domingo, 12 de março de 2017

Crítica do Amer: Magus


É DOMINGO A TARDE, E ESTOU AQUI SENTADO! DESOCUPADO, FEITO UM VIADO!

PROCURANDO NA INTERNET, COMO FAZER CAFÉ GELADO!

PRECISO... DE UM GAME PRA SER ANALISADO!!!

...

Pois então, eu preferia escrever sobre Papers, Please. Que é um dos melhores games que tive o prazer de jogar no último ano. Infelizmente, tem um FILHO DA PUTA CHEIO DE SARNA tocando forró a todo volume na rua, o que me impede de atingir o grau de concentração necessário para escrever de forma adequada sobre uma obra como esta.

Então vou falar de um game bosta: Magus!

É uma merda!

Essa é a crítica. O resto é encheção de linguiça! Podem ir embora. Mesmo. Vão fazer algo construtivo, como lavar roupa, ler toda obra do Carl Sagan, bater uma pra vizinha loirinha gatinha que NUNCA daria bola pra você e que namora um boy magia com barriga tanquinho que você jamais terá... Qualquer coisa, só vão embora. Não cliquem no “Leia mais”.

...

Vocês clicaram...

Então tá, vocês querem que eu tenha trabalho escrevendo sobre um game ao qual não pretendem jogar, nem que seja a cura para a doença no cérebro que aflige seu primogênito. Tudo bem então, vamos lá.

E não, ainda não assisti Logan. 40 paus o ingresso de cinema, só tem sessão dublada, pra ficar cercado de adolescentes masturbadores crônicos e pais sem noção que levaram crianças pequenas pra ver um filme cheio de depressão, violência e ódio? Não, obrigado. Não estou com pressa em ver. Talvez semana que vem.

Mas por hora, falemos de Magus.

Não, não tem nada a ver com Chrono Trigger. Seria bom se tivesse, porque aí não seria fezes!!!

Ok, estou sendo injusto. A verdade é que Magus é merda, mas é uma boa merda. Do tipo que você faz quando bebe uma garrafa de Activia após passar dois dias entupido. Aquela que sai imensa, em uma peça só, e que faz o encanamento todo da sua casa ranger quando você dá descarga. Ainda é um amontoado de bosta, mas te traz satisfação imensa ao sair.

...

Queria muito que o Amer de 2007, aquele que estava cheio de esperança e alegria ao idealizar este blog, visse o tipo de coisa que seria publicada nele após uma década. Ele com certeza se mataria.

Ou viraria gigolô. O que viesse primeiro.

...

Ok, vou parar de enrolar, falemos de Mag... AH MEU DEUS, ESSE FORRÓ DA PORRA NA RUA!!! NÃO AGUENTO MAIS!!! VOU TOCAR MOTORHEAD A TODO VOLUME NA MINHA JANELA, VAMO VER QUE GANHA, SEU PAU NO CU DO CARALHO!!!

...

Senhoras e senhores, Magus!

Eu quero esfaquear esse cara na cabeça com um vibrador!

Nossa história começa em uma torre. Não qualquer torre, mas... Não, pensando bem, é uma torre qualquer sim. Daquelas que sempre são usadas como prisão em histórias de fantasia medieval, porque motivos. Nela, conhecemos nosso herói... MAGUS... Que esteve aprisionado nela desde que nasceu, pois aparentemente, bebês são criaturs de alta periculosidade no mundo mágico que este game nos apresenta.

Enquanto estava preso, Magus foi espancado, torturado, cuspido, chutado, estuprado, forçado a assistir o programa do Marcelo Adnet, e sofreu diversos outros tipos de humilhação chocolatante. Eis que SUBITAMENTE UMA PEITUDA SURGE E O RESGATA E OOOHHHHHHH, A HUMANIDADE!!!

A peituda é uma garota chamada Kinna, que consegue ser apenas um pouco menos genérica que nosso herói.

