domingo, 29 de setembro de 2013

As Criaturas mais Sensacionais da Luta Livre da década de 1980


Alou queridos! Como estão? Bem? Não se envolveram em nenhum ritual satânico em que foram forçados a fornicar com uma cabra até ela se tornar um pão de canela?

Excelente! Continuem assim!

Pois então, hoje tratarei de um assunto que milhões (E MILHÕES) de pessoas já me pediram para escrever a respeito, mas sobre o qual sempre tive alguma relutância. Luta livre Profissional.

Sim, já escrevi sobre o assunto antes, mas no geral, mantive distância do assunto. O caso é que nem todo mundo conhece as figuras que ilustram a luta livre profissional, visto que o esporte (sim, chamei de “esporte”, não me encha o saco) não é tão difundido aqui quanto lá fora. Você pode saber que são British Bulldog e Great Muta, mas isso não se aplica a todas as pessoas do país.

Claro... Você pode dizer a mesma coisa de Transformers, um assunto sobre o qual já falei DEMAIS aqui no blog. Mas a diferença é que não tenho problema algum em caçoar dos robôs da Hasbro. Amo a franquia e ela fez parte da minha infância, mas reconheço o quanto ela é ridícula às vezes e não vejo porque não rir dela quando me dá vontade.

Com a luta livre é diferente. O esporte (Falei de novo! Vá chupar um cavalo) já sofre um preconceito claro por uma parcela grande das pessoas, que não entendem que ele se trata de UM ESPETÁCULO e adoram rotulá-lo como marmelada e traçam comparações ridículas entre astros da WWE e do UFC.

Aliás, muito do aspecto de show que envolve o UFC hoje em dia veio da luta livre. Dana White (o chefão do UFC) é um grande fã da WWE e de todo o aspecto fantástico que foi criado em torno dos eventos da federação.

Enfim, eu não queria caçoar de um esporte (HÁ!) que já tem tantos problemas para ser levado a sério. Tenho um respeito absoluto pelos lutadores e por todas as loucuras que fazem no ringue pelo nosso entretenimento.

Mas então percebi que posso falar de luta livre sem faltar ao respeito com esses atletas tão admiráveis. Digo, eles são quase como personagens de desenhos animados, dentro... E fora dos ringues. Lutadores profissionais levam algumas das vidas mais absurdas de que se tem notícia, por que não compartilhar alguns fatos pouco conhecidos com vocês?

E assim o farei! Então tomem suas vitaminas e façam suas orações, porque teremos agora uma chocolatante homenagem aos lutadores mais sensacionais, fantásticos e estrambólicos da década de 1980.

Aliás, o post de hoje terá diversos vídeos. Se não puder vê-los agora (caso esteja no trabalho ou em uma orgia com cosplayers), deixe para assistir em casa. Eles acrescentarão bastante a sua experiência.

BROTHER!!!


10º Lugar - Jerry Lawler

Em sua época, Jerry Lawler foi o campeão dos pesos pesados do Sul dos Estados Unidos e provavelmente o homem mais desnecessariamente peludo da região.

Veja bem, naqueles tempos, cada região da atual Terra de Obama tinha sua própria federação de luta livre e uma não mexia com os negócios da outra. Até que Vince McMahon comprou a WWF (atual WWE) de seu pai e começou a amalgamar as companhias de todas as regiões do país.

Lawler era reconhecido como um dos sujeitos mais temíveis do negócio, tanto que ganhou o título de “O Rei da Luta Livre”, do qual ele nunca se desapegou com o passar dos anos. Olhe a foto, ele tem uma coroa e não está coberto de bosta. Ele só pode ser um rei.

Mas o motivo real pelo qual ele é um dos mais lembrados lutadores de todos os tempos, foi sua rivalidade com ESTE HOMEM:


Este é Andy Kauffmann, um ator/comediante/homem fantástico que queria ser o maior artista de todos os tempos e cuja ideia de uma boa piada era aplicar peças em seu público. Kauffmann tornou-se muito popular ao participar da sitcom Taxi, mas ele queria fazer algo mais significativo de sua vida.

Aí, ele comprou briga com Jerry Lawler, levou um pilão e quase teve o pescoço quebrado no processo.

E então, os dois foram ao Talk Show de David Letterman, onde Lawler esbofeteou Kauffman com a mão da justiça do Tennessee:


Somente vários anos após a morte de Kauffman, que foi revelado que a história toda foi combinada pelos dois, que eram ótimos amigos e acharam a confusão toda extremamente divertida. A saga de Lawler e Kauffman foi contada no filme O Mundo de Andy, estrelado por Jim Carrey, que esperava MUITO ganhar um Oscar com sua interpretação do lendário artista.

Claro, não deu certo. Oscar de merda.

Hoje, Jerry Lawler é um dos narradores dos shows da WWE, permanece extremamente querido entre os fãs e ocupa seu tempo entre ter ataques cardíacos em apresentações ao vivo e namorar garotas jovens o suficiente para serem suas bisnetas.


Não é a toa que seu coração tem parado de funcionar.


9º Lugar - Bob Backlund

Na luta livre profissional, um físico de Adonis não é suficiente para fazê-lo chegar ao topo. Os melhores atletas tem de ser mestres no uso do microfone também. Quanto melhores forem suas entrevistas, mais dólares eles conseguirão com o passar do tempo.

