sábado, 4 de abril de 2009

Games potencialmente ofensivos


Recentemente, foi lançado Resident Evil 5 para Playstation 3 e Xbox 360. Embora o jogo não seja a segunda vinda de Jesus como muitos fãs estão pregando, é um excelente título de ação, com um dos visuais mais impressionantes da história dos games.

Infelizmente, a qualidade do jogo foi ignorada pela grande mídia, que preferiu se aprofundar no que muitos desocupados andavam dizendo sobre ele: Resident Evil 5 é racista!

Por quê?

Bom, a história se passa na África e você vai passar o jogo inteiro mandando bala em zumbis negros.

Me corrija se eu estiver errado, mas a maioria absoluta da população Africana é composta de negros e se uma história se passa em tal continente, é de se esperar que a maioria das pessoas encontradas sejam do grupo étnico especificado.

Aparentemente, esta lógica passou voando pela cabeça das pessoas que iniciaram a polêmica, que reclamaram um bocado e declararam que o fato de todos os inimigos terem se tornado zumbis assassinos e violentos é apenas uma desculpa para assassinar negros de forma imunda e racista.

Impressionante que ninguém se ofende com Resident Evil 4, onde os inimigos são zumbis Espanhóis e BRANCOS!

Mais impressionante ainda é que estas pessoas ignoraram a existência de Sheva Alomar, parceira de Chris que o ajuda ao longo da história e que é uma personagem inteligente, linda e sensual, sem ser sexualizada.

Se querem saber minha opinião (e por que estariam aqui se não quisessem?), isso tudo foi polêmica barata! O pessoal que ataca Resident Evil 5 não sabe o que é um game preconceituoso de verdade!

Felizmente eu estou aqui e conheço games tão ridiculamente ofensivos que o mata-zumbis da Capcom fica parecendo um game bíblico por comparação.

E se você se ofende facilmente... problema seu!

Sério, deixe de ser bichinha uma vez na vida.


Bare Knuckle III

O quê? Um dos maiores clássicos da porradaria no Mega Drive é um game ofensivo?

Sim senhor, ele é! Pela simples presença de Ash.

Ash é um camarada que pilota uma lancha e dá carona para um grupo de inimigos na primeira fase, assim que você termina de espancar a todos, ele decide botar a mão na massa e te currar feito uma cotovia manca.

Se você olhou a imagem acima e tem um mínimo de dois neurônios funcionais, deve ter reparado que Ash é um homossexual ORNITORRINCAMENTE esteriotipado. De fato, sempre que lhe acerta um golpe, ele aponta para você, cobre a boca e rí feito uma donzela.

Tal ação me faz acreditar que o programador que o animou devia vestir lençol e touca brancas quando ia pro trabalho.

Agora, talvez surpreenda aqueles entre vocês que são preconceituosos de merda, mas homossexuais não se vestem assim no dia-a-dia. Pessoas que usem estas roupas (e repare que eu usei a palavra "pessoas") normalmente o fazem em um clube fetichista, quando visitam o Clube Ostra Azul ou se fazem parte de um grupo cover do Village People.

Aí você diz: "Mas Walter, eu joguei Streets of Rage 3 e nunca enfrentei este chefe. Tem certeza que você não está fodido da cabeça e delirou tudo isso?"

Ao que eu responderei que não, meu xuxuzinho. Ash só está presente na versão Japa de Streets of Rage 3 e você jogou a versão Americana, de onde ele foi tesourado. A Sega da America deve ter percebido que Ash poderia ofender muita gente, principalmente pais que achariam que o game transformaria seus filhinhos em sujeitos que adoram Elton John.

Na verdade, a empresa deveria ter se preocupado que Streets of Rage 3 poderia fazer a garotada começar a gostar de música techno, algo que na minha opinião é muito pior.

Mas o que se pode fazer?


DJ Boy

Provavelmente você não se lembra deste game. Isto é plenamente aceitável, afinal de contas tinhamos coisa muito melhor pra jogar, como Golden Axe, Streets of Rage e muitos outros que se encontram entre os melhores games do Mega Drive.

Aqui, o jogador guia um idiota sobre patins que precisa salvar sua namorada que foi seqüestrada por uma gangue, ou alguma coisa do gênero. Os heróis normalmente não tinham motivações muito boas na década de 90.

Não era preciso jogar muito pra se chegar ao primeiro esteriótipo ofensivo do jogo: uma gordona negra grosseira que tenta te espancar por nenhum motivo aparente.

Bom, eu duvido que ela estivesse envolvida com o seqüestro da namorada do herói, porque ela não tem pinta de quem trabalha pra um grupo de bandidos, assim sendo, eu suponho que ela é um chefe simplesmente porque é uma vaca e não gosta do herói.

Agora, se você já assistiu os desenhos mais antigos de Tom & Jerry que passam no SBT (e quem não assistiu?) deve se lembrar da fase em que a dona do Tom era uma mulher negra obesa e incrivelmente grosseira. Quem pode esquecer quando ela o chamava de "Tomas" com a entonação de uma mulher que o estava chamando para lhe dar uma surra de pau?

Pois bem, se já viu a estes mesmos episódios no Cartoon Network, deve ter reparado que a dona de Tom foi editada e se tornou uma mulher branca genérica. Isso é porque a personagem antiga era um "personagem pronto", um esteriótipo usado para gerar risadas fáceis ao se caçoar de um grupo étnico.

Pode não parecer grande coisa, mas este esteriótipo da "dona negra gorda e grosseira" é considerado incrivelmente racista hoje em dia. De fato, a única forma da ´personagem ser mais racista seria se ela arremessasse pedaços de frango frito no herói.

E se não entendeu essa, vá estudar um pouco de história americana, vai te fazer bem adquirir um pouco de cultura.

Claro, só faça isso depois de terminar de ler este artigo, ok lindão/lindona?



Gekisha Boy

Como deve ter notado, o Japão vai aparecer nesta lista mais de uma vez. Será que isso surpreende alguém a esta altura do campeonato?

Pois bem, Gekisha boy foi um título para o PC Engine, que ficou conhecido no ocidente como Turbografix 16. Para quem não conhece, era um console da Nec que utilizava cd's ou cartões de memória contendo os jogos.

Fora Street Fighter I, Devil Crush e Dracula X, não haviam muitos títulos mais que justificassem a compra de um aparelho destes. Havia uma tonelada de games do Bonk e outras coisas igualmente obscuras para ele.

E também temos Gekisha Boy, um jogo tão racista que eu não entendo como não vem com uma suástica na capa.

Ou talvez venha, eu nunca ví a capa deste game.

Basicamente, você joga com um garoto qu quer descolar um trabalho de fotógrafo em um tablóide e para isso, é preciso sair fotografando coisas e pessoas pela cidade. Vez ou outra você vai encontrar o Homem Aranha, um Terminator e algumas celebridades Norte Americanas sem graça do início dos anos 90.

Claro que este game jamais veria a luz do dia no Ocidente, pois a quantidade abismal de personagens e celebridades usadas sem seu consentimento fariam de Gekisha Boy um prato cheio para todos na América que adoram contratar advogados e processar os outros.

Mas o curioso é que os personagens negros vem em apenas três variações: Cafetão, prostituta e Michael Jackson.

Eu disse curioso? Eu quis dizer TENEBROSO!

Não sei quem programou esta abominação, mas qualquer um que reduza um grupo étnico inteiro a três esteriótipos, com certeza não recebeu abraços o suficiente quando era pequeno.

Ou foi abraçado demais... prefiro não saber.

E claro que isto é horrendo, mas o game não ofende unicamente aos negros. Olhe bem pro fotógrafo e verá seu cabelo loiro, nariz enorme e expressão de quem tomou um caminhão de anfetaminas no café da manhã.

Ou seja, o jogo caçoa dos ocidentais em geral.

Pois é, diferente do que muitos otakus de merda pensam, os Japoneses não são um povo iluminado e tolerante, há tanto preconceito lá quanto em qualquer outra parte do mundo.

Talvez isso fique mais claro com os próximos exemplos.



Square's Tom Sawyer

Ahhhh, Tom Sawyer! Um dos mais celebrados personagem de toda a literatura Norte - Americana!

A história conta as aventuras de Tom Sawyer e Huckleberry Finn, dois garotos espertalhões do Missouri que enganam, sacaneiam e zoam a toda uma comunidade. Criado pelo notório escritor e adorador do Diabo Mark Twain, as histórias de Sawyer encantaram inúmeras gerações de crianças, da mesma forma que Monteiro Lobato fez aqui.

E então a Square fez um jogo baseado em sua obra.

Acho que não preciso falar muito, basta olhar para o personagem da foto acima que está falando e ficará claro porque a Square nunca teve bolas de trazer este game pra América.

É quando você diz: "Mas ALF, você está exagerando! Com os gráficos primitivos do Nintendo 8 bits, é muito fácil pegar uma imagem mal desenhada e dizer que ela é racista.

Não seja por isso, vamos pegar uma imagem bem desenhada (pelo menos, melhor que o gráfico do jogo) que comprove minha teoria:



Eis a capa do jogo. Se procurar próximo ao canto inferior direito da ilustração, verá o mesmo personagem que no jogo é retratado como se usasse "Black Face."

Claro, este game teria sido um sucesso de vendas no Mississipi durante os anos sessenta, mas duas décadas depois, linchamentos já não eram mais vistos como uma atividade dominical para as famílias, o que sem dúvida não ajudaria na popularidade deste jogo na América.

Se não me engano, um grupo de fãs estava tentando traduzir o game para quem quisesse jogá-lo em emuladores. Aparentemente eles pararam o projeto no meio, provavelmente com medo de tomarem uma surra de Samuel L. Jackson caso lançassem o jogo.

Uma sábia decisão.



Rival Schools

Ok, não me entendam mal, eu AMO a série Rival Schools.

Não é a melhor franquia que a Capcom já produziu, mas possui um elenco divertido, ótima jogabilidade e é absurdo o suficiente para gerar horas e mais horas de humor involuntário.

Os personagens agradam justamente pelo excesso de esteriótipos usados em sua criação. Temos Batsu, o bad boy Japonês que fala alto e é mau educado, Hinata, a típica Japonesinha fofolete que é tão doce que causa diabetes nos incautos, Akira, que se disfarça de menino mas é na verdade uma garota tímida, Daigo, que é o irmão mais velho de Akira e faz o tipo "grandalhão silencioso" e por aí vai.

O elenco é dividido em escolas, que esteriotipam ainda mais os personagens. Temos a escola dos esportistas, a dos alunos delinquentes, a universidade militarista e claro, a escola dos alunos Americanos, porque Deus proíba que haja mistura de culturas no Japão.

Dentre os alunos da escola para Americanos, temos Roy, que parece o típico vilão de filmes adolescentes dos anos 80, Tiffany que é uma líder de torcida descerebrada e com peitos gargantuais e Boman... que é um padre, ou coisa assim.

Ok, vamos desconstruir estes personagens.

Muitos Japoneses acreditam que mulheres ocidentais são completas vagabundas que irão arrancar as roupas, espirrar chantilly nos peitos e transar violentamente com qualquer homem que apenas sorria para elas. Pois bem, Tiffany é a encarnação desse esteriótipo, com direito a roupa de vadia e tudo.

Já Roy é tão grosseiro e arrogante quanto Batsu, o que faz com que ambos sejam inimigos/rivais. O negócio é que Batsu é tratado como o herói da série e Roy é tratado como um...cuzão...

Passei sete semanas internado no hospital por ficar tentando entender o motivo desta diferenciação.

Tudo bem que eles pegam leve com Boman, que é mostrado como um personagem de certa nobreza, mas Roy e Tiffany... diabos, olha só pros nomes deles! Parecem casal de bonecos!

Isso diminuiu recentemente, mas por muito tempo, os Japoneses insistiram em retratar ocidentais como personagens estupidamente Americanos, ou pelo menos, como eles acreditavam que os Americanos fossem.

Como é o caso de Max Eagle.

Quem é Max Eagle? Bem...



Kizuna Encounter

Max Eagle é o personagem Americano de Kizuna Encounter.

E não se preocupe caso não o conheça, quase ninguém jogou Kizuna Encounter. De fato, acho que fui uma das três pessoas no mundo que se preocupou em arranjar a coletânea da série que saiu pra Ps2.

O negócio é que Max aparentemente representa o que muitos Japoneses pensavam (pensam?) ser um Americano: um sujeito loiro, com bronzeado artificial e que veste a bandeira de seu país.

...

Ok.

Pense nos personagens Norte-Americanos de maior destaque em games de luta e verá que seguem o esteriótipo "loiro com a bandeira Americana em alguma parte da roupa!"

Exceto Guile, que tem a bandeira tatuada no muque e provavelmente no pinto.

Mas nem o Rambo é tão patriota e olha que ele foi pro Vietnã ganhar a guerra dez anos após a mesma ter acabado.

Pois é, que me diz?

Enfim, chega de esteriótipos racistas! Que tal vermos alguns games que ofendem por causa de sua violência extrema?

...

Sabia que você ia se interessar!



Harvester

Muita gente acha que jogos em Full Motion Video eram algo extremamente brega. Eu concordo, mas sinto falta deles assim mesmo.

Onde mais poderiamos encontrar atores que não eram bons o bastante nem pra apresentar evento de cosplay, interpretando e tentando dar veracidade a seus personagens? Pra mim estes games tinham um charme impossível de se duplicar.

Tanto é, que os produtores de games de PC se esbaldavam em produzir jogos que jamais poderiam rodar nos consoles, fosse pela pouca capacidade dos mesmos ou pelo tema de seus jogos.

Pois bem, Harvester conta a história de um camarada que despertou sem memória em uma cidade que possui um estranho culto. Lógico que essa convergência de eventos não poderia levar a nada bom e nosso herói acaba participando de uma jornada cheia de violência, canibalismo, desmembramento, tiros na cabeça, plantas carnívoras devoradoras de homens e bebês de onde brotam insetos.


Tudo bem que a animação é ridícula, mas... argh...

Lógico, Harvester foi proibído em praticamente todo o mundo e é muito difícil encontrar uma cópia deste game hoje em dia, o que faz a proibição de Bully em nosso território uma coisa ridícula.

Pois é, pelo menos Jimmy Hopkins não brutaliza bebês!

Credo, não quero mais falar disso!


Chiller

Ok, este é um dos games mais doentes de todos os tempos!

Sim, pior que Manhunt e Harvester juntos! Não é pior que o último game sobre o qual vou falar hoje, mas chega perto.

Veja você, pelo menos os dois games mencionados tem uma história, rola violência, mas´você é o herói (de certa forma) e precisa acabar com um grande vilão e trazer a paz, a justiça e os lanchinhos amanteigados de volta ao mundo.

Em Chiller... você é um filho da puta sádico que tem de meter bala em pessoas presas a instrumentos de tortura.


Bom, eu sinceramente acho que games não podem trazer nenhuma conseqüência ruim para aqueles que os jogam, mas pelo amor de Rick Astley, porque existe um jogo desses?

Acho que este jogo foi desenhado pelo Diabo e quem terminá-lo será escolhido para ir pro Inferno e ser um dos seus soldados.

Considerando que o Inferno pode ser aquela merda que o Todd MacFarlane mostrou em Spawn, acho que vou continuar jogando Pokemón e assistindo Pucca.

Chega de games violentos e grotescos. Já falei de racismo e violência, o que mais pode ter sido usado para criar material gamístico ofensivo?

...

Sexo, exatamente!

Pois muito bem, vamos ver alguns games sexuais, meus queridos taradinhos!


Boonga Boonga

Meu Deus, esse é precioso.

Imagine a seguinte situação: Você está num fliperama, esperando sua namorada. Ela está demorando, pois é o que namoradas fazem e você resolve jogar alguma coisa enquanto a espera.

De repente, você nota uma máquina que nunca tinha visto, ela se chama Boonga Boonga e tem uma bunda de plástico saindo de seu interior, como se fosse alguém esperando receber um exame de próstata ou aguardando ser estuprado pelo Belo Ursinho Fritz.

Então você pensa: "Oras merda, como se joga esta porra?"

É quando percebe uma mão de plástico com um cabo conectada à máquina e com um dedo rígido. Instintivamente, você descobre o que fazer.

Então, você coloca um crédito na máquina e enfia o dedo plástico da mão de plástico na bunda de plástico! E a força a enfiada faz aparecer uma pontuação na tela, que o classifica como "estuprador."

Você ri, mas quando percebe, sua namorada está te olhando em total e completo choque.


E nada lhe resta a não ser dizer "Isto é exatamente o que parece..."

