sábado, 30 de junho de 2018

Crítica do Amer: The Order 1886


Sim, eu sei. Falei inúmeras vezes nas minhas Lives, podcasts e Let’s Plays (SIGA MEU CANAL DO YOUTUBE) que jamais compraria The Order 1886. Nunca ouvi críticas positivas com relação ao jogo, de fato, o único ponto a favor sobre o qual todos parecem concordar, é que os gráficos deste game são impecáveis. Como já abandonei a fase de me dedicar a jogos ruins apenas pela boa aparência dos mesmos (a última vez foi com Final Fantasy XIII), coloquei um selo de “pro diabo que o carregue” em sua capa e o deixei pra lá.

Eis que apareceu uma promoção na Playstation Network, sim, uma daquelas malditas promoções onde jogos caríssimos, por tempo limitado, passam a custar um afago no cabelo. E lá estava... The Order 1886... Por ainda menos que uma simples demonstração de afeto...

Decidi comprar, pois sabia que uma de duas coisas poderia acontecer: 1) Todos os críticos que apedrejaram este game eram divas que não souberam apreciá-lo e eu teria a chance de me divertir muito com um jogo injustiçado, como já aconteceu no passado, ou 2) O game não chega nem perto de ser bom, o que pelo menos me daria a chance de escrever uma crítica engraçada sobre ele.

Adivinha em qual realidade estamos?

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Como consertar a Rey?


Rey é a pior personagem de toda franquia Star Wars, ponto.

Sim, pior que o chorão do Anakin, pior até do que o Jar Jar Binks. Ora, o senhor Binks foi criado para ser o alívio cômico, e embora tenha cumprido este papel tão bem quanto uma depiladora cujo método de trabalho é remover pelos um por vez, com uma pinça, enquanto escuta Faroeste Caboclo em looping, ao menos ele não tinha ambições de ser algo maior.

Ok, exagerei. Rey não é a pior personagem de Star Wars, este posto hoje pertence a L3-37, a droid feminista de Solo. Que foi? Não a conhece? Não me surpreende, nem os próprios atores foram assistir Solo.

Enfim, a menina pode não ser a pior personagem de Star Wars, mas chega perto disso. Fato que é agravado por ela ser a protagonista, e portanto, o pilar da nova trilogia da série.

Mas... E se pudéssemos consertá-la? Reescrevê-la para que se tornasse suportável?

Bem, é isso que faremos hoje.

Aliás, a todos que querem ir aos comentários me chamarem de machista e fazerem acusações de “mansplaining”... E deve ser lindo viver nesse mundo onde palavras que não existem são tão excessivamente usadas... Agora é a hora.

Para todos os demais... Sigaaaaaaaaaammmmmmmmmmm-ME!!!

sábado, 5 de maio de 2018

Crítica do Amer: Vingadores - Guerra Infinita


Pois é... Finalmente chegou: A conclusão para dez anos de hype.

E valeu a pena?

Como diria o Pica-Pau naquela cena do qual todos vocês se lembram mas não sabem o contexto: SIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIM!!!

POSSÍVEIS SPOILERS A PARTIR DESTE PONTO... Mas vamos ser honestos, minha crítica não influenciará na sua decisão de assistir ao filme, você só está aqui porque quer saber se eu concordo com você.

Não é?

NÃO É?

Adiante então.

Espera, esqueci de uma coisa: CHUPA ZACK SNYDER!!!

Ok, vamos lá.

sábado, 14 de abril de 2018

Crítica do Amer: Senran Kagura Estival Versus


Não há muito o que se falar sobre Senran Kagura Estival Versus. De verdade, o jogo tem a profundidade de um pão sírio.

De fato, sua crítica poderia ser resumida da seguinte forma: LOLI, LOLI, TETA, TETA, XOTA, XOTA, CU!

Este é o ponto em que eu poderia acender um charuto, colocar os pés sobre as costas do meu escravo filipino e dar meu trabalho por terminado.

Mas exibirei um pouco mais de profissionalismo e tentarei descrever Senran Kagura Estival Versus de forma mais detalhada e informativa.

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Crítica do Amer: Fallout 4


Se querem saber o motivo de minha pouca atividade na internet nos últimos dias... Bem, aqui está.