Assim, muitos lutadores dedicam-se a gritar com o máximo de força que suas cordas vocais permitam. Coisas simples como “bom dia, posso lhe oferecer um café?” tornam-se muito intimidadoras quando um sujeito de dois metros de altura e 150 quilos vocifera tais palavras em um misto de sociopatia e cuspe.

A graça de Bob Backlund, é que ele não gritava até sua laringe sair pelo cu. Assim que segurava em um microfone, este senhor que mais parece uma versão nova iorquina do Mr. Bean falava calma e pausadamente, todos os horrores que planejava fazer com seus adversários:


Enquanto seus colegas pareciam um bando de loucos querendo arrumar briga em um bar, Bob Backlund soava como um assassino serial, do tipo que retalharia um homem, faria strogonoff com seus pedaços e serviria para um pastor alemão, antes de iniciar um romance tórrido com o bicho. Eventualmente, sua história seria adaptada para os cinemas por Oliver Stone, que com certeza faria merda, pois está gagá como todos os diretores de sua geração.

MALDITOS SEJAM RIDLEY SCOTT E PROMETHEUS!!!

...

Em seus últimos anos ativo, Backlund decidiu que era hora de começar a gritar com seus adversários, o que acabou não tendo o efeito que ele esperava. Quando um gordão cabeludo e ensebado urra com você, é uma coisa, mas um tio de gravata borboleta fazendo isso, não é a mesma coisa.

Não se engane, Bob Backlund ainda pode arrancar seus braços e enfiá-los no seu cu! E por isso, ele sempre terá nosso amor e admiração!


8º Lugar - Sargento Slaughter

Norte americanos são um povo belicista, mas acho que não estou contando nenhuma novidade. Estamos falando de um país onde a população acredita que a melhor defesa contra furacões é uma metralhadora semi automática.

Desta forma, criar um lutador que lembrasse o sargento Tainha era uma maneira fácil de gerar cifrões. Foi assim que Robert Remus conseguiu um emprego no ramo e tornou-se um dos ícones de sua geração.

O Sargento Slaughter era uma celebração ao militarismo americano e as péssimas relações que seu país tinha... bem, com TODO MUNDO. Ao longo de sua carreira, Slaughter massacrou soviéticos, árabes, asiáticos e qualquer um que falasse inglês com uma vírgula que lembrasse um sotaque de fora do país. Estou surpreso de saber que ele nunca matou nenhum canadense.

Slaughter era tão popular em seu tempo, que ele recebeu uma das maiores honras que um ser humano pode ter: foi transformado em um dos Comandos em Ação.

Não, sério!


 A REAL AMERICAN HEROOOOOOOOOOO!!! G.I JOOOOOOOOEEEEEEEEE!!!

...

Desculpem, me empolguei.

Se não me engano, nos Estados Unidos, a única maneira de ter o boneco do sargento, era comprando o tanque mostrado no comercial. Era uma prática comum, vender certas figuras apenas com seus veículos. Foi assim também com Serpentor e os gêmeos Xamot e Tomax.

Aqui no Brasil, Slaughter foi vendido em cartelas, como uma figura ordinária qualquer. Algo benéfico para a molecada que não podia enrolar suas avós toda a semana com a história de “se eu não ganhar este boneco, vou ter leucemia, certeza.”

No desenho animado, Slaughter teve um papel considerável no longa metragem, onde dava uma surra épica no Atacante Nemesis, um mutante alado vindo de Cobra-Lá, o reino de aberrações que foi introduzido na franquia quando seus criadores decidiram que G.I Joe precisava de mais ficção científica e que todos os fãs fazem questão de tentar esquecer a três décadas.

E diabos, pelo comercial, o Sargento Slaughter é uma força a ser reconhecida. Sozinho ele está dizimando mais de cinquenta soldados Cobra sem derramar uma gota de suor. Se os Joes recrutassem mais lutadores profissionais, Bin Laden não teria conseguido se esconder por uma década depois do 11 de Setembro. Tenho certeza que Undertaker conseguiria localizá-lo em menos de seis dias.

...

E o deixariam escapar de novo, pois o Undertaker leva pelo menos 12 minutos para entrar em qualquer lugar, o que é tempo mais que suficiente para qualquer terrorista desaparecer da face da Terra.

Bom, o que importa é que amamos o Sargento Slaughter. Mas sua carreira talvez não tivesse sido tão grandiosa se não fosse por...


7º Lugar - Iron Sheik

Trinta anos atrás, Iron Sheik era o mais mau dos maus da WWF. Como vocês bem sabem, os Estados Unidos nunca se deram bem com países do oriente médio e a cada década, um novo inimigo é escolhido para ser o recipiente do ódio coletivo da população norte americana.

É como Dragon Ball Z, onde cada saga tem um vilão específico. Seguindo a progressão da série, o Irã foi o Cell dos norte americanos, após décadas com a União Soviética bancando o Freeza.

Naqueles idos tempos, a amizade entre as duas nações não estava nos melhores termos, por uma cacetada de motivos que não explicarei aqui. Se estiver interessado, assista a um documentário. Se for preguiçoso demais para isso, assista ao filme Argo, que acima de tudo, nos mostra como Ben Affleck foi pivotal para a política internacional dos Estados Unidos trinta anos atrás.

Ele é o Batman, afinal de contas.