Pois é, Boonga Boonga é um jogo que lhe permite dedar um cu de plástico em público e tenho certeza que muitos namoros (e noivados e casamentos) foram encerrados por ele.

E muitos mais ainda serão, marquem minhas palavras...


Valis X

Esse aqui é algo que tomei de forma mais pessoal, mas que vale como ofensa assim mesmo.


Já mencionei Valis em outra ocasião, mas acabei não me aprofundando muito, pois não convinha na época.

Pois bem, a série conta as aventuras de Yuko, uma colegial Japonesa bem normal, que um dia viu sua melhor amiga indo embora com um executivo velho. Ela deixou pra lá, mas depois recebeu uma espada mágica e saiu combatendo monstros do mal para salvar a Terra.

E sua amiga, que acabamos descobrindo, estava nas garras de um demônio que havia se disfarçado de executivo velho pra se aproximar dela.

Ou seja, era um game de ação que fazia crítica social em relação as Japinhas que se prostituem para altos executivos... "porque sim."

Putanhas!!!

Ah sim, em uma das continuações, Yuko sai de pijaminha pelas ruas combatendo o mal, pois foi acordada no meio da noite pelo chamado da JUSTIÇA!!!

Claro que ela veste seu biquini de metal depois, mas o momento que ela enfrenta vilões de pijama é extremamente adorável.

Enfim, a empresa dona de Valis (Nippon Telenet) nunca teve grana como a Capcom ou a Eletronic Arts e um dia ficou as portas da falência.

O que eles fizeram então? Prostituiram Yuko!

Valis X é uma "releitura" da série. O jogo reconta a história do primeiro título da franquia, mas ao invés de controlarmos uma colegial bonitinha enfrentando monstros manjados, vemos a mesma colegial sendo estuprada, humilhada, urinada e forçada a ter relações sexuais com suas melhores amigas.

Agora, eu estaria sendo um hipócrita se criticasse este game por ele ser hentai. Não é isso, eu adoro hentai, tenho quase tudo que o estúdio Saigado (já dei o nome, agora use o Google e não me peça mais nada) produziu.

Mas uma coisa é quando um fã produz um doujinshi mostrando seus personagens favoritos fazendo o bom e velho "entra-e-sai-entra-e-sai-de-novo", outrá é quando um estúdio a beira da falência pega sua personagem mais popular e a prostitui numa forma triste e fraca de tentar impedir a própria falência.

Imagine se a Fox começasse a falir e fizesse pornografia com os Simpsons, na vã tentativa de se salvar.

Pois é, todos ficariam ofendidos!

É o que nós, os quatro fãs de Valis sentimos com este game! Que vergonha, Nippon Telenet, que vergonha!


Custer Revenge

Eis mais um game sobre o qual já falei antes, mas como diria o poeta, "recordar é viver."

Qual poeta? E eu lá vou saber qual porra de poeta disse isso?

Enfim, Custer Revenge é um jogo muito infâme do Atari 2600. Foi produzido pela empresa "Mistique" que lançou mais alguns títulos pornôs para o aparelho e que hoje é lembrada como uma empresa que tinha bolas do tamanho e toranjas.

Enfim, aqui você guia o General Custer, uma das mais importantes figuras histórias dos Estados Unidos e seu objetivo é desviar e uma chuva de flechas e diversos obstáculos para estuprar uma índia tetuda amarrada a um cacto.

Claro que considerando os gráficos do Atari, aquilo pode não ser um cacto, e sim uma tábua de passar roupa ou o Plank, mas acho que nunca saberemos ao certo.

Como pode ver, o general está usando apenas chapéu, cachecol, botas e um pau duro e não liga para as flechas que chovem em sua direção, ele simplesmente quer um belo pedaço de torta indígena.

Que coisa mais horrível!


Hilária, mas horrível.

Bom, este game gerou uma enorme onda de protestos quando foi lançado. Nativos Americanos ficaram ofendidos pois o game ridicularizava o sofrimento que eles haviam passado nas mãos dos brancos, mulheres ficaram ofendidas por razões óbvias e pais ficaram ofendidos, pois não queriam que seus filhos jogassem essa bomba.

Mas haviam coisas muito piores que estuprar uma índia no Atari 2600.


Beat'em & Eat'em

Ok, acompanhe-me aqui.

Neste game, há um cara no alto de um prédio, batendo umazinha e gozando litros e mais litros de porra.

Você, "O" jogador, deve guiar duas mulheres na parte de baixo da tela que estão com as bocas perpetuamente abertas e deve fazê-las engolir cada gota de sêmen que saia da mangueira do rapaz.

É...

Não sério, qual o problema dessas duas? Qualquer mulher que eu conheço pegaria um rifle e daria um tiro na cabeça de um sujeito se o visse batendo punheta no alto de um prédio! Nenhuma delas abriria a boca esperando ingerir gozadas aéreas.

Pelo menos, eu espero que nenhuma delas faça isso.

E sabe o que mais? O manual de instruções lhe estimula a engolir cada gota de porra, dizendo que "não se deve desperdiçar, pois cada esporro pode gerar um advogado ou médico de sucesso."

Não sei quem escreveu esse manual, mas alguém precisa ter uma conversa sobre "abelhinhas e passarinhos" com ele.

Ah sim, quer saber outro detalhe hilário? A cada 69 pontos você ganha uma vida extra.

69!!!

Genial e nada previsível!!!

Mas quer saber de algo, por mais desagradável e ofensivo que este game possa ser, as coisas seriam muito piores se tivessem invertido os papéis dos homens e mulheres do título.

Mas não precisamos imaginar, pois alguem achou que seria uma brilhante idéia fazer isso.


Philly Flasher

E aqui temos Philly Flasher, que possui a mesma temática de Beat'em & Eat'em mas que consegue ser ainda pior.

Ok, ao invés de ser um cara batendo bronha no alto de um prédio, temos uma bruxa estimulando seus peitos caídos com uma varinha e fazendo leite esguichar deles.

E ao invés das vadias, temos dois presidiários com o pau e fora tentando abocanhar o leite que escorre da bruxa.

Pelo amor de Benji... isso era pra ser sexy? Porque apenas de imaginar esta cena, sinto vontade de me trancar num monastério e nunca mais pensar em sexo na minha vida.

E aposto que aterrorizei alguns de vocês também...

Sinto muito, mas se eu tenho que sofrer, todos sofrerão comigo!



Sensei 2

Sim, é um game hentai.

Como eu já disse antes, não tenho problemas com Hentais e assim sendo, não me ofendo com jogos do tipo também. Me diverti muito com Hitozuma Hime Club, True Love e Sagara Family.

Mas acredito que mesmo a putaria precisa de um pouco de decência.

E sim, sei que esta frase é praticamente um paradóxo.

Em Sensei 2, você joga com um rapaz que se apaixona pela professora. Ela está noiva de um cara e não quer nada com ele e é quando ele faz uso de uma poderosa droga que... na falta e um termo melhor... faz com que a professora fique louca pra dar pra ele.

Pois é.

E o game todo, você controla um cara que droga uma mulher e a força a fazer sexo com ele. Não bastasse isso, o "herói" começa a ficar entediado com o sexo normal e passa a humilhar a professora cada vez mais para se sentir estimulado.

Sim, porque Japoneses tem um tesão inexplicável em ver mulheres sendo humilhadas.

Agora, joguei esta bomba até o fim e me senti muito mal depois que o game acabou. Me sentindo culpado por ter violentado uma mulher virtual que nem era tão bonita quanto outras que já ví.

Bom, por pior e mais ofensivo que seja, este jogo serve como um medidor de sua moralidade. Se você se sentir mal após terminá-lo (e consequentemente, forçar a professora a passar por provações terríveis) parabéns, você é um membro saudável e produtivo da sociedade.

Caso se sinta bem... me dê seu telefone e endereço e eu prometo que estará em uma confortável cela acolchoada antes do fim do dia.


Rapelay

E deixei o melhor pro final.

Se bem que o "melhor" em um artigo destes é uma honra bastante duvidosa... mas tudo bem.

Já comentei sobre o fato de que Japoneses adoram ver mulheres sendo estupradas, seja por tentáculos de polvo, tentáculos de monstro, tentáculos alienígenas, tentáculos robóticos, vento, caudas, braços, garras, chifres, espadas, canhões lasers, mísseis, mesas de cabeceira ou em ocasiões extremamente raras, pelo antiquado pênis humano.

Enfim, se uma mulher não está chorando, gritando, em dor ou morrendo, um Japonês não consegue ter uma ereção.

E agora, um cara não precisa se mais contentar com a mera experiência de drogar uma professora e humilhá-la, quando pode perseguir uma ultra gostosa MILF no metrô, estuprá-la e depois procurar as filhas dela (uma de dezesseis e a outra de dez anos) e estuprá-las também.

Exatamente! Agora você pode sentir todas as emoções de uma noite na vida do Bandido da Luz Vermelha... ou de um cidadão comum de Tóquio em uma Terça-Feira após o trabalho.



E não apenas isso! Este game leva o realismo do estupro ao máximo, com gravidez acidental, abortos forçados, ameaça de morte durante o ato e claro, órgãos genitais ensanguentados, afinal de contas, o jogador violenta duas meninas virgens contra a vontade delas e de forma brutal.

Caso tenha amigos para jogar online, você e seus chegados podem fazer um estupro grupal nas garotas do jogo. Imagine uma galera de caras violentando uma menina de dez anos de todas as formas possíveis enquanto ela chora e diz "eu quero morrer."

Se não estiver revoltado ainda, é porque você não tem alma.

E agora chega! Acho que já mostrei coisas ofensivas o suficiente por hoje!

E da próxima vez que encontrar alguem que ache que Resident Evil 5 ou GTA são títulos ofensivos, comente sobre algum destes games com ele e eu garanto que o sujeito vai iniciar uma petição para que Bully se torne material didático nas escolas de nosso país.

Cheers!!!

233 comentários:

1 – 200 de 233   Recentes›   Mais recentes»
Nanda disse...

Céus...

Acho que vou voltar pra confraternização com brigadeiro de panela do post anterior!

ahhahahaha!

Amer H. disse...

Tenha medo... tenha muito medo...

Nanda disse...

[/regina duarte]

Satoshi disse...

Waaaaa...

Pq meu feed não mostrou esse post novo?

E eu esperando lá no da Luta Livre!

Fabiano disse...

Pois é! Esse último aí, o rapelay, deveria dar cadeia para os desenvolvedores!!!
Mas, como o próprio artigo diz, os japoneses também são gente, né? Fazem coisas ótimas e coisas de merda, como todo mundo!

Paulo_HT disse...

estranho..

Bruno disse...

Ah, os games nem são tão ofensivos assim.

Sério, o último então, é mel na chupeta.

...

Puta que pariu, estou perdendo a humanidade.

Mog disse...

Argh.

Não consigo imaginar o que passa na cabeça dos desenvolvedores deste tipo de jogo.

Sério.

Ou o que DEIXA de passar por lá, sei lá né.

André disse...

Jesus, vontade de ir prum monastério e esquecer da humanidade depois disso.
x_x

Satoshi disse...

Ukei, vou criticar você agora, Amer, mas saiba que falo tudo isso sem intenção de ser ofensivo.
--

Estranho você falar no começo que os japoneses tem preconceito contra os ocidentais e depois ser mais preconceituoso que todos os japoneses juntos no final do artigo.

Tsc, tsc, tsc...

E, sinceramente, eu não vi nada de tão preconceituoso assim no que é mostrado dos orientais. Estereotipação e generalização são as coisas mais comuns dos mundo, e os americanos fizeram tanto ou mais disso contra os orientais do que os orientais contra os americanos.
Além disso, acho difícil você dizer que os japoneses são preconceituosos contra os americanos usando 5, 6 exemplos isolados (especialmente pq em alguns deles o próprio povo japonês é estereotipado e "clichezado").
Na minha modesta opinião, você está vendo pelo em ovo. Ou, ao menos, aproveitando a figura, achando que só os pelos vermelhos que contam quando o ovo está cheio de pelos pretos, verdes, amarelos, azuis... (ugh, como eu consegui escrever uma coisa tão tosca? Mas me entenderam...)
Graças a deus que hoje em dia temos tesouros como Kung-Fu Panda.

Além disso, tenho uma reclamação contra seus textos: por que não escrever em inglês de uma vez? Você usa trocadilhos, gírias, estruturas e construções do inglês. Só as palavras são em português. Eu acho isso pessoalmente muito feio, pois a maioria dessas coisas simplesmente soam errôneas em português.
Eu entendo que é difícil evitar que uma língua que se fala contamine a outra, mas assim já é extremo.

---

Por enquanto é isso. Satoshi volta agora ao seu bat-canal natural.

Alguém quer pipoca?

Satoshi disse...

Em tempo: eu não nego, em momento algum, que o japonês tenha seu "fair share" de preconceito contra outros (como qualquer nação).

Só achei que esses exemplos foram exagerados e nada a ver.

Guilherme disse...

Amer, um dos primeiros chefes do God Hand (Play2) sao dois gemeos travecos que quando estao longe de você, ficam coçando o saco (ou coisa parecida). O jogo em si é repleto de coisas bizarras e divertidas, como os chefes anoes power rangers e o chefe gorila que pratica luta livre. De qualquer forma, vale lembrar desses inimigos desse bom jogo! Talvez valha o mesmo comentario do Streets of Rage 3 (onde alias, vc batia num canguru, o que certamente deve ter levado um simpatizante do greenpeace a fazer boneces do vudu dos programadores da Sega)

Amer H. disse...

Ok Satoshi, vamos lá.

Uso os termos em Inglês porque é assim que falo na vida real. Vivo enfiando palavras em Inglês na conversa quando falo com amigos QUE FAZEM A MESMA COISA.

Aqui faço porque acho divertido, não acho que afete a compreensão do texto.

Aliás, aqui cabe uma explicação minha: estamos em pleno século 21 e a temos a Internet trazendo o mundo até nossas casas sem esforço. Acho um absurdo que as pessoas tenham dificuldade com o idioma Inglês, quando somos bombardeados com ele todos os dias e por todos os lados.

Nunca fiz curso de Inglkês e entendo perfeitamente o idioma, com uma excelente conversação. Acho que o que falta para as pessoas aprenderem o mesmo, é um pouco de boa vontade.

Quanto aos Japoneses, o negócio é que eu canso de ver gente defendendo que a cultura Japonesa é "maravilhosa e perfeita", quando não é. Eles mesmos são muito preconceituosos, como eu coloquei no texto.

Isso é algo que eu estava conversando com um amigo essa semana. Os Orientais normalmente recebem papéis com nobreza no cinema ociental.

Sempre são "mestres", sábios", "samurais honrados" e por aí vai.

Assista filmes Japoneses onde apareça um ocidental e verá um esteriótipo horrível de um cara feio, grosseiro e violento.

Diabos, Gozilla Final Wars mostra UMA cena que se passa em Nova York e consegue ser inacreditavelmente preconceituoso nela.

Quanto ao meu último parágrafo falando de Rapelay... cara... o que você quer que eu pense ou diga?

No Japão esse game é liberado e vendido numa boa, no Japão´Transformers Kiss Players é liberado e vendido, assim como INÚMERAS OBRAS que mostram crianças sendo estupradas e tudo mais.

Cara, sério... é um país que vê erotismo em humilhação feminina! Pare e pense nisso!

Não estou dizendo que o país inteiro é podre, mas o suficiente dele é. Não venha me dizer que não.

ChuckNoia disse...

OMG estou pasmo...


sabia q existia muita coisa feia no japan mas... replay me deu vontade de nuke o programador dele



BTW Nippon ichi teu pasado te condena!!
Mas axo q foi por uma boa causa, se naose pelo jogo hentai nao teriamos disgaea e prinny ^^

matheus tiago disse...

Po Amer,bem que tu podia por a revista pra Down,pq se tivesse onde eu moro eu compraria,mais aqui nao vai ter provavelmente.E sem falar que umas revistas ou outras baixadas nao vao alterar o lcro final em grande escala

David disse...

Não posso dizer que foi um "belo" artigo, mais bem instrutivo, Amer. eu conheci Valis na casa de um amigo.era um clássico entre meu grupinho, mas eu era o único q não tinha jogado pq na época não tinha pc.
Cara, esses jogos são totalmente ofensivos, principalmente os de conteúdo sexual.
Realmente GTA é jogo infantil perto desses.
A cultura japonesa me encanta e um dos meus grandes projetos e ir ao Japão.Generalizar que todos os japoneses são disvirtuados sexualmente é forte, mas é dificil pensar que a grande maioria não seja assim já que esse tipo de material é tão aceito por lá.
abraço

Satoshi disse...

