quarta-feira, 29 de julho de 2015

Os Piores Brinquedos baseados em Star Wars


Aqui vai uma história divertida para vocês, crianças.

Eu comecei a escrever este artigo em 2013. Minha intenção era que ele fizesse parte do Mês das Festas daquele ano, como o C-3PO travestido de Papai do Mel indica. Isso não aconteceu porque na época eu estava tão aleijado pela depressão, que não consegui juntar energia suficiente para terminar um artigo cômico.

Eis que encontrei seu rascunho perdido em uma pasta do meu computador e pensei: “Oras, por que não finalizar este post agora? Afinal, estou muito melhor da depressão!”

Ou pelo menos, melhor o suficiente para não contemplar chupar o cano de uma espingarda todas as noites, quando choro de desespero até dormir.

...

MAS HEY! Falemos então de brinquedos! Mais especificamente, brinquedos de Star Wars!

Agora, para aqueles que não sabem como eu me sinto a respeito de Star Wars, aqui vai um resumo: Eu amo a trilogia clássica, acredito que são alguns dos melhores filmes de todos os tempos, tanto por sua qualidade como obras narrativas, como pelo modo que causaram uma revolução na forma como cinema é feito.

Também tenho um carinho especial por tudo aquilo que Star Wars gerou na década de 1980, como as animações Droids e Ewoks (sobre as quais escreverei um dia) e os filmes Caravana da Coragem e A Batalha por Endor. Reconheço que tais trabalhos não são o ápice da qualidade, mas podemos ver que os responsáveis por eles ao menos TENTARAM fazer algo bom.

Mas eu não consigo gostar de nada que foi produzido do meio da década de 1990 em diante, pois a partir deste momento, os filmes e animações de Star Wars eram produzidos como longos comerciais de brinquedos, e não havia o mínimo de esforço para se disfarçar isso. Assim, da mesma forma que a trilogia clássica é um marco da cultura pop, a segunda trilogia (ou “As Loucas Aventuras de Anakin”, obrigado por este título, Carol) é um exemplo do que acontece quando um homem de negócios se encarrega de fazer algo que deveria estar nas mãos de um artista.

Que fique claro, eu não sou um daqueles sujeitos cheios de caspa, com uma barba repulsiva cheia de farelo de Cheetos e que estão a um Big Mac de distância de um AVC, que sai por aí falando que “George Lucas estuprou minha infância”. Mas acho que ele devia um pouco mais de respeito aos fãs que lhe deram os meios para se tornar um dos homens mais ricos do mundo.

Especialmente porque eu acho hilária a frase “George Lucas estuprou minha infância”.

Imagine o ano de 1984. Agora, imagine um daqueles meninos feios da época, trancado em seu quarto, brincando com figuras de Star Wars. A televisão está ligada no programa da Mara Maravilha, as paredes tem pôsteres do Daniel Larusso e do Trem da Alegria, e o moleque está perdido feliz em sua abilolância infantil.

De repente, um clarão de luz aparece no canto do quarto. Dele, sai um homem gordo e sem queixo, vestindo uma camisa de flanela. Ele olha para o menino e diz: “Oi, meu nome é George.” Em seguida, ele coloca o pau pra fora e o enfia goela adentro no guri. E enquanto soca a piroca suada na garganta do moleque confuso, George grita: “Engole! Engole tudo! E depois me paga!”

...

E agora que eu imprimi esta singela e amável imagem em suas mentes, vamos falar de alguns brinquedos!


O Beijo de Língua de Jar Jar Binks

Vou iniciar este parágrafo dizendo que eu não desgosto do Jar Jar Binks. Acredito que ele é o menor dos problemas de A Ameaça Fantasma. De fato, acho que Qui-Gon Jinn foi um desperdício muito maior do nosso tempo.

Mas deixemos esta discussão para outro dia.

O caso é, Lucas apostou que a molecada se apaixonaria por Binks e aporrinharia seus pais para comprarem qualquer produto que tivesse a cara de pão do personagem estampada nele. Foi graças a este pensamento que o magnata de camisa de flanela autorizou a criação deste dispositivo que é uma mistura de brinquedo, glicose e nojo.

Vejam bem, nos anos 1990, foram criados “pirulitos de longa duração”. Eles pareciam com cola em bastão, as crianças podiam “girá-los” para fora da embalagem, chupá-los a vontade, e depois desfilarem com aquela coisa babada no bolso como se fossem as tremendonas da vizinhança.