Assim, nada melhor para incitar a fúria do público e fazê-los comprar ingressos do que colocar um arabezão canalha como vilão-mor da luta livre. Papel que recaiu sobre Hossein Kohsrow Ali Vaziri... ou, o Iron Sheik.

Sheik lutou com alguns dos maiores astros de sua época, quebrou o reinado de seis anos de Bob Backlund como campeão e foi o primeiro homem de quem Hulk Hogan ganhou um título mundial. Além disso, ele saiu na porrada com o Sargento Slaughter inúmeras vezes, provando que não tinha medo dos Comandos em Ação.

Devido a inúmeros problemas de saúde, Sheik se afastou da luta livre e passou a dedicar-se a odiar tudo. Sua conta no Twitter é um eterno desfile de ofensas, onde ele xinga a todos com quem já trabalhou, manda seus seguidores se foderem e ameaça comer todo mundo com seu pau de 22 centímetros.

De fato, foi com essa personalidade odiosa que Iron Sheik ganhou uma nova carreira no rádio, dando entrevistas onde atacava impiedosamente todos seus ex-colegas e elogiava Frank Sinatra, que de acordo com suas palavras, foi vê-lo lutar no Madison Square Garden inúmeras vezes ao longo da vida.

Claro.

E em uma entrevista ao vivo no programa The Opie & Anthony Show, o Sheik sem perceber mijou nas calças após beber oito cervejas seguidas.

Hey, se não acreditam, eu tenho uma foto para provar.


E gostaria de dizer que The Opie & Anthony Show é meu programa de rádio favorito. Na verdade, é o único programa de rádio que eu escuto e recomendo a qualquer um que não tenha ressalvas com humor politicamente incorreto que faria Rafinha Bastos corar.

Ademais. Iron Sheik, você detona!


6º Lugar - Road Warriors/The Legion of Doom

Embora sejam dois dos mais fantásticos lutadores de todos os tempos, não faço ideia de qual é o nome real desta dupla. Algumas fontes referem-se a eles como “Road Warriors”, enquanto outras preferem “Legion of Doom” e ainda existem aqueles que usam ambos os nomes.

Uma vez que ambos devem ser nomes registrados (um pelos donos da série Mad Max e o outro pela DC Comics) porque não usar os dois termos e arriscar um processo judicial de dupla penetração? Isso que é a epítome de ser um macho!

Pois bem, naqueles áureos tempos, a divisão de duplas era uma das coisas mais adoradas pelos fãs. Por que ter apenas dois seres humanos espalhafatosos em um ringue amassando cadeiras de metal na cabeça um do outro, quando podíamos ter QUATRO? E Animal e Hawk sem dúvida davam conta do recado.

Dois monstros vindos de Chicago que dizimaram absolutamente todos os oponentes em seu caminho, eles eram notórios o suficiente na década de 1980 para serem os chefes finais do jogo da WWF para fliperama.

Ninguém que não seja foda se torna chefe final em um videogame! A menos que estejamos falando do jogo do Hulk para Super Nintendo e Mega Drive.

Aí a dupla foi pro Japão, onde descobrimos que eles eram Kryptonianos que passaram séculos vagando pelo espaço presos na Zona Fantasma e que assim que chegaram na Terra, cometeram maldades absolutas como empurrar o carro dos outros sem permissão, matar a fauna local e comer frango cru sem se importar com a salmonela.

Pois é:


Afinal, o Japão não ficará satisfeito até destruir absolutamente tudo que amamos no ocidente. Já fizeram isso com sexo e robôs gigantes.

VÁ SE FODER, NEON GENESIS EVANGELION!!!

VÁ SE FODER, MARGOT KIDDER!!!


5º Lugar - Ted Dibiase

Dibiase também foi um dos maiores vilões da década perdida. Seu personagem era o de um empresário milionário e corrupto, que COMPRAVA títulos de campeão e outros lutadores, para que fizessem seu trabalho sujo.

Ele é o pai do Ted Dibiase que agracia a WWE nos dias de hoje e embora tenha se aposentado dos ringues a um bom tempo, a luta livre nunca saiu do coração de Ted, que hoje é um ministro Cristão com sua própria federação independente que se apresenta em suas missas.

Não, sério! Se pertencer a congregação de Ted Dibiase, não verá apenas um pregador dizendo de quantas maneiras diferentes você irá para o inferno, mas também terá a chance de ver dois brutamontes causando concussões EM NOME DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO!!!

RELIGIÃO NÃO FICA MUITO MELHOR DO QUE ISSO!

Mas este não é o único motivo pelo qual ele entrou na lista. O fato que me fez lembrar do senhor Dibiase é que sem ele não teríamos Virgil!


Virgil era o “assistente” de Dibiase e exceto por parece um sujeito intimidador, ele não tinha absolutamente nada de especial. Lutava mal e era uma tragédia nas entrevistas, assim, o público logo se esqueceu dele.

Mas Virgil nunca esqueceu do público. Desta forma, ele aparece em diversas convenções de luta livre e na Comic Con, sem ser convidado, monta uma mesinha com fotos sem autorização dos chefes do evento e passa a perna em qualquer um que demonstre interesse em suas coisas, normalmente enrolando fãs para que paguem até 80 Dólares por uma foto autografada que eles não querem, de um lutador que não sabem quem é.

De fato, o site Lonely Virgil acompanha as viagens dele pela América, sempre sem nenhum fã demonstrando o menor interesse no que ele tem para vender.