Amer, pelo teor do seu texto eu não posso saber com certeza, mas imagino e espero que você tenha levado na esportiva.

Eu não acho que o inglês dificulte a compreensão, também. Eu só destaquei isso pois, na minha opinião, é esteticamente feio. Eu pessoalmente tendo a valorizar um bom uso da língua, seja ela qual for e isso me incomoda um pouco. Não que eu ache que você escreve mal ou que eu vá parar de ler seu blog por conta disso.
Pense que, da mesma forma que você deve (como eu) achar idiota e ridículo os otakus falarem coisas como "Tá daijobu?" ou "Que kawaii", eu acho feiozinho escrever em inglês com palavras em português.

E eu concordo plenamente com você. Saber inglês hoje em dia não é mérito nenhum. Com japonês eu já sofro um pouco para conseguir exposição suficiente, e com finlandês (outra língua que estudo) é um parto. Por respeito aos que aprendem línguas como africâner, qualquer pessoa no mundo tem que saber inglês.


Sobre as coisas sobre os japoneses, como eu já disse, é difícil falar assim sem isoladamente sem levar em consideração a cultura e a história do povo. Para os japoneses nós somos pessoas barulhentas e mal-educadas, nossas mulheres são mandonas e oferecidas. Preconceito? Oras, mas nós somos mesmo!
Você está lidando com uma cultura com princípios diferentes. O que para nós é individualidade, lá é egoísmo e é muito mal-visto.
E ninguém pode dizer quem está certo ou errado nessa história (a não ser que você seja um etnocentrista preconceituoso de merda, como diz minha professora de antropologia).

Quanto à humilhação de mulheres e eroticismo, é um produto infeliz dos valores japoneses e é uma situação tão complexa que não tem como eu falar disso aqui. O mínimo para se tratar do assunto seria uma monografia (que eu estou realmente planejando que saia ao final do meu curso. Ou sobre isso ou sobre aquisição de línguas). Basta saber que eu também acho ruim, mas o buraco é bem mais fundo na realidade.

Eu poderia, ainda, num exercício filosófico, condenar o fato de você analisar a pedofilia no Japão com olhos não-japoneses. Mas dizer que é etnocentrismo considerar pedofilia ruim e que o relativismo cultural também se aplica aqui é um tabu (e não funciona na prática). Além do mais, nem eu acredito nisso.

Não estou dizendo que o país inteiro é bom, mas o suficiente dele é. Não venha me dizer que não.

:P

BIEL !!! disse...

Cacete...como esse Satoshi é chato!

fabricio disse...

Minha cabeça dói... primeiro pela quantidade absurda de preconceito, que não é exclusividade de nenhum país... nem do Japão, nem dos EUA... Segundo, por culpa do Satoshi que fala muito complicado, cara!!! Como dizem os políticos do nosso país amado, "Relaxa e goza", filho...
Amer, conhecí o estudio Saigado a algum tempo, mas a maioria dos links que eu encontro estão quebrados... conseguí baixar muito Atena and Friend e Yuri and Friends, mas nenhum dos outros trabalhos... o senhor teria um link que funcione??? Não querendo abusar de sua boa vontade, é claro...

Fora isso, ótimo(ótimo?) post, muito instrutivo... por assim dizer... continue assim!!!

Satoshi disse...

Mas eu avisei que ia ser chato, não avisei?

...


Tá, eu não avisei, mas finge que sim...

Amer H. disse...

Primeiro, me enganei ao dizer que foi a Nippon Ichi quem fez Valis. Foi a Nippon Telenet.

Acontece... é tudo Nippon, devem ser primas as empresas.

Muito bem, Satoshi, round 2.

Vamos colocar assim, se as meninas otakus-fofoletes querem ficar falando "Ai, é muito kawaii!" que façam, é o direito elas. Eu não gosto, mas elas não precisam se adequar a minha existência.

Tudo que espero é um mínimo de bom senso pra que elas não fiquem falando esse pseudo-Japonês no meio de pessoas que elas não conhecem.

Se eu conheço uma otaku hoje e ela começa a falar comigo como se eu fosse "miguxo", eu não ia gostar e ia me afastar. Mas defenderia sempre o direito dela falar assim na turma dela.

Quando eu uso os termos em Inglês aqui, não é algo que tirei da bunda e comecei a usar do nada, os uso desde que comecei a fazer o blog e acredito que as pessoas que aqui vêem já estão habituadas.

Novos leitores talvez não estejam, mas não vou fazer um texto genérico para agradar pessoas que porventura possam começar a ler meus textos.

Só falo isso pra deixar bem claro o motivo porque optei por escrever assim.

Quanto ao Japão, bom, iamos precisar de manifestos e manifestos pra descrever as merdas e coisas boas de lá. Mas não me entenda mal, eu adoro o Japão e sua cultura e quero muito conhecer o país um dia.

Mas o negócio é que conheço razoavelmente bem a cultura de lá, via fóruns internacionais, amigos que moraram ou visitaram o país e tudo. Não sou um otaku desinformado que acha que o Japão é o país perfeito e sem falhas... a "Terra do Nunca."

E se você generaliza que os ocientais são mal educados e as mulheres daqui mal oferecidas, você está dando aos Japoneses o direito de nos rotularem. Por que é errado se eu fizer o mesmo?

Quanto a humilhação das mulheres... se você tivesse visto metade das coisas Japonesas que eu já ví... você não discutiria comigo, mas apoiaria meu desgosto por isso.

E no tocante a barreiras culturais, é o velho adágio de "pimenta no cu dos outros é refresco."

Assim, se encontrassem uma tribo perdida no meio da Amazônia e este grupo tivesse o hábito de matar e comer o segundo filho da família quando este completasse dez anos, todos achariamos uma barbaridade, mas pra eles seria normal, eles achariam uma barbaridade o fato de nós NÃO fazermos isso.

Eu enxergo a cultura Japonesa com olhos ocidentais e me reservo o direito de me chocar com coisas que são consideradas "normais" por lá.

Pra eles, pode ser escapismo jogar um game onde se estupra uma família inteira, mas pra mim isso é horrível. Assim como eles podem achar horríveis atitudes que tomo no meu dia-a-dia e que para eles seriam inaceitáveis.

O Japão é um país maravilhoso, mas eu não sou ingênuo e sei que a decadência moral lá é bárbara.

E sei que nem todas as colegiais do Japão trepam com executivos porque estão entediadas, tampouco todos os homens de meia idade passam o tempo planejando como comer a vizinha de quatro anos. Esse tipo de abominação rola em todo lugar do mundo, mas o Japão faz quadrinhos e desenhos disso e exibe sem problema algum.

Rapelay é prova e Transformers Kiss Players também.

Quer mais material ofensivo? Procure um mangá chamado Eiken. Não é hentais, mas ofende tanto quanto alguns que eu já lí.

E encerremos esse assunto, pois não vai dar em nada. Nossas opiniões são diferentes e nunca vamos convencer um ao outro do contrário.

Quanto a revista, ela não é "minha", ela é da editora Europa e eu apenas faço parte da equipe que a produz.

Não tem como colocar pra down e nem me peçam isso, pois eu seria demitido na hora (na melhor das hipóteses) se isso acontecesse. Depois eu vou ver como vai ser a distribuição dela e aviso vocês se vai chegar em todo território nacional e tudo mais.

Amer H. disse...

Aliás, tenho plena noção de que o artigo desta semana saiu mais pesado que o normal... mas é bom de vez em quando aprendermos coisas novas, por piores que sejam.

Nem só de flores e chocolate é feito o mundo.

E.D.I disse...

Sou negro e acho esse tipo de polêmica do resident ridicula, oq vc falou é certo se ele tivese no oriente médio seria um herói antiterrorismo (agora sem Hifen eu acho), as pessoas tem que se ofender com o racismos nas ruas, lojas e etc.
Quero jogar pra meter bala em qualquer zumbi que atravesar meu caminho (eu gostava tbm de ameaçar a Asheley) independente de raça, religião e sexo.
Parabens pelo blog e essa revista nova vai ser distribuida na grande São Paulo?

Satoshi disse...

Mas Olmer, Elmer...

Você falou exatamente tudo o que eu penso aí!

Nem teria pq eu querer te convencer de nada, se você falou exatamente o que eu queria falar.

E sobre sua escrita, acho que talvez eu tenha sido pouco claro ou me expressado mal. Eu apenas destaquei isso, mais como curiosidade mesmo.
Não tenho nada contra isso (exceto, como eu disse, achar um pouquinho feio (não que você tenha que agradar minhas noções estéticas)) e nem estou falando que você está errando em escrever assim ou que deveria mudar.


E o que eu falei sobre ocidentais serem barulhentos e mal-educados foi só um exemplo para validar meu argumento.

Amer H. disse...

Obrigado pelos elogios. Novamente, não tenho certeza de quais lugares a revista vai ser distribuida, mas na Grande São Paulo, definitivamente.

Satoshi disse...

Aliás, sobre a revista, eu pretendo comprar, Halley.

Só que moro meio que no interior... Tomara que apareça por aqui...

Frodo disse...

Um post muito interessante Amer, parabens!

Uma dúvida besta: já te chamaram de ALF??? meu deus!

Sobre a moralidade no Japão, prefiro nem comentar, pois por mais que eu tente, não consigo entender. E quanto mais conheço a cultura, menos entendo! =P

Ao pessoal que cantou We are the world: aeee pessoal, brigado! =P
e desculpem por eu mesmo não ter participado, mas minha sexta e sabado foram cheios!

Nanda: eu sei que você não é uma moça idosa, deve até ser mais nova que eu, mas achei engraçado o termo "enfiar nas cobertas". E definitivamente acompanhado é melhor, dificil é achar uma compania que preste!

Como sempre digo: toda panela tem sua tampa, o dificil é quando se nasce para ser frigideira!

E só para constar: não achei a conversa do Satochi chata, e acredito de verdade que discussoes civilizadas e criticas construtivas algo muito bom aqui!

São coisas que só se acha no blog do Amor! =P

abraços a todos!

guilherme.kinni disse...

Eu conheço a maioria dos jogos da lista(eu disse conheço!) menos chiller e philly flasher. Álias... como você consegue Amer? Mesmo nas minhas pesquisas sobre jogos obscuros eu não tinha ouvido falar neles.
Aproveitando, você poderia fazer um post sobre jogos ruins, mas não só ruins, os PIORES do mundo, tenho um pressentimento de que seria divertido.

UnderHell86 disse...

Já baixei, digo, comprei direto do Japão o Rapelay... Caramba!

Já joguei muitos jogos hentais com estupro (é, eu sou um sick-fuck), e também li muito material a respeito. Mas até mesmo eu tenho que concordar que esse jogo passou "um pouco" dos limites!

Só poderia ficar pior se o protagonista pudesse invocar demônios cheios de línguas fálicas e tentáculos.

Satoshi disse...

Não pode?


*soca o ar*


Deixa eu ir cancelar uma encomenda, já volto...


E obrigado, Frodo, por não achar o que eu disse chato!
Te devo cinco batatas fritas e um nugget da Turma da Mônica :P

Heverton disse...

caramba eu juro que fiquei com vontade de ver como esse rapelay é!


PQP, estou perdendo a humanidade [2]!

Diogo Dornas disse...

Cara, gente para fazer jogos nojentos como o Rapelay tem em todo lugar, o único diferencial é que, acredito eu, os japoneses simplesmente não se importam tanto com esse tipo de material sendo publicado. Não concordo com o jogo mas concordo com o direito do um doente que o idealizou de lança-lo na mídia. E no final se vocês prestarem atenção as pessoas que chamaram atenção para o jogo e o tornaram conhecido mundialmente não foram os "doentes mentais" que jogariam ele e sentiriam prazer, mas sim as pessoas que ficaram divulgando ele como algo escandaloso e ofensivo, o que trás a tona a curiosidade de muitas pessoas de joga-lo para saberem o quão revoltante realmente ele é. Pra mim 95% das pessoas que jogaram o jogo o fizeram pelo motivo citado por mim. Poxa até eu já estive curioso para ver o quão repulsivo Rapelay pode ser (mas por algum motivo minha atenção foi desviada para algum outro jogo e acabei esquecendo dele, sendo relembrado agora pelo seu blog) e nem por isso sou um maniaco doente. Acredito que se jogar vou acha-lo realmente chocante, mas nunca concordarei em tentarem proibir tal material de ser lançado, afinal ainda é "apenas" um game de computador e eu não acredito que jogos estimulem ninguém a fazer nada de errado.

Quanto ao comentário inicial sobre RE5, você citou que o RE4 a gente mata espanhóis brancos "zumbificados" e ninguém chamou o jogo de preconceituoso (apesar dos camponeses espanhóis serem TODOS estereotipados também no jogo, afinal quem fez o mesmo provavelmente NUNCA foi na área rural espanhola ver como é de verdade e só tem os esteriótipos para trabalhar, logo não os culpo.) mas você esqueceu de falar que os RE do 1 ao 3 se passaram numa cidade AMERICANA, localizada em algum estado sulista semi-desértico, de MAIORIA BRANCA e ninguém comentou do jogo falando que era racista você matar brancos num estado americano que esta numa região de maioria branca... O problema é que as pessoas que fazem parte de movimentos anti-racistas vêem qualquer personagem negro que seja o BANDIDO em um jogo como uma prova de racismo, eles só se esquecem de que, por exemplo no caso da série do RE, tudo o que "matamos" no jogo do 1 ao 4 foram brancos, ai na primeira vez que levam a história da franquia para a africa subsaariana, de população predominantemente negra (lembrando que é acima de 90% a população negra lá) se torna ofensa matar zumbis negros... Tem gente que vê chifre em cabeça de cavalo mesmo, difícil entender.

fabricio disse...

Eu disse que o Satoshi era chato??? não... disse complicado... Não tenho a mesma formação da maioria de vocês, então certas "palavrinhas" são de difícil entendimento para minha humilde pessoa.
Não vou falar nada desnecessário pra não fomentar a discórdia, mas qualquer coisa tamos aí!!! o/

Satoshi disse...

Quem disse que eu era chato não foi você não, foi um Biel...

Frodo disse...

fabricio: você não disse isso, quem disse foi outra pessoa (que só postou para falar isso aqui, o que se mostrou bem tolo da parte dele), e complicado o Satoshi é! =P

Satoshi: agradeço as batatas e o nugget, mas infelizmente estou me recuperando de uma úlcera e fritura não vai ajudar muito... =P Mas assim que melhorar vou cobrar em lasanha! (ahhh lasanha... que saudade! hahaha)

Katchiannya disse...

... putz...putz...acho que vou me abster de comentar...especialmente o Rapelay oO

Não quero nem pensar no que passa na cabeça de alguém que (1) tem a idéia desse jogo, (2) aprova ele, (3) desenvolve, (4) compra, joga e gosta...

Não sei quem é mais...doente.

joão disse...

Entender outras culturas é muito complicado, ainda mais quando o assunto envolve sexualidade.
Nos Eua tem a palavra Jailbait que se referem a menores que são "comiveis" e uma outra que não me lembro, que se refere sobre sexo entre irmãos (Argh).
Em alguns países islâmicos e alguns locais nos EUA sexo anal dá cadeia, é proibido por lei, enquanto no brasil é uma prática bem comum.
Enfim, cada povo tem suas perversões e fetiches, mas no japão realmente parece haver uma falta de limites.

Marcelo Guardsman Green disse...

pow tem cada pessoa com pensamento idiota
Esse satoshi defende tudo da porra desses Japoneses pedofilso Pq ele possui o msm sentimendo deles Nao estamos discutindo uma coisa q e normal num pais e em outro naum mas Sim Algo Q e errado e pronto naum se Pode Defender a cultura de um pais sendo q ela faz algo mostruoso!

P.s Amer Faz Um review Do Filme:
As setes Faces Do Dr° Lo. acho q e assim q se escreve como vc e um profi]undo conhecedor dos anos 80 minha mae disse q esse filme era muito bom e q passava direto na sessao da tarde infelizmente nunca assistipq nasci em 88 e nos anos 90 foram o declinio da Sessao da Tarde

Joey_S disse...

Sempre achei as taras dos japoneses e a forma como eles comercializam isso bastante bizarras... Mas nunca tinha visto nd como Raplay... OMFG! TEM A PORRA DE UM MODO MULTIPLAYER!!!

Qto a dizer q o Amer tá se baseando em 4 ou 5 exemplos... Garanto q é pq ele (NEM NGM)ñ tem tempo, paciência ou espaço suficiente pra citar tds os casos existentes...

Td país tem suas perversões... Mas q o Japão se destaca, ah, se destaca!

