domingo, 30 de julho de 2017

Crítica do Amer: Logan


FINALMENTE ACONTECEU! Eu prometi, não prometi? Crítica de Logan! E aqui está, com alguns meses de atraso, quando tudo que havia para ser dito a seu respeito já foi dito, por críticos com ego demasiado inflado, que acreditam que usar palavras como “grandiloquente” de alguma forma engrandece suas críticas de filmes BASEADOS EM QUADRINHOS DE SUPER HERÓIS!!!

Quando na verdade, a crítica de cinema é uma das maiores perdas de tempo de toda história. Vocês já sabem se gostaram ou não do filme, independente de terem o assistido. O público quer apenas ter sua opinião validada por um figura que esteja numa suposta posição de autoridade.

...

Ok, acho que é amargura suficiente para a abertura deste artigo. Vou tomar uma dose de Jack Daniels e dizer o que achei do filme de uma vez.

...

Ok, não é Jack Daniels, é Yakult.

...

Tá bom, é Sukita uva... PAREM DE ME JULGAR!!!

Você não, Logan. Você e o Damien Sandow lá atrás podem me julgar o quanto quiserem

Mas primeiro, uma breve sinopse.

É um filme em que o Logan (Grande Jacó Homem) está velho, mata um monte de gente e coloca o professor Xavier (Melhor amigo do Bob Esponja segundo nome do Rod), na privada, e uma menininha (A ruiva do Scooby Doo... “Keen”) assiste tudo.

Ok, acho que esta foi minha melhor sinopse! Dificilmente conseguirei igualar tamanha eloquência!

Muito bem, agora farei uma sinopse menos intelectual, para aqueles incapazes de acompanharem a velocidade de meu cérebro: A história se passa no ano de 2029, que é exatamente igual ao ano em que estamos, o que impedirá que este filme se torne tão ridículo de ver no futuro quanto De Volta Para o Futuro II é hoje. Neste era esquecida por Morgan Freeman, Alanis Morissete e outras versões de Deus, a raça mutante foi praticamente erradicada, e apenas alguns poucos representantes dela encontram-se vivos, permanentemente se escondendo das autoridades.

Aqui encontramos Logan, velho e amargo, trampando como motorista de limusine para jovens badernistas, xenofóbicos, lazarentos e eleitores do Trump. O emprego paga mal, mas de vez em quando alguma debutante bebe demais e mostra os hambúrgueres para o nosso herói, então existem vantagens nessa linha de trabalho.

Sim, este filme tem nudez! Assim, se você sempre quis ver uma jovem pagando peitinho em uma história dos X-Men, esta é sua chance.

O objetivo de Logan é comprar um barco para que ele e Xavier possam viver em paz no alto mar, longe das perseguições dos Homo Sapiens e próximos de tubarões, orcas, baleias camorras e centenas de outras criaturas plenamente capazes de comê-los durante o sono. As coisas mudam quando uma moça aleatória surge no caminho do canadense, e tenta convencê-lo a levar ela e uma menininha carrancuda para um lugar distante. Nosso herói diz: “vá a merda, sua loca”, mas depois acaba topando, porque senão não teríamos filme.

O caso é que a menina, Laura, foi parte de um experimento que tentou transformar crianças em super soldados, PORQUE ESTE TIPO DE PESQUISA SEMPRE DÁ CERTO, perguntem a Umbrella Corporation. A moça aleatória trabalhou no projeto e eventualmente ajudou as crianças-cobaias a fugirem. Agora, cabe a Logan levar a menina até o fim de sua jornada: O Eden.

Não o da Bíblia, seu louco! Trata-se de um lugar na Dakota do Norte, perto da fronteira com o Canadá e por que picas eu estou te ensinando geografia?

Mas nada é tão fácil quanto parece. Logan, Laura e Xavier tem de escapar da implacável perseguição dos Carniceiros. Eles mesmos, aqueles ciborgues australianos de quinta categoria que empesteavam os gibis dos X-Men na década de 1990, porque Chris Claremont e Marc Silvestri estavam com preguiça de criar algo mais original.

Bem, comparando com o Senhor Sinistro e a Ninhada, os Carniceiros até parecem algo criativo.

Mesmo assim, psicopatas cibernéticos são tããããããããão 1994...

E lá vão nossos heróis, rumo à terra prometida, enquanto um bando de não-Australianos fedidos os perseguem por todo território estadunidense, e em meio a tudo isso, um monte de gente acaba estraçalhada. Porque agora que Deadpool escancarou a censura admissível em um filme baseado em quadrinhos, o céu é o limite.

O longa é baseado na Graphic Novel Velho Logan, e eu escrevi “o longa” pra não dizer “Logan” duas vezes na mesma frase, mas “longa” é um anagrama de “Logan”, o que tornou esta empreitada tremendamente inútil. E seja como for, repeti “Logan” tantas vezes neste parágrafo que a palavra até começou a perder seu sentido. Só me resta repetir mais algumas vezes pra tentar quebrar o recorde de vezes em que alguém escreveu “Logan” em um mesmo artigo e assim tentar entrar pro Guinness.

Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan, Logan.

Isso deve bastar.

Logan é baseado em Velho Logan, uma Graphic Novel onde os Estados Unidos foram conquistados pelos vilões e no qual heróis não existem mais. Aqui, um idoso Gavião Arqueiro contrata o velho Logan para levá-lo à “Terra Prometida”. No meio do caminho, encontram a neta do Homem-Aranha, e os três espalham muito sangue e entranhas pelo caminho, a medida que reencontram antigos inimigos e aliados, em diferentes estados de preservação mental e física.

E nessa história, o Hulk e sua prima bancam os Lannisters verdes e geram um monte de descendentes repulsivos e incestuosos.

Por motivos óbvios, toda essa galera Marvel ficou fora da adaptação cinematográfica, o que acaba funcionando a favor do filme. Logan traz uma história fácil de acompanhar e digerir, que em sua simplicidade, consegue ser muito mais inteligente e madura do que obras pretensiosas como Batman: O Cavaleiro das Trevas.

ISSO MESMO! FODA-SE CHRISTOPHER NOLAN E SEUS FILMES BORRA-BOTAS! “AIN, A ORIGEM É TÃO COMPLICADO, É OBRA DE UM GÊNIO! AIN, COMO EU SOU INTELIGENTE DE GOSTAR, MESMO SEM TER ENTENDIDO PORRA NENHUMA!!! AIN, VOU COMPRAR UM LANCHE VEGANO E DESEJAR LUZ PRAS PESSOAS NO TWITTER! AAAAAAAAAIN!!!”

... Ok, desabafei...

"AIN ... Não, sério... AIN!"

Pois bem, falemos do elenco, que está chutando mais bundas que o Pelé na convenção de imitadoras da Kim Kardashian.

Todos sabemos que esta será a última vez que Hugh Jackman interpretará o carcaju. Digo, o marketing da Fox martelou tanto isso em nossas cabeças, que eu faria uma analogia inteligente aqui para representar isso, se conseguisse pensar em um. Mas podem confiar, toda propaganda do filme, crítica “especializada” e “jornalista” nerd repetiu este fato até ficar sem saliva e ter de usar sachê de mostarda como substituto.

Eu disse que não consegui pensar em analogias inteligentes.

Pois bem, se esta for mesmo a última vez do senhor Jacó Grande no papel, ele deu tudo de si para fazer a atuação memorável. Seu Logan é velho, cansado de carregar o peso do mundo nas costas e tudo que lhe importa é ter um mínimo de paz para viver o resto de seus dias. Sua atuação remete ao “velho caubói”, tão presente em filmes como Bravura Indômita e Shane, que é referenciado impiedosamente ao longo dessa história. É de partir o coração vermos o estado em que Wolverine chegou após tantos anos de aventuras, é por isso que quando Laura surge em sua vida, torcemos para que ele monte no cavalo novamente, para ter a chance de ser um herói pela última vez.

Patrick Stewart também encarna seu melhor “vovô com alzheimer” ao interpretar Xavier. Sempre uma figura paterna e cheia de autoridade, é triste vê-lo como um idoso frágil, no crepúsculo de sua vida, que repete fatos aleatórios  como um velhinho desesperado por atenção e assiste a um filme de sua infância com uma expressão que reflete todas as lembranças da juventude que o mesmo lhe traz. Talvez mais do que Jackman, a atuação de Stewart marca como este é o fim de uma era.

"Logan... Me diga a verdade... Eu trabalhei em X-Men 3?"
"... Não... Foi só um sonho, Charles..."

Mas quem rouba a cena de verdade é Dafne Keen. Agora, crianças no cinema são sempre um curinga (“curinga”, com “U”, é a carta de baralho, “Coringa” com “O”, é o inimigo do Batman, agora você sabe e saber é metade da batalha), pois nunca sabemos o que vai vir. Podemos receber algo como a atuação de Ivana Baquero em O Labirinto do Fauno, ou Jake Lloyd em A Ameaça Fantasma.

...

Droga, Jake Lloyd... Droga... Eu te odeio e espero que você sofra de esquizofrenia um dia.

O que? Ele foi diagnosticado com esquizofrenia?

Ok... Ótimo!

Moleque imundo!

Mas mesmo quando a atuação infantil é boa, ela corre o risco de ser “adulta demais”, como era o caso da Dakota Fanning. Ela era uma excelente atriz mirim, mas não parecia uma criança e sim uma mulher de 40 anos com sérios problemas hormonais que impediam seu crescimento. Era possível imaginá-la ao fim de cada cena, acendendo um cigarro, debatendo se deu ao diretor aquilo que ele precisava para o filme, e esbofeteando seu ajudante filipino por ele ter errado seu pedido do Starbucks.

Dafne não parece uma mini-mulher, ela é uma criança que atua muito bem. Sua Laura possui rigidez e agressividade muito críveis, nascidas de todo abuso psicológico pelo qual ela passou, mas ela ainda tem atitudes claramente infantis, como querer se entupir de Pringles se a chance aparecer e buscar conforto em suas figuras paternas. Ela é incrível, extremamente abraçável e você vai querer adotá-la ao fim do filme.

Mal posso esperar para adotá-la do estacionamento de um supermercado.

Agora, adivinhem qual não foi minha surpresa ao descobrir que o diretor de Logan era James Mangold, responsável por Wolverine: Imortal.

Que não morre no final?

... Ugh...

Enfim, qual não foi minha surpresa? NENHUMA!!! Pois ao contrário de vocês, eu me informo sobre filmes e seus respectivos diretores, pra ter uma ideia de qual será o tamanho da bosta quando chegarem aos cinemas. Mas meu ponto aqui é que é impressionante o quanto Logan é diferente de Wolverine: Imortal.

Pra começar, não tem um velho farelento dentro de um robô gigante.

Mas Logan também é um filme bem mais sóbrio, onde o mais importante é a forma como os personagens se desenvolvem. Existem cenas de ação, mas são bem espaçadas (e muito bem dirigidas, por sinal) e permitem que acompanhemos o crescimento de seu elenco. Mesmo os vilões não excedem suas boas vindas, eles oferecem um obstáculo necessário a jornada dos heróis, mas a história não perde tempo com eles. Não é importante descobrir a história dos Carniceiros, porque ou como ganharam implantes biônicos, ou todos os pormenores de seus empregadores, eles surgem no filme quando necessários e saem de cena assim que perdem a importância para a mesma.

Quando comparamos os dois filmes, fica óbvio o quanto os executivos da Fox se intrometeram na produção de Wolverine: Imortal. O que poderia ter sido uma história profunda sobre Logan descobrir o amor e sua vocação como um samurai moderno, tornou-se uma papagaiada com cenas de luta cansativas, o romance mais mal trabalhado desde Verme Cinzento e Missandei, e o robô gigante mais desnecessário desde aquele trambolho que andava com a equipe SolBrain. Isso porque em alguma pesquisa de mercado, um debil mental disse que gostava de “lava” e “robôs”, e como seria muito caro situar o filme inteiro em Mustafar, a Fox optou por colocar um refugo de Evangelion em sua película.

Eu citei o Batman de Christopher Nolan, pois acredito que é a outra obra do gênero que mais se aproxima de Logan. Falando seriosamente, embora eu goste dos filmes do Cruzado Embuçado que gargareja vidro moído, reconheço as falhas óbvias da série, como sua pretensão absurda e os rombos de roteiro que a tornam menos interessantes a cada nova assistida.

Se quiserem um artigo onde divago infinitamente sobre todos os problemas da trilogia Bat-Nolan, relinchem nos comentários,

Logan não tenta ser mais do que é: Um western moderno, com um herói carregado de tristeza, que tem uma última chance de descobrir o que é realmente importante na vida.

Família, e estar com pessoas que te amam

Acredito que a marca de um bom filme, é que ele fica conosco assim que terminamos de assisti-lo. Queremos debate-lo infinitamente com os amigos, fazemos listas mentais com as melhores cenas, passamos a acompanhar as carreiras de todos os atores envolvidos, invadimos o jardim de suas casas e esperamos o momento certo pra jogar ácido neles... Essas coisas. Logan é este tipo de história, que carregamos por um bom tempo após sairmos da sala de cinema.

Ou no meu caso, desligar o DVD.

Com uma trama bem amarrada, desenvolvimento sólido de seu elenco e uma melancolia palpável, Logan é a melhor despedida que nosso querido carcaju poderia ter das telonas.

... Pelo menos, até o inevitável reboot, quando a Fox escolher algum atorzinho boy magia para preencher a vaga deixada por Jacó Grande, e o colocar para enfrentar bichos de CG ainda menos realistas do que as coisas que viamos em Cybercops...

Mas até isso acontecer, Logan permanecerá em nossos corações.

Ah sim, não falei da violência do filme.

O filme é violento.

Cheers!!!

23 comentários:

Diogo Lopes Bastos disse...

Ótimo texto Amer, estava aguardando-o a muito tempo.
É um ótimo filme e o drama é muito bom, principalmente as conversas entre o Xavier e o Logan. As cenas de ação são muito boas e bem violentas graças a censura 18 anos e todas elas tem sentido e mostram um outro lado do Logan.
Hugh Jackman conseguiu mostrar um Logan mais humano e frágil, alguém que já desistiu da felicidade e vive apenas para cuidar de Xavier, ao perde-lo não consegue expressar suas emoções com um discurso, apenas com a raiva. Patrick Stewart está excepcional como Professor Xavier, trazendo uma carga emocional que criou ótimas cenas dramáticas, alguém que viu algo que amava se destruir e mesmo assim mantem a esperança de um dia melhor. Dafne Keen foi uma bela surpresa como X-23/Laura, mostrando suas emoções só pela expressão facial tanto nos momentos de ação quando nos cômicos e dramáticos, principalmente na sua conversar com Logan no Eden e a despedida dele.
Foi uma bela despedida do personagem e conseguiu mostrar não apenas a violência das HQs do Wolverine, mas nos emocionar de uma maneira que ficara nos nossos corações por um bom tempo.
Eu quero um texto falando sobre a trilogia do Batman feita pelo Nolan.

João Cabral disse...

Também quero texto sobre a trilogia do Nolan.
Detesto o quão pretensioso Nolan consegue ser, e a galera dá passe livre pra qualquer bosta que ele faz (cough Inception e Interstellar cough) só por causa de TDK. Fã do Nolan é tão chato quanto fã do Snyder, talvez pior.

Ah, e ótima crítica. Logan definitivamente é um dos melhores filmes baseados em HQs, e um ótimo filme, period.

Will 2 disse...

Só passando para falar que todos queremos a analise do Batman do Nolan(e se puder fale do Dunkirk,filme pretensioso do caralho).

Danilo Silva disse...

Excelente texto, Amer!
Seus artigos sobre cinema são fantásticos!
Por favor, faça uma analise da carreira do Nolan, mas já me dou por satisfeito com a analise da trilogia do Batman.

disse...

Honestamente eu acho o Christopher Nolan um diretor genial. Porque os filmes que ele faz são mais esburacados que rodovia brasileira e com atuações que foram feitas para virarem memes (sério, estamos falando do cara que transformou o Batman em piada).

MAS enquanto você está assistindo você não sente isso, é só depois que o filme termina (as vezes muito depois) que você para e pensa "espera... fui tapeado, esse filme é ruim!". Se duvida, assista Interestelar e Cavaleiro das Trevas de novo e repare no quanto de ruindade você não reparou nesses filmes inicialmente. Impressionante, não?

Esse homem é um mágico, eu digo.

Renato Morais disse...

Que saudade, mestre!

Sim, eu tava com saudade dos seus artigos mais deliciosos que chocolate e tetas aqui no blog! E olha, gostei muito dessa crítica, e compartilho da sua opinião sobre o Nolan. O cara é bom? Sim, é inegável. Mas os filmes dele são extremamente burocráticos, e sofrem demais com uma pretensão de ser 2deep4u, o que me faz questionar se ele consegue se divertir dirigindo ou faz isso só como uma forma de criar algo complexo e mostrar como seus neurônios são mais desenvolvidos e eletricamente carregados do que o do resto dos mortais.

E seria mais que bem vindo um rant sobre a trilogia do Cavaleiro das Trevas!

Vinicius Farias disse...

Artigo sensacional, como sempre! Esatava com muita saudade da sua genialidade, quanto aos artigos sobre o Nolan: sim, POR FAVOR!Mal posso esperar para ler o que você tem a dizer, grande abraço Amer!
Cheers!

Guilherme Rodrigues Bruno disse...

Aguardando ansiosamente pelos artigos do Batman que gargareja vidro moído! Cheers!

Adriano Istvan disse...

Por favor, um review de Feira Da Fruta!!




Digo, "Nolan's Batman of the Hurr Durr"

Leandro"ODST Belmont" Alves the devil summoner disse...

Grata surpresa (ou não) da analise do filme do James Howlett Logan. já que você dizia aos quatro ventos que faria a analise do filme, mas não a data

"Quando na verdade, a crítica de cinema é uma das maiores perdas de tempo de toda história. Vocês já sabem se gostaram ou não do filme, independente de terem o assistido. O público quer apenas ter sua opinião validada por um figura que esteja numa suposta posição de autoridade."

se o pessoal ignorasse o tal Rotten Tomatoes ao invés de ir no seu gosto, teriamos menos guerras em sites de entreterimento, que em alguns desses, já são vendidos pela cabine de imprensa. bem dito Amer, isso me põe do direito de achar que o Homem de Aço é o melhor filme de heroí que já vi, que Capitão America Soldado Invernal sempre pego no sono na metade da história e que esquadrão suícida é um filme "MEH" e que Deadpool é um filme que faz rir ao ver pela primeira vez, mas a pessoa não assistiria novamente...a não ser um adolescente de 14 anos que acha que piada de peido, pinto e bunda é engraçado. e o personagem só se deu bem no cinema pela violência e humor escrachado, não creio que num segunda película funcione esse tipo de satíra.

Guardiões da Galáxias 2 com o Naked Snake com piadas já batidas do filme anterior é a prova isso.

E chamar da Trilogia do Nolan do Batman de pretensiosa...e com o furos de roteiro...NÃO, não vou entrar nessa guerra de novo, mas ao ponto de Menosprezar a trilogia Nolan, que eu achava que do grupo da DC, você respeitava AO menos o Batman e o Super, para chegar a esse ponto....admite logo Amer.

Mas repito, não vou entrar nas trincheiras da Marvel vs DC de novo, ao contrário do John Rambo, não tem general algum me obrigando a voltar num conflito que não há vencedores.

verei esse filme por causa da X-23 mesmo.

agora vou comer a minha pizza portuguesa, Allon Syr!



Amer H. disse...

Eu AMO Batman e SUperman, eles estão no meu top 5 de heróis favoritos.

E por amar tanto os personagens, prezo por boas interpretações ou reimaginações deles.

Kerlyston Farias disse...

Belo artigo de um belo filme, Americano!

Nossa, como a frase acima ficou parecendo de um crítico cheio de "não-me-toque"...

Continuando:Cai na risada dentro do ônibus com essa frase: "Não o da Bíblia, seu louco! Trata-se de um lugar na
Dakota do Norte, perto da fronteira com o Canadá e por
que picas eu estou te ensinando geografia?".
Pena que você desanimou de ir a um cinema, se bem que, com os preços praticados,até eu estou evitando de assistir os lançamentos. Mas faz um esforço pelo menos para assistir e comentar sobre o Vingadores: Thanos Já Apareceu Tanto que Nem é Mais Spoiler...

..E não liga para o pessoal te chamando de Marvette, lança o artigo do Bat-Nolan e mostre os furos WTF do filme.

Sei que é pedir demais, mas melhor que o artigo do Bat-What seria um mês dedicado aos filmes do morcegão.

Mas me lembrei que você já tá velho e que seu pinto não sobe mais, então deixa a ideia engavetada.

Rafael Oliveira disse...

Grande análise como sempre Amer! "Logan" era um filme que não me bateu a vontade de ver(tendo em mente os filmes anteriores meia-boca do Carcaju), mas agora até que bateu um interesse em caçar pra assistir.

E, pela minha curiosidade mórbida, quero muito ver como você acabaria massacrando a franquia do Nolan com seu "uberconhecimento" de HQs. Principalmente o segundo filme (em que de uma vez ou outra vejo alguém comentando como o "melhor filme de super herói já feito"). Seria muito divertido ler um artigo dissecando o morcego nos furos de roteiro que o filme tem.

Nada contra quem ainda goste dos filmes, eu acho-os bem bacanas por agora, mas só pelo fato de que faz tempo que havia assistido todos, será que minha percepção vai mudar depois de um artigo desses?

Bom, é um experimento interessante de fazer...

SEMI disse...

A comparação com o bat-nolan foi pertinente. Assim como a despedida do Hugh Jackman aumentou a carga dramatica de "Logan", a comocao pela morte de Heath Ledger fez com que considerassem o filme muito melhor do que realmente é.

Faço coro com a análise dos bat-filmes que tendem a remar contra a maré.

Gleison disse...

Eu quero o artigo sobre a Trilogia Batman do Nolan, onde seu primeiro filme é "meh", seu segundo é UAU e seu terceiro é WTF?
Eu curti pra caramba Inception, mas um diretor incrível pra mim é consistente. Fazer um ou dois filmes que eu goste muito não significa que ele é um diretor perfeito digno de ser louvado e virar um Novo Deus de American Gods.
Interstellar é um filme chato com um final desnecessário, sem sentido e todo mundo aplaude só por ser dele e pra parecer inteligente.
Sobre Logan? Um dos melhores filmes que já vi. Não, não só de Super Heróis, filmes mesmo. No aguardo do próximo artigo Amer! Sei que da trabalho escrever, mas esperarei pacientemente!

Franci23 disse...

Lá vem você com promessas que não cumpre, seu energumênico. Se cumprir guardarei meu balde com acido e ficarei grato e feliz em poder ler sua critica as tretas do Nolan.

Bier disse...

Obrigado por ter voltado, Amer.
Tenho assistido seus Let's Plays e voltado quase diariamente aqui pra ler mais e mais dos seus textos.
Eu ainda não vi esse filme, mas estou me devendo ele, definitivamente.

Um abração!

Tio Nero disse...

amer a unica coisa que faltou em todos os filmes do carcaju era ele usar a roupa dos quadrinhos ou uma parecida por que aquela roupa era tão legal neh ?

Unknown disse...

Adorei a crítica Amer, pontos bem construídos e uma sinceridade notável.
E sim, queremos a trilogia.

HFA disse...

Olá, Amer. Como vai? Você já chegou a assistir algum anime da série Brave? São uns "Transformers" japoneses, criados pela Takara, a embaixadora dos cybertronianos no Japão. Eu gostaria de ver qualquer dia desses algum artigo sobre eles, principalmente GaoGaiGar, que dizem ser o melhor da franquia.


Cheers!

Bruno Mattes disse...

Estou relinchando aqui. Por favor, a trilogia, caro Abner. :V

Henrique Guerreiro disse...

Eu quero um artigo onde você divaga infinitamente sobre todos os problemas da trilogia Bat-Nolan.

Rinnnch (relincho)

felipe camilo disse...

comentando só pra pedir os artigos do Nolan