Em muitos casos, as crianças perdiam a tampa do pirulito, mas isso não as impedia de guardá-los no bolso depois. Tampouco as impedia de voltar a chupá-los mais tarde, junto de todos os fiapos, grãos de areia e papéis que grudassem neles enquanto estivessem lá guardados.

O princípio do brinquedo acima é o mesmo. A cabeça do Jar Jar é a embalagem, e sua língua é o pirulito. É ela que deve ser chupada pelas crianças.

...

Agora, eu não tenho ABSOLUTAMENTE NADA CONTRA a ideia de se chupar a língua de extraterrestres. De fato, se um dia seres de outro planeta visitarem a Terra e manifestarem desejo de copular com nosso povo, eu serei um dos primeiros na fila. Sejam gatas azuis telepáticas, bombadões de pele verde, ou mariscos espaciais com tentáculos roxos, transar com seres de outro planeta é uma experiência única e nenhum de nós deveria deixá-la passar.

Mas eu acho que ninguém com menos de 10 anos deveria sair por aí chupando a língua de homens-coelho-reptilianos. Digo, com 14 é ok. Se é pra sair por aí experimentando os prazeres e vergonhas da puberdade, trocar saliva com um alienígena pode te criar mais fibra moral do que fazer isso com o Tiaguinho.

Maldito Tiaguinho...


Aquele porra gordo de O Retorno de Jedi

Star Wars é cheio de personagens fascinantes, não? Tantos heróis e vilões incríveis, que era até difícil escolher qual deles queríamos ser na hora de brincar.

Poderíamos bancar o Han Solo, aquele audacioso piloto, com pinta de malandro, mas que escondia um coração de ouro por debaixo de todo o seu cinismo.

Ou quem sabe a princesa Leia? Isso mesmo, uma das primeiras grandes heroínas de ação do cinema! Ela pode ser uma princesa, mas não é nenhuma bonequinha de porcelana, tudo que seus amigos homens fazem, ela também pode fazer, um exemplo pras nossas meninas!

Mas talvez você prefira ser C-3PO ou R2-D2, aqueles adoráveis Droids de sexualidade misteriosa.

... Ou quem sabe, aquele gordo tetudo e suado que morava no poço do Rancor...

...

Eu falei um bocado da década de 1990 logo acima, mas acredito que George Lucas tornou-se um homem de negócios inescrupuloso em 1977, quando recebeu o primeiro cheque de royalties dos produtos de Star Wars. Ele viu a quantidade de zeros impressa nele, percebeu que vender brinquedos dava muito mais grana do que fazer filmes, e tornou-se este ser que alimenta-se das lágrimas de seus fãs e de camisas de flanela em medidas iguais.

Porque, seriosamente. Quem mais seria capaz de autorizar o lançamento de um boneco desses? E este nem é o pior brinquedo desta lista!

Pra quem não se lembra deste cidadão, ele aparece logo após a cena em que o Luke mata o Rancor do palácio do Jabba, e chora feito um bode ao ver o cadáver de seu amigo. Pois deve partir o coração assistir a um Jedi matar o boneco de Stop Motion que você criou desde bebê.

De fato, eu nem me espantaria se a maioria de vocês não fizesse ideia de quem é esse cara. Conversei recentemente com uma amiga da minha idade, que assistiu Star Wars na mesma época que eu, e ela absolutamente não faz ideia de quem seja. Aparentemente, ela apagou este personagem de sua memória e o substituiu com episódios de Dr. Who, uma série que eu nem assisto, mas acredito que é um uso muito mais saudável de sua capacidade cerebral do que lembrar de um sujeito que tem a forma física de uma coxinha peluda e com tetas.

E por falar em tetas...


A gorda Hexa-Tetuda da corte do Jabba

Jabba era um gangster repelente, creio que todos nos lembramos disso, certo? E como Al Capone antes dele, Jabba tinha um palácio no deserto. E como todo canalha que tem um palácio no deserto, Jabba precisava de dançarinas.

Pois em um mundo sem televisão, você precisa improvisar alguma forma de entretenimento, ou logo estará matando animais inocentes do deserto.

Jabba tinha duas dançarinas: Oola, uma Twi’Lek inacreditavelmente HOT, e essa vergonha em forma de gente que vemos acima. Ela teve ainda menos tempo de tela que o treinador do Rancor, mas em sua breve passagem pelo cinema, pudemos constatar que ela não apenas é morbidamente obesa e inexplicavelmente possui seis peitos caídos, como também é feia feito um pecado capital, e parece não ter nenhum dente na boca, o que deve ser o resultado de uma dieta exclusiva de salmonela.

