domingo, 29 de abril de 2007

Cindy Lauper, Goonies e Luta Livre...pode ficar melhor?

Pra começar, vou deixar claro uma coisa: Eu sou completamente obcecado por luta livre profissional!
Não UFC, vale tudo, ou qualquer coisa do gênero, eu falo daquele estilo de luta livre que as pessoas costumam chamar de "armação".

Elas chamam de armação e eu chamo de arte!!!

Não vou fazer pregação aqui (farei isso outra hora), só vou dizer que eu sou apaixonado pelo esporte da luta livre profissional, e não admito que leigos falem merda a respeito, e se você é uma das pessoas que desmerece o esporte por achar que os lutadores nunca se machucam, aqui tem um video que vai lhe fazer pensar melhor: http://www.youtube.com/watch?v=WFfx4f3aimQ

Esse sermão todo é só pra que fique claro o motivo pelo qual fiz este post de hoje: Wrestling!!!

Na primeira metade dos anos 80, Cindy Lauper estourou no meio da música pop.
Podemos dizer que ela foi a primeira "menina com atitude" da música moderna e que sem ela não teriamos Britney Spears, Avril lavigne (que pra mim não passa de uma Britney em eterna TPM) e tantas outras cujos nomes me escapam, mas que seguem sempre a mesma fórmula de agirem como eternas adolescentes, mesmo beirando os 30 anos.

Hey, Cindy Lauper tinha quase 30 anos quando começou a fazer sucesso, então não podemos culpar as atuais musas do pop...ou seja lá como as chamem.

Cindy Lauper estava eternamente atrelada ao mundo da luta-livre profissional, e teve um papel pivotal no primeiro Wrestlemania em 1984.

Pra quem não conhece, Wrestlemania é como se fosse a copa do mundo da luta livre, e acontece uma vez por ano, geralmente em Abril.

Bom, no ano de 1985, Wrestlemania, Cindy Lauper e um filme chamado Goonies estavam em alta, e alguém achou que seria uma ótima idéia juntar tudo em um videoclipe...e é disso que vou falar hoje.

Aqui temos Cindy lauper e sua família, que são donos de um posto de gasolina de segunda categoria, e que estão prestes a ser comprados por empresários "do mal".

O pai de Lauper é ninguém menos que o Capitão Lou Albano, um empresário de luta livre muito importante na época...além de um dos maiores imbecis do mundo e uma das pessoas mais gordas e feias da face da terra! Argh, sujeito grotesco!

O irmão de Cindy no filme tem a aparência de um veterano da guerra do Vietnã, e parece não tomar banho desde que voltou de lá.

Cindy e a familia acham que tem um freguês, mas na verdade é...

ROWDY RODDY PIPER!

Piper era o maior vilão dos ringues nos anos 80, e aqui ele é um dos empresários cruéis que pretende tomar o posto da família de Lauper.
Acima, podemos ver que ele pretende cometer um ato de extrema maldade com um biscoito...oh, a humanidade...

Ele não está sozinho, pois veio acompanhando de IRON SHEIK, outro grande vilão dos ringues dos anos 80, o esteriotipado vilão estrangeiro tão comum naquelas épocas.
E devo frisar que ele nunca aprendeu a falar inglês direito, mesmo vivendo nos Estados Unidos por mais de 30 anos. Eu o vi num video recente, e o inglês dele não melhorou nada de 85 pra cá, impressionante.
E ele tem um vão enorme entre os dentes, além de um bigodão que desafia as leis da física.

Os dois também trouxeram NIKOLAI VOLKOFF, outro esteriótipo dos anos 80: "o soviético maquiavélico" que não surpreende, era o parceiro de Iron Sheik.

PARCEIRO NO RINGUE!!! NÃO EM OUTRAS ATIVIDADES!!!

Ora...

E ele aparece ordenhando uma vaca de plástico no video, o que demonstra que ele devia ser o segurança do grupo, pois claramente não era inteligente o bastante pra fazer as negociações...ou talvez fosse, eram os anos 80...

Bom, Cindy descobre um passagem secreta convenientemente localizada atrás de uma parede no seu posto de gasolina e resolve descer pela dita cuja. Lá, ela encontra um mapa e descobre que há um tesouro escondido no local.
A menina explora a caverna e não tem muito sucesso, quando de repente...


DEUS MEU, SÃO ELES!!! OS GOONIES!!!

Claro...eu não precisava dizer, está escrito nas camisetas deles...

Os mais observadores irão perceber que a equipe não está completa, uma vez que a "gatinha" do grupo (a atriz Kerri Green) não está presente no video, o que forçou os produtores a colocar duas letras do nome "Goonies" na camiseta do gordo...reforçando a teoria de que ele é gordo...

Puxa, como eu sinto falta do humor politicamente incorreto do passado...

Após simplesmente brotarem do ar, os Goonies ajudam nossa inepta aventureira a procurar o tesouro...e eu vou avançar bastante a história, pois o video clipe tem duas partes, dura quase 12 minutos e eu pretendo manter minha sanidade.

