domingo, 3 de abril de 2016

Crítica do Amer: As Meninas Super Poderosas


Hey, crianças! Vocês estão sabendo que As Meninas Super Poderosas vão voltar?

SIM! ELAS VÃO!!!

Se você assiste ao Cartoon Network, já deve ter percebido que o canal está veiculando propagandas da nova série, 24 horas por dia, sete dias por semana! E se não assiste o Cartoon Network, você é uma pessoa horrenda e desprezível. EU TE CONDENO AO INFERNO!!!

Eu tive o prazer de assistir em primeira mão a nova série, e é sobre ela que falaremos agora.

TITÃS! ATACAR!

...

SÉRIE ERRADA! GAAAAH!!!

Rápido! Tire uma foto das Poderosas, antes que
alguém perceba sua mancada!

Vocês devem estar se perguntando, como, COMO? Como o Abner conseguiu assistir a esta nova série antes de todos nós? Muito simples, meus queridos, o Cartoon Network organizou um evento para lançar a nova série, e convidou as pessoas mais importantes do mundo para prestigiá-lo.

E como sou um jornalista MUITO IMPORTANTE QUE USA BIGODE, lá estava eu, em meio a nata de minha profissão: Hunter S. Thompson, Walter Cronkite,  Charles Foster Kane, Clark Kent, aquele moleque franzino do Clarim, todos na sede do Cartoon, prestigiando a nova série.

OH! FOI GLORIOSO!

E serviram limonada com Elemento X. Ao fim do dia tinha
um pelotão de jornalistas voando ao redor do prédio.

Todos conhecem a história, mas vale repetir. Um belo dia, o professor Utônio tentava criar as garotinhas perfeitas, para isso ele misturou açúcar, tempero e tudo que há de bom! Huzzah! Tudo corria bem até que ele misturou um ingrediente extra na mistura... O ELEMENTO X!!! OH!!! A HUMANIDADEEEEEEEE!!! ALGUÉM NOS ACUDA! É O FIM DE TUDOOOOOOOO!!!

Mas ao invés de pulverizar a cidade de Townsville em uma explosão nuclear maior do que a que iniciou a Guerra Civil Marvel (a dos quadrinhos, aquela que acabou da maneira mais morna possível), três garotinhas voadoras surgiram do acidente. Lindinha, Florzinha e Docinho, que passaram a usar seus poderes quase infinitos para proteger o mundo do mal.

A série surgiu da mente de Craig McCracken (que também criou A Mansão Foster para Amigos Imaginários) e foi ao ar em 1998, ao lado de Johnny Bravo, O Laboratório de Dexter e A Vaca e o Frango. Vocês sabem, a era de ouro do Cartoon Network.

Era de ouro que aconteceu vinte anos atrás. Vocês conseguem imaginar isso? Meninas Super Poderosas e Laboratório de Dexter hoje são séries nostálgicas, igual He-Man e Thundercats!

MEU DEUS, COMO SOMOS VELHOS!!!

Eu me sinto como elas se parecem.

As Meninas Super Poderosas não se tornaram uma das propriedades mais reconhecíveis do Cartoon Network a toa. A série era combinação de diversos elementos que funcionaram extraordinariamente bem quando colocados juntos.

Primeiramente, a série era uma paródia do gênero dos super-heróis, e caçoava de suas convenções sempre que tinha a oportunidade. Mas além disso, a década de 1990 foi a época em que o ocidente abriu suas portas para a animação japonesa, uma fonte do qual Lindinha, Florzinha e Docinho beberam muito. Era divertido ver três meninas fofinhas com poderes absurdos lutando com a mesma ferocidade que Goku e o elenco de Dragon Ball Z, por exemplo.

Não apenas isso, mas a série também provou que personagens femininas podem protagonizar séries fenomenais. Ainda hoje existe uma resistência em se produzir histórias de ação com mulheres no papel principal, os executivos dos estúdios preferem bancar dez filmes diferentes com o Batman (desgastando o personagem no processo) a se arriscar uma vez sequer com a Mulher Maravilha.

Sendo uma das animações de maior longevidade da história do canal, As Meninas Super Poderosas provaram que existe um mercado enorme de pessoas de todos os gêneros e idades, que estão muito abertas a ideia de ver garotas salvando o dia.

Todo este discurso foi pra deixar clara a importância cultural que As Meninas Super Poderosas tiveram no mercado dos Cartoons. E pra todos verem que a nova animação tem um legado bastante importante pra honrar.

Então, o que eu achei dela? Bom, um relâmpago não cai duas vezes no mesmo lugar, mas neste caso chegou bem perto.

E um unicórnio, quando aparece no parque... Hã...
Não sei como terminar esta frase.

Agora, vou admitir que estava bastante preocupado com esta série quando vi suas propagandas, unicamente porque eu pensei que se tratava de um reboot. E vocês sabem como eu me sinto a respeito de reboots.

...

EU OS ODEIO!!!

