantom System da vida. Engraçado que eu era/sou fãnzaço do Street Fighter, nunca gostei tanto do Mortal Kombat, achava meio complicado demais e gostava mais dos gráficos "desenhadinhos" dos Streets da vida.
E MTV? Só via em anúncio de revista! Caramba! Um canal só de clipes, shows ?!? Era tudo o que eu queria!!!! Morando ainda moro no ES mas nessa época MTV era só do Rio e SP, eu ia ao delírio no fim do ano nas férias...porque ia viajar pro Rio e só via a MTV na casa do meu tio! E voltava praticamente saciado de clipes por quase 1 ano (até as próximas férias).
**Não posso deixar de dizer que Emuladores foram a maior invenção do mundo da informática!

Amer H. disse...

Diabos, dudes! Os anos 90 foram realmente uma época especial.

E grande parte disso realmente se deve à Street Fighter e a guerra dos consoles!

Tudo sempre se resume à games, é o que e sempre digo!

fellipe disse...

boa noite amer ;)

tenho quese certeza que vc vai lembrar, lembra no canal 9 cultura, passava um seriado de terror que tinha fantasmas, eles moravam em um farol, nao lembro o nom,e da serie, gostari muito de saber,desde ja obrigado

Amer H. disse...

Rapaz, não faço idéia de que série seja essa...

fellipe disse...

:( nao faz mal, era so pra eu entrar na comunidade da serie rssss

Flavio disse...

Hey, se não me engano simpsons começou na década de 80 hein hauhau mas blz o auge com certeza foi na década de 90 ^^, aliás ambas as
listas ficaram muito boas hehe parabénss

Marco Antonio disse...

Falou de referencias a Simpsons, o medidor de sarcamos foi uma delas, não???O Cara dos Quadrinhos explodiu o medidor de sarcasmo Pro. Frink.

=D

Krlamovie disse...

Quando eu era pequena adorava assistir o Teatro dos Contos de Fada que passava na Cultura, não perdia um, assistia O Mundo de Beakman tbm, Doug, Tin Tin e tbm passava de canal quando começavam aqueles programas chatos demais. Mais aí eu cresci, mas, assim mesmo continuei querendo ver algo que me fizesse lembrar minha infância adolescencia, então passei pela época Disney Cruj no SBT, mas, posso dizer que hj com 29 ainda me sinto uma criança, gosto de assistir iCarly, é muito legal, mas, o seriado que marcou minha vida foi F.R.I.E.N.D.S, era engraçado, hj assisto Csi Las Vegas, mas, ainda jogo no meu pc com um emulador de Mega Drive e um emulador de Atari. Amei esse blog.

Krlamovie disse...

Quando eu era pequena adorava assistir o Teatro dos Contos de Fada que passava na Cultura, não perdia um, assistia O Mundo de Beakman tbm, Doug, Tin Tin e tbm passava de canal quando começavam aqueles programas chatos demais. Mais aí eu cresci, mas, assim mesmo continuei querendo ver algo que me fizesse lembrar minha infância adolescencia, então passei pela época Disney Cruj no SBT, mas, posso dizer que hj com 29 ainda me sinto uma criança, gosto de assistir iCarly, é muito legal, mas, o seriado que marcou minha vida foi F.R.I.E.N.D.S, era engraçado, hj assisto Csi Las Vegas, mas, ainda jogo no meu pc com um emulador de Mega Drive e um emulador de Atari. Amei esse blog.

rafa de almada disse...

pooooooooooooxa kara! fiquei saudoso agora! e voce acertou numa coisa: minha mãe assistia cavaleiros dos zodiaco... só que ela assistiu tudo até o final ( inclusive a sada do poseidon ) XD! E o arquivo x é classico! lembro-me q m cagava todo d medo kum akela bendita dakela musikinha de abertura ... q vergonha xD! vc squeceu d falar to Star gate rpaz !! E eu fico muito feliz de ter passado pelo áuge da febre dos desenhos nipônicos, foi a melhor época da minha vida!

gui008 disse...