Lauper acaba se envolvendo em uma situação de perigo, olha para os céus e pede ajuda a aquele que está lá em cima:

Deus?

NÃO!!!

STEVEN SPIELBERG!!!


Sim, um jovem e imberbe Spielberg, que havia acabado de fazer um filme sobre um extra-terrestre com cabeça de bife e que ainda não tinha planos para salvar 1500 judeus ou ressucitar dinossauros!

Lauper pede ajuda a ele, perguntando o que fazer, e Spielberg responde:

"Primeiro você deve...eu não sei!"

E este é na minha opinião o ponto mais alto da carreira dele, pois ele tentou matar Cindy Lauper! Nem Caçadores da Arca Perdida nem nenhuma outra de suas realizações se compara a isso!

Adiantando mais, Lauper se envolve em combate com piratas (interpretados pelos mesmos lutadores que representavam os empresários "do mal"), e encontra o tesouro.


Ela faz pilhagem, e volta para casa.


Onde oferece o tesouro para os empresários "do mal", que são tão maus que o recusam, preferindo dilapidar um posto de gasolina que vale 20 paus ao invés de ficar com um tesouro de 20 milhões.

Aliás, o senhor de cabelos brancos acima é Classie Freddy Blassie, um lutador da velhíssima guarda, lá dos anos 60 ou 70, que na época estava aposentado mas ainda fazia as vezes de empresário pilantra.

Bom, Lauper se cansa disso tudo e dá um assobio.

Invocando o poder de ANDRE O GIGANTE!!!

Pra quem não conhece, Andre é uma das maiores lendas do esporte: ele era francês (talvez a primeira boa coisa vinda da França, a segunda sendo Jean Reno), tinha 2,20 de altura e chegou a pesar 350 quilos em certos pontos de sua carreira.

Aliás, a família de vilões "Andoré" em Final Fight foi inspirada nele. Aposto que você não sabia disso! Eu amo trivia, e vocês?


André castiga os maus!

E todos os bons comemoram!!! VIVA!!!

O que me faz pensar...se Cindy Lauper podia invocar Andre simplesmente assobiando, por que não fez isso logo no começo e nos poupou de 11 minutos de tortura?

Bom, o video é horrendo, a música tem só um refrão repetido eternamente, e uma dúzia de lutadores aparece para serem maus com Cindy Lauper.

Deus, eu amo esse video!!! Não e uma super produção como "Thriller", mas é fantástico em seus próprios méritos! Mesmo tendo Lou Albano, esse sujeitinho repelente!

E digam o que quiserem, mas eu pegava a Cindy Lauper! Damn, ela tinha essa aura de "menina boazinha que tenta parecer má e que não tá enganando ninguém", e que eu acho totalmente irresistível!

Vamos, eu não posso ser o único, certo? Tem mais gente aí que acha a Cindy Lauper gostosa, não?

Oi?

Alguém aí?

Eco!!!

Ah well...agora você sabe um pouco mais sobre mim e minha imaginação fértil...

Cheers!

domingo, 22 de abril de 2007

After the Frozen Flame...ou algo do gênero...

Bom, vou começar com um aviso: Este vai ser meu post mais geek até o presente momento. O texto vai ficar cada vez mais nostálgico e nerd conforme eu escrever, e diabos, eu vou escrever um bocado hoje.
Se a perspectiva de um texto enorme e fedidamente geek te incomodam, eu recomendo que vá para outro site, de fato, até vou recomendar um: http://www.bikini.com/

Lembro claramente de uma sexta feira bastante fria em 95, antes do aquecimento global se fazer sentir. Uma época que FRIO significava FRIO.
Enfim, nesta sexta-feira eu resolvi fazer aquilo que um garoto de 15 anos obeso e socialmente inepto sempre fazia numa sexta a tarde: Ir até sua locadora de confiança e alugar um bom jogo para o fim de semana.

Bom, era o que faziamos antes da pirataria tomar conta e as locadoras de games praticamente desaparecerem da face da terra...

Enfim, neste dia (frio, lembremos do frio) eu aluguei um game bastante recente chamado Chrono Trigger, que eu tenho certeza que você pelo menos já ouviu falar. Pras três pessoas que não conhecem (e que estariam se divertindo muito mais no site de biquinis que passei) é um RPG desenvolvido pela mesma equipe responsável por Final Fantasy na época.

Verdade seja dita, eu odiava Final Fantasy (outro dia explico porque) e só aluguei Chrono por que seu character design era de Akira Toriyama, e eu estava ficando cada vez mais obcecado por Dragon Ball na época.

E foi uma das minhas melhores decisões, porque CT era uma das mais impressionantes coisas que eu já havia jogado na vida. Eu mergulhei tão fundo na história do jogo que minha mãe veio até meu meu quarto ver se eu tinha dormido...ou morrido, tamanho o silêncio que eu estava fazendo. Quem me conhece sabe que eu sou tão silencioso quanto Sebastian Bach após uma taça de vinho.

Ha, i made a funny!