PS: Acho q a melhor tradução pra Jailbait seria "chave-de-cadeia"

:: Luthy Lothlorien :: disse...

Ô_Ô...
Amer, como sempre você vai do hilário ao sério com uma facilidade espetacular... E sendo ESTE o assunto, não sei dizer se essa habilidade é uma coisa boa ou ruim.
Eu sabia, claaaaaaro que sabia, que existem games extremamente violentos AND racistas, afinal, se tem isso em tudo que é lugar, porque diabos não teria nos games? Mas esses últimos que você mostrou me deixaram de queixo caído. Não sério, acho que, além do racismo étnico, quem mais sofreu nessa porra foram as mulheres!
Das esteriotipadas como prostitutas até a professoras (¬_¬') sendo estupradas e etc... Mas o último foi HARD...Ô_Ô... Mesmo!
Enfim, não conheço que tenha falado mal de Resident 5, mas se por acaso eu escutar, vou mandar o Link desse seu post... *medo*!

Sergio disse...

esse ultimo jogo aí é tão escroto que me fez rir.

puta merda hein...

Satoshi disse...

Sou só eu que *quero* jogar o Rapelay?

Estou me sentindo um monstro...

Avalanche(Lance) disse...

Japão deve morrer \o/

Mas sério nas sábias palavras do Alan Moore: "Não é estranho que o país censure as genitárias masculinas e femininas,mas permite cenas com polvos e monstros estuprando crianças, a algo muito errado com a sexualidade no Japão."

Ahh eu não construo botes com frequencias, falava de fazer coisas estranhas assim, o bote que eu construo é vedando e juntando garrafas "patch", e cologando gelo seco deixando as garrafas cheias e bem firmes.

Henrique de Matos disse...

Hellmet, porque é que você deletou meu comentário anteríor?

De qualquer modo, curti o post, e ainda têm gente que reclama do cheat de nudez em The Sims...

Bruno disse...

Aí Satoshi eu também quero Rapelay.

...

Não me olhem assim, já disse que estou perdendo a humanidade, mas que porra viu.

Álias, eu quero jogar o jogo da professora também.

Thalles disse...

Amer , nao estou achando um video do Valis X , onde tem?

Satoshi disse...

Issoae Bruno.

Graças a Deus o Japão é um país de sick-fucks sexuais.

De onde mais eu conseguiria meus materiais sick-fuck do dia-a-dia??

Com licença que eu vou dar uma passadinha no Gurochan e também dar uma olhadinha se tem algum thread novo de Futanari ou tentáculos no 4chan
o/

Satoshi disse...

Aliás, cabe um parêntesis aqui:

A maioria do meu material extremo (seja ele sexual ou não) vem, geralmente, dos EUA ou da Europa (não apenas o hosting, mas os distribuidores e produtores da coisa também).

Fernando disse...

lendo os comentarios percebo que o Amer ficou TRAUMATIZADO com o Transformers Kiss Players, ele nunca mais deve esquecer akilo xD

e sobre os asiaticos em geral: sem duvida sao mt estranhos, é uma cultura totalmente diferente da nossa xD

Satoshi disse...

Huahuahauahu

O que é um bom sinal.

Quando uma pessoa NÃO se traumatiza com aquilo, é sinal de que tem algo errado.

(O que me leva a: "Droga!" *soca o ar*)

ChuckNoia disse...

suahsuahsuahsuahsuashuash


Satosh nºao se preocupe, eu tambem quero jogar Rapelay, mas como a placa de rede do meu PC virou pure eu nun posso baixar

hey... eu posso baixar pelo PS3, salvar no pendrive e instalar no PC

...

eu falei isso alto?? merda


BTW multiplayer no Rapelay??? WTF, +e quem consegue estrupar mais ou um co'op com seu amiguinho sick-fuck de preferencia, anlendo mais, +e online??


PS sorry por qualquer erro de digitaçºao, o PS3 nun entende algumas teclas do meu teclado e coloca ums caracteres errados ^^

Satoshi disse...

Eu aceito um parceiro para Rapelay!

Quem se habilita?

Wohoohohohoho

ChuckNoia disse...

ME ME PIC ME !!!!


aushaushuashuasha se agente é o futuro da humanidade (ainda nun me formei) a humanidade ta beeem fodida

Frodo disse...

Meu Deus, vocês estão me assutando! o.O

Satoshi disse...

Bwa ha ha ha ha

Eu sou o futuro da humanidade!
.
..
...

...

...

...

♪ Se fuderam, se fuderam, se fuderam, se fuderam, se fuderam ♪

ChuckNoia disse...

sic-fuks cantem cumigo!!!


"WE ARE D WORLD, WE ARE THE FUTURE, eu esqueci a letra, mas q sefoda, vcs tºao fudiidooos"

uashuahsuahsuahsuahsuhas

ChuckNoia disse...

BTW se vc esta cum medo dos nossos comentarios, expereimenta ver nossas (pelomenos a minha eu agarantiuu) HD

aushaushaushaushuashua


brinks nun tem porn no meu PC

mas nomeus PSP..... suahsuahsuahsuahsuahsauhs

fabricio disse...

Satoshi, baixa Rapelay pra mim que eu quero jogar tbm!!! pena que minha conexão é uma tartaruga asmática e meu computador é um velho esclerosado... Quanto a estar perdendo a humanidade, quem se importa?? eu pelo menos, não muito... contanto que tenha alguém pra fritas os salgados, eu encontre o porn básico e possa jogar meu Pac-Man de cada dia, não me importo... =P

Satoshi disse...

Sinceramente, 95% da humanidade desmaiaria ao ver meu HD.

Sick-fuckness extremo, cara... Gore (do real mesmo), anime gore (bonitinho até), todos os tipos de perversão (de toddlercon à futanari e furries e tenho até umas coisas que eu só posso descrever como "yaoi de dragões" (e tenho uns bons desses)), scat, new-halfs, BDSM e a lista vai e vai~~

De jogos hentai eu conheço pouco, though.

O único que joguei foi Enzai, que é bem legal, apesar de eu não ter terminado e não ter, portanto, visto a conclusão do enredo (sim, tem enredo, por incrível que pareça).


E mesmo com tudo isso eu não saio por aí buscando japonesinhas de 8 anos para fantasiar de Sakura e filmar um vídeo cosplay pornô.
(Nem tenho vontade, se alguém estiver imaginando).

Bruno disse...

Peralá, a gente é o futuro da humanidade?

Se fuderam da hora agora, canalhas, todos canalhas.

Eu queria abaixar Rapelay também, mas se meus pais vêem esse game, eles me comem vivo.

E que pena que amanhã é segunda né galera?

Mas é uma bosta mesmo.

Álias, continuo querendo o game da professora.

Ela é muito gostosa.

...

Já disse que estou perdendo a humanidade porra, parece que não entende.

Bruno disse...

Álias, nunca joguei nenhum game porno.

A não ser os flashs, é claro, mas são muito paia.

MatheusTeixeira disse...

satoshi! você é doente!!!

nossa cara, e eu achava resident evil violento! rapeplay foi o apice do grotesco!!...embora um artigo mto tenso, mas um bom artigo!

Amer H. disse...

Prometo que o próximo artigo vai ser mais leve, por hora, quero dizer que vocês são todos uns sick-muthafuckas!!!

Henrique, não apaguei seu comentário. O Blogspot deve ter dado um erro ou alguma coisa na hora de salvá-lo.

E... é isso.

ChuckNoia disse...

satoshi eu nun vejo o problema em furrys (lol ums 55% dosmeus hentais são desse jeito) e yaoi de dragões ja esta bem comun hj em dia, oq deixa sua HD sick-Fuck é mais os gore's mesmo^^

Quanto amin, cabei de acistir um hentai de incect rape no PS3 ( lol tava comendo pipoca e tudo suahsuashuahsuahsuah)


temais pessoal, vo dumi e resem pro amer nun deletar tudo isso pela manha usahsuhasuhasuha



BTW descobri aonde fica o ~ dessa merda hooray pra min ^^

Bruno disse...

E sobre o que vai ser o próximo artigo porra?

Satoshi disse...

Tem mais coisa aqui, na verdade, mas são coisasque eu prefiro não citar.

A lista acima é apenas a lista "divulgável".


Eu sou um sick-mothafucka completo, Amer. Deve ser por isso que estou fazendo Psicologia, hehehe...

Alguém aí quereria se tratar comigo? Hauhauahuahuahauauhau

David disse...

Frodo, tô com vc.Esses comentários estão ficando cada vez mais esquisitos!!
Acho q deviamos assistir um pouco de "Espaço-bobos - tem um louco solto no espaço" ou uns episódios de Transformers que tá passando no Cartoon tomando uma caneca quente de Nescau.

Satoshi disse...

Ugh, não fale de Nescau.

Eu acabei de fazer um copo de leite gelado com Nescau pra eu... a droga do leite já estava passado (eu tomei mesmo assim, mas não foi muito bom).

Avalanche(Lance) disse...

Ainda estamos programando a destruição do Japão?

Satoshi disse...

Nem pense.

Eu sem lolicon e futanari não vivo!

Deixa o Japão lá quietinho.


Sabe o que vai acontecer se o Japão se for? Fornecedores de material doentios vão entrar em falta e o resto do mundo vai ter que absorver a demanda. Na prática isso significa que, sem Japão, quem vai ter que fazer quadrinhos de robôs estuprando garotinhas de 6 anos vai ser eu, seu vizinho, seu amigo de escola, etc.

Deixa o Japão lá quietinho.

Thalles disse...

Amer , nao estou achando um video do Valis X , onde tem?

[2]

Frodo disse...

Eu, na minha tenra infância, achava que as garotas tuti-fruti e catálogo de calcinhas o top da pornografia...

E agora, lendo o comentario sobre o HD do Satoshi e não entendendo metade daquilo, estou me sentindo o homem mais puritano da terra!

Ninguêm tá afim de comentar um assunto mais leve não? tipo filmes da sessão da tarde como "curtindo a vida adoidado", ou sobre o Decathlon do atari que destruia o joystick ou até sobre toranjas? =P

abraços e uma boa semana a todos! (huhuhu tou feliz, essa semana minha carga horaria do serviço é ridicularmente baixa! \O/ )

Amer H. disse...

Thalles, não tenho a menor idéia de onde encontrar videos de Valis X.

Procura pelo site oficial que tem imagens o suficiente pra te deixar feliz.

Avalanche(Lance) disse...

Bem admito que acho futanari engraçado pra caralho:P

mas tem coisas como crianças de 6 anos grávidas, sem braços e pernas sendo estupradas por animais...que eu acho que devemos destruir o Japão logo antes que ele dê o próximo passo.

Thalles disse...

Amer , eh a terceira vez que posto no seu blog , mas é a 1ª que te elogiu:Voce tem um blog OTIMO!
Voce realmente faz agente[pelomenos eu] deixar o tedio de lado!Otima historia!

Matheus Vitorino disse...

O_O Este artigo me lembrou de transformers kiss players...

guilherme.kinni disse...

Não se preocupem em perder a humanidade, eu mesmo já perdi e recuperei ela tantas vezes que se tornou uma coisa casual.

Por exemplo: Houve uma época em que eu passava o tempo fazendo cute yiffs(please DON'T google it) e divulgando na internet.

...

E já fiz coisas piores.

Euclydes disse...

alguém que falou em sexo entre irmãos: no brasil a palavra é incesto (nao sei nos EUA).
jailbail: a tradução "porta de cadeia" é muito boa e apropriada, "bail" significa fiança e "jail" cadeia ou seja, aquela mina de 16 que parece ter 19 e que já fez coisas que até o grimlock duvida! (ou seja, dá pra ser solto por fiança se te pegarem fazendo algo com uma mina assim...)
esse papo de sexo/violência é meio doido! minha opinião (quem se importa?): enquanto está só no desenho/animação não tem problema (acho que em fazer nada) é uma boa forma de extravasar os sentimentos. ou seja, transportamos para aquilo que é lúdico e prazeroso todos os nossos sentimentos mais socialmente inapropriados (agora falei bonito, hein?) evitando assim sua prática no seio (olha o pensamento bobo...) da sociedade.
acho que se o Hitler tivesse jogado uns jogos desses ele nao teria causado a 2ª guerra mundial (talvez fosse até um cara bacana, com família e tudo mais...) quanto ao Bruno, continue jogando esses jogos, leia muita putaria e afins, assim evitaremos a 3ª guerra mundial.
FRODO: por isso gosto muito de vc: falemos de toranjas (menos aquelas de cor fúcsia e que usam roupa de couro e chicotinho, OK?).
outra coisa: sabe o que é que dá mais ibope em termos de mídia (qualquer uma)? resposta: Sexo e Violência: por isso, é natural juntarmos tudo num "mix" e termos tanta coisa que fale em "sexo violento".
falei de mais (de novo, droga!!)
Fui!

Bruno disse...

Além do mais, quase tudo que contém sexo e violência faz sucesso.

God of War, por exemplo.

Satoshi disse...

Yiffs são demais! Eu curto...


Aliás, diga-se de passagem que eu, sick-fuck do jeito que sou, tive a infância mais puritana do mundo. Nunca joguei jogos violentos, nunca assisti a desenhos violentos e amorais (minha mãe me proibia de assistir até Digimon e Pokémon e esse tipo de coisa, já que era "do demônio") e eu cresci sem humanidade e moral nenhuma.

:P

E vão me ter nojo disso, mas futanari e lolicon são as coisas que eu mais gosto no universo porn. Sim, infelizmente eu prefiro ver um desenho de uma mulher com detalhes a mais comendo outra a assistir a um bom porn comportado normal. A não ser que seja um futanari da Vida Real(tm), mas desses aí é desesperadora a falta de qualidade.


Tem uns yaoi lemon de vez em quando também que são por demais interessantes, hehe...


Mas eu não acho que tenha menos humanidade que ninguém aqui...

--

Mas falemos de coisas leves:
Eu adoro desenhos da Disney. O Corcunda de Notre Dame é demais! Mulan idem.

Kung Fu Panda chuta bundas!

Pedro Penaforte disse...

Pois é, os japoneses não curtem estrangeiros, por assim dizer, e os otakus idiotas são loucos pra serem japoneses. Mas se os japoneses realmente se respeitam, porque então nenhum personagem japonês parece japonês? A verdade é que japoneses se odeiam, daí vem tanta coisa doentia de lá, é um processo de auto-destruição.
Japones tem preconceito com ocidental, mas tem preconceito maior ainda com eles mesmos.

Agora peraí que vou baixar Rapelay, tenho que ver pra crer, certo "Elmer"?

Satoshi disse...

Pois é, os japoneses não curtem estrangeiros, por assim dizer, e os otakus idiotas são loucos pra serem japoneses.

Uma coisa não tem nada a ver com a outra. E não use generalizações estúpidas como essa.

Mas se os japoneses realmente se respeitam, porque então nenhum personagem japonês parece japonês? A verdade é que japoneses se odeiam, daí vem tanta coisa doentia de lá, é um processo de auto-destruição.
Japones tem preconceito com ocidental, mas tem preconceito maior ainda com eles mesmos.


Olha, nem eu sabia que eu me odiava. Eu escrevi contos em que os personagens eram um grupo loiros monges que moravam na Sibéria (não, não era um conto yaoi).

É claro que se você tem apreço por si mesmo a única maneira de demonstrar isso é usando você mesmo como molde para tudo, que idiota não sabe disso?

João Miguel disse...

Um dos melhores posts dos últimos tempos. Consegue ser engraçado mesmo quando aborda assuntos tão polêmicos e, mesmo assim, não são risadas em vão. A gente termina refletindo.

Acho, até, que o diálogo com o camarada Satoshi deveria ser parte integrante do post, pois ele complementa algumas coisas muito interessantes sobre o assunto.

Mandou bem.

guilherme.kinni disse...

Euclydes: Não se preocupe com o Bruno, se as coisas esquentarem e estiverem a beira da 3° guerra mundial eu e ele podemos nos reunir, tomar um cházinho e destruir plutão para descontrair(nunca gostei de plutão)

Satoshi: Bom saber que alguma coisa que eu fiz durante a minha era negra acabou sendo curtida por alguém.

E

Kung Fu panda é demais! Eu acredito sinceramente que a história dele foi inspirada numa fase da vida do Amer.

Pedro Penaforte disse...

Satoshi, assim como o "Hammer" eu disse sobre a maioria, e isso é fato, a maioria dos japoneses nã ogosta da própria aparência, nem da própria vida, então usam jogos e desenhos como escape pra isso. Fazem nos jogos o que não poderiam fazer e ser na vida real, então eles são altos e loiros e estupram garotinhas no metrô. Como você mesmo se citou como exemplo, você gosta do tal FUTANARI, ou seja mulheres com pinto. PINTO, CARA! Tudo bem, não aprovo mas respeito sua opção sexual, mas gay ou não o cara preferir um desenho do que algo real é loucura.