Mas o caso é que ela não é só horrenda, como também não conseguiria dançar nem pra salvar a própria vida. Enquanto a Oola manda muito bem em seu trabalho (e de fato, sua intérprete é uma dançarina na vida real), Hexaboobs parece mais aquela tia bêbada que vai pro meio da pista de dança no meio de um casamento, se estatela no chão, leva a noiva junta e lhe causa uma concussão, e estraga a festa pra todo mundo.

Inclusive, vamos aplaudir o auto controle do Boba Fett, que não deu um tiro nos ovários dessa coisa assim que a avistou cambalear até a pista de dança do palácio.

Eu até acredito que ela nem foi interpretada por uma atriz. George Lucas deve ter lembrado da época em que morava em uma lata de feijões e devia 14 meses de aluguel pra sua senhoria, e resolveu colocá-la em O Retorno de Jedi, para pagar sua antiga dívida. Digam o que quiserem, mas faz mais sentido do que imaginá-lo em um teste e decidindo que esta coisa era a peça que faltava em sua saga espacial.

E por algum motivo, ela virou um boneco.

Ao menos este boneco nos dá a chance de corrigir uma grande injustiça. No filme, Jabba jogou Oola no poço do Rancor, para que ela fosse comida pelo monstro. Agora, podemos recriar a cena com essa coisa obesa sendo jogada no buraco pra ser devorada.

... E com o Rancor morrendo engasgado, porque ela é gorda demais para descer pelo seu esôfago...

Isso daria ao Luke um coisa a menos pra fazer.

E o treinador do Rancor ainda ia chorar feito a desgraça suada que é.

...

Olha aqui, eu tenho 140 quilos. Eu posso fazer piadas de gordo, tá legal?

Cambada de gente sensível...


A mina que arrumava o cabelo da Padmé

Você se lembra das servas da Padmé em A Ameaça Fantasma? Eu sei que em anos recentes você deve ter batido na cabeça com um tamanco até que todas as imagens deste filme desaparecessem da sua memória, mas faça um esforcinho agora.

Para onde quer que fosse, Amidála (a batata que daria a luz ao Luke e a Leia) carregava consigo sua legião de assistentes pessoais, todas vestidas com túnicas cor de Doritos. Porque a rainha sempre precisa estar acompanhada de suas miguxas, para falarem de roupas, xingarem outras mulheres pelas suas costas, debaterem qual Jedi é o mais gatinho, e dançarem enquanto escutam Katy Perry.

Porque de acordo com Hollywood, isso é tudo que as mulheres fazem quando se reúnem.

...

É.

Mas enfim, entre as miguxas de Padmé, tinhamos Sabé, que era a sósia da rainha. Contratada por sua semelhança física com ela e que servia de isca para possíveis assassinos, e mantinha sua senhora em segurança.

E vou te dizer, a entrevista de emprego para esta função deve ter sido sensacional:

Padmé: Então, quais são suas qualificações?
Sabé: Bom, eu sou formada em física quântica e mecânica, trabalhei por dois anos com a manutenção de Pod Racers, e recentemente comecei a cuidar de Droids. Além disso, eu...
Padmé: Você é muito parecida comigo.
Sabé: Sim... Minha mãe sempre fala is...
Padmé: Vou te contratar como minha sósia.
Sabé: E... Do que consiste esse trabalho?
Padmé: Sempre que eu tiver de fazer uma aparição pública, você vai no meu lugar. Se algum assassino estiver esperando pra estourar meus miolos durante o meu discurso chato, você quem vai levar a bala em meu lugar, enquanto eu estarei bem em casa, assistindo Clarêncio.
Sabé: Ok... Eu acho que vou indo. Obrigada pelo seu temp...
Padmé: Você não vai arranjar um emprego melhor que este em Tatooine.
Sabé: Não estamos em Tatooine, estamos em Naboo.
Padmé: Eu te transfiro pra Tatooine, não importa onde você vá trabalhar. Eu sou a rainha.
Sabé: ...
Padmé: Beija o meu Cisne Negro, vadia...

Eventualmente, Sabé conseguiu um emprego melhor em um navio pirata e tudo que precisou fazer foi flertar com o Johnny Depp. Isso mesmo, Sabé era interpretada por Keira Knightley, provando que todo mundo começa sua carreira em algum lugar.