Aliás, a cena acima é do melhor momento do jogo: A luta contra Magus, e devo dizer que a equipe da foto é exatamente a mesma que eu uso durante esta luta.

Trivia particular inútil, só queria mencionar.

Avancemos pra 2000. Minha inaptidão social piorava a cada dia, e eu estava comprando mais jogos do que podia humanamente jogar, uma atitude que se agravaria sensivelmente na geração seguinte de consoles.
Neste ano, eu aguardava ansiosamente pela continuação de Chrono Trigger, que seria conhecida por nós como Chrono Cross.

A loirinha que oferece a mão (ou talvez uma bala...ou uma camisinha, dependendo de quanto sua imaginação é suja) é Kid, a personagem mais importante e DISPARADAMENTE mais legal de Chrono Cross, mas que infelizmente só permanece no grupo por 1/3 do jogo.
CC tinha uma história bizarramente complexa e com um gazilhão de reviravoltas. Além de um sistema de combate horrendo que afastou muita gente, mas que recompensava aos perseverantes.

Tanto CT quanto CC foram dois dos jogos que eu mais joguei em toda a vida. Joguei tanto que não tenho vontade nem de colocar os dois no console de novo hoje em dia. É estranho pois ao mesmo tempo que tenho um carinho imenso pela série, eu não quero mais vê-la na minha frente.

Provavelmente só vou jogar CT de novo quando precisar provar ao meu neto que um dia existiram jogos que não eram poligonais e diretamente transmitidos para o cortex cerebral.

Mas como bom nerd obsessivo-compulsivo que sou, havia uma pedrinha em meu sapato, na forma de um jogo da saga Chrono que eu ainda não havia desbravado:

Radical Dreamers foi uma "quase-seqüência" de CT, lançado em 96 para o Satellaview.

Reconheço que 99% de vocês não devem saber o que é o Satellaview, 33% por não morarem no Japão e 66% por terem namorada, amigos e sei lá...uma vida.

O Satellaview era um periférico que devia ser acoplado ao Super Nintendo, e a uma mini parabólica, e que desta forma perimitiria o download de games via satélite. Seis jogos foram lançados para o sistema.

O esqueminha abaixo já deve ser explicação o suficiente.

Sim, a Nintendo gastou milhões para utilizar um satélite para que pudessemos fazer downloads de SEIS jogos.
Não sei se a empresa colocou um satélite próprio em órbita, ou se usaram um que já estava lá, mas esta brincadeira não deve ter saído barato.

E para SEIS jogos, dos quais CINCO eram simples upgrades de jogos que já existiam no Super Nes. Radical Dreamers era a única exceção.

Onze anos se passaram, o satélite em questão provavelmente está sendo usado para algum canal pornô da tv a cabo japonesa e supostamente RD estaria perdido para sempre.
Mas felizmente, existem pessoas inacreditavelmente desocupadas que resgataram a ROM do jogo e a traduziram pro inglês para todos que a quisessem jogar.

Aliás, Radical Dreamers não é um RPG, é uma "Digital Novel".

O que é isso? Bom, imagine que você está lendo Harry Potter, e o personagem chegou a sala comunal da Grifinória, que está vazia exceto por Hermione que dorme na poltrona. Então o livro te dá a opção de escolher o que Harry vai fazer entre: acordar a garota, deixá-la dormir ou aproveitar e descobrir a cor de sua calcinha...se ela usar calcinha.

Uma "Digital Novel" é mais ou menos isso, é como um livro que te deixa escolher que caminho seguir, parecido com True Love, ou algum outro daqueles jogos hentais que você joga.

Eu sei que você joga, não minta pra mim.

Tanto é que a maior parte do jogo é em primeira pessoa, só em alguns momentos chegamos a ver os personagens.

Este é um.

Este é outro.

E nem dá pra ver os sujeitos direito, como pode notar.

E vou te contar, este game foi lançado para um periférico que eu não tenho e em um idioma que (até hoje) eu não entendo... em outras palavras, é algo que eu não deveria poder jogar. O gostinho de "coisa proibida" sem dúvida fez com que RD se tornasse algo bem mais interessante...

Tem gente que pula de asa-delta, outros fazem racha de rua...eu injeto adrenalina jogando coisas que não foram lançadas no ocidente.

Anyway, RD me deixou com uma sensação nostálgica, de uma época que as coisas eram mais simples. Um tempo que eu podia passar o dia todo jogando Super Nintendo sem ter grandes preocupações.

E principalmente, UM TEMPO EM QUE OS JOGOS NÃO DURAVAM DIAS!!!

Terminei RD em dois dias, não que o jogo precisasse de 48 para ser finalizado, mas porque me interessei por Shadow of Memories (falo desse game um outro dia) e resolvi deixar RD de lado por um tempo.

Hoje em dia, a maioria dos games são MUITO longos, e nem estou falando de RPG's, falo de games mais convencionais mesmo. Parece que atualmente, um jogo só é bom se nos fizer sentar em frente a televisão por mais de um fim de semana.