Não são todos, mas isso acontece com provavelmente a maioria. Como disse o "Amber", tambem gosto do japão e gostaria de conhecer o país, mas que tem essas coisas tem. E pra suprir essa legião de pessoas sem vida fazem coisas como esse Valis X, e RAPELAY

E Undertaker não aprova mulheres com pinto

Frodo disse...

Euclydes: já assistiu "tomates verdes fritos"? imagina uma versão toranjesca disso! o.O E sobre o ibope eu concordo plenamente, vide o Datena e a extinta banheira do Gugu.

Sobre o Japão, eu disse e repito: Já tentei, mas simplesmente não entendo a cultura. Mas eu ACHO (só acho) que se todas essas loucuras pornográficas fossem feitas no Brasil, ia ter centenas de pessoas falando bobagens do tipo "ahhh só no Brasil mesmo" ou "é por isso que o Brasil não vai pra frente!", como dizem do carnaval, por exemplo.

Lembrando que não sou nacionalista (muito pelo contrário) e acho esse país uma mierda...

Satoshi disse...

Satoshi, assim como o "Hammer" eu disse sobre a maioria, e isso é fato, a maioria dos japoneses nã ogosta da própria aparência, nem da própria vida, então usam jogos e desenhos como escape pra isso.
Outra generalização idiota. Quem disse que japoneses não gostam da sua própria aparência?
Isso me soa como aquele papo de que os japoneses acham os ocidentais mais bonitos (sim, isso me traumatizou pois isso caiu num vestibular. UM VESTIBULAR com uma MERDA dessa!), o que é idiotice das grandes.
Os japoneses valorizam muito suas características sim. Não apenas isso mas os japas normalmente têm dificuldade em diferenciar ocidentais (assim como nós temos problema diferenciando orientais).

Fazem nos jogos o que não poderiam fazer e ser na vida real, então eles são altos e loiros e estupram garotinhas no metrô.
TODOS os seres humanos do mundo fazem isso e isso não é demérito nenhum. E, novamente, japoneses não querem ser altos e loiros. Isso é bullshit.

Como você mesmo se citou como exemplo, você gosta do tal FUTANARI, ou seja mulheres com pinto. PINTO, CARA! Tudo bem, não aprovo mas respeito sua opção sexual, mas gay ou não o cara preferir um desenho do que algo real é loucura.
Eu não preciso da sua aprovação mesmo. E eu curto mulheres com pinto sim, e daí?
Para mim o Ronaldinho deu é sorte, é dificílimo achar new-halfs/shemales decentes (se bem que eu não vi elas, mas se dava para confundir tá ótimo).
Além disso, curtir Futanari (e mesmo travecos) não significa que eu sou gay.
Mas não vale a pena eu explicar essas coisas para ignorantes.

E pra suprir essa legião de pessoas sem vida fazem coisas como esse Valis X, e RAPELAY
É por isso que eu digo: se é para falar o que não conhece, porque abrir a boca?

E, finalmente, se o Undertaker tem um problema comigo, ele que venha aqui resolver cara-a-cara.

(wohohohoh, tô me sentindo tão machinho hoje...)

--

E Amer, estou seguindo a sua idéia: foda-se quem lê, eu escrevo do jeito que quero!

Está sendo liberante jogar termos em inglês no meio sem se preocupar com quem lerá.

Avalanche(Lance) disse...

"Bruno disse...
Além do mais, quase tudo que contém sexo e violência faz sucesso.

God of War, por exemplo."

Bem relativo isso, o Sexo do God of War está longe de top10 coisa smemoráveis do jogo, a própria violência é afogada na jogabilidade, história e os cenários espetaculares.

ChuckNoia disse...

lol qanta coisa conteceu em 1 dia

bem eu prefiro hentai a comon porn

e so pq curto furry, nun quer dizer q curto zoophylia

do mesmo jeito q o satoshi pode curti futanari enunser gay

Pedro Penaforte disse...

Tas brincando? Você curte mulheres de tromba e não é gay? Lembre-se, não são mulheres, são HOMENS Ronaldo, "elas" tem barba, pelos no peito... E PINTO, CACETE, PIROCA ou como você preferir chamar

Como eu disse, pode ser o que quiser ser, mas que gostar de homem é ser gay isso é, e gostar de desenhos de maneira sexual é loucura e japonice, assim como gostar de Lolicon furry e outras demências... Ser um cara viciado em coisas como Rapelay não é normal, claro é apenas um jogo se você encara como tal, o que pelo que você disse não é o seu caso


E Olmer, seu blog é ótimo, e estou louco pra ler a OldGamer. Espero que aceitem matérias de leitores

Satoshi disse...

Uma pessoa ser homem não envolve apenas aspectos biológicos. Um travesti NÃO É considerado "homem" senão no sentido biológico.

Vai estudar um pouco, vai.


Eu não disse que não sou gay. Eu sou um sick-fuck, não dá nem para classificar meus gostos em porn (adoro porn yaoi, por exemplo, mas porn gay real é muito difícil achar algum que agrade).

Mas existem MUITOS homens que curtem futanari e travecos mas não sentem a mínima atração por outros homens.

Eu sei que é complicado para sua cabeça pequena entender que há diferença entre sexo, gênero e orientação sexual. É uma pena. Deve ser mais um que acha que todos os travestis são gays.

Avalanche(Lance) disse...

Defendendo o Satoshi apesar de smepre discordar dele.

O Futanari não tem nada de gay, aliás uma das qualidades dele é que NÃO TEM HOMEM na cena, e na boa...por mais que seja bonito duas lésbicas gostosas se beijando...na hora da cena de sexo....da aquela nosão que falta alguma coisa:P

Futanari é uma cena de lesbianismo...sem ter o infeliz de um homem^^

Satoshi disse...

Eu nem gasto mais neurônios para decidir se Futanari é gay ou não...

O que interessa é que é bom :P

Amer H disse...

Pedro, vou tomar o partido do Satoshi dessa vez.

O fato é que Japoneses fazem desenhos "que não tem cara de japoneses" porque é o estilo do quadrinho deles. Mangá é estilizado, por isso todo mundo tem olho grande e traços pouco orientais.

Se você ler um Gekigá, que é como são chamados os "mangás para adultos" verá que os personagens são mais realistas. Histórias desenhadas por Ryoichi Ikegami (como Sanctuary e Crying Freeman) tem Japoneses com muita cara de Japonês. Assim como a obra Prima Akira e Lobo Solitário, que possuem ambas personagens com traços Orientais.

Se os Japoneses se odiassem tanto, não ridicularizariam tanto os ocidentais como costumam fazer.

Quanto a Futanari, eu não gosto, mas pessoalmente acho MUITO MENOS RUIM que certas coisas.

Já ví uma história que uma menina de cinco anos pegava o pai transando com sua irmão mais velha e ficava com ciúmes e pedia pra ser traçada também. O pai, como progenitor responsável, satisfazia o pedido da filhinha.

Honestamente, uma mulher com pinto é na minha opinião bem menos ofensivo que isso. Especialmente porque os Futanaris que ví não tinham crianças, o que já é um tremendo ponto a favor.

O que eu não suporto no erotismo Japonês são quatro coisas: Sexualização de crianças, estupros, escatologia e a fixação de Japoneses em humilhar mulheres.

Se as duas personagens forem mostradas como curtindo o sexo, sem uma subjugar/humilhar/forçar a outra, podem colocar quantas mulheres de pinto trepando eles quiserem.

Satoshi disse...

Nossa, o Lance e o Amer concordando comigo!

Estou me sentindo tão importante agora!

Pedro Penaforte disse...

Eu entendi Amer, como eu disse o cara gosta do que quiser, ele tem a opção dele, se ele gosta de pinto isso é claro que é problema dele. Mas no caso, como você citou em relação ao Rapelay, os caras usam como escapismo, o problema não é se ele gosta de mulher ou traveco, o problema é que não é normal alguém preferir mangá do que gente, em situação alguma, seja gay ou hetero.

E eu sei que tem mangás diferentes.
Conheço Crying Freeman e Akira, sei que não se encaixam no estereótipo, e sei do estilo normal de mangá, que eu até gosto. Mas que acontece muito de tentarem fugir da própria sociedade através de animes e jogos isso acontece. Não são todos, mas nas suas palavras Amer

"Não estou dizendo que o país inteiro é podre, mas o suficiente dele é. Não venha me dizer que não."
E foi isso que eu quis dizer, não generalizando

Frodo disse...

Bem, pra mim o cara pode gostar de de sexo em desenho, revista, com homem, mulher, travesti, animal, cadaver, pé de alface, toranja, tubulação da casa... não me interessa, pode me incomodar de verdade, mas mantenho meu total respeito pela pessoa. Afinal, se fizesse parte da nossa cultura, talvez achássemos normal! =P

Mas o que me tira facilmente do sério é desrespeito. Por isso quase não falei no post do Holy Avenger (para evitar desrespeitar o próximo), por isso fui bem chato nos meus comentarios no post dos whestlers durões e por isso tou sendo chato agora.

Criticar um cara pelos gostos que ele tem é tolice. Enquanto ele está realizando suas vontades sem fazer nada contra a lei e contra a vontade de outros, não há nada de errado.

Lembrando que isso é somente minha opinião e estão todos liberados para discordar e para me mandar a merda! =P

Abraços e boa semana a todos!

fabricio disse...

OMFG!!! Satoshi, eu lí a muuuuito tempo uma revista de Futanari e nem sabia... achei bizarro, mas gostei do traço... pra mim era hentay, pura e simplismente, só que tinha uma mina com um paio no meio das pernas... XD

Alguns dias me sinto mais propenso a ver minha pasta de ecchi, outros, pego aquele DVD da Bruna surfistinha, mas pra mim é porn de qualquer forma... e não vamos criticar o porn dos outros, vamos???

vamos?...

realmente espero que não, pois estamos em um país livre, e o Satoshi não respondeu se vai baixar Rapelay pra mim...

Avalanche(Lance) disse...

Ta Pedro...agora tu ta desvirtuando tudo oque disseram e oque conversaram simplesmente pra ofender.

-_-'

Satoshi disse...

Se você achar link eu baixo (y)

Pedro Penaforte disse...

Ah, deixa disso. Onde que eu ofendi? Só disse que não acho normal o cara preferir um desenho do que uma mulher

Satoshi disse...

Ninguém aqui disse que prefere desenho a mulher, cara, deixa de criar polêmica por nada.

Satoshi disse...

Sou mesmo, algum problema com isso?

E é justamente por conviver com travestis, trans, gays, fãs de futanari, de lolicon e a porra louca toda é que eu posso dizer que futanari não é coisa gay.

Na verdade, eu nunca encontrei NENHUM gay que curta futanari. Mas eu não sou como certas pessoas aí, por isso não digo "não existe". Só que eu nunca vi.

---------------

E sério, tem dias que eu sonho com o Line Trap...
http://www.youtube.com/watch?v=BXN86-XfmSM&feature=related

Fala sério, não é pra casar com um(a) dess@s?

Eu acho que estou apaixonado~~~

Frodo disse...

Ae, alguem quer picolé de abacate?

Sério, tem gosto de sabonete! =/

Amer H. disse...

Que fique clara uma coisa: aqui é um espaço aberto pra discussão desde que a mesma se mantenha civilizada.

Quem entrar aqui só pra ofender e bancar o macho de internet vai ter o comentário deletado sem misericórdia, como eu fiz com o do "Patinho Dotty."

Aqui não é site de putaria, tenham um pouco mais de nível.

Pedro, alguém preferir erotismo desenhado a erotismo filmado não tem nada de anormal. Eu mesmo já preferí em várias ocasiões.

O caso do Satoshi deve ser parecido com o meu e o de muita gente, que fica de saco cheio do erotismo normal por ser algo extremamente mecânico e não excitante.

Ninguém é obrigado a gostar de uma loiras entupida de silicone que fica fazendo caras e bocas e se esforçando ao máximo pra "ser sensual."

No quadrinho (ou animação) do gênero, exploram situações e fantasias, que eu pessoalmente acho muito mais interessantes que os "enredos" de filmes do gênero: homem encontra gostosa no bar e quatro segundos depois ambos foram teletransportados para um quarto e estão mandando ver.

Um sujeito preferir erotismo desenhado não significa que ele vai deixar de passar tempo com garotas na vida real pra ler mangá. Isso é um raciocínio muito pequeno.

Quanto ao escapismo dos Japoneses, qual país não tem escapismo?

Americanos tem Comics, Europeus tem seu próprio estilo de quadrinhos também (que não me lembro o nome específico nem pra salvar minha vida) e por aí vai.

Ao mostrar Rapelay e outras coisas, quis mostrar que o Japão não é o país das maravilhas que muitos otakus pensam. Lá não tem o moralismo besta que existe em países fundados no Catolicismo e isso é uma coisa positiva, mas também é um país que teve desvirtuações de sua moral ao longo dos anos.

Novamente, não vejo nada de errado em Futanari (e até concordo com o exemplo que o Lance deu a respeito, sobre "faltar alguma coisa" em erotismo com lésbicas), contanto que ambas as partes sejam mostradas dando consentimento para o ato.

O que eu acho absurdo é mostrarem o estupro de uma mulher e suas filhas como diversão.

Claro, em GTA podemos sair matando gente, mas os jogos sempre foram muito cômicos, produzidos para não serem levados a sério e mesmo esta série tem seus limites.

Um jogo que lhe permite deflorar uma criança enquanto ela chora e pede pra morrer... bom, tem algo de errado com alguém que se diverte com algo assim.

Isso é assunto para um manifesto, como eu discuti com o Satoshi, mas sair rotulando os outros de "viado" e "anormal" faz você perder toda a razão.

Mesmo porque o indivíduo atacao só quis defender uma cultura e em momento algum endossou estupro, que foi a coisa que eu mais critiquei aqui desde o começo.

Pedro Penaforte disse...

Mas eu concordo com parte disso Amer, mesmo não preferindo hentai, mas o Lolicon que ele citou é exatamente isso, pornografia com figuras de crianças, seja em situações consentidas ou não. Mas não ofendi. O cara gosta do que ele quiser, não vou xingar por isso

E quanto aos outros estereótipos do texto, não achei eles tão ofensivos assim, o Roy Bromwell por exemplo, nem é realmente estereotipado, muito pelo contrário, ele é meio mala, mas no fim ele vira até presidente dos EUA, e a Tiffany primeira dama. E a figura da negrona por exemplo, acho uma tolice censurarem. Se fazem brancos com nariz enorme por exemplo, por que não podem retratar os negros também como caricaturas? Acho que é mais pelo papel que tal caricatura ja teve na sociedade do que pela caricatura em si. Aaaliás, faltou citar a Jynx de pokémon, caíram em cima falando que ela é um estereótipo

Euclydes disse...

ELUMER, bom dia!
como vc anda escrevendo difícil aqui nos comentários, sou forçado a usar o léxico para entender melhor as coisas:
"escatologia"
es.ca.to.lo.gi.a
sf (escato1+logo2+ia1) 1 V copro­logia. 2 Literatura obscena. 3 Interesse pelas coisas sórdidas ou obscenas (em literatura, p ex).

"escatologia"
es.ca.to.lo.gi.a
sf (escato2+logo2+ia1) 1 Ciência ou teoria do destino ou propósito últimos da humanidade e do mundo. 2 Teol Doutrina do destino último do homem (morte, ressurreição, juízo final) e do mundo (estado futuro). 3 Tratado de escatologia.

agora, diz pra mim, qual "escatologia" vc usou (ou quiz usar) nos últimos posts (aquele que vc diz que não aceita 4 coisas dos japoneses)? aquele que fala NO SENTIDO DE coprologia (eca...) ou aquela que fala em teoria do fim da existência humana no mundo? (papo de doido...)

quanto ao "escapismo":
es.ca.pis.mo
sm (escap(ar)+ismo) Psicol Ato ou tendência de escapar, esquivar-se, fugir de qualquer coisa que seja, ou pareça ser, penosa, áspera, causadora de sofrimento.
acho que não é assim ;P (note minha carinha de... sei lá o que isso significa) , afinal, vimos que muita coisa oriental (antes que me crucifiquem: não tudo) tem a ver com situações penosas ("ohh, aquela mina nao dá pra mim", ou "ohh, aquele cara nao me ama" ou "ohh, terei que dar pro cara mau e bem dotado para salvar a minha melhor amiga de ter que cometer felação nele..." - papo de doido...)