Porque o Magus é genérico feito a porra. Não, sério. Um cara branco careca, com a mesma eterna expressão de “alguém peidou nessa sala”. Ele parece o personagem Default que você encontra sempre que entra no modo de criação de lutador de qualquer game da WWE.

De fato, comprei WWE 2K17 no outro dia. Por que não estou escrevendo uma crítica sobre ele? Seria bem melhor do que falar de Magus! WWE 2K17 tem a Asuka! Meu Deus, aquela japa deliciosa que podia me virar do avesso quando bem entendesse... ESTOU ME SENTINDO TÃO SOZINHO HOJE, JESUS CRISTO DO BISCOITO DE POLVILHO!!!

... Mas então, Kinna vai até Magus e lhe explica queele tem um grande destino diante de si e que ela irá libertá-lo para que possa realizar aquilo que foi profetizado e... BLA BLA BLA... MAGUS É UM DEUS, **SPOILERS**, E AGORA ELE TEM DE MATAR TODO O REINO PORQUE COISINHAS ACONTECEM, ABLUÉ, ABLUE, ABLUÉ!!!

O enredo de Magus é uma das coisas menos desenvolvidas que eu já vi. Parece a primeira história de fantasia que um moleque viciado em Dungeons & Dragons (mas que não tem grupo pra jogar) criou após ler todos os livros de regras da série. Os personagens não tem profundidade, o mundo não é construido de forma convincente, eventos acontecem simplesmente porque tem de acontecer e o protagonista é o cara mais foda de que se tem notícia, em uma óbvia projeção de seu autor adolescente.

E nem vou falar dos diálogos, que são tão mal escritos que fazem Jogos Vorazes parecer uma pérola da literatura.

"Pessoalmente, acho a Katniss uma boa protgonista com motivações sólidas."
"Quem liga pra sua opinião? Você é fã do Zack Snyder!"

Bem, o roteiro de Magus é terrível. Mas tudo bem, porque a parte tecnica também é uma desgraça. Assim, nível “suicídio do Robin Williams”.

Os gráficos parecem algo saído do Playstation 2. Claro, o console foi responsável por inúmeros títulos deslumbrantes, como Metal Gear Solid 3, Final Fantasy XII, SoulCalibur III e diversos outros games que eram tão bonitos quanto a Mari Alexandre em 1998.

... Ok, comentário infeliz, Mari Alexandre continua cheia de deliciosades e encantos dos quais eu JAMAIS desfrutaria nesta vida...

“AMER SEXISTA!!! OPRESSOR!!! BRANCO-HÉTERO-CIS!!!”

Ok, fã de Cinquenta Tons de Cinza, serei justo. O Playstation 2 conseguiu produzir games tão sensuais quanto o Chris Evans desfilando só de toalhinha pela sua casa, recém saido do banho e pronto a satisfazer VOCÊ, ignorando seu cabelo azul desbotado com sidecut ridículo, sua obesidade mórbida e seu eterno cheiro de nuggets, que parecem ser sua única fonte de nutrição na vida.

Melhorou? Agora volta pro Tumblr, e vai reclamar de Steven Universe.

Vai.

...

Tou esperando.

...

Muito bem, então.

Enfim, não é a estes games lindos que me refiro quando digo que “Magus parece um jogo de Playstation 2”. Não. Estou falando daquelas bombas feitas por um estúdio desconhecido com sede na casa do caralho, que tinham orçamento equivalente a um sorriso do Tião Macalé... E essa é uma referência que só gente com mais de 30 anos vai entender... Pra produzir sua obra-prima.

Os modelos de personagens são simplórios e insípidos. Como eu disse, o protagonista é um careca com cara de nada, e quando seu protagonista consegue ser as criatura menos marcante do game, temos um problema grave em mãos.

Os cenários não são muito melhores e limitam-se a locações genéricas como “cavernas”, “praia” e “deserto”. Como a cereja do sundae de bosta, não há variedade alguma nos visuais destes cenários. Na praia você verá os mesmos agrupamentos de coqueiros pra todo lado, o deserto parece um único grande labirinto de areia e as cavernas... São... Debaixo da... Da terra...