Tudo muito bom, tudo muito bem, exceto pelo fato que um ser humano normal não dispõe de 20 horas pra ficar jogando em seu dia-a-dia. Há exceções, algumas pessoas tem dias de 36 horas, mas a maioria de nós não.

Pode interpretar como resmungos de um cara chato, mas eu sinto falta da época que podia terminar mais de um jogo por fim de semana, hoje em dia tenho sorte de terminar três por mês.

Claro que em parte isso se deve a minha jogatina incansável de GTA e Smackdown, mas mesmo assim, nem todo jogo precisa durar dias, alguns ótimos jogos duram somente horas. Final Fight, por exemplo! Que tal?

Pois é, eu sinto falta da época que tinha tempo até mesmo pra jogar Final Fantasy incansavelmente. Diabos, invejo a garotada de 15 anos de hoje em dia.

É Kid, estamos ficando velhos...

Na verdade só eu estou. Você é uma personagem de video-game e assim como a Betty Boop, terá a idade imutável pelo avanço do tempo.

Mas garanto que estou tão melancólico quanto você neste momento.

E por hora, fico sentado aqui, e sentindo falta de tempos mais simples. E se fico nesse estado aos 26 anos, imagino como vou ficar aos 70...

Bom, prometo que escrevo sobre algo mais divertido da próxima vez. Ainda tenho um video da Cindy Lauper aqui de que pretendo falar.

Cheers!

domingo, 15 de abril de 2007

Death of Batman - Santa Sodomia!!!

Meu Deus, eu juro...

Bom, eu sou um puta fanboy do Batman, já vou dizer de cara. O cruzado embuçado é meu super-herói favorito, e eu não engulo qualquer merda que falem dele. Meu amigo Yuri que o diga.

De fato, devo ser um dos mais ferrenhos defensores da heterossexualidade do homem morcego, e sempre faço um discurso sobre a história do personagem quando alguma pobre alma solta o infeliz comentário: "Mas o Batman não come o Robin?"

Ha, se soubessem o sermão que viria, nunca diriam isso perto de mim.

Batman é um dos ícones culturais dos dias modernos, prova disso é a quantidade de filmes feitos por fãs sobre o personagem. O primeiro foi Batman: Dead End, feito por Sandy Collora em 2003, e que coloca nosso herói em uma luta violenta contra o Predador.
Devo dizer que foram os dez minutos mais bem aproveitados da história do cinema, pois o curta metragem é simplesmente fantástico. Foi extremamente elogiado por muitos profissionais dos quadrinhos como Alex Ross e Kevin Smith e envergonhou muitos diretores de Hollywood, que não conseguiam fazer bons filmes nem com um orçamento dez vezes maior que o que Collora usou.

Muitos outros filmes de fãs foram feitos desde então, alguns bons, outros nem tanto...mas não tardaria até alguem abusar do personagem de Bob Kane.

Entra em cena Donald Lawrence Flaherty.

Tudo bem se não conhecer o meliante, esse aqui foi o único filme dele até o momento.

Ele decidiu fazer um filme sobre o herói e quis que fosse tão chocante e tenso quanto A Piada Mortal, e assim nasceu Death of Batman.

Senhor Flaherty, você não é Alan Moore nem nunca será e seu filme consegue ser ainda pior que Batman & Robin.

Bom, vamos ao filme:

Um criminoso de segunda aparece assaltando um carro estacionado, por pura conveniência, vou chamá-lo de Zé das Couves pelo resto do post.
Ele rouba algumas tralhas do porta luvas, e volta para seu esconderijo para conferir os espólios.

Só para constar, se eu arrombasse um carro, eu roubaria ... sei lá... O CARRO, ao invés de me satisfazer com o que houvesse no porta luvas.

Enquanto está no esconderijo, ele tem uma visita:

BATMAN!!!

Ou alguém em uma fantasia de Batman muito ruim...

Sério, esta é a pior roupa de Batman que eu já vi: É folgada demais, a armadura parece plástico de piscina de criança, a elipse no peito é preta e a capa parece aquelas toalhas de mesa de festa de aniversário.

Eu juro, de repente a roupa do Adam West parece extremamente fiel ao quadrinho.

Bom, "Batman" aparece pra dar um coro no bandidinho, afinal sabemos que ele prefere vigiar armazéns abandonados próximos a canais vazios pra prender bandidos que roubam porta luvas de automóveis do que, digamos, vigiar criminosos realmente perigosos como Coringa e Duas Caras que tem metade dos criminosos da cidade sob seu controle.
Não, o Zé das couves e seu roubo de porta luvas representam muito mais perigo para Gotham que o Coringa e sua próxima tentativa de genocídio!!!

Enfim, de volta ao filme. Batman dá um cacete no rapaz, que luta tão bravamente quanto um ator ruim e sem experiência em cenas de luta é capaz, mas então, o impensável acontece:

Zé das couves eletrocuta as Bat-Bolas!!!

A foto acima é prova, o cara vence a luta usando um taser e dando um choque no saco do Batman e logo depois dando-lhe um chute na mesma região.

