sexta-feira, 11 de abril de 2008

Histórias que nossos pais não contavam!


Ahhhh, contos de fadas! Histórias inocentes que nos eram contadas na infância e que ensinavam valores que carregaríamos pelo resto de nossas vidas!

De fato, quando era criança eu tinha uma coleção enorme de livros de contos de fadas da Disney, que vinham acompanhadas de fitas com duas histórias cada uma e que podiam ser acomodadas em uma horrorosa estantezinha de plástico amarelo que vinha em partes junto dos fascículos da série!

E eu era apaixonado por essa coleção, todo santo dia voltava da escola, ia ler algumas histórias enquanto acompanhava minha leitura coma narração das fitas!

Até que meu irmão desgravou uma das fitas e eu recebi bronca por ter deixado ela jogada em primeiro lugar, o que o levou a tal ato.

HA!

... infortúnio...

Mas enfim, estas histórias eram amáveis relatos inocentes feitos para crianças!

Inocentes? Será?

Certo, não vou bancar o psicólogo desocupado e começar a debater os valores psicanalísticos dos contos de fadas, mas vou agir como o super nerd que sou e mostrar um pouco das versões originais destas histórias.

Sim, as versões originais! Você sabe que a Disney e diversos outros autores deram uma amenizada bacana nestas histórias antes de lançarem para seu público não?

Bom, está sabendo agora, esses contos normalmente tinham detalhes que aterrorizariam as platéias dos dias de hoje se fossem transformados em filmes ou desenhos que seguissem a risca seu enredo original.

Então venha comigo enqüanto eu destruo o que restou de sua inocência infantil!

Garanto que você nunca mais vai ver um filme da Disney com os mesmos olhos!!!



João e Maria

Todo mundo conhece essa história: uma família mora no meio da floresta e está passando fome, a madrasta obriga o pai a abandonar as crianças na floresta e elas acabam encontrando uma bruxa, que faz Maria de escrava enqüanto engorda João para comê-lo depois.

Essa foi uma das histórias menos alteradas ao longo dos anos, de fato, há só um detalhe que foi mudado ao longo dos anos: a bruxa não enxerga bem e sempre manda João lhe dar o dedo para que ela possa checar se ele está gordo o bastante para o abate.

Nas versões adaptadas, ele dá a ela um galho de madeira para a bruxa segurar.

Na versão original, João encontra os restos mortais da última vítima da bruxa e lhe dá um dos ossos dos dedos do cadáver para a bruxa toda vez que ela pede.

Yuck!


E um detalhe interessante... ou talvez estarrecedor, é que na época em que essa história foi escrita (na época da idade média) muitos pais REALMENTE abandonavam seus filhos na floresta para se virarem sozinhos, para reduzir os gastos da família com comida.

É, pois é...

Vamos para o próximo.


A Pequena Sereia

Ahhhh, esse é pesado! E é também um dos contos que mais foi modificado ao longo dos anos! Já já você vai ver por quê.

Bom, a Pequena Sereia (que aqui não se chama Ariel) tem um grande interesse no mundo da superfície. Suas irmãs mais velhas, que já tem permissão para subir e ver como é lá em cima, sempre voltam e lhe contam o que viram, aumentando ainda mais sua curiosidade.

Um belo dia, a Pequena Sereia faz 15 anos e recebe autorização para subir e conhecer o mundo da superfície. Ela o faz, vê um navio em uma tempestade e salva um Príncipe Bonitão de morrer afogado.

E as semelhanças com o filme da Disney acabam aqui.

Enfim, ela se apaixona pelo Príncipe e faz um trato com a bruxa do mar (que aqui não se chama Ursula) para poder se tornar humana e ficar com o cara, a velha ajuda mas quer em troca a língua da Sereia, para que ela não mais possa cantar.

A língua... não a somente a voz, veja bem...

A bruxa lhe dá uma poção para beber e lhe avisa que ao se transformar em humana, ela sentirá como se fosse cortada ao meio por uma espada e cada passo seus erá como se estivesse andando sobre lâminas de facas.

Ela toma a poção mesmo assim e presenciamos uma longa e dolorosa cena em que sua calda se parte no meio para se transformar em um par de pernas.

Sangue... sangue pra todo lado! Uma coisa horrorosa!!!