E sem Ted Dibiase, jamais teríamos o humor involuntário gerado por este pilantra em forma de lutador! Obrigado, senhor Dibiase! Que Jesus Cristo o abençoe e a seus joelhos.


4º Lugar - Macho Man Randy Savage

Savage foi um dos maiores representantes do esporte em sua época de ouro. Talvez pelo fato dele ter uma voz muito grave e distinta, que contrastava com suas roupas coloridas e absurdas, ou possivelmente por ter sido uma das partes envolvidas naquela que é considerada por muitos como a melhor luta de todos os tempos.

E também tem o fato de que ele levou uma surra do Tobey Maguire uma vez.

Mas hoje, uma das coisas que torna a figura de Macho Man Randy Savage tão lendária, é que ele faz parte de uma das lendas urbanas mais discutidas dentro da luta livre profissional.

Vejam bem, por anos, Randy permaneceu na “lista negra” de Vince McMahon. Qualquer um que ferrasse com o empresário estaria fora da WWE para todo o sempre... ou até Vince ver a chance de lucrar muito com um retorno do dito lutador. Como bom empresário, Vince faria um boquete no diabo em rede nacional se isso lhe rendesse algum lucro.

Mas Savage nunca voltou a trabalhar para ele. De fato, a figura do lutador era vetada até mesmo em videogames ou brinquedos, o que é estranho se considerarmos que ele foi uma das maiores lendas do ramo e a ganância de Vince.

Pois bem, rumores indicam que Randy Savage transou com Stephanie McMahon, a filha de seu chefe. Essa moça linda aqui:


Admito que coloquei esta foto unicamente porque pago pau pra Steph.

“E daí?” Você pergunta. “Ela claramente é uma mulher crescida, pode encaixar o LEGO com o homem que quiser. Não seja um porco chauvinista, Amblim!”

Bom, o negócio é que o suposto encontro amoroso dos dois se deu na década de 1980... quando Steph ainda não havia completado 18 anos. As fontes variam, mas algumas chegam a apontar que a menina tinha 14 anos na época do acontecido.

Pois é, e você aí, me achando machista. PEÇA DESCULPAS!!!

...

Desculpas aceitas.

O caso é que ninguém sabe ao certo o que raios aconteceu entre Randy e Vince para o barbudo ser declarado persona non-grata em por seu ex-chefe. Muitos dos membros do alto escalão da WWE acham que isso realmente aconteceu, mas Steph nunca tocou no assunto e mesmo as pessoas próximas a Randy tinham medo de perguntar a respeito.

Savage faleceu em 2011, após sofrer um ataque cardíaco enquanto dirigia e bater seu jipe em uma árvore. Pois aparentemente, Deus decidiu que uma tragédia só não era suficiente para matá-lo. Nesta época, um vídeo de tributo foi exibido na WWE, pois pelo visto, a única coisa que Vince queria para perdoar Savage, era que ele morresse.

E ele levou consigo um dos maiores segredos do esporte.

Também descobrimos que foder com a família do Vince (seja literal ou figurativamente) nunca é uma boa ideia.


3º Lugar - Rowdy Roddy Piper

Outro que foi um dos maiores vilões dos anos 1980, Piper fugiu de casa aos 16 anos e nunca mais voltou. Ele não discute abertamente o ambiente familiar em que cresceu, mas decidiu que quebrar ossos em um ringue era uma forma muito menos nociva de se viver. Deduzo assim que seus pais eram dois babacas.

Como bom jovem canadense, ele assumiu um personagem que fizesse jus a sua herança cultural. Assim, ele se vestia de escocês, com direito a kilt e gaita de foles. Porque luta livre não faz sentido na maioria das vezes.

Mas mais importante que isso, é que você cita frases dele há anos sem saber.

Primeiro, assista a esta cena do filme Eles Vivem, estrelado pelo grande Piper em pessoa:


Agora, escute isso:


EXATAMENTE! ROWDY RODDY PIPER INSPIROU DUKE NUKEM!!! O MAIS MACHO HERÓI DOS GAMES TINHA UM ÍDOLO NA FIGURA DE UM BRUCUTU CANADENSE-ESCOCÊS DA LUTA LIVRE!!!

Sem mais perguntas, meritíssimo.


2º Lugar - Hulk Hogan

Eu conheço Hulk Hogan, você conhece Hulk Hogan, sua vó conhece Hulk Hogan e até aquele viadinho do Dick conhece o Hulk Hogan. O que posso falar de sua pessoa alaranjada que já não tenha sido dito um zilhão de vezes?

Bom, primeiro, ele ferrou com a carreira de muita gente na década de 1980. Como campeão e cara que supostamente carregava todo o mundo da luta livre nas costas, Hogan tinha uma parte muito ativa nos bastidores e na forma como as lutas se desenrolariam. No fim das contas, ele não aceitava a ideia de passar o título para outros caras e precisou ser mandado embora da WWF para que mais gente tivesse a chance de chegar à posição de campeão.

Então ele foi pra WCW, federação rival a WWF... e Fez a mesma coisa por lá. Colocou a si mesmo no topo da companhia, junto de seus miguxos e atrasou por anos a carreira de camaradas como Eddie Guerrero e Chris Jericho, que só tiveram chance de mostrar seu talento quando foram trabalhar para a competição.