Quem diria ... apesar de passar a vida treinando para combater o crime e ter se tornado mestre em inúmeras artes marciais, Batman poderia ser derrotado com múltiplos ataques nas Bat-jóias de família!!!

Ahhh, se Bane soubesse disso, teria socado o saco do herói ao invés de quebrado sua coluna ... o que é uma espinha partida quando comparada a um ataque no saco?

Zé das couves tem sérios problemas emocionais e acorrenta Batman... muito mal, como podemos ver acima, e passa a torturá-lo e injetá-lo com heroína pelas semanas seguintes.

Mas ele ainda faria pior. Preste atenção na foto seguinte, mais precisamente no quadrinho no alto, a esquerda.

Consegue ver?

Não? Olhe mais de perto.

Sim, Zé das Couves está atrás do Cavaleiro das Trevas com as calças arriadas...SANTA BOIOLAGEM, ELE ESTÁ COMENDO A BUNDA DO BATMAN!!!

E você deve estar falando: "Porra Amer, vai se fuder! Como você mostra isso pras pessoas?"

O quê? Achou que eu ia assistir a esse horror e sofrer sozinho?

Bom, pra acabar logo com essa abominação, descobrimos que Zé das Couves é um inocente que Batman mandou pra cadeia e que assim que chegou lá foi espancado, viciado em heroína e teve a bunda comida, porque todos sabemos que é exatamente isso que acontece se Batman nos mandar pro xilindró.

Ele conta sua histórinha e se suicida, e Batman fica tomado pela culpa ... eu acho ... pois a péssima interpretação do ator que está na fantasia não ajuda muito.

Nosso herói pega uma seringa de heroína que está sobre a mesa, e ...

É...

Batman se culpa pela morte dos pais, pela morte de Jason Todd, pela morte do pai de Tim Drake, por Bárbara Gordon estar aleijada e por muuuuuuitas outras coisas...mas decidiu se matar por overdose de heroína simplesmente porque foi injusto com um Zé das Couves qualquer?

Donald Lawrence Flaherty, eu o condeno ao inferno!!! Que você queime para sempre seu miserável, após ser estuprado por um urso!!!!!!

Sinceramente, eu não recomendo este curta-metragem a ninguém, são vinte e oito minutos da sua vida que você perderá pra sempre.
Ao invés de assistir a este horror, vá fazer algo mais produtivo, como beber cianureto, enfiar a cabeça em uma armadilha para lobos ou sair pegando coisas pela rua e comendo.

Mas haja o que houver, não assista a este filme, você será uma pessoa muito mais feliz assim.

Eu pelo menos, era...

Cheers.

sexta-feira, 13 de abril de 2007

Eu adoro ser tartaruga!!!

Fiquei um tempo sem atualizar o blog, mas foi por pura falta de assunto, eu juro! Eu estava esperando aparecer algo legal pra poder falar aqui, e apareceu.

Na verdade, três coisas legais apareceram...embora o termo "legal" não possa ser usado para todas...na verdade, uma dessas coisas é um crime contra a humanidade, o responsáel por ela é um sujeito pior que Hitler. Um lazarento que devia ser apedrejado em praça pública após ser estuprado por um urso!!!

*ARRAM*

Mas isso é assunto para os próximos posts, hoje falarei de algo muito legal!

Algo legal e verde que me fez muita companhia na infância:




Yep, são eles mesmo!

A menos que você seja cego-surdo-mudo-paralítico e esclerosado, e viva em uma caverna numa ilha ao norte do Alaska, já deve saber que as Tartarugas voltaram em um novíssimo filme, que inclusive estreou a pouco tempo em nossos cinemas.
Eu me recusei a ver este filme nas telonas (por motivos que debaterei em breve), portanto usei uma...caixinha mágica que me dá acesso a...muitas coisas, e assisti em casa mesmo!

Não pretendo fazer sinopse ou review do filme aqui, pois seria muito cuzão da minha parte contar alguma coisa da história, farei apenas alguns breves comentários.

Não se preocupe, nada de spoilers, só coisinhas que te deixarão com mais dor no saco ainda pra assistir.


ITEM 1: NÃO TEM DESTRUIDOR!!!



Ok, vai doer um pouco mas é pro seu próprio bem, como aqueles legumes com gosto de chorume que nossas mães nos obrigam a comer quando crianças, mas que evitam que tenhamos câncer no rabo quando ficamos mais velhos.

E aliás, eu nunca experimentei chorume, é uma suposição! Imagino que brócolis e suco de lixo tem muito mais em comum do que gostamos de imaginar.

Antes que o post fique ainda mais nojento, vou voltar ao fio da meada: NÃO TEM DESTRUIDOR NESTE FILME!
Esta nova aventura é uma continuação direta dos filmes dos anos 90, e assim sendo seguem a continuidade deixada por eles. Aqui, o Destruidor está morto: no primeiro filme o jogaram de um prédio, e no segundo jogaram um prédio em cima dele.
A imagem acima é tudo que temos dele no filme, logo no início, quando um narrador nos faz um breve (brevíssimo) resumo da vida de nossos quelônios favoritos.