FRODO: o ataque das toranjas assassinas mutantes ninjas: seria o máximo!!! elas rolando por todos os lados dominando as cidades com seu suco cítrico mortal!!! Adivinha quem seria o líder supremo delas?
Hommer Simpson?
Mestre Amer?
Capitão Planeta? não!
É a toranja lutadora de luta livre mexicana, o grande "El Bigodón" Sr. Toranjone!!!! (estaríamos perdidos)

quanto ao último post sobre Luta-livre, hoje revi uma coisa que me fez lembrar sobre as discussões: se LL é esporte, luta, fanfarronice, boitolagem, show pirotécnico, sobrevivência natural do mais forte e mais apto, ou qualquer outra coisa no mundo: cheguei a conclusão que LUTA-LIVRE é a coisa mais bacana do mundo, e que por isso deve ser respeitada por tudo e por todos: O MOTIVO vcs vão me perguntar (o quê ninguém quer saber? ninguém se importa? tudo bem eu sou chato e falo assim mesmo...)
LUTA LIVRE é a coisa mais "cool" do mundo (até mais do que toranjas!!!! ... me perdoe padre, pois eu pequei...) simplesmente porque o PICA-PAU adora LUTA LIVRE! Só!
Com um argumento tão científico e superior quanto este, encerro o assunto!
falei de mais (De novo, fica aí meu comentário-testamento).
Fui!

Euclydes disse...

última coisa...
cada um na sua, mas com alguma coisa em comum (isso nao era propaganda de cigarro? acho que vale pra esse assunto também...)

última coisa (a de cima fica sendo a penúltima)...
sempre que os comentários descambam para este nível, as meninas super cool (Raven, Feh, Nanda, Nelyanne, etc) não comentam nada: fica parecendo o clube do bolinha! vamos falar sobre suco de morango com leite gelado?

última coisa (a de cima fica sendo a penúltima e a anterior fica sendo a antepenúltima, ok?)...
liberdade de expressão e de manifestação (incluindo-se aqui as questões sexuais e morais) é um dos pilares da democracia moderna, seja ela ocidental ou oriental, assim devemos sempre respeitar as opiniões alheias (por mais que sejam estranhas e nojentas) para que assim, possamos também cobrar o respeito à nossas próprias manifestações e expressões!
Para todos, lembro que o que dizemos e escrevemos não pertence exclusivamente à nós: só a metade é nossa; a outra parte é de propriedade exclusiva daqueles que ouvem ou leem, desta arte devemos apenas tomar cuidado com as palavras ditas (e escritas) para que estas não sejam interpretadas como ofensa ou preconceito ou ainda qualquer outro sentimento negativo, por mais que não seja esta a intenção precípua ou final daquele que profere (ou escreve) as palavras! (bonito, não?)

última coisa (a última fica sendo a penúltima, aquela que era penúltima fica sendo antepenúltima e a última que ficou sendo antepenúltima torna-se ante-antepenúltima... dãhh?):
o que seria da toranja fúcsia, se todos gostássemos da toranja cor de laranja? (note: por mais que mudem de cor, serão sempre toranjas... convido a todos para um exercício mental íntimo e de elevação espiritual: tente trocar toranjas... por ... pessoas...) bonito, não? hoje tô um fisólofo!

Euclydes disse...

Esqueci de escrever uma coisa:
Fui!

só mais uma coisinha, tá?
Amer, te adoro e te amo de montão (isso vai pegar muito mal lá em casa... e aqui também...) continue como sempre foi e continue escrevendo este "blog de cultura pop por tonelada!" (é muita cultura pop prá medir em quilos...).

na verdade, eu ia só escrever minha forma habitual de despedida, então:
Fui!

guilherme.kinni disse...

Nossa, o Amer disse que Lobo Solitário é uma obra prima. Ganhei o dia.

E álias, Amer poderia me dizer se é verdade aquilo que eu acredito i. e: O kung fu panda foi inspirado em você

Satoshi disse...

Ninguém é obrigado a gostar de uma loiras entupida de silicone que fica fazendo caras e bocas e se esforçando ao máximo pra "ser sensual.

Amer, você resumiu minha vida!

Feh disse...

Na verdade, só não comentei aqui durante essa discussão boba e preconceituosa porque iria me irritar. Concordo plenamente com o Satoshi.



E..

Amer, você resumiu minha vida! [2]

Feh disse...

Mas enfim, estou morrendo de vontade de jogar Rapelay.. Já tinha escutado falar muito mal e isso me deu muita vontade de jogar, mas esqueci e só lembrei agora que vi o post.. Pensarei em baixar se não for muito grande e não der preguiça..

Nalyanne disse...

Dalhe Euclydes!!!!!!!!!! Eu não acho mais que és um bom adovagado. Tenho certeza que é um ótimo advogado (E eu não odeio os advogados. =]). :D E nem vou comentar os outros comentários... mas agora sei o que signifca fan... (não quero abrir os comentários para olhar. Sim é preguiça) alguma coisa, e prefiria ficar sem saber. Não que seja inocente, mas há certas coisas daquais eu prefiro ser ignorante.

E Satoshi, fiquei com medo de ti... e agradeço a qualquer força superior por não entender nem uma grama do que vc escreveu sobre suck-fuck... ou algo assim... sim, eu sou muito noob em ingrêis. Tanto que quando o Theus começo a ler o Blog eu achava que o Amer era tapado (Sem ofensa) por cometer tantos erros de português, porém depois vi que ele fazia de proposito. :D ... Mas um dia apredendo os ingrêis da vida... sem o google tradutor. XD

E Amer, se já não disse que te amo, digo agora. Te amo. 8) - Agora você tem dois assumidos.


E mais uma coisinha, mesmo tendo medo do Satoshi, eu poderia me consultar na boa com você. =) ... Mas como a Lucia também faz psicologia ela é que será minha possível médica. Nada contra, mas ela já me conhece e é tão maluca como você. :D ...ahhh mas eu amo a Lucia. :) Foi ela que me ensinou a cantar.

Todos tem o direito de gostar do que quiserem. O legal da coisa é saber respeitar o próximo. Um exemplo.
Eu... (Ok não é um exemplo bom)... Bem eu gosto de mangás, animes, quero conhecer o japão, quero aparender a desenhar descentemente, enfim coisinhas legais, tem gente que acha que sou otaku, mas sinceramente eu não sou, tem gente que acha que sou nerd porque sei usar o navegador firefox, pesquisar no google (E achar o que quer (Mas no fundo é só ter paciência)), e tem quem ache que sou uma professora de gramática (Mas essa parte em que sou mais noob), mas eu não sou, me definiria mais como um ser, que gosta de livros, (Até porque a internet é bem recente na minha casa), que gosta de comer (Um dos motivos por eu ser noob, eu tive que aprender a cozinhar - meu orgulho), quem gosta de conversar e acima de tudo aprender. (ok, pode falar, filosofia está no meu sangue, apesar de ser muito noob nessa matéria também)...Bem o povo acha de mais, e sabe de menos. Estou enrolando e divagando de mais e Euclydes eu só comparei os seus comentários com textamentos, porque são maiores que os meus... e as vezes os meus comentários são realmente grandes. (Bom acho que as pessoas gostam de saber o que nos pensamos quando ela publica um texto) É por causa das fics (Odeio aquele maldito "up"), sou viciada nisso... Mas enfim, já falei de mais sobre mim e acho que não foi algo bem proveitoso...

Fiquem na paz e dá linceça que ainda não terminei meu trabalho de português. Ô/

Euclydes disse...

Prá vcs verem: eu coloquei meu grande intelecto para funcionar e mais uma vez cheguei à conclusão errada (em que filme alguém dizia isso?)
Nalyanne, obrigado por tudo!
Fui!

Avalanche(Lance) disse...

Aee Feh...vmos jogar no multiplayers isso[:P]


Mas queria saber como é a jogabilidade...tem que ficar indo e vindo ou apertando uma sequencia estilo guitar hero?[:P]

Amer H. disse...

Até onde sei, tem uma mãozinha na tela e você a controla e em qual parte do corpo das garotas quer tocar.

Mas nem se preocupem em baixar, pois pelo que ouvi falar, o jogo não roda bem em computadores ocidentais.

Satoshi disse...

Meu sistema é em japonês, Amer, acho que roda tranquilo.

Satoshi disse...

Aliás, eu esqueci de falar isso até agora:

Amer, a postagem está ÓTIMA!

Avalanche(Lance) disse...

auhauhah malditos computadores judaico-cristães ocidentais[:P]


o Sangue de cristo tem poder!

Giordano disse...

depois dessa satoshi, tomara que você seja estuprado por uma lula-gigante, seu nojento.

Satoshi disse...

Pô, pessoal, o negócio está em japonês pois eu estou estudando a língua, oras.

Quando eu chegar perto da fluência no japonês eu vou começar a estudar o finlandês, e também vou botar meu sistema em finlandês.
E depois do finlandês, o russo... e assim vai.

Não tem nada a ver com otaku, tem a ver com imersão em uma língua.

Amer H. disse...

Aliás, Kung Fu Panda não foi inspirado em mim.

Eu sou um trapalhão gorducho fofinho e adorável, mas não sei kung fu.

Euclydes disse...

patinho feio, deixa o garoto, liberdade de expressão é o que manda...
nao concordo com ele, mas defendo com unhas e dentes o direito dele de dizer e fazer o que quiser!
nunca achei que diria isso de vc satoshi!
Amer, acho que vc andou experimentando o joguinho do capeta... conta aí vai... (brincadeira....)
à proposito, tira o coment do patinho feio daqui, assim nao dá para conversar!!!!! liberdade nao pode rimar com preconceito!

Euclydes disse...

Fala sério, com uma fotinho dessa: parece coprologia reprimida!
Fui!

Satoshi disse...

Obrigado pela defesa, Euclydes e todos os outros...

Tem até uma fração de solução salina vazando da minha cavidade ocular direita...

Euclydes disse...

só uma coisa, acho que no olho nao tem solução salina, diferente do resto da transpiração da pele...
por favor confirme, pois posso estar errado!
Fui!

Satoshi disse...

Não sei também, mas minhas lágrimas são salgadas o suficiente.

Amer H. disse...

Apaguei seu comentário e vou apagar todos mais que você fizer ofendendo qualquer outra pessoa que aqui esteja.

Aprenda a ser mais educado e tolerante que será bem vindo aqui, mas enquanto bancar o machão virtual, não vai ter espaço no meu blog.

E o Satoshi pode gostar do que quiser, é o direito dele. Nem eu nem você pagamos as contas dele, portanto não temos direito de julgar o rapaz.

Oghma disse...

Acho que a única coisa que faltou foi aquele jogo escroto do Atari em que você era um bombeiro que resgatava uma mulher maluca em cima de um prédio fazendo ela agarrar... com a boca... um dos seus DOIS, hã, bastões. Esqueci o nome, mas você deve saber.

E eu discordo da lista! Boonga Boonga é MUUUUUUITO mais bizarro e deveria ter sido o, er, melhor. Concordo que Rapelay é sinistro, mas nada bate o terror indicador coreano...

Avalanche(Lance) disse...

Oghma:

Cara p post não é um top-ten da vida[:P]


Pior é saber que o Boonga Boonga nem é pra ser um ato sexual,mas uma brincadeira irritante dos japoneses.



...ee por essas e outras eles devem morrer.

Amer H. disse...

Morrer também não. Eles nos deram muitas coisas boas como Godzilla, Ultraman, Transformers (sim, eles nasceram no Japão), filmes baratos de ação onde cada pessoa sangra 190 litros de sangue quando fatiada, Dragon Ball Z, Street Fighter e a luta de Sumô, único esporte do mundo que faz dos gordinhos símbolos sexuais.

E eles nos deram Chiaki Kuriyama também.

guilherme.kinni disse...

Amer: Então devo continuar minha busca pelo verdadeiro.

E todo país têm alguma coisa boa, é só procurar direito que você acha.

Avalanche(Lance) disse...

Sim Walter...eles nos deram coisas maravilhosas...mas em algum lugar do caminho eles se perderam...

Assim como John Lenon e os Mamonas Assassinas o Japõ deve ser sacrificado antes que se auto-destrua...


Lembre-se eles já destruíram os Transformers e o Dragon Ball, quanto tempo acha que demora para eles cogitarem um "Godzilla Girl"?

Amer H. disse...

Dragon Ball eles não estragaram... TANTO.

Eu gosto de GT, especialmente após perceber que a série inteira não faz nenhuma porra de sentido.

Quanto a Godzilla Girl... já fazem filmes de pessoas vestidas de Ultraman e monstros gigantes onde as "coisas" dos atores apareceme eles realizam atos sujos e pouco cristãos.

Pois é...

Euclydes disse...

é isso aí Elmer! viva a censura! e abaixo o patinho feio!

Falando em jogo porn do atari, lembra daquele que era um labirinto, vc tinha que entrar no local indicado e as tesouras corriam atrás de vc. Quando vc entrava tinha que fazer aquele movimento que quebrava o controle tipo torre do atari enquanto a "prêmio" (aquilo é que são gráficos...) ficava sendo completada!

Amer H. disse...

Não foi censura, foi uma moderação pra manter esta parte dos comentários mais habitável.

Dizer que eu apliquei censura, tendo em consideração todos os assuntos que eu falo... não foi um uso correto da palavra.

E lembro desse joguinho, era o infâme "X Man" do Atari.

Nunca joguei, mas a molecada adorava falar disso.

Caio C. Kapps disse...

Hammer, vc vai postar algo sobre o Filme do Dragon Ball?
Eu só vi alguns comerciais e pretendo ir no cinema ver, mai não levo muita fé não...
valewwwwww

Satoshi disse...

Eu vi, por acaso, a parte final desse filme.
SInceramente: blehg!

Amer H. disse...

SE eu for assistir no cinema (o que eu duvido muito, pois acabei de gastar 300 reais em Transformers essa semana) escrevo minhas impressões aqui.

Mas tenho artigos de Dragon Ball engatilhados pra colocar aqui em algum momento da vida.

Satoshi disse...

300 reais, Amer?

Wow!


E eu me achando o cúmulo por ter gasto 60 reais num action figure do Ichigo, do Bleach.

Antes que falem algo, era para minha irmãzinha, viu?

Eu nem assisto Bleach!

Eu juro!

É sério!



Sério mesmo!

Franco disse...

Hum....

Depois de muito tempo sem aparecer, resolvi falar uma única coisa.

Saiba que estou sempre de olho no seu blog Amer.

E sobre a enquete dos jogos de MMorpg's, saiba que sou um testemunho vivo de como essas coisas viciam, já ouvi muitos relatos sobre como esses jogos pode destruir as vidas das pessoas e se olharmos do ponto de vista que os jogos são feitos para entreter e divertir, esses tipos de jogos são criados desde o projeto inicial para viciar e demoniar a mente dos jogadores de forma a gastarem grandes quantias de dinheiro com eles, e isso não e a ideia que nossas mães passam a nós sobre video-games.E mais, os video-games são inocentes, pois a ideia é o desafio e a diversão, não temos que gastar rios de dinheiro para cermos bons, só precisamos ser bons e pronto.

Eu aconselho aqueles que amam esses tipos de jogos que se forem jogar joguem os gratuitos, pois eles existem, mesmo que para você ser realmente bom no jogo eventualmente vai ter que gastar dinheiro(falo isso como ex-jogador que vegetava brutalmente na frente do PC para que meu personagem se tornece uma lenda entre os que nunca ví) mais nem tudo é ruim nesses jogos, também tive meus bons momentos ^^.

Ah quase esqueci, vejo Amer, que quanto mais eu leio seu blog mais eu vejo a quantidade de jogos que você conhece e jogou e zerou e ainda vai zerar, e fora os que as pessoas falam e vc já conhece, me bateu a dúvida:

Quantos jogos vc ja zerou?

Vc joga algum MMorpg's?

Pretende continuar zerando jogos até seus dedos cairem e vc ter seu nome no guiness book como homem que mais zerou jogos na face dessa Terra ?

Se vc tiver um filho uma dia (ou se ja tem) o que vc vai dar pra ele jogar ?

Só por curiosidade :p

Abraços Ô/

Satoshi disse...

Eu, sinceramente, não consigo viciar em MMORPGs.

Sério, o negócio enjoa muito fácil, não tem como.

Avalanche(Lance) disse...

Falando em Dragon Ball...viu que pra comemorar os 20 anos de DBZ vão refazer a série, mas agora só com 100 episódios?(a antiga tinha 291).


Ahh Oswaldo...procurei e procurei e nada da sua revista aqui no SUL.