Mas o Karma sempre volta para nos morder a bunda. O Hulkster perdeu quase toda a fortuna que conseguiu ao longo dos anos quando se divorciou de sua esposa. A moça ficou com sua mansão, quase todo o seu dinheiro e OS CINTURÕES DE CAMPEÃO QUE ELE CONQUISTOU AO LONGO DA VIDA. Eles são feitos de ouro e tem valor financeiro, logo, o juiz decidiu que Linda Hogan tinha direito legal sobre eles.

E hoje, nosso querido Hogan está no fundo do poço, usando sua celebridade para tentar ganhar alguma grana com games ruins para o Kinect, lutando de vez em quando, apesar de todos os seus problemas na coluna e quadris e tentando conseguir papéis no cinema.

Juro, sinto-me mal por ele.

Para terminar este trecho em uma nota não totalmente depressiva, vejamos este comercial japonês onde nosso loiro imenso favorito tenta vender ar condicionado para o povo da Terra do Sol Nascente.


E agora tente não ficar com esta música na cabeça para todo o sempre.


1º Lugar - Ultimate Warrior

A palavra que define a década de 1980 é “excesso”. Foi nessa época que começou a política econômica que auxiliava o corporativismo e que fodia todo mundo que não era o presidente de uma empresa do tamanho de Guarulhos. Ronald Reagan queria que os ricos ficassem cada vez mais ricos e que os pobres o servissem Capuccino enquanto ele limpava as solas do sapato em uma criança órfã de um país de Terceiro Mundo.

E o exagero não ficou apenas na economia e migrou para a moda e entretenimento. Em que outra época podíamos vestir uma camisa rosa choque com uma calça xadrez e tênis “chinesinho” (pergunte ao seu pai ou irmão mais velho o que é isso), comprar um vinil do WASP de forma não irônica e ir ao cinema assistir Sylvester Stallone massacrar a população do Vietnã usando apenas um arco e flecha e seu peitoral?

E o Ultimate Warrior é o representante perfeito dessa década absurda.

Jim Hellwig (seu nome real... No início) tem o talento de uma peteca. Mas ele compensava isso com a energia alucinada de quem cheirou pó de Nescau no café da manhã e músculos ridiculamente desenvolvidos a base de ester... Hãããããã, proteína, isso.

Sem contar que ele tinha os pulmões mais poderosos da indústria e era capaz de gritar mais do que um Fred Flintstone que pegou a Vilma na cama com o Barney. Nós até perdoávamos suas entrevistas ininteligíveis, porque era divertido especular se ele ia desmaiar antes do fim de uma delas:


E teve a vez em que Warrior se pronunciou contra os cigarros:


Com o passar dos anos, todo mundo no meio ficou de saco cheio de Hellwig, que era um louco abilolado com ego maior que o do Erasmo Carlos e ele foi mandado embora de todas as federações em que ele se recusava a trabalhar, mesmo depois de receber cheques com números infinitos de dígitos.

Provando que o tempo o tornou mais sábio, Jim mudou seu nome legalmente para “Warrior”, para que todas as vezes que fosse mencionado em um programa de Vince McMahon, recebesse um trocado. Hoje, ele passa seu tempo tentando lançar um reality show onde humilha seus fãs por horas e colocando no ar vídeos em que alega que Hulk Hogan “emprestava” a esposa para todos os colegas do vestiário nos bons e velhos tempos.

Ultimate Warrior, um fóssil que prova que os anos 1980 nunca nos deixarão de verdade.

E O LUTADOR MAIS SENSACIONAL DE TODOS OS TEMPOS É:


André, O Gigante

A primeira coisa que você tem de saber sobre o André, é que ele era GRANDE.

Não grande, mas GRANDE. Sabe aquele seu amigo de 1,80 de altura, que você secretamente fica imaginando se deve ter uma piroca enorme? Pois bem, ele é um Tyrion Lannister se comparado ao André.

André tinha DOIS METROS E VINTE de altura e nunca pesou menos de DUZENTOS QUILOS ao longo de sua carreira. Ele era tão grande que sempre que viajava para o Japão, Tokyo era evacuada e a população local esperava que DESUTOROYAH fosse aparecer não muito depois dele.

Pra vocês terem uma ideia, eis uma foto de André segurando uma lata de cerveja.


Não, não é uma lata de cerveja “kids”, que texanos velhos e racistas compram para seus filhos. O que vocês estão vendo é uma lata de tamanho normal, igual a aquelas que você entorna uma após a outra no sábado a noite, porque você está sozinho em casa, ninguém te ama e apenas o álcool pode aplacar a dor de sua existência miserável e solitária.

Se ainda não está convencido, aqui tem outra foto interessante.


O que estão vendo é uma imagem de bastidores do filme Conan – O Destruidor, onde Wilt Chamberlain (com dois metros e dezesseis) e André seguram Arnold pelos braços como se ele fosse um boneco de pano.

Arnold tem um metro e noventa... e já foi o nanico da turma. Nunca se sinta mal com sua altura, é a lição que podemos tirar disso.

Mas talvez a coisa mais marcante de André sejam todas as histórias e mitos que surgiram ao longo de sua carreira, sempre perpetuados por seus amigos e colegas, que adoram contar dos bons tempos que passaram ao lado dessa aberração humana.