O clã Foot aparece no filme, mas liderado por Karai, a filha do laminado. Não sejam duros em julgar a moça, ela é legal, ok?

E agora que você tem certeza de que ele não aparece no filme, pode assistir sem ficar puto.


ITEM 2: TRETA LEGAL CONTRA MAIS DE DUZENTOS NINJAS!!!


A cena é bem rápida, mas é animal.
O melhor é que não apenas as tartarugas lutam, mas o Mestre Splinter, Casey Jones e April também tomam parte na pancadaria.

Sim, a April!

É, a O'Neill!

Sério, ela mesma!!!

E eu juro, ver o Mestre Splinter dando voadoras já fez meu dia valer a pena!


ITEM 3: ESTANTE DE TROFÉUS!



Quantos itens consegue reconhecer na estante do Mestre Splinter? Pra quem viu os filmes anteriores, é fácil!

Vamos, desperte o nerd em você!!!


ITEM 4: PORQUE NÃO FUI VER NO CINEMA, SE QUERIA TANTO ASSISTIR A ESTE FILME?

Por pura revolta!
A distribuidora lançou apenas cópias dubladas no cinemas, e isso me emputece brutalmente!!!!
A dublagem original tá fantástica, com muitos grandes nomes do cinema: Lawrence Fishburne (o Morpheus), Patrick Stewart (O Professor Xavier), Sarah Michelle Gellar (se você não sabe quem é ela, nem devia estar lendo este blog) entre outros.

Que fique bem claro, que adoro a dublagem nacional, e apoio muito os profissionais dessa área no Brasil. Mas sinceramente, quero ter a opção de ver no idioma original se me der na telha. Essa imposição da distribuidora faz com que eu não fique com a consciência pesada por ter usado a "caixinha mágica" pra assistir este filme.

Eu queria ver o idioma original também, pois foi o último trabalho do Mako.

Caso não lembre (ou não saiba) quem é Mako, aqui está:



Acredito que o papel mais conhecido dele foi como Akio, o feiticeiro que ajuda Schwarznegger nos filmes do Conan. É um daqueles atores que fazia muitos papéis pequenos e que todo mundo reconhece quando vê, mas não se lembra quem é quando mencionamos.
Mako morreu pouco depois de terminar de gravar suas falas para filme, e eu definitivamente fiz questão de ver (ouvir na verdade) seu último papel.


Tem muito mais sobre o filme e sua história que eu não falei aqui. Como o relacionamento entre os quatro irmãos, que é tratado de uma forma muito madura, especialmente no tocante a Leonardo e Raphael.

Bom, vá assistir esse filme porque é surpreendente inteligente e engraçado! Eu recomendo, dou cinco "jóinhas"!!!

E pago um doce pra quem entender minha última referência do dia:

"TWO MINUTES FOR HIGH STICKING!!!"


Cheers!!!

quinta-feira, 5 de abril de 2007

Kenshiro mostra o que Sol-Badguy poderia ter sido...

Recentemente, foi lançado para Playstation 2 o game de luta 2D de Hokuto No Ken.

Eu poderia ficar horas aqui divagando sobre Hokuto No Ken. Quem me conhece sabe da minha obsessão por esse anime, mas terei outras oportunidades de divagar sobre como Kenshiro é o cara mais macho do universo, e de como você deveria parar tudo que está fazendo agora para ir assistir a um dos animes ou ler o mangá da série.

Vou falar apenas do game, que é tremendamente impressionante e tem uma das jogabilidades mais rápidas e tresloucadas que eu já vi!



Sério, eu te desafio a explicar o que está acontecendo na imagem acima!

Hokuto tem sprites enormes em alta resolução, e uma animação tão incrível que realmente parece que estamos jogando um anime, de fato, o jogo passa esta sensação de forma mais eficaz do que jogos poligonais que usam cel-shading.

Você deve estar pensando: "Sprites grandes em alta resolução em um jogo 2D que parece um grande anime? Já ví isso antes!"

Se não estava, agora deve estar.

Mas sim Padawan, você já viu isso antes, pois a equipe que criou este game é nada mais nada menos que a Arc System Works, que é nada mais nada menos que a criadora de:


Pra quem não conhece, um breve histórico: Guilty Gear é uma série de luta 2D que nasceu no PsOne, que era na época o pior console para se lançar jogos 2D dada sua limitada memória RAM.
Um exemplo disso era sua versão de X-Men vs Street Fighter, onde não era possível trocar de personagem durante a luta, o que era a marca registrada da série e que fez esta versão ser vergonhosa quando comparada com a de Sega Saturn, que era idêntica ao arcade (e diga-se de passagem, uma das maiores provas de como a capacidade do Saturn para 2D era mal aproveitada).

Guilty Gear provou que bons programadores definem o que um console é capaz de fazer, visto que o jogo tinha sprites 2D grandes e animação muito acima do esperado para um título não poligonal do console.