Mas a figura que vemos acima não é Sabé, mas sim Rabé. Que entre outras coisas, prova que as mães em Naboo têm o péssimo hábito de batizar suas filhas com nomes que rimem com “café.”

Quem era Rabé, você me pergunta? Ela era a serva que arrumava o cabelo da rainha.

Não, nunca vimos uma cena em que Padmé estava tendo suas madeixas transformadas em uma obra de Oscar Niemeyer para uma aparição pública. Rabé não recebeu destaque em NENHUMA cena. Ela aparece no filme, mas junto as outras servas da rainha, e é impossível distingui-la das outras, pois elas estão longe e se vestem todas da mesma forma.

E RABÉ TAMBÉM VIROU BONECO!!! QUEM COMPRA ESSES MALDITOS BRINQUEDOS AFINAL???

Acho que a próxima figura responderá tal pergunta.


A bibliotecária cuzona

Eu sei que a maioria de vocês despejou alvejante no ouvido pra tentar esquecer Ataque dos Clones, então vou explicar o contexto desta figura.

Há uma cena no filme, em que Obi Wan vai até a biblioteca Jedi em busca de uma informação, não a encontra e questiona a veracidade do banco de dados do lugar. Então, a bibliotecária residente, que se parece com aquela sua vizinha ultra religiosa que acha que gatos são Satã, olha para Obi Wan com um asco que normalmente é reservado a pessoas que fazem ensopados com bebês e declara que a biblioteca Jedi NUNCA está errada.

Como ousa? Este hippie com espada de fadinhas, questionar um banco de dados eletrônico e facilmente corruptível, de demonstrar algum defeito neste mundo futurista onde aparentemente nada funciona direito?

Após esta participação VITAL em Episódio II, a Hasbro (fabricante das atuais linhas de brinquedos de Star Wars) decidiu não lançar uma figura da personagem. Aparentemente, os executivos da empresa acreditaram que o boneco de uma bibliotecária velha e intragável, não seria exatamente popular entre os colecionadores.

OH, como estavam enganados. Os fãs fizeram PETIÇÕES ONLINE para convencer a empresa a lançar a figura da velha. E eu não estou falando de crianças que se reuniram por uma tarde e mandaram dezenas de e-mails para a Hasbro. Me refiro a ADULTOS que desperdiçaram tempo precioso de suas vidas convencendo uma fabricante de brinquedos a colocar no mercado uma miniatura de plástico baseada em uma bibliotecária carcomida pelo tempo!

E quando nos conscientizamos disso, é mais fácil entender a metamorfose que ocorreu com George Lucas.


O vendedor de comida de Tatooine

Você conhece o Jão? Você sabe, o Jão! Aquele cara que vende churrasquinho no ponto de ônibus.

Sim senhor, bom e velho Jão. Com sua careca reluzente, seu bigodinho de imitação do Tom Selleck e barrigão de mamute. Sempre vestindo uma camisa do Palmeiras que foi comprada quando ele vestia dois números a menos.

Ah sim, grande Jão. Que vende um churrasco duro pra cacete e que é praticamente só gordura, mas que você mastiga com vigor e engole com força, sem nunca reclamar. Porque o Jão tem aquele brilho nos olhos de quem é um problema.

Jão, que grande cara. E não seria legal ter uma figura dele? Imagina só, lá tão os Vingadores, o He-Man e os Thundercats, lutando contra o Megatron e tentando por fim a sua mais recente malevolência. Todos fracassam e não há mais esperança, QUANDO SUBITAMENTE, Jão entra em cena, arremessa um sacão de farofa bem na cara do líder dos Decepticons, emperra todos os seus circuitos e salva o dia.

Claro que sim! Jão seria o herói da cidade! Não parece emocionante?

Pois George Lucas achou que sim, e autorizou o lançamento da figura de um sujeito que vende comida nas ruas de Tatooine. Ele aparece na IMPORTANTÍSSIMA CENA onde Jar Jar tenta roubar uma “comida” que estava a mostra, e nos hilariantes acontecimentos que se desenvolveram, esbarrou em Sebulba, aquela coisa que foi o oponente de Anakin na corrida de Pods.

É.

Jão do espaço. Venceu na vida. Um batalhador, sempre.