De acordo com Bobby Heenan (empresário do monstro), André adorava beber. As palavras exatas de Heenan sobre o assunto eram: “André adorava virar a noite enchendo a cara no bar e queria que todos lhe fizessem companhia. Se você se negasse a ficar lá com ele, André desrosqueava a sua cabeça e bebia VOCÊ!”

Outra história interessante é contada por Hulk Hogan. Quando fizeram turnê no Japão, André descobriu da pior maneira que os banheiros do país não eram feitos para acomodar dinossauros. Assim, sempre que precisava evacuar as bistecas de brontossauro, nachos e órfãos que comia, ele estendia jornais pelo chão do quarto, se agachava e fazia seu negócio.

Depois gritava para Hogan: “Ei chefe, vem aqui ver o que eu fiz!”

Em outra ocasião, André foi a um restaurante e fez seu pedido a uma garçonete, que ele tratou com muita educação (ele era muito respeitoso com as mulheres). Infelizmente,a moça era uma broaca e André a escutou caçoando de seu tamanho ao conversar com as outras funcionárias do lugar.

E qual foi sua atitude? Passou a noite no restaurante, pediu tudo que tinha no cardápio (e COMEU tudo que pediu), fez a moça trabalhar por muitas horas além do expediente para atendê-lo e no fim, NÃO DEIXOU GORJETA!!!

... desculpem, caiu uma lágrima aqui...

Mas talvez a melhor história sobre André, seja da época em que ele estava em uma turnê com o Ultimate Warrior. Vejam bem, nessa época, o gigante já estava no fim de sua carreira e estava mais interessado em ajudar os novatos a crescerem do que qualquer coisa. Aqui, ele havia decidido dar uma força para o Warrior, que como bom babaca, abusou da bondade de seu colega.

Ao longo das noites em que lutavam, Warrior estava atacando com um “clothesline” (golpe em que o lutador corre em direção ao inimigo e o atinge com o braço na região do peito)em que aplicava toda a força que tinha. Você já viram como Warrior era ridiculamente musculoso e uma pancada do rapaz devia ser algo notável.

André ficou incomodado com a atitude do novato e pediu a ele que “maneirasse” no ataque. Não adiantou, a cada noite, Warrior batia com mais força, o que irritava André de uma forma que simples humanos não podem calcular.

Em uma apresentação, o monstro decidiu que já tinha aguentado demais e no momento que viu Warrior correndo em sua direção, simplesmente estendeu o braço e deixou que Warrior acertasse seu punho massivo com a cara, algo que o levou a nocaute instantaneamente.

Nas noites seguintes, todos puderam perceber como Warrior mal estava encostando em André durante suas apresentações. A isso, o gigante apenas virou para seu empresário e comentou “ele está aprendendo”.

E pra finalizar, ele foi a inspiração para a criação do Andoré, de Final Fight. O que automaticamente o torna uma das pessoas mais importantes da história humana.

CONTEMPLEM! André passeando de Motoca.


Porque sim.

Menções Honrosas:


King Kong Bundy

Bundy era como um marshmallow enorme com braços, pernas e cabeça, que nunca viu necessidade em desenvolver um pescoço. Ele foi um dos maiores vilões da luta livre nos anos 1980, talvez porque parecesse a mistura do Stay Puft com um pai abusivo e alcoólatra.

Mas o ponto mais memorável de sua carreira, foi quando ele apareceu na série Married With Children e deu uma surra em Bud Bundy.


Dois pontos a se comentar sobre o vídeo. Primeiro, Kelly Bundy foi uma das criaturas mais lindas que já agraciou uma série de televisão.

Segundo, o segurança que aparece no vídeo é o querido e saudoso Michael Clarke Dundan.

Todos tem de começar a carreira em algum lugar.


Dusty Rhodes

Talvez vocês se lembrem de Dusty Rhodes, o mencionei recentemente no artigo em que fingi não ser um porco machista e chauvinista.

Mas a graça de Dusty Rhodes (além de ser o pai do Cody Rhodes e do Goldust) é que ele já era uma lenda do esporte na década de 1970, que teve embates lendários com alguns dos maiores ídolos que a luta livre já apresentou.

Só que nada disso importou quando nos anos 1980, ele foi trabalhar para Vince McMahon na WWF. McMahon tinha birra com Rhodes na época, por conta dele ser um gordo tetudo que não tinha vergonha de aparecer em público só de sunga e que ainda assim, era considerado irresistível pelo sexo oposto.

Ou qualquer outra razão tão válida quanto essa.

Seja como for, Vince decidiu que humilhar uma lenda era a melhor coisa a ser feita e assim aconteceu. Ele forçou Rhodes a vestir regatas de bolinhas amarelas e a aparecer em vídeos onde trabalhava como açougueiro, bombeiro e outras profissões “do povo”.

E sempre sem camisa, claro. Porque nada mais saudável que um gordão semi nu suado manuseando a carne que você vai comprar pra refeição de sua família.

Mas mesmo diante de tanta humilhação, ele nunca perdeu seu sorriso bonachão!

DUSTY RHODES! UM VITORIOSO!


Michael Hayes and the Freebirds

Imaginem aqueles norte americanos que moram em trailers no meio do nada, que bebem demais, não comem nada que não tenha sido morto a tiros ou que não venha em uma lata, bebem como se não houvesse amanhã, tem uma paixão inexplicável por carros envenenados, vão ao supermercado comprar metralhadoras automáticas e carregam ódio por qualquer grupo étnico que seja diferente do seu.