Deixe-me frisar que BONS PROGRAMADORES fazem a diferença, e não um joystick em forma de nunchaku.

Avancemos dois anos, e em 2000 recebemos Guilty Gear X, que rodava na placa de arcade Naomi, sendo assim totalmente compatível com o Dreamcast, e tivemos um game com Sprites ainda maiores, animação muito melhor e uma trilha sonora fodástica.


Já ví muita gente falar que a trilha sonora de Guilty Gear é um dos seus maiores trunfos, e sou forçado a concordar. Com uma dose bem saudável de rock e metal tocando enquanto o pau come solto.Nada que desbanque Jimi Hendrix, mas uma trilha muito adequada a um jogo de luta, que realmente ajuda muito no clima.

E tão importante quanto isso, é que ela se sustenta muito bem sozinha. Dá para ouvi-la numa boa durante a jornada para o trabalho, escola ou padaria.

O problema com Guilty Gear é que a série estacionou na versão "X", que tecnicamente é a segunda. De lá pra cá só tivemos upgrades do jogo, onde o máximo de inovação é a adição de um personagem novo (para ser justo, Guilty Gear X2 teve cinco personagens novos, mas foi a única exceção) que na maioria das vezes é só uma versão diferente de algum dos membros já existentes do elenco.

É triste ver que Guilty Gear parou no tempo, pois a Arc Systems provou com Hokuto no Ken que ainda é capaz de fazer excelentes jogos de luta 2D, algo muito necessário neste mundo obcecado por polígonos em que vivemos.

Aliás, o próximo game da saga (se é que podemos chamar assim) já foi anunciado...e novamente é só um upgrade, o que mostra que eles não fazem mais a menor idéia do que estão fazendo com a série.

Antes de encerrar este post, aqui vão as duas personagens mais legais de GG na minha humilde opinião:

A primeira é Baiken, a garota samurai de um braço só!!!

...ela também não tem um olho...

Em um jogo que claramente tinha como um de seus alvos o público otaku, devo dizer que os criadores tiveram muita coragem em colocar uma garota que não se encaixa no padrões "kawaii", "vadia sexy" ou "durona com coração ferido que só busca amor", tão comuns em animes ou em jogos no estilo.

Não que não hajam esses esteriótipos em GG, tem todos esses e mais alguns (incluindo o "menininha kawaii que na verdade é um cara"), só que a samurai é um caso a parte.

Baiken é uma garota durona de verdade, uma máquina de chutar bundas!!! Do tipo que fatiaria Kenshin Himura se trombasse com ele em um dia ruim (especialmente naqueles dias do mês em que toda mulher se torna uma Xena em potencial).
Disparado, é minha personagem favorita, amo garotas duronas e o decotão dela com certeza ajuda.

Não minta, que eu sei que você deu uma boa olhada também, tenha vergonha na cara e admita.

E diabos, garotas samurais com um braço só também precisam de amor!

A outra personagem seria I-No, a chefe final suprema e incrivelmente apelona de GGX.

Ela se encaixa perfeitamente no padrão "vadia sexy", e é uma espécie de "Bruxinha vestida em roupa de couro e carregando uma guitarra". Imagine a Hermione caso resolvesse virar uma vadia e montar uma banda de punk rock depois de se formar em Hogwarts, o resultado poderia ser mais ou menos esse.

Preste atenção na imagem acima e vai notar que ela não usa nada por baixo da jaqueta.

E em uma de suas poses de vitória, ela arranca a jaqueta (virando de costas em seguida), para a alegria de muitos geeks solitários e/ou desocupados que até hoje se esforçam para ver os faróis da moça durante a cena.

...não que eu tenha tentado...

E quando se fala de fan-service, vejo que temos muito que aprender com os japoneses ainda.

Gosto muito de Millia Rage também, que se encaixa no padrão "garota fria como gelo e que perdeu um grande amor", outro clássico esteriótipo feminino que os japoneses usam muito, só que não tem mais espaço pra fotos aqui, portanto falarei dela outro dia.

Enquanto isso, joguemos Hokuto No Ken, já que não teremos um GG inédito tão cedo. Kenshiro sempre faz bem!

Cheers!!!

domingo, 1 de abril de 2007

Godzilla Final Wars faz a humanidade sorrir!!!

Eu prometi há três posts atrás, que escreveria sobre God of War II, mas sinceramente não estou com muita vontade de fazê-lo no momento.
E pra ser mais sincero ainda, eu não conseguiria falar de GOWII sem contar o final, então vou só dizer que é um jogo du cacete, que você deve comprar já, e vou deixar esse assunto para trás.