Acredito que reboots (e remakes) são a coisa menos criativa que pode existir. Trata-se apenas de pegar uma marca que já existe (como RoboCop ou Caça-Fantasmas), colocar uma nova camada de tinta, e torcer para que o carinho do público pela versão original, seja suficiente para  se recuperar o investimento feito na nova versão.

No processo, recebemos produtos sem alma, totalmente desprovidos de tudo que tornou o original especial.

Bom crianças, fico muito feliz em dizer que esta nova série não é um reboot, mas uma extensão do original. Não é diferente de Snoopy & Charlie Brown – Peanuts, o filme. Neste filme, não houve uma tentativa de modernizar ou reinventar a turma do Minduim, apenas os apresentaram a um novo público, através de uma animação moderna.

É basicamente o que temos aqui. O conceito da série ainda é o mesmo (três meninas com poderes infinitos que salvam o dia todo dia) e o estilo de humor referencial também. A maior diferença é que ele foi adaptado para se tornar um pouco mais contemporâneo.

Por exemplo, a linha direta com o prefeito mudou. Agora é um celular, ao invés de ser aquele telefone fixo da vovó da série original.

Lembram daqueles telefones velhos? Com um disco numérico no meio? Que se você errasse UM NÚMERO, precisava começar a discar tudo de novo? Pois é, telefonar pra casa de alguém naqueles tempos era sinal de amizade verdadeira.

E como eu disse, o humor referencial se mantém, mas também foi modernizado. Ao invés de referências a animes de robôs gigantes da década de 1970, temos Florzinha e Docinho armando um duelo de rap... Como aqueles que os jovens adoram assistir no Youtube... por algum motivo...

Uma coisa que a nova série faz, e que eu achei muito criativa, é a forma como os olhos das meninas são usados para transmitir suas emoções. Não falo de olhares zangados ou da Lindinha chorar (sempre a Lindinha), mas em diversas cenas, a única coisa que se move são as pupilas das garotas, que reagem a algum acontecimento na cena e transmitem muito mais emoção do que uma linha de diálogo faria. Isso é usado de forma muito criativa, e as expressões das garotas são responsáveis por alguns dos momentos mais divertidos da animação.

Ademais, o senso de humor é mais rápido, e sempre há algo acontecendo na história. Considerando a geração internet ao qual a nova série é destinada, devo dizer que é bastante adequado.

Esses jovens da geração internet.. Só querem saber de usar
 óculos de aro grosso e flutuar por aí...

Agora, devo falar com total honestidade. Enquanto assistia a série, não senti uma conexão com ela. Isso me incomodou a princípio, mas pensei a respeito e cheguei a conclusão que isso não é uma culpa da animação, o caso é que ela simplesmente não foi produzida pra mim.

Vejam bem, eu sou um homem de 67 anos que veste sacos de estopa e sai por aí jogando pó de café em estranhos na rua. Eu definitivamente não sou o público que o Cartoon Network tinha em mente ao produzir esta animação. Definitivamente. A ideia é fisgar a molecada que está crescendo agora, nos anos 2010.

E não vejo isso como algo negativo, muito pelo contrário. Acho que a nova série pode trazer discussões muito legais para a molecada moderna.

Sejamos honestos, não existe criança que não conheça As Meninas Super Poderosas. A série permaneceu no ar praticamente sem interrupções desde que foi lançado há quase duas décadas, e hoje ela pode ser facilmente encontrada no Netflix. Muitos pais puderam compartilhar o carinho que tinham pelas personagens com seus pimpolhos.

E a garotada agora terá a oportunidade de assistir uma versão das heroínas que foi feita especificamente para a sua geração. As crianças terão a oportunidade de comparar as duas versões, e poderão aprender que é possível criar interpretações diferentes para um mesmo ícone cultural, sem sacrificar a essência que tornou o original tão memorável.

Agitação, curtição, pular na cama! Maior legal!

Então, qual o veredito? As Meninas Super Poderosas voltaram com tudo? Vale a pena vê-las novamente?

Sim, definitivamente. A nova série é diferente, sem dúvida, mas é tão divertida quanto a original. E acho que pais e filhos vão se divertir um bocado assistindo ela juntos

Eu assistiria... Se eu não fosse um eremita solitário que vive em uma caverna e evita contato humano, e que graças a isso jamais terá filhos.

...

É.

Ademais, é bom ter as meninas de volta. E agora que elas e Samurai Jack retornaram, quem sabe outros personagens queridos da época não recebem uma segunda chance de brilhar?

Voto no Johnny Bravo.

As Meninas Super Poderosas estreia no Cartoon Network no dia 4 de abril.

Cheers!!!

21 comentários:

オンライ disse...

Saudades da série do Johnny, muito boa.

Ótima crítica Amer.

Diogo Lopes Bastos disse...

As Meninas Super Poderosas foi uma série que conseguiu agradar a todos, tenho certeza que a nova geração vai se identificar com a animação. Fico imaginando se as outras séries antigas teriam como fazer isso e a resposta é não, isso só mostra mais a força dessa animação.

Danilo Silva disse...

Excelente trabalho, Amer.

Muito bom ver o Blog tão ativo.

E eu pensando que jamais amaria novamente.

Danilo Silva disse...

Amer, vc já pensou em fazer um review de quadrinhos?

Sabe, as sagas mais conhecidas ou que estão na boca do povo. Guerra Civil, por exemplo.

Will 2 disse...

Hm...a era de ouro do CN,seria legal um artigo comparando com a geração de hoje.Quanto as meninas,se passar de madrugada no sábado estou dentro.

Galomortalbr disse...

Excelentente artigo

Kuai Liang disse...

Ai meu Deus Amer, estou tendo faniquitos duplos cara...

Essa frase acima soou um tanto...estranha, mas vamos lá.

Fiquei jubilante depois de ler tais notícias, anima meu pobre coração de dezoi... err..minha alma de saber que, em essência, não há mudanças na essência das três, e acho muito bom; Se tivessem as desvirtuado, ah! Eu nao sei o que eu seria capaz de fazer.

Provavelmente chorar, xingar até as minhas pregas caírem da traqueia, e se masturbar com a Florzinha...

Aquela Florzinha, daquele episodio que ela vira mocinha. E que espero que tenha seus dezoito anos, se não, eu vou ver o sol nascer quadrado amanhã...

Anyway, já vou aproveitar a ocasião, e agradece-lo por fazer do meu dia um pouco menos monótono. Felicitações Amer!

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

É bom ver um novo post, Amerindo.

Verei a noite para encerrar o dia com maestria e humor despojado.

Adan Ribeiro disse...

Meu pedido foi reconhecido! Depois de ter protocolado e assinado, finalmente deram continuidade a SAMURAI JACK!!!

Ok, as Meninas também são legais demais, mas eu não sabia dessa notícia. Só fiquei sabendo por causa do seu blog, Amer!

Agora tenho mais UM motivo para justificar sua leitura quase que mensal!

Uau...

C disse...

Imagine Johnny Bravo em um mundo dominado por SJW. Vc quer MESMO que essa série volte?

Amer H. disse...

Sim. Justamente por causa dos SJW's, essa série precisa voltar. Mais do que nunca.

Gabriel Santos disse...

"e foi ao ar em 1998, ao lado de Johnny Bravo, O Laboratório de Dexter e A Vaca e o Frango. Vocês sabem, a era de ouro do Cartoon Network"

Que eu gostava quando moleque por falta de opção, e hoje percebo como era ruim e cretina.

Yup.

Eu ia perguntar porque diabos a Docinho tem uma guampa no cabelo, mas... Samurai Jack voltou?

DanielFGS disse...

Obrigado pela crítica Amer,Fico MUITO Feliz de Saber que o Novo desenhos As Meninas Super Poderosas é Bom,por que depois da quela bosta da Geração Z (puta desenhos ruim,e olha que é difil eu não gostar de um Desenho,sério) foi bom saber que os produtores tiveram bom senso e nos trouxeram uma Série a altura da original.Eu nem sabia (ou tinha esquecido,kkkkkk) que o Samurai Jack Vai voltar também,espero uma Crítica sua.

P.S:Nossa como seria se o Clark Kent tomasse um gole de Elemento X,mas aposto que ele não tomou porque saiu antes da Coletiva para ir Atraz do Superman,e isso só quer dizer uma Coisa...Klark Kent e Superman tem uma caso,isso explica tudo.

DanielFGS disse...

Amer eu Sei que vc não tem Obrigação de falar de todos os Desenhos já Criados,mas o Por que vc nunca falou de Show dos Loney Tunes aqui no Blog ?,por favor faça uma Crítica sobre esse desenho.

Paulo Araujo disse...

Amer, por qual motivo vc exilou sua pagina do facebook?

Matheus White disse...

Excelente crítica, Amer.

Aliás, eu gosto muito de suas análises de animação em particular, você as trata com muito carinho e respeito, eu realmente gostaria de ver mais aqui no site.

Se aceita a sugestão, gostaria de posts sobre Hora de Aventura ou Steven Universo - não necessariamente resenhas - os quais você falava bastante no facebook. Aliás, o último, eu comecei a assistir por "indicação" sua e até hoje não consegui parar, hehe.

Forte abraço!

Ace Shadow disse...

Apesar de ter assistido e gostado vejo que vai ter muita gente reclamando chamando o desenho de retardado dizendo que não respeita a inteligencia das crianças que o antigo era melhor etc

オンライ disse...

Amer,

Quando tiver um tempo livre, visite este perfil:

http://kimsuyeong81.deviantart.com/

O artista fez umas imagens 3D com Mike Haggar que ficaram muito boas.

DanielFGS disse...

Sempre tem,os pseudo críticos que acham que TODOS os desenhos da época deles (ou qualquer um mais antigo) eram melhores,e os de hoje são ruins.E são sempre comparações sem sentido,uma vez eu li um post COMPARANDO PEPPA PIG COM PERNALONGA,sério mesmo.

DanielFGS disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
André Colin disse...

a melhor coisa disso tudo foi saber da volta do Samurai Jack, aí meu coraçãozinho