Chewbacca “disfarçado” de caçador de recompensas

Não sei exatamente quando esta figura foi lançada, mas acredito que isso aconteceu no início dos anos 1990, quando os produtos de Star Wars encontravam-se em uma espécie de limbo. George Lucas sequer havia começado a idealizar a segunda trilogia, ele ainda estava ordenhando os filmes originais para arrancar deles tudo que pudesse. Foi neste período que começaram a lançar os personagens clássicos em novas e interessantes versões.

Claro, “interessante” é um termo relativo aqui.

Ok, sejamos honestos aqui: QUEM CARALHAS SE DEIXARI ENGANAR POR UM CHEWBACCA DISFARÇADO?

“Ain, Amer. A princesa Leia se disfarçou de cassador de recompensas em O Retorno de Jedi, e enganou todo mundo.”

Primeiro: “caçador” se escreve com cedilha.

Segundo: O disfarce da Leia era ótimo. Ela usava uma armadura que cobria o corpo inteiro e não deixava a vista nenhum detalhe que revelasse seu gênero, além de um capacete que protegia cada centímetro de sua cabeça e mantinha seu rosto oculto, e por fim, um embaralhador de voz, que a fazia falar em um idioma alienígena e escondia sua verdadeira voz. Não dava pra saber se ela era humana, Asari, Vulcana, nada! Claro, ela era meio baixinha, mas até aí, o Luke não é exatamente um jogador da NBA, a altura da moça em nada comprometia seu disfarce.

Mas o Chewbacca é UMA PORRA DE UM WOOKIEE DE TRÊS METROS DE ALTURA!!! Ele chama atenção aonde quer que vá, a menos que esteja cercado de outros epresentantes da sua espécie.

E vocês tem idéia do quanto Chewbacca é famoso no mundo de Star Wars? Ele é o Wookiee que ao fim de Uma Nova Esperança, estava na celebração onde a princesa Lei deu medalhas ao Luke e ao Han. ELE É O WOOKIE QUE NÃO GANHOU MEDALHA!!!

Toda vez que alguém levanta a discussão de que a princesa Leia é uma racista e não valoriza espécies que não sejam humanos, citam o Chewbacca. Mesmo que não saibam o nome dele, ele é o Wookiee que foi recebido com indiferença por uma representante da nobreza. TODO MUNDO SABE QUEM ELE É!!!

Aí o sujeito me veste um tapa olha e uma ombreira, olha no espelho e diz: “Pronto, tou disfarçado.”

Acho que todo mundo dá é um passe livre pro Chewbacca. As pessoas sabem que é ele, mas não falam nada, porque não existe um ser no universo que não goste dele.

O próximo caso já é mais difícil de explicar.


Han Solo vestindo um processador de alimentos

Provavelmente da mesma época em que o Chewbacca disfarçado chegou às lojas, temos esta versão do Han Solo.

Ele mesmo, Han Solo! O cara mais bacanudo da galáxia. Piloto, pirata, arrasador de corações, o cara que todos gostaríamos de ser ao crescer, o sujeito que é o ápice da palavra FANTABULOSIDADE!

Então vamos tascar um trambolho o tamanho de um apartamento nas costas dele e forçá-lo a andar por aí com isso. É! Porque isso vai ser muito descolado, sem sombra de dúvida.

Agora, o que porras é essa merda? Bom, claramente não é uma arma, pois não tem canhões, mísseis ou qualquer outra coisa que automaticamente possamos relacionar a fabricação de órfãos e viúvas. Então, o que pode ser?

Estão preparados para a resposta? Ok, lá vai.

É um jetpack.

Isso, uma mochila a jato.

É!

Han Solo é o dono da Millenium Falcon, a nave mais espetacular já criada (sinto muito, Enterprise). Digo, é uma nave que parece uma pizza que foi roída por ratos e mendigos e que ainda consegue ser espetabulosa. Por que picas ele abandonaria um veículo desses e daria preferência a uma monstruosidade que parece ainda mais desconfortável do que ser rasgado ao meio por cavalos a galope?