Olha o maldito nerd q tem prova amanhã, nem sei de que aqui comentando, mais whatever, ferrado, ferrado e meio '-' ... Beakman passa na tv cultura Às 13 (eu acho) e depois às 18 ou 19... HOJE AINDA... gente, Beakman SEMPRE foi o meu ídolo *-*. Eu lembro tbm q sempre quis um tamagochi, nunca tive por causa da situação financeira da família T-T... Assistia todos os desenhos do cartoon, CdZ, dragon ball, aiai... é bom relembrar as coisas boas da infância... Momento nostalgia agora :/

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

Tiny Toons era uma viagem, pena que assisti bem pouco. e na minha opinião,as vezes fazia mais graça que a série clássica.

o desenho do Batman, foi um dos desenhos não imbecis que eu vi. o do Superman era marrom meno...para falar a verdade, foi por causa da animação da DC que soube o que diabos era o Cavaleiro das Trevas...se bem que eu via a série com o Adam West, mas eu tinha uns 3 anos...

sobre a guerra do SNES e Mega nem tem o que se dizer, foi uma época mágica para se aproveitar games. ao contrário da maioria, onde esses consoles envelheceram mal, por aqui no bairro, nas locadoras, mesmo com os PS2 e XBOX, a maioria ainda abraçava o SNES e Mega por um bom tempo. acho que foi em 2004 que finalmente eles se aposentaram....e as revistas de games na época, eram gostosas de ler. quando você tinha um detonado sobre tal jogo, na locadora, o nerd virava um semi deus entre os gamers locais...me lembro quando tinha um detonado completo do FF8...

já hoje em dia, com a internet. basta digitar o nome do jogo para saber de tudo sobre ele, até mesmo antes de ser lançado. e quando finalmente chega...o gamer não se surpreende e detonados se tem aos baldes, o que é uma benção.

os jogos dos Flippers realmente eram legais, quase tanto quanto jogar na locadora. Marvel Super Heroes, Xmen Children of Atom, Street Fighter Zero,Super Sidekicks e muitos outros como as infames maquinas da Kof que perderam sua magia de outrora.

sobre os quadrinhos, não os comprava na época. as músicas eram REALMENTE boa naqueles tempos(Justin Bieber? Selena Gomez? VAI SE FU@!##@) Nirvana, Radiohead e outros era o que há.

os Simpsons só assistia aos sábados na Globo e vagamente prestava atenção(o que foi um erro) mas eram populares. a turma do Seiya e seus cavaleiros emos(tirando Ikki e Saga) só gostava quando era moleque. e como anime era novidade, não pode me culpar. anos depois a Band voltou a exibir o desenho e cara...a parte que me fez perder a fé no Seiya e sua turminha da pesada, foi quando o mesmo dispensou a gostosa,pernuda,linda,maravilhosa da Shina para ser pau mandado daquela vaca da Saori....Seiya e ela sozinhos naquela floresta. só eu imagino as possibilidades?

claro, até o Aioria aparecer e bancar o empata foda e impedir o coito dos dois...

Saint Seiya é um saco...de jujubas

Power Rangers e Star Trek são bacanudos.

ah, o mundo de Beakman. bons tempos onde se passava programação infantil saudável e REALEMNTE APRENDIAMOS ALGUMA COISA! graças ao Beakman,Ciências se tornou minha matéria favorita. não como essas palhaçadas que a Disney passa hoje em dia.

Icarly: aborto

Sem Sentido: diarreia

Zoey 101: que essa seja violada pelo ursinho Fritz

boa Sorte Charlie: gonorreia, sifilis e todas as doenças sexualmente transmissiveis e escola de talentos...retardado a máxima potência...

sinceramente, preferia 100 vezes que a Disney passasse os desenhos clássicos o dia inteiro do que essas séries idiotas. se for pai um dia, proibirei meus filhos de verem qualquer desenho da Disney.

e eu nunca vi Arquivo X

Carol Viper disse...

Olá Amer, excelente postagem... Posso dizer com propriedade que a minha infância fora perfeita! E ler este post me fez voltar no passado...

Badabim, badaboom!

E uma sugestão, faz umaa postagem sobre Star Trek, ia ser foda ler sobre esta série maravilhosa aqui! vida longa e próspera :D