Bem, isso é o que chamamos de “lixo branco” e Michael Hayes e seus Freebirds eram a melhor encarnação disso que a luta livre nos deu. Três branquelos peludos e pelancudos, com mullets selvagens oxigenados, que agiam como se todas as mulheres do mundo quisessem ser bombardeadas na cara com seu D.N.A.

E não duvido nada que na época, muitas quisessem de verdade.

Mas os Freebirds não entraram na lista por não terem se destacado tanto quanto os demais lutadores citados. De fato, a maioria das pessoas que os conhecem são fãs abilolados que passam tempo demais questionando a validade cultural de homens suados de sunga se agarrando e se jogando longe.

Mas fico feliz de ver que os exemplos de lixo branco na mídia contemporânea são melhores que os do passado.


Ou pensando melhor, talvez não sejam.


Demolition

Demolitio” era uma dupla na mesma veia dos Road Warriors. Dois sujeitos maquiados, com roupas cheias de espinhos, que pareciam loucos e que a empresa apresentava como monstros humanos capazes de destruir qualquer um em seu caminho.

E funcionava. Por algum tempo, a dupla esteve entre os maiores vilões da empresa e o público realmente temia pelo bem estar de qualquer um que os enfrentasse.

Mas uma segunda olhada mostra que Demolition não passava de dois gordos de cara colorida e vestindo roupas baratas de sadomasoquismo em público. É como se você descobrisse de repente que seu tio Beto tem um passatempo que ele mantém oculto do resto da família.

E o fato de que tínhamos MEDO de seres ridículos assim apenas mostra a força da luta livre profissional.

Hoje ficamos por aqui.

Até outubro!

Cheers!!!

31 comentários:

Mestre Ryu Kanzuki disse...

Incrível! Incrível! Incrível! Incrível! Parabéns por mais esse post. Muito informativo e, como sempre, descontraído. Não esqueceu nem do Andy Kauffman. Dá aprender e relembrar alguns astros.

E seja muito bem vindo de volta! ^^

john albert disse...

Amer vc voltou incrivel,adorei!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

espero vero blog de games atualizado tbém!!
ae amer se tem face?se tiver posso pedir amizade pra vc?se parece ser um kra muito legal.

john albert disse...

Amer faz agora dos anos 90!!!!!!!!!

Thiago Lopes disse...

A lista é muito boa, só que você se esqueceu do Mr. Perfect.

Lembremo-nos também que Hulk Hogan lutou contra Rocky no filme Rocky 3, em que ele era Thunderlips.

imperion disse...

gta v do no blog de games, amer!!!!

Amer H. disse...

Não esqueci ninguém. Se não coloquei na lista, é porque eu não tinha nada divertido pra compartilhar sobre o lutador.

Raphael Soma disse...

Sentia falta desses seus artigos sobre Luta Livre, Amer. Pior que dia desses eu tinha assistido este documentário sobre o Andre:

http://www.youtube.com/watch?v=Pxck08l_aFc

Fiquei tão fã do cara que acho até vou usar o Hugo como um dos meus main characters no Ultra Street Fighter 4 (eu podia jogar no SF3, mas enquanto o jogo não sai no Steam fica difícil)

Ah, notei que naquele vídeo japa dos Road Warriors, tenho 95% de certeza de que o narrador era o Tohru Furuya, vulgo Seiya de Pégasus...não que importe muito (mas aí me lembro da Guerra Galáctica do começo de CDZ e começo a teorizar...:P)

No mais, ótimo artigo. Ameríssimo!

(PS: sobre aquele dia que te consultei sobre o Tomb Raider, o game é ótimo! Minhas suadas patacas foram bem investidas. Valeu pela consultoria :3)

Frodo disse...

Excelente post como sempre Sr Amer!

Jurava que você iria citar o Ted Boy Marino, o lendário tio do Tony Canaan! http://www.youtube.com/watch?v=JzQdICrUiaM&feature=related

Aí eu lembrei que o auge dele foi nos anos 60, anos 80 o coitado tava nos trapalhoes para sobreviver... e é por isso que eu não escrevo sobre esse assunto!

Poxa, eu não sabia disso sobre o Hulk Hogan, meu deixou meio triste, eu era fã do cara...

e por alguma razão, fiquei com uma puta dó Virgil solitário...

lilycarroll disse...

"Afinal, o Japão não ficará satisfeito até destruir absolutamente tudo que amamos no ocidente. Já fizeram isso com sexo e robôs gigantes."

Estava crente que veria o link de Kiss Player depois dessa frase...

Havera lista com os melhores lutadores dos anos 90?

Amer H. disse...

Quem sabe?

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

mais uma matéria sobre o meu gênero de luta favorito, graças a você Amer.

ri muito do vídeo do Andy e do Jerry, e como o David Letterman era jovem na época.

o Sargento Slaughter achei engraçado na foto, mas deveria chutar muitas bundas. e se fosse nos dias atuais, torceria pelo Iron Sheik. o cara me lembra um personagem do Street Fighter Ex

fiquei com pena do Virgil, pombas, ninguém mesmo é fã do cara? porque ele ainda insiste? sentimento auto destrutivo? deveras ser

Rowdy Roddy Piper chuta bundas, tenho que ver esse filme onde ele aparece!!!

cada vez que vejo uma foto do Ultimate Warrior, penso o que você mencionou sobre ele:você deixaria seus filhos perto desse sujeito?

e o Hugo Andore/ André o Gigante deve ser legal com os fãs. queria conhece-lo e tirar uma foto com ele.

adorei o post mais uma vez, e Amer, tem alguma chance de falar dos lutadores atuais da WWE? mas claro, só depois de falar da geração de 90 e talvez a de 2000.