Prefiro falar disso aqui:

Sim, GODZILLA FINAL WARS, o filme que comemora os 50 anos do grandalhão, e em que Godzilla mata absolutamente tudo que encontra!!!
Eu não sou um grande conhecedor de Godzilla, pra ser bem honesto, este deve ser o terceiro filme do monstrão que eu assisto, mas verdade seja dita, eu sempre gostei muito do personagem e ao ver este filme, minhas expectativas foram correspondidas, pois GFW é uma das coisas mais legais que eu já vi.
Só para deixar claro, meu gosto para filmes é muito diferente do normal, eu gosto muito de coisas "cult", e eu definitivamente não o recomendo ao telespectador tradicional que não está acostumado a este tipo de produção. No entanto, aconselho fortemente aos fãs de filmes de monstros gigantes, ou a quem simplesmente curte filmes meio descerebrados a assistirem se tiverem chance.
A história é simples: Alienígenas do Planeta "X" (criativo), controlam todos os montros que já enfrentaram Godzilla nos últimos 50 anos e os soltam na Terra, para que possam controlar o que sobrar do planeta depois.
Um grupo de humanos que consiste de um americano esteriotipado e durão, a versão nipônica de Neo, e duas garotas bonitas decide acordar Godzilla para que ele mate todos os montros que estão destruindo a Terra.
O bichão acorda de péssimo humor e sai massacrando todos os outros monstros enquanto persegue os humanos que o acordaram.

Só isso.

Aliás, o lider dos humanos parece o Haggar, olha só:

E eu preciso dizer que Haggar (eu sei o nome do ator, mas só vou chama-lo de Haggar durante este post) tem AS MELHORES FALAS DO FILME!!!
Alguns exemplos são:

- Quando se une a "Neo", e ele lhe apresenta as duas garotas bonitas que os ajudarão, Haggar olha para as meninas, vira para Neo e diz: "Bom trabalho!"
- Após Godzilla matar alguns monstros, o líder dos aliens tem um chilique, e Haggar lhe diz: "Hey garoto, há duas coisas neste mundo com que você não contava: Eu... e Godzilla!"
- Quando está tretando com uma alienígena bonitinha, ele levanta o punho para socá-la, e ela pergunta "Você não socaria uma garota, não é?" ao que ele abre a mão, a nocauteia com um tapa e diz "Não!"

E ele tem um bigodão! Caras bigodudos são centenas de vezes mais fortes que humanos normais! Se meu bigode ficasse desse jeito, eu deixaria bigodão ao invés de cavanhaque, pode ter certeza.

Mike Haggar rules!!!

Tom Selleck rules!!!

Bigodão rules!!!

As lutas com os monstros são muito bacanas, embora sejam bastante curtas. Claro, com 50 anos de monstros para se matar, a maioria não poderia ter muito tempo de tela.
A foto acima no entanto, mostra a cena que me fez procurar este filme em primeiro lugar:

O GODZILLA JAPONÊS PULVERIZANDO O GODZILLA AMERICANO!!! KA-POW!!!

Como já disse, não sou um grande geek de Godzilla, mas odiei a versão americana...simplesmente porque é uma bosta.
A produtora e dona de Godzilla, Toho, tem os direitos sobre a encarnação Hollywoodiana do bicho, e resolveu provar a supremacia do monstro original sobre o gringo, com resultados extremamente satisfatórios...
Ver o Godzilla original borrachudo vaporizando a iguana gigante de computação gráfica foi um dos momentos mais sublímes da minha existência, se fumasse, eu teria acendido um cigarro após a cena...

O filme tem uma trama secundária que envolve Minira (o filho trintão, gordo e desempregado de Godzilla) viajando pelo país com um velho e um menino....e como podem ver, o rebento do Rei dos Montros respeita as regras de trânsito e usa cinto de segurança ao andar de carro.

Acho que esta foi a coisa mais surreal que eu já escrevi...

Esta parte do filme tem sentido na última cena, quando Godzilla já matou tudo que podia e os alienígenas foram obliterados (UAU!!!), o lagartão resolve destruir os humanos que sobraram vivos, pois ainda está muito puto com a humanidade por causa da criação das armas nucleares, e neste momento, Minira aparece e se coloca entre ele e os humanos.

Minira acalma o pai...ou seria mãe... MEU DEUS, PORQUE DIABOS ESTOU DISCUTINDO O SEXO DE GODZILLA???

Bom, Minira acalma Godzilla, e o Rei dos Monstros resolve tirar uma merecida folga de seu meio século destruindo a humanidade!!!

FIM!!!

Nota do Amer: 8.0

Vou encerrar este post com uma imagem de Gigan-2 comemorando após brutalmente explodir Mothra!

E vou recomendar este filme a qualquer pessoa que curta o gênero Kaiju!!! Por que sinceramente é um dos filmes mais legais do estilo...não que tenhamos muitos bons exemplos, a maioria dos filmes japoneses de monstros gigantes é uma merda...bom, você pegou o espírito não? Ótimo!

E só pra encerrar, a mensagem de Godzilla ainda é muito atual: "A humanidade precisa desativar as armas nucleares antes que uma tragédia aconteça!"

Nos filmes, a tragédia sempre se resume a monstros gigantes aparecendo e destruindo Tokyo e cidades similares...diabos, se monstros gigantes começarem a aparecer na vida real por causa dos arsenais nucleares, eu vou ser o primeiro a apoiá-los!!!

Cheers!

Related Posts with Thumbnails