domingo, 26 de março de 2017

Vamos divagar sobre Pin-ups


Sim, eu sei. Vocês esperavam a crítica de Logan... Infelizmente, ainda não tive chance de assistir.

O mesmo vale pra Star Wars: Rogue One, que eu provavelmente só vou criticar quando sair em LP, K7 e CD.

E vale também pra Power Rangers...

Mas prometo que na próxima semana vou me esconder em um cinema e não sairei até assistir a todos estes filmes! Me alimentarei da pipoca e dos papéis de Halls que caem no chão, e se necessário respirarei o assento das poltronas que foram sentadas por debutantes! Mas não regressarei ao lar até que minha missão esteja cumprida!!!

Até lá, aqui vai mais um artigo tapa buraco.

Se acostumem, porque vai ter muitos desses daqui pra frente. Hey, melhor que o blog ficar parado por meses, non?

E hoje, falemos de um assunto polêmico: Pin-ups!!! OOOOHHHHHHHH!!! ALGUÉM PENSE NAS CRIANCINHAS!!! OS MEUS SAAAAAAAAAAAAAIIIIIIIIISSSSSSSSSSS!!!

E não, este artigo não é uma mera desculpa pro Amber postar uma centena de desenhos de gostosas. Não! Nunca! De forma alguma! Se quisesse meramente entupir o blog de tesudas, eu resenharia mais um episódio de Prison School, ou de Queen’s Blade, ou faria mais um artigo sobre cosplayers. Aqueles sim, só existem como pretexto pra putaria.

Mas não, quero falar sobre pin-ups. Porque eu gosto de pin-ups e me deu vontade de escrever a respeito.

Sou um homem simples.

Pois bem, o que são pin-ups? Tá no nome, são pôsteres com imagens bonitas pra serem penduradas na parede. “Pin-up”, sacou? Eles surgiram no final do século 19, quando dançarinas burlescas viram no advento da fotografia, uma forma de divulgarem melhor seu trabalho. A moça se produzia, tirava uma foto linda e a transformava em pôsteres, que adornavam não apenas as salas de espera das boates onde trabalhavam, como os quatro cantos da cidade, chamando a atenção de muitos possíveis espectadores.

Claro, em uma sociedade puritana como a da época, tal atitude podia ser considerada extremamente subversiva, pois desafiava as convenções que ditavam a posição da mulher dentro da sociedade.

Sabe aquela palavra que sua amiga feminista adora dizer? “Empoderar”? Foi isso que as dançarinas burlescas fizeram. Ao pegarem sua sexualidade, a escancararem e não se permitirem serem envergonhadas por isso, elas empoderaram um bocado a si mesmas e a outras mulheres da época... Diferente da sua amiga, que acha que quebra paradigmas por fazer textão no Facebook reclamando dos sovacos raspados da Mulher Maravilha.

Bando de leite com pêra...

"Uma mulher que se sente bem por raspar as axilas? TRIGGERED!!!"

Eventualmente, estrelas do cinema perceberam que pin-ups eram uma ótima forma de auto-promoção, além de algo que podia render uma graninha extra. Uma das primeiras atrizes a seguir por esta nova carreira foi Betty Grable, cujos pin-ups ajudaram muitos soldados a aguentarem as duras noites no fronte durante a Segunda Guerra Mundial.

Muitas outras atrizes e modelos se destacaram no meio, mas nenhuma foi mais famosa que Betty Page... Que eu tenho certeza, você já viu ao menos uma vez, mesmo que não soubesse quem era:

E que deve ter te causado muita alegria na região do baixo ventre

Mas pin-ups não se limitam a fotografias. Muitos artistas logo perceberam que podiam economizar os cifrões necessários para se contratar uma Betty Page, se desenhassem suas próprias mulheres perfeitas... E ASSIM ELES FIZERAM!!! Com o passar dos anos, as mais lindas garotas nasceram dos pincéis de inúmeros artistas. E esta tradição se mantém até hoje, com a diferença de que as moças não mais adornam aviões prontos a bombardearem os cornos de Hitler, mas sim, às páginas da internet.

Não sei se o parágrafo acima ficou espetacular ou canastrão, então vou concluir que é um misto dos dois.

E da mesma forma que os artistas dos passados criavam seus desenhos inspirados em modelos da vida real, seus colegas do presente o fazem utilizando personagens da cultura pop como inspiração. Com isso, Diana de Themyscira e Elsa de Arendelle, dentre muitas outras, são elevadas ao mesmo patamar de Dita Von Teese e Jayne Mansfield.

Agora, eu amo a beleza feminina. Amo o corpo feminino e como suas formas lhe garantem uma sensualidade tão natural. Por conseguinte, também sou um amante de pin-ups, pois é um estilo que retrata de forma muito apaixonada tudo que há de mais atraente em uma mulher.

Mas pin-ups não precisam se limitar a isso. Muitos deles também nos oferecem uma fantasia cuidadosamente construida através de olhares, linguagem corporal e detalhes que podem não parecer óbvios a primeira vista. E alguns artistas são melhores em trabalhar isso do que outros.

Caso em questão: Dandonfuga.

Que eu acredito, também possui o poder de voar.

Dandon (cujo nome real eu desconheço) é uma artista norte americana... Ou canadense... Ou australiana... Bom, ela vem de algum país de língua inglesa... Ou talvez seja uma armênia que fala muito bem o idioma Trumpiano e que ENGANA A TODO SEU PÚBLICO DE FORMA LEVIANA E CHOCOLATANTE!!!

A verdade é que existe pouca informação sobre Dandonfuga na internet, e quando digo “pouca”, quero dizer “nenhuma”. A moça tem perfis no Twitter e Facebook, mas é extremamente reservada e usa redes sociais apenas para divulgar seu trabalho. De fato, ela sequer usa fotos em seus avatares, preferindo dar tais lugares a caricaturas. Sinceramente, no mundo narcisista em que vivemos, onde todos querem ser estrelas o tempo inteiro, a discrição de Dandon é extremamente refrescante.

O caso é que esta garota misteriosa tornou-se minha artista favorita da atualidade. E olha que ela tinha concorrência pesada neste quesito, como artgerm e mais um cara cujo nome não vou lembrar nem sob tortura.

Há muito o que se gostar no trabalho de Dandonfuga, como seu domínio de anatomia e seu talento para desenhar diferentes tipos de corpos, algo extremamente importante em arte que visa ser sensual. E sendo mulher, ela tem total noção de que seios possuem peso e os desenha de acordo com os efeitos da gravidade. Graças a Deus, porque criar peitos que parecem bolas de basquete em um túnel de vento são um dos maiores pecados que muitos desenhistas comentem.

Mas aquilo que mais me atrai em seus desenhos, é o quanto as personagens neles retratadas são expressivas. Seus rostos e olhares transmitem um mundo de emoções, de determinação e travessura, até a mais pura malícia.

Agora, se eu fosse um canastrão, diria que é “impossível escolher um favorito dentre todos os trabalhos da garota, pois tudo que ela faz é igualmente maravilindo e eu sou um trapaceiro bichinha que se sente oprimido sempre que é forçado a escolher algo e portanto não o farei”. Mas o fato é que dentre tudo que a moça já criou, tenho uma arte que é minha favorita.

O pin-up da Marceline:



“AIN, MAS É CLARO QUE VOCÊ GOSTA DESSA IMAGEM!!! É A MARCELINE TIRANDO A ROUPA, SEU PUNHETEIRO!!! A PIRIGÓTICA QUE VOCÊ GOSTA FICANDO PELADE, E SENDO SÓ OBJETE, E É OPRESSAUM, E ABAIXO GAMERGATE, E SAAAAAAAALVE, SAAAAAAAAAAAAAALVE, SAAAAAAAAAAAAAAAAAAALVE ANIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIITAAAAAAAAAAAAA!!!”

Calma, projeto de aborto. Calma que vou explicar em termos que até uma abominação como você será capaz de entender.

Primeiro, a imagem não é sensual apenas por mostrar a Marceline tirando a roupa. Alguém se despir não consiste imediatamente um ato de sensualidade, ou qualquer caboclo entrando no chuveiro de manhã pra ir pro trabalho poderia ser classificado como strip-tease. Lembram como eu disse que pin-ups podem nos oferecer uma fantasia? É o que esta imagem faz, e ela conta toda uma história para isso.

Em que lugar estamos? As cores do cenário indicam que estamos na casa de Marcy. A pessoa que observa a imagem foi convidada para a zona de conforto da rainha dos vampiros, que recebeu seu (ou sua) visitante de forma bem casual. Já vimos Marcy mais arrumadinha em alguns episódios, e sua camiseta listrada definitivamente não fazia parte do vestuário nestas ocasiões. Marcy não planejava nada chique, apenas conversar e talvez assistir um filme mais tarde.

Subitamente, o papo tomou um rumo inesperado. Talvez a conversa tenha ido parar em namoros, antigas paixões e daí rumou pra sexo. Ok, isso não aconteceria em Adventure Time... Mas esta não é a Marcy que está presa as restrições do Cartoon Network, ela pode ser mais adulta, mais atrevida, e conversar sobre assuntos que jamais veriamos na televisão.

Então, Marcy e seu convidado (que pode ser até o Finn se vocês quiserem) conversam sobre sexo. A garota, com o privilégio de ultrapassar os mil anos de idade, esbanja experiência e conta sobre as coisas que já fez, os romances que já viveu, as aventuras que não duraram mais de uma noite, suas decepções, suas alegrias, suas frustrações, as vezes que sentiu tanto prazer que esqueceu até seu próprio nome, essas coisas.

Pra abrir a guarda deste jeito, é justo deduzirmos que Marcy está com alguém com quem se sente muito confortável. Podemos deduzir também que o sentimento é mútuo e que o convidado será sincero sobre suas experiências, não irá aumentar ou inventar, pois seria jogar fora um momento como estes. Assim, o convidado (não vou ficar inserindo artigo feminino, imaginem esta pessoa com o gênero que preferirem) também se abre, e percebe que sua vivência sequer se compara a de sua amiga. Claro, não há como se igualar a alguém que viveu tempo o suficiente para ver o nascimento e a queda de civilizações, mas também não há como evitar um certo constrangimento com isso.

Marcy percebe que seu convidado ficou encabulado e acha graça disso, não de um jeito debochado, mas com ternura. Sempre a brincalhona, ela provoca seu convidado na tentativa de deixá-lo cada vez mais sem jeito, e se aproxima dele a cada novo chiste. As piadas se intercalam com carinhos discretos, que ficam mais óbvios a medida que a distância entre a vampira e seu convidado se encurtam.

Antes que percebam, estão a meros centímetros de distância. Com seus séculos de sabedoria, Marcy rapidamente pesa os prós e os contras de sua próxima ação, e beija seu convidado, longa e apaixonadamente. E antes que ele tenha tempo de esboçar uma reação, a rainha dos vampiros está a sua frente, tirando a camiseta, com um olhar com doses iguais de malícia e travessura e um sorriso que o convida a dar o próximo passo.

É nesta posição que o observador desta arte se encontra. Ele é a pessoa que deve dar o próximo passo.

Não importa que é a Marceline, poderia ser qualquer personagem ou pessoa, o importante é a fantasia que a imagem oferece. De fato, Dandonfuga vende todas as suas artes em versão NSFW (sigla pra MULHERES PELADAS, PELADAS, PELADAS, COM TUDO DE FORA E DEPILADO). E embora eu tenha acesso a esta mesma ilustração com uma Marceline da forma como veio ao mundo, acho a arte que compartilhei mais interessante. Insinuação pode ser uma forma de erotismo muito mais eficiente do que algo explícito.

Pin-ups oferecem a fantasia perfeita com a parceira perfeita, coisas que podem ser muito diferentes para cada pessoa. Em minha imaginação, a Marcy da imagem é sedutora, mas também romântica. Para mim, a cena não representa apenas sexo, mas uma conexão muito maior com alguém que decidiu que eu valho o risco. Para você, ela pode representar algo muito distinto, e esta é a beleza da coisa, pois permite que sejamos tão livres quanto nossas imaginações nos permitirem.

...That tanquinho...

Enfim, acho que já me fiz entender sobre o assunto. Lembrem-se que não sou um especialista em artes, não estudei na FAAP ou em outra instituição de ensino superior especializada em fabricar esnobes. Com relação a este assunto, sou um especialista apenas em minha própria opinião, e foi ela quem compartilhei aqui. Fiquem a vontade para discordar e iniciar um debate nos comentários.

Debate. Não treta violenta seguida de morte.

E acho que por hoje é só. Espero ter feito algum sentido, mas caso não tenha conseguido, encerrarei o artigo de hoje com as seguintes palavras de sabedoria: Todo mundo tem de pagar impostos... E ainda é tempo!

Não deixem de visitar a página da Dandonfuga no deviantART e colaborem com o Patreon da moça, porque ela merece.

E colaborem também com o meu Padrim, pra que eu possa continuar produzindo artigos e vídeos, e de vez em quando consiga fazer uma refeição que não consista de Cup Noodles. Seria bom poder comer uma fruta de vez em quando.


Cheers!!!

13 comentários:

disse...

Reparei que a moça (e você) tem uma coisa por meninas fitness, você sabe, do tipo que dá pra mandar uma mensagem em código morse batucando na barriga dela. Imagino que um artigo sobre o tema lhe traria grande felicidade (e a nós também).

Ah sim, e se puder assista Keijo!!!!!!!! (com oito pontos de exclamação no titulo mesmo, dá pra ver que estamos falando de um anime de classe aqui), é uma experiencia... única...

James Hatter Rem disse...

Num sou contra pin-up não, e concordo bem com teu texto.
A única coisa nem sempre estou de acordo é que alguns prentensos desenhistas só sabem desenhar pin-up, então tu pega um gibi pra ler e só tem personagem feminina gostosa de salto alto e bunda e poses de pin-up.
Eu acho que a putaria é saudável e necessária, mas acho também que é necessário haver riqueza de tipos de desenhos de acordo com a proposta do desenho/gibi (coisa que agora esta melhorando).
Outra coisa, acho importante também diversificar os tipos de corpos, ok, gosto de mulheres "super models" e gostei da She-Hulk fitness, mas acho que a riqueza de corpos femininos.
Por fim, pin-up de homens gostosos acho super bem-vindas.

Amer H. disse...

A Dandonfuga desenha corpos variados. Ela criou artes da Mei de Overwatch, que é bem gordinha, e da Jinx, de League of Legends, que é magricela. Eu que acabei escolhendo só meninas mais fitness porque... Bom, acho que é o que me atrai.

Dá um pulo na página dela, tem muita beleza lá.

Ivan da Silva Oliveira disse...

Amer pode ir adicionando Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell, nesta sua matinal.

E aliás todo o contexto que você criou para descrever essa arte da Dandonfuga com a Marceline, me remeteu à algo que encontramos em contos eróticos (só que no seu caso, foi mais detalhista, tzzz, rs)...

Anderson ANDF disse...

Belo e interessante texto. Gostei da Vampira que inicia o artigo e a Dandonfuga arrasa.

Leandro"ODST Belmont" Alves the devil summoner disse...

bacana a matéria Amer. já vi outras artes da Dandon Fuga quando procuro artes da Korra ou da Asami, hehehe. e essa Mulher Hulk está sensacional!!

Julie Cha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Julie Cha disse...

Já ouviu falar da Sakimichan? Recomendo passar no facebook e dar uma olhada nas artes dela, também há pin-ups muito legais. Tem pin-ups pra todos os gostos, tanto de mulheres como de homens.
https://pt-br.facebook.com/sakimichanart/

Amer H. disse...

Sim, adoro a Sakimichan! Tá no top 5, junto com a Dandonfuga.

Cesar Lima disse...

Gostei da sua interpretação dessa imagem e com certeza irei conferir mais do trabalho de Dandonfuga.

Jonathan Nascimento disse...

Amer já ouviu falar do Armando Huerta ?
A arte dele apela mais e ele exagera nos peitos, mas eu particularmente gosto.

Scant Tales disse...

boa!

lucas goseling leite disse...

pin hub que eu gostaria de ver seria todas