Paulo F. Marques disse...

Muito bom, praticamente toda semana um artigo novo!!!
Vi um dia desses uma pusta sacanagem que a Steph McMahon fez num Main Event: ela obrigou o Big Show a nocautera o Dusty, coitado do velhinho...

Yung Doidão disse...

Acho que de todas as épocas, os anos 80 foi o mais fraco para o PW, mas mesmo assim, achei um ótimo artigo.

Yung Doidão disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Helio Mendes Jr ou Kamen Homer disse...

ei amer, ja que voce fez as garotas mais fortes dos animes, os maiores machos dos animes, por que voce não faz a lista as maiores gostosas dos animes como voce fez com a dos games, eu adoraria saber a sua lista quanto as gostosas de animes e mangas em novembro, será que cola?

Amazing Leo disse...

MAAAIS um ótimo artigo Amer.
E ainda por cima sobre luta livre!
É uma pena que esse ESPORTE sofra um preconceito quase irracional aqui no nosso país.
Espero que um dia isso mude.

continue com os ótimos posts, Amer!

Álvaro Freitas disse...

Eu tenho o Sgt. Slaughter. Só queria dizer.

Marcel disse...

Muito bom artigo, todo mundo ficou muito feliz com a sua volta, e na sua melhor forma ainda por cima. Uma pena que a lista só tenha nomes da década de 80, pois eu tenho muita curiosidade de como você descreveria o Mick Foley para os jovens neófitos em luta livre que leem seu blog.

Tenta não sumir de novo, abraço

Rubens Leite disse...

Muito foda. Valeu mesmo por mais um post Amer.

Euclydes disse...

Esse negócio de lutcha libre é tudo marmelada...
eu não gosto de marmelada...
eu gosto de é goiabada cascão!
fui!

Euclydes disse...

outra coisa!
Amer, vc não disse se está morando no RJ ou em SP!
Abraços, beijos e depois leio melhor o post para comentar melhor.

Amer H. disse...

Eu ainda tou em São Paulo, seu tolo!

Dammit, você acreditou mesmo que eu tinha ido pro Rio? :P

Amazing Leo disse...

Faça uma matéria sobre wrestlers dos anos 90, PUFAVÔ!

Bruno He disse...

Só o Amer pra me fazer ler um texto sobre luta livre.

Excelente como sempre, eh bom ver q vc tá voltando a postar com uma certa frequencia.

Fica longe não mah.

Alex disse...

Anos 80 que saudades...

Só faltou pelo menos uma citação ao Antonio Inoki, afinal não é todo mundo que encara o Muhammad Ali e o Hulk Hoogan e sai vivo pra virar politico e ainda por cima viveu no Brasil por algum tempo!

Nappa_ disse...

Não é o chefe do jogo que é fácil, o Hulk que é foda mesmo. :P
Agora vendo o Ultimate Warrior, percebo uma semelhança do Away Nilzer e ele, as vezes inusitadamente a gente descobre as referências das pessoas.
A foto do Schwarzenegger foi impagável e André, O gigante é uma lenda do esporte mesmo.

Fabio Salvador disse...

Amer! O máximo essa tua lista! Esses lutadores-farofa dos anos 80 são de lascar. Só achei o Ultimate Warrior meio sobre-valorizado, porque ele na verdade, não é notável... a não ser como exemplo dos males que os esteróides podem causar ao cérebro.

Mas eu elaborei a minha própria lista, e peço que a leia com a mesma atenção que eu li a tua, e a comente lá no meu blog.

Tenho certeza de que vais te espantar com as criaturas que eu encontrei na minha memória wrestlemaníaca deturpada.

O endereço é esse:

http://fabiobs.com.br/Ringue-18-Os-mais-incriveis-personagens-da-luta-livre-de-todos-os-tempos_materia_296

Fabio Salvador disse...

Opa... não botei como link...

http://fabiobs.com.br/Ringue-18-Os-mais-incriveis-personagens-da-luta-livre-de-todos-os-tempos_materia_296

Vitor Vallombroso disse...

Caralho Amer, fico tão feliz de entrar aqui e ver um post sobre Luta livre! Muito bom o post, mas ateé onde me consta o Ted Dibiase Jr se demitiu da WWE recentemente.
Espero que essa temporada de posts dure mais tempo :p

Anderson Gomes dos Santos disse...

Gosto muito dos seus textos broder,e tinha um tempo que não dava uma lida.Hoje consegui dar uma atualizada,q bom que vc voltou a escrever com frequencia. Deixo um adendo, faltou o Mister T.,o que seria das nossas tardes sem ele no Esquadrão Classe A e Rock 3.Se cuida!!!

Anderson Gomes dos Santos disse...

Gosto muito dos seus textos broder,e tinha um tempo que não dava uma lida.Hoje consegui dar uma atualizada,q bom que vc voltou a escrever com frequencia. Deixo um adendo, faltou o Mister T.,o que seria das nossas tardes sem ele no Esquadrão Classe A e Rock 3.Se cuida!!!