Alguns estudiosos dizem que isso é um simbolismo para a perda da virgindade de uma menina, mas eu sinceramente não sei.

E há um porém: se o Príncipe não se apaixonar por ela, ela vai morrer com o coração partido e virar espuma marinha no dia seguinte ao casamento dele.

Diabos, é por isso que eu sempre leio a letra miúda dos contratos que assino.

Enfim, ela vai até à superfície e conhece o Príncipe, os dois passam muito tempo juntos e ela dança para ele sempre que o fanfarrão pede, mesmo sentindo dores lancinantes sempre que faz isso.

Um belo dia, o Príncipe se casa com outra moça e a Pequena Sereia fica de coração partido. É a hora que ela lembra de todos os sacrifícios que fez pelo cara e entra em desespero.

Diabos! isso sim é um simbolismo!!!!

As irmãs da Pequena Sereia aparecem e lhe dão um punhal. A Bruxa do Mar lhes deu o artefato em troca dos cabelos de todas elas e se a Pequena Sereia matar o príncipe com ele, ela voltará a ser uma sereia.

Claro, ela não tem coragem pois ainda o ama e assim que o sol nasce ela morre e vira espuma marinha.

Pois é...

...

E o Sebastian nem apareceu...



Cachinhos Dourados e os Três Ursos

Numa casa na floresta, moravam três ursinhos: Papai Urso, Mamãe Ursa e o Bebê Urso. Um dia, enquanto esperavam seu mingau esfriar, eles sairam para dar um passeio pela floresta e deixaram a casa aberta.

Então, a fanfarrona da Cachinhos Dourados apareceu e zoou o barraco deles: comeu o mingau do ursinho, quebrou a cadeira dele e dormiu em sua cama!

Quando os ursos voltam, ela ainda está dormindo. Então eles a acordam e lhe dão um susto, para que assim aprenda a não mexer nas coisas dos outros!

Isso na versão adaptada.

Na versão original... eles a matam...

...

Eu sou o único que acha que uma cena em que três ursos despedaçam uma garotinha loira é grotesca demais para se ilustrar uma história que se conta pros filhos antes de dormir?

Sério, imagine uma menininha sendo estraçalhada por três ursos!


...

Qualquer que tenha sido a imagem que sua mente concebeu, tenho certeza que foi abominável.

Ainda mais abominável é o fato de que os ursos são civilizados o bastante para ter uma casa com móveis e são capazes de esquentar mingau, mas não hesitam em trucidar uma criança que só cometeu o erro de ser bisbilhoteira.

E ensinaram ao bebê urso que não há nada de errado em homicídio.

Santa santa santíssima...


Cinderella

Não há grandes mudanças no enredo desta história, de fato ela é bem bonitinha.

Cinderella sofre nas mãos das meio-irmãs e da madrasta, que fazem ela de escrava e fodem com sua vida, além de não deixarem que ela vá até o grande baile onde o príncipe provavelmente escolherá uma moça para lhe furar o bolo.

Cinderella fica arrasada e a Fada-Madrinha aparece, fazendo Bibidi-Babidi-Bu e resolvendo os problemas da menina até a meia - noite.

Uma história bem fofa e que pode ser tranqüilamente contada às crianças na hora de dormir... mas eu omitiria um certo detalhe...

Cinderella esquece o Sapatinho de Cristal no baile, ao sair apressada a meia - noite. O príncipe o encontra e doido pra dar uma com a loira pra quem ele pagou um pau a noite toda, ele resolve sair experimentando o sapato em cada uma das meninas do reino.

Tudo muito bom, tudo muito bem até que ele chega na casa de Cinderella e as irmãs tentam experimentar os Sapatinho.

Claro, elas tem pés maiores que os do Sideshow Bob e não dá certo, até que elas tem a brilhante idéia de pegar facas e "adaptar" seus pés para que caibam no calçado.

...

É isso mesmo que você pensou...

As duas se mutilam mas não adianta, pois o sapato só serve em Cinderella que larga a vida de pobretona e vira socialite com o Príncipe.

Bom, pior que a Paris Hilton ela não ficou, tenho certeza.



Chapeuzinho Vermelho

Chapeuzinho Vermelho é uma menina boazinha que saiu pela floresta para levar bolo e vinho para sua avó doente.