Franco disse...

Tem como sim satoshi, tente mais um pouco e verá.

Sabia que no japão e Corea's esses jogos são levados muito a sério.

Satoshi disse...

Eu já joguei um monte de MMORPGs...

Mas sei lá... Nunca aguentei ficar mais de um mês nele.


Talvez eu nunca tenha pegado um bom, então...

Franco disse...

É mais o que nos leva a jogar muito, mesmo é as amizades que a gente faz nos jogos mesmo.

Meu msn é cheio graças a isso.

Satoshi disse...

Realmente...


Os MMORPGs que eu mais joguei eram os que eu mais tinha amigos dentro.

Mas sei lá, eles sempre somem na semana que vem, nunca entram no mesmo horário que você...

Com o tempo nem eles contam mais e o jogo enjoa.

Novamente, eu devo ter sido muito azarado...

Franco disse...

Só pode....

David disse...

O último que eu joguei foi um de piratas(não lembro o nome) que era bacana mas tinha esse detalhe de quando eu entrava não tinha ninguem conhecido online.
Tentei jogar um brasileiro de futebol.muito bom por sinal, mas sempre entrava pessoas com o ping mto alto e atrapalhava um pouco.

Realmente aqui tá faltando as meninas que enchem essa página com comentários engraçados e interesantes.

Alguém aqui já assistiu "a ilha dos desafios"?consegue ser melhor que BBB.
abraços

aMt disse...

Chiller é uma coisa de louco! Mas RapeLay! É coisa do capeta!

Euclydes disse...

"Não foi censura, foi uma moderação pra manter esta parte dos comentários mais habitável.
Dizer que eu apliquei censura, tendo em consideração todos os assuntos que eu falo... não foi um uso correto da palavra."
Eu sei mestre Amer, escrevi aquilo só para te encher o saco!!!! (e consegui ha!ha!ha!ha!ha!ha!ha!...ha! - risada malévola)
alquém me ajude: como um ignorante que deveria ser queimado vivo de cabeça pra baixo por tal eresia, não sei o que são MMORPG... (então faltou a opção: não sei o que é mas tenho curiosidade de saber)

mudando de assunto: tô lendo o anime Highschol muscical ... (brincadeira...) é Highschool of The Dead. já li a 3ª revista e vou começar a 4ª. muito bacana (embora o enredo seja manjado à pelo menos uns 150 milhões de anos, quando o primeiro toranjossauro (ancestral pré-histórico das toranjas e demais cítricos nobres) contou uma história de terror em um acampamento de verão), pena que as senas de 'putaria' entram no meio da história sem qualquer nexo, mas mesmo assim é muito legal. alguém já viu? gostou? não contem o final, OK?

Nalyanne disse...

Oiee Euclydes. Bom dia. :D

Bem... simplificando ao extremo, MMorpg's são rpg's on-line. E exitem aos montes.

Segundo, nunca ouvi falar desta sua revista, quiçá lê-la. ... =/
Mas fiquei curiosa. :) Além de ter um enredo pré-histórico, como ela é?

:*

Avalanche(Lance) disse...

São rpgs que na real não tem nada de RPGs[:P]

Amer H. disse...

Respondendo ao Frango, já terminei tantos jogos quanto o Coringa já matou de gente.

Pretendo jogar até o fim de minha vida miserável aqui, mas com certeza tem gente que acabou muito mais jogos que eu.

Não jogo MMORPG. Odeio MMORPG. Nada contra quem joga, mas odeio o que estes jogos fazem com as pessoas.

Não tenho filhos ainda. Pretendo ter uma menina (que quero chamar de Trianna) e ensiná-la a gostar de games, desenhos animados e cinema desde cedo.

Com um ano de idade ela vai saber os nomes de todos os Autobots, vocês vão ver.

Satoshi disse...

Amer, gostei dos seus planos!


Quanto aos meus filhos, eles vão crescer nativos em Klingon, Inglês, Português, Japonês e Finlandês.

Vocês vão ver.

ChuckNoia disse...

david, eu to assistindo des q saiu no CN, e realmente é muito melhor q bigbrother uahsuhsuahsuahs

ChuckNoia disse...

lol, ainda nemser se vou ter filhos, mas se tiver vou encinar eles a jogarem ^^, e tb como desligar o reroprojetor da sala com o PSP Muahahahahahah

Euclydes disse...

Oi Nalyanne pra vc também
é uma história de zumbis que aparecem do nada e começam dominar o mundo (embora acho que eles não querem fazer isso, não sei pq...) enquanto os sobreviventes tentam "sobreviver" e entender o que aconteceu...

disponível em: http://www.jikai.com.br/Projetos/HighschoolDead.htm
também recomendo o site www.avidown.nte.br (não se assuste com a página inicial, desça a tela e verá um link "entre no site")
agora sei o que é MMORPG, ainda prefiro só RPG (embora façam uns 9 ou 10 anos que não jogo nada!)

Amer, um nome "diferente" como esse, só se a sua esposa for tão apaixonada (nerd) por tudo o que vc gosta e ainda assim se os pais dela já tiverem batido as botas, se não vc nao vai conseguir.
e com 1 ano ela mal vai falar "papá" e "mamã" - experiência própria - (imagine ela falando: "memeton" -megatron- ia ser uma graça!), acho melhor mudar para 2 anos aí sim tudo bem...

Frodo disse...

Terei 2 filhos que brigarão constantemente mas se amarão, vão saber aproveitar a vida de forma consiente e serão líderes espirituais tão fortes quanto Alan Kardec.

Ou irão puxar o pai mesmo... =/

Amer H. disse...

Sinceramente, pra casar comigo tem de ser uma nerd enorme, ou não vai me aguentar.

E eu lá ligo pro que os pais dela vão pensar? Eu sou o pai, eles não apitam em porra nenhuma, seja na escolha do nome ou na criação.

Ora!

Franco disse...

Meu filho ou filha (e eu pretendo ter so 1) vão herdar uma mundo no auge do aquecimento global onde só vai haver guerras por comida e água, e eu como bom pai vou prepará-los para esses tempos com muitos jogos de tiro, ação, corrida e alguns rpg's só para ele/ela ter uma chance, depois quando tiver uma meia idade vou introduzir em sua mente muito rock, heaven metal entre outros, salvados por mim da distruição do mundo, e como os sobreviventes desses mundo começaremos uma nova era da humanidade, (daonde eu já terei partido) mais deixarei a ideia com meu filho/filha e possíveis netos que seram os reis supremos do novo mundo.


Hum... Amer é muito jogo mesmo.

Nalyanne disse...

Eu não pretendo casar (Já que isso exige outra pessoa para acontecer) e muito menos ter filhos (O que exige contato físico para acontecer - é essas coisas pouco cristãs mesmo)

... Euclydes já é papai? o.O ...

E para mim arranjar alguém, esse alguém teria que ser mais nerd do que eu.. que continuo estundado e acho que irei estudar por toda a vida. XD .... ... Mas "ele" teria que gostar de pessoas normais e não uma ruiva de um metro e oitenta com cinquenta quilos.(Que já notei ser preferência no publico masculino) =/

Euclydes, histórias com zumbis são legias porque não é possível a (o) personagem se apaixonar por qualquer outro zumbi e nem zumbi nenhum se apaixonar por alguém... eles não tem consciencia. :D Não é igual a vampiros, que de seres satanicos e malévolos se tornaram "vilões incompreendidos"... Mas que mesmo assim acho legal.

Satoshi disse...

Meus filhos vão ouvir música boa desde crianças.

Vão crescer com rock, eletrônico, erudito, experimental...


Imagina um pirralho de 9 anos curtindo isso: http://www.youtube.com/watch?v=TRAAadnpYHs

Ô orgulho!

Amer H. disse...

Eu nunca disse que gostava de ruivas de 1.80 com 50 quilos.

Detesto mulher magricela! Gosto de mulheres saudáveis.

Franco disse...

Satoshi otima musica para tocar no funeral das baixas.

Mas na hora da guerra mesmo a melodia e essa :http://www.youtube.com/watch?v=TTkZt8r2lko

Com isso ele/ela se garante

sobre a ruiva gosto da de 1.80m e 50kg, gosto tambem de todo o resto pra mim basta ser inteligente e pronto,acho que todos nos sabemos que mulheres inteligentes conseguem qualquer coisa de homens... vcs sabem.

ChuckNoia disse...

axo q ninguem disse isso Amer

BTW, eu prefiro alguem da minha estatura fisica (mais ou menos da minha altura e um pouco mais "leve" q eu), mas parece q nos brasileiros ficamos esteriotipados nos nossos gostos pelo sexo oposto(pensam q os homens gostam de morenas/ruivas/loiras peitudas, bundudas e bronzeadas)

Euclydes disse...

sonhar faz parte de tudo, mas digo por experiência própria, na hora H vcs vão fazer tudo certinho como manda o "figurino" (embora isso pareça muito careta...). como não existe manual, vão logo perceber que existe cada "coisa certa" para o "momento certo" (independente do que seja). não adianta querer que uma criança pequena goste de ouvir rock clássico e de filmes de terror (ela vai se assustar). ela vai gostar de música do co-c-ori-có e do desenho do barney (eca) e não é aquele amigo baixinho do Fred Flintstone, estou falando daquele dinossauro fúcsia!!! quando eles crescem normalmente gostam de tudo aquilo que não gostamos e aquilo que queremos pra eles, literalmente eles odeiam.
exemplo: vi uma garota falar que não gostava de rock (beatlles, roling stones, e rock nacional, pq quando era pequena, seus pais gostavam muito e sempre tocava isso na casa dela. ela dizia que ficou meio 'de saco cheio' daquilo.
exemplo2: quantos pais/mães de vcs gostam de jogar videogame e conversar no msn? a não ser se o pai/mãe de alguem for da área de informática ou tiver um parente distante e descobriu essas maravilhas para poder falar com ele... (quem nunca pecou que atire a primeira pedra....)
embora as coisas começem a mudar de uns anos pra cá... então pode ser possível que vcs consigam tudo o que pretendem.
só uma coisa, não dá pra fazer filho por computador, então, precisam sair da frente dos pcs e explorar o inexplorado.
se eu consegui, qualquer um consegue.

P.S.: tenho dois filhos: uma menina (Thayná) de 11 anos e um menino chamado Guilherme de 6 (quase 7)

Euclydes disse...

acho que escrevo demais,
e amer, os pais 'dela' vão influenciar em (quase) tudo, inclusive o nome de sua prole (feio falar assim né?) desculpe, então vou mudar ... o nome de sua filha.
vou ter que falar aqui, (desculpe) há uns 5 ou 6 anos atrás, gostaria que pra VC fosse a Sakura (entende?) pena que não rolou... ou rolou? não importa, não tenho nada a ver com isso.
vamos falar em toranjas? hoje não; não tô afim (que sacrilégio...)
filhos são uma experiência incrível (como dizem na novela da globo: vc renasce no seu filho) então vc vê que todo aquele sermão da montanha que recebia dos seus pais faz sentido... e o aplica nos seus filhos.
e exatamente como eles, vc erra na (grande) maioria das vezes, e fica se perguntando:
será que eu sou um bom pai? será que meus filhos me amam realmente? será que eu estou acertando na educação deles?
todas estas perguntas são naturais do ser humano, e espero que vcs passem por elas! afinal, qualquer pai (ou mãe) sofre com estas questões morais e filosóficas... não há o que fazer em relação a isso.
neste momento, as diferenças trazidas pelos pais em sua educação vão influenciar-lhes na tomada de decisões, as discussões serão quase que inevitáveis... embora com o tempo o casal vai se acertando...

Mas tenham certeza: ser PAI é uma experiência que extrapola qualquer palavra que permita um significado palpável!

falei de mais...
Fui!

Franco disse...

Sabio Euclydes, tá tudo anotado.

Sobre o fato de sair da frente do pc pra procurar mulher, bem estou na casada a algum tempo, mesmo o brasil tendo muito mais mulheres que homens (que bom somos um povo a bençoado na china e 3 homens para 1 mulher)mesm o assim tá dificil mais com o tempo e um poco de jeitinho a gente consegue.

PS: tava escrevendo o poste e vc Euclydes ja postou outro e muito maior como vc consegue?, do jeito que vc fala sobre isso parece uma experencia boa/ruim ao mesmo tempo... espero ser um bom pai...

Satoshi disse...

Amer, já eu adoro mulheres BEM magricelas...


Mas isso nunca foi mais importante que a personalidade, obviamente.


Todas as mulheres que me deixaram idiota não eram nem um pouco perto do padrão de beleza vigente (se bem que para mim elas sempre serão lindas).


E cor de cabelo não me importa muito. O comprimento sim. Nunca consegui gostar de garota de cabelo curto. Nunca. Sei lá... deve ser algum mecanismo de compensação psicológica por eu sempre ter querido ter cabelo longo e meus pais não deixaram até eu ter 16 anos (e crescendo até agora, dois anos depois, yay!).

O fato de gostar de mulheres magrelonas também deve ser algum tipo de bizarrice psicológica por eu ter sido todo gordinho quando criança e ter ficado ultra paranóico com isso (culpa da minha mãe, diga-se de passagem... quando eu parei de ouvir ela eu parei de ligar para isso e me poupei de muitas psicoses futuras).


Enfim, mulher boa é mulher que é mulher (e no meu caso nem isso é importante, hehehehehe).

Euclydes disse...

FRANCO, muito obrigado!
escrevo rápido pq estou acostumado... sei lá....
na verdade, no período pré-socrático eu fiz um curso de datilografia (acho que nem os bancos ainda tinham 'pc's') então acho que isso ajuda (não cato milho, me entende? uso a maioria dos dedos (acho que 7 ou 8) pra escrever, e na profissão de causídico me ajuda muito...
obrigado pelos elogios,
quando chegar a hora, vc vai ver que tudo que eu escrevi estava errado, afinal, para isso não existe manual...
quanto à mulher, também chega na hora certa... você vai ver...
e em relação à ser uma experiência boa/ruim ao mesmo tempo, vc está coberto de razão, é assim que funciona, contudo, os momentos bons superam de muito longe as poucas partes ruins - espere ter que pagar a escola e vários mc'trouxa feliz (se não fosse assim, a humanidade não teria evoluido e dominado o mundo).

SATOSHI, desculpe perguntar, mas quantos anos vc tem? esse papo é sério, digo, de tudo o que vier é lucro? não acho que dê barato sacou?!!! mas cada um na sua!

marmitta disse...

Amer, primeiro quero dizer que esté é o blog mais legal da internet!
não tenho motivos para puxar seu saco, mas em meio à tantos "copy & paste" na internet, seu blog não me deixa entediado em ler os post do início ao fim.

Eu queria fazer um link do meu blog para o seu, sem nada em troca.
você por acaso têm algum banner?

http://marmitta.wordpress.com

sempre que posso falo do seu Blog para algum nerd que conheço rsrrsrs

Você precisa divulgar mais seu blog!! O mundo precisa conhecer!!!rs

Sucesso!

Euclydes disse...

MARMITTA: em nome do Mestre Amer, gostaria de lhe dizer:
SEJA BEM VINDO!!!!!
aproveita e fala um 'oi' para as toranjas...

Frodo disse...

marmitta: só pelo nick merece meus cumprimentos!

Euclydes: Você disse uma coisa que eu acho bem verdade: para mulher e filhos, não existe manual de instrução, quando chegar a hora, vai acontecer...

ChuckNoia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ChuckNoia disse...

marmitta.....

deam it agora to cum fome...

BTW lol Euclydes, seu filho tem o mesmo nome q eu e é exatamente 10 anos mais novo ^^

e satoshi, eu tb queria ter cabelo comprido, mas depois de 1 polegada abaixo do q esta agora ele começa enrrolar e eu fico cum cara de cantor de MPB e new age ausaushaushuahse agora se me dão licença, me vou a jogar flock (espero q valha a pena dollars e 95 nun cai do ceu todo dia).

Bruno disse...

Fala galera, vou viajar hoje, e quando voltar segunda feira, espero ter um artigo novo aqui.

E antes que alguém pergunte: vou pra Guaruja.

...

É, é uma praia.

Falous, e me desejem boa viajem.

Satoshi disse...

SATOSHI, desculpe perguntar, mas quantos anos vc tem? esse papo é sério, digo, de tudo o que vier é lucro?

Whoa! Não falei isso. Eu tenho padrões (e muito rígidos, aliás). Mas, sinceramente, uma boa personalidade compensa quase tudo, cara.

Satoshi disse...

E eu tenho 18.

guilherme.kinni disse...

Pensem num cara impopular com as mulheres.

Sou eu.

Mas quando eu tiver filhos vai ser um menino chamado Recca e uma menina chamada Camila, que brigarão o tempo todo e assim ficarão fortes o bastante para resistir ao holocausto global.

Ah, e vão zerar todos os Contra antes dos 8 anos.

Eu gaantirei isso!

Satoshi disse...

Pensem num cara mais impopular com as mulheres do que o Groxo do X-Man multiplicado por cem.


Esse sou eu.


Eu vou morrer virgem, que nem o Newton, não vou ter filhos.


---


E, aliás, meu pai vivia ouvindo Zé Ramalho, Pink Floyd, Dire Straits, Guns and Roses e umas coisas de MPB... E eu gosto de tudo aquilo até hoje...

Avalanche(Lance) disse...

Ta Satoshi...eu te pago 20 pila pra vc ir no puteiro-_-'

Satoshi disse...

E que disse que eu quero?

Heheheh


A coisa tem que ser com honra, cara...

Pagar não é uma coisa honrada.

Paulo disse...

Daeeww

Dessa vez chegando bem tarde na conversa hehe

O Post ficou exelente (como sempre).

Quanto aos gosto musicais adquiridos na infancia, minha família ouvia mto Led Zeppelin, The Doors, Beatles, Raul Seixas entre outras, e muitas dessas bandas eu escuto e gosto até hoje.

marmitta disse...

oi toranjas!
rsrsrsrsr

Avalanche(Lance) disse...

Ao contrário....sexo pagando é que tem haver com honra.

Sem pagar é que tem haver com amor.

João disse...

Amer. ótimo post. divertido pacas.

existe a possibilidade de haver um post a respeito de jogos em fmv?? os bons (black dahlia, arquivo x - q na verdade é mediano, mas nao fede)e aqueles realmente reuins?

obrigado e continue com o ótimo blog.

Joao

Franco disse...

Oba feriado ou seja muito tempo para comentar YES!

Amer sinto falta dos review sobre filmes engraçadas. U.U

Sobre a populoriedade com as mulheres, pra mim eu acho que se vc conversar com elas, elas conversão com vc.Não tem segredo so aproventar as oportunidades e não falar muita besteira por que ai sim que elas vão querer distancia de vc.

Satoshi bem novinho pra fazer faculdade né.Tenho 17 to no incino médio T.T

Katchiannya disse...

Já aviso aos navegantes que o comentário é bem longo... Tanto que até pensei na possibilidade de mandá-lo em pvt para o Amer, até porque acho que muita coisa do que eu vou falar já foi discutida aqui e acho que não vou acrescentar alguma coisa a mais.

Contudo, o post ficou rodando a minha cabeça e me assombrando a semana inteira, e eu precisava falar sobre ele. Demorou um pouco para eu poder digeri-lo completamente. Aliás, nem sei se consegui...

Talvez alguém diga: ela está falando isso porque é uma garota, e é mais sensível.

Para registro, um dos mangás preferidos da garota aqui é Berserk que tem violência exagerada, mortes, estupros, massacres, torturas e por aí vai. No caso de Berserk, contudo, eu não acho que seja violência pura e gratuita porque ela toda faz parte do clima e do desenvolvimento da história. Mas isso é “outra história para outro histórias ao por do sol”.

Eu acho que este foi um dos posts mais sérios que o Amer escreveu até hoje, até mesmo mais sério que os das propagandas machistas e um pouco mais pesado que o dos brinquedos imbecis.

Tem tantas questões aqui que eu não sei nem por onde começar... Talvez seguir a mesma ordem que o Amer usou no post dele sobre games ofensivos. Preconceito, violência e sexo.

Desde que eu comecei a ler o blog do Amer, uma das coisas que me chamou mais a atenção é que o que está sempre permeado nos posts dele é essa idéia de que “as pessoas não devem se levar a sério de forma tão radical” ou como ele mesmo diria: a gente não deve ser tão fã putinha.

E eu concordo com ele. Por mais que a gente goste de alguma coisa, tem-se que ter um distanciamento crítico para separar o joio do trigo.

È a mesma coisa de achar que uma amizade perfeita é aquela que mesmo qdo um amigo faz merda a gente passa a mão na cabeça e deixa para lá. Eu acho que tem que ser o contrário, amigo faz merda, mostramos ele a cagada que fez e qdo possível, ajudamos ele a limpar.

Bem, nunca me pareceu que o Amer tenha REALMENTE um preconceito contra japoneses , o jeito exacerbado que ele usa nos textos é mais para chamar a atenção para coisas que precisam ser criticadas. Ás vezes ele até exagera um “cadim” mais que o necessário, mas...

Na verdade, por todos os posts dele, eu tenho certeza que ele é fã do Japão e de muita coisa que vem de lá. É tão óbvio.

Eu vejo as críticas dele na realidade direcionadas para aquelas pessoas que idolatram a cultura japonesa sem questionamento algum (ou ampliando para qq cultura em geral). Novamente a crítica são para os fãs putinhas.

E, é complicado mas tem gente que é assim.

Eu tive uma amiga que na fase J-Rocker dela, era extremamente fangirl, a ponto de se sentir ofendida se falássemos que existia outra banda de rock melhor que as japonesas. Lembro de uma discussão em particular que ela estava elogiando o Kgarra por mistura coisas de música tradicional japonesa com rock e começou a sentar pau em cima da música brasileira e que no Brasil não temos compositores bons, nem uma valorização desse tipo de tradição e etc, etc, etc.

Só sei que deu uma discussão acalorada entre nosso grupo, pq, não dá para comparar É o Tchan com Kgarra, claro, mas nós temos coisas boas na música, independente do gosto. Eu adoro, por exemplo, as letras do Tianastacia, uma banda de Minas que tem de tudo um pouco em suas músicas, desde críticas sociais, baladas mais românticas, músicas mais cômicas e que também resgatam no rock algumas tradições do “jeito caipira mineiro”.

Felizmente, a fase fangirl dela passou – quase que logo depois dessa conversa.

Enfim, qualquer cultura tem seus problemas, seus erros e seus preconceitos.

Ainda sobre essa questão, dois pontos.

O primeiro é sobre os “olhões grandes”

O "olhões" não são fruto de inveja japonesa aos arredondados olhos ocidentais ( cansei de escutar essa baboseira ¬¬). Os japoneses consideram os olhos como "portais para a alma", assim, os utilizam para transparecer a personalidade e/ou o estado de espírito dos personagens.
Pelo que eu soube, os famosos "olhões" nasceram, em parte, por causa do teatro kabuki, , do qual dizem que Tesuka (o “deus” do mangá) era fã. Além da maquiagem “kumadori”, que simulava máscaras, os atores usam os olhos como modo de expressão fundamental, abrindo-os ao máximo, ou mesmo chegando a ficar "zarolho" para denotar raiva ou agitação. Tudo no intuito de ressaltar as emoções dos personagens.

Crianças usualmente têm olhos maiores para refletir sua inocência. E, em alguns caos, o mesmo personagem pode ter tamanhos de olhos diferentes, dependendo da situação. Por exemplo, Kenshin Himura (Samurai X/Rurouni Kenshin) e Kirika Yuumura (Noir) variam o tamanho de seus olhos: grande e gentis em situações normais, estreitos e menores durante cenas de batalha.

E, concordo com o Amer que todo país tem seu escapismo. E, aproveitando a deixa, aqui vem minha segunda observação para salvar a vida do Amer caso um dia ele precise.

Nomes de quadrinhos na Europa:Portugal: banda desenhada/França: bande dessinées/Itália:Fumetti...

Pq eu sei esse monte de “coisa inútil”? por causa daquele povo que fica falando que “mangá não é quadrinho, é mangá” (alguns fazem isso com comics). Na essência, tudo é quadrinho, mas, se vamos ser “chatos”, vamos dividir tudo em subcategorias. É meu jeito de lidar com esses “peças raras”.

Quanto a questão da violência, como eu já disse, o que me incomoda é uma idolatria da criminalidade ou da violência por violência. Eu não gosto de muita coisa em GTO por conta disso ou em Carnage (Amer me corrija, por favor se eu estiver errada, mas é esse o nome daquele jogo que se ganham pontos por atropelar velhinhas e bebês e etc?), apesar de eles não serem tão “violentos” qto os exemplos do Amer.

Tanto que o bebe “pop-eye” de Harvester não me incomodou. Coisas como Silent Hill não me incomodam tanto (pq venhamos e convenhamos, tem umas cenas no jogo que são de revirar o estômago, como a “origem” da Alessa), mas pq, por pior que sejam, fazem sentido dentro da história.

Em compensação, Chiller me incomodou absurdamente, pq vc se coloca no papel de alguém que faz outro (ainda que pixalizado) sofrer sem razão alguma. Na minha cabeça eu até tentei dar uma “desculpa” de que se atirava nos torturados pq eles estavam ferrados, era tarde demais, e era o único jeito de livrá-los daquele destino cruel.

Santa inocência, foi só reparar que os pontos também eram dados qdo vc atirava naquela “maquininha” que prendia a cabeça do cara e espremia ela de modo muito doloroso que eu vi minha ilusão cair por terra. Crueldade por crueldade é inadmissível.

Sinceramente, se os gráficos fossem um pouco melhores, Chiller estaria no mesmo nível de perversão de Rapelay.

O que nos leva ao terceiro e último tópico.

Eu não tenho nada contra hentais. Na verdade, confesso que até prefiro hentais a filmes pornôs, pq trabalham mais com o quesito da fantasia de uma forma menos tosca (bom, eu posso estar enganada, vi muito poucos pornôs e muito poucos hentais na minha vida. Não são meu top 1 no quesito de gênero favorito de filmes).

Mas não tenho preconceitos qto a isso, embora tentáculos e futanari não façam minha cabeça.

Eu gosto, por exemplo, de A Lenda do Demônio – muita gente faz oO qdo falo isso, e não foi pelo lado hentai, mas pela história. *Momento spoiler* O que me atraiu foi todo o lance apocalíptico. Aquele final meio Adão e Eva às avessas, dos protagonistas assumindo seu destino trágico, transformados em demônios e copulando continuamente para dar origem a uma nova era de trevas que me deixou de queixo caído. Me lembrou coisas como o mito de Lilith , por exemplo.. As cenas de sexo – e tentáculos – são secundárias diante disso. A verdade é que eu senti falta de desenvolverem mais essa trama apocalíptica.

Admito também que eu li e gostei de Futari H (pelo menos do primeiro número) e li algumas coisas de Love Junkies (que eu não gostei tanto). Mas nem sei se dá para classifica-los como hentai, já que são ero-comedies, que lembram mais romances quase açucarados mas bem mais picantes.

O que incomoda, choca, horroriza, é saber que tem gente que realmente acha divertido gastar horas da sua vida jogando um game onde o prazer máximo é estuprar uma mãe, suas filhas e outras garotas aleatórias, provocar abortos, caso contrário, será morto por deixar “o filho escapar”.

Eu juro que eu fiquei tão estarrecida qdo li sobre Rapelay que bloquei completamente a parte de uma das filhas ter 10 anos assim como a parte do estupro coletivo. Só percebi esse detalhe da segunda vez que li o post.

A verdade é que eu acho que todo mundo tem um lado negro, uma curiosidade mórbida, sabe? A mesma que faz todo mundo parar para olhar um acidente ou faz uma pessoa como o Ratinho ou o Jerry Springfield fazer sucesso. Mas tudo tem um limite...

O fato de serem pixels e não pessoas ou mesmo encenações, "amenizam" a coisa, mas não deixa de ser chocante.

Não vou negar que eu mesma procurei imagens de Rapelay para ver, acho que eu queria ver se era verdade mesmo, pq era absurdo demais para ser.

Acabei encontrando um fórum em inglês que tem exatamente as coisas que o Amer descreveu (as fotos mais chocantes, inclusive da garotinha chorando estão no meio do texto) Aliás, pela descrição do fórum em relação ao post, me deu até para desconfiar que o Amer não chegou a jogar Rapelay .

Eu vi e ainda assim não consegui acreditar. Eu ainda estou chocada demais para acreditar.

Agora eu não acho que esse “culto” a pedofilia seja uma exclusividade japonesa, lá só é mais explicito. Todo mundo sabe que o turismo sexual no Brasil – envolvendo menores, especialmente no Nordeste e Norte, por exemplo, é altíssimo. Os Estados Unidos tem inúmeros sites de pedofilia e até mesmo fóruns de discussão...

Sem falar nas aberrações dos snuff movies - que em geral não são só pedofilia, mas violência e cenas de estupro e outras aberrações, algumas acontecendo em tempo real de exibição.

Como bem disse o Amer, nem só de flores e chocolate é feito o mundo. Contudo, o fato de nos chocarmos e revoltarmos com esse tipo de coisa mostra que ainda somos humanos e que deve existir alguma esperança.

Falei demais, eu sei. E talvez eu tenha sido pedante e redundante. Podia até pedir desculpas por isso, mas, sinceramente, não vou fazer. Eu precisava falar, apenas isso.

Nozynha disse...

Caracas, que coisa horrorosa :/
O ultimo eu fquei super mal, dá vontade de bater nesses japoneses safados...:/

Nanda disse...

Opa!! Nanda na área de novo!
(sim, porque até semanas de 3 dias de aula acabam com minha vida.. Céus!!)

Gente! É tanta cultura nesses comentários! Pena que eu cheguei tarde pra participar da discussão INCRIVEL sobre pornografia! ahahahahah! Mas devo dizer que eu faria coro aos que concordavam com o Satoshi...

Agora vamos pra sessão: comentando os comentários!

- Satoshi: vc tem 18 aninhos?? Awww, que novinho!! [/idosa]

- Bruno: sempre me divirto com seus comentários.. ahahahah! ADOREI isso aqui:
"E antes que alguém pergunte: vou pra Guaruja.
...
É, é uma praia."
AHHAAHAHAHAHAHAHAHAHHA!! Me divirto muito!

- Euclydes: que feio, usando frases famosas e não colocando referencia!! ahhahaha!
"nao concordo com ele, mas defendo com unhas e dentes o direito dele de dizer e fazer o que quiser!"
Se não me engano foi Voltaire quem disse isso, não??
Mas só de vc usar uma frase de Voltaire, tá perdoado!! =*

- Frodo: ADORO seus comentários, Frodo.. Definitivamente... Dou muita risada!
Eu quero comentar sobre filmes de sessão da tarde como "Curtindo a Vida Adoidado".. ADOOOORO esse filme!!
E quase rolei de rir com esse comentário:
"Ae, alguem quer picolé de abacate?
Sério, tem gosto de sabonete! =/"
É que nem aqueles pacotinhos de bala, que a gente SEMPRE oferecia a bala verde, que tinha gosto de privada! ahahahahahahahah!!

- Lance, Nalyanne, Feh: oi pra vcs!! _o/

Ai, tô nostálgica!
E desculpa o comentário mega plus enorme!!
Pelo menos o novo post ta pra sair! ahhahaha!!

Beijo pros que ficam!!

Nanda disse...

Katchiannya ganhou de mim no quesito "reescrevendo a Bíblia num comentário"!

\o/

Nanda disse...

Agora que li todo o comentário-bíblia, só digo uma coisa...

POWER!

Fiquei fã incondicional! ahahahahahahah!!
Realmente excelente!

Avalanche(Lance) disse...

Nossa tempos sem ver a Nanda e ela me coloca num oi genérico¬¬

Nem um feliz páscoa...

E na oba gente...se escrever demais o povo nem tem vontade de ler.

Ainda mais nesse layout dos comentários.

Nanda disse...

Ômodeeeeeus!

Não seja tão carente, Lance!!

E a Páscoa é só domingo! Vou desejar "feliz páscoa" no domingo, oras!

Ó, pra vc ficar feliz:

OOOOOOIIIII Lanceeee!! \o/

Katchiannya disse...

Nanda, obrigada mesmo pelos elogios. ^^

Lance, como eu avisei desde o começo, o comentário era imenso mesmo...

Fiquem a vontade quem quiser ler ou não.

É meio mais um "desabafo" mesmo, sem maiores pretensões. ^^

Bem, aproveitando a deixa. Uma EXCELENTE PÁSCOA para todos!

Nanda disse...

Sério! Curti mesmo os seus argumentos e o seu ponto de vista! Concordo com quase tudo que vc expôs!

Ainda bem que vc resolveu não mandar no pvt pro Halley!
Feliz Páscoa pra vc tb, caso a gente não se "veja" no domingo!!

Feh disse...

Bom, desculpa, Katchiannya, mas eu achei que você levou um pouco a sério demais os jogos o_o

Feh disse...

PS: Nanda <33

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 233   Recentes› Mais recentes»