E imagino o tipo de brigas que isso causou em casa:

Han Solo: Estou saindo, Leia.
Leia: Espera, onde você vai? Que... Mas que coisa enorme é essa aí?
Han Solo: É meu jetpack.
Leia: Jetpack?
Han Solo: Sim, é um mochila a jato, igual a do James Bond.
Leia: Eu sei o que é um jetpack. Pra que você tem isso?
Han Solo: Pra voar, é claro!
Leia: Mas que...? Mas que voar? Você tem a Millenium Falcon, pra que precisa desse horror motorizado?
Han Solo: Eu vou na comprar pão, mulher. Não vou usar a Millenium Falcon pra voar até a padaria. Isso seria ridículo.
Leia: E voar nessa desgraça, não?
Han Solo: Jamais.
Leia: Quanto você gastou nisso?
Han Solo: Ora, eu sou um homem adulto e faço o que quiser com o meu dnheiro!
Leia: Não quando você traz uma coisa que é um risco a saúde pra dentro de casa!
Han Solo: Não seja tola, meu jetpack é totalmente seguro.
Leia: Isso tá vazando um líquido que furou o chão, Han! E eu posso ver através de você quando você veste essa coisa.
Han Solo: Já chega disso! Eu vou... Eu vou voar até a padaria, comprar pãozinho, e quando voltar, vamos comê-lo com margarina e assistir o Chaves.
Leia: De quem você comprou isso?
Han Solo: Hã?
Leia: De quem você comprou isso?
Han Solo: Do Jão.
Leia: Jão do churrasco?
Han Solo: Ele mesmo.
Leia: O Jão é legal.
Han Solo: O Jão é legal.


Esse cara

Eu sei o que muitos de vocês devem estar pensando. Que este boneco não pode ser da linha de Star Wars, porque aquele porra racista do George Lucas se recusou a colocar mais do que um personagem negro em cada trilogia.

Mas esse cara existe, e ele aparece em O Império Contra-Ataca.

Logo depois que Han Solo é congelado em carbonita, Lando Calrissian pega um microfone e anuncia para toda a população de Cloud City: “Galera, o Império nos fudeu tudo. Vamo deitá o cabelo que a porra ficou doida!” Em seguida, podemos ver o pessoal da cidade fugindo desesperado, e é quando este cara, carregando sua fiel máquina de sorvete dos anos 1970, aparece correndo na tela POR MEIO SEGUNDO!!!

Não, sério. O tempo total de participação desta criatura na saga resume-se a meros centésimos de uma existência. Eu achei que era uma forçação de barra criar um boneco do treinador do Rancor, mas esse cara aqui, esse cara da porra...

Ok, ok. Querem escutar algo que vai fazê-los perder a fé na humanidade? Tem gente que faz cosplay desse cara em eventos de Star Wars. Assim, UMA GALERA. Porque por algum motivo, ele tem uma legião de fãs fiéis no fandom da série.

Por este motivo, alguém na Lucasfilm... Ou na Hasbro... Ou no Vaticano, se deu ao trabalho de criar toda uma história para esse cara.

Vejam bem, aparentemente, ele minerava gás em Cloud City... O que é imbecil, porque se você vai “minerar”, então só pode trabalhar com minérios. Por mais que colete o futum da natureza, você jamais poderá chamar a si mesmo de “mineiro”.

A menos que tenha nascido em Belo Horizonte, aquela cidade cheia de gente linda... Mas estou divagando.

O sujeito trabalhava para uma companhia que estava ao lado da Aliança Rebelde, e sua função era garantir que eles recebessem descontos ao comprar o gás com o qual produziam a munição de suas armas... E agora descobrimos que todos os canhões e pistolas laser da série eram abastecidos com nuvens e os peidos dos pássaros, o que tira um bocado da nobreza dos heróis.

Mas estou divagando de novo.

Assim que Cloud City foi ocupada pelo Império, esse cara removeu o núcleo de memória de seu aparelho... Que se parece muito com uma sorveteira e o destruiu. Para que os puxa sacos de Vader não tivessem acesso aos dados sobre os Rebeldes que ali estavam contidos. Em seguida, ele foi capturado pelos vilões e foi torturado por anos, mas jamais revelou os nomes dos mocinhos com quem fazia negócio.

Lógico! Quando eu penso em um sujeito durão, capaz de aguentar tortura infinita sem quebrar, a primeira imagem que me vem a mente é a de um sujeito que passa o dia na frente do computador e que tem uma notável pança de cerveja.

A moral da história aqui é: Não importa se você é um fracassado que em 1980 recebeu dois Dólares pra correr por um set de um filme carregando uma sorveteira que nem estava disfarçada. Se este filme era Star Wars, podem ter certeza que um bando de marmanjos que não foram amados pelos pais farão de tudo para que a história se lembre de sua pessoa!


Esse outro cara

Ok, ok! Esse aqui é sensacional, vocês nem vão acreditar no que vão ler agora.

Pois então, nos parques da Disney existe um passeio chamado “Stars Tour”, onde as pessoas podem conhecer mais a fundo os mundos de Star Wars e tem a oportunidade de interagir com criaturas da saga.