Aí apareceu um lobo que a fez ir pelo caminho mais longo, foi até a casa da velha, comeu ela (canibalísticamente falando) e tomou seu lugar, quando a Chapeuzinho apareceu, ele comeu ela também.

Depois vem um caçador que abre o lobo enquanto ele dorme e tira Chapeuzinho e a vovó de dentro dele e todos ficam felizes! O caçador descolou uma pele de lobo, a vovó pode se entupir de bolo e encher a cara de vinho e a Chapeuzinho aprendeu que não deve dar ouvidos a desconhecidos, pois eles podem querer comê-la.

Tudo muito bom, tudo muito bem.

Mas em uma versão da história, o lobo não morre (nem acorda) quando o caçador tiras as duas de dentro dele e a Chapeuzinho, num surto de sadismo, resolve encher o bicho de pedras o que lhe causa uma morte que é com certeza lenta e horrível.

Ignore o fato de que o lobo foi aberto, enchido de pedras e costurado sem sequer acordar...

A versão original no entanto, não tem caçador e a Chapeuzinho e a vovó permanecem mortas ao fim do conto.

E eu sempre vou me perguntar por que picas chamam a menina de "Chapeuzinho Vermelho"! Ela usa um capuz e não um chapéu!!!!!!!



Rapunzel

Aqui, temos uma fada (ou bruxa, dependendo da versão) que mantém presa em uma torre uma menina que lhe foi dada como parte de um trato. A menina tem longos cabelos dourados e a fada/bruxa os usa para escalar a torre quando quer subir.

Um belo dia, um príncipe passava pela torre e ouviu a fada/bruxa dizendo "Rapunzel, joga suas tranças para que eu possa subir, vadia!" e resolveu tentar a sorte. O karma sorriu para ele, que passou a comer Rapunzel toda noite.

O momento em que a fada/bruxa descobre sobre o caso de Rapunzel costuma variar de acordo com a versão. Em uma delas, Rapunzel começa a ganhar peso, pois está grávida do Príncipe e pergunta pra fada/bruxa por que suas roupas estão ficando tão apertadas.

Em outra, quando a fada/bruxa sobre por suas tranças ela solta o comentário: "Por que você é mais pesada que o príncipe, que logo estará aqui a me visitar?"

...

Honestamente, prefiro a versão em que ela é ingênua à versão que ela é universitariamente burra.

Bom, a fada/bruxa corta o cabelo de rapunzel e a expulsa da torre. O príncipe vem visitar em seguida e quando vê que não tem mais Rapunzel pra comer, ele cai lá de cima e os espinhos ao redor da torre lhe furam os olhos.

Cego, perdendo sangue mas ainda vivo, o príncipe vagou a esmo pela floresta durante anos, se alimentando de raízes e grama até que um dia trombou com Rapunzel, que vivia em uma cabana nojenta e feito uma miserável com os gêmeos que teve dele.

Os dois se reencontram, as lágrimas da moça curam os olhos do príncipe, os gêmeos deixam de ser bastardos imundos e Rapunzel finalmente tem um tonto que lhe sustente!

Devo reconhecer... pra construir uma cabana na floresta estando grávida de gêmeos, a menina deve ser durona!

Mas enfim, na versão que eu conheci, o príncipe e a Rapunzel não trepavam em momento algum.

A história parece ensinar às meninas que se encontrarem alguém de quem gostem, devem deixar que ele passe a maionese na esfiha delas todo dia pois mesmo que engravidem, o cara não as deixará e vagará pela floresta todo dia até as encontrar.

É... sabemos que isso acontece o tempo todo na vida real, com certeza...



A Bela Adormecida

Aqui, um rei e uma rainha tem uma filha, que no dia de seu nascimento é abençoada por três fadas.

Uma bruxa aparece na festa e amaldiçoa a princesa (que na versão da Disney se chama Aurora, mas não sei se é o nome original) a espetar o dedo em uma agulha de fiar quando fizer 15 anos e dormir para sempre.

Sei lá por que a bruxa fez isso, vai ver não tinha dormido bem aquela noite.

Enfim, a princesa faz 15 anos e espeta o dedo na agulha, dormindo até que um príncipe a encontra, lhe beija e a menina acorda. Então os dois passam a viver juntos e são felizes para sempre.

ENTRETANTO...

... há uma versão da história onde o príncipe é bem menos nobre...

Pelas pesquisas que eu fiz, não parece ser a versão original do conto mas sim uma de suas adaptações. De qualquer forma, é doente.

Nesta versão, o príncipe não beija a princesa... bom, na verdade ele beija... e apalpa... e lambe... e chupa... e a penetra...

... e diferente do príncipe da Rapunzel, ele se manda... feliz da vida consigo mesmo e com saco esvaziado, como diria o Jody.

"Que horror!" você diz, "E a coitada da princesa dormiu pra sempre?"

Não, não, ela eventualmente acordou.

Veja bem, o príncipe não usou camisinha e a princesa acabou engravidando e dando a luz enquanto estava adormecida. O bebê então a escalou e começou a chupar seu dedo, tentando mamar e é aí que ele remove a agulha que ainda estava fincada no dedo da moça, neste momento ela acorda.

Eu acredito que quando despertou, viu um bebê chupando seu dedo e os restos de uma placenta em sua cama, a princesa deve ter ficado no mínimo confusa.

E levando em consideração o fato do príncipe ter se aproveitado de uma garota inconsciente, posso afirmar com veemência que ele é um estuprador!

Infelizmente, duvido que a princesa tenha feito com ele o que a Beatrix Kiddo fez com o enfermeiro escroto que a estuprava enquanto ela estava em coma.

Cest' la' vie...



Branca de Neve e os Sete Anões

E vamos nós a mais uma madrasta cruel! Aqui temos uma rainha que se acha a última bolacha do pacote e que sempre pergunta para seu espelho mágico quem é a mais gostosa do reino.

O espelho sempre diz que é ela, até que um dia a Branca de Neve cresce o suficiente pra ser a mais peteca de todas.

A rainha não aceita e manda um caçador matar Branca de Neve na floresta e trazer se coração como prova do feito. Ele aceita mas no fim não tem coragem e a deixa ir, levando o coração de um cervo pra mostrar a rainha como prova.

Daí a Branca de Neve vai morar com os Sete Anões (Tchurin - Tchurin - Tchun - Fry) e basicamente vira empregada deles. A rainha fica puta aquando o espelho diz que ela ainda não é a mais gostosa e resolve matar a Branca de Neve ela mesma.

Como? Você sabe, lhe dando uma maçã envenenada, que a menina prontamente come e capota.

Os anões fazem o velório na floresta e neste momento passa um príncipe que se apaixona por ela, a beija e assim que ela acorda, os dois vivem felizes para sempre!

Quero fazer um comentário aqui, pois sempre passa um príncipe pelo lugar onde ocorre a história. Caralho, quantos reinos existiam na Europa? Ou será que eram todos filhos do mesmo rei? Acho que jamais saberemos.

Muito bem, na versão original, a rainha má quer o coração de Branca de neve, mas não para ter prova de que ela está morta, não senhor! Ela quer comê-lo!!!

... é...

E dependendo de quem está contando, não é apenas o coração, há outras versões em que ela pede o fígado ou os intestinos, com a mesma intenção.

Outra coisa, o príncipe originalmente não beija a Branca de Neve e a acorda, ele convence os anões a deixarem que ele leve cadáver da menina para o castelo, pois se apaixona por ela de tal forma que não consegue sequer sem alimentar se o corpo inerte dela não estiver por perto.

Nessa versão, ela acorda pois um dos servos do príncipe fica revoltado por ter de carregar uma morta para todo lado e bate nas costas dela com força, o que a faz cuspir o pedaço de maçã envenenada que havia entalado em sua garganta e a faz acordar.

Se os anões soubessem fazer a manobra Heimlich, nada disso teria acontecido.

Aliás, vamos considerar que o príncipe se apaixonou por uma garota morta.

NECRÓFILO!!!

Mas o melhor estava por vir! A punição da rainha má!!!

Ela é convidada para a festa de casamento do príncipe e de Branca de Neve e lá é forçada a usar sapatos de ferro que são aquecidos até ficarem em brasa. A mulher então é obrigada a dançar até morrer de exaustão, enquanto os sapatos carbonizam seus pés.

Não lembro o que aconteceu com ela no filme da Disney, mas tenho certeza que não foi isso.

E gostaria de ressaltar que em todas as versões, Branca de Neve abandona os anões após conhecer o príncipe.

Mal agradecida!!! Quem foi que te deu abrigo e alimentação enquanto você tava perdida na floresta? Se não fosse por eles você ia acabar sendo comida feito a Chapeuzinho ou despedaçada feito a Cachinhos Dourados!!!

Enfim, encerro aqui este tópico! Se você conhecer a versão original horrenda de algum conto de fadas, me avise! Sempre gosto de pesquisar novas formas de aterrorizar crianças!

E a maioria das imagens deste artigo vieram do site da editora Zenescope, que publica a série de quadrinhos Grimm Fairy Tales, que reconta diversas destas fábulas sob uma ótica bastante... atual.

Os roteiros nem sempre são brilhantes, mas a arte é espetacular. É como ler um gibi da Image!

Bom... a arte da capa é espetacular...

Antes de ir, quero agradecer à minha amiga Nicolle por ter me contado sobre algumas histórias cujas versões originais eu não conhecia!

E por hoje fico por aqui!

Cheers!!!

18 comentários:

doggma disse...

Caramba, texto foda (e um pouco diferente da linha dos anteriores). Acho que o assunto dava pra mais uns capítulos, não?

Não sei se você já leu "Fábulas", da Pixel Media... não é o tipo de coisa que você leria pros seus filhos. Especialmente a história do Príncipe Sapo e a Branca de Neve se vingando de cada um dos Sete Anões (bando de fdp!) com a frieza de um Jigsaw.

Sandro disse...

blz cara gostaria que um dia vc fizesse uma matéria sobre os jogos punch e kick como os street of rages(bareknuckle) e os final fights da vida, de mega e super nes,, falowz...

Amer H. disse...

Se eu encontrar mais versões chocantes e violentas de contos de fadas, pode crer qe eu farei uma segunda parte.

Quanto aos games, esse estilo de jogo se chama "beat'em up". Num esquenta que eu vou escrever sobre eles eventualmente.

fellipe disse...

que massa essas versões originais dos contos ja era de se esperar que aquele viado do Disney tinha que "enboiolar" as historias de verdade

Amer H. disse...

Acho que "emboiolar" não é bem o termo.

Se as histórias fossem lançadas em sua versão original, Disney teria sido conhecido como autor de histórias de terror.

Aliás, na época em que viveu, ele seria queimado vivo por isso.

Jersica Paes disse...

Olá, Amer!
Confesso estar um pouco decepcionada por você ter revelado segredos que eu não gostaria de saber (rs). Afinal, essas histórias foram presentes em minha infância... Mas, não posso deixar de apreciar sua pesquisa e, de bom grado, dar-lhe os parabéns. Adoro seu blog! Fico aguardando mais postagens... Se me permite uma sugestão: Alice no País das Maravilhas (história original) poderia ser uma postagem bastante interessante também. Um abraço e até a próxima!

Amer H. disse...

Oooops! Perdão!!! Não queria profanar sua infância!

Meus próximos artigos vão ser bem nerds, não sei se vão te agradar, mas agradeço os elogios e a preferência!

E outro artigo sobre contos de fadas está em produção, mais vai demorar um pouco ainda, heheu!

Ian Dimas disse...

Muito foda =D
Caso se interesse, tem um podcast do Jovem Nerd ( http://jovemnerd.ig.com.br/v4/podcast/ ) Que fala exatamente sobre esse assunto XD
É o número 66 =p

Amer H. disse...

Vou dar uma olhada depois, valeu o toque!

Edson disse...

O título do texto me lembra o filme "Histórias que Nossas Babás Não Contavam"... Ah, Adele Fátima!!

*suspiro*

Bom, o Doggma indicou uma boa referência de HQ´s. Atualmente, "Fábulas" é o meu gibi preferido. Vale a pena conhecer as versões politicamente incorretas (e muito mais humanas) das personagens de contos de fadas.

Parabéns pelos textos!

Amer H. disse...

Thanks! "Fábulas" parece bacana, assim que acabar minha atual correria, eu vou dar uma olhada!

Paturi disse...

A versão que eu conheci da pequena sereia é parecida com a que você relatou, a diferença é que eu conheço, no fim, ela nao vira espuma do mar, mas encontra umas criaturas mágicas que incumbem ela de uma tarefa e cada tarefa daria a ela mais um dia de vida.

Vinícius Wolfgang disse...

Mas na versão das disney... a bruxa da branca de neve também se fode valendo. confira no youtube brother... belo blog... estou viciado nos ultimos dias.

d. disse...

Na verdade TODAS as versões Disney são destruidoras das reais, não só adaptaram mas transformaram em outras, a maioria detstas q vc postou são encontradas naquele seriado q passava na cultura chamado "Contos de Fadas", eu tb tenho livros infantis q tem versõe mais próximas das madievais, eu até admiro o trabalho da Disney mas acho imperdoável o q eles fizeram se apoderando do dominio público e fazendo todas as pessoas só conhecerem os contos de fadas por eles, a imagem da Branca de Neve por exemplo, quase todo mundo já imagina aquela criada pelos tais estudios,sendo q em nenhuma historia medieval ela foi descrita com aquels trajes amrelo a azul. Pelo menos o q fábulas faz é transformar as historias descaramente enquanto a Disney faz isso disfarçadamente.

tmjhrm,lh,tr disse...

sobre a chapeuzin vermelho, conheci uma versão que falava sobre pedofilia e incesto. O lobo mal era um cara estranho, que convecia a chapuzin a tomar um caminho diferente. Depois ele "comia" a menina han han. Essa é a versão pedófila.
A segunda versão é que o lobo era simbolizava o pai[ou tio. Um parente mais velho, proximo]. Ele comia a chapeuzinho e a vó D; Como ninguém na época pudia falar sobre um pai estuprador, a hsitória da Chapeuzinho Vermelho foi feita por uma vítima, que provavelmente viu acontecer outra vez, com a mãe[ou avó] que tentou impedir o filho da puta do estrupador.

Disseram que o vermelho do chapeuzinho dela era simbolismo também. Tinha relação com a primeira menstruação, mas não levei isso muito a sério.

Quando eu era criança, li a versão que no fim, o caçador coloca pedra no estomago do lobo, pra ele não sentir falta de algo que ele tinha comido. Mesmo assim é bem bizarrinho, vai

Carlos disse...

Realmente, me lembro de quando era criança ouvir algumas histórias pra dormir, era uma coleção de livros que vinham com duas histórias e um CD pra ser escutado [Se não me engano, eram dez livros, totalizando vinte histórias e 10 CDs]. Na da Chapéuzinho Vermelho, lembro que o caçador além de colocar pedras dentro do lobo o jogava dentro de um rio assim que o mesmo estava acordando, o lobo, com o peso das pedras, era levado ao fundo do lago e morria afogado, e chapéuzinho, a vovó e o caçador assistiam de longe. Em João e Maria, dessa mesma coleção, João usava um osso do que parecia ser um animal que estava naquela gaiola para enganar a bruxa. Uma que me dava medo naquela época era uma tal de Dona Baratinha, até certo ponto, tudo bem, ela estava pronta para se casar com o rato nobre da vila, mas no dia do seu casamento, ele não apareceu, e os macacos, que eram os cozinheiros, haviam dito que ele havia caído na panela de feijão, e morrido, e depois começavam a gargalhar, o que fez com que eu nunca mais usasse aquele CD. Não me lembro o nome da coleção, mas lembro que era divulgada pela Folha de S. Paulo.

Lívio Nakano M.D. disse...

Sobre a Bela Adormecida, o motivo da revolta da Fada má (e não bruxa), é que ela não foi convidada pela família real para conhecer a princesa.

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

o principe da Bela Adormecida...merecia ser estuprado, ter a pele arrancada, os olhos perfurados, a lingua queimada, ter o pinto arrancado e faziam ele engolir o seu escroto e para completar, costurava a boca. e como misericórdia, deveriam leva-lo a um barranco e um belo tiro na cabeça encerraria o maldito.

ou jogaria ele do vale ou dava aos cães....

estuprador merece esse fim, se querem saber. no minimo...

e dessas histórias, a unica que vi passar com esses toques de realismo, apenas o da pequena sereia. na TV Cultura onde se passava os contos de fadas em desenhos japoneses/franceses/alemães/italinos. era muito bom e só passava em dia de sábado.

bons tempos.