...

*Bola de feno passando*

O áudio!!! É AIDS transmitida por fone de ouvidos! A música é um saco, mal composta, mal executada... O som de um saco de gatos sendo jogados em um triturador é muito mais agradável e menos traumatizante do que a trilha sonora deste game.

...

Mas calma, que a dublagem... É tolerável. Digo, não é boa, mas de todos os aspectos deste game, é o que tem menos chances de te dar vontade de espancar seus filhos. Os atores e atrizes se esforçaram o máximo que puderam com o roteiro de fezes que receberam, e em alguns casos até conseguiram injetar alguma vida em seus personagens. A atriz que empresta sua voz a Kinna é o melhor exemplo disso, pois tirou leite de pica duran... DE PEDRA, DE PEDRA, FOI ISSO QUE EU QUIS DIZER!!!

“Abanana, você não está levando essa crítica a sério, está?”

PUXA VIDA, TEMOS UM XEROQUE HOMES AQUI!!!

Eu queria fazer uma referência a Benedict Cumberbatch. Ao invés disso, direi "melena".
"MELENA".

Mas gráficos cagados, áudio ruim e uma história tão envolvente quanto uma peça teatral produzida pela garotada da 1ª série podem ser relevados se a jogabilidade for boa, correto? Pois bem, Magus é... Estranhamente divertido, apesar de ser tão mais magro de conteúdo do que uma das gêmeas Olsen.

Aquela lá... Aquele que era anoréxica. Que só comia alguma coisa quando roía as unhas e acabava engolindo a cutícula por acidente. Essa mesma.

Pois então, Magus funciona quase como Dynasty Warriors... E acabo de escutar o uivo de dor coletivo de milhares de fanboys da série ao me verem fazer essa comparação. Mas bem, é a verdade! A jogabilidade é parecida, onde nos jogam em estágios que funcionam como labirintos, e devemos matar TODO MUNDO até chegarmos a nosso objetivo.

Diferente de Dynasty Warriors, não usamos armas brancas. Como uma Marceline menos gostosa, Magus pode absorver as cores de pedras mágicas que encontra, e canalizá-las como magias... Que saem na forma de tiros, porque isso aqui é um shooter em terceira pessoa.

É. Se Dynasty Warriors e Gears of War trepassem, Magus é o filho que seria abortado no terceiro trimestre, pois nenhum dos dois assumiria a responsabilidade por essa catástrofe.

Então você anda, anda, anda, atira, atira, atira e avança por estágios que nem sempre tem objetivos bem definidos. Em alguns casos o game deixa claro o que precisa ser feito (como quando você precisa encontrar chaves para destrancar certos portões), em outros não (como quando você precisa matar todos os inimigos de uma área para poder avançar para a próxima), o que lhe força a perder vários minutos tentando descobrir qual o próximo passo para progredir na história.

Em seu arsenal, Magus tem três tipos de ataques: Disparos verdes, que são rápidos mas fracos, disparos vermelhos, que são os mais fortes mas consequentement lentos, e os azuis que são um meio termo. Como o herói ganha level e pode aumentar seus atributos ao longo da aventura, chega um ponto em que QUALQUER INIMIGO morre com um único ataque até mesmo de sua magia mais fraca, o que faz com que o uso das demais torne-se algo extremamente redundante.

Sim! Magus tem elementos de RPG!!! O herói ganha experiência e Level, e ainda encontra equipamentos que podem ser equipados para aumentarem seu poder de ataque, durabilidade... E seu poder de ataque e durabilidade... É...

Bom, esses são os dois únicos atributos que importam nesse game, então... Pois é...

E é isso. Você anda pelo cenário, mete bala em tudo, chega no chefe, assiste a uma cena de diálogo imbecil, ganha level, junta equipamento, e no fim nada importa, pois em quatro bilhões de anos o sol vai entrar em super nova, destruir o sistema solar e qualquer vestígio de que existimos e gastamos nossos fins de semana jogando video games e fazendo maratona no Netflix, porque a existência é uma mera ilusão e a busca por significado na vida um delírio.

Apesar disso, Magus é Fascinante. É uma desgraça, um dos piores games já produzidos para o Playstation 3, mas ainda assim, é impossível largá-lo uma vez que começamos a jogar. Sua jogabilidade banal é estranhamente satisfatória e mesmo seus gráficos e animações toscas possuem um charme indescritível. É como assistir a um incêndio, acidente de carro ou discurso do Bolsonaro... Algo terrível, mas do qual não conseguimos desviar os olhos.

Sim, de fato!

Não tenho nada de bom a dizer aqui. Soque suas genitais.

Como eu disse no começo do artigo, Magus é o bom tipo de merda. Então recomendo a todos que façam uma limpeza intestinal e o comprem.

AGORA!

JÁ!

NESSE INSTANTE!!!

TÁ POR R$ 20,99 NA PSN!!!

É o tipo de experiência do qual todos os gamers deveriam compartilhar! É como fazer um círculo masturbatório em torno de uma torrada, onde o último a gozar nela a come! É repulsivo e grotesco, mas todos saem mais unidos e fortes ao final!

E se este argumento não lhe convenceu a investir seus suados dinheiros em um game mais medíocre que os peitos da Mila Jovovich, que tal isso: Vai ser o troféu de platina mais fácil da vida de vocês!

Papo sério! Platinei em cinco horas e dois minutos!

Sou uma puta de troféus!!!

...

Ok, sou só uma puta.

E ainda quero uma boa receita pra fazer café gelado. Se alguém puder me mandar, agradeço muito.

Cheers!!!

12 comentários:

Leo D'Leon disse...

boa critica Amer, sempre dando um motivo a mais pra se ficar na internet, muito thanks......
faça o cafe e depois coloque-o na geladeira......
...
...
...
:)
...
...
...
Ps:Xeroque Homes

Galomortalbr disse...

Pqp,q jogo coco

Vinicius Farias disse...

Eu simplesmente amo você, não há explicação por que tudo que você escreve ou diz é foda e extremamente divertido, eu já perdi a conta de quantas vezes li e reli artigos aqui, você é foda e eu te admiro muito Amer.

Vinicius Farias disse...

ps:muito ansioso para a crítica de papers, please

Vinicius Farias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
disse...

4 maneiras de fazer café gelado sem frescuras. Porque pareceu importante ao autor do texto ressaltar que o café dele é aprovado pelo Kenshiro. Vai entender. https://mokaclube.com.br/4-maneiras-de-fazer-cafe-gelado-sem-frescuras/

Barangurte disse...

Faz o café normalmente, deixa esfriar, congela na forminha de gelo. Depois bate uns cubinhos no liquidificador com leite, leite condensado, creme de leite ou sorvete de baunilha.

Ou prepara café solúvel bem forte, mistura com creme de leite no liquidificador, congela e depois bate com leite.

Se não tiver liquidificador: faz um café bem forte sem açúcar, põe pra esfriar na geladeira, gela tb leite condensado e creme de leite e quando td tiver bem gelado bate td com um garfo até ficar espumoso.

Nos dois é meio que a mesma quantidade de cada coisa.

Galomortalbr disse...

pena q o ps3 queimo,e os conseles dessa geração tao uma bosta,hora de virar pc master race

rgiostri disse...

Divertido seu artigo enrolação, entre outras coisas vi como o cinema na sua cidade é caro (beira a extorção)...

Leandro"ODST Belmont" Alves the devil summoner disse...

Vou seguir o Conselho dado aqui. Da última vez que ignorei o review do Amer sobre tal jogo, foi 100 reais gastos no Lixo. É do Soul Calibur 5 que estou falando.

Ivan da Silva Oliveira disse...

Olá Ameríndio, será que rola então análise do WWE 2K17?

juliodc disse...

Passa um café na moral e joga ele num copo com muito gelo. (é sério)