Esse cara... ESSE MALDITO CARA.... ERA A PORRA DO GUIA DO PASSEIO!!!

FIZERAM UM BONECO BASEADO NO FUNCIONÁRIO DA DISNEY QUE GUIA UM DOS PASSEIOS DO PARQUE!!! JESUS CRISTO DE MONOCICLO!!!

E sabem o que mais? As pessoas o compraram! Em um kit de cinco bonecos, que trazia os demais personagens que eram parte do passeio!

Mas eu nunca vi um povo que goste tanto de jogar dinheiro fora quanto os fãs de Star Wars. Bom, talvez os fãs de Star Trek, é um páreo duro entre essas duas sagas.

Agora, imagine que você tem sete anos de idade, está no Stars Tour, tem a chance de conhecer seus personagens favoritos e está feliz feito um beija flor... Daí sua mãe começa a te encher, daí ela enche seu pai, e tá quente pra cacete, e seu pai perde a cabeça e começa a gritar, daí sua mãe grita mais, e todo mundo tá olhando, aí seu pai enfia um soco na boca da sua mãe, e você começa a chorar, daí o velho chuta sua coluna e te manda virar homem, em seguida ele some, em busca de um bar, então sua mãe te compra o kit com ESSE CARA e os outros bonecos pra ver se você para de chorar, enquanto limpa o sangue da boca e te arrasta pra longe da multidão que não para de te encarar...

... Uau, isso foi sombrio...

...

MAS NÃO SOMBRIO O BASTANTE! VAMOS AINDA MAIS LONGE!!!

Imagine que você tá lá, no quarto de hotel, sua mãe tá com a cara inchada, andando de um lado pro outro e reclamando do seu pai, daí o velho aparece fedendo a pinga, sua mãe grita com ele e os dois começam a brigar de novo, aí ele fica de saco cheio, pega o abajur e acerta a cabeça da sua mãe, e ele não para de golpear, até que a cabeça da sua mãe desapareceu e só sobraram manchas de sangue e pedaços de cérebro no carpete, daí seu pai percebe o que fez, fica horrorizado, tira uma arma das calças... Que você nunca percebeu que estava lá, você só achava que seu pai era sacudo... A coloca na boca e dá um tiro, forrando a cama e a você com pedaços de crânio e massa encefálica...

Imagine isso, imagine TUDO ISSO.

Agora, como você vai brincar com o boneco do funcionário do Stars Tour para se entreter enquanto espera a polícia chegar para recolher os corpos da sua família?

Exato, não tem como. Porque este boneco é uma bosta!


A família do Chewbacca

Porque o Especial de Natal de Star Wars foi UMA IDEIA TÃO BOA, que o próximo passo naturalmente seria imortalizar estes personagens na forma de bonecos.

Claro que sim, como não?


Luke e Vader na motoca

Mas pra que essas motos? Eles tem NAVES ESPACIAIS, PUTA QUE PARIU DA ATLÂNTIDA!!!


A cartolina da justiça

E o último item da lista é algo que causou muito choro e corações partidos no Natal de 1977.

Como vocês devem saber, NINGUÉM esperava que Star Wars fosse fazer sucesso. A Fox lançou o filme com o mesmo desprezo que faz com as películas do Wolverine, críticos olhavam para seus cartazes com desprezo e preparavam-se para escrever artigos onde declaravam que a Tia Beru não tinha a profundidade de Tony Manero, e George Lucas conversava com seu amigo Spielberg e afirmava que seu longa jamais faria tanto sucesso quanto Sharknado.

Ao que Spielberg provavelmente respondeu: “O que picas é um Sharknado?”

Mas estavam todos enganados, pois Star Wars acabou sendo um sucesso mediano.

O caso é que nem a Kenner, empresa que fabricava os brinquedos da série na época, acreditava que Star Wars daria certo. Desta forma, eles não produziram figuras suficientes para que toda criança da América pudesse ter seu próprio Luke na manhã de Natal.

Mas rapaz, eles deram a volta por cima! E como! Enquanto faziam uso de toda mão de obra escrava disponível, a empresa colocou no mercado a CARTOLINA DO ESPAÇO... Que nada mais era do que uma caixa vazia com as imagens de todos os bonecos da coleção nela impressos. Afinal de contas, acordar na manhã de Natal e ver que não havia ganho os brinquedos que tanto queria não era o bastante, a Kenner ainda tinha que esfregar na sua cara que VOCÊ NÃO TINHA TODOS ESSES BONECOS! NHÉ-NHÉ-NHÉ-NHÉ-NHÉ-NHÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉ!!!

Mas se seus pais se dessem ao trabalho de desperdiçar seus suados dinheiros em um pedaço de papel e passassem pelo trauma de entregá-lo como presente a você na manhã de Natal, você receberia um vale de compra. Era só preenchê-lo e mandar para a Kenner, que em janeiro, a empresa lhe enviaria quatro bonecos novinhos pelo correio!

Bacana, heim?

Agora tente se lembrar de quando era criança e de como cada dia esperando pelo Natal era uma agonia sem fim.

Imagine agora que seus presentes de Natal não viriam até depois do ano novo, e que você teria de se contentar em sentar na varanda da sua casa e ver toda a molecada da vizinhança brincando com seus Comandos em Ação, suas Calois, seus Ataris e seus Vibradores... Enquanto você apenas esperava... E esperava...

É assim que surgem os assassinos seriais.

E por hoje é só. Quais foram seus brinquedos favoritos de Star Wars?

Não precisam me dizer, perguntei por perguntar. Na verdade eu não dou a mínima.

Cheers!!!

8 comentários:

Giovanni Seiji disse...

Grande Amer!!

Por Odin como eu ri nesse post! Fazia tempo que você não postava artigos sobre brinquedos ridículos da época que vender chocolate em forma de cigarro era aceito pela sociedade.

MAAAS, algo não faz sentido, por que o Han teria esse trambolho como Jetpack? Tipo, o Boba Fett não tinha uma? E ela era incrivelmente mais prática do que essa sauna portátil de clínica de reabilitação.
E MAIS! Como o pai chega cheirando a pinga se a família está nos Estados Unidos?
E MUITO MAIS! Pensar na quantidade de pessoas que compraram brinquedos de coadjuvantes que foram mais rápidos do que minha primeira relação sexual me faz pensar se vão fazer um "Action Figure" do Marguarita Man do Jurassic World.....Bom, pelo menos ele é o Jimmy Buffet...

SEMI disse...

E de repente, aquela minha miniatura em chumbo do careca ajudante do Lando Calrissian não me parece tão ruim...

Hao Cinis disse...

"Mas pra que essas motos? Eles tem NAVES ESPACIAIS, PUTA QUE PARIU DA ATLÂNTIDA!!!"

eram os anos 1980, quando motos eram um sinal de diferença, rebeldia e a coisa mais cool e descolada depois do jeans rasgado e das jaquetas do Menudo. QUALQUER empresa de brinquedo que quisesse dar um empurrão nas vendas incluía uma moto no brinquedo. Acho que a Mônica teve brinquedo com moto.

Vitor Vallombroso disse...

Eu ia criticar, mas ai lembrei que compro todos os jogos que saem pra pokemon e percebi que não tneho moral.

Renan MP disse...

Bom...Luke e Vader precisavam de motocas pelo mesmo motivo que o Homem-Aranha e o Flash também, oras! Alias, eu acho que você até já comentou sobre elas antes...mas eu não sei, posso estar enganado...ou alucinando...mas as motos existem!

Rafael Oliveira disse...

Fantástico artigo como sempre Amer! Faz tempo que não dava boas risadas com as situações que você descreve neles.

Será que fui o único a perceber aquela mochila a jato como algo saído das HQs dos anos 90?porque, olha o tamanho daquele troço em comparação ao boneco! a primeira vista faz lembrar aqueles trabucos imensos que o Rob Liefeld (ou qualquer outro artista daquele periodo) desenhava pros seus personagens.

Agora imagine: aposto que nem conseguiria andar pra padaria quando pousasse com aquilo. No momento em que tocasse o chão, ele ficaria deitado de costas feito uma tartaruga tentando se mover em cima de seu casco. Que coisa humilhante. Pensando assim, ir com a Millennium Falcon não parece uma má ideia... sé é que era desde o começo.

Bruno He disse...

O pirulito do Jar Jar é manero Amer, e ctz q nesse ano por causa do Star Wars 7 vamos ter mais um bonequinho de algum cara q aparece por 1 segundo no filme.

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

Me pergunto o porque das motos em brinquedos.... em num Kamen Rider ou Jaspion é compreensível, mas num Superman, Flash, X-Men ou num personagem de Star Wars?

queria que